SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Prof. Msc. Daniel Alves Bronstrup 
Pré-Vestibular 
Bizantinos e Francos = 3A-06, 
O mundo muçulmano e as cruzadas = 4A-07, 
A Igreja e a Cultura na Idade Média = 4A-08 
Baixa Idade Média: Crise do século XIV = 5A - 09 
http:// facebook.com/daniel.alvesbronstrup 
http:// profhistdaniel.blogspot.com 
@danielbronstrup
FEUDALISMO 
 INVASÕES BÁRBARAS 
 GERMANICOS 
 HUNOS 
 REINOS 
 REINO VISIGODO 
 REINO FRANCO 
 FUNDADO POR CLÓVIS (481-511) 
 DINASTIAS 
 MEROVÍNGIA 
 REIS INDOLENTES - >reis que assumiram o trono 
não conseguiram assegurar a unidade dos territórios. 
 PREFEITOS DO PALÁCIO -> grupo de funcionários 
públicos conhecidos com poderes políticos. 
 CAROLÍONGIA 
 INICIADA POR PEPINO, O BREVE (751) 
 CARLOS MAGNO (768-814). 
 FRAGMENTAÇÃO POLÍTICA 
 CRUZADAS (sec. XI ao XIII).
ECONOMIA 
 SUBSISTÊNCIA 
 AGRICULTURA 
 PECUÁRIA 
 ARTESANATO 
 POUCO FLUXO DE 
MOEDAS - CÂMBIO 
 PEQUENAS FEIRAS / 
MERCADOS 
SOCIEDADE 
– IMOBILIDADE 
– CLERICAL 
– HIERARQUIZADA 
– ESTAMENTAL / 
ORDENS
SOCIEDADE 
 CLERO 
 REGULAR 
 SECULAR 
 NOBREZA 
 SENHORES FEUDAIS 
 CAVALEIROS 
 A VASSALAGEM 
 SUSERANO DOA O FEUDO 
 VASSALO RECEBE O FEUDO 
 OCORRE LAÇOS DE OBRIGAÇÕES 
MÚTUAS 
 SERVOS 
 SERVO DA TERRA 
 PAGAMENTO de TAXAS / IMPOSTOS 
 CORVÉIA = serviços prestados nas 
terras 
 TALHA = metade de tudo que produzia 
 BANALIDADE = pagamento pela 
utilização das instalações 
 CAPITAÇÃO 
 TOSTÃO DE PEDRO = DÍZIMO 
 MÃO MORTA 
 PRESOS À TERRA 
 SERVO VILÃO: TRABALHADORES LIVRES
IMPÉRIO BIZANTINO 
 Inicialmente, foi parte do Império Romano do 
Oriente. 
 CAPITAL: Constantinopla. 
 RELIGIÃO: cristã ortodoxa. 
 Patriarca: 
 cargo mais alto da Igreja local. 
 Era escolhido pelo imperador. 
 Movimento Iconoclasta: 
 proibição, por parte do imperador, de exibir e/ou 
adorar ícones. As imagens foram quebradas;
Cisma do Oriente (1054): 
separação da Igreja Cristã em duas: 
 1) Igreja Católica Apostólica Romana: 
 Sede: Roma. 
 Chefe: Papa. 
 Língua da missa: latim. 
 celibato era para todos os membros do clero. 
2) Igreja Cristã Ortodoxa: 
Sede: Constantinopla. 
Chefe: Patriarca. 
Língua da missa: grego. 
celibato era apena para os bispo. 
Não acreditavam no purgatório 
 ARTE: tinha grande influência da religião. 
 Ex: mosaicos, pinturas, arquitetura.
POLÍTICA: 
 Justiniano (527-565): principal imperador. Tinha como 
objetivo restaurar o antigo território do Império Romano. 
 Cesaropapismo. 
 Criou o Corpo Juris Civilis: 
 Código: reunião de todas as leis romanas; 
 Digesto: reunião dos pareceres dos magistrados 
romanos; 
 Institutas: princípios do direito para os estudantes. 
 Novelas: novas leis de Justiniano. 
 
Revolta de Nika (532): populares fizeram manifestação 
contra o governo de Justiniano. Como represália foram 
massacrados no hipódromo.
DECLÍNIO E QUEDA DO IMPÉRIO 
BIZANTINO. 
 Causas: 
 Enormes gastos militares para defendera as fronteiras; 
 As violentas disputas pelo poder entre civis e militares; 
 Perseguição a quem não seguia a religião do Império. 
 
