3 ciclo celular

3.416 visualizações

Publicada em

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
943
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3 ciclo celular

  1. 1. CICLO CELULAR Margarida Barbosa Teixeira
  2. 2. Cromossoma2 Cariótipo da espécie humana (23 pares de cromossomas) Cariótipo é o conjunto de cromossomas de uma célula que, pelo seu número, forma e tamanho caracteriza uma dada espécie. Os cromossomas estão constituídos por um só cromatídio.
  3. 3. Cromossoma3
  4. 4. Cromossoma4
  5. 5. Cromossoma5
  6. 6. Cromossoma6 Os cromossomas são formados por 1 ou 2 filamentos de cromatina. Um filamento de cromatina é formado por uma molécula de DNA associada a proteínas específicas – histonas. A espiralização do DNA associada à presença de histonas provoca a condensação da cromatina. Os cromossomas podem apresentar-se ao longo da vida das células na forma condensada ou na forma dispersa. Quando as células se encontram em divisão os cromossomas encontram-se profundamente condensados.
  7. 7. Cromossoma7 Em alguns períodos da vida celular os cromossomas são constituídos por apenas um cromatídio. Noutros períodos, a molécula de DNA duplica e o cromossoma fica constituído por dois cromatídios (duas moléculas de DNA). Os dois cromatídios apresentam-se ligados por uma estrutura denominada centrómero.
  8. 8. Ciclo celular8 As células de um indivíduo possuem todas o mesmo material genético. As células, para além de serem as unidades básicas da vida, asseguram a continuidade dessa mesma vida, na medida em que se dividem e originam novas células. Quando as células se dividem, cada célula origina, em regra, duas células- filhas que são geneticamente iguais à célula-mãe.
  9. 9. Ciclo celular9 A divisão celular é um processo pelo qual as células se dividem originando duas ou mais células-filhas. Reprodução de um Regeneração da cauda da protista lagartixa Os organismos unicelulares usam a divisão celular para se reproduzirem, Nos organismos pluricelulares, a divisão celular é igualmente importante para o crescimento, renovação celular e regeneração de tecidos.
  10. 10. Ciclo celular10 O ciclo celular constitui o conjunto de alterações que decorrem desde a formação de uma célula até ao momento em que ela se divide, originando duas células-filhas. A divisão celular envolve a igual distribuição de material genético pelas duas células-filhas. As células crescem, aumentam o seu conteúdo e depois dividem-se. Cada célula dá origem a duas células- filhas geneticamente iguais entre si e iguais à célula inicial. As células-filhas, por seu lado, poder- se-ão tornar células-mães de outra geração.
  11. 11. Ciclo celular11 Interfase • Corresponde ao período entre o fim de uma divisão celular e o início da divisão celular seguinte. • A atividade metabólica é intensa; a célula cresce e duplica o seu DNA. • Os cromossomas estão dispersos pelo núcleo e não são visíveis. Fase mitótica • O conteúdo celular duplicado durante a interfase é repartido pelas 2 células-filhas. • Período durante o qual ocorre a divisão celular.
  12. 12. Ciclo celular12 O ciclo celular é um processo dinâmico e contínuo. O ciclo celular compreende duas fases, a interfase e a fase mitótica, que, por sua vez, se dividem em diferentes etapas. A interfase é a fase mais longa do ciclo celular, constituindo cerca de 90% da duração total do ciclo. Durante a interfase , a célula procede à síntese de diversos constituintes, que conduzem ao seu crescimento e maturação. A interfase permite que a célula se prepare para uma nova divisão. A fase mitótica é a fase em que se verifica a divisão da célula, culminando na formação de duas células-filhas. A fase mitótica é constituída por duas etapas: a mitose e a citocinese
  13. 13. Ciclo celular13 Interfase – G1 + S + G2.  Intervalo G1 ou pós-mitótico: • intensa atividade biossintética (proteínas, enzimas, RNA …), formação de organelos e crescimento celular.  Período S de síntese de DNA: • replicação de cada uma das moléculas de DNA; • cada cromossoma passa a ser constituído por dois cromatídios ligados pelo centrómero;  Intervalo G2 ou pré-mitótico: • síntese de biomoléculas necessárias à divisão celular, com consequente crescimento celular. • síntese intensa de proteínas. • nas células animais ocorre, fora do núcleo, a duplicação do centrossoma - a duplicação dos centríolos (de 1 para 2 pares).
