14. idade média no ocidente.

241 visualizações

Publicada em

A Idade Média Ocidental.Aspectos principais.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
241
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

14. idade média no ocidente.

  1. 1. AULA DE HISTÓRIA. A Idade Média no Ocidente. A Idade Média no Ocidente. PROFESSOR Seu Riba. Na Idade Média, os mais belos eram os mais gordos. Na Idade Contemporânea, o oposto. Em que época o interior se tornará a beleza extrema? Daniel Melgaço.
  2. 2. O que voçe sabe sobre a Idade Média. .. TrevasTrevas trevastrevas Trevas ....... Trevas ....... Será isso mesmo?Será isso mesmo?
  3. 3. A IDADE MÉDIA NO OCIDENTE. PRA COMEÇAR (Ueg) "O POPULAR", Goiânia, 23 abr 2005. Magazine A personagem Hagar, criada pelo cartunista Dick Browne, pode ser considerada um guerreiro viking que viveu na Europa durante a Idade Média. Analise as proposições a seguir acerca desse período histórico: Do ponto de vista histórico, a situação mostrada na tira está correta, pois a expressão "Idade das Trevas" era de uso corrente na sociedade medieval. A expressão "Idade das Trevas", utilizada na tira, é imprópria para designar a Idade Média, pois ela só surgiu durante a Idade Moderna. Expressões como "Idade das Trevas" ou "longa noite dos mil anos", referindo-se à Idade Média, são historicamente coerentes, pois nesse período houve uma completa estagnação econômica, cultural e social na Europa. Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas as proposições I e II são verdadeiras. b) Apenas as proposições II e III são verdadeiras. c) Apenas as proposições I e III são verdadeiras. d) Apenas a proposição II é verdadeira. e) Apenas a proposição III é verdadeira. resposta:[D]
  4. 4. Para entender o assunto. A Europa na Alta Idade Média. Inicio: 476 d.C. – Queda do Império Romano do Ocidente. Divisão: - Alta Idade Média (séc. V ao X ) - Baixa Idade Média (séc. XI ao XV) Invasões bárbaras. Formação e apogeu do Feudalismo Decadência da vida urbana. Declínio do Feudalismo Revigoramento do comercio e da vida urbana Surgimento daburguesia. Idade média –“idade das trevas” – criação dos renascentistas. - renascentistas – “tempos de barbárie”. - iluminismo séc. XVIII – “a razão foi colocada delado”. Obs. A Nova História. Preocupação além dos grandes heróis mais também com a trajetória dos homens comuns. Caracterização; - fome, peste, descentralização e influência da Igreja. - surgem às primeiras universidades, melhorias na agricultura e centros de pensamentos.
  5. 5. A FORMAÇÃO DOS REINOS BÁRBAROS. - crise do Império Romano séc. III Divisão em : -Império Romano do Oriente (Império Bizantino) - Império Romano do Oriente (invasões e formação de vários reinos) - os bárbaros germânicos pressionados pelos hunos, invadiram o Império Romano, séc.V. -consequências: - esfacelamento das instituições romanas - fim do governo latino e o surgimento de vários reinos - mesclaram a cultura germânica e romana. Nota: para os historiadores medievalistas, a Igreja Católica foi a força que manteve a unidade social e cultural na Europa medieval.
  6. 6. A SOCIEDADE GERMANICA - formada por diversas tribos independentes. - com muitas diferenças de crenças, culturas e idiomas. - sem Estados Centralizados -organizados em COMITATUS – relações de fidelidade mútua. - principais grupos germânicos: ostrogodos, visigodos, vândalos, anglos, saxões, lombardos, suevos jutos, alamanos e francos. - outros povos; eslavos e hunos. - a maioria dos reinos tinha curta duração. - destaques para o Reino dos Vândalos, Visigodos, Ostrogodo e o dos Francos.
  7. 7. O REINO DOS FRANCOS. - surgiu no séc. V com Meroveu até o séc. X -transição do escravismo para o feudalismo. - divisão em duas dinastias: Merovíngia (481-751), homenagem a Meroveu. Carolíngia ( 751-987), destaque para Clóvis.
  8. 8. Dinastia merovíngia. -Clóvis – unificou as tribos bárbaras e converteu-se ao cristianismo. - após a morte de Clovis o reino foi dividido entre os seus quatro filhos. - o poder passou a ser exercito por funcionários – os majordomus (prefeito ou mordomo do palácio). - os reis ficaram conhecidos como indolentes. - destacou-se o majordomus Carlos Martel. - Carlos Martel venceu os islâmicos na batalha de Poitieres ,732 . Recebeu o apoio da Igreja. - Pepino, o breve, filho de Carlos Martel depois o ultimo rei merovíngio, Childerico III. - teve inicio a dinastia Carolíngia.
  9. 9. Dinastia carolíngia. Carlos Magno com o apoio da Igreja expandiu o território e criou o beficium(“beneficiar” as lideranças do exército). - essa pratica influenciou o surgimento dos suseranos e vassalos. - Carlos Magno foi coroado como novo Imperador romano do Ocidente. - dividiu o império por causa de sua extensão em 300 partes, chamadas de condados e marcas. - os duques foram encarregados de comandar os exércitos, surge à nobreza.
  10. 10. - outras providências; - criou o cargo de inspetor do rei, o missi dominici. - organizou um código de leis escritas, as capitulares. - criou escolas, construiu igrejas e incentivou a tradução de textos antigos. Essa prosperidade cultural e artística foi chamada de Renascimento Carolíngio.
  11. 11. Desintegração do Império Carolíngio. Com a morte de Carlos Magno, em 831, o império não conseguiu manter o seu desenvolvimento. Em 840, após a morte de seu filho Luís, o piedoso o império entrou em processo de irreversível de declínio, quanto os seus três filhos iniciaram uma disputa pelo poder na região. -O Tratado de Verdun, dividiu o império em três partes. -Carlos , o Calvo ficou com a parte ocidental. Lotário, com a região central e Luís o Germânico com a parte oriental. - essa divisão foi base para a formação da França e da Alemanha. O enfraquecimento do poder imperial e o fortalecimento da nobreza culminaram com a formação do feudalismo.
  12. 12. Fontes : gloogle imagens. http://oficina-do-gif.blogspot.com.br/2011/10/gifs-de-agradecimento.html GOOGLE IMAGENS. APOSTILA MATERIAL FTD. DOMUS_Apostila-01-HISToRIA-II-Modulo-34-Exercicio- http://pensador.uol.com.br/frases_idade_media/ Acessado dia 18/03/15. Não há vida sem correção, sem retificação. Paulo Freire FELIZ 2015. FIQUEM EM PAZ.GAB

×