SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
CONTABILIDADE,AUDITORIAEFISCALIDADE
Em parceria com Empresas Colaborantes Empresas Parceiras
Lisbon Chapter
Parceiros Institucionais
MENSAGEM
A Informação é um dos principais ativos das organizações e as
Tecnologias desempenham um papel crucial no seu ciclo de vida.
Sendo a Informação e Tecnologias fatores críticos de sucesso nas
organizações, representam, contudo, desafios cada vez mais
complexos de gerir decorrentes de fatores tão diversos, nomea-
damente a globalização dos serviços, crescente dependência de
redes e comunicações, o contínuo aparecimento de novas leis e
regulamentos, o incremento da desmaterialização de informa-
ção, a híper-conexão de entidades e parceiros e as crescentes
ameaças à confidencialidade, integridade e disponibilidade da
informação, com as práticas de cibercrime a ganharem cada
vez maior atenção nas agendas das organizações. Assim, os
responsáveis pelas organizações enfrentam cada vez maiores
dificuldades em garantir o valor e a confiança necessária para
os principais stakeholders, sendo desta forma obrigatória a apli-
cação das melhores práticas de governance, gestão, operação e
supervisão, garantindo eficiência, uma gestão efetiva dos seus
recursos, conhecimento dos seus riscos e garantindo conformidade com os requisitos legais e regulamen-
tares. Neste contexto, as funções de suporte em geral, e a auditoria em particular, ganham cada vez maior
atenção e relevância nas organizações, existindo um aumento da preocupação em assegurar que estas
funções, quer sejam desempenhadas internamente ou com recurso a prestadores externos, contribuam de
forma direta para o valor e sucesso dos negócios. O auditor é hoje encarado como um parceiro de negócio,
capaz de comunicar com as áreas de negócio e contribuir de forma efetiva e construtiva para o sucesso do
sistema de governance, risco e controlo da organização. Esta colaboração exige uma importante adoção
das melhores práticas complementadas por uma formação e capacitação de todos os intervenientes nas
diversas componentes da auditoria, do risco ao controlo, dos processos às tecnologias, da segurança à
continuidade. Esta pós-graduação pioneira em Portugal é o exemplo de tal, alinhada com as melhores
práticas de organismos internacionais de reconhecido mérito como é o ISACA e em que a distância não
constitui qualquer barreira porque o b-learning responde.
ESTRUTURA MODULAR
MÓDULOS HORAS ECTS
Princípios gerais de auditoria
Auditoria de TI baseada em Risco
Auditoria a modelos de controlo interno e auditorias integradas
Contexto legal e normativo com impacto nas Tecnologias de Informação
Seminário - Gestão de equipas
Seminário - Negociação e assertividade
Seminário de Projeto 1
Auditoria a modelos de governance e gestão de TI
Auditoria de projetos de aquisição, desenvolvimento e implementação de sistemas
Auditorias à gestão de serviços de operações e manutenção de TI
Auditoria à Segurança da Informação
Auditoria à Gestão da Continuidade de Negócio
Análise de dados e utilização de CAATs
Auditoria e gestão da fraude
Seminário - Comportamento organizacional
Seminário - Técnicas de entrevista e recolha de informação.
Modelos de competência e preparação de processos de certificação
Seminário de Projeto 2
Total
20
16
16
8
4
4
20(4P+16T)
8
16
16
20
8
16
16
4
4
8
20(4P+16T)
192
6
4
4
3
0
0
6
3
4
4
6
3
4
4
0
0
3
6
60
TESTEMUNHOS DOS ALUNOS
“A oportunidade de partilhar experiências com colegas e o acesso a uma rede de
