Orientações sexuais

1.852 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.852
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orientações sexuais

  1. 1. Agrupamento de Escolas de Ribeira de Pena/ Núcleo de Cerva Ano letivo 2011/2012 FORMAÇÃO CÍVICA
  2. 2. • Catarina Calçada, nº3 • Joana Lopes, nº5• Manuela Pereira, nº13 • Márcia Almeida, nº15 2
  3. 3. Introdução 4Breve História das Orientações Sexuais 5O que é a Orientação Sexual? 6As Orientações Sexuais na Sociedade 7Tipos de Orientações Sexuais 8 Homossexualidade 9 Heterossexualidade 10 Bissexualidade 11 Assexualidade 12 Transsexualidade 13 Pansexualidade 14 Metrossexualismo 15 Travestismo 16Orientações Sexuais e as Celebridades 17Bandeira Arco-íris 24Homofobia 25Conclusão 26Fontes Documentais 27 Agrupamento de Escolas de Ribeira de Pena/ Núcleo de Cerva 3
  4. 4. Este trabalho foi-nos proposto na disciplina de Formação Cívica com o tema de “Orientações Sexuais”.Neste trabalho vamos abordar as orientações sexuais, os tipos de orientações sexuais, a bandeira arco-íris, ahomofobia entre outros. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 4 Pena/ Núcleo de Cerva
  5. 5. A sexualidade humana tem sido, ao longo dos tempos, objeto de estudo de várias pesquisas e nestas, a OrientaçãoSexual emerge com bastante significado, dada a sua relação com a própria condição humana, pois se considera que ainfluência da sexualidade permeia todas as manifestações do indivíduo do nascimento até a morte, englobando o papelsexual do homem e da mulher, o respeito por si e pelo outro, as discriminações e os estereótipos atribuídos e vivenciadosnos relacionamentos humanos, dentre outros problemas atuais e preocupantes. Compilando a literatura existente, percebe-se que existe um número considerável de trabalhos elaborados naperspectiva de subsidiar os educadores quanto a abordagem da Orientação Sexual na escola. Contudo, observa-se que sãopoucas as instituições de ensino que incluem em suas práticas pedagógicas a discussão de um tema tão importante e necessário como é a sexualidade humana e, quando a fazem, essa se resume a palestras a cargo de psicólogos e/ou médicos, comose isso fosse suficiente para esclarecer as dúvidas relacionadas à sexualidade humana e suas múltiplas expressões. Essas“discussões” e “informações”, na maioria das vezes, estão voltadas tão somente para os adolescentes, ficando a infância ea pré-adolescência à mercê de informações incompletas, fantasiosas, regadas a preconceitos, incompreensões. Para algunsprofessores do Ensino Fundamental (1º e 2º ciclos), a Orientação Sexual nessa fase é vista como algo não saudável, poisestimularia precocemente a sexualidade das crianças. Estudos científicos realizados nessa área demonstraram que o trabalho de Orientação Sexual, ao contrário do que sepropaga, não estimula a atividade sexual, não antecipa a idade do primeiro contato sexual, nem tão pouco aumenta aincidência de gravidez ou aborto entre os adolescentes. E, sim, as crianças/adolescentes, que foram orientados sexualmentena escola, tornaram-se mais responsáveis e conscientes. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 5 Pena/ Núcleo de Cerva
  6. 6. Existem diversas teorias que procuram compreender o que determina a orientação sexual. Para algunsautores, é determinada pelas relações que a criança estabelece com os seus pais e familiares durante a infância.Outros fazem uma ligação aos fatores ambientais, defendendo que a orientação sexual se forma através de umprocesso de aprendizagem social. Existem teorias que apontam para fatores biológicos envolvidos noestabelecimento da orientação sexual. Outras teorias, de base biológica, referem que a orientação sexual éinfluenciada pela ação e funcionamento das nossas hormonas. Todavia, atualmente, sabe-se que o comportamento sexual não é vedado nem fixo, podendo, por essa razão,ser flexível e mudar ao longo da vida. Pelo que, até agora, o único aspeto que parece ser consensual a todas asteorias, é que a orientação sexual é algo que se começa a definir precocemente. Para a compreensão deste tema, é ainda importante ter em conta três aspetos fundamentais: os aspetos biológicos (a pessoa nasce com um pénis ou com uma vagina); os aspetos de