VICTOR, O MENINO SELVAGEM DE AVERYN

11.083 visualizações

Publicada em

Estudo sobre o caso Victor e as crianças selvagens

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.083
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
253
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

VICTOR, O MENINO SELVAGEM DE AVERYN

  1. 1. Desenvolvimento Humano I – 1º Sem 2011RELATÓRIO VICTOR, O MENINO SELVAGEM DE AVERYN Paula Andréa Prata Ferreira | Campus Ilha - Psicologia
  2. 2. Relatório O presente trabalho pretende discutir sobre o caso conhecido como “o meninoselvagem de Averyon”. Chamado de Victor, o menino foi encontrado em 8 de janeiro de 1798na província de Averyon no sul da França.Victor foi encontrado aparentando 12 anos de idade, vivia solto, sem roupas, andava dequatro, alimentava-se de raízes e frutas. Victor não possuía linguagem. Também nunca foipossível saber quanto tempo esteve em contato com a vida social antes ter se perdido nafloresta ou de ter sofrido abandono por parte de seus pais.Victor foi levado a uma escola de surdos-mudos. Lá permaneceu sob os cuidados do médicoJean-Marc Itard. Os últimos anos de sua vida passou sob os cuidados da empregada de Itard,senhora Guérin, até falecer aos 40 anos.O estudo desenvolvido por Itard usou métodos baseados no princípio da imitação,condicionamento e modificação do comportamento. Porém, embora tenha adquirido ahabilidade de emitir alguns sons e vogais, Victor nunca conseguiu falar. Apesar de terconseguido demonstrar sentimentos de afeição (principalmente pela senhora Guérin),vergonha, remorso e desejo de agradar, foi possível observar que Victor continuava centradoem seu mundo, nutrindo o desejo pela liberdade proporcionada pela floresta. Além disso,mesmo com todo o trabalho desenvolvido por Itard, Victor não conseguia se cuidar sozinho,como também não havia conseguido se socializar.O filme francês de 1969, O garoto selvagem, de François Truffaut retrata a história de Victor deforma um tanto romantizada. Porém, apesar de todas as licenças poéticas colocadas napelícula, na cena final do filme o personagem de Itard diz duas frases que resumem bem asituação de Victor: “Já não é um selvagem, apesar de ainda não ser um homem. Victor é umjovem notável com grandes expectativas.”.Victor jamais conseguiu se desenvolver totalmente. Nesse momento, podemos refletir sobrealgumas considerações de seu caso, como por exemplo, os métodos usados por Itard. Semdúvida os métodos empregados por Itard tinham seus méritos, porém não foram garantias deum “final feliz” para Victor, pois Victor já não era um selvagem, porém também não eracompletamente um homem. 2
  3. 3. Não podemos afirmar se Victor tinha algum comprometimento, na época não havia exames deimagem que auxiliassem no entendimento de seu quadro. Como afirmar se Victor nãoconseguiu desenvolver a linguagem por ser portador de alguma lesão em seu cérebro naregião responsável por isso? Da mesma forma também não podemos afirmar se Victor tinhaalgum tipo de transtorno como autismo, por exemplo. Nos escritos deixados por Dr. Itard, eledocumentou que Victor tinha uma grande cicatriz na garganta. Possivelmente pode ter sidouma tentativa de matá-lo, e posteriormente, abandoná-lo para a morte na selva por ser umacriança com algum tipo de comprometimento. Vale lembrar que historicamente o abandonode crianças com algum tipo de deficiência, seja físico ou mental, era comum.Outras crianças achadas sob condições parecidas com as de Victor, também suscitaram umasérie de perguntas a esse respeito. O documentário lançado em 2007 pela National Geografic,Crianças Selvagens, explora diversas questões nesse sentido. Nele vemos um histórico dediferentes crianças achadas em condições de isolamento social, como também as fantasias einformações truncadas que guardam suas respectivas histórias. É fácil perceber que nemsempre as informações são fidedignas, como também é questionável, em alguns casos, aconfiabilidade e eficiência dos métodos empregados no tratamento destas crianças, vide ocaso de Genie.Os estudos da Psicologia Cognitiva mostram que os seres humanos passam por uma fasecrítica para seu desenvolvimento. Dessa forma, teria tanto Victor quanto outras criançasselvagens não desenvolvido a linguagem por não estarem em contato com o meio social queas estimulasse a isso? Teria algo mais afetado o desenvolvimento dessas crianças?Mas ainda temos outras perguntas a fazer sobre o comprometimento do desenvolvimento noscasos das crianças selvagens: até que ponto os traumas emocionais sofridos por essas criançasforam capazes de interromper e comprometer o decurso natural do desenvolvimento? Vemospor mais esta pergunta que não estamos considerando apenas a maturação biológica.Percebemos que existe a convivência de aspectos inter-relacionados e não apenas um fatordecisivo para todo o quadro, ou seja, temos de levar em consideração também aspectossociais e emocionais envolvidos com o desenvolvimento da prontidão.Referências BibliográficasIS it real: Feral Children. EUA: National Geographic, 2007,(46 min), son., color., leg.O GAROTO Selvagem. Direção de François Truffaut. França: Produção Marcel Berbert, 1969,(84 min), son., color., leg.PAPALIA, Diane E.. Desenvolvimento Humano. 7 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. 684 p. 3

×