SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
DRA. ANA CLARA LOPES DE CASTRODRA. ANA CLARA LOPES DE CASTRO
• Fisioterapeuta Graduada pelas Faculdades Unidas
do Norte de Minas – FUNORTE.
• Aperfeiçoamento em Fisioterapia Ortopédica e
Postural, constando de Avaliação e Testes Especiais,
Massoterapia e Drenagem Linfática, Hidroterapia,
RPG, Iso-Stretching, Terapia Manual/Osteopatia.
•Especialista em Perícia Judicial
Cursos em:
• Fisioterapia nas Disfunções dos MMII
• Dermato-Funcional
• Reabilitação Cardíaca no Meio Aquático
• Facilitação Proprioceptiva no Desenvolvimento
Motor
• Radiologia para Prática Fisioterapêutica
• III Congresso Brasileiro de Fisioterapia em
Cancerologia
• Pós Graduada, (Título de Especialista) em
Fisioterapia Ortopédica e Postural.
anna_clara_castro@hotmail.com
annaclara.fisio@yahoo.com.br
www.draanaclara.blogspot.com
Dra. Ana Clara Lopes de Castro
Fisioterapeuta
 DOMINGUES, SANTOS & LEAL(2004)
explicam que a gestação e o parto são
eventos marcantes na vida de uma mulher e
de seus familiares.
 Representam mais do que um evento simples
e biológico, mas sim um status de “mulher”
para “mãe.”
 Afirmação interessante é de CARVALHO(2005)
quando diz que na gestação, no trabalho de parto
ocorrem mudanças na posição anatômica da pelve,
musculatura, vísceras e períneo.
 Dessa forma, está comprovado que tais mudanças
podem sofrer menos transtorno quando grávidas
realizam fisioterapia.
 Os processos biológicos não deixam de acontecer
mais sua recuperação é surpreendente mais rápida.
 “O assoalho pélvico é um conjunto de partes moles
que fecham a pelve, sendo formadas por músculos,
fácias e ligamentos”;
 “Sua função é de sustentar e suspender os órgãos
pélvicos e abdominais,mantendo as continências
urinarias e fecais”;
FREITAS, MENKE & RODRIGUES, 1999FREITAS, MENKE & RODRIGUES, 1999
 No campo da Obstetrícia o fisioterapeuta tem
ocupado uma posição importante na equipe que
assiste a gestante, pelo menos desde 1912,
quando a fisioterapeuta Dra. Minnie Randell
juntamente com o obstetra Dr. J. S. Fairbain
desenvolveram o conceito de “Obstetrícia
Preventiva”
 O conceito de fisioterapia pré-natal surgiu sob a
influência do trabalho da médica Kathleen
Vaughan, que percebeu que as gestantes
sedentárias tinham partos mais difíceis do que as
barqueiras e as camponesas, as quais mantinham
uma vida mais ativa durante a gravidez
 Promover e manter uma ótima saúde física e
emocional do começo ao final da gestação.
 Realizar um trabalho preventivo para as
possíveis alterações patológicas, durante e
após o parto, desde o 1º ao 9º mês.
 Preparar e informar os pais sobre gravidez,
parto e puerpério.
 A principal finalidade é resultar uma gravidez
e o parto o mais saudáveis possível.
ZANATTA & FRARE, 2003; MORRE 1998; OLIVEIRA & LOPES.2006
 A fisioterapia é, segundo o COFFITO (Conselho
Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional),
“uma área de conhecimento em saúde, que estuda
os distúrbios cinéticos e sinérgicos funcionais que
acometem os órgãos e sistemas do corpo humano,
gerados por alterações genéticas, por trauma ou
por condições adquiridas”.
 A gravidez, por ser considerada uma condição
adquirida pela mulher em idade fértil promovendo
alterações de diversos tipos no corpo feminino,
passou a contribuir para com a fisioterapia, dando
uma importância crescente, uma vez que o mesmo
é um profissional habilitado para tratar os possíveis
distúrbios musculoesqueléticos e neuromusculares
da gravidez, aliviar as algias existentes pelas
alterações biomecânicas e orientar sobre a
realização das atividades de vida diária e/ou
profissionais, melhorando assim qualidade de vida
das gestantes.
 Vai atuar no período pré e pós parto
demonstrando que o trabalho de parto poderá
ser menos doloroso e mais eficaz durante os
período de dilatação, expulsão e
descolamento da placenta.
 Não sendo um estado patológico e sim de
normalidade fisiológica,assim sendo a grávida
poderá se beneficiar com programas
específicos de exercícios físicos para cada
mês de gravidez.
(POLDEM & MANTLE(2005)
 Esclarecendo ainda mais, RIBAS & GUIRRO
relatam que as alterações: hemodinâmicas, acúmulo
de líquidos e gordura localizada em fraqueza do
assoalho pélvico, juntamente com stress mecânico
da gestação e com suas mudanças emocionais
acontecem durante todo o período da gravidez
 Dessa forma salientamos novamente a importância
do tratamento fisioterápico.
(POLDEM & MANTLE(2005)
 Previne ganho de peso.
 Redução da massa adiposa.
 Estimulação da postura.
 Melhora da auto estima e imagem corporal.
 Melhora do tônus muscular.
 Menor risco de estase venosa.
 Prevenção de Diabete gestacional.
 Melhora no nível de energia/capacidade aeróbica.
 Maior facilidade na fase de descida do bebe no
trabalho de parto.
 Maior rapidez na fase de expulsão.
 Menor tempo de hospitalização.
 Recuperação pós parto com menor tempo em
medidas e relação hormonal.
 As sessões de fisioterapia, geralmente, são
compostas por exercícios realizados no solo e/ou
na piscina aquecida (hidroterapia), com
indicações e contra-indicações determinadas,
devendo ser iniciadas apenas a partir do segundo
trimestre de gravidez, quando os riscos de aborto
numa gravidez normal são pequenos.
 Ritmo.
 Respiração calma.
 Padrão diafragmático.
 Posturas adequadas.
 Cuidados em síncopes.
 Hipotensão.
 Fortificar a musculatura e alivio de dor durante o
parto;
 Redução de edema no pós parto imediato;
 Estimular boa circulação.
 Restauram o tônus da musculatura do
assoalho pélvico;
 Melhoram a circulação, se ocorrer lacerações
do períneo apos parto normal;
 Potencializa o prazer sexual;
 Previnem: cistocele e retrocele=protusão do
útero, bexiga e reto para fora
respectivamente.
 Os exercícios de kegel foram elaborados
para o condicionamento do assoalho
pélvico;
 Estende-se por todo o período da gravidez
como do pós parto.
 Após seu fortalecimento previne
lacerações no período de expulsão bem
como atua na continência urinaria.
(gradiente de pressão vesical/uretral).
 Ao assentar no vaso sanitário contraia
apenas assoalho pélvico isolando abdominais
e glúteos, difícil mais não impossível, exige
apenas treino. ;
 Faça a saída da urina em pequenos jatos e
contraia para segurar a urina, se assim o fizer
e manter a continência o exercício esta
correto.
 Em algumas variações os músculos da coxa
e abdominais acabam sendo utilizados:
cuidado, não deve acontecer;
 Exercitando contração do assoalho pélvico:
 Importante que a gestante se sinta
confortável:
 Importante a realização em domicilio, nos
auxilia nas sessões.
 Involução uterina;
 Restabelecimento da circulação normal;
 Volta da tonicidade muscular: assoalho pélvico,
abdominais e quadríceps
 Impedir estase venosa;
 Atividade intestinal normalizada; perda de peso;
 Restabelecer a biomecânica e postura da
mulher
Atividade na gestação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reabilitação em amputados
Reabilitação em amputadosReabilitação em amputados
Reabilitação em amputados
Nay Ribeiro
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
FUAD HAZIME
 
