Turismo em israel

366 visualizações

Publicada em

Turismo em Israel

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Turismo em israel

  1. 1. Portuguese OCAIS BÍBLICOS E HISTÓRICOS Para Visitantes Cristãos
  2. 2. 2 Uma experiência que mudará a sua vida TERRA SANTA Israel ... a Terra da Bíblia ... a Terra da Fé ... reverenciada durante toda a história documentada como Eretz HaKodesh, a “Terra Santa”. Para uma pessoa de fé, cujas crenças encontram-se enraizadas na Bíblia, não existe lugar no mundo igual a Terra Santa. Nesta estreita faixa de terra se encontram- se as origens da crença religiosa de grande parte da humanidade. Aqui, entre as colinas áridas e as planícies férteis, o espírito do homem aprendeu a voar, e daqui saiu uma nova mensagem para o mundo inteiro: “... e muitos povos virão, e dirão: ‘Vinde, subamos à montanha do Senhor, à casa do Deus de Jacó, que Ele nos ensinará os seus caminhos, e andaremos pelas Suas veredas.’ Porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor de Jerusalém” (Isaías 2,3). Os registros históricos da Terra Santa remontam mais de cinco mil anos, testemunhando o fato de que essa região nunca foi um lugar tranquilo. Tal como está localizada, abrangendo a divisa entre a África e a Ásia, a área quase sempre foi um campo de batalha. Sucessivas levas de conquistadores chegaram à região, ansiosos por controlar as estratégicas rotas de comércio que ligam os centros do mundo antigo. Com uma regularidade quase previsível, o controle oscilou de um poder vitorioso para o outro. Durante a época do domínio romano no Oriente Médio, cerca de 2.000 anos atrás, ocorreu um evento que moldaria a história da humanidade para sempre. Este importante evento foi o nascimento de Jesus. Nascido no lar do carpinteiro José e sua esposa Maria, Jesus veio ao mundo serenamente. Os Evangelhos do Novo Testamento nos ensinam que Maria deu luz a Jesus em Belém, envolveu-o em um pano e “deitou-o numa manjedoura; porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lucas 2, 7). Jesus se tornou adulto em Nazaré; viveu e pregou entre as pessoas na Galileia, Samaria, Judeia e Jerusalém, ganhando reconhecimento como professor, profeta, e realizador de milagres. Sua vida e ensinamentos afetaram milhões de pessoas em todo o mundo, mudando o curso da história. Em nenhum outro lugar na Terra os acontecimentos da vida de Jesus ganham vida como em Israel, a Terra Santa, onde eles originalmente ocorreram. Por quase 2.000 anos, visitantes cristãos do mundo inteiro vieram em peregrinação à Terra Santa, a terra da sua herança espiritual. Com a Bíblia na mão, caminharam pelos locais onde Jesus andou, e oraram nos lugares onde ele mesmo pregou e orou. Para os cristãos, Israel é um lugar como nenhum outro. Proporciona-lhes uma oportunidade única de vivenciar a terra da Bíblia, de aprofundar a sua fé, e de se transformar espiritualmente pela sua visita à terra onde ocorreram os acontecimentos bíblicos. De fato, os cristãos voltam para casa com uma fé mais profunda, rica e comprometida. Depois de visitar Israel, você nunca mais será o mesmo! Bem-vindo a Israel e à Terra Santa! [Observação: Alguns dos locais mencionados neste folheto estão sob a jurisdição das Autoridades Palestinas, ou são acessados ​​através de áreas sob controle das Autoridades Palestinas. Para visitar estes locais (indicados com um asterisco*) poderá ser exigido serviços especiais, incluindo a coordenação de transporte e guias]. LOCAIS BÍBLICOS - lista geográfica dos locais bíblicos e históricos relacionados à vida e ao ministério de Jesus, bem como a história do Cristianismo na Terra Santa, incluindo outros locais de interesse para o visitante cristão.
  3. 3. Norte Galileia Alta Galileia Monte Carmelo
  4. 4. Galileia, Alta Galileia, Monte Carmelo 4 Acre - Castelo dos Cavaleiros Beit She’an - Teatro Romano Armagedon Norte LOCAIS BÍBLICOS - lista geográfica dos locais bíblicos e históricos relacionados à vida e ao ministério de Jesus, bem como a história do Cristianismo na Terra Santa, incluindo outros locais de interesse para o visitante cristão. Achziv - um importante porto fenício e cidade fortificada situada na antiga rota entre Acre e Antioquia. Serviu como uma fortaleza durante a época das Cruzadas. Atualmente - O Parque Nacional de Achziv (localizado a 5 km ao norte de Nahariya) é uma das praias mais populares do norte de Israel. Acre (Akko) - conforme inscrito no Novo Testamento, o apóstolo Paulo visitou esta cidade (Atos 21:7). Conquistada pelos Cavaleiros Cruzados em 1104, foi uma importante cidade portuária fortificada durante a época das Cruzadas. Após a queda de Jerusalém, Acre serviu até 1291 como a última capital do Reino das Cruzadas quando, depois de um prolongado cerco, rendeu-se ao sultão mameluco Malek El-Ashraf. Séculos mais tarde, em 1799, os defensores turcos em Acre (ajudados por um esquadrão naval britânico) impediram o avanço de Napoleão Bonaparte no Levante. Atualmente - a economia de Acre (Akko) baseia-se na pequena indústria, comércio e turismo, adaptando- se aos seus modernos arredores. A cidade é conhecida pelos seus restaurantes de frutos do mar, seus caravançarás (pousadas) e pelos passeios às muralhas Otomanas, vestígios escavados da atual cidade subterrânea das Cruzadas. Armagedon (Megiddo) - uma grande fortaleza e cidade foram construídas aqui pelo rei Salomão (1 Reis 9:15). O Livro do Apocalipse do Novo Testa- mento refere-se a ele como o local da “batalha final” no final dos tempos. Atualmente - Você poderá visitar as escavações dos estábulos e da fortaleza de Salomão, bem como outras galerias antigas de ocupação. Atlit - foi um porto e fortaleza da época das Cruzadas (1217 a 1291) construída pelos Cavaleiros Templários. Chamado de Château des Pèlerins (Castelo de Peregrinos), é uma das maiores fortalezas das Cruzadas na Terra Santa. Ao contrário de outras fortificações das Cruzadas, esta não foi destruída pelos Mamelucos após o colapso do último Reino das Cruzadas, mas foi severamente danificada durante o terremoto da Galileia de 1837. Atualmente - as praias de Atlit são esplêndidas. Perto dali se encontra a antiga base do Exército Britânico utilizada após a 2ª Guerra Mundial (e antes da fundação do Estado de Israel) como um campo de internação para impedir que refugiados judeus do Holocausto entrassem na Palestina. Beit She’an - uma antiga cidade em cujas muralhas foram pendurados os corpos do rei Saul e seus filhos após a sua derrota na batalha contra os Filisteus no vizinho Monte Gilboa (1 Samuel 31). Durante o período greco-romano, a cidade era conhecida como Sitópolis. Alcançou o apogeu durante o período romano, quando fez parte das dez grandes cidades (a Decápolis) na fronteira oriental do Império na Judeia e Síria. Durante o período bizantino, Beit She’an serviu como a capital provincial da Palestina Secunda. No século 8, a cidade foi destruída por um forte terremoto. Atualmente - Beit She’an é um dos mais proeminentes sítios arqueológicos de Israel, com um grande teatro romano, o Cardo (rua principal) Romano-Bizantino, colunas de pedra, lojas, mosaicos, e a antiga Tel (alta colina criada por sucessivos níveis de ocupação ao longo de 6.000 anos). Há também vestígios de uma
  5. 5. 5 Belvoir Caná da Galileia Cafarnaum Mar da Galileia igreja bizantina com um notável piso em mosaico. Belvoir - atualmente conhecido como Kochav HaYarden (Estrela do Jordão, em hebraico), este castelo Cruzado, situado na margem de um planalto, ao sul do Mar da Galileia, oferece uma vista panorâmica do vale do Jordão logo abaixo - daí o seu nome Belvoir , que significa “bela vista”. Atualmente - um dos parques nacionais de Israel. As ruínas de Belvoir podem ser facilmente acessadas de carro. Betsaida (“A Casa do Pescador”) - foi uma antiga cidade na costa norte do Mar da Galileia, onde Jesus ativamente pregava e curava. Aqui localizam-se as casas dos apóstolos Pedro, Filipe e André, assim como o lugar onde Jesus curou o homem cego (Mateus 11:21, Lucas 10:13; João 1:44, Marcos 8:22-26). Atualmente - Você poderá ver as escavações arqueológicas da cidade que Jesus frequentemente visitava e com a qual estava familiarizado. Caesarea Philippi (Em árabe: Banias) - uma das nascentes do rio Jordão, que brota de uma caverna com o nome do deus grego Pan, Paneas (Banias, em árabe). Foi renomeada pelo filho de Herodes, Filipe, em homenagem ao imperador romano. Jesus visitou a cidade com seus discípulos (Mateus 16:13-23, Marcos 8:27). Atualmente - Banias faz parte do Parque Nacional Hermon. A nascente que brota de uma gruta antiga (nos dias atuais um mero gotejamento) foi uma das nascentes do Rio Jordão. Visite os vestígios do antigo santuário grego Pã (o Panion, e nade nas proximidades de uma das mais belas cachoeiras de Israel. Cafarnaum - a “cidade” de Jesus, segundo Mateus 9:1. Localizada na costa noroeste do Mar da Galileia, Cafarnaum foi o lar dos apóstolos Pedro, André, Tiago e João (assim como do arrecadador de impostos Mateus). Tornou-se o centro do ministério público de Jesus na Galileia e, enquanto viveu aqui, de acordo com os Evangelhos, curou os doentes, pregou na sinagoga (Lucas 4:31-44), e realizou milagres. Atualmente - Cafarnaum é o local onde se encontra a sinagoga do início do século IV mais bem conservada de Israel. A moderna Igreja Católica Romana de São Pedro, que fica nas proximidades, foi construída sobre vestígios arquitetônicos do século I, os quais foram identificados como sendo a “Casa de Pedro” por estudiosos católicos. A Igreja Greco-Ortodoxa dos Doze Apóstolos está localizada onde se encontrava a parte norte da antiga vila. Toda a área é cercada pelo Parque Nacional Kfar Nahum. Caná da Galileia (Kafr Kanna) - por tradição esta cidade árabe-israelense é o local do primeiro milagre de Jesus: a transformação da água em vinho na festa de casamento (João 2:1-11), e mais tarde, a cura do filho do nobre (João 4:46-54). Atualmente - as igrejas católica romana e greco- ortodoxa comemoram o milagre do Casamento em Caná. Existe também uma capela dedicada a Bartolomeu, o Apóstolo (chamado segundo a tradição como “Natanael de Caná” citado na epistola de João 21:2).
