SlideShare uma empresa Scribd logo
Grandes Achados Arqueológicos
Inscrição de Tel Dan:
Este fragmento é uma inscrição do
Período do Primeiro Templo, foi
descoberto em escavações na
antiga cidade de Dan. É a primeira
referência extra-bíblica para a "
Casa de David " descoberta.
Parece ter sido parte de um
monumento erguida por um rei de
Aram que indica a vitória sobre
seus inimigos. Escrito em arameu
com as palavras separadas por
pontos, a inscrição data ao 9º
século AC.
Pomo de Marfim
Este pomo de marfim esculpido acredita-
se ter sido a cabeça decorativa de um
cetro cerimonial usada pelos Sacerdotes
durante o Período do Primeiro Templo.
Descoberto fora de contexto, pode ser a
única relíquia descoberta em Jerusalém
do Templo de Salomão. O Pomo era um
motivo popular no Templo de Salomão.
O artefato tem um buraco pequeno no
fundo e indica que poderia estar
montado numa barra. É inscrito com
caracteres hebraicos transcritos como:
doação " Sagrada para os Sacerdotes na
Casa de Yauhuh ".
Ossuário de Caiafas:
Da tumba familiar de Caiafas em
Jerusalém, este ossuário contém a
inscrição " Yahusef bar Qafa":
(José, filho de Caiafas), é datado
ao Período do Segundo Templo.
Caiafas foi o sumo sacerdote no
tempo que Jesus foi crucificado.
Page 1 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica
19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
Homem crucificado:
Um ossuário com o nome de
"Yahuchanan" contém parte do
esqueleto de um homem crucificado
no primeiro século e enterrado com o
cravo de crucificação curvada pelo
osso do calcanhar. É a única evidência
física de crucificação descoberta.
Barco de pesca Galileo:
Essa armação de um barco pesqueiro do
primeiro século que DC foi recuperado da
lama ao longo do contorno da costa do
Mar da Galileia.
Acredita-se que o modelo do barco é
semelhante ao do mosaico escavado em
Migdal.
Amuletos de Ketef Hinnom:
Foram descobertos dois rolos de papel
de prata minúsculos na forma de
amuletos em uma caverna Ketef
Hinnom. Escrito em hebraico antigo
datada ao 7º século AC, os rolos
incluem os fragmentos de um texto
bíblico e foram datados em mais de
300 anos anteriores a Qumran. A forma
da bênção sacerdotal contida à
esquerda no rolo é: " O Senhor o
abençoa e o protege. A face do
Senhor brilha para ser cortês a você.
O Senhor eleva o semblante e lhe dá a
paz ". Também contém o Tetragrama, a
forma antiga do Divino Nome,
Page 2 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica
19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
" (Yauhuh)
Relógio de Herodes:
Este minúsculo relógio de sol (só
2 polegadas) pode ser o único
artefato sobrevivente conhecido
do Templo de Rei Herodes. Foi
achado durante escavação de
uma pilha de escombro atribuída
à destruição do Templo. Há um
menorah (candelabro) esculpido
em sua parte de trás, um símbolo
que normalmente era reservado
para os Sacerdotes do Templo.
Ceramica da Casa de Deus:
Esta cerâmica foi descoberto em Arad, um
antigo centro administrativo Judeu. Escrito
em hebraico antigo, é datada a princípios
do 6º século AC, é presumido ser as
referências epigráficas mais antigas do
Templo em Jerusalém. Na porção da
inscrição lê-se: "Para meu senhor
Elyashib, possa o Senhor buscar seu bem
estar…o assunto que você desejou é bom;
ele está na Casa de Deus".
Cerâmica de Qumran:
Esta cerâmica foi descoberta no
planalto de Qumran em 1996 e é o
único material escrito a ser
recuperado lá após a descoberta
dos Rolos do Mar Morto. O escrito
é um tipo de contrato, esta
quebrada em um ponto crítico, e
os estudiosos discordam sobre a
tradução formal.
Rolos do Mar morto:
Muitos consideram a biblioteca
como sendo de uma seita judia
antiga (Essênios), esta coleção
inclui as cópias existentes mais
Page 3 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica
19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
antigas conhecidas das Escrituras
Sagradas. Os rolos foram
armazenados em jarros de barro
lacrados, em cavernas ao longo
das orlas do Mar Morto. Estes
manuscritos Bíblicos são 1.000
anos mais antigos que as
escrituras até então.
Inscrição de Pilatos:
Descoberto em Caesareia numa
parede secundária, esta inscrição
testemunha uma figura do Novo
Testamento, povoa o debate sobre
o título de Pilatos, Prefeito em
lugar de Procurador.
Relógio de Qumran:
Um relógio calendário solar de 364
dias no ano, baseado em tradições
judias antigas, era usado pelos
Sectários, o tempo era uma
questão de grande significado por
manter um horário preciso nas
orações diárias.
Page 4 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica
19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da AliançaLição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da Aliança
Hamilton Souza
 