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombroCinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Raphael Menezes
 
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Marcelo Jota
 
Fisioterapia no puerpério.ppt
Fisioterapia no puerpério.pptFisioterapia no puerpério.ppt
Fisioterapia no puerpério.ppt
Tamires Mori
 

Mais procurados (20)

Síndrome do Imobilismo
Síndrome do ImobilismoSíndrome do Imobilismo
Síndrome do Imobilismo
 
Coluna Lombar
Coluna LombarColuna Lombar
Coluna Lombar
 
Síndrome Femoropatelar
Síndrome FemoropatelarSíndrome Femoropatelar
Síndrome Femoropatelar
 
Reabilitação em amputados
Reabilitação em amputadosReabilitação em amputados
Reabilitação em amputados
 
Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
 
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em FisioterapiaTestes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
 
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososBenefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
 
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle internoAula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
 
Reabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de JoelhoReabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de Joelho
 
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motorasCinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
Cinesioterapia Classica e suas ações nas disfunções motoras
 
Hidroterapia introdução - aula 1
Hidroterapia   introdução - aula 1Hidroterapia   introdução - aula 1
Hidroterapia introdução - aula 1
 
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publicafisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
 
Lombalgia - Lombociatalgia
Lombalgia - Lombociatalgia Lombalgia - Lombociatalgia
Lombalgia - Lombociatalgia
 