  6. 6. 6 “Barco de Jesus” Muhraka Mosterio Stella Maris Corazim O Carmelo - O Monte Carmelo é associado aos profetas Elias e Eliseu (Livro dos Reis 1 e 2). Um pequeno mosteiro Carmelita, o Muhraka, no extremo leste do cume comemora o confronto do profeta Elias com os sacerdotes de Baal (1 Reis 18:21-39). Atualmente - a cidade de Haifa espalha-se pelas encostas do Monte Carmelo. A terceira maior cidade e o porto comercial mais importante de Israel, Haifa é o lar de museus e várias instituições culturais e educacionais, incluindo a Universidade de Haifa, o Instituto Tecnológico Technion, o Museu das Artes de Haifa, o Museu Marítimo de Haifa e a restaurada Colônia Templária Alemã do século XIX. O belo Santuário e Jardim Baha’i ficam aqui. O braço de terra do Carmelo com vistas para o Mediterrâneo é controlado pela Igreja e Mosteiro Stella Maris (casa-mãe da Ordem das Carmelitas, fundada no Monte Carmelo no século XII. O mosteiro atual foi construído em 1836 onde se localizavam igrejas primitivas). Na encosta mais abaixo encontra-se uma caverna identificada pela tradição mais recente como a Caverna de Elias (1 Reis 19:8-10). Chifres de Hittin - um platô acima dos Penhascos de Arbel, onde, em 1187, Saladino derrotou os exércitos do Reino das Cruzadas, provocando o colapso do primeiro Reino Latino de Jerusalém. Corazim (Korazim) - ao norte do Mar da Galileia existia uma importante cidade judaica na época do Segundo Templo. De acordo com dois dos discípulos, Korazim foi repreendida por Jesus pela sua falta de fé (Mateus 11:21, Lucas 10:13). Atualmente - O Parque Nacional Korazim contém uma das mais bem conservadas antigas sinagogas da Galileia (século III). Logo ao sul da moderna vila se encontra Domus Galilaeae, um centro internacional de estudo católico. Dobrath (Dovrat) - conhecida nos dias atuais como Daburiya, foi a cidade de Zebulom (Josué 19:12); pela tradição, o lugar onde Jesus curou o menino epiléptico (Lucas 9:37-43). Situa-se no sopé ocidental do Monte Tabor. Endor - nas proximidades do Monte Tabor; casa da “feiticeira” de Endor consultada pelo rei Saul (1 Samuel 28:7-25). Atualmente - O moderno Kibutz Endor possui um museu arqueológico de artefatos romanos descobertos na região. Ginosar –um kibutz (colônia agrícola) na costa noroeste do Mar da Galileia. O Museu Yigal Alon abriga os vestígios de uma antiga embarcação popularmente conhecida como o “Barco de Jesus”, um barco de pesca de 2.000 anos que foi descoberto na lama perto das margens do lago em 1986, durante um período de seca e águas baixas. Cuidadosamente preservado, a antiga embarcação foi datada pelo método de carbono como sendo do século I d.C., e possivelmente é um exemplo do tipo de barco de pesca usado por Jesus e os discípulos; e com bastante precisão corresponde a uma descrição feita pelo historiador ​​Josephus Flavius dos barcos envolvidos em uma batalha naval no Lago (nas proximidades, perto da cidade de Migdal) durante a Grande Rebelião dos judeus contra os romanos. Hazor - uma importante cidade-estado do período cananeu, Hazor foi destruída por um violento incêndio em algum momento do século XIII a.C. Uma referência bíblica credita aos israelitas sob o comando de Josué a captura e destruição da cidade (Josué 11:10-14). Hazor também é mencionada na história de Débora e Baraque (Juízes 4:2). Foi reconstruída por Salomão no século X a.C. (1 Reis 9:15). Atualmente - A tel (colina) de múltiplas camadas de Hazor é um local fascinante, que permite a seus visitantes contemplarem mais de cinco milênios de camadas de civilização.
  7. 7. 7 Monte Arbel Kursi Hippos (atual Sussita) - tal como Beit She’an, uma das dez cidades greco-romanas da Decápolis. Localizada no topo sul das Colinas de Golan com uma vista panorâmica do Mar da Galileia, Hippos pode ser a tal “cidade edificada sobre uma colina”, que “não é possível esconder” (Mateus 5:14). Kursi - as ruínas de uma basílica bizantina do século VI na costa oriental do Mar da Galileia marcam o tradicional local onde Jesus curou dois homens possuídos por demônios (Mateus 8:28-33). Perto dali está o Tel Hadar, onde Jesus alimentou quatro mil pessoas (Mateus 15:29-38). Durante a época bizantina, este local era conhecido como Dodekathronon, nome dado aos doze cestos utilizados no Milagre da Partilha (Mateus 14:13-21, Marcos 6:34-44, Lucas 9:10-17, João 6:1-13). Atualmente - Kursi e as ruínas e mosaicos preservados da igreja formam um parque nacional. Magdala (Migdal) - na margem ocidental do Mar da Galileia se encontra o local de nascimento e a casa de Maria Madalena (Lucas 8:1-2), a mulher que foi curada por Jesus e se tornou um de seus seguidores. Ela foi uma testemunha da Ressurreição (João 20:1). O Mar da Galileia (também conhecido como Lago Kinneret, Lago Tiberías ou Lago de Genesaré) - situado a 220 metros (655 pés) abaixo do nível do mar, o mar da Galileia, abastecido pelo rio Jordão, é o maior lago de água doce de Israel. Ventos bruscos e violentos que descem soprando pelas montanhas circundantes podem ter causado a turbulência e agitação das águas descritas nos Evangelhos (Mateus 8:23-27). Foi na margem norte do lago, no “Triângulo Evangélico”, formado por Cafarnaum, Corazim e Betsaida, que Jesus chamou seus primeiros discípulos e começou a pregar (Mateus 4). Atualmente - O Mar da Galileia é um ponto turístico popular. Além de visitar santuários religiosos e locais históricos, o visitante cristão pode desfrutar da praia ou um passeio de barco. A maior cidade no lago é Tiberíades, na margem ocidental. Segundo a tradição judaica, desde o século XVI é considerada uma das Quatro Cidades Sagradas (as demais são Jerusalém, Hebron e Safed).
  8. 8. 8 Monte das Bem-Aventuranças Monte Tabor Basílica da Anunciação Poço de Maria Monte das Bem-Aventuranças - Esta colina a noroeste do Mar da Galileia é o tradicional local do Sermão da Montanha (Mateus 5:1-12). Com vista para Cafarnaum e Tabgha, a colina é moldada por uma ravina, que serve como um anfiteatro natural, amplificando a voz do locutor. Atualmente - Os jardins repletos de flores do Monte das Bem-aventuranças e a vista sobre o lago são um convite para uma contemplação silenciosa. Monte Gilboa - alta cadeia de montanhas acima do vale de Jezreel e Beit She’an. Aqui Saul e seus filhos lutaram contra os filisteus (1 Samuel 28:4, 2 Samuel 1:17-24). Atualmente - no sopé do monte Gilboa se encontra o Parque Nacional Gan Hashlosha (Sahne), cujos jardins, nascentes e piscinas naturais foram eleitos pela revista TIME como um dos 20 lugares mais bonitos no planeta. O Monte do Precipício - conhecido como Monte Kedumim em hebraico (e como Jabal el-Qafza em árabe), trata-se de uma íngreme colina localizada ao sul de Nazaré; seu lado sul se estende por um penhasco vertical até os vales Kesulot e Jezreel logo abaixo. O local é associado ao furor que ocorreu após o sermão de Jesus na sinagoga, e o desejo da enfurecida multidão de jogá-lo do penhasco (Lucas 4:16-30). Monte Tabor (Har Tavor) - uma proeminente colina em forma de cúpula no extremo leste do vale de Jezreel. Foi ao pé do Monte Tabor que Débora e Baraque derrotaram as forças de Sísera. Na tradição cristã acredita-se que este seja o local da Transfiguração (Mateus 17:1-6, Marcos 9:2-8, Lucas 9:28-36). Atualmente - Uma estrada estreita, com várias curvas, que mostra o caminho através das florestas de pinheiros até o cume da montanha, que é dividido entre o recinto da Igreja Greco-Ortodoxa de São Elias, e a Basílica Católica Romana da Transfiguração e o mosteiro adjacente. (Ambas igrejas foram construídas sobre estruturas antigas.) A vista do cume, especialmente do oeste de Nazaré e do leste do Mar da Galileia, são impressionantes. Naim (sul do Monte Tabor) - aldeia onde Jesus trouxe de volta à vida o “filho morto da viúva” (Lucas 7:11- 15). Em memória ao milagre uma pequena capela franciscana foi erguida no local. Nazaré - a cidade de Nazaré está localizada em um platô na extremidade norte do vale de Jezreel. Foi aqui que Jesus passou sua infância, morando com José e Maria (Lucas 1:26-38). Atualmente - Os visitantes normalmente se concentram na Basílica da Anunciação - consagrada pelo Papa Paulo VI em 1964 - em memória da anunciação da proximidade do nascimento de Jesus feito pelo Anjo Gabriel à Virgem Maria (Lucas 1:26- 38). Outros locais religiosos na cidade incluem a Igreja Greco-Ortodoxa de São Gabriel, e a fonte onde se encontra o Poço de Maria. A Igreja Sinagoga do século XII foi construída pela tradição sobre o local da sinagoga onde Jesus fez seu comentário sobre o Livro de Isaías (Lucas 4:16-30); ao sul da cidade se encontra o Monte do Precipício [ver anotação]. Qa’alat Namrud (Fortaleza Nimrod) - Este castelo medieval nas encostas do Golan foi construído pelos Aiúbidas em 1229, e mais adiante foi reforçado pelo sultão mameluco Baibars depois de 1260. Atualmente - Um dos parques nacionais de Israel, e uma das mais notáveis e acessíveis ruínas medievais do país. Rio Jordão - O rio mais importante de Israel, o Jordão liga o Mar da Galileia ao Mar Morto. Jesus foi batizado neste rio por João Batista perto de Jericó (Marcos 1:9-11). Atualmente - Muitos visitantes cristãos que vem a Israel são batizados no rio Jordão, em Yardenit (perto
  9. 9. 77 60 71 6565 66 73 75 60 75 77 79 716 65 NAZARÉ Monte Tabor Local da transfiguração Caná (Kfar Kana) As Igrejas para Matrimônio Sephoris (Zipori) Monte Débora Naín Jaffa Megido (Armagedom) A Basílica da Anunciação Monte Precipício En-Dor (Local bíblico) Kishon Tabor V a l e d e J i z r e e l Zipori O Poço de Maria Daburiya Waldheim Belém AFULA Givat HaMore Planície de Esdraelon Retorno a Nazaré AviagemdeMaria eJoséaBelém Aspegadasde JesusnaGaliléi a M ontanhas d e N a z a r é 9 Nazaré
