O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

China

4.876 visualizações

Publicada em

Uma visão histórica e geográfica da China. Os principais focos da parte histórica são as dinastias chinesas, principalmente a Qing, e o nascimento da China Nacionalista e Comunista.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

China

  1. 1. Introdução  A República Popular da China é um país socialista de proporções gigantescas. Tem a terceira maior área territorial, 7 das 19 montanhas mais altas do planeta, incluindo o pico mais alto (o Monte Everest, com 8.848 m acima do nível do mar), o terceiro rio mais longo, o maior e mais profundo cânion, o maior rio feito pelo homem e a maior muralha. A China tem também uma das topografias e climas mais diversificados do mundo, que incluem desde áreas desérticas e geladas até regiões de florestas densas e de clima tropical. Um dos grandes cânions do Rio Yangtzé, o 3º maior rio do mundo. A “Grande Muralha” da China.  Cerca de um quinto da população mundial - ou quase 1,3 bilhão de pessoas vive na China, um país de cultura milenar e berço de invenções como a bússola, o macarrão, a acupuntura, a pólvora, o papel, a imprensa a porcelana e os tecidos de seda. A maioria dos habitantes vive na porção oriental do país, onde estão as grandes cidades e quase toda a terra própria para a agricultura a principal atividade econômica da China. Estão na China várias das maiores cidades do mundo, como Xangai e Pequim, a capital do país. Xangai, a maior cidade da China e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo.
  2. 2. Religião e Filosofia Chinesas • • O Taoísmo, criado por Lao-Tsé durante o Período dos Reinos Combatentes, na China, se tornou uma religião organizada no século 5 d.C. Seu texto fundamental é o Tao Te Ching e reflete sobre o caminho para a humanidade eliminar o conflito e o sofrimento. • • Templo Taoísta nas costas das Montanhas de Wudang O Confucionismo foi um dos mais importantes aspectos da vida chinesa de 100 a.C. a 1900 d.C., influenciando áreas como a educação e o governo, além de orientar o comportamento social e os deveres do indivíduo em relação à sociedade. O Budismo, originário da Índia, prosperou pela primeira vez na China durante a Dinastia Han. Foi fundado durante os séculos 4 ou 5 a.C. no Nepal por Sidarta Gautama, reconhecido pelos budistas como o Buda Supremo. • Os taoístas acreditam que o homem deve viver em harmonia com a natureza por meio do Tao, ou “O Caminho”, a ideia de uma grande harmonia cósmica. As crenças taoístas ressaltam a autodesenvolvimento, a liberdade e a busca da imortalidade. • Pintura da Dinastia Song ilustrando o tema: “Confucionismo, taoísmo e budismo são um". Da esquerda para a direita, a pintura representa: um taoísta (Lu Xiujing), um monge budista (Huiyuan) e um confucionista (Tao Hongjing). O Budismo acredita na pureza da mente e das ações, e na purificação do carma (a lei da causalidade moral). As boas ações geram uma reação de mesma qualidade e intensidade, nesta vida ou em uma outra encarnação, gerando carma positivo, e a mesma lei age sobre as más ações, gerando carma negativo. Confúcio (Kung-Fu-Tzu) nasceu em uma família nobre, mas empobrecida, durante a Dinastia Zhou Oriental (Período das Primaveras e Outonos). Seu sistema moral é baseado na empatia e na compreensão. De acordo com o Confucionismo, uma vida boa e obediente só poderia surgir em uma sociedade bem disciplinada, que valoriza a cerimônia, o dever, a moralidade, a hierarquia e o serviço público. Pintura de Confúcio Grutas de Longmen - Luoyang
  3. 3. As Primeiras Dinastias    Primeira Dinastia Chinesa (semi-mitológica) descrita em contos antigos e defendida por alguns arqueólogos. Período de controles políticos baseados em clãs e famílias aristocráticas Acredita-se que sua população habitava principalmente áreas próximas ao Rio Amarelo • • • • Primeira Dinastia Chinesa cujos vestígios arqueológicos são concretos. Surgimento das primeiras cidades. Desenvolvimento da escrita ideografia. Uso dos ossos-oráculos por reis Shang.    Primeira metade da Dinastia Zhou. Divisão das antiga terras Shang em feudos hereditários. Prosperou durante 75 anos. 771 a.C.: • Invasão de nômades vindo do ocidente. • Mudança da capital de Hao para Luoyang. • Desmembramento do reino em inúmeros estados semi-idependentes. • Início da Dinastia Zhou Oriental. • • • • Colapso da influência e do poder da Dinastia Zhou. Período de guerra constante. Florescimento da filosofia e da literatura. Surgimento do Confucionismo, do Taoísmo e do Legalismo. Dinastia Zhou Oriental Pré-História (Antes do século 21 a.C.) Dinastia Xia Dinastia Shang (2070 a.C. - 1600 a.C.) (1600 a.C. - 1046 a.C.) Dinastia Zhou Ocidental (771 a.C. - 256 a.C.) China Imperial (1 029 a.C. - 771a.C.) Período das Primaveras e Outonos Período dos Reinos Combatentes (771 a.C. - 476 a.C.) (476 a.C. - 221 a.C.)