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombroCinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
 
Capsulite adesiva
Capsulite adesivaCapsulite adesiva
Capsulite adesiva
 
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapiaAula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
Aula 1 definiçoes e historia da fisioterapia
 
Fisioterapia no puerpério.ppt
Fisioterapia no puerpério.pptFisioterapia no puerpério.ppt
Fisioterapia no puerpério.ppt
 
Reabilitação Cardiovascular, como fazer
Reabilitação Cardiovascular, como fazerReabilitação Cardiovascular, como fazer
Reabilitação Cardiovascular, como fazer
 

Destaque

Treinamento de força gestantes
Treinamento de força gestantesTreinamento de força gestantes
Treinamento de força gestantes
felipethoaldo
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
Alinebrauna Brauna
 
Mudanças na gravidez: Postura e deambulação
Mudanças na gravidez: Postura e deambulaçãoMudanças na gravidez: Postura e deambulação
Mudanças na gravidez: Postura e deambulação
Neto Pontes
 
Apostila curso-de-gestantes
Apostila curso-de-gestantesApostila curso-de-gestantes
Apostila curso-de-gestantes
Márcia Blein
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
luandrade
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
albaguilherme
 
Medico fisioterapeuta
Medico fisioterapeutaMedico fisioterapeuta
Medico fisioterapeuta
abdiellow
 
Apresentação+gestante
Apresentação+gestanteApresentação+gestante
Apresentação+gestante
tvf
 

Destaque (20)

Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Treinamento de força gestantes
Treinamento de força gestantesTreinamento de força gestantes
Treinamento de força gestantes
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA GRAVIDEZ
 
Mudanças na gravidez: Postura e deambulação
Mudanças na gravidez: Postura e deambulaçãoMudanças na gravidez: Postura e deambulação
Mudanças na gravidez: Postura e deambulação
 
Apostila curso-de-gestantes
Apostila curso-de-gestantesApostila curso-de-gestantes
Apostila curso-de-gestantes
 
Apresentacao gestante01
Apresentacao gestante01Apresentacao gestante01
Apresentacao gestante01
 
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
 
Gestação
GestaçãoGestação
Gestação
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Medico fisioterapeuta
Medico fisioterapeutaMedico fisioterapeuta
Medico fisioterapeuta
 
Aula 8 exercicio para populacoes especiais
Aula 8    exercicio para populacoes especiaisAula 8    exercicio para populacoes especiais
Aula 8 exercicio para populacoes especiais
 
Apresentação+gestante
Apresentação+gestanteApresentação+gestante
Apresentação+gestante
 
Apresenta[1]..
Apresenta[1]..Apresenta[1]..
Apresenta[1]..
 
Aula manifestações musculo esqueleticas na gravidez
Aula manifestações musculo esqueleticas na gravidezAula manifestações musculo esqueleticas na gravidez
Aula manifestações musculo esqueleticas na gravidez
 
Grupos especiais
Grupos especiaisGrupos especiais
Grupos especiais
 
Exercício físico e diabetes - Prof. Luciano Daniel Silva
Exercício físico e diabetes -  Prof. Luciano Daniel Silva   Exercício físico e diabetes -  Prof. Luciano Daniel Silva
Exercício físico e diabetes - Prof. Luciano Daniel Silva
 

Semelhante a Atividade na gestação

CARE - Programa para gestantes
CARE - Programa para gestantesCARE - Programa para gestantes
CARE - Programa para gestantes
ericamacedo
 
G ravidez e exercício
G ravidez e exercícioG ravidez e exercício
G ravidez e exercício
Tv união
 
Gravidez e exercicio
Gravidez e exercicioGravidez e exercicio
Gravidez e exercicio
33791655
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
Biblioteca Virtual
 
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopesOsteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
flavio santos
 

Semelhante a Atividade na gestação (20)

Fisioterapia no Pré, pós parto e puerpério.pdf
Fisioterapia no Pré, pós parto e puerpério.pdfFisioterapia no Pré, pós parto e puerpério.pdf
Fisioterapia no Pré, pós parto e puerpério.pdf
 
Fisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiaisFisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiais
 
CARE - Programa para gestantes
CARE - Programa para gestantesCARE - Programa para gestantes
CARE - Programa para gestantes
 
Jornal Comunidade SC_Fevereiro 2013
Jornal Comunidade SC_Fevereiro 2013Jornal Comunidade SC_Fevereiro 2013
Jornal Comunidade SC_Fevereiro 2013
 
G ravidez e exercício
G ravidez e exercícioG ravidez e exercício
G ravidez e exercício
 