Tipologia
TipologiaTipologia
Tipologia
Luiz Ferreira
 
O tabernaculo
O tabernaculoO tabernaculo
O tabernaculo
Adrieli Garaffa
 
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADOO TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
Hamilton Souza
 
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o PátioLição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
Éder Tomé
 
Tipologia
TipologiaTipologia
Tipologia
SGTPMAGUIAR88
 
Denário novembro-2012-nº5
Denário novembro-2012-nº5Denário novembro-2012-nº5
Denário novembro-2012-nº5
jasbranco
 
Um lugar de adoração a Deus no deserto
Um lugar de adoração a Deus no desertoUm lugar de adoração a Deus no deserto
Um lugar de adoração a Deus no deserto
Moisés Sampaio
 
13 templos de jerusalem
13   templos de jerusalem13   templos de jerusalem
13 templos de jerusalem
jasbranco
 
Lição 8 - O Lugar Santíssimo
Lição 8 - O Lugar SantíssimoLição 8 - O Lugar Santíssimo
Lição 8 - O Lugar Santíssimo
Éder Tomé
 
A arca da aliança
A arca da aliançaA arca da aliança
A arca da aliança
Daniel Felipe Kroth
 
O tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretaçãoO tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretação
Oaidson Silva
 
Tabernáculo - O igreja do átrio
Tabernáculo - O igreja do átrioTabernáculo - O igreja do átrio
Tabernáculo - O igreja do átrio
Ricardo Gondim
 
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no desertoLição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
Natalino das Neves Neves
 
6 36 07 09 15 tabernáculo
6 36 07 09 15 tabernáculo6 36 07 09 15 tabernáculo
6 36 07 09 15 tabernáculo
Estudos Bíblicos
 
Tabernaculo
TabernaculoTabernaculo
Tabernaculo
welingtonjh
 
O TabernáCulo
O TabernáCuloO TabernáCulo
O TabernáCulo
Israel serique
 
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Hamilton Souza
 
Princípios do culto a Deus
Princípios do culto a DeusPrincípios do culto a Deus
Princípios do culto a Deus
Meire Soares Magalhães
 
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do TabernáculoLição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Hamilton Souza
 

Mais procurados (20)

Lição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da AliançaLição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da Aliança
 
Tipologia
TipologiaTipologia
Tipologia
 
O tabernaculo
O tabernaculoO tabernaculo
O tabernaculo
 
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADOO TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
O TABERNÁCULO DE MOISÉS E SEU SIGNIFICADO
 
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o PátioLição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
Lição 3 - Entrando no Tabernáculo: o Pátio
 
Tipologia
TipologiaTipologia
Tipologia
 
Denário novembro-2012-nº5
Denário novembro-2012-nº5Denário novembro-2012-nº5
Denário novembro-2012-nº5
 
Um lugar de adoração a Deus no deserto
Um lugar de adoração a Deus no desertoUm lugar de adoração a Deus no deserto
Um lugar de adoração a Deus no deserto
 
13 templos de jerusalem
13   templos de jerusalem13   templos de jerusalem
13 templos de jerusalem
 
Lição 8 - O Lugar Santíssimo
Lição 8 - O Lugar SantíssimoLição 8 - O Lugar Santíssimo
Lição 8 - O Lugar Santíssimo
 
A arca da aliança
A arca da aliançaA arca da aliança
A arca da aliança
 
O tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretaçãoO tabernáculo e sua interpretação
O tabernáculo e sua interpretação
 
Tabernáculo - O igreja do átrio
Tabernáculo - O igreja do átrioTabernáculo - O igreja do átrio
Tabernáculo - O igreja do átrio
 
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no desertoLição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 - Um lugar de adoração a deus no deserto
 
6 36 07 09 15 tabernáculo
6 36 07 09 15 tabernáculo6 36 07 09 15 tabernáculo
6 36 07 09 15 tabernáculo
 