  10. 10. Rio Jordão - o local do baptismo 10 Tabgha Séforis Rio Kishon do Kibutz Kinneret), onde o Jordão flui ao sul desde o Mar da Galileia. (Ao leste de Jericó se encontra o tradicional sítio batismal Qasr el Yahud - ver anotação). Na Alta Galileia, o rio Jordão é ideal para a prática de rafting (primavera) e caiaque (verão e outono). Rio Kishon - o rio no sopé do Monte Carmelo é mencionado no Cântico de Débora (Juízes 5:21) e também no verso “Elias levou-os até o rio Kishon” (1 Reis 18:40). Séforis (Zippori) - de acordo com uma tradição da igreja antiga foi a casa de Joaquim e Ana, e o local de nascimento de Maria, mãe de Jesus. Uma igreja das Cruzadas do século 12 (atualmente em ruínas) foi dedicada aos Santos Ana e Joaquim, tal como o moderno mosteiro franciscano das proximidades. Atualmente - as escavações no Parque Nacional Zippori acabaram revelando os vestígios do que foi uma cidade multicultural de grande porte (judaica, cristã e pagã), no meio da qual arqueólogos encontraram alguns dos mais magníficos mosaicos descobertos em Israel, incluindo o rosto de uma mulher do século III conhecida na atualidade como “a Mona Lisa da Galileia”. Tabgha - esse lugar é o tradicional local onde ocorreu o milagre dos pães e dos peixes (Mateus 14:14-21, Marcos 6:34-44), e de uma aparição pós- ressurreição de Jesus (descrita em João 21). Escavações arqueológicas de 1932 revelaram a estrutura de uma basílica bizantina do século V. Também foram descobertos mosaicos, incluindo cenários de pântanos, pássaros e plantas do Rio Nilo, uma pintura de um cesto com pães e dois peixes decorando o que teria sido o local do altar. Em 1982 a igreja foi reconstruída reproduzindo a arquitetura bizantina original. Atualmente - localizado no sopé do Monte das Bem- aventuranças, os visitantes do Tabgha podem ver a Igreja da Multiplicação dos Pães e Peixes, e a vizinha Igreja do Primado de São Pedro. Tel Hadar (no Mar da Galileia) - próximo a Tabgha, na costa ocidental do Mar da Galileia. Segundo a tradição cristã, foi aqui que Jesus alimentou 5.000 pessoas (Mateus 14:13:21). Em seguida, na margem oriental do lago, em uma colina chamada “Dodekathronon” (hoje conhecida como Tel Hadar), Jesus realizou o segundo milagre de alimentar as multidões - desta vez alimentando 4.000 pessoas (Mateus 15). Tel Hadar fica
  11. 11. 11 O Muro Tibérias Tiberías Vale Jezreel a poucos quilômetros ao sul de Betsaida, lar de vários discípulos de Jesus, e um pouco ao norte de Kursi, onde Jesus realizou a cura das pessoas possuídas por demônios. Tiberías - mencionada pela primeira vez no Novo Testamento, em João 6:23, a cidade foi construída em 20 d.C. por Herodes Antipas para exaltar Tibério César. Após a destruição de Jerusalém pelos romanos, Tiberías se tornou um centro de estudos judaicos, e desde o século XVI é considerada uma das quatro cidades sagradas do judaísmo (junto com Jerusalém, Hebron e Safed). Atualmente - Tiberías é a cidade mais importante no Mar da Galileia, a partir da qual navegam barcos turísticos a Cafarnaum e Ein Gev na costa oriental. Tiberías é visitada pela maioria dos visitantes cristãos rumo à Galileia. Muitos visitam as fontes termais de Tiberías e os mosaicos do século I em Hammat Tiberías. Vale Jezreel - um vale fértil frequentemente citado na Bíblia (Josué, Juízes, Samuel 1) e, mais tarde chamado como o Vale do Armagedon no Novo Testamento (Apocalipse 16:16). Atualmente - o vale, conhecido como “o celeiro de Israel”, é uma das mais belas regiões do país, repleta de fazendas, vilas e pastagens.
  12. 12. 65 77 75 75 60 754 77 807 767 65 768 98 92 90 90 90 87 65 65 79 90 8277 767 833 424 403 831 89 181 242 991 623845 292 663 375 792 265 734 244 774 793 7276 77 7926 700 7266 73 7955 60 Zalmon Prison Emeq Jezre'el Hammat Tiberias Spa ZIPPORIT KADURI VERED HAGALIL Shiqmim Bereniki Gai Marina Zinbari Shaldag Poriyya Zemah Amnun Poriyya Mt. Ohalo Yarden Kinneret Yardenit Domus Galilee DEIR HANNA JCT. ELABUN JCT. BET RIMMON JCT. 'ADASHIM JCT. KEFAR TAVOR JCT. ZEMAH JCT. Tir’an Mt. GAZIT JCT. NAZARETH JCT. TAVOR JCT. MAAGAR ZALMON JCT. NAHAL AMUD JCT. NAHAL ZALMON JCT. - NORTH NAHAL ZALMON JCT. - SOUTH KINNERET JCT. Amud Yavne’el Valley KAFR KAMA SHARONA UM EL GHANAM KEFAR TAVOR TEL 'ADASHIM 'EN DOR KEFAR KISCH KAFR MISR GIV’AT ELA 'ILLUT REINA SHIMSHIT ZIPPORI HOSHA’YA MASSHAD DABBURIYA JCT. SHADMOT DEVORA GINNEGAR BET RIMMON 'UZEIR RUMMANA RUMAT EL HAIB BU’EINA/ NUJEIDAT MIZPE NETOFA AVTALYON HARARIT/ YAHAD TEFAHOT EILABUN MASAD AMI’AD QADDARIM KAHAL YAVNE’EL PORIYYA (KFAR AVODA) ALUMMOT KINNERET KINNERET (MOSHAVA) PORIYYA (NEWE OVED) PORIYYA ‘ILLIT ALUMMOT JCT. DEGANYA B BET ZERA AFIQIM DEGANYA A MENAHAMYA SHA’AR HAGOLAN ASHDOD YA’AQOV (ME’UHAD) ASHDOD YA’AQOV (IHUD) MASSADA MA’AGAN HAON NETOFA JCT. Ye’ela Grove TEVERYA ILLIT Gihon (Gennesaret) Korazim AMIAD JNC. Adami Range KALANIT LIVNIM RAVID HAZORE’IM TEL QAZIR KARKOM ALMAGOR AMNUN KORAZIM AMI’AD HaDodot Bridge Arik Bridge KORAZIM JNC. Switzerland Forest SEMADAR BAYIT VAGAN MISHMAR HASHELOSHA HA’AKHSANYA JCT. Bet N e t o f a Va l l e y Kesulot Valley Amud Zalmon Zalmon Tavor Tunnel Savy ona Arbel Enot Zippori Yiftah'el Tavor Yavne'el National Water Carrier En Nun En Qadesh En Sharona En Harzit Harzit En Rekhesh Rekhesh En Huqok Arbel Yavne'el En Adami Adami Dabburya Qama Sharona Y a v n e ’e l M t. Yav ne’el EnHada Raqat Jordan Ein Amud Avtalyon Mt. Qoz Mt. Ravid Mt. Adami Mt. Avihu Mt. Zameret Mt. Yeda'ya Mt. HUQOK Monte das Bem-Aventuranças Tel Kinrot Tabgha Huqok Ilanot Tamar EinSheva (Tabgha) Ginosar GINOSAR Valede Genesaré SDE ILAN ILANIÁ ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO DE GOLANI Floresta de Lavi TUR’AN LAVI Vale de Turan Nebi Shueib (Local Sagrado Druso) KFAR ZITIM Giv'at Avni QUIDMAT HAGALIL Tel Govel 'EN MAHEL MIZPÁ KFAR CANÁ (CANÁ) HAMAM Hawai Dekel MAR DA GALILEIA (IAM HAKINERET) -214m. HUQOK IAFIA Monte do Precipício Floresta de Balfour BET KESHET ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO DE KFAR CHITIM TIBERÍADES (TIVÉRIA) Monte Nitai ARBEL Monte Jonas Floresta Churchil Floresta de Bet Keshet Monte Débora Reserva Alone Bet QueshetNAZARÉ ILIT NAZARÉ Monte Tabor ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO IKSAL Reserva Irus Nazarti DABURIÁMonte Kesulot Floresta de Nazaré ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO NAZARÉ NORTE Observatório Tabor Observatório Aloni Bet Keshet Entroncamento Rodoviário de Poriá Floresta Tir’an ESTRADAPAISAGÍSTICA BETKESHET ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO KFAR NAUM ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO DE MIGDAL Monte Arbel Barco Antigo Kfar Naum (Cafarnaum) Hawai HAMAM Magdala Rochedo Arbel KFAR CHITIM “Karnei Chitim” MIGDAL LAVI QUIDMAT HAGALIL IKSAL Tel Govel SHIBLI KFAR HA HORESH 12 A Trilha do Evangelho começa no Monte do Precipício, nos subúrbios da parte sul de Nazaré, e segue uma rota que leva através de montes de pedra calcária e vales férteis, passando por cidades antigas e vilas modernas, para o antigo sítio de Cafarnaum, nas margens do Lago Kineret (o Mar da Galileia). A rota incorpora trilhas e veredas estabelecidas, viajadas desde tempos antigos por pastores e fazendeiros, mercadores e peregrinos, exércitos, reis e profetas. Para o viajante moderno, é um passeio pela história e pela fé bíblica. O Monte Débora (chamado assim em nome da Profetiza Débora) e o próximo Monte Tabor, em formato de um monte de feno (ambos através do vale, a leste de Nazaré) lembram a derrota dos Canaanitas por Barak (Juízes, 5:2-31). O cume do Monte Tabor é identificado na tradição cristã como o local da “Transfiguração” (Marcos 9: 2-9). A partir do Kibutz Lavi, a Trilha do Evangelho segue a rota norte de uma antiga estrada romana, passando por pomares e campos cultivados antes de chegar ao platô rochoso do extinto vulcão Karnei Hattin (os “Chifres de Hattin”), onde em 1187 as forças muçulmanas de Salah-a-Din (Saladin) derrotaram os exércitos do Reino Cruzado. O templo druso de Nabi Shuaib, de acordo com a tradição o túmulo do profeta Jetro (sogro de Moisés) se encontra perto dali. Os despenhadeiros com 380 metros de altura do Monte Arbel, com vista para o Mar da Galileia são usados hoje em dia como base de salto por entusiastas de esportes radicais. As cavernas nos despenhadeiros foram usadas por defensores judeus em pelo menos três ocasiões, mencionadas em conjunto com a vida de Jesus: em 161 a.C por partidários dos Macabeus na sua revolta contra o helenístico Antíoco IV Epífanes (1 Macabeus 9:2); em 38 a. C por partidários de Antígona na sua revolta contra Herodes o Grande (Josefo, Antiguidade 14:423-6); e em 66 pelo próprio Josefo como um depósito de fornecimento na defesa da Galileia durante a Grande Revolta contra Roma (Josefo, Vida, 37). Ao largo das costas noroeste do Mar da Galileia há quatro sítios relacionados diretamente ao ministério de Jesus: Migdal/Magdala, um importante porto comercial e centro de pesca do Século I que foi identificado nos Evangelhos como o lar de Maria Madalena (Lucas 8:2); Tabgha, que de acordo com a tradição é o sítio da “Alimentação dos cinco mil” (Mateus14:14-21); O Monte das Bem-Aventuranças (Mateus 5-7); e Cafarnaum, a cidade de Jesus, “a sua cidade”. (Mateus 9:1). A Trilha do Evangelho é uma trilha cultural única que conecta os locais sagrados aos locais históricos da Galileia, associados à vida e ao ministério de Jesus em uma rota integrada que permite ao visitante e ao peregrino, caminhante e ciclista a oportunidade de desfrutar não só a natureza e a geografia da moderna Israel, mas a experiência da atual paisagem da narrativa do Evangelho seguindo a jornada de Jesus desde Nazaré, a cidade da Sua infância e juventude, a Cafarnaum, nas costas do Mar da Galileia, onde Ele iniciou o Seu ministério e chamou a Si os Seus Discípulos (Mateus 4:18;21). A Trilha do Evangelho De Nazaré a Cafarnaum
