Doenças e restrições dietéticas e condicionantes físicas da pessoa IdosaUma alimentação saudável tem que ser completa, equ...
É a degeneração de um local do cérebro chamado “ gânglio da base”, causa de formaprogressiva lentidão dos movimentos, trem...
Osteoporose tipo 2:Ocorre tanto nos homens como em mulheres geralmente depois dos 75anos.Alimentação na OsteoporoseDieta á...
.Nos dias actuais constituí um problema de saúde pública pelo número de pessoas queapresentam a doença, o distúrbio envolv...
A alimentação para o utente hipertenso deve ser hiposalinica (sem sal) rica em frutas, vegetais,substituir as gorduras por...
Azeite em cru para temperar ou confeccionarTemperar com ervas aromáticas e legumesCozidos, grelhados e assados ( evitar go...
3.10-Insuficiência Cardíaca:A insuficiência cardíaca (insuficiência cardíaca congestiva) é uma doença grave emque a quanti...
A insuficiência renal aguda é uma rápida diminuição da capacidade dos rins para eliminar as substânciastóxicas do sangue, ...
Administração da Alimentação para doentes com subnutrição:Quando os nutrientes não podem ser administrados pela boca, pode...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Doença de alzheimer

536 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doença de alzheimer

  1. 1. Doenças e restrições dietéticas e condicionantes físicas da pessoa IdosaUma alimentação saudável tem que ser completa, equilibrada e variada.- Sabemos que com o aumento da idade as necessidades energéticas vão diminuindo.-As alterações fisiológicas acentuam-se:Diminuição do olfacto e do paladar;Falta de dentição, alterações corporais e diminuição da saliva.- Falta de actividade física, que dá origem a imobilidade e ao sedentarismo.Estas são algumas das causas para todas as doenças assim sendo têm:3.1Doença de Alzheimer:É uma doença pouco conhecida mas bastante comum que afecta as células cerebrais.É uma doença que causa diminuição das faculdades intelectuais do adulto.As alterações mais comuns da doença de Alzheimer ocorrem nas proteínas das célulasnervosas, do córtex cerebral (a camada exterior do cérebro conduzindo a uma acumulação defibras anormais).3.1 Alimentação na Demência de AlzheimerPode fazer uma dieta geral.Em fase mais avançada esta doença poderá limitar o doente a passar a dieta mole, pordificuldades de deglutição e mastigação.Dieta mole: purés, iogurtes pudins sopa passada com carne ou peixe.3.2Doença de Parkinson:
  2. 2. É a degeneração de um local do cérebro chamado “ gânglio da base”, causa de formaprogressiva lentidão dos movimentos, tremores, rigidez e alterações de equilibrio.Atingeambos os sexos, principalmente após os 60 anos de idade.3.2Alimentação na doença de ParkinsonUma dieta mole é o indicado pois o doente apresenta dificuldade de deglutição e rigidezmuscular (limitação de movimentos, por causa do aumento da tensão normal dos músculos).Dieta mole: purés, iogurtes, pudins, sopa passada com carne ou peixe.3.3-Disfagia:Caracteriza-se por um sintoma comum de diversas doenças. Pode ser causada por alteraçõesneurológicas, como o acidente vascular encefálico (A.V.E.), ou outras doenças neurológicase/ou neuromusculares e também alterações locais obstrutivas, como as doenças tumorais doesófago. O propósito fundamental da identificação da causa da Disfagia consiste emseleccionar melhor tratamento que pode variar desde o tratamento da reabilitaçãofonoaudiologica, a alteração de consistência dos alimentos para evitar a aspiração deconteúdo para o pulmão e pode ter um foco completamente diferente como o cirúrgico, nocaso de doenças neoplásticas do esófago.Medidas adicionais paralelas ao diagnóstico das causas seriam o de evitar, o máximo possível,as complicações da Disfagia: desidratação, infecções pulmonares e subnutrição.Alimentação na Disfagia (dificuldade em engolir)Dieta líquida, pois este doente tem dificuldade em engolir consiste em alimentos liquidificados(líquidos): sumos, batidos, etc. Geralmente administrada por sonda nasogástrica.3.4-Osteoporose:É uma doença em que os ossos perdem cálcio, tornando-se mais frágeis, sofrendo fracturascom mais frequência, e de pequena violência.Osteoporose tipo 1: será a mais vulgar que afecta as mulheres na pós-menopausa, ou maisjovens cujos ovários tenham sido removidos.