 ✔Com o enfraquecimento do poder no Império 
Bizantino, a cidade de Constantinopla foi tomada pelos 
Turcos-Otomanos em 1453.
EXPANSÃO ISLÂMICA. 
 Os árabes pré-islâmicos eram politeístas e idólatras. 
 Maomé: 
 Trabalhava nas caravanas que percorriam o Oriente Médio 
 Conheceu as doutrinas monoteístas do Cristianismo e do 
Judaísmo 
 Hégira (FUGA) (622 d.C). 
 A Hégira marca o início do calendário muçulmano. 
 Em 630, com o apoio dos árabes do deserto, Maomé destruiu 
os ídolos. 
 A Pedra Negra foi mantida e, em solenidade, dedicada a Alá. 
 Surgiu, então, o Islão e, consequentemente, o monoteísmo. 
 Organizou-se, então, o Estado Teocrárico.
EXPANSÃO ISLÂMICA. 
 Preceitos do Islã: 
 Culto ao único Deus (Alá); 
 Jejum no mês do Ramadã; 
 Oração cinco vezes ao dia; 
 Peregrinações à Meca; 
 Doação de esmolas; 
 Não ingestão de carne de porco e de bebidas 
alcoólicas; 
 Promoção da guerra santa (Jihad). 
 Livro sagrado: Alcorão.
EXPANSÃO ISLÂMICA. 
 A primeira dinastia do Islão correspondia a família Haxemita, de 
Maomé 
 A religião islâmica não é original, trata-se de um sincretismo 
religioso que tem por base o Cristianismo e o Judaísmo 
 As principais razões econômicas e políticas que motivaram a 
expansão árabe pelo mediterrâneo são: 
 - a atração pelo saque (botim) 
 - a unificação política que Maomé conseguiu 
 A expansão do Império Árabe isolou a Europa Ocidental com o 
fechamento do Mediterrâneo, 
 acentuando uma tendência à ruralização econômica que culminou na 
formação do sistema feudal europeu.
CULTURA 
Pintura: 
Concentrou-se na representação humanizada de santos e divindades. 
Destacam-se os italianos Giotto e Cimabue. 
Música: 
Música Sacra: com o canto gregoriano (melodia simples e suave 
cantada em uníssono por várias vozes. 
Música Popular: Trovadores e Menestréis 
Literatura: 
Poesia épica exaltando a ação dos cavaleiros em prol da cristandade 
Poesia lírica exaltando o amor cortês dos cavaleiros em relação ás 
suas damas 
Ciência e Filosofia: 
Roger Bacon introduziu a observação da natureza e a experimentação 
como método básico do conhecimento científico. 
Santo Agostinho e São Tomás de Aquino tinham como interesse 
harmonizar a fé cristã com a razão.
ESTILOS ARQUITETÔNICOS: 
ROMÂNICO 
• Floresceu entre os séculos XI e XIII. 
•Caracteriza-se por traços simples e austeros: grossos pilares, tetos 
e arcos em abóbada, janelas estreitas e muros reforçados.
GÓTICO 
• Desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI e predominou em 
países como França, Inglaterra e Alemanha. 
•Leveza, elegância e traços verticais. Janelas ornamentadas com 
vitrais coloridos, permitiam boa iluminação interior, as paredes 
tornaram-se mais finas e as altas e angulosas abóbadas eram 
apoiadas em longos pilares.
CRUZADAS: séc. XI ao XIII 
CRISTÃOS X MUÇULMANOS 
 OBJETIVO ESPIRUTUAL: 
 Guerras para libertar Jerusalém dos 
Muçulmanos; 
 OBJETIVO MATERIAL: 
 Conquistar terras para expandir o feudalismo 
e alocar a população excedente. 
 Dominar cidades estratégicas do Oriente. 
 Pequenos comerciantes interessados na 
expansão do comércio.
EFEITO DAS CRUZADAS... 
 Os exércitos cristãos não conseguiram derrotar 
os muçulmanos. 
 Possibilitou intercâmbio: Cultural e Comercial. 
 A Europa passou a manter contato com outras 
civilizações: Bizantina e Islâmica. 
 Passaram a conhecer o requinte e o luxo. 
 Ex: especiarias, tapetes, jóias, tecidos finos, marfim... 
 O Mar Mediterrâneo passou as ser controlado 
pelos comerciantes italianos.
RENASCIMENTO 
COMERCIAL E URBANO 
 PROGRESSO AGRÍCOLA 
 Inovações tecnológicas: 
 Excedente produtivo 
 Renascimento Comercial 
 Corporações de ofício ou Guildas: artesões 
 Hansas ou Ligas Hanseáticas: mercadores. 
 Renascimento Urbano 
 CRISE: FOME + PESTE + GUERRA
GUERRA DOS CEM ANOS 
 Entre ingleses e franceses de 1337 a 1453. 
 Interesse Inglês pela região de Flanders. 
 Aumento político da França sobre a Europa Continental. 
 A longa duração desse conflito explica-se pelo grande poderio 
dos ingleses de um lado e a obstinada resistência francesa do 
outro. 
 Alegando ter sido designada por Deus para dar fim ao 
controle inglês, a camponesa Joana D'Arc mobilizou as 
tropas e populações locais. 
 Nesse instante, temendo o fortalecimento de uma liderança 
popular, os nobres franceses arquitetam a entrega de Joana 
D'Arc para os britânicos.
QUESTÕES DOS 
VESTIBULARES UFSC E 
UDESC.
01) (UFSC-) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas 
suas referências às características do sistema feudal. 
01.A sociedade feudal era agrária, sendo a terra a principal fonte 
de riqueza. 
02.Na Alta Idade Média, a produção econômica do feudo, além de 
atender à subsistência, destinava-se ao mercado externo, 
principalmente o asiático. 
04.Os camponeses, além de produzirem o seu próprio sustento, 
eram obrigados a executar tarefas suplementares para o senhor 
e a entregar-lhe parte da produção. 
08.Na maior parte da sua existência na Europa Ocidental, o 
feudalismo ligou-se a formas de governo caracterizadas pela 
descentralização política. 
16.Na sociedade feudal, a realeza, a nobreza e a burguesia 
constituíam-se nas classes superiores. Os clérigos, os servos 
de gleba e os vilões constituíam as camadas mais baixas. Era 
grande a mobilidade social.
02) (Udesc) Pormuito tempo a Idade Média europeia foi sinônimo de Idade das 
Trevas, marcada pela paralisação das atividades culturais. Essa imagem 
distorcida foi modificada atualmente pelos historiadores que a destacam 
como um período de grande atividade cultural. 
Acerca desse tema, todas as alternativas estão corretas, exceto a: 
A- A Idade Média revelou o homem como o centro do universo, princípio 
filosófico do antropocentrismo. 
B- O surgimento de várias universidades medievais, a partir do século Xlll, está 
relacionado, de modo geral, ao desenvolvimento do comércio e das cidades. 
C- As Cruzadas ocorridas durante a Idade Média promoveram um maior contato 
entre o Ocidente e o Oriente, estimulando o comércio e promovendo trocas 
culturais. 
D- Embora a maior parte da população europeia fosse analfabeta, os mosteiros 
medievais 
concentravam o saber em suas imensas bibliotecas repletas de manuscritos sobre 
todas as ciências. 
E- Um dos legados medievais mais importantes foram as catedrais em estilo gótico 
com novas técnicas de construção, muitas delas até hoje aproveitadas na 
arquitetura moderna.
03) (UFSC) SÃO FRANCISCO: 