  13. 13. Central O Mediterrâneo a Planície de Sharon Judeia e Samaria
  14. 14. Ashkelon Parque Antiga Yearim Ashdod BelémA Estrela de Prata 14 Abu Ghosh - aqui na antiga Kiryat Ye’arim, a Arca da Aliança descansou por 20 anos antes de ser levada pelo rei Davi à Jerusalém (24 km ao leste). A Igreja de Notre Dame de l’Arche de l’Alliance (Nossa Senhora da Arca da Aliança) no topo da colina, construída em 1924 no local de uma igreja bizantina do século V, lembra o acontecimento. Situada na própria aldeia se encontra a atual Abadia Beneditina da Sta. Maria da Ressurreição. A igreja, construída em 1142, é uma das mais belas estruturas da época das Cruzadas em Israel. Os vestígios dos afrescos originais do século XII foram cuidadosamente restaurados e preservados. Atualmente - Abu Ghosh é uma próspera cidade árabe-israelense e um popular lugar de destino para os moradores de Jerusalém que são atraídos pelos seus restaurantes especializados na cozinha do Oriente Médio. Apresentações de corais e concertos clássicos acontecem regularmente nas igrejas da vila. Afeque (Antipátride) - onde os filisteus capturaram a Arca da Aliança (1 Samuel 4:1-11). Séculos mais tarde, o rei Herodes reconstruiu a cidade em homenagem ao seu pai, Antipátride. Paulo foi trazido aqui a caminho de Cesareia para ser julgado (Atos 23:31). Anatote - local de nascimento de Jeremias, o profeta (Jeremias 1:1). Esta cidade é conhecida atualmente como Anata. Ashdod - uma das cinco cidades dos filisteus. Filipe, o Evangelista, batizou um Etíope perto daqui (Atos 8:26-40). Atualmente - Ashdod é o segundo maior porto de Israel. Muitos navios de cruzeiro param neste local para realizar passeios de um dia em Jerusalém. Ashkelon - uma das cinco cidades dos filisteus. O rei Herodes decorou a cidade com fontes e casas de banho. Durante o período árabe, o desenvolvimento da cidade continuou, até ser destruída pelos mamelucos em 1270. Atualmente - A moderna cidade resort mediterrânea de Ashkelon é conhecida pelos seus parques e tesouros arqueológicos, incluindo os vestígios de duas igrejas bizantinas. Belém* - traduzida como “Casa do Pão” (em hebraico) ou “Casa da Carne” (em árabe). Foi o lugar onde nasceu o rei David e o local da sua unção por Samuel (1 Samuel 16:1-13). É também o lugar de nascimento de Jesus de Nazaré (Mateus 2:1, Lucas 2:4-7). Logo ao sul de Belém se encontram as Piscinas de Salomão, que têm fornecido água a Jerusalém por três milênios (Cântico dos Cânticos 4:12). Atualmente - Uma visita a Belém deve incluir a Basílica da Natividade, a Capela da Gruta de Leite, e o Campo dos Pastores (na vizinha Bet Sahur). Betel - significa a “Casa de Deus”; é o local onde Jacó sonhou com a escada que chegava ao céu (Gênesis O Mediterrâneo, a Planície de Sharon, Judeia e Samaria Parte Central
  15. 15. Cesareia - Teatro Monte da Tentação Porto de Jaffa 15 28:19). Betel é mencionada várias vezes na Bíblia como um lugar onde a Arca da Aliança repousou em vários momentos (Gênesis 31:13; Juízes 21:19; 1 Reis 13:11; 2 Reis 2:2). Bet Sahur* - esta aldeia entre Jerusalém e Belém é o tradicional local chamado de Campos dos Pastores da história da Natividade (Lucas 2:8-20). Caverna de João Batista (perto de Kibutz Tzuba, a oeste de Jerusalém) - uma caverna (e o que já foi um dia uma nascente) a “selva de São João” que pode ter sido associada ao próprio João Batista, conforme sugerido pela descoberta de desenhos hagiográficos em grafite nas paredes, e prova de que durante um tempo a caverna serviu como uma cisterna e local de batismo. Cesareia - fundada por Herodes, o Grande, em 22 a.C., no local de uma cidade mais antiga. Um importante porto no Mediterrâneo, a cidade serviu como capital administrativa romana e residência do chefe da prefeitura romana (uma inscrição encontrada no local do palácio leva o nome de Pôncio Pilatos). O apóstolo Paulo foi preso aqui (Atos 23-26), e aqui ele batizou o centurião Cornélio (Atos 10). Até o século IV Cesareia com a sua grande biblioteca foi um importante centro de erudição cristã, e a diocese do bispo Eusébio de Cesareia, que é conhecido como o “Pai da História da Igreja”. Na época das Cruzadas a cidade foi reconstruída e fortificada em proporção menor. Atualmente - A Cesareia é conhecida como um local arqueológico que preserva vários elementos arquitetônicos da época herodiana, romana, bizantina, e das cruzadas. Estes incluem um teatro, palácio e anfiteatro herodianos; templos, armazéns e aqueduto romanos, uma parte do Cardo Bizantino; bem como ruínas de igrejas bizantinas e da época das cruzadas. Alguns destes elementos antigos se encontram dentro das paredes e fosso da cidade da época das Cruzadas que então era muito menor. A zona litorânea do antigo Porto Exterior faz parte do parque arqueológico subaquático da Cesareia Marítima. Ecrom - uma das cinco cidades dos filisteus. A Arca da Aliança foi colocada em uma carroça e levada para Bet Shemesh (1 Samuel 6:16). A Estalagem do Bom Samaritano - Localizada na rodovia principal entre Jerusalém e Jericó, o Museu fica perto do que se acredita ter sido o local da pousada mencionada na parábola do Bom Samaritano (Lucas 10). O local é identificado com a cidade bíblica de Maale Adumim e o museu exibe mosaicos e artefatos descobertos no local e em outros lugares. Gezer - esta cidade foi destruída pelo Faraó e dada como presente de casamento para a sua filha, a mulher de Salomão. Salomão reconstruiu Gezer (1 Reis 9:16-17). Jaffa (Jope) - segundo a tradição que acredita que esta cidade foi fundada por Jafé, filho de Noé, Jaffa é uma das mais antigas cidades de Israel. Cedros do Líbano enviados pelo rei Hiram de Tiro, e destinados ao Templo de Salomão foram descarregados em Jaffa (2 Crônicas 2:16), e Jonas embarcou desde essa cidade rumo à Társis (Jonas 1:3-17). Pedro esteve nesta cidade, na casa de Simão, o Curtidor, onde teve a visão do puro e do impuro (At 10:9-15), e onde trouxe Tabita de volta à vida (Atos 9:36-42). Atualmente - Jaffa faz parte da metrópole de Tel Aviv- Jaffa, centro da maior área urbana de Israel, lar de cerca de três milhões de israelenses. Em Jaffa, visite a Igreja de São Pedro, a Casa de Simão, o Curtidor, e as descobertas arqueológicas na Praça Kedumim. Jericó* - esta cidade disputa com Damasco o título de “cidade mais antiga do planeta”. Foi a primeira cidade conquistada pelos Israelitas que regressaram a Israel sob o comando de Josué. Foi também importante para os profetas Elias e Eliseu (2 Reis 2). Atualmente - Visite a Igreja de São Eliseu na própria
  16. 16. Torre de Ramleh Wadi Qelt Yavne 16 Jericó; e o Mosteiro Greco-Ortodoxo da Tentação que repousa sobre os penhascos do Monte Quarantania (Jebel Quruntul). Ramleh - a Igreja Católica de Ramleh é dedicada a José de Arimateia e Nicodemos, que providenciaram o enterro de Jesus após a crucificação (João 19: 38-42). Atualmente - Visite o Hospício de Nicodemos, a Torre de Ramleh do século 14, a Mesquita Branca, e o Tanque de Sta. Helena. Sarom (Planície e Vale de) – trata-se do vale fértil e das pastagens muitas vezes mencionados na Bíblia (1 Crônicas 5:16, 27:29, Isaías 33:9, 35:2, 65:10). Atualmente - o trajeto de Tel Aviv e do Aeroporto Internacional de Ben Gurion a Jerusalém passa pela planície de Sharon e pelo Vale de Ayalon, onde Josué ordenou ao sol que ficasse parado (Josué 10:12-13). Siló - uma antiga cidade ao norte de Jerusalém no Monte Samaria, entre Ramallah e Nablus, Siló foi por algum tempo o centro religioso e capital temporária de Israel (Josué 18:1). Aqui, a Tenda do Tabernáculo foi erguida para consagrar a Arca da Aliança. No tempo dos Juízes, foi a casa de Eli, o sumo-sacerdote. Siquém* - atual Nablus (o nome tem suas origens no nome romano Flavia Neapolis), o local da Tumba de José. Abraão passou por Siquém vindo de Ur (Gênesis 12:6); Jacó comprou um “lote de terra” no Poço de Jacó (Gênesis 33:19); Josué renovou a aliança com Deus (Josué 24); os samaritanos têm suas origens neste local (2 Reis 17:24-41); e Jesus falou com a mulher samaritana no Poço de Jacó (João 4:7-11). Atualmente - visite as muralhas da cidade de Canaã e o local do Templo El Berith (onde Josué renovou a aliança); o Poço de Jacó, a Igreja das Cruzadas (a atual Mesquita An-Nasr); e o túmulo de José. Wadi Qelt (em hebraico: Nahal Prat) - um cânion estreito e profundo que se estende de oeste a leste desde as proximidades de Jerusalém até as planícies de Jericó (a antiga estrada romana em direção a Jericó percorre a borda sul). Três nascentes quase constantes fazem parte da Reserva Natural En Prat (En Fara). O Mosteiro Greco-Ortodoxo de São Jorge de Koziba situado ao lado de um penhasco em um vale data do século VI. Yavne - uma pequena cidade comercial perto da costa na rodovia Via Maris, Yavne se tornou um centro de estudos judaicos quando Rabban Yochanan Ben Zakai transferiu o Sanhedrin para esta localidade depois da destruição de Jerusalém pelos romanos em 70 d.C. Alguns estudiosos acreditam que o Conselho de Yavne se encontrou nesta localidade para finalizar o cânon da Bíblia hebraica.