V45n3a19
V45n3a19V45n3a19
V45n3a19
 
Gravidez e exercicio
Gravidez e exercicioGravidez e exercicio
Gravidez e exercicio
 
V45n3a19
V45n3a19V45n3a19
V45n3a19
 
Os Benefícios e os riscos de exercícios físicos durante a gravidez
Os Benefícios e os riscos de exercícios físicos durante a gravidez Os Benefícios e os riscos de exercícios físicos durante a gravidez
Os Benefícios e os riscos de exercícios físicos durante a gravidez
 
amamentação.ppt
amamentação.pptamamentação.ppt
amamentação.ppt
 
Efica Fisiot
Efica FisiotEfica Fisiot
Efica Fisiot
 
Treinamento resistido aplicado a gestacao
Treinamento resistido aplicado a gestacaoTreinamento resistido aplicado a gestacao
Treinamento resistido aplicado a gestacao
 
Parto Humanizado
Parto HumanizadoParto Humanizado
Parto Humanizado
 
Atividade fisica e esportiva na gravidez
Atividade fisica e esportiva na gravidezAtividade fisica e esportiva na gravidez
Atividade fisica e esportiva na gravidez
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
 
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopesOsteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
Osteopatia e-o-bebé- -vanessa-faria-lopes
 
Obesidade-
Obesidade-Obesidade-
Obesidade-
 
Massagem em gestantes - Curso livre.pdf
Massagem em gestantes - Curso livre.pdfMassagem em gestantes - Curso livre.pdf
Massagem em gestantes - Curso livre.pdf
 
Centro de fisioterapia
Centro de fisioterapiaCentro de fisioterapia
Centro de fisioterapia
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 