professores como uma vasta experiência nas temáticas abordadas contribuem para o
desenvolvimento das minhas competências e permitirão o desempenho da minha função
de auditoria de sistemas de informação com a qualidade desejada.”
Adérito Abílio Pilica, CISA (2ª edição/b-learning) – Auditor de Sistemas de informação no Banco de Moçambique
“A inovação do modelo B-Learning permite-nos estar numa sala de aulas em Coimbra
a partir de qualquer canto do mundo e aceder a uma formação de qualidade ímpar.”
Rodolfo Malagissa - (2ª edição/b-learning) - DSI - Auditoria e Riscos de STI do Banco BCI de Moçambique
“Os níveis de exigência incutidos possibilitaram o desenvolvimento de competências
de trabalho em equipa e maior capacidade de solucionar casos reais.”
Gilda Melo – (1ª edição) - Diretora de Sistemas de Informação na AIRC
“A participação da PGARCSI tem permitido abrir uma nova perspetiva de futuro com
um alargamento do âmbito de abordagem no desempenho das minhas funções e
potenciando o meu desenvolvimento profissional.“
Armando Lopes – CIA, CRMA e CCSA (1ª edição) Diretor de Auditoria Interna e Gestão de Risco da Unicer.
PÓS-GRADUAÇÃO EM
AUDITORIA, RISCO E CONTROLO
DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
3.ª edição em sistema B-LEARNING
AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PODEM SER
COMPLEXAS, AS AUDITORIAS NÃO TÊM DE SER!
ÂMBITO E OBJETIVOS
Esta pós-graduação foi desenhada a pensar nos desafios atuais das organizações, combinando
uma visão das boas práticas internacionais com os requisitos de competências dos profissionais
nestas áreas. Desta forma, pretende-se contribuir para uma maior consciência por parte das
organizações dos riscos e oportunidades relacionadas com a gestão eficiente dos Sistemas de
Informação, garantindo igualmente uma maior capacitação dos profissionais que lhes possi-
bilite o exercício das suas profissões de forma mais qualificada, não só no mercado nacional
mas cada vez mais num contexto global. O desenho da pós-graduação, pioneira em Portugal,
teve em consideração as principais frameworks e certificações de mercado, destacando-se o
alinhamento com o “ISACA Model Curriculum for IS Audit and Control”.
Comoobjetivodealargaraalunosmaisdistantes,nomeadamentedos CPLPapossibilidadedepar-
ticipar numa das Pós-graduações de referência nas áreas de auditoria, risco e Controlo de Sistemas
de Informação foi criado o sistema b-learning, em Ambiente Colaborativo Multimédia, com ses-
sões síncronas ou visionamento posterior das mesmas. No entanto, dado o espirito prático e profis-
sionalizante do curriculum da PG, alinhado com o modelo internacional do ISACA, continuará a pro-
mover-se a colaboração entre todos os alunos e a partilha de experiências entre alunos e docentes.
DESTINATÁRIOS
A pós-graduação foi desenhada tendo por base o tecido empresarial português, motivo pelo
qual teve como principal preocupação a definição de conteúdos temáticos que equilibrem
a componente teórica e prática.
CORPO DOCENTE
António Calheiros (ISCAC)
Armando Veiga (ISCAC)
Bruno H Soares (GOVaaS)
Cristina Alberto (KPMG)
Fátima Geada (IPAI)
Filipe Pontes (AXA)
Francisco Guimarães (Results Revolution)
Georgina Morais (ISCAC)
Isabel Pedrosa (ISCAC)
Jorge Granjal (DEI-FCTUC)
Luís Montanha Rebelo (MONTEPIO)
Luís Morais (KPMG)
Paulo Gomes (SONAE)
Raul Laureano (ISCTE-IUL)
Rui Brites (ISEG)
Wander de Carvalho (ISCAC)
Isabel Pedrosa
(ISCAC)
Bruno Soares
(ISACA Lisbon Chapter)
Georgina Morais
(ISCAC)
Fátima Geada
(IPAI)
4