“Lá vai São Francisco / Pelo caminho / De pé descalço / Tão pobrezinho / 
Dormindo à noite / Junto ao moinho / Bebendo a água / Do ribeirinho.” 
MORAES, Vinicius de. Nova antologia poética. São Paulo: Cia de Bolso, 2005, p. 227. 
Sobre a Baixa Idade Média, período no qual São Francisco viveu, é CORRETO 
afirmar que: 
01. foi um período no qual a produção e difusão intelectual se estagnou: daí a 
expressão “Idade das Trevas” que caracteriza a Idade Média. 
02. foi o período no qual a expansão comercial provocou um maior contato entre 
diferentes povos, principalmente do Oriente, diversificando os valores europeus. 
04. foi o período das Cruzadas, expedições organizadas pela Igreja que tinham 
como único objetivo difundir o cristianismo entre os povos do Oriente. 
08. foi o período de surgimento de várias ordens religiosas, algumas delas 
formadas por monges-cavaleiros, como foi o caso dos Templários. 
16. foi o período no qual se desenvolveu uma literatura épica que exaltava os atos 
heróicos dos cavaleiros, como os romances inspirados no rei Artur e os 
Cavaleiros da Távola Redonda. 
32. foi o período de emergência de pensadores católicos como Santo Agostinho e 
São Tomás de Aquino, que criticavam a ideia da existência de um Deus único.
04) (Udesc) O Mundo Muçulmano sempre foi pouco conhecido pelos países 
ocidentais. A imagem construída sobre ele foi, em muitos casos, negativa. 
Sobre o passado e as imagens negativas da atualidade dessa cultura, todas as 
alternativas estão corretas, exceto a: 
A- A presença muçulmana na Europa deixou uma herança cultural muito 
ampla. A Espanha, que permaneceu sob domínio muçulmano por boa 
parte da Idade Média, é o melhor exemplo disso. 
B -Apesar de identificada com a etnia árabe, da qual se origina, a 
cultura muçulmana está presente em muitos outros povos, como 
turcos, habitantes da África e mesmo asiáticos, da Indonésia. 
C- Para grande parte do mundo ocidental, os muçulmanos são 
identificados como defensores de uma religião fundamentalista, 
fanática e intolerante. 
D- A cultura muçulmana distingue-se da cultura islâmica pelo fato de que 
no primeiro caso há a utilização apenas do Corão, livro sagrado dos 
muçulmanos e no segundo, aceita-se o Velho Testamento, base da 
cultura hebraico-islâmica. 
E- Apesar da riqueza do petróleo, que atinge apenas alguns dos 
países muçulmanos, as condições de vida da maioria dos países 
é bastante difícil, com indicadores sociais muito baixos.
05) (UFSC) Os relatossobre o período histórico conhecido como Idade Média 
revelam a ocorrência de conflitos bélicos, pestes e fome. Sabe-se, porém, 
queno mesmo período houve desenvolvimento econômico e cultural. Assinale 
a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências à cultura medieval. 
01. O caráter religioso predominou nas artes medievais, pois um dos seus 
objetivos era a glorificação de Deus. 
02. Na literatura, além de Dante Alighieri, destacaram-se os trovadores, 
responsáveis pela divulgação da poesia popular e das canções de 
gesta. 
04. O crescimento urbano e o comércio foram responsáveis pela 
decadência intelectual verificada na Idade Média, por dificultarem a 
criação de novas universidades. 
08. Entre os pensadores medievais, destacou-se Santo Tomás de 
Aquino que, com a Suma Teológica, tentou resolver a controvérsia 
entre fé e razão. 
16. Na arquitetura medieval predominaram dois estilos: o românico e o 
gótico. 
32. Durante a Idade Média, as línguas nacionais foram denominadas 
“vulgares”. O latim foi a língua falada pelos eruditos.
06) (Udesc) Na Idade Média européia, a Igreja era a instituição 
mais poderosa e grande proprietária de terras. 
a) A organização centralizada e hierarquizada permitiu que a 
Igreja ocupasse papel político preponderante na Idade Média da 
Europa. 
b) O combate a crenças divergentes, através de instrumentos com a 
Inquisição, manteve a Igreja como portadora exclusiva da autoridade 
sobre a fé e a cultura. 
c) As cruzadas foram movimentos de expansão do cristianismo e da 
cultura européia e eram movidas pela tolerância religiosa em relação 
aos muçulmanos. 
d) No final da Idade Média, as monarquias européias começaram um 
processo de centralização, 
ocasionando várias crises em suas relações com a Igreja. 
e) A estrutura eclesiástica apresentava dois setores básicos; eram 
formados pelo clero secular e 
pelo clero regular.
07) (UFSC Leia o texto: 
A razão (de ser) dos carneiros é fornecer leite e lã; a dos bois é lavrar a terra; e a dos cães é 
defender os carneiros e os bois dos ataques dos lobos. Se cada uma destas espécies de 
animais cumprir a sua missão, Deus protegê-la-á. Deste modo, fez ordens, que instituiu em 
vista das diversas missões a realizar neste mundo. Instituiu uns os clérigos e os monges 
para que rezassem pelos outros [...]. Instituiu os camponeses para que eles, como fazem 
os bois com o seu trabalho, assegurassem a sua própria subsistência e a dos outros. A 
outros, por fim, os guerreiros, instituiu-os para que [...] defendessem dos inimigos, 
semelhantes a lobos, os que oram e os que cultivam a terra.CANTERBURY Bispo Eadmer 
de. Transcrito por FARIA, Ricardo. História para o Ensino Médio. Belo Horizonte: Editora 
Lê 
Com base no texto, assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S): 
01. O texto faz referência às relações sociais características do capitalismo, à 
divisão da sociedade em classes e à relação de trabalho assalariado. 
02. No texto, justifica-se o poder do monarca e a participação do povo (os que 
trabalhavam) no governo, uma vez que a sociedade em questão teria sido 
organizada por Deus. 
04. No texto, justifica-se a existência de uma sociedade dividida em três ordens: a 
dos que oram, a dos que combatem e a dos que trabalham. 
08. Aos camponeses cabia a produção, o trabalho na terra, cujo excedente 
possibilitava que o clero rezasse e os guerreiros lutassem. 
16. As relações sociais descritas eram típicas da chamada sociedade Feudal, em 
alguns dos países da Europa Ocidental.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e RedemocratizaçãoDaniel Alves Bronstrup
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteValéria Shoujofan
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade médiamarcos ursi
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizaçõesDaniel Alves Bronstrup
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIPortal do Vestibulando
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015Rafael Noronha
 