  14. 14. Ciclo celular14 Nas células animais, o centro organizador de microtúbulos proteicos é constituído pelo centrossoma, que inclui os centríolos dispostos perpendicularmente. Os centríolos são estruturas cilíndricas constituídas por microtúbulos organizados (cada centríolo possui nove conjuntos de três microtúbulos).
  15. 15. Ciclo celular15 Fase mitótica - Mitose + Citocinese. • Mitose ou cariocinese (divisão do núcleo) Conjunto de transformações durante as quais o núcleo se divide. Compreende 4 subfases: profase, metafase, anafase e telofase. • Citocinese (divisão do citoplasma) Divisão do citoplasma e consequente individualização das duas células-filhas.
  16. 16. Ciclo celular16
  17. 17. Ciclo celular17
  18. 18. Ciclo celular18
  19. 19. Ciclo celular19 Interfase Profase Metafase Anafase Telofase
  20. 20. Mitose20
  21. 21. Mitose21 Profase • É a fase mais longa da mitose (cerca de 90%). • Cada cromossoma é constituído por 2 cromatídios, unidos pelo centrómero. • A cromatina condensa gradualmente, tornando os cromossomas mais curtos e espessos. • Os 2 pares de centríolos da célula migram para polos opostos da célula e, entre eles, feixes de microtúbulos proteicos vão formar o fuso acromático ou mitótico. • O invólucro nuclear e os nucléolos desorganizam-se.
  22. 22. Mitose22 Metafase • Os cromossomas atingem a condensação máxima. • O fuso acromático completa o seu desenvolvimento. • Os cromossomas ligam-se às fibras do fuso por uma região do centrómero. • Os cromossomas dispõem-se no plano equatorial (plano equidistante aos polos da célula), formando a placa equatorial. • Os centrómeros ficam voltados para o centro do plano equatorial e os braços dos cromossomas voltam-se para fora.
  23. 23. Mitose23 Anafase • Rompimento do centrómero que une os 2 cromatídeos do mesmo cromossoma. • Os 2 cromatídeos de cada cromossoma separam-se, formando 2 cromossomas independentes. • Os 2 cromatídeos migram para polos opostos da célula – ascensão polar dos cromossomas-filhos – ao longo dos microtúbulos. • A anafase termina quando termina a ascensão polar. • No final desta fase, os 2 polos da célula têm um conjunto idêntico e completo de cromossomas.
  24. 24. Mitose24 Telofase • Os cromossomas filhos já se encontram nos polos da célula. • Descondensação progressiva da cromatina, os cromossomas alongam-se e tornam-se menos visíveis. • O fuso acromático desorganiza-se. • Os nucléolos reaparecem. • Os invólucros nucleares reorganizam- se, formando dois núcleos-filhos.
  25. 25. Citocinese25 Célula animal A citocinese inicia-se na anafase ou na telofase . Nas células animais, este início é marcado pelo aparecimento de uma constrição da membrana plasmática na zona equatorial da célula. Este anel contráctil ou estrangulamento acentua-se até que a célula-mãe seja dividida em duas células filhas.
  26. 26. Citocinese26 Célula vegetal Nas células vegetais, a existência de uma parede esquelética não permite a citocinese por estrangulamento. Nestas células, ocorre a deposição, na região equatorial da célula, de vesículas com celulose e outras biomoléculas, provenientes do complexo de Golgi. A fusão das vesículas gera uma lamela mediana rica em celulose.