  4. 4. China Imperial - I     Período de Desunião. Expansão gradual para o sudeste. Dinastias bárbaras governam no Norte. Crescimento contínuo do budismo. Período de Três Reinos (220 - 265/280) Primeiras Dinastias Divisão em três estados: Wei, Shu e Wu. Confucionismo ofuscado. Aumento da importância do taoísmo e do budismo. Avanços científicos em matemática, medicina, astronomia e arquitetura. Regime menos severo. Confucionismo como doutrina oficial. Introdução do Budismo da Índia. Criação da Rota da Seda. Dinastia Han (221 a.C. - 207 a.C.)         (206 a.C. - 220 d.C.) Dinastia Han Ocidental Xia Dinastia Han Oriental (206 a.C. - 24 d.C.) (8 - 23) (24 - 220) Wei Shu Wu Dinastia Jin Ocidental (265 - 316) Dinastia Jin Oriental (317 - 420)     Reunificação e estabelecimento de um governo centralizado. Budismo e taoísmo favorecidos. Grande Muralha refortificada. Construção do Grande Canal da China. Dinastias do Norte e do Sul (386 - 589) Dinastia Sui (581 - 618) Unificação da China sob o regime Qin Shi Huangdi. Linguagem escrita e medidas padronizadas. 1ª Grande Muralha concluída e conectada. Dinastia Qin    Dinastia Tang
  5. 5. • • China Imperial - II • • • • •     Dinastia Sui Período mais próspero da sociedade feudal da China. Expansão territorial. Budismo temporariamente suprimido. Confucionismo como doutrina oficial. Idade de grandes realizações na poesia, escultura e pintura. Período de troca cultural com outros países como o Japão e a Coréia. Dinastia Tang (618 - 907) Período das Cinco Dinastias e dos Dez Reinos (907–960)      Período de guerra, corrupção, e dificuldades em geral. Desenvolvimento dos métodos de impressão; Papel-moeda impresso pela primeira vez. Mongóis expulso. Período de organização governamental e estabilidade social. Confucionismo e concursos públicos restabelecidos. O contato com os comerciantes europeus expandido. A Porcelana, a arquitetura, o romance e o drama florescem. A Cidade Proibida é construída. Última dinastia Han. Período de grande mudança social e intelectual. Neoconfucionismo atinge a supremacia sobre o taoísmo e o budismo. Burocracia Central restabelecida. Cultivo generalizado de chá e algodão. Pólvora é usada pela primeira vez no serviço militar.      •     Dinastia mongol fundada por Kublai Khan, neto de Gêngis Khan. Ineficiência administrativa e grave estratificação social. Contato crescente com o Ocidente. Visitada e relatada por Marco Polo. Ideais confucionistas desanimadas. Dinastia Song (960 - 1279) Dinastia Song do Norte Dinastia Song do Sul (960 - 1127) (1127 - 1279) Dinastia Yuan Dinastia Jin (1115 - 1234) Dinastia Xia Ocidental (1038 - 1227) Dinastia Liao (907/916–1125) Dinastia Ming (1271 - 1368) (1368 - 1644) Dinastia Qing
  6. 6. Dinastia Qing De 1644 ao Século XVIII  Período de crescimento e prosperidade envolvendo e unindo o povo Chinês e Manchu.  Reparos e manutenções de obras públicas contribuíram para o crescimento das cidades.  Impostos mais baixos melhoram o comércio e qualidade de vida dos chineses.  Crescimento da população de 150 milhões para 450 milhões.  Além do cristianismo, missionários ocidentais também influenciaram os chineses no campo da ciência.  Posições do governo compartilhadas por Manchus e Chineses.  Tentativas bem sucedidas expansão das fronteiras do Império.  A área total do Império alcançou 13 milhões km².  Países vizinhos, como Coréia, Vietnã e Nepal, foram estados tributários durante a maior parte do período Qing.