  17. 17. Jerusalém
  18. 18. Jerusalém 18 Ponto Principal do judaísmo e do cristianismo, também considerado sagrado pelo Islã. Conquistada pelo Rei Davi e proclamada capital deƒƒ Israel em cerca de 1000 a.C. Local do Primeiro Templo, construído por Salomãoƒƒ em 950 a.C. e destruída por Nabucodonosor II em 587 a.C., depois novamente reconstruída por Neemias em 445 a.C. Cerca de 40 anos antes do nascimento de Jesus,ƒƒ Herodes expandiu e ornamentou o Segundo Templo. Como escrito no Novo Testamento, o ministério deƒƒ Jesus em Jerusalém foi marcado por milagres em Betesda e Betânia; conflitos com os fariseus; a entrada triunfal na cidade no que se tornou conhecido como Domingo de Ramos; a “Última Ceia” (Seder de Páscoa) no Monte Sião; a noite no Jardim de Guetsêmani; a prisão e o julgamento perante a Pilates; o Caminho da Cruz (Via Dolorosa ao Calvário (Golgotá). O Segundo Templo foi destruído pelos romanosƒƒ no ano 70 d.C. O único remanescente do Templo depois da destruição romana foi o muro de arrimo da plataforma do Monte do Templo. Nos séculos subsequentes a porção ocidental se tornou o foco da peregrinação e lamentação judaica. Hoje em dia, considerado o relicário mais sagrado do judaísmo, é conhecido apenas como “O Muro Ocidental.” Em 135, depois da revolta de Bar Kochba, osƒƒ romanos destruíram o que sobrou de Jerusalém e renomearam a cidade Aelia Capitolina. Em 362 Helena de Constantinopla, mãe doƒƒ Imperador Constantino visitou Jerusalém; identificou lugares associados à vida de Jesus e ordenou a construção de igrejas como a Igreja do Santo Sepulcro. Jerusalém foi conquistada em 638 pelosƒƒ muçulmanos que construíram a Cúpula da Rocha sobre o sítio do Templo. Jerusalém foi atacada pelos cruzados em 1099,ƒƒ reclamada por Saladino em 1187 e depois caiu sobre o governo dos mamelucos e após, dos turcos otomanos. As muralhas da atual Cidade Velha foramƒƒ construídas pelo Sultão Suleiman, o Magnífico no século XVI. Jerusalém foi ocupada pelos britânicos e pelasƒƒ Forças aliadas em dezembro de 1917. O Estado de Israel foi estabelecido em 14 de maioƒƒ de 1948 e Jerusalém foi declarada a capital no ano seguinte.ƒƒ Por 19 anos Jerusalém foi dividida entre Israel eƒƒ Jordânia, com judeus e israelenses de todas as fés proibidos de visitar os seus sítios sagrados na parte oriental da cidade. Jerusalém foi reunificada em 1967 e rededicadaƒƒ como a capital eterna do povo judeu, com liberdade de acesso e culto para membros de várias religiões. Jerusalém
  19. 19. 25 Cardo Betfagé Monte do Templo Jerusalém - Referências Bíblicas Melquisedeque, rei de Salem (Gênesis 14:18).ƒƒ Na fronteira norte da tribo de Judá (Jebuseus)ƒƒ (Josué 15:8). A vitória de David (2 Samuel 5:1-12).ƒƒ Capital religiosa e política do Reino de Israelƒƒ (2 Samuel 6:1-23; 1 Reis 3:1). Jerusalém Salmos: 48, 84, 87, 120 a 134.ƒƒ Destruição de Jerusalém por Nabucodonosor II emƒƒ 587 a.C. (2 Reis 25). A reconstrução dos muros de Jerusalém porƒƒ Neemias (Neemias 3). A Cidade Santa (Neemias 11:1).ƒƒ Local de encontro das nações (Isaías 2:1-5, 60).ƒƒ Visão da Nova Jerusalém (Isaías 54:11-17;ƒƒ 62:6-12). A Cidade Santa, a Nova Jerusalém no final dosƒƒ tempos (Apocalipse 21:2). Jerusalém - A Cidade Santa dos cristãos O Novo Testamento nos conta a história das frequentes visitas de Jesus a Jerusalém, incluindo a fatídica última semana que se iniciou com a triunfal entrada da qual hoje chamamos Domingo de Ramos, a Crucificação da Sexta-Feira Santa e a Ressurreição, as quais atualmente chamamos de Páscoa e Domingo da Ressurreição. Foi aqui em Jerusalém, no Monte Sião, que Jesus e os discípulos realizaram a Refeição da Páscoa Judaica (a Última Ceia). Aqui em Getsêmani, aos pés do Monte das Oliveiras, Jesus passou a noite antes de ser preso pelos romanos. Jesus foi julgado em Jerusalém por Pôncio Pilatos e condenado a morrer na cruz, a forma padrão de execução romana. Aqui, Jesus foi crucificado e sepultado às pressas, antes do início do Sabá (dia de descanso). Quando as mulheres voltaram ao sepulcro depois do Sabá (Mateus 28:1, Marcos 16:1, Lucas 24:1-10), descobriram que ele estava vazio; e foi 40 dias mais tarde, do alto do Monte das Oliveiras, onde acredita-se que Jesus subiu ao céu (como narrado em Marcos 16:19, Lucas 24:51 e Atos 1). Além dos locais relacionados à vida de Jesus, em Jerusalém também existem locais sagrados relacionados à vida de Maria e de outros membros da Igreja antiga. Jerusalém: Betfagé Onde Jesus amaldiçoou a figueira que não davaƒƒ frutos (Mc 11:12-15) - o nome “Betfagé” vem do aramaico e significa “lugar de figos verdes”. Tradicional ponto de partida da triunfal procissão deƒƒ Jesus em Jerusalém (Mateus 21:1-5, Marcos 11:1-11 e Lucas 19:28-36). Atualmente - a Igreja Católica Romana de Betfagé (construída em 1883 sobre os alicerces de uma antiga capela da época das Cruzadas) possui a “Estela de Betfagé” do século XII - uma grande pedra quadrada decorada com afrescos que retratam a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, e a ascensão de Lázaro). Perto dali (justamente na colina) fica a Igreja Greco- Ortodoxa de Betfagé, construída em 1965 em estilo Bizantino clássico. Jerusalém: Monte Moriá (Monte do Templo) Abraão preparou o sacrifício de Isaqueƒƒ (Gênesis 22). David desejou construir uma casa para Deusƒƒ (2 Samuel 7:1-17). Construção do Templo de Salomão (1 Reis 5, 6).ƒƒ Dedicação do Templo (1 Reis 8).ƒƒ Visão do profeta Isaías no Templo (Isaías 6).ƒƒ
  20. 20. 26 Jerusalém - Cidade Antiga Monte Sião Getsêmani “Este é o Templo do Eterno” (Jeremias 7:4).ƒƒ Descoberta do Livro da Lei no Templo (2 Reis 22).ƒƒ Destruição do Templo por Nabucodonosorƒƒ (2 Reis 25). Visão do futuro Templo (Ezequiel 40, 44).ƒƒ Reconstrução e dedicação do Temploƒƒ (Esdras 4, 6). Nascimento de João Batista profetizado a Zacariasƒƒ (Lucas 1:5-25). Apresentação de Jesus no Templo (Lucas 2:22-38).ƒƒ Jesus surpreende os rabinos no Temploƒƒ (Lucas 2: 41-47). Pináculo do Templo - a tentação de Jesusƒƒ (Lucas 4:9-12). Jesus no Templo e a expulsão dos cambistasƒƒ (Mateus 21:12-17). Jesus prega (João 7:14-53).ƒƒ Atualmente - visite o Muro das Lamentações; o Templo do Monte com o Domo da Rocha; e os túneis do Muro Ocidental. Jerusalém: O Monte das Oliveiras David deixou Jerusalém tentando fugir de Absalãoƒƒ (2 Samuel 15:30-32) Salomão construiu um palácio na colina perto deƒƒ Jerusalém (1 Reis 11:7-8). A Glória do Senhor que se apresentou sobre aƒƒ montanha fica na zona leste da cidade (Ezequiel 11:23). Jesus entrou em Jerusalém (Mateus 21:1-11).ƒƒ O sofrimento de Jesus no Getsêmani (Mateusƒƒ 26:30-56). “Jesus foi para o Monte das Oliveiras, e seusƒƒ discípulos o seguiram ...” (Lucas 22:39). A ascensão de Jesus (Lucas 24; Atos 1).ƒƒ Atualmente - Contemple a vista de Jerusalém do topo: a Igreja de Todas as Nações (Basílica da Agonia), o Jardim do Getsêmani, a Igreja de Maria Madalena, o Túmulo da Virgem Maria, a Igreja Pater Noster, a Igreja de Dominus Flevit ((em latim: O Senhor chorou), e o Cemitério Judaico mais sagrado do mundo. Jerusalém: Monte Sião Túmulo do Rei Davidƒƒ A Última Ceia (Mateus 26:17-30; 22:7-38)ƒƒ Pentecostes (Atos 2:1-4)ƒƒ
  21. 21. 27 A Via Dolorosa As negações de Pedro (Marcos 14, João 18).ƒƒ Atualmente - Visite o túmulo do Rei David; o Cenáculo (o Local da Última Ceia); a Cripta da Dormição da Abadia de Hagia Maria Sion (Católica Romana, Beneditina), construída no local onde acredita-se que Maria, mãe de Jesus tenha caído em sono eterno; e o túmulo de Oscar Schindler, no cemitério católico das proximidades. Jerusalém: A Via Dolorosa (Via Sacra) Um percurso religioso de 1,6 km através da Cidade Velha de Jerusalém, que percorre desde o local da Fortaleza Antônia até Gólgota (Calvário), o lugar da crucificação. A Via Dolorosa (Via Sacra) é marcada por 14 estações. O local tradicional do Gólgota, o Calvário, é a Igreja do Santo Sepulcro. Algumas denominações cristãs consideram o Jardim da Tumba, fora das atuais muralhas da Cidade Velha, o verdadeiro local do Gólgota-Calvário (Mateus 27, Marcos 15, Lucas 23, João 19). 1ª Estação - Fortaleza Antônia: Pilatos condena Jesus. 2ª Estação - A Capela da Condenação (Lithostrotos): Jesus toma a cruz. 3ª Estação - Jesus cai sob a cruz pela primeira vez. 4ª Estação - Jesus encontra sua mãe. 5ª Estação - Simão de Cirene ajuda Jesus a carregar a cruz. 6ª Estação - Uma mulher de Jerusalém limpa o rosto de Jesus, e o pano fica com a imagem do seu rosto. Vera Icon em grego significa “imagem verdadeira”, desta forma a mulher se tornou conhecida como ”Verônica“. 7ª Estação - Jesus cai pela segunda vez. 8ª Estação - Jesus consola as mulheres de Jerusalém. 9ª Estação - Jesus cai pela terceira vez. 10ª Estação - Jesus é despojado de suas vestes. 11ª Estação - Jesus é pregado na cruz. 12ª Estação - Jesus morre na cruz. 13ª Estação - o corpo de Jesus é retirado da cruz e lavado (a Pedra da Unção). 14ª Estação - o corpo de Jesus é colocado no túmulo de José de Arimateia. (Observação: as últimas cinco estações ficam dentro da Igreja do Santo Sepulcro.)