  27. 27. Citocinese27 Célula vegetal A deposição de celulose vai originar uma parede celular, que se começa a formar. As membranas das vesículas formam as membranas plasmáticas das duas células. A nova parede celular forma-se do centro para a periferia da célula, dividindo a células em duas células-filhas. As paredes celulares não são herméticas, existindo poros de comunicação - plasmodesmos - que permitem a comunicação entre o citoplasma de diferentes células.
  28. 28. Célula animal vs. Célula vegetal28 Diferenças na fase mitótica entre as células animais e as células vegetais: • A fase mitótica ocorre na generalidade dos tecidos animais. • Nas células vegetais a fase mitótica ocorre apenas em zonas específicas de crescimento – meristemas. • Nas células vegetais das plantas superiores não existem centríolos - as fibras do fuso acromático são formadas a partir de estruturas, que se localizam nos polos, designadas centros organizadores de microtúbulos. • Nas células animais a citocinese ocorre por estrangulamento do citoplasma. • Nas células vegetais, devido à presença da parede esquelética, a citocinese ocorre através da formação de nova parede celular à custa das vesículas do complexo de Golgi.
  29. 29. Ciclo celular29 Metafase Anafase Telofase e Citocinese
  30. 30. Ciclo celular30 Anafase Profase Metafase
  31. 31. Ciclo celular31 Na interfase os No início da profase, cromossomas não são o volume do núcleo visíveis e o contorno aumenta devido à nuclear é nítido. desagregação do invólucro nuclear. A anafase só termina quando acaba a ascensão polar, ou seja, quando não são visíveis as extremidades dos cromatídeos.
  32. 32. Ciclo celular32 Tecido vegetal meristemático
  33. 33. Ciclo celular33 Modificação do material genético ao longo do ciclo celular
  34. 34. Ciclo celular34 Variação da quantidade de DNA ao longo do ciclo celular
  35. 35. Ciclo celular35 Variação da quantidade de DNA ao longo do ciclo celular
  36. 36. Ciclo celular36 Como é assegurada a estabilidade genética? Na fase S ao dar-se a replicação do DNA cada cromossoma passa a ser constituído por 2 cromatídeos geneticamente iguais. Na anáfase os cromatídeos irmãos migra para pólos opostos da célula. Após a citocinese, cada célula filha tem um conjunto de cromossomas iguais aos da célula inicial. Existe um mecanismo de copiar e dividir em partes iguais que assegura a estabilidade genética ao longo das gerações.
  37. 37. Regulação do ciclo celular37
  38. 38. Regulação do ciclo celular38 Os mecanismos da regulação celular atuam fundamentalmente em 3 pontos: no final da G1, na G2, na mitose. Se no final da G1 forem detetados erros a célula pode não se dividir, mantendo-se em G0, ou pode ocorrer a morte celular. No final da G2, se se verificar que houve erro na replicação do DNA, ocorre a morte celular. No final da metáfase, se os cromossomas não estiverem devidamente posicionados , também o ciclo celular pode ser interrompido.
  39. 39. Regulação do ciclo celular39 Apoptose ou morte celular A apoptose é uma sequência de acontecimentos que conduzem à fragmentação da célula. Os fragmentos resultantes são posteriormente fagocitados.
  40. 40. Regulação do ciclo celular40 Cancro ou neoplasia maligna Quando os mecanismos de regulação celular não atuam pode ocorrer a formação de cancro.
  41. 41. Importância biológica da mitose41 Crescimento Renovação tecidular Regeneração tecidular Reprodução A divisão celular é fundamental: assexuada para o crescimento de seres pluricelulares, na manutenção da integridade dos indivíduos adultos.
  42. 42. Importância biológica da mitose42 CRESCIMENTO Multiplicação celular essencial ao crescimento e desenvolvimento dos organismos pluricelulares, desde a célula-ovo até ao estado adulto. RENOVAÇÃO Substituição de células mortas. TECIDULAR Na espécie humana, tecidos como a pele, as mucosas e as células sanguíneas, estão constantemente em renovação. REGENERAÇAO Formação de partes perdidas ou amputadas. TECIDULAR Regeneração de caudas e patas de pequenos lagartos e salamandras, dos braços das estrelas- do- mar... Nos animais mais complexos a capacidade de regeneração está reduzida a processos de cicatrização e de regeneração de zonas danificadas por acidentes ou intervenções cirúrgicas. REPRODUÇÃO O progenitor origina por divisão mitótica, ASSEXUADA descendentes geneticamente idênticos entre si e também idênticos ao respetivo progenitor (clones).