  7. 7. A Decadência da Dinastia Qing  A decadência da Dinastia Qing começou após a morte do imperador Qianlong, em 1799. Assim como as dinastias Tang e Ming, a Dinastia Qing terminou em rebeliões, guerras, desastres naturais, problemas econômicos, fome e invasões estrangeiras.  A corte, envolvida em suas próprias intrigas e buscando uma vida luxuosa, era incapaz de lidar com o mundo moderno e as inúmeras revoltas e desastres naturais. Dinastia Qing vs. Rebeliões Internas: De 1796 até o fim da era dinástica, a corte Qing teve de enfrentar diversas rebeliões internas que, mesmo contidas, enfraqueceram seu poder. Principais Rebeliões Internas: • Rebelião da do Lótus Branco (1796-1804); • Rebelião Taiping (1851-1864); • Revolta Dungan (1864-1877). Dinastia Qing vs. Estrangeiros: A política de isolamento definida pelo imperador Qianlong provou-se um grande erro. Durante o século XIX e início do século XX, a corte Qing não estava preparada para conflitos com os europeus e japoneses. Principais Guerras com Europeus e Japoneses: • Primeira Guerra do Ópio (1839-1842); • Segunda Guerra do Ópio (1856-1860); • Guerra Sino- Japonesa (1894-1895). Ambas as guerras foram perdidas, levando a China a assinar tratados desiguais altamente desfavoráveis em termos comerciais e perda de territórios. A cidade de Hong Kong foi cedida aos ingleses nesta oportunidade. Com a derrota da China, a Coreia tornou-se independente e a ilha de Taiwan uma colônia do Japão. Ao contrário dos europeus, que queriam portos comerciais abertos, os japoneses queriam conquistar e colonizar toda a região. A Rebelião Taiping, um dos conflitos mais sangrentos da história (cerca de 20 milhões de mortos), foi um confronto entre as forças da China imperial e um grupo inspirado por um místico autoproclamado, chamado Hong Xiuquan, que se dizia cristão e também intitulava-se irmão de Cristo. Seu objetivo era criar uma nova cultura, substituindo a tradição confucionista e budista por algo "novo" - moldado conforme às suas ideias.