  3. 3. Osteoporose tipo 2:Ocorre tanto nos homens como em mulheres geralmente depois dos 75anos.Alimentação na OsteoporoseDieta á base de cálcio deve optar por alimentos como o queijo, leite iogurtes e peixe grãos deamaranto e soja ( amaranto é um grão típico da região dos Andes (ilhas latinas)) é umnutriente que fornece cinco vezes mais cálcio do que o leite.O grão de amaranto é muito rico em proteínas, é uma boa opção para que não come carne.3.5-OBESIDADE:É uma doença que constitui um importante factor de risco para o aparecimento,desenvolvimento e agravamento de outras doenças.Há tantas pessoas obesas a nível mundial que a O.M.S (Organização Mundial de Saúde)considerou esta doença como a “epidemia do século XXI.De acordo com a O.M.S.,a obesidade é uma doença em que o excesso de gordura corporalacumulada pode atingir graus, capazes de afectar a saúde. É uma doença crónica com enormeprevalência nos países desenvolvidos, atinge homens e mulheres de todas as etnias e de todasas idades, reduz a quantidade de vida e tem elevadas taxas de mobilidade e mortalidade.A obesidade acarreta múltiplas consequências graves para a saúde.Alimentação na ObesidadeDieta hipocalorica- rica em proteínas, peixes, frutas e legumes, dar preferência aos grelhados ecozidos, arroz ou massa integral (entre outras).3.6-Diabetes Mellitus:É uma doença provocada pela deficiência ou ausência de produção de insulina, que leva asintomas agudos e a complicações crónicas características..É o aumento do açúcar no sangue (glicemia).
  4. 4. .Nos dias actuais constituí um problema de saúde pública pelo número de pessoas queapresentam a doença, o distúrbio envolve o metabolismo da glicose, das proteínas e dasgorduras e tem consequências tanto quanto surge rapidamente como quando se instalalentamente.Existem dois tipos de Diabetes: Diabetes Mellitus1 Diabetes Mellitus 2Alimentação na diabetesA alimentação na diabetes deve ser hipoglicemica, rica em hidratos de carbono.- Leite meio gordo, iogurte natural ou magro e de preferência sem açúcar e queijo fresco.- Manteiga e azeite em quantidades moderadas.-Aumento do consumo de hortaliças e saladas.-Todo tipo de peixe, em especial os gordos.- Carnes: vaca magra, e aves sem pele (entre outros).3.7-Hipertensão Arterial:Em Portugal, existem cerca de 2 milhões de hipertensos. Destes, apenas metade temconhecimento de que tem a pressão arterial elevada, apenas um quarto está medicado eapenas 16% estão controlados.Hoje sabe-se que a adopção de um estilo de vida saudável pode prevenir o aparecimento dadoença e que a sua detecção e acompanhamento precoces podem reduzir o isco de incidênciade doença cardiovascular.Como se define a Hipertensão Arterial?Designa-se de hipertensão arterial todas as situações em que se verificam valores de tensãoarterial aumentados. Para esta caracterização, consideram-se valores de tensão arterialsistólica (superiores a 90mmhg.com frequência, apenas um dos valores surge alterado.Quando os valores da “máxima” estão alterados, diz-se que o doente sofre de hipertensãoarterial sistólica; quando apenas os valores da “mínima”se encontram elevados, o doente sofrede hipertensão diastólica.Alimentação na hipertensão arterial:
  5. 5. A alimentação para o utente hipertenso deve ser hiposalinica (sem sal) rica em frutas, vegetais,substituir as gorduras por vegetais como por exemplo óleo de soja ou de girassol, optar porcozidos e grelhados .3.8-Colesterol Elevado:Colesterol elevado é uma condição de saúde perigosa pois está associado a m risco maior dedoenças do coração. Como não apresenta sintomas, uma pessoa pode estar com o nível decolesterol alto, e não saber. Por isso é tão importante fazer exames regularmente para avaliara sua saúde.O Colesterol é um tipo de gordura que o corpo precisa para crescimento e regeneração celular,produção de hormonas sexuais e é convertido em ácidos biliares para ajudar a digestão.O Colesterol do corpo tem duas origens: a produção do seu próprio corpo e o Colesterolproveniente da alimentação. O corpo produz colesterol no fígado, e esse colesterol produzidoé capaz de suprir quase toda necessidade do organismo. O restante necessário deve serproveniente do que a pessoa come.Alimentação no colesterol elevadoA alimentação no colesterol elevado deve ser hipoproteíca, reduzir os lipidos (gorduras eóleos).Deve dar preferência:Leite de soja;Leite de vaca, queijo, manteiga mas todos estes devem ser produtos magros;Passas, avelãs, nozes, amêndoa em pequena quantidade;Carnes: aves de caça (frango sem pele, peru ou coelho)Peixe de preferência gordosReforçar a quantidade de hortícolas e vegetaisFeijão, grão, favas, ervilhas;Frutas.Batata,arroz, massa, pão integral ou misturaChá ou infusão de ervas ou 1,5l de água por diaFlocos de aveia, farelo de trigo integral
  6. 6. Azeite em cru para temperar ou confeccionarTemperar com ervas aromáticas e legumesCozidos, grelhados e assados ( evitar gorduras)Pão integral, rico em fibrasAveia,farelo de trigo e de arroz.3.9-Obstipação:A Obstipação, é uma perturbação em que a pessoa tem evacuações incómodas ou poucofrequentes.Uma pessoa com Obstipação (prisão de ventre) produz fezes duras que podem ser difíceis deexpulsar. Também pode ter a sensação de que o recto não fica totalmente vazio. A prisão deventre aguda começa de forma repentina e a pessoa dá-se claramente conta disso. A crónica,por outro lado, pode começar de forma subtil e persistir durante meses ou anos.Muitas vezes a causa da prisão de ventre aguda não é mais do que uma alteração recente nadieta ou uma redução na actividade física (por exemplo, quando uma pessoa fica acamadadurante 1 ou 2 dias por estar doente. São causas frequentes da prisão de ventre crónica umaescassa actividade física e uma dieta pobre em fibras.Alimentação na obstipação:Na obstipação a alimentação deve ser:Rica em fibras e vegetais;Pão e biscoitos integrais;Leite iogurte e queijo;Sumos de fruta natural, laranja, tangerina, abacaxi e maracujá (com as sementes);Frutas maduras: laranja, mamão, pêra, morango, abacaxi, manga, ameixa, uva e figo;Batidos de leite com fruta e mel;Hortaliças cruas ou cozidas (cenoura, beterraba);Leguminosas secas: feijão, favas, ervilhas e grão-de-bico;Verduras: alface, aipo, agrião, nabo, repolho, couve- de- bruxelas,brócolos,cenoura,beringela eespinafre;Frutos secos: nozes, amêndoa, avelã, amendoim, pistaches e castanhas.