identificação sexual (a pessoa sente-se homem ou mulher); os aspetos de orientação sexual (a pessoa sente-se atraída por homens, por mulheres ou porambos). O conceito identidade sexual integra as dimensões da identidade de género, a orientação sexual, asfantasias, os desejos e os comportamentos sexuais. De uma forma geral, a identidade sexual define a pessoa doponto de vida sexual, ou seja, a forma como ela se sente. Se existe uma identificação sexual, isto é, se a pessoase sente bem no seu corpo masculino ou feminino, à partida não há tensão ou sofrimento psíquico; quando nãoexiste esta identificação psicológica com o sexo biológico a pessoa pode viver em sofrimento pois pode existiruma rutura com os papéis de género “tradicionais” em que a pessoa não se identifica com os seus caracteressexuais (cromossomáticos). Estas pessoas, homens e mulheres, podem apresentar um transtorno ou umaalteração da sua identidade sexual e/ou de género. Nestes casos, pode ser importante uma avaliação eacompanhamento médico ou ao nível da psicologia ou psicoterapia. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 6 Pena/ Núcleo de Cerva
  7. 7. A igualdade de direitos e de respeito para qualquer ser vivo que habita a Terra deve serdefendida. As pessoas que discriminam a orientação sexual das outra são pessoas desrespeitadoras,que não pensam por si mesmas (estando apenas ligadas à "moral e costumes" da sua religião e/oucultura), ignoram e rejeitam o fato de que realmente, qualquer um pode, a qualquer momento da suavida, sentir-se sexualmente atraído por alguém do mesmo sexo, apesar de não ser comum. O que acontece é que a discriminação muitas vezes chega a ser tão cruel, tão invasora (até pareceque é crime) que faz com que muita gente esconda a sua verdadeira orientação sexual e viva infeliz,fechado em si mesmo. Se com outras espécies, por vezes, também acontece, porque é que com o ser humano havia deser diferente? Por exemplo, vê-se de vez em quando cães a acasalar com cães. Não é nenhumadoença nem problema psicológico! Nem contagia! Então porquê homofobia? Homosexuais, lésbicas, bisexuais, …, são pessoas normais, como qualquer heterosexual! O queinteressa é que exista AMOR e, de resto, a orientação sexual de cada um é pessoal e nãointerfere com a de mais ninguém. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 7 Pena/ Núcleo de Cerva
  8. 8. Existem vários tipos de orientações sexuais: Homossexualidade; Heterossexualidade; Bissexualidade; Assexualidade; Transexualidade; Pansexualidade; Metrossexualismo; Travestismo. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 8 Pena/ Núcleo de Cerva
  9. 9. A homossexualidade é definida como a preferência sexual por indivíduos do mesmo sexo.Homossexuais são aquelas pessoas que sentem atração física ou emocional por pessoas domesmo sexo. Ou seja, um homem por outro homem e uma mulher por outra mulher. Os homenssão geralmente designados por gays e as mulheres por lésbicas. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 9 Pena/ Núcleo de Cerva
  10. 10. Os heterossexuais são pessoas quesentem atração física ou emocionalpelo sexo oposto, ou seja, o sexomasculino pelo sexo feminino e vice-versa. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 10 Pena/ Núcleo de Cerva
  11. 11. A bissexualidade consiste na atraçãofísica e/ou emocional por pessoas tanto domesmo sexo quanto do sexo oposto, comníveis variantes de interesse por cada um. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 11 Pena/ Núcleo de Cerva
  12. 12. A assexualidade é caracterizada pela indiferença à prática sexual, ou seja, oassexual é um indivíduo que não sente atração sexual, tanto pelo sexo opostoquanto pelo sexo igual. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 12 Pena/ Núcleo de Cerva
  13. 13. Trata-se de um desejo de viver e ser aceitoenquanto pessoa do sexo oposto. Este desejo seacompanha em geral de um sentimento de malestar ou de inadaptação por referência a seupróprio sexo anatômico e do desejo de submeter-sea uma intervenção cirúrgica ou a um tratamentohormonal a fim de tornar seu corpo tão conformequanto possível ao sexo desejado. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 13 Pena/ Núcleo de Cerva