  8. 8. A Imperatriz Viúva Tzu-Hsi e o Levante dos Boxers  Em 1861 morreu o Imperador Xianfeng e assumiu a regência Tzu-Hsi, a concubina mãe de seu único filho e herdeiro (o Imperador Tongzhi).  A mais forte personalidade política chinesa do século XIX, Tzu-Hsi governou despoticamente, embora não oficialmente, a China por 47 anos, durante os reinados dos imperadores Tongzhi e Guangxi, até sua morte em 1908.  A Imperatriz Viúva Tzu-Hsi, longe de seguir o exemplo japonês de transigência com a ordem europeia, adotou uma atitude intolerante em face da intromissão ocidental e de fanático conservantismo perante o movimento de reformistas que advogava modernização e contemporização.   O Levante dos Boxers     O Levante dos Boxers (1899-1900), foi um movimento popular antiocidental e anticristão na China promovido por lutadores de artes marciais conhecidos como “boxers”. No início seu objetivo era derrubar o governo e expulsar ou matar estrangeiros. Todavia, Tzu-Hsi apoiou o movimento em segredo, conseguindo o apoio de seus líderes. Com o apoio dos Boxers e seus seguidores, Tzu-Hsi declarou guerra aos estrangeiros, e as suas tropas marcharam contra os estrangeiros em Pequim. Como resposta as tropas estrangeiras ocuparam a capital e milhares de cidadãos morreram durante a campanha. Ao final das hostilidades, o governo imperial foi forçado a assinar o desigual Protocolo Boxer de 1901. Além de mais concessões (econômicas, comerciais e territoriais), a Coligação dos Oito Países exigiu uma pesada indenização pelos gastos que tiveram ao invadir o país e obrigaram as autoridades chinesas a elas mesmas executarem os líderes da rebelião. O levante fez com que aumentasse a interferência estrangeira na China, com a consequente diminuição da autoridade da dinastia Qing.
  9. 9. A República da China 1912 - 1949 ► Em 1908, o médico Sun Yat-sen funda o Partido Nacionalista (Kuomintang), em oposição à O cartaz comemora a República com as imagens do então Presidente Permanente da República da China, Yuan Shikai, e do Presidente provisório da República, Sun Yat-sen. monarquia e à hegemonia estrangeira. ► Apoiado por militares, Sun Yat-sen derruba a dinastia Qing e é proclamado presidente provisório em 1911, mas a república não alcança todo o país, que entra em guerra civil. ► A morte de Sun Yat-sen, em 1925, provoca luta pelo poder no Kuomintang. ► A facção vitoriosa, liderada por Chiang Kai-shek, une-se ao Partido Comunista Chinês – fundado em 1921 – contra os senhores feudais do norte. ► A aliança dura até 1927, quando uma insurreição operária em Xangai é reprimida pelo Kuomintang. ► Os comunistas, liderados por Mao Tsé-tung, são postos na clandestinidade. ► Debilitada, a China não resiste ao Japão, que, em 1931, invade a Manchúria. ► Para escapar ao cerco do Kuomintang, 90 mil comunistas, liderados por Mao, deslocam-se 9 mil quilômetros rumo ao norte. É a Grande Marcha (1934/1935), que dá prestígio e dimensão quase mítica aos comunistas. Retrato de Chiang Kai-shek na Praça Tiannamen. (Foto tirada antes de 1940) ► Diante do avanço japonês, o Kuomintang e o PCC fazem nova aliança em 1936. ► Com a rendição do Japão, no fim da II Guerra Mundial, recomeçam os combates entre comunistas e nacionalistas Sun Yat-sen, o pai da China moderna (sentado), e Chiang Kai-shek, posteriormente o presidente da República da China.
  10. 10. Mao Tse-Tung e a República Popular da China - I ► Em outubro de 1949, os comunistas proclamam a República Popular da China, com Mao Tsétung como dirigente supremo. ► Chiang Kai-chek e o Kuomintang fogem para Taiwan (Formosa), onde instalam a República da China. ► A China continental é reorganizada nos moldes comunistas, com coletivização das terras, nacionalização das empresas estrangeiras e controle estatal da economia. ► Em 1950, a China assina tratado de amizade com a União Soviética (URSS). No mesmo ano Mao Tsé-Tung declarando a fundação da República Popular da China em 1949 ocupa e anexa o Tibete. ► Após a morte de Josef Stálin, em 1953, Mao enfatiza sua autonomia em relação à URSS. ► Em 1956 lança a Campanha das Cem Flores, para estimular críticas da população à burocracia partidária. Quando essas críticas ultrapassam limites considerados toleráveis, o regime reage com a Campanha Antidireitista. Milhares de intelectuais são perseguidos, presos e mortos. ► Mao lança o Grande Salto para a Frente (1958/1960), que pretendia transformar rapidamente a China em nação desenvolvida e igualitária. Os camponeses são obrigados a se juntar em gigantescas comunas agrícolas. Siderúrgicas improvisadas são instaladas por toda a parte. ► O “salto” leva à total desorganização econômica. Milhares de camponeses morrem de fome. Fornos de quintal na China durante o Grande Salto Adiante.
