Apostila curso-de-gestantes

11.705 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
16 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.705
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
385
Comentários
0
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila curso-de-gestantes

  1. 1. AULA 01 OS SINTOMAS DA GRAVIDEZ Dr. Waldyr Muniz Ginecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert EinsteinRealização: Colaboração de especialistas do:
  2. 2. Aula 01Os sintomas da gravidezAqui está um resumo do que ensinou o ginecologista e obstetraWaldyr Muniz, do Hospital Israelita Albert Einstein, na primeiraaula do nosso curso. E, nos destaques, algumas informaçõesextraordinárias que a equipe do site apurou para você. Primeiros sinais Eles variam bastante. Na verdade, va- Saiba maisriam de organismo para organismo e de O ideal seria a mulher, aomomento para momento da gestação. O receber a confirmação daprincipal deles é mesmo o atraso mens- gravidez, realizar exames detrual. Por isso, aquelas mulheres com sangue, urina e fezes parao ciclo muito certinho logo desconfiam afastar a hipótese de problemas,quando estão grávidas e, não raro, fa- como infecções capazes dezem algum teste de farmácia. atrapalhar o desenrolar da Vale notar que esses testes, rea- gestação. São os primeiroslizados em casa com uma amostra da exames pré-natais — todosurina, já estão muito mais confiáveis absolutamente necessários!do que no passado. No entanto, o mais É preciso, ainda, um ultrassom para confirmar a idadecerteiro ainda é o exame de sangue gestacional, verificarpara dosar um hormônio chamado beta como o bebê se implantou nohCG. Ele é tão sensível que pode acusar útero e como está batendouma gravidez antes mesmo de qualquer o seu pequeno coração.atraso na menstruação. Outros sinais frequentes são enjoo, al-terações digestivas, como azia e queima-ção, aumento da salivação e do apetite,sem contar a sensação de sonolência. www.bebe.com.br | 2
  3. 3. Aula 01 - Os sintomas da gravidez A culpada é a placenta? No comecinho da gravidez, mal a pla- tuma se sentir mais enjoada e procurarcenta começa a aparecer, ela já passa se poupar nesses momentos. Controlar aa secretar hormônios iguais aos que o alimentação também é importante.corpo da mulher produzia — mas, cla- Para algumas grávidas que costumamro, no caso trata-se de uma produção sentir muito enjoo, alimentos gelados,extra. E esses hormônios, em dosagens como picolés de frutas ácidas, trazemmaiores do que as de costume, acabam algum alívio. Eles podem ser uma espé-influenciando