Tabernaculo
TabernaculoTabernaculo
Tabernaculo
 
O TabernáCulo
O TabernáCuloO TabernáCulo
O TabernáCulo
 
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
 
Princípios do culto a Deus
Princípios do culto a DeusPrincípios do culto a Deus
Princípios do culto a Deus
 
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do TabernáculoLição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
Lição 6 - As Cortinas do Tabernáculo
 

Semelhante a Grandes achados arqueologicos_-_parte_i

Bíblia_201111_195430.pptx
Bíblia_201111_195430.pptxBíblia_201111_195430.pptx
Bíblia_201111_195430.pptx
JosimarFarias3
 
Manuscritos do mar morto
Manuscritos do mar mortoManuscritos do mar morto
Manuscritos do mar morto
Instituto Teológico Gamaliel
 
12 os manuscritos do mar morto
12   os manuscritos do mar morto12   os manuscritos do mar morto
12 os manuscritos do mar morto
Luiz Gonzaga Scalzitti
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
DaddizinhaRodrigues
 
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdflicao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
Tiago Silva
 
Lição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da AliançaLição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da Aliança
Éder Tomé
 
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Erivelton Rodrigues Nunes
 
Palestra vertical II - os aspectos históricos da religião judaica
Palestra vertical II - os  aspectos históricos da religião judaicaPalestra vertical II - os  aspectos históricos da religião judaica
Palestra vertical II - os aspectos históricos da religião judaica
Gabi Baticioto
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iiGrandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
mbrandao7
 
Arqueologia
ArqueologiaArqueologia
Arqueologia
LÊNIO GRAVAÇÕES
 
Santa filomena1
Santa filomena1Santa filomena1
Santa filomena1
indexbonorvm
 
Atividades com pintura artes1o ano 2009
Atividades  com pintura artes1o ano 2009Atividades  com pintura artes1o ano 2009
Atividades com pintura artes1o ano 2009
beljinaldo
 
Esdras.pptx
Esdras.pptxEsdras.pptx
Turismo em israel
Turismo em israelTurismo em israel
Turismo em israel
Rodrigo De Oliveira Reis
 
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru o que realmente é
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru   o que realmente éSuméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru   o que realmente é
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru o que realmente é
REPRESENTANTE COMERCIAL NA AREA DE IMOBILIARIA
 
Os Manuscritos do Mar Morto
Os Manuscritos do Mar MortoOs Manuscritos do Mar Morto
Os Manuscritos do Mar Morto
Amor pela EBD
 
A historicidade confiável do livro de daniel
A historicidade confiável do livro de danielA historicidade confiável do livro de daniel
A historicidade confiável do livro de daniel
Diego Fortunatto
 
A sala de ambar
A sala de ambarA sala de ambar
A sala de ambar
Marco Williams
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
ThiagoFerreiraCouto1
 

Semelhante a Grandes achados arqueologicos_-_parte_i (20)

Bíblia_201111_195430.pptx
Bíblia_201111_195430.pptxBíblia_201111_195430.pptx
Bíblia_201111_195430.pptx
 
Manuscritos do mar morto
Manuscritos do mar mortoManuscritos do mar morto
Manuscritos do mar morto
 
12 os manuscritos do mar morto
12   os manuscritos do mar morto12   os manuscritos do mar morto
12 os manuscritos do mar morto
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdflicao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
licao9-2t-2019-cpad-190527205711.pdf
 
Lição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da AliançaLição 9 - A Arca da Aliança
Lição 9 - A Arca da Aliança
 
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01
 
Palestra vertical II - os aspectos históricos da religião judaica
Palestra vertical II - os  aspectos históricos da religião judaicaPalestra vertical II - os  aspectos históricos da religião judaica
Palestra vertical II - os aspectos históricos da religião judaica
 
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_iiGrandes achados arqueologicos_-_parte_ii
Grandes achados arqueologicos_-_parte_ii
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
 
Arqueologia
ArqueologiaArqueologia
Arqueologia
 
Santa filomena1
Santa filomena1Santa filomena1
Santa filomena1
 
Atividades com pintura artes1o ano 2009
Atividades  com pintura artes1o ano 2009Atividades  com pintura artes1o ano 2009
Atividades com pintura artes1o ano 2009
 