A primeira guerra mundial slides
A primeira guerra mundial   slidesA primeira guerra mundial   slides
A primeira guerra mundial slidesJuliana_hst
 

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Mudança na europa feudal
Mudança na europa feudalMudança na europa feudal
Mudança na europa feudal
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
 
Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Prova historia 2 ano conflitos 1 republica melhor
Prova historia 2 ano conflitos 1 republica melhorProva historia 2 ano conflitos 1 republica melhor
Prova historia 2 ano conflitos 1 republica melhor
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Mesopotamia slide
Mesopotamia slideMesopotamia slide
Mesopotamia slide
 
Africa Antes Dos Europeus
Africa Antes Dos EuropeusAfrica Antes Dos Europeus
Africa Antes Dos Europeus
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
 
A primeira guerra mundial slides
A primeira guerra mundial   slidesA primeira guerra mundial   slides
A primeira guerra mundial slides
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 

Destaque

3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período RegencialDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)Daniel Alves Bronstrup
 
Aulão história ufsc 2014 - história do brasil
Aulão história ufsc 2014 -  história do brasilAulão história ufsc 2014 -  história do brasil
Aulão história ufsc 2014 - história do brasilDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano mundo contemporâneo 2 - oriente médio
3º ano   mundo contemporâneo 2 - oriente médio3º ano   mundo contemporâneo 2 - oriente médio
3º ano mundo contemporâneo 2 - oriente médioDaniel Alves Bronstrup
 
2º ano revolução francesa - parte 2
2º ano   revolução francesa - parte 22º ano   revolução francesa - parte 2
2º ano revolução francesa - parte 2Daniel Alves Bronstrup
 
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01Daniel Alves Bronstrup
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 cDaniel Alves Bronstrup
 
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosasExercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosasZé Knust
 
Aulão história ufsc 2014 - história geral
Aulão história ufsc 2014 - história geralAulão história ufsc 2014 - história geral
Aulão história ufsc 2014 - história geralDaniel Alves Bronstrup
 