  7. 7. 3.10-Insuficiência Cardíaca:A insuficiência cardíaca (insuficiência cardíaca congestiva) é uma doença grave emque a quantidade de sangue que o coração bombeia por minuto (débito cardíaco) éinsuficiente para satisfazer as necessidades de oxigénio e de nutrientes do organismo.Termo «insuficiência cardíaca» não significa que o coração tenha parado, pensam;significa, a redução da capacidade do coração para manter um rendimento eficaz. Ainsuficiência cardíaca tem muitas causas, entre as quais há um certo número dedoenças; é muito mais frequente nas pessoas mais velhas, dado que têm uma maiorpossibilidade de contrair as doenças que a causam. Apesar de ser um processo quevai piorando lentamente com a passagem do tempo, as pessoas que sofrem destaperturbação podem viver muitos anos. No entanto, 70 % dos doentes com estaafecção morrem antes de passados 10 anos a partir do diagnóstico.Alimentação do doente cardíaco:Leite, iogurte e manteiga, sem sal, todos eles produtos magros.Queijo magro de barra sem sal.Aumento de consumo de hortaliças e saladas.Arroz, massa ou batata.Peixe e carne magras.Carne de ave sem pele.Utilizar para temperar ervas aromáticas, condimentos, alho, cebola, pimenta, limão e vinagre.3.11-Insuficiência renal:A insuficiência renal é uma alteração da função dos rins na qual estes são incapazes de excretar as substânciastóxicas do organismo de forma adequada. As causas da insuficiência renal são diversas; algumas conduzem auma rápida diminuição da função renal (insuficiência renal aguda), enquanto outras conduzem a uma diminuiçãogradual dessa função (insuficiência renal crónica).Insuficiência renal aguda:
  8. 8. A insuficiência renal aguda é uma rápida diminuição da capacidade dos rins para eliminar as substânciastóxicas do sangue, levando a uma acumulação de produtos metabólicos residuais no sangue, como a ureia.A causa de uma insuficiência renal aguda pode ser qualquer afecção que diminua o afluxo sanguíneo aos rins,que obstrua o fluxo da urina que sai dos mesmos ou que lese os rins. Diversas substâncias tóxicas podem lesaros rins, como medicamentos, tóxicos, cristais que precipitam na urina e anticorpos dirigidos contra os rins.Insuficiência renal crónica:A insuficiência renal crónica é uma lenta e progressiva diminuição da função renal que evolui até à acumulaçãode produtos metabólicos de excreção no sangue.As lesões produzidas nos rins por muitas doenças podem ocasionar danos irreversíveis.Alimentação do doente com Insuficiência renal:Carnes brancas (aves e coelho),carne de porco sem gorduras, carnesvermelhas(vitela);Todo tipo de peixe fresco;Fruta cozida ou assada(rejeitar a água de cozer a fruta);Farinha tipo maizena, flocos de arroz ou de mel;Açúcar ,mel, compotas, doce,marmelada, gelatina, arroz doce sem ovos,leite cremresem ovos, bolos simples sem chocolate,frutos secos ou cristalizados.Azeite, óleo vegetal e manteiga sem sal.3.12-Subnutrição:A subnutrição, uma deficiência de nutrientes essenciais, é o resultado de uma ingestãoinadequada devido a uma dieta pobre ou a um defeito de absorção no intestino (máabsorção); de um gasto anormalmente alto de nutrientes por parte do corpo; ou deuma perda anormal de nutrientes por diarreia, perda de sangue (hemorragia),insuficiência renal ou então suor excessivoA subnutrição desenvolve-se por etapas. No princípio, as mudanças registam-se nosvalores de nutrientes no sangue e nos tecidos, depois sucedem-se mudanças nosvalores enzimáticos, seguidamente aparece uma disfunção de órgãos e tecidos e,finalmente, manifestam-se os sintomas de doença e produz-se a morte.Na terceira idade, as necessidades nutricionais são menores, mas a capacidade paraabsorver os nutrientes também está reduzida. Portanto, o risco de desnutrição é maior.
  9. 9. Administração da Alimentação para doentes com subnutrição:Quando os nutrientes não podem ser administrados pela boca, podem serdados através de um tubo (alimentação por sonda) inserido no aparelhodigestivo (nutrição entérica) ou também por via endovenosa (nutriçãoparentérica). Estes métodos utilizam-se para alimentar os que não desejam ounão podem comer ou os que não podem digerir e absorver os nutrientes.

×