  43. 43. Diferenciação celular43 As células de um organismo, que provieram da célula-ovo por divisões mitóticas sucessivas, contêm, no seu núcleo, exatamente os mesmos cromossomas e, por isso, a mesma informação genética. As células constituem tecidos e órgãos muito diversos, com formas e funções completamente diferentes. Ao longo do desenvolvimento de um indivíduo ocorre um conjunto de processos através dos quais células geneticamente idênticas se especializam no sentido de desempenharem uma ou várias funções. Calcula-se que cada célula diferenciada possua, num determinado momento, apenas 5% a 10% do seu DNA ativo. A restante informação genética perdeu-se?? Está inibida??
  44. 44. Diferenciação celular44 Em 1950, J. Steward, trabalhando com cenouras, obteve plantas completas a partir de células diferenciadas da raiz. As células da raiz perderam a diferenciação: o seu DNA readquiriu as características da célula inicial. Estavam dados os primeiros passos da clonagem.
  45. 45. Diferenciação celular45 Experiência de Robert Briggs Núcleos de células especializadas do intestino após serem transplantados para óvulos anucleados, geraram embriões completos e, consequentemente, novos girinos. As células diferenciadas podem perder a sua especialização, transformando-se em células indiferenciadas. As células diferenciadas conservam todo o seu DNA, mas só uma pequena parte é que está ativa.
  46. 46. Diferenciação celular46 Células estaminais
  47. 47. Diferenciação celular47 Células estaminais – células indiferenciadas, embrionárias ou adultas, com elevada capacidade de divisão e renovação e que se podem especializar em diferentes tipos de tecidos. As células estaminais podem ser: totipotentes, pluripotentes, multipotentes… Células totipotentes - células indiferenciadas que readquirem a capacidade de originar um indivíduo completo. À medida que as células provenientes da divisão do ovo continuam a multiplicar-se, chega-se a um ponto em que a capacidade de uma célula formar qualquer tecido é perdida, porque grupos de células começam a especializar-se na criação de um certo tipo de tecido.
  48. 48. Diferenciação celular48 Células indiferenciadas totipotentes – o ovo e o embrião até pelo menos à fase de oito células (são semelhantes entre si e semelhantes à célula inicial que lhes deu origem) Multiplicação Diferenciação (alguns genes são ativados enquanto outros são bloqueados) Células diferenciadas, especializadas
  49. 49. Diferenciação celular49 Células estaminais
  50. 50. Diferenciação celular50 O gene que O gene que determina a determina a produção de insulina produção da está bloqueado. hemoglobina está bloqueado. Os genes da insulina e da hemoglobina situam-se no mesmo cromossoma. As células do pâncreas produtoras de insulina e as células percursoras dos glóbulos vermelhos possuem a mesma informação genética. Numa célula só estão ativos os genes que: conferem funções a essa célula, controlam a atividade de outros genes.
  51. 51. Diferenciação celular51 Mecanismos de regulação O controlo ocorre em diferentes níveis da expressividade do gene (transcrição, processamento e tradução) e com intervenção de moléculas da célula.
  52. 52. Diferenciação celular52 Metaplasias são mudanças reversíveis num determinado tipo de células que são substituídas por células de outro tipo. Quando há refluxo gástrico, a presença do ácido do suco gástrico nas células que revestem a porção inferior do esófago podem sofrer alterações metaplásicas, tornando-se semelhantes às do intestino. No fumador, as células que revestem a traqueia e os brônquios são substituídas por células sem cílios, ficando o indivíduo menos protegido pois apresenta dificuldade em eliminar os elementos prejudiciais.
  53. 53. Síntese – Mapa de conceitos53

×