2º ano revolução francesa - parte 1
2º ano   revolução francesa - parte 12º ano   revolução francesa - parte 1
2º ano revolução francesa - parte 1Daniel Alves Bronstrup
 

Destaque (20)

3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
 
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
 
Aulão história ufsc 2014 - história do brasil
Aulão história ufsc 2014 -  história do brasilAulão história ufsc 2014 -  história do brasil
Aulão história ufsc 2014 - história do brasil
 
3º ano mundo contemporâneo 2 - oriente médio
3º ano   mundo contemporâneo 2 - oriente médio3º ano   mundo contemporâneo 2 - oriente médio
3º ano mundo contemporâneo 2 - oriente médio
 
2º ano revolução francesa - parte 2
2º ano   revolução francesa - parte 22º ano   revolução francesa - parte 2
2º ano revolução francesa - parte 2
 
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01
Pré vestibular Murialdo - Idade Contemporânea - aula 01
 
3ºão - resumão - imperialismos
3ºão - resumão - imperialismos3ºão - resumão - imperialismos
3ºão - resumão - imperialismos
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
 
Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial
 
#VOTO AOS 16
#VOTO AOS 16#VOTO AOS 16
#VOTO AOS 16
 
Europa medieval
Europa medievalEuropa medieval
Europa medieval
 
Brasil
BrasilBrasil
Brasil
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
Europa medieval
Europa medievalEuropa medieval
Europa medieval
 
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosasExercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - InglaterraRevoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 
Aulão história ufsc 2014 - história geral
Aulão história ufsc 2014 - história geralAulão história ufsc 2014 - história geral
Aulão história ufsc 2014 - história geral
 
3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização 3ão - Fim da Colonização
3ão - Fim da Colonização
 
2º ano revolução francesa - parte 1
2º ano   revolução francesa - parte 12º ano   revolução francesa - parte 1
2º ano revolução francesa - parte 1
 

Semelhante a Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.

Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroAna Barreiros
 
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptx
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptxSA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptx
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptxValval58
 
Resumo História 4ºteste.docx
Resumo História 4ºteste.docxResumo História 4ºteste.docx
Resumo História 4ºteste.docxnatercia vinhas
 
Idade média igreja e cultura
Idade média   igreja e culturaIdade média   igreja e cultura
Idade média igreja e culturaFatima Freitas
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosIsidro Santos
 
Trabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBTrabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBJuliano55
 
Trabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBTrabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBJuliano55
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade médiaguiurey
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)Nefer19
 

Semelhante a Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval. (20)

Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
A cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º anoA cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º ano
 
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptx
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptxSA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptx
SA_HIS_HIG_V01_U00_C00_03_APR.pptx
 
Resumo História 4ºteste.docx
Resumo História 4ºteste.docxResumo História 4ºteste.docx
Resumo História 4ºteste.docx
 
Idade média igreja e cultura
Idade média   igreja e culturaIdade média   igreja e cultura
Idade média igreja e cultura
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Hca M3
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Hca M3
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Hca M3
 
HCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 ApontamentosHCA Módulo 3 Apontamentos
HCA Módulo 3 Apontamentos
 
Hca M3
Hca   M3Hca   M3
Hca M3
 
Trabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBTrabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºB
 
Trabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºBTrabalho De Arte 8ºB
Trabalho De Arte 8ºB
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasilDaniel Alves Bronstrup
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinadoDaniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e RevoltasDaniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIXDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.Daniel Alves Bronstrup
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev InglesaDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.Daniel Alves Bronstrup
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

Último

O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 

Último (20)

O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 

Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.