Atividade na gestação

  • 1. DRA. ANA CLARA LOPES DE CASTRODRA. ANA CLARA LOPES DE CASTRO • Fisioterapeuta Graduada pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas – FUNORTE. • Aperfeiçoamento em Fisioterapia Ortopédica e Postural, constando de Avaliação e Testes Especiais, Massoterapia e Drenagem Linfática, Hidroterapia, RPG, Iso-Stretching, Terapia Manual/Osteopatia. •Especialista em Perícia Judicial Cursos em: • Fisioterapia nas Disfunções dos MMII • Dermato-Funcional • Reabilitação Cardíaca no Meio Aquático • Facilitação Proprioceptiva no Desenvolvimento Motor • Radiologia para Prática Fisioterapêutica • III Congresso Brasileiro de Fisioterapia em Cancerologia • Pós Graduada, (Título de Especialista) em Fisioterapia Ortopédica e Postural. anna_clara_castro@hotmail.com annaclara.fisio@yahoo.com.br www.draanaclara.blogspot.com
  • 2. Dra. Ana Clara Lopes de Castro Fisioterapeuta
  • 3.  DOMINGUES, SANTOS & LEAL(2004) explicam que a gestação e o parto são eventos marcantes na vida de uma mulher e de seus familiares.  Representam mais do que um evento simples e biológico, mas sim um status de “mulher” para “mãe.”
  • 4.  Afirmação interessante é de CARVALHO(2005) quando diz que na gestação, no trabalho de parto ocorrem mudanças na posição anatômica da pelve, musculatura, vísceras e períneo.  Dessa forma, está comprovado que tais mudanças podem sofrer menos transtorno quando grávidas realizam fisioterapia.  Os processos biológicos não deixam de acontecer mais sua recuperação é surpreendente mais rápida.
  • 5.  “O assoalho pélvico é um conjunto de partes moles que fecham a pelve, sendo formadas por músculos, fácias e ligamentos”;  “Sua função é de sustentar e suspender os órgãos pélvicos e abdominais,mantendo as continências urinarias e fecais”; FREITAS, MENKE & RODRIGUES, 1999FREITAS, MENKE & RODRIGUES, 1999
  • 6.
  • 7.
  • 8.  No campo da Obstetrícia o fisioterapeuta tem ocupado uma posição importante na equipe que assiste a gestante, pelo menos desde 1912, quando a fisioterapeuta Dra. Minnie Randell juntamente com o obstetra Dr. J. S. Fairbain desenvolveram o conceito de “Obstetrícia Preventiva”  O conceito de fisioterapia pré-natal surgiu sob a influência do trabalho da médica Kathleen Vaughan, que percebeu que as gestantes sedentárias tinham partos mais difíceis do que as barqueiras e as camponesas, as quais mantinham uma vida mais ativa durante a gravidez
  • 9.  Promover e manter uma ótima saúde física e emocional do começo ao final da gestação.  Realizar um trabalho preventivo para as possíveis alterações patológicas, durante e após o parto, desde o 1º ao 9º mês.  Preparar e informar os pais sobre gravidez, parto e puerpério.  A principal finalidade é resultar uma gravidez e o parto o mais saudáveis possível. ZANATTA & FRARE, 2003; MORRE 1998; OLIVEIRA & LOPES.2006
  • 10.  A fisioterapia é, segundo o COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), “uma área de conhecimento em saúde, que estuda os distúrbios cinéticos e sinérgicos funcionais que acometem os órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por trauma ou por condições adquiridas”.
  • 11.  A gravidez, por ser considerada uma condição adquirida pela mulher em idade fértil promovendo alterações de diversos tipos no corpo feminino, passou a contribuir para com a fisioterapia, dando uma importância crescente, uma vez que o mesmo é um profissional habilitado para tratar os possíveis distúrbios musculoesqueléticos e neuromusculares da gravidez, aliviar as algias existentes pelas alterações biomecânicas e orientar sobre a realização das atividades de vida diária e/ou profissionais, melhorando assim qualidade de vida das gestantes.
  • 12.  Vai atuar no período pré e pós parto demonstrando que o trabalho de parto poderá ser menos doloroso e mais eficaz durante os período de dilatação, expulsão e descolamento da placenta.  Não sendo um estado patológico e sim de normalidade fisiológica,assim sendo a grávida poderá se beneficiar com programas específicos de exercícios físicos para cada mês de gravidez. (POLDEM & MANTLE(2005)
  • 13.  Esclarecendo ainda mais, RIBAS & GUIRRO relatam que as alterações: hemodinâmicas, acúmulo de líquidos e gordura localizada em fraqueza do assoalho pélvico, juntamente com stress mecânico da gestação e com suas mudanças emocionais acontecem durante todo o período da gravidez  Dessa forma salientamos novamente a importância do tratamento fisioterápico. (POLDEM & MANTLE(2005)
  • 14.  Previne ganho de peso.  Redução da massa adiposa.  Estimulação da postura.  Melhora da auto estima e imagem corporal.  Melhora do tônus muscular.  Menor risco de estase venosa.  Prevenção de Diabete gestacional.
  • 15.  Melhora no nível de energia/capacidade aeróbica.  Maior facilidade na fase de descida do bebe no trabalho de parto.  Maior rapidez na fase de expulsão.  Menor tempo de hospitalização.  Recuperação pós parto com menor tempo em medidas e relação hormonal.
  • 16.  As sessões de fisioterapia, geralmente, são compostas por exercícios realizados no solo e/ou na piscina aquecida (hidroterapia), com indicações e contra-indicações determinadas, devendo ser iniciadas apenas a partir do segundo trimestre de gravidez, quando os riscos de aborto numa gravidez normal são pequenos.
  • 17.
  • 18.  Ritmo.  Respiração calma.  Padrão diafragmático.  Posturas adequadas.  Cuidados em síncopes.  Hipotensão.
  • 19.  Fortificar a musculatura e alivio de dor durante o parto;  Redução de edema no pós parto imediato;  Estimular boa circulação.
  • 20.
  • 21.  Restauram o tônus da musculatura do assoalho pélvico;  Melhoram a circulação, se ocorrer lacerações do períneo apos parto normal;  Potencializa o prazer sexual;  Previnem: cistocele e retrocele=protusão do útero, bexiga e reto para fora respectivamente.
  • 22.  Os exercícios de kegel foram elaborados para o condicionamento do assoalho pélvico;  Estende-se por todo o período da gravidez como do pós parto.  Após seu fortalecimento previne lacerações no período de expulsão bem como atua na continência urinaria. (gradiente de pressão vesical/uretral).
  • 23.  Ao assentar no vaso sanitário contraia apenas assoalho pélvico isolando abdominais e glúteos, difícil mais não impossível, exige apenas treino. ;  Faça a saída da urina em pequenos jatos e contraia para segurar a urina, se assim o fizer e manter a continência o exercício esta correto.  Em algumas variações os músculos da coxa e abdominais acabam sendo utilizados: cuidado, não deve acontecer;
  • 24.
  • 25.  Exercitando contração do assoalho pélvico:
  • 26.  Importante que a gestante se sinta confortável:
  • 27.  Importante a realização em domicilio, nos auxilia nas sessões.
  • 28.  Involução uterina;  Restabelecimento da circulação normal;  Volta da tonicidade muscular: assoalho pélvico, abdominais e quadríceps  Impedir estase venosa;  Atividade intestinal normalizada; perda de peso;  Restabelecer a biomecânica e postura da mulher