  11. 11. Mao Tse-Tung e a República Popular da China - II ► Após o fracasso do Grande Salto Adiante, a cúpula do PCC afasta Mao da condução dos assuntos internos. ► Outros veteranos da revolução, entre eles Deng Xiaoping, assumem a direção do partido. Mao continua a chefiar a política externa. ► Crescem as críticas à URSS, que suspende a ajuda econômica e militar, em 1960. ► Em 1966, Mao lança uma ofensiva para voltar ao poder: a Grande Revolução Cultural Proletária. A população é instigada a se rebelar contra as autoridades, acusadas de burocratização. ► Cerca de 20 milhões de estudantes formam as Guardas Vermelhas, que fazem perseguições em grande escala. ► O processo foi oficialmente terminado por Mao, durante o IX Congresso do Partido Comunista da China em abril de 1969. ► Especialistas afirmam que a Revolução Cultural durou, de fato, até à morte de Mao, em 1976, e a subida ao poder de Deng Xiaoping, então Secretário-Geral do Partido, o qual, gradualmente, deu início às mudanças nos rumos políticos e econômicos do país. 打碎 旧 世界 创立 新世界. "Destruir o velho mundo, construir um mundo novo" Exemplo clássico da arte durante a Revolução Cultural. A Guarda Vermelha esmaga o crucifixo, o Buda e os livros clássicos chineses com seu martelo
  12. 12. Topografia A Geografia da China ► A República Popular da China é o terceiro maior país do mundo em área terrestre com 9.596.961 km². A China tem uma fronteira terrestre de 22.117 km, a maior do mundo. ► O território da China possui uma grande variedade de paisagens. A leste, ao longo das costas do mar Amarelo e do mar da China Oriental, encontram-se largas planícies aluviais, densamente povoadas. A costa do mar da China Meridional é mais montanhosa e o sul da China é dominado por colinas e por cadeias montanhosas mais pequenas. Relevo ► Para oeste, o norte possui uma grande planície aluvial, e o sul contém um vasto planalto calcário, atravessado por cadeias montanhosas de elevação moderada, culminando nos Himalaias e no ponto mais elevado do país, o Monte Evereste, e seus 8.848 metros. A parte noroeste também inclui planaltos elevados, entre paisagens de deserto mais árido, como o deserto de Gobi, que se têm vindo a expandir. ► A China possui dois principais tipos de clima: um tipicamente monçônico e o outro complexo e variado que é diferente de região para região por causa da extensa e complexa topografia do país. De acordo com a temperatura, o território divide-se em seis faixas do sul para o norte: equatorial, tropical, subtropical, temperada, temperada-fria e fria Panorama do Monte Evereste visto a partir do Planalto Tibetano. Deserto de Gobi – Mongólia Interior
  13. 13. Demografia Chinesa A demografia da China caracteriza-se por sua grande população – 1,3 bilhões de habitantes - e por sua elevadíssima densidade demográfica - 137 hab./km² - sendo que grande parte da população concentrase na sua porção leste. Crescimento Populacional: ► Nos anos de 1950, o governo chinês adotou, com variados graus de sucesso, medidas e programas de planejamento familiar e de controle populacional. ► O rápido crescimento demográfico levou o governo a implementar uma política estrita de uma única criança por família, anunciada em 1979, segundo a qual um casal somente poderiam ter uma criança. ► Com esta medida, a China prometeu estabilizar e reduzir a taxa de fertilidade; em 1971, as mulheres tinham uma média de 5,4 crianças, contra uma estimativa de 1,7 crianças em 2004. ► Hoje, a população, continua a crescer. Problemas enfrentados pelo governo chinês: ► Há um sério desequilíbrio de gênero. Os dados do censo de 2000 revelaram que 119 meninos nasceram para cada 100 meninas, levando o governo a proibir o aborto seletivo de fetos do sexo feminino. ► A população chinesa tem envelhecido consideravelmente; estima-se que em 2020 11,8% dos chineses terão 65 anos ou mais, resultado, principalmente do gigantesco crescimento econômico que a China vem experimentando nos últimos anos. Etnias: ► A China reconhece oficialmente 56 grupos étnicos diferentes, dos quais o maior é o Han, com cerca de 91,9% da população. Legenda em Habitantes por Km² 5 5-10 10-20 20-50 50-80 80-150 150-200 200-250 250-300 300-400 400-500 500 Distribuição da população no território chinês.