  • 1. Prof. Msc. Daniel Alves Bronstrup Pré-Vestibular Bizantinos e Francos = 3A-06, O mundo muçulmano e as cruzadas = 4A-07, A Igreja e a Cultura na Idade Média = 4A-08 Baixa Idade Média: Crise do século XIV = 5A - 09 http:// facebook.com/daniel.alvesbronstrup http:// profhistdaniel.blogspot.com @danielbronstrup
  • 2.
  • 3. FEUDALISMO  INVASÕES BÁRBARAS  GERMANICOS  HUNOS  REINOS  REINO VISIGODO  REINO FRANCO  FUNDADO POR CLÓVIS (481-511)  DINASTIAS  MEROVÍNGIA  REIS INDOLENTES - >reis que assumiram o trono não conseguiram assegurar a unidade dos territórios.  PREFEITOS DO PALÁCIO -> grupo de funcionários públicos conhecidos com poderes políticos.  CAROLÍONGIA  INICIADA POR PEPINO, O BREVE (751)  CARLOS MAGNO (768-814).  FRAGMENTAÇÃO POLÍTICA  CRUZADAS (sec. XI ao XIII).
  • 4. ECONOMIA  SUBSISTÊNCIA  AGRICULTURA  PECUÁRIA  ARTESANATO  POUCO FLUXO DE MOEDAS - CÂMBIO  PEQUENAS FEIRAS / MERCADOS SOCIEDADE – IMOBILIDADE – CLERICAL – HIERARQUIZADA – ESTAMENTAL / ORDENS
  • 5. SOCIEDADE  CLERO  REGULAR  SECULAR  NOBREZA  SENHORES FEUDAIS  CAVALEIROS  A VASSALAGEM  SUSERANO DOA O FEUDO  VASSALO RECEBE O FEUDO  OCORRE LAÇOS DE OBRIGAÇÕES MÚTUAS  SERVOS  SERVO DA TERRA  PAGAMENTO de TAXAS / IMPOSTOS  CORVÉIA = serviços prestados nas terras  TALHA = metade de tudo que produzia  BANALIDADE = pagamento pela utilização das instalações  CAPITAÇÃO  TOSTÃO DE PEDRO = DÍZIMO  MÃO MORTA  PRESOS À TERRA  SERVO VILÃO: TRABALHADORES LIVRES
  • 6.
  • 7. IMPÉRIO BIZANTINO  Inicialmente, foi parte do Império Romano do Oriente.  CAPITAL: Constantinopla.  RELIGIÃO: cristã ortodoxa.  Patriarca:  cargo mais alto da Igreja local.  Era escolhido pelo imperador.  Movimento Iconoclasta:  proibição, por parte do imperador, de exibir e/ou adorar ícones. As imagens foram quebradas;
  • 8. Cisma do Oriente (1054): separação da Igreja Cristã em duas:  1) Igreja Católica Apostólica Romana:  Sede: Roma.  Chefe: Papa.  Língua da missa: latim.  celibato era para todos os membros do clero. 2) Igreja Cristã Ortodoxa: Sede: Constantinopla. Chefe: Patriarca. Língua da missa: grego. celibato era apena para os bispo. Não acreditavam no purgatório  ARTE: tinha grande influência da religião.  Ex: mosaicos, pinturas, arquitetura.
  • 9. POLÍTICA:  Justiniano (527-565): principal imperador. Tinha como objetivo restaurar o antigo território do Império Romano.  Cesaropapismo.  Criou o Corpo Juris Civilis:  Código: reunião de todas as leis romanas;  Digesto: reunião dos pareceres dos magistrados romanos;  Institutas: princípios do direito para os estudantes.  Novelas: novas leis de Justiniano.  Revolta de Nika (532): populares fizeram manifestação contra o governo de Justiniano. Como represália foram massacrados no hipódromo.
  • 10. DECLÍNIO E QUEDA DO IMPÉRIO BIZANTINO.  Causas:  Enormes gastos militares para defendera as fronteiras;  As violentas disputas pelo poder entre civis e militares;  Perseguição a quem não seguia a religião do Império.   ✔Com o enfraquecimento do poder no Império Bizantino, a cidade de Constantinopla foi tomada pelos Turcos-Otomanos em 1453.
  • 11. EXPANSÃO ISLÂMICA.  Os árabes pré-islâmicos eram politeístas e idólatras.  Maomé:  Trabalhava nas caravanas que percorriam o Oriente Médio  Conheceu as doutrinas monoteístas do Cristianismo e do Judaísmo  Hégira (FUGA) (622 d.C).  A Hégira marca o início do calendário muçulmano.  Em 630, com o apoio dos árabes do deserto, Maomé destruiu os ídolos.  A Pedra Negra foi mantida e, em solenidade, dedicada a Alá.  Surgiu, então, o Islão e, consequentemente, o monoteísmo.  Organizou-se, então, o Estado Teocrárico.
  • 12. EXPANSÃO ISLÂMICA.  Preceitos do Islã:  Culto ao único Deus (Alá);  Jejum no mês do Ramadã;  Oração cinco vezes ao dia;  Peregrinações à Meca;  Doação de esmolas;  Não ingestão de carne de porco e de bebidas alcoólicas;  Promoção da guerra santa (Jihad).  Livro sagrado: Alcorão.
  • 13. EXPANSÃO ISLÂMICA.  A primeira dinastia do Islão correspondia a família Haxemita, de Maomé  A religião islâmica não é original, trata-se de um sincretismo religioso que tem por base o Cristianismo e o Judaísmo  As principais razões econômicas e políticas que motivaram a expansão árabe pelo mediterrâneo são:  - a atração pelo saque (botim)  - a unificação política que Maomé conseguiu  A expansão do Império Árabe isolou a Europa Ocidental com o fechamento do Mediterrâneo,  acentuando uma tendência à ruralização econômica que culminou na formação do sistema feudal europeu.
  • 14.
  • 15. CULTURA Pintura: Concentrou-se na representação humanizada de santos e divindades. Destacam-se os italianos Giotto e Cimabue. Música: Música Sacra: com o canto gregoriano (melodia simples e suave cantada em uníssono por várias vozes. Música Popular: Trovadores e Menestréis Literatura: Poesia épica exaltando a ação dos cavaleiros em prol da cristandade Poesia lírica exaltando o amor cortês dos cavaleiros em relação ás suas damas Ciência e Filosofia: Roger Bacon introduziu a observação da natureza e a experimentação como método básico do conhecimento científico. Santo Agostinho e São Tomás de Aquino tinham como interesse harmonizar a fé cristã com a razão.
