Avaliação da aprendizagem

16.764 visualizações

Publicada em

Avaliação da aprendizagem

  1. 1. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Eloí de Oliveira Batista loibatista@hotmail.com http://batista2008.blogspot.com PALESTRA: SANTIAGO/RS
  2. 2. AVALIAÇÃO  A pauta da avaliação no contexto de profundas transformações epistemológicas, culturais, sociais, profissio nais, na era tecnológica deixa-nos profundamente insatisfeitos, porém responsáveis por educar as crianças desta geração.
  3. 3. AS REFLEXÕES PONTUAIS SOBRE EDUCAR VOLTAM-SE PARA ENSINAR/ APRENDER/AVALIAR
  4. 4. ENSINAR É UMA ATIVIDADE PLANEJADA! PROFESSOR MEDIADOR DA APRENDIZAGEM PARA UM ALUNO SUJEITO DO CONHECIMENTO!
  5. 5. A AVALIAÇÃO NÃO PODE CONTINUAR CARACTERIZADA COMO: AMEAÇA, SELETIVA, CLASSIFICATÓR IA E AUTORITÁRIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL!
  6. 6. PROGRESSÃO CONTINUADA...    A legislação prevê um novo olhar para o processo de ensinar/aprender/avaliar, cada professor têm que verificar o quanto e o quê, o aluno conseguiu aprender num espaço de tempo (1º ao 3º ano?). Progressão continuada subentenda-se processo de construção, e não, promoção automática. O educador tem que verificar o quanto o aluno avançou??? Que habilidades construiu? Que competências adquiriu? Quais são os direitos de aprendizagem do aluno em cada etapa do currículo?
  7. 7. Luckesi, 2000  A avaliação da aprendizagem não pode limitar-se a provas, mas possibilitar o trabalho, a intervenção a partir dos resultados obtidos, assim, deve conduzir à REFLEXÃO sobre os processos pedagógicos desenvolvidos.
  8. 8. PARA REFLETIR:   TESTAR: verificar o conhecimento do aluno, numa determinada disciplina, verificar o nível de desempenho e ou aprendizagem; MEDIR: refere-se a aspectos quantitativos, utiliza sistema de unidades convencionais mais complexas que testes, inclui outras formas da avaliar. ( HAYDT, 1998) “resultado de uma medida é expresso em números, daí sua subjetividade e exatidão, fenômeno a ser descrito.”
  9. 9.    AVALIAR: julgamento mais complexo, prioriza os aspectos qualitativos e quantitativos Lei: 9.349/96 “Avaliar é julgar ou fazer a apreciação de alguém ou alguma coisa, tendo como base uma escala de valores. A avaliação consiste na coleta de dados qualitativos e quantitativos e na interpretação desses resultados com base em critérios previamente definidos.”
  10. 10. MODALIDADES:   A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM deve ser processual, contínua e sistemática, não pode acontecer em momentos esporádicos e ou improvisados, deve realizar e acompanhar o desenvolvimento e a construção do conhecimento por parte do estudante. VAGULA, 2010. USO de instrumentos coerentes. Tipos diversificados: provas dissertativas, objetivas... Trabalhos orais, escritos...outras
  11. 11. FUNÇÕES BÁSICAS:  1-DIAGNOSTICAR  2-ACOMPANHAR  3-CLASSIFICAR
  12. 12. TIPOS: 1- AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA # Acontece no início do ano letivo, antes do professor elaborar o seu planejamento ( período de observação e análise), verifica os saberes iniciais dos alunos e não tem a finalidade de atribuir conceito/nota. # Serve para escolher caminhos...
  13. 13.  - levanta dificuldades de aprendizagem, domínios para o Ano, reflete sobre prováveis causas, o que auxilia na busca de estratégias, metodologias, para construção de conhecimentos posteriores, com o objetivo de alcançar o nível de exigência para o Ano de estudo.