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Brochura arcsi 3ª Edição 2014

MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)
MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)
MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)Marcos CAVALCANTI
 
CEGP - TCC Milena C Gomes
CEGP - TCC Milena C GomesCEGP - TCC Milena C Gomes
CEGP - TCC Milena C GomesMilena Gomes
 
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documentalguiabusinessmedia
 
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptx
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptxFINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptx
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptxPaulaSerdeiraAzevedo2
 
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de Referência
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de ReferênciaOAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de Referência
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de ReferênciaSymantec Brasil
 
Centro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital AplicadaCentro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital Aplicadagilbertociro
 
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados EmpresariaisGestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados EmpresariaisRoberto C. S. Pacheco
 
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyCOBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyDeroci Nonato Júnior
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!Rogerio Sena
 
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de ServiçosEloGroup
 
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de ServiçosEloGroup
 
Governança de TI.pptx
Governança de TI.pptxGovernança de TI.pptx
Governança de TI.pptxssusera0a510
 
Apresentação Portifólio ComÊxito
Apresentação Portifólio ComÊxitoApresentação Portifólio ComÊxito
Apresentação Portifólio ComÊxitocexito2013
 
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017Gilberto C Porto
 
PMI e Portal Corporativo
PMI e Portal CorporativoPMI e Portal Corporativo
PMI e Portal CorporativoSergio Barbosa
 

Semelhante a Brochura arcsi 3ª Edição 2014 (20)

Curriculum Vitae Paulo Pagliusi
Curriculum Vitae Paulo PagliusiCurriculum Vitae Paulo Pagliusi
Curriculum Vitae Paulo Pagliusi
 
Gestãorisco
GestãoriscoGestãorisco
Gestãorisco
 
MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)
MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)
MBKM (Master on Business and Knowledge Manegement)
 
CEGP - TCC Milena C Gomes
CEGP - TCC Milena C GomesCEGP - TCC Milena C Gomes
CEGP - TCC Milena C Gomes
 
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental
00 13092011-1600-governança-da-gestão-documental
 
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptx
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptxFINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptx
FINAL_Apresentação2 Template FCCN vHR Versão 26.06.2023- FC.pptx
 
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de Referência
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de ReferênciaOAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de Referência
OAB - SEGURANÇA CORPORATIVA - Guia de Referência
 
Aula 01 conceitos do cobit
Aula 01   conceitos do cobitAula 01   conceitos do cobit
Aula 01 conceitos do cobit
 
Centro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital AplicadaCentro De Economia Digital Aplicada
Centro De Economia Digital Aplicada
 
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados EmpresariaisGestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais
 
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related TechnologyCOBIT - Control Objectives for Information and related Technology
COBIT - Control Objectives for Information and related Technology
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
 
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
 
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
[BPM Day Três Poderes 2014 – Brasília] RNP – Atendimento Integrado de Serviços
 
Governança de TI.pptx
Governança de TI.pptxGovernança de TI.pptx
Governança de TI.pptx
 
Plano governanca-em-ti-sti
Plano governanca-em-ti-stiPlano governanca-em-ti-sti
Plano governanca-em-ti-sti
 
Plano governanca-em-ti-sti
Plano governanca-em-ti-stiPlano governanca-em-ti-sti
Plano governanca-em-ti-sti
 
Apresentação Portifólio ComÊxito
Apresentação Portifólio ComÊxitoApresentação Portifólio ComÊxito
Apresentação Portifólio ComÊxito
 
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
 
PMI e Portal Corporativo
PMI e Portal CorporativoPMI e Portal Corporativo
PMI e Portal Corporativo
 

Mais de Filipe Pontes

Vai correr tudo bem?Não!
Vai correr tudo bem?Não!Vai correr tudo bem?Não!
Vai correr tudo bem?Não!Filipe Pontes
 
Filipe pontes-junho 2019 Ionline
Filipe pontes-junho 2019 Ionline Filipe pontes-junho 2019 Ionline
Filipe pontes-junho 2019 Ionline Filipe Pontes
 
Artigo de abril Publicação jornal i
Artigo de abril Publicação jornal i Artigo de abril Publicação jornal i
Artigo de abril Publicação jornal i Filipe Pontes
 