  • 16. ESTILOS ARQUITETÔNICOS: ROMÂNICO • Floresceu entre os séculos XI e XIII. •Caracteriza-se por traços simples e austeros: grossos pilares, tetos e arcos em abóbada, janelas estreitas e muros reforçados.
  • 17. GÓTICO • Desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI e predominou em países como França, Inglaterra e Alemanha. •Leveza, elegância e traços verticais. Janelas ornamentadas com vitrais coloridos, permitiam boa iluminação interior, as paredes tornaram-se mais finas e as altas e angulosas abóbadas eram apoiadas em longos pilares.
  • 18. CRUZADAS: séc. XI ao XIII CRISTÃOS X MUÇULMANOS  OBJETIVO ESPIRUTUAL:  Guerras para libertar Jerusalém dos Muçulmanos;  OBJETIVO MATERIAL:  Conquistar terras para expandir o feudalismo e alocar a população excedente.  Dominar cidades estratégicas do Oriente.  Pequenos comerciantes interessados na expansão do comércio.
  • 19. EFEITO DAS CRUZADAS...  Os exércitos cristãos não conseguiram derrotar os muçulmanos.  Possibilitou intercâmbio: Cultural e Comercial.  A Europa passou a manter contato com outras civilizações: Bizantina e Islâmica.  Passaram a conhecer o requinte e o luxo.  Ex: especiarias, tapetes, jóias, tecidos finos, marfim...  O Mar Mediterrâneo passou as ser controlado pelos comerciantes italianos.
  • 20. RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO  PROGRESSO AGRÍCOLA  Inovações tecnológicas:  Excedente produtivo  Renascimento Comercial  Corporações de ofício ou Guildas: artesões  Hansas ou Ligas Hanseáticas: mercadores.  Renascimento Urbano  CRISE: FOME + PESTE + GUERRA
  • 21. GUERRA DOS CEM ANOS  Entre ingleses e franceses de 1337 a 1453.  Interesse Inglês pela região de Flanders.  Aumento político da França sobre a Europa Continental.  A longa duração desse conflito explica-se pelo grande poderio dos ingleses de um lado e a obstinada resistência francesa do outro.  Alegando ter sido designada por Deus para dar fim ao controle inglês, a camponesa Joana D'Arc mobilizou as tropas e populações locais.  Nesse instante, temendo o fortalecimento de uma liderança popular, os nobres franceses arquitetam a entrega de Joana D'Arc para os britânicos.
  • 22. QUESTÕES DOS VESTIBULARES UFSC E UDESC.
  • 23. 01) (UFSC-) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências às características do sistema feudal. 01.A sociedade feudal era agrária, sendo a terra a principal fonte de riqueza. 02.Na Alta Idade Média, a produção econômica do feudo, além de atender à subsistência, destinava-se ao mercado externo, principalmente o asiático. 04.Os camponeses, além de produzirem o seu próprio sustento, eram obrigados a executar tarefas suplementares para o senhor e a entregar-lhe parte da produção. 08.Na maior parte da sua existência na Europa Ocidental, o feudalismo ligou-se a formas de governo caracterizadas pela descentralização política. 16.Na sociedade feudal, a realeza, a nobreza e a burguesia constituíam-se nas classes superiores. Os clérigos, os servos de gleba e os vilões constituíam as camadas mais baixas. Era grande a mobilidade social.
  • 24. 02) (Udesc) Pormuito tempo a Idade Média europeia foi sinônimo de Idade das Trevas, marcada pela paralisação das atividades culturais. Essa imagem distorcida foi modificada atualmente pelos historiadores que a destacam como um período de grande atividade cultural. Acerca desse tema, todas as alternativas estão corretas, exceto a: A- A Idade Média revelou o homem como o centro do universo, princípio filosófico do antropocentrismo. B- O surgimento de várias universidades medievais, a partir do século Xlll, está relacionado, de modo geral, ao desenvolvimento do comércio e das cidades. C- As Cruzadas ocorridas durante a Idade Média promoveram um maior contato entre o Ocidente e o Oriente, estimulando o comércio e promovendo trocas culturais. D- Embora a maior parte da população europeia fosse analfabeta, os mosteiros medievais concentravam o saber em suas imensas bibliotecas repletas de manuscritos sobre todas as ciências. E- Um dos legados medievais mais importantes foram as catedrais em estilo gótico com novas técnicas de construção, muitas delas até hoje aproveitadas na arquitetura moderna.
  • 25. 03) (UFSC) SÃO FRANCISCO: “Lá vai São Francisco / Pelo caminho / De pé descalço / Tão pobrezinho / Dormindo à noite / Junto ao moinho / Bebendo a água / Do ribeirinho.” MORAES, Vinicius de. Nova antologia poética. São Paulo: Cia de Bolso, 2005, p. 227. Sobre a Baixa Idade Média, período no qual São Francisco viveu, é CORRETO afirmar que: 01. foi um período no qual a produção e difusão intelectual se estagnou: daí a expressão “Idade das Trevas” que caracteriza a Idade Média. 02. foi o período no qual a expansão comercial provocou um maior contato entre diferentes povos, principalmente do Oriente, diversificando os valores europeus. 04. foi o período das Cruzadas, expedições organizadas pela Igreja que tinham como único objetivo difundir o cristianismo entre os povos do Oriente. 08. foi o período de surgimento de várias ordens religiosas, algumas delas formadas por monges-cavaleiros, como foi o caso dos Templários. 16. foi o período no qual se desenvolveu uma literatura épica que exaltava os atos heróicos dos cavaleiros, como os romances inspirados no rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda. 32. foi o período de emergência de pensadores católicos como Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, que criticavam a ideia da existência de um Deus único.