  14. 14. JORBA E SANMARTI, 2003    Afirmam que: “ tem como principal objetivo determinar a situação de cada aluno antes iniciar um determinado processo de ensino/aprendizagem, para poder adaptá-lo as suas necessidades.” - Diálogo constante entre professor/aluno, uso de diferentes instrumentos, em diferentes áreas de conhecimentos, incluir recursos tecnológicos, etc. tais como: PORTFÓLIO com variados tipos de instrumentos, provas testes, roteiros de observação ( método científico) em experiências, entrevistas orais, produções, pesquisas, relatos... PARECER DESCRITIVO: habilidades previstas a serem trabalhadas e ou construídas.
  15. 15.   Essa reflexão sobre a “praxis” que vai instrumentalizar, junto com as demais ações o PARECER DESCRITIVO, nos Anos Iniciais do EF. PLANOS DE ESTUDOS: o que ensinar? Como ensinar? Que habilidades?
  16. 16. LUCKESI, 2011 A AÇÃO DE AVALIAR “IMPLICA DOIS PROCESSOS ARTICULADOS E INDISSOCIÁVEIS:  diagnosticar  decidir 
  17. 17. HAYDT, 1998  “ AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DETERMINA PRESENÇA OU AUSÊNCIA DOS PRÉREQUISITOS NECESSÁRIOS PARA QUE AS NOVAS APRENDIZAGENS POSSAM EFETIVAR-SE, POSSIBILITANDO UM MOMENTO REFLEXIVO QUE CONDUZ À AÇÃO DOCENTE” DE MANEIRA COERENTE.
  18. 18. 2-AVALIAÇÃO FORMATIVA=>   A AVALIAÇÃO FORMATIVA OCORRE DE FORMA PROCESSUAL, A FIM DE VERIFICAR SE OS ALUNOS ESTÃO APRENDENDO ( portfólio), ATINGINDO OS OBJETIVOS E COM FUNÇÃO DE REFLETIR SOBRE O PROCESSO DE APRENDIZAGEM. Quais os avanços constatados???
  19. 19. ESTA MODALIDADE TEM QUE CONTRIBUIR APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
  20. 20.  “ A AVALIAÇÃO CONVERTE-SE EM ATIVIDADE DE APRENDIZAGEM ESTREITAMENTE LIGADAS À PRÁTICA REFLEXIVA E CRÍTICA, DA QUAL TODOS SAEM BENEFICIADOS PORQUE AVALIAÇÃO É – DEVE SER – FONTE DE CONHECIMENTO E IMPULSO PARA CONHECER.”
  21. 21. “OS DADOS DEVEM CONTRIBUIR PARA PROMOÇÃO”.
  22. 22. 3- AVALIAÇÃO SOMATIVA =>    A AVALIAÇÃO SOMATIVA ( classificatória) acontece após períodos longos ( trimestres) de trabalho e verifica o que o aluno aprendeu. Serve para atribuir CONCEITO ou NOTA. É tradicional; É sentença;
  23. 23. NÃO CONFUNDIR AVALIAÇÃO COM NOTA DE ...
  24. 24. ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS DEVEM ser planejados de acordo com os objetivos propostos do professor, coerentes entre todo e partes.  1) Adequados ao tipo de habilidades e competências que estamos avaliando ( plano de estudos), currículo da escola, ( informação, compreensão, síntese, aplicação... ). MODALIDADES ORGANIZATIVAS: tipos de planejamento 
  25. 25.    2) Adequados aos conteúdos essenciais a nível do ANO em processo. ( PL. de Estudos). 3) Adequados a linguagem, clareza, objetividade na comunicação da criança. 4) Adequados ao processo de aprendizagem, servir de outro momento de aprendizagem.
  26. 26. MÉNDEZ. 2002  “ O valor da avaliação não está no INSTRUMENTO em si, mas no uso que se faz dele.”
  27. 27. VASCONCELOS, 1998    REFLEXIVOS: “levem a pensar, relacionar, superar a repetição; ESSENCIAIS: ênfase no fundamental, conteúdos significativos, consonância com o PL. de Estudo ou Trabalho. CONTEXTUALIZADOS: construção de sentido” ( texto, gráfico, tabela, , esquema, figura... ( situação-problema).
  28. 28.   CLAROS: bem elaborados; COMPATÍVEIS: nem tão fácil/nem tão difícil; Nesse sentido, podemos caminhar para uma prática de avaliação do processo de forma colaborativa, pró-ativa do professor/aluno, buscando a QUALIDADE DA EDUCAÇÃO E DA CIDADANIA.
  29. 29. REFERÊNCIAS      Já citadas nos textos Revista-NOVA ESCOLA Sites HOFFMANN, Jussara. Pontos e Contrapontos: do pensar ao agir em avaliação.POA. Mediação, 1998. --------------------. Avaliar para promover: as setas do caminho.POA. Mediação, 2009, rev.

×