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533Filipe Pontes
 
Abraçar a Esperança 2019
Abraçar a Esperança 2019Abraçar a Esperança 2019
Abraçar a Esperança 2019Filipe Pontes
 
Pedrógão: antecipar em vez de reagir
Pedrógão: antecipar em vez de reagirPedrógão: antecipar em vez de reagir
Pedrógão: antecipar em vez de reagirFilipe Pontes
 
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedin
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedinCv ing _fp_ilipe pontes_linkedin
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedinFilipe Pontes
 
RGPD e os seus direitos. Visao e489A
RGPD e os seus direitos. Visao e489ARGPD e os seus direitos. Visao e489A
RGPD e os seus direitos. Visao e489AFilipe Pontes
 
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionline
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionlineJornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionline
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionlineFilipe Pontes
 
Visao e467 - Silêncio da Fraude
Visao e467 - Silêncio da FraudeVisao e467 - Silêncio da Fraude
Visao e467 - Silêncio da FraudeFilipe Pontes
 
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017Filipe Pontes
 
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017Filipe Pontes
 
Visao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição onlineVisao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição onlineFilipe Pontes
 
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017Filipe Pontes
 
O Orçamento e o combate à Fraude
O Orçamento e o combate à FraudeO Orçamento e o combate à Fraude
O Orçamento e o combate à FraudeFilipe Pontes
 
O veto presidencial e os falsos positivos
O veto presidencial e os falsos positivosO veto presidencial e os falsos positivos
O veto presidencial e os falsos positivosFilipe Pontes
 
Revista ipai edição 64
Revista ipai edição 64Revista ipai edição 64
Revista ipai edição 64Filipe Pontes
 
Ionline.pt 27 de Julho de 2016
Ionline.pt 27 de Julho de 2016Ionline.pt 27 de Julho de 2016
Ionline.pt 27 de Julho de 2016Filipe Pontes
 
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.Filipe Pontes
 

Mais de Filipe Pontes (20)

Vai correr tudo bem?Não!
Vai correr tudo bem?Não!Vai correr tudo bem?Não!
Vai correr tudo bem?Não!
 
Filipe pontes-junho 2019 Ionline
Filipe pontes-junho 2019 Ionline Filipe pontes-junho 2019 Ionline
Filipe pontes-junho 2019 Ionline
 
Artigo de abril Publicação jornal i
Artigo de abril Publicação jornal i Artigo de abril Publicação jornal i
Artigo de abril Publicação jornal i
 
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533
Nova diretiva europeia sobre proteção de denunciantes (whistleblowers) Visao533
 
Abraçar a Esperança 2019
Abraçar a Esperança 2019Abraçar a Esperança 2019
Abraçar a Esperança 2019
 
Pedrógão: antecipar em vez de reagir
Pedrógão: antecipar em vez de reagirPedrógão: antecipar em vez de reagir
Pedrógão: antecipar em vez de reagir
 
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedin
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedinCv ing _fp_ilipe pontes_linkedin
Cv ing _fp_ilipe pontes_linkedin
 
RGPD e os seus direitos. Visao e489A
RGPD e os seus direitos. Visao e489ARGPD e os seus direitos. Visao e489A
RGPD e os seus direitos. Visao e489A
 
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionline
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionlineJornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionline
Jornal i - edição de 18 de Maio de 2018 - ionline
 
Visao e467 - Silêncio da Fraude
Visao e467 - Silêncio da FraudeVisao e467 - Silêncio da Fraude
Visao e467 - Silêncio da Fraude
 
CV | Filipe Pontes
CV | Filipe Pontes CV | Filipe Pontes
CV | Filipe Pontes
 
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017
Jornal i - edição de 11 de Outubro de 2017
 
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017
Jornal i - edição de 12 de Julho de 2017
 
Visao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição onlineVisao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição online
 
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017
Jornal i - edição de 12 de Janeiro de 2017
 
O Orçamento e o combate à Fraude
O Orçamento e o combate à FraudeO Orçamento e o combate à Fraude
O Orçamento e o combate à Fraude
 
O veto presidencial e os falsos positivos
O veto presidencial e os falsos positivosO veto presidencial e os falsos positivos
O veto presidencial e os falsos positivos
 
Revista ipai edição 64
Revista ipai edição 64Revista ipai edição 64
Revista ipai edição 64
 
Ionline.pt 27 de Julho de 2016
Ionline.pt 27 de Julho de 2016Ionline.pt 27 de Julho de 2016
Ionline.pt 27 de Julho de 2016
 
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.
Visao:A importância do Combate à Fraude no Setor Segurador.
 