  14. 14. A Política da China A República Popular da China é um dos quatro Estados restantes que se declaram socialistas no mundo. O governo chinês tem sido descrito como comunista e socialista, mas também como autoritário, com fortes restrições remanescentes em muitas áreas, principalmente em relação à internet, imprensa, direitos reprodutivos e liberdade de religião. Seu atual sistema político/econômico é denominado por seus líderes como "socialismo com características chinesas". Principais características da Política Chinesa: ► O país é governado pelo Partido Comunista da China (PCC), cujo poder está consagrado na constituição. ► O sistema eleitoral chinês é hierárquico, segundo o qual os Congressos Populares locais são eleitos diretamente e todos os níveis mais elevados de Congresso Popular até a Assembleia Popular Nacional (APN) são eleitos indiretamente pelo Congresso Popular de nível imediatamente inferior. Deng Xiaoping, (1904 - 1997) foi o líder político da República Popular da China entre 1978 e 1992. É o criador do chamado socialismo de mercado, regime vigente na China moderna. ► O sistema político é parcialmente descentralizado, com poucos processos democráticos internos ao partido e ao nível das vilas locais, embora estas experiências tenham sido marcadas pela corrupção. ► Há outros partidos políticos na China, referidos no país como partidos democráticos, que participam da Assembleia Popular Nacional. ► Comparada às suas políticas fechadas de até meados dos anos 1970, a liberalização da China resultou em um clima administrativo menos restritivo do que o anterior. ► As preocupações políticas na China incluem diminuir o fosso crescente entre os ricos e os pobres, além do combate à corrupção dentro da liderança do governo. ► O apoio popular ao governo e à sua gestão está entre os mais altos do mundo, sendo que 91% dos cidadãos chineses expressaram satisfação com a economia de sua nação de acordo com uma pesquisa feita em 2010. Xi Jinping, o atual presidente do país.
  15. 15. A Economia Chinesa A China possui atualmente uma das economias que mais crescem no mundo. O Produto Interno Bruto (PIB) da China atingiu US$ 8,28 trilhões em 2012 (com crescimento de 7,8%), fazendo deste país a segunda maior economia do mundo (fica apenas atrás dos Estados Unidos). A economia chinesa representa cerca de 15% da economia mundial. Principais dados e características da economia chinesa: ► A China é o maior produtor mundial de alimentos: 500 milhões de suínos, 450 milhões de toneladas de grãos; ► É o maior produtor mundial de trigo e arroz; ► Aumento nos investimentos na área de educação, principalmente técnica; ► Investimentos em infraestrutura com a construção de rodovias, ferrovias, aeroportos e prédios públicos. Construção da hidrelétrica de Três Gargantas, a maior do mundo, gerando energia para as indústrias e habitantes; ► Investimentos nas áreas de mineração, principalmente de minério de ferro, carvão mineral e petróleo; ► Controle governamental dos salários e regras trabalhistas. Com estas medidas as empresas chinesas tem um custo reduzido com mão-de-obra (os salários são baixos), fazendo dos produtos chineses os mais baratos do mundo. ► Abertura para a entrada do capital internacional. Empresas multinacionais instalaram e continuam instalando filiais neste país, buscando baixos custos de produção, mão-de-obra abundante e mercado consumidor amplo. ► A China é um dos maiores importadores mundiais de matéria-prima. ► O forte crescimento econômico dos últimos anos gera emprego, renda e crescimento das empresas chinesas. Porém, apresenta um problema para a economia chinesa que é o crescimento da inflação.

×