Esdras.pptx
Esdras.pptxEsdras.pptx
Esdras.pptx
 
Turismo em israel
Turismo em israelTurismo em israel
Turismo em israel
 
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru o que realmente é
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru   o que realmente éSuméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru   o que realmente é
Suméria, anunnaki, nefilins, planeta x, nibiru o que realmente é
 
Os Manuscritos do Mar Morto
Os Manuscritos do Mar MortoOs Manuscritos do Mar Morto
Os Manuscritos do Mar Morto
 
A historicidade confiável do livro de daniel
A historicidade confiável do livro de danielA historicidade confiável do livro de daniel
A historicidade confiável do livro de daniel
 
A sala de ambar
A sala de ambarA sala de ambar
A sala de ambar
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 

Mais de Carlos Alberto Monteiro da Silva

Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae   ENTOMORIODiversidade de scolitynae   ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Resumo ENTOMORIO
Resumo ENTOMORIOResumo ENTOMORIO
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambientalEcologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Parametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicosParametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicos
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Caio fábio nephilim
Caio fábio   nephilimCaio fábio   nephilim
Caio fábio nephilim
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Caio fábio confissões do pastor
Caio fábio   confissões do pastorCaio fábio   confissões do pastor
Caio fábio confissões do pastor
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Objetivos ciencia
Objetivos cienciaObjetivos ciencia
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadasTeoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Teologia brasileira
Teologia brasileiraTeologia brasileira
Historia concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofiaHistoria concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofia
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Louis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematicaLouis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematica
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Formalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacaoFormalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacao
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Ciencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundoCiencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundo
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgarReflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Imparcialidade e ética
Imparcialidade e éticaImparcialidade e ética
Imparcialidade e ética
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundoDilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
A ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologiaA ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologia
Carlos Alberto Monteiro da Silva
 
Revista teológica
Revista teológicaRevista teológica

Mais de Carlos Alberto Monteiro da Silva (20)

Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae   ENTOMORIODiversidade de scolitynae   ENTOMORIO
Diversidade de scolitynae ENTOMORIO
 
Resumo ENTOMORIO
Resumo ENTOMORIOResumo ENTOMORIO
Resumo ENTOMORIO
 
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambientalEcologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
Ecologia da paisagem sob o ponto de vista de restauração ambiental
 
Parametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicosParametros fitossociológicos
Parametros fitossociológicos
 
Caio fábio nephilim
Caio fábio   nephilimCaio fábio   nephilim
Caio fábio nephilim
 
Caio fábio confissões do pastor
Caio fábio   confissões do pastorCaio fábio   confissões do pastor
Caio fábio confissões do pastor
 
Objetivos ciencia
Objetivos cienciaObjetivos ciencia
Objetivos ciencia
 
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadasTeoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
Teoria e pratica em recuperao de áreas degradadas
 
Teologia brasileira
Teologia brasileiraTeologia brasileira
Teologia brasileira
 
Historia concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofiaHistoria concisa da_filosofia
Historia concisa da_filosofia
 
Louis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematicaLouis Berkhof teologia-sistematica
Louis Berkhof teologia-sistematica
 
Formalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacaoFormalismo e interpretacao
Formalismo e interpretacao
 
Ciencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundoCiencia como concepção de mundo
Ciencia como concepção de mundo
 
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgarReflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
Reflexões filosóficas sobre a neutralidade e imparcialidade no ato de julgar
 
Atitude critica
Atitude criticaAtitude critica
Atitude critica
 
Imparcialidade e ética
Imparcialidade e éticaImparcialidade e ética
Imparcialidade e ética
 
O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,O que é e o que não é ciência,
O que é e o que não é ciência,
 
Dilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundoDilthey Tipos de concepção de mundo
Dilthey Tipos de concepção de mundo
 
A ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologiaA ideia-de-fenomenologia
A ideia-de-fenomenologia
 
Revista teológica
Revista teológicaRevista teológica
Revista teológica
 

Último

MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 

Último (8)

MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 

Grandes achados arqueologicos_-_parte_i

  • 1. Grandes Achados Arqueológicos Inscrição de Tel Dan: Este fragmento é uma inscrição do Período do Primeiro Templo, foi descoberto em escavações na antiga cidade de Dan. É a primeira referência extra-bíblica para a " Casa de David " descoberta. Parece ter sido parte de um monumento erguida por um rei de Aram que indica a vitória sobre seus inimigos. Escrito em arameu com as palavras separadas por pontos, a inscrição data ao 9º século AC. Pomo de Marfim Este pomo de marfim esculpido acredita- se ter sido a cabeça decorativa de um cetro cerimonial usada pelos Sacerdotes durante o Período do Primeiro Templo. Descoberto fora de contexto, pode ser a única relíquia descoberta em Jerusalém do Templo de Salomão. O Pomo era um motivo popular no Templo de Salomão. O artefato tem um buraco pequeno no fundo e indica que poderia estar montado numa barra. É inscrito com caracteres hebraicos transcritos como: doação " Sagrada para os Sacerdotes na Casa de Yauhuh ". Ossuário de Caiafas: Da tumba familiar de Caiafas em Jerusalém, este ossuário contém a inscrição " Yahusef bar Qafa": (José, filho de Caiafas), é datado ao Período do Segundo Templo. Caiafas foi o sumo sacerdote no tempo que Jesus foi crucificado. Page 1 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica 19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
  • 2. Homem crucificado: Um ossuário com o nome de "Yahuchanan" contém parte do esqueleto de um homem crucificado no primeiro século e enterrado com o cravo de crucificação curvada pelo osso do calcanhar. É a única evidência física de crucificação descoberta. Barco de pesca Galileo: Essa armação de um barco pesqueiro do primeiro século que DC foi recuperado da lama ao longo do contorno da costa do Mar da Galileia. Acredita-se que o modelo do barco é semelhante ao do mosaico escavado em Migdal. Amuletos de Ketef Hinnom: Foram descobertos dois rolos de papel de prata minúsculos na forma de amuletos em uma caverna Ketef Hinnom. Escrito em hebraico antigo datada ao 7º século AC, os rolos incluem os fragmentos de um texto bíblico e foram datados em mais de 300 anos anteriores a Qumran. A forma da bênção sacerdotal contida à esquerda no rolo é: " O Senhor o abençoa e o protege. A face do Senhor brilha para ser cortês a você. O Senhor eleva o semblante e lhe dá a paz ". Também contém o Tetragrama, a forma antiga do Divino Nome, Page 2 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica 19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
  • 3. " (Yauhuh) Relógio de Herodes: Este minúsculo relógio de sol (só 2 polegadas) pode ser o único artefato sobrevivente conhecido do Templo de Rei Herodes. Foi achado durante escavação de uma pilha de escombro atribuída à destruição do Templo. Há um menorah (candelabro) esculpido em sua parte de trás, um símbolo que normalmente era reservado para os Sacerdotes do Templo. Ceramica da Casa de Deus: Esta cerâmica foi descoberto em Arad, um antigo centro administrativo Judeu. Escrito em hebraico antigo, é datada a princípios do 6º século AC, é presumido ser as referências epigráficas mais antigas do Templo em Jerusalém. Na porção da inscrição lê-se: "Para meu senhor Elyashib, possa o Senhor buscar seu bem estar…o assunto que você desejou é bom; ele está na Casa de Deus". Cerâmica de Qumran: Esta cerâmica foi descoberta no planalto de Qumran em 1996 e é o único material escrito a ser recuperado lá após a descoberta dos Rolos do Mar Morto. O escrito é um tipo de contrato, esta quebrada em um ponto crítico, e os estudiosos discordam sobre a tradução formal. Rolos do Mar morto: Muitos consideram a biblioteca como sendo de uma seita judia antiga (Essênios), esta coleção inclui as cópias existentes mais Page 3 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica 19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm
  • 4. antigas conhecidas das Escrituras Sagradas. Os rolos foram armazenados em jarros de barro lacrados, em cavernas ao longo das orlas do Mar Morto. Estes manuscritos Bíblicos são 1.000 anos mais antigos que as escrituras até então. Inscrição de Pilatos: Descoberto em Caesareia numa parede secundária, esta inscrição testemunha uma figura do Novo Testamento, povoa o debate sobre o título de Pilatos, Prefeito em lugar de Procurador. Relógio de Qumran: Um relógio calendário solar de 364 dias no ano, baseado em tradições judias antigas, era usado pelos Sectários, o tempo era uma questão de grande significado por manter um horário preciso nas orações diárias. Page 4 of 4Apócrifos & Religião - Arqueologia Biblica 19/11/2008http://www.mucheroni.hpg.com.br/religiao/96/arqueologia/arqueologia1.htm