  22. 22. 28 Igreja do Santo Sepulcro Cidade de David Atualmente - Locais da Cidade Velha associados com a vida e os tempos de Jesus Igreja de Santa Ana (católica romana), no local doƒƒ Tanque de Betesda, onde Jesus curou o paralítico (João 5:1-18). A própria igreja (construída em 1138) é associada com o nascimento de Ana, a mãe de Maria. As Estações da Via Sacra ao longo da Viaƒƒ Dolorosa. O Convento das Irmãs de Sião (católico romanoƒƒ possui uma parte do Arco “Ecce Homo”; os Litóstrotos, uma extensa área de pavimentação romana, e as Piscinas Gêmeas construídas por Herodes, o Grande (ou ainda mais cedo pelos Hasmoneus) como parte de um sistema de abastecimento de água para o Monte do Templo. Outros locais de interesse de Jerusalém divididos por bairro. Bairro Armênio da Cidade Velha: Catedral Armênia Ortodoxa de São Tiago (partesƒƒ do tecido datam pelo menos do século V e inclui a Capela de São Menas). Mosteiro Armênio Ortodoxoƒƒ Igreja Siríaca Ortodoxa de São Marcos (existe umaƒƒ igreja neste local desde o século IV). Igreja de Cristo (Anglicana), primeiramenteƒƒ “protestante”. Torre de David - Museu da História de Jerusalém.ƒƒ Bairro Cristão da Cidade Velha Mosteiro e Patriarcado Greco-Ortodoxo.ƒƒ Patriarcado católico romano e Igreja de Sãoƒƒ Salvador (Franciscana). Igreja de São João Batista (greco-ortodoxa).ƒƒ Igreja Luterana do Redentor.ƒƒ Bairro Judeu da Cidade Velha: As Mansões de Herodes.ƒƒ Maquete do Primeiro Templo, Centro Rachelƒƒ Ben Zvi. A Parede Sul.ƒƒ Jardim Arqueológico de Ofel.ƒƒ O Parque Arqueológico de Jerusalém e o Davidsonƒƒ Center. Bairro Muçulmano da Cidade Velha A Igreja medieval restaurada de Santa Anne, logoƒƒ no interior do Portão Lions (de São Estevão). Os bazares e mercados medievais.ƒƒ Logo no exterior das muralhas da Cidade Velha Os Degraus do Peregrino que conduzem aosƒƒ
  23. 23. 29 Complexo Russo O Vale do Mosteiro da Cruz Yad Vashem Ein Karem Portões Hulda. A Igreja de São Pedro em Gallicantu.ƒƒ A Cidade de David.ƒƒ Tanque de Siloé, onde Jesus curou o homem cegoƒƒ de nascença (João 9). Túnel de Ezequias (Isaías 8:6).ƒƒ O Túmulo do Jardim (em frente ao Portãoƒƒ Damascus). Cidade Nova O Museu de Israel com o Santuário do Livroƒƒ (Pergaminhos do Mar Morto) e a Maquete em grande escala da Terra Santa de Jerusalém na época de Jesus. O Complexo Russo e a Catedral da Santíssimaƒƒ Trindade. O Mosteiro da Cruz (greco-ortodoxo), por tradição,ƒƒ o lugar onde cresceu a árvore da qual a cruz foi feita. Mosteiro de São Simeão Katamonas (grecoƒƒ ortodoxo). O Museu de Arqueologia Bíblica.ƒƒ Yad Vashem, memorial nacional de Israel aosƒƒ mártires e heróis do Holocausto. Mosteiro Mar Elias (greco-ortodoxo), por tradição,ƒƒ um lugar onde Elias descansou da sua viagem de Jezabel (1 Reis 19, 2). Ein Karem Igreja de São João Batista (católica romanaƒƒ consagra uma caverna que acredita-se ter sido a casa de Zacarias e Isabel (Lucas 1:5-25). Igreja da Visitação (católica romana), onde porƒƒ tradição Maria recitou o Magnificat durante uma visita à sua prima Isabel (Lucas 1:46-55). Mosteiro Russo Ortodoxo Gorny (Lucas 1:39-56).ƒƒ Igreja e Convento das Irmãs de Sião (católicaƒƒ romana). Mosteiro de São João Batista no deserto, construído ƒƒ perto de uma caverna onde se acredita que ele tenha vivido na solidão e penitência (Lucas 1:80). Locais perto de Jerusalém Betâniaƒƒ (*atualmente al-Eizariya) - casa de Maria, Marta e Lázaro, a quem Jesus ressuscitou do sepulcro (João 11:1-44). A Estalagem do Bom Samaritano - um caravançarai (abrigo de caravanas)otomano do século XVI localizado na estrada principal entre Jerusalém e o Mar Morto. O museu exibe mosaicos antigos vindos dos arredores e outras partes do país. A identificação da estalagem com o Bom Samaritano é uma tradição mais recente, mas a vizinha Igreja de São Eutímio (agora em ruínas) foi construída no século V, para comemorar a parábola (Lucas 10:25-37). Túmulo de Raquel - pelo menos desde o século IV, reverenciado como o local do sepultamento da amada esposa de Jacó, Raquel, que morreu ao dar à luz a Benjamin (Gênesis 35:19:20). É considerado o terceiro local mais sagrado pelo judaísmo.
  24. 24. Sul O Mar Morto O Deserto de Negev No Mar Vermelho
  25. 25. 31 O Poço de Abraham Colina Beersheba Eilat O Mar Morto Arad - local de uma antiga tel (colina) ao norte de Neguev. Contém restos do período cananeu primitivo (Números 21:1; Josué 12:14). A cidadela foi construída na época do Rei David e Salomão. Um santuário no interior da fortaleza (datado da época dos Reinos divididos) contém dois altares de incenso e duas pedras de pé. Atualmente - veja os vários elementos arquitetônicos (edifícios e muros) de diversos períodos; e visite a vizinha cidade moderna, conhecida pelo seu ar seco e curativo. Berseba - Esta é uma cidade fronteiriça do sul, do período bíblico que trata do assentamento em Israel, chamado de Be’er Sheva (nome dado em referência ao número “sete” ou ao “juramento” que Avraham fez com Abimeleque, conforme explicado em Gênesis 21:31 e 26:33). Atualmente - Berseba é lar para um quarto de um milhão de israelenses e é considerada a capital de Neguev. Visite a Universidade Ben Gurion de Negev e na quinta-feira o Mercado Beduíno. Ao sul, Kibutz Sde Boker foi a casa de repouso de David Ben Gurion, primeiro-ministro de Israel (que está enterrado nas terras do vizinho centro educacional, com vista para o impressionante cânion Nahal Zin). O deserto de Negev - parte da paisagem árida descrita nas andanças dos Filhos de Israel; inclui o Deserto de Zim e a impressionante Cratera de Ramon. Eilat - localizado no local do bíblico “Eziom-Geber” ou perto dali, onde os filhos de Israel acamparam junto ao Golfo de Eilat, após o Êxodo do Egito (Números 33, 36), e a partir do qual os navios de Salomão navegaram rumo à Ofir (1 Reis 9:26). Sua importância continuou sob sucessivos controles dos nabateus, romanos, árabes e cavaleiros das cruzadas. Atualmente - o moderno porto e balneário de Eilat é visitado por milhares de turistas e israelenses todo ano. Logo ao norte fica o Parque Timna Valley, local dos Pilares do Rei Salomão e as antigas minas de cobre das quais a pedra verde Eilat associado à Malaquita foi extraída. Ein Gedi - Davi se escondeu aqui, quando perseguido por Saul (1 Samuel 24). O oásis e seus vinhedos foram mencionados no Cântico de Salomão (1:14). O Mar Morto (o Mar de Sal) - lugar mais baixo da Terra localizado a 423 metros (1.388 pés) abaixo do nível do mar. É um dos mais salgados corpos de água da Terra com oito vezes mais sal do que o oceano. Acredita-se que Sodoma e Gomorra ficavam na região do Mar Morto.
  26. 26. 32 Qumran Massada Massada Atualmente - Os visitantes poderão se divertir flutuando no Mar Morto, e também apreciando um dos seus muitos spas. Massada - magnífico palácio de Herodes e fortaleza construída no alto de um planalto isolado, na margem ocidental do Mar Morto. Foi o local da última resistência judaica contra os romanos em 73 d.C., e do suicídio em massa de seus 960 defensores. Em 2001 foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Atualmente - Nenhuma visita a Israel está completa sem visitar Massada, acessível a pé ou de teleférico. Nahal Hever - cartas e fragmentos de rolos de pergaminho encontrados aqui na “Caverna das Cartas” descrevem os acontecimentos durante a Terceira Revolta Judaica contra os romanos, liderados por Bar Kochba (132-136 d.C.). Parque Nacional Qumran - local de um antigo assentamento do século I a.C. na costa noroeste do Mar Morto, que acredita-se ter sido uma comunidade de essênios que escreveram os Manuscritos do Mar Morto, descobertos depois de 2.000 anos em 1947, escondidos em cavernas próximas. (A maioria dos pergaminhos e fragmentos são mantidos no Santuário do Livro e no Museu Rockefeller; o Pergaminho de Cobre se encontra no Museu Arqueológico da Jordânia em Amã). Atualmente - Quem vier visitar o Qumran talvez queira aproveitar para explorar as escavações. Também pode visitar o vizinho Kibutz Almog, onde se encontra o Museu dos Pergaminhos. Qasr el Yahud - local tradicional do batismo de Jesus por João Batista (Mateus, 3:13-17), localizado no Rio Jordão a 10 quilômetros ao norte do Mar Morto. O local
  27. 27. 33 Parque Timna Nahal Hever Parque Timna apresenta modernas capelas pertencentes às Igrejas Católica Romana, Ortodoxa e Copta; há também ruínas de santuários bizantinos e das cruzadas. O local fica aberto diariamente para visitas. O local também tem significado para a tradição judaica, pois acredita-se ser o lugar onde os Filhos de Israel atravessaram o Jordão, quando entraram em Canaã.  