  • 26. 04) (Udesc) O Mundo Muçulmano sempre foi pouco conhecido pelos países ocidentais. A imagem construída sobre ele foi, em muitos casos, negativa. Sobre o passado e as imagens negativas da atualidade dessa cultura, todas as alternativas estão corretas, exceto a: A- A presença muçulmana na Europa deixou uma herança cultural muito ampla. A Espanha, que permaneceu sob domínio muçulmano por boa parte da Idade Média, é o melhor exemplo disso. B -Apesar de identificada com a etnia árabe, da qual se origina, a cultura muçulmana está presente em muitos outros povos, como turcos, habitantes da África e mesmo asiáticos, da Indonésia. C- Para grande parte do mundo ocidental, os muçulmanos são identificados como defensores de uma religião fundamentalista, fanática e intolerante. D- A cultura muçulmana distingue-se da cultura islâmica pelo fato de que no primeiro caso há a utilização apenas do Corão, livro sagrado dos muçulmanos e no segundo, aceita-se o Velho Testamento, base da cultura hebraico-islâmica. E- Apesar da riqueza do petróleo, que atinge apenas alguns dos países muçulmanos, as condições de vida da maioria dos países é bastante difícil, com indicadores sociais muito baixos.
  • 27. 05) (UFSC) Os relatossobre o período histórico conhecido como Idade Média revelam a ocorrência de conflitos bélicos, pestes e fome. Sabe-se, porém, queno mesmo período houve desenvolvimento econômico e cultural. Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências à cultura medieval. 01. O caráter religioso predominou nas artes medievais, pois um dos seus objetivos era a glorificação de Deus. 02. Na literatura, além de Dante Alighieri, destacaram-se os trovadores, responsáveis pela divulgação da poesia popular e das canções de gesta. 04. O crescimento urbano e o comércio foram responsáveis pela decadência intelectual verificada na Idade Média, por dificultarem a criação de novas universidades. 08. Entre os pensadores medievais, destacou-se Santo Tomás de Aquino que, com a Suma Teológica, tentou resolver a controvérsia entre fé e razão. 16. Na arquitetura medieval predominaram dois estilos: o românico e o gótico. 32. Durante a Idade Média, as línguas nacionais foram denominadas “vulgares”. O latim foi a língua falada pelos eruditos.
  • 28. 06) (Udesc) Na Idade Média européia, a Igreja era a instituição mais poderosa e grande proprietária de terras. a) A organização centralizada e hierarquizada permitiu que a Igreja ocupasse papel político preponderante na Idade Média da Europa. b) O combate a crenças divergentes, através de instrumentos com a Inquisição, manteve a Igreja como portadora exclusiva da autoridade sobre a fé e a cultura. c) As cruzadas foram movimentos de expansão do cristianismo e da cultura européia e eram movidas pela tolerância religiosa em relação aos muçulmanos. d) No final da Idade Média, as monarquias européias começaram um processo de centralização, ocasionando várias crises em suas relações com a Igreja. e) A estrutura eclesiástica apresentava dois setores básicos; eram formados pelo clero secular e pelo clero regular.
  • 29. 07) (UFSC Leia o texto: A razão (de ser) dos carneiros é fornecer leite e lã; a dos bois é lavrar a terra; e a dos cães é defender os carneiros e os bois dos ataques dos lobos. Se cada uma destas espécies de animais cumprir a sua missão, Deus protegê-la-á. Deste modo, fez ordens, que instituiu em vista das diversas missões a realizar neste mundo. Instituiu uns os clérigos e os monges para que rezassem pelos outros [...]. Instituiu os camponeses para que eles, como fazem os bois com o seu trabalho, assegurassem a sua própria subsistência e a dos outros. A outros, por fim, os guerreiros, instituiu-os para que [...] defendessem dos inimigos, semelhantes a lobos, os que oram e os que cultivam a terra.CANTERBURY Bispo Eadmer de. Transcrito por FARIA, Ricardo. História para o Ensino Médio. Belo Horizonte: Editora Lê Com base no texto, assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S): 01. O texto faz referência às relações sociais características do capitalismo, à divisão da sociedade em classes e à relação de trabalho assalariado. 02. No texto, justifica-se o poder do monarca e a participação do povo (os que trabalhavam) no governo, uma vez que a sociedade em questão teria sido organizada por Deus. 04. No texto, justifica-se a existência de uma sociedade dividida em três ordens: a dos que oram, a dos que combatem e a dos que trabalham. 08. Aos camponeses cabia a produção, o trabalho na terra, cujo excedente possibilitava que o clero rezasse e os guerreiros lutassem. 16. As relações sociais descritas eram típicas da chamada sociedade Feudal, em alguns dos países da Europa Ocidental.