Último

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 

Último (20)

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 

Brochura arcsi 3ª Edição 2014

  • 1.
  • 2.
  • 3. CONTABILIDADE,AUDITORIAEFISCALIDADE Em parceria com Empresas Colaborantes Empresas Parceiras Lisbon Chapter Parceiros Institucionais MENSAGEM A Informação é um dos principais ativos das organizações e as Tecnologias desempenham um papel crucial no seu ciclo de vida. Sendo a Informação e Tecnologias fatores críticos de sucesso nas organizações, representam, contudo, desafios cada vez mais complexos de gerir decorrentes de fatores tão diversos, nomea- damente a globalização dos serviços, crescente dependência de redes e comunicações, o contínuo aparecimento de novas leis e regulamentos, o incremento da desmaterialização de informa- ção, a híper-conexão de entidades e parceiros e as crescentes ameaças à confidencialidade, integridade e disponibilidade da informação, com as práticas de cibercrime a ganharem cada vez maior atenção nas agendas das organizações. Assim, os responsáveis pelas organizações enfrentam cada vez maiores dificuldades em garantir o valor e a confiança necessária para os principais stakeholders, sendo desta forma obrigatória a apli- cação das melhores práticas de governance, gestão, operação e supervisão, garantindo eficiência, uma gestão efetiva dos seus recursos, conhecimento dos seus riscos e garantindo conformidade com os requisitos legais e regulamen- tares. Neste contexto, as funções de suporte em geral, e a auditoria em particular, ganham cada vez maior atenção e relevância nas organizações, existindo um aumento da preocupação em assegurar que estas funções, quer sejam desempenhadas internamente ou com recurso a prestadores externos, contribuam de forma direta para o valor e sucesso dos negócios. O auditor é hoje encarado como um parceiro de negócio, capaz de comunicar com as áreas de negócio e contribuir de forma efetiva e construtiva para o sucesso do sistema de governance, risco e controlo da organização. Esta colaboração exige uma importante adoção das melhores práticas complementadas por uma formação e capacitação de todos os intervenientes nas diversas componentes da auditoria, do risco ao controlo, dos processos às tecnologias, da segurança à continuidade. Esta pós-graduação pioneira em Portugal é o exemplo de tal, alinhada com as melhores práticas de organismos internacionais de reconhecido mérito como é o ISACA e em que a distância não constitui qualquer barreira porque o b-learning responde. ESTRUTURA MODULAR MÓDULOS HORAS ECTS Princípios gerais de auditoria Auditoria de TI baseada em Risco Auditoria a modelos de controlo interno e auditorias integradas Contexto legal e normativo com impacto nas Tecnologias de Informação Seminário - Gestão de equipas Seminário - Negociação e assertividade Seminário de Projeto 1 Auditoria a modelos de governance e gestão de TI Auditoria de projetos de aquisição, desenvolvimento e implementação de sistemas Auditorias à gestão de serviços de operações e manutenção de TI Auditoria à Segurança da Informação Auditoria à Gestão da Continuidade de Negócio Análise de dados e utilização de CAATs Auditoria e gestão da fraude Seminário - Comportamento organizacional Seminário - Técnicas de entrevista e recolha de informação. Modelos de competência e preparação de processos de certificação Seminário de Projeto 2 Total 20 16 16 8 4 4 20(4P+16T) 8 16 16 20 8 16 16 4 4 8 20(4P+16T) 192 6 4 4 3 0 0 6 3 4 4 6 3 4 4 0 0 3 6 60 TESTEMUNHOS DOS ALUNOS “A oportunidade de partilhar