  28. 28. Nazareté - Basílica da Anunciação 34 Tel Aviv Dia 1 Chegada ao belo Aeroporto Ben Gurion próximo a Tel Aviv. Visita à Reserva de Paisagens Bíblicas Neot Kedumim para uma refeição bíblica e um passeio pelo local. Ou talvez, uma visita à Mini Israel e um passeio pelas miniaturas dos locais sagrados (qualquer uma das atividades pode servir como ponto final da excursão). Volta de ônibus ao hotel em Tel Aviv ou Netanya, localizados no Mar Mediterrâneo. Dia 2 A viagem começa em Jaffa (Jope bíblico), antigo porto do qual o profeta Jonas fugiu de Deus (Jonas 1:3) e a cidade onde Pedro ficou com Simão, o Curtidor, e ressuscitou Tabita (Atos 9:36-43). Em seguida, o passeio continua rumo ao norte ao longo da costa do Mediterrâneo à Cesareia, a grande cidade portuária romana e uma das maiores escavações arqueológicas em Israel. Este é o lugar onde o centurião romano Cornélio foi batizado por Pedro e se tornou o primeiro gentio a se converter ao cristianismo (Atos 10) e onde Paulo foi julgado por Festo (Atos 25:6-12). Continuação do passeio à Mukhraka, no Monte Carmelo, onde Elias enfrentou os profetas de Baal (1 Reis 18:15-40), em seguida a Megido (1 Reis 9:15), onde se encontra uma fascinante Tel (colina) que abrange 26 civilizações antigas sobrepostas em camadas, com vista para o Vale de Jezreel, também conhecido como o Vale do Armagedon (Apocalipse 16:16). Depois, passeio pelo vale de Nazaré, onde Jesus passou a sua infância. Visita à Basílica da Anunciação e ao Poço de Maria. Em seguida, viagem a Caná, onde Jesus realizou o seu primeiro milagre, transformando a água em vinho (João 2:1-11). Os casais que queiram renovar seus votos de casamento podem fazê-lo na capela. E finalmente, rumo à Tiberíades. Pernoite em Tiberíades. Dia 3 Este dia começa com uma visita aos locais bíblicos ao redor do Mar da Galileia: o Monte das Bem- Aventuranças, onde Jesus pregou o Sermão da Montanha (Mateus 5:1-12); Cafarnaum, a cidade onde Jesus viveu durante o seu ministério da Galileia (Mateus 4 : 13); Tabgha, onde Jesus multiplicou os pães e peixes (Lucas 9:10-17); e a capela que celebra onde Jesus instruiu Pedro a “apascentar as minhas ovelhas” (João 21:15-17). Parada em Nof Ginnosar para ver o “Barco de Jesus” de dois mil anos de idade. Depois, desfrutar de um passeio de barco no Mar da Galileia e um tradicional almoço com peixes de São Pedro. Depois do almoço, apresentação audiovisual da “Experiência da Galileia”. Em seguida, se o tempo permitir, visita à Alta Galileia e às Colinas de Golã, onde é possível ver as antigas cidades de Cesareia de Filipe e Hazor antes de retornar ao hotel em Tiberíades ou parar em Yardenit para um ritual de batismo no rio Jordão. Pernoite em Tiberíades. Dia 4 Hoje a viagem segue até o Vale do Rio Jordão desde o Mar da Galileia até o Mar Morto. A primeira parada acontece na fortaleza das Cruzadas de Belvoir com vista para o Vale do Rio Jordão. Em seguida, o passeio continua até Beit She’an (1 Samuel 31:10), a maior e mais espetacular escavação arqueológica Passeando com a Bíblia em mãos Sugestão de itinerário de 7 dias
  29. 29. 35 Jerusalém Jerusalém Cratera Ramon de toda Israel. Em seguida, o passeio segue rumo ao sul através do Vale do Jordão até Jericó*, a mais antiga cidade do mundo conquistada por Josué (Josué 6:20). Em seguida, rumo ao Mar Morto, passando pelo deserto de Judá, até o hotel em Ein Bokek, perto do Mar Morto. Pernoite em Ein Bokek. Dia 5 Hoje a viagem começa com uma visita a Massada, onde é possível subir a montanha de teleférico para ver a fortaleza de Herodes no deserto. O passeio continua pelo belo oásis de Ein Gedi, onde David se escondeu do Rei Saul (1 Samuel 24). Parada para uma rápida flutuação no Mar Morto. Em seguida, o passeio segue a Qumran, a casa da seita do século I conhecida como os essênios, autores dos Manuscritos do Mar Morto. Regresso à Jericó*, através do teleférico de Jericó à Qarantal (o Monte da Tentação, Mateus 4:1-11) e ao mosteiro. E finalmente, sair de Jericó* até Jerusalém, uma subida de 1.200 metros em 20 quilômetros, parando na Pousada do Bom Samaritano ao longo do caminho (Lucas 10:25-37). Parada no alto do Monte Scopus para ter a primeira vista da “Cidade Dourada”, à medida que o sol se põe sobre Jerusalém. Pernoite em Jerusalém. Dia 6 Hoje o passeio se inicia explorando Jerusalém. O passeio começa com uma volta ao redor das muralhas da cidade velha e observando cada um dos portões da cidade. Cada um é rico em história e significado. Viagem de ônibus até o topo do Monte das Oliveiras e contemplação de toda a cidade de Jerusalém. Em seguida, descida da Estrada do Domingo de Ramos até o Jardim de Getsêmani (Mateus 26:36), fazendo uma parada em Dominus Flevit, onde Jesus parou e chorou sobre Jerusalém (Lucas 19:41-44). Visita às antigas oliveiras no Jardim do Getsêmani e visite à bela Igreja de Todas as Nações. Em seguida, o ônibus subirá o monte Sião, onde se fará uma visita ao túmulo de David e ao Cenáculo (Marcos 14:12-26, Atos 1:13). Entrada na Cidade Velha através do Portão de Sion, passeio no Bairro Judeu e visita ao Cardo e ao Muro de Ezequias, e a primeira vista do Muro das Lamentações. Em seguida, deixando a Cidade Velha por um dia, uma curta viagem levará ao Museu de Israel e ao Santuário do Livro, onde os Manuscritos do Mar Morto são mantidos; em seguida, rumo a Knesset para visitar a belo Menorah (candelabro de 7 braços). Continuação do passeio à Yad Vashem, local do memorial do Holocausto. Por fim, parada na Maquete de Jerusalém da época do Segundo Templo, antes de retornar ao hotel para passar a noite. Pernoite em Jerusalém. Dia 7 O dia começa com uma visita à Basílica de Natividade, e à Praça da Manjedoura (Lucas 2:1-7) em Belém*, bem como os Pastores do Campo* na vizinha Beit Sahour*. Depois, regresso à Cidade Velha através do Portão do Monturo, onde é possível explorar as Escavações do Templo do Sul e do Muro das Lamentações. Visita ao Túnel Rabínico, que leva ao subterrâneo na base do Monte do Templo, e as verdadeiras ruas por onde Jesus e seus discípulos caminharam. Subida ao Monte do Templo e visita ao Domo da Rocha. Continuação com um passeio a pé pela Cidade Velha, que inclui a Via Dolorosa, os Tanques de Betesda (João 5:1-14), a Capela de Sta. Ana, os Litóstrotos, o Arco Ecce Homo, a Igreja do Santo Sepulcro, e o Mercado Medieval. Logo depois, saída da Cidade Velha pelo Portão de Damasco e uma breve caminhada pelo lado de fora, onde se encontra o local da Tumba do Jardim e o Calvário de Gordon. Partida ao anoitecer ou durante a noite em Jerusalém.
  30. 30. 36 Kibutz Ein Gedi Gan HaShlosha - Sachne Mais informações podem ser encontradas no site do Ministério do Turismo (www.goisrael.com.br). Ajuda complementar também pode ser obtida nas Agências Turísticas do Governo de Israel no exterior, e nos escritórios de informação turística em Israel (as informações de contato estão listadas no site). Hotéis Israel tem centenas de hotéis que oferecem uma grande variedade de acomodações para todos os gostos, objetivos e orçamentos, que vão desde instalações pequenas e simples aos estabelecimentos de luxo de cinco estrelas, com preços que variam de acordo com o nível e temporada. As taxas do hotel são cotadas em dólares norte-americanos. A maioria dos grandes hotéis de Israel possui salas de conferências e salas apropriadas para reuniões de pequeno e médio porte, além de equipamentos audiovisuais; serviços de tradução, técnicos e fax; Internet de alta velocidade e sem fio, e-mail e comunicação móvel, bem como instalações de grandes dimensões para exposições. Devido à importância do setor de convenções para Israel, a maioria dos novos hotéis é construída com instalações para convenções e conferências. Informações e reservas para muitos resorts, spas, hotéis, hotéis-butique, kibutz, e cadeias hoteleiras atualmente podem ser acessados on-line em hebraico, inglês, e muitas vezes também em outras línguas. Hotéis Kibutz O kibutz (assentamento coletivo) é uma experiência social israelense. A maioria dos 280 kibutz em Israel são assentamentos essencialmente agrícolas, mas muitos se transformaram em economias mais focadas na indústria. Vários kibutz, principalmente no Norte e centro de Israel, fundaram hotéis nas suas instalações, proporcionando aos visitantes uma visão mais próxima deste estilo de vida de renome mundial. Eles oferecem aos seus clientes umas férias descontraídas e informais com agradável ambiente rural. Alguns apresentam programas especiais noturnos sobre a experiência de se viver em um kibutz. Resorts de férias Excelentes alojamentos estão disponíveis nas aldeias resort de férias de Israel. Estas oferecem uma grande variedade de instalações recreativas, incluindo natação, esqui aquático, mergulho e barco a vela, bem como passeios a cavalo, tênis, e um programa completo de turismo e entretenimento noturno. Predominantemente voltada para os viajantes mais jovens, e com ênfase em atividades ao ar livre e informalidade, a maioria das aldeias ficam abertas apenas durante os meses de verão. Albergues da Juventude A Associação de Albergues da Juventude de Israel (sigla em inglês IYHA), filiada à Associação Internacional de Albergues da Juventude, administra pousadas por todo o país para hóspedes de todas as idades. Todos oferecem dormitórios, e a maioria fornece refeições e instalações com cozinhas de autoatendimento. Alguns albergues também oferecem quartos duplos (para duas pessoas) e quartos de família para pais acompanhados por pelo menos uma criança. Reservas individuais devem ser feitas diretamente com os albergues específicos; reservas de grupos com o IYHA. O IYHA também oferece um pacote de 8 dias e 7 noites “Taste of Israel” que inclui uma visita guiada de Jerusalém e passeios de um dia para Nazaré e o Mar Morto. Para esta e outras informações consulte o site da IYHA no link www.iyha.org.il. Escolas de Campo A Sociedade para a Proteção da Natureza em Israel (sigla em inglês SPNI) opera uma rede de escolas de campo em todo o país, cada uma especializada em história natural e ecologia da paisagem circundante. A maioria também oferece acomodações de pernoite para os visitantes, incluindo uma sala de jantar e www.goisrael.com.br Informações úteis