  14. 14. A pansexualidade é caracterizada poratração estética potencial, amorromântico e desejo sexual por qualquerum, incluindo aquelas pessoas que não seencaixam na bináriade género macho/fêmea implicado pelaatração bissexual. Algumas vezes édescrito como a capacidade de amar umapessoa de forma romântica, independentedo gênero. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 14 Pena/ Núcleo de Cerva
  15. 15. A Metrossexualidade ouo metrossexualismo acontece quandoum homem urbano é excessivamentepreocupado com a aparência, gastandogrande parte do seu tempo e dinheiroem cosméticos, acessórios, roupas e tem assuas condutas pautadas pela moda e as"tendências" de cada estação. Os metrossexuais são conhecidos pornão viverem sem a sua marca prediletade hidratante para a pele, apreciarem umbom vinho, sonharem com o último modelode carro desportivo e gostarem de comprarpeças de design. Estes seres vaidosos estãogeralmente bem colocadosprofissionalmente. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 15 Pena/ Núcleo de Cerva
  16. 16. O travestismo ou eonismo estáassociado ao ato ou efeito de travestir-se,ou seja, de vestir-se ou disfaçar-se comroupas do sexo oposto. O termo eonismo éutilizado de forma mais específica eassociado ao travestismo masculino,inclusive com a adoção de maneirasfemininas. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 16 Pena/ Núcleo de Cerva
  17. 17. ADAM LAMBERT (Homossexual)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 17 Pena/ Núcleo de Cerva
  18. 18. LADY GAGA (Bissexual)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 18 Pena/ Núcleo de Cerva
  19. 19. OPRAH (Assexuada)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 19 Pena/ Núcleo de Cerva
  20. 20. LEA T. (Transsexual)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 20 Pena/ Núcleo de Cerva
  21. 21. SERGUEI (Pansexual)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 21 Pena/ Núcleo de Cerva
  22. 22. CRISTIANO RONALDO (Metrossexual)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 22 Pena/ Núcleo de Cerva
  23. 23. JACKSON (Travesti)Agrupamento de Escolas de Ribeira de 23 Pena/ Núcleo de Cerva
  24. 24. A Bandeira arco-íris representa a comunidade homossexual e tornou-se o seu principal símbolo. Foi desenhado pelo artista plástico Gilbert Baker, em 1977. A Bandeira arco-íris é uma bandeira composta por seis cores que representa a diversidade sexual humana. A bandeira é utilizada nos desfiles de homossexuais (que se fazem principalmente no Brasil mas que também se verificam noutros países) ou na identificação de bares, restaurantes e lojas com predominância do público homossexual ou que recebem esses clientes sem nenhum tipo de preconceito. A Bandeira arco-íris tem seis cores que têm significados diferentes: Vermelho significa a luz; Laranja significa a cura; Amarelo significa o sol; Verde significa a calma; Azul significa a arte; Lilás significa o espírito. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 24 Pena/ Núcleo de Cerva
  25. 25. Homofobia A homofobia é observada como umcomportamento crítico e hostil, assim como adiscriminação e a violência com base em umaperceção de orientação não heterossexual. Em umdiscurso de 1998, a autora, ativista e líder dosdireitos civis declarou que: "A homofobia é comoo racismo, o anti-semitismo e outras formasde intolerância na medida em que procuradesumanizar um grande grupo de pessoas, negar asua humanidade, dignidade e personalidade."Em1991, a Anistia Internacional passou a considerar adiscriminação contra homossexuais uma violaçãoaos direitos humanos. Agrupamento de Escolas de Ribeira de 25 Pena/ Núcleo de Cerva
  26. 26. Com este trabalho podemos concluir que existem vários tipos de orientações sexuais, que apesar determos na nossa sociedade pessoas com “escolhas” diferentes em termos de orientação sexual, nãodevemos discrimina-las porque são seres humanos. Gostamos imenso de fazer este trabalho porqueficamos a perceber muito melhor as diversas orientações sexuais. 26 Agrupamento de Escolas de Ribeira de Pena/ Núcleo de Cerva
  27. 27. • http://pt.wikipedia.org• Google imagens• http://www.slideshare.net• http://juventude.gov.pt Agrupamento de Escolas de Ribeira de 27 Pena/ Núcleo de Cerva

×