experiências com colegas e o acesso a uma rede de professores como uma vasta experiência nas temáticas abordadas contribuem para o desenvolvimento das minhas competências e permitirão o desempenho da minha função de auditoria de sistemas de informação com a qualidade desejada.” Adérito Abílio Pilica, CISA (2ª edição/b-learning) – Auditor de Sistemas de informação no Banco de Moçambique “A inovação do modelo B-Learning permite-nos estar numa sala de aulas em Coimbra a partir de qualquer canto do mundo e aceder a uma formação de qualidade ímpar.” Rodolfo Malagissa - (2ª edição/b-learning) - DSI - Auditoria e Riscos de STI do Banco BCI de Moçambique “Os níveis de exigência incutidos possibilitaram o desenvolvimento de competências de trabalho em equipa e maior capacidade de solucionar casos reais.” Gilda Melo – (1ª edição) - Diretora de Sistemas de Informação na AIRC “A participação da PGARCSI tem permitido abrir uma nova perspetiva de futuro com um alargamento do âmbito de abordagem no desempenho das minhas funções e potenciando o meu desenvolvimento profissional.“ Armando Lopes – CIA, CRMA e CCSA (1ª edição) Diretor de Auditoria Interna e Gestão de Risco da Unicer. PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA, RISCO E CONTROLO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 3.ª edição em sistema B-LEARNING AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PODEM SER COMPLEXAS, AS AUDITORIAS NÃO TÊM DE SER! ÂMBITO E OBJETIVOS Esta pós-graduação foi desenhada a pensar nos desafios atuais das organizações, combinando uma visão das boas práticas internacionais com os requisitos de competências dos profissionais nestas áreas. Desta forma, pretende-se contribuir para uma maior consciência por parte das organizações dos riscos e oportunidades relacionadas com a gestão eficiente dos Sistemas de Informação, garantindo igualmente uma maior capacitação dos profissionais que lhes possi- bilite o exercício das suas profissões de forma mais qualificada, não só no mercado nacional mas cada vez mais num contexto global. O desenho da pós-graduação, pioneira em Portugal, teve em consideração as principais frameworks e certificações de mercado, destacando-se o alinhamento com o “ISACA Model Curriculum for IS Audit and Control”. Comoobjetivodealargaraalunosmaisdistantes,nomeadamentedos CPLPapossibilidadedepar- ticipar numa das Pós-graduações de referência nas áreas de auditoria, risco e Controlo de Sistemas de Informação foi criado o sistema b-learning, em Ambiente Colaborativo Multimédia, com ses- sões síncronas ou visionamento posterior das mesmas. No entanto, dado o espirito prático e profis- sionalizante do curriculum da PG, alinhado com o modelo internacional do ISACA, continuará a pro- mover-se a colaboração entre todos os alunos e a partilha de experiências entre alunos e docentes. DESTINATÁRIOS A pós-graduação foi desenhada tendo por base o tecido empresarial português, motivo pelo qual teve como principal preocupação a definição de conteúdos temáticos que equilibrem a componente teórica e prática. CORPO DOCENTE António Calheiros (ISCAC) Armando Veiga (ISCAC) Bruno H Soares (GOVaaS) Cristina Alberto (KPMG) Fátima Geada (IPAI) Filipe Pontes (AXA) Francisco Guimarães (Results Revolution) Georgina Morais (ISCAC) Isabel Pedrosa (ISCAC) Jorge Granjal (DEI-FCTUC) Luís Montanha Rebelo (MONTEPIO) Luís Morais (KPMG) Paulo Gomes (SONAE) Raul Laureano (ISCTE-IUL) Rui Brites (ISEG) Wander de Carvalho (ISCAC) Isabel Pedrosa (ISCAC) Bruno Soares (ISACA Lisbon Chapter) Georgina Morais (ISCAC) Fátima Geada (IPAI) 4