  31. 31. 37 “HaNamal” - Tel Aviv outros serviços. As escolas de campo, geralmente localizadas longe de regiões densamente povoadas, também oferecem uma grande variedade de excursões não convencionais e desafiadoras nos desertos de Neguev e da Judeia, nas montanhas do centro e norte e nas planícies costeiras. Albergues cristãos Várias comunidades cristãs operam alojamentos em albergues e hotéis. Para mais informações, ligue para a Agência de Informação Turística de Jerusalém, tel. +972-2-6271422. Informações adicionais sobre albergues e serviços da igreja podem ser obtidas no Centro de Informações cristão em Jerusalém, tel. 972-2-6272692, ou no site da CIC (www.cicts.org). Excursões organizadas Numerosas excursões organizadas, principalmente em ônibus ou micro-ônibus com ar condicionado são realizadas pelos operadores turísticos licenciados. Os itinerários e os preços são determinados de acordo com as diretrizes do Ministério do Turismo a fim de garantir um programa de turismo completo de máximo conforto. Excursões de meio-dia, dia inteiro, e passeios mais longos estão disponíveis; alguns combinam viagens aéreas e de carro. As excursões partem regularmente das grandes cidades e das populares áreas de resort durante as altas temporadas. Todos os passeios organizados são acompanhados por guias experientes, licenciados e poliglotas identificados por um emblema oficial com as palavras “Guia de turismo licenciado”. Grupos menores podem contratar um motorista-guia licenciado e uma limusine especial ou micro-ônibus, identificados pelo emblema vermelho do Ministério do Turismo. Os detalhes completos, itinerários, preços e horários estão disponíveis em agências de viagens e empresas de turismo. As principais instituições públicas e organizações, tais como WIZO, Hadassah, as universidades, e o Knesset (Parlamento israelense) oferecem visitas guiadas nas suas instalações. Passeios a pé nas grandes cidades são organizados pelos municípios. Mais informações estão disponíveis nos principais hotéis. A Semana de Israel A semana de trabalho israelense vai de domingo a quinta-feira, e o fim de semana de sexta-feira a sábado. A maioria dos estabelecimentos que abre na sexta-feira fecha no início da tarde antes do início do sábado judaico, que começa no pôr do sol na sexta-feira e dura até pouco depois do pôr do sol no sábado. Muçulmanos e cristãos celebram seus próprios Sabbaths, na sexta-feira e domingo, respectivamente. Idiomas O hebraico e o árabe são os dois idomas oficiais de Israel, mas é raro encontrar um israelense que não seja pelo menos bilíngue. O país é um caldeirão de culturas com cidadãos de quase todos os países da face da terra - muitos dos quais falam a língua dos seus pais. Quase todos os sinais de trânsito, placas de lojas, cardápios de restaurantes, marcos históricos, e outros materiais também estão em inglês. Dinheiro e Assuntos Alfandegários A moeda israelense é o Novo Shekel israelita (NIS), chamado de forma abreviada de “Shekel” (e no plural de “shkalim” em hebraico; shekels em inglês). Existem 100 agorot (aqui no singular) para cada shekel. As notas vêm em 20, 50, 100 e 200 shekels; as moedas vem em 10 agorot e ½, 1, 2, 5 e 10 shekels. É possível trocar dinheiro em quase todos os bancos de Israel. Todos abrem pela manhã, de domingo a sexta-feira, das 8:15 ou 8:30 horas da manhã. Os horários da tarde variam. Todos fecham na sexta-feira a tarde, sábados e feriados e na maioria dos feriados judeus. O dinheiro também pode ser trocado nas agências de câmbio credenciadas situadas ao pé da rua em todas as grandes cidades. Favor observar, no entanto, que os cambistas não aceitam cheques de viagem. As transações em moeda estrangeira realizadas no domingo se baseiam nas taxas de câmbio da sexta-feira anterior. Tanto os cidadãos quanto os visitantes que trouxerem aparelhos elétricos para Israel no valor de mais de US$ 200 devem passar pelo canal vermelho na alfândega. Adultos que vierem de visita a Israel podem importar, livre de impostos, 250 cigarros ou 250 gramas de produtos de tabaco, dois litros de vinho e um litro de bebida alcoólica, além de 250 miligramas de perfume. Favor observar que animais, plantas, armas de fogo, carne fresca, e matérias-primas não poderão entrar em Israel, a menos que se tenha obtida uma licença com antecedência. Clima e vestuário Quando estiver fazendo as malas para uma viagem a Israel, não se esqueça de levar em consideração o clima do país. Embora a maior parte do ano seja quente e ensolarado, o inverno pode ser frio, especialmente nas montanhas e a noite. O inverno
  32. 32. Jerusalém - Mamila 38 Museu de Israel - Jerusalém é também a época das chuvas, por isso certifique-se de levar uma capa de chuva. Algumas outras dicas de roupas práticas: trazer algo para cobrir a cabeça e óculos de sol para passear sob o sol. Sapatos confortáveis ​​também são uma boa ideia. Você também precisará de roupas simples e com frequência algo para cobrir a cabeça para visitar os lugares santos já que shorts e vestidos sem mangas não são permitidos ao entrar nesses locais. Dirigir em Israel Todos os motoristas estrangeiros são obrigados a ter uma licença de motorista válida (internacional ou do seu país de procedência). Em Israel se dirige do lado direito, e a sinalização de trânsito está em hebraico e em inglês na maioria dos lugares, e também em árabe em algumas áreas. Os sinais de trânsito utilizam o padrão internacional. Os limites de velocidade nas estradas israelenses são de 90 a 110 km por hora nas estradas interurbanas e rodovias, 80 km por hora em outras estradas interurbanas, e 50 km por hora em zonas urbanizadas. O cinto de segurança é obrigatório a todo momento para o condutor e passageiros, tanto os que sentam no banco da frente quanto nos bancos de trás. Crianças menores de 14 anos de idade são proibidas de sentar no banco da frente. A Israel Railways opera o serviço ferroviário regular entre as principais cidades de Israel. Para se informar sobre os trajetos, horários e tarifas consulte o site da Israel Railways (www.rail.co.il). Indo e vindo para o Aeroporto A maioria dos viajantes que vêm a Israel chega no Aeroporto Ben Gurion, logo ao lado da rodovia que liga Tel Aviv e Jerusalém. Para aqueles que não têm alguém lhes esperando no aeroporto e que não desejam pegar um táxi, existe um serviço regular de ônibus e trens diretos ou de conexão entre o Aeroporto Ben Gurion e o resto de Israel. Existe também um serviço de ônibus entre o aeroporto e os bairros dos hotéis tanto em Tel Aviv quanto em Jerusalém. Para trajetos até o aeroporto, várias empresas de táxi fornecem serviços porta-a-porta 24 horas, tanto serviços de táxis individuais quanto corridas compartilhadas (de Jerusalém, Beersheva, Haifa ou Tel Aviv). Lojas Nas grandes cidades de Israel, as lojas normalmente ficam abertas das 9:00 até as 19:00 horas, de domingo a quinta-feira. Algumas lojas pequenas de bairro ainda fecham a tarde, e reabrem às 16:00 horas. Muitos centros comerciais modernos surgiram em todo o país nos últimos anos, e seus horários de funcionamento são ainda mais flexíveis. No entanto, às sextas-feiras, as lojas judias costumam fechar durante o dia entre 14:00 e 15:30, e a maioria dos estabelecimentos em áreas judaicas não abrem aos sábados. Museus Os horários variam de museu para museu. Alguns abrem aos sábados. Correios A maioria das agências de correios abre às 8:30 horas de domingo até sexta-feira, e permanece aberta até as 12:30 ou 13:30, dependendo do dia. Os horários vespertinos variam; algumas agências ficam abertas das 15:30 até as 18:00. Também é possível trocar moeda estrangeira em muitas agências, e receber transferências de dinheiro com rapidez do exterior. Para mais informações, consulte o site do Serviço Postal de Israel (www.israelpost.co.il). Cartões de Crédito A maioria das lojas, restaurantes e hotéis aceitam cartões de crédito. Os mais comuns são American Express, Diners Club, EuroCard, MasterCard, e Visa. Diferenças de horário Israel está duas horas à frente do GMT e sete horas antes do horário padrão oriental (sigla em inglês EST), embora durante o horário de verão, possa haver algumas variações. Táxis Por lei, todos os táxis em Israel devem estar equipados com um taxímetro que deve ser operado para todas as corridas locais. Os táxis legalizados são brancos,
  33. 33. 39 Jerusalém - Bazares Tel Aviv com uma placa de “táxi” no teto do automóvel e um número de licença nas laterais. Os passageiros têm direito a um recibo impresso dos valores registrados pelo taxímetro. O medidor pode ser operado de acordo com três taxas de tarifas distintas: a tarifa regular (com sobretaxas para passageiros adicionais); tarifa normal acrescida do adicional ao encomendar um táxi por telefone para serviços urgentes, e tarifa normal acrescida do adicional para corridas aos sábados, feriados, e noturnos (entre as 21:00 e 05:30 da manhã). Existe também uma sobretaxa para bagagem. As tarifas intermunicipais são determinadas por uma tabela oficial de preços que o condutor deve mostrar se solicitado. Em Israel, não é habitual dar gorjeta aos taxistas. Gorjetas Pagar gorjeta é bastante comum em Israel, embora a porcentagem padrão anterior de 10% é atualmente considerada baixa. Uma taxa de serviços poderá ou não ser incluída na sua conta do restaurante. Quando não estiver incluída, se aconselha dar uma gorjeta (já que em muitos cafés e restaurantes as gorjetas são consideradas parte do salário do garçom) e atualmente se considera mais apropriada a gorjeta entre 15 a 20% do valor da conta. Costumes religiosos Com exceção da Jerusalém Oriental, Haifa e Nazaré, o transporte público não funciona no sábado judaico- desde uma hora antes do pôr-do-sol da sexta-feira até sábado a noite. O mesmo se aplica aos dias santos judaicos (de pôr-do-sol a pôr-do-sol). No entanto, os táxis (e em algumas áreas urbanas, táxis “sherut” compartilhados) estão disponíveis. A exceção acontece no Yom Kippur, Dia Judaico da Expiação, no qual nenhum veículo motorizado de qualquer espécie se locomove nas ruas, exceto veículos de emergência, como ambulâncias. Praticamente todos os principais hotéis em Israel funcionam sob supervisão rabínica, o que significa que somente a comida kosher preparada de acordo com as leis de alimentação judaica pode ser servida. Fora dos hotéis, existem muitos bons restaurantes que servem comida kosher e outros que servem comida não kosher. Nas grandes cidades, também existem restaurantes que permanecem abertos no sábado, mas estes não são kosher. Em núcleos populacionais árabes, as lojas, restaurantes e cafés permanecerão abertos aos sábados e quase todos os feriados judaicos (embora a maioria das lojas muçulmanas geralmente fecha na sexta-feira; lojas cristãs no domingo). Ao visitar áreas judias, cristãs, muçulmanas, drusas, ou baha’i, certifique-se de mostrar o devido respeito aos costumes religiosos, feriados e comemorações. Corrente Elétrica Em Israel, a eletricidade é de 220 volts, 50 ciclos, embora nos quartos dos principais hotéis geralmente existe uma tomada adaptada de 110 volts para barbeadores elétricos. A maioria das tomadas em Israel é de três pinos, mas de um tamanho diferente daquele usado ​​em partes da Europa ou do Reino Unido. Aconselha-se aos turistas que trouxerem aparelhos elétricos para Israel a trazerem também um adaptador de casa.
  34. 34. Para mais informações, incluindo as Agências de Turismo do Governo de Israel no exterior: Ministério do Turismo de Israel 5 Bank of Israel St. Caixa Postal 1018 91 000 Jerusalém, Israel Tel. +972-2-666-4200, Fax +972-2-666-4451 ©All rights reserved - Israel Ministry of Tourism Published by the Israel Ministry of Tourism / Publications Department Text: 2008 by Benjamin Blustein; revised 2012 by Ouality Translations (QT) Graphic Design & Production: Blustein Maps & More Photographs: Itamar Grinberg, Pascal Hoffmann, Albatross, Mordagan, Avnissan. Printed in Israel 2013 Cat.No.125-13/11 www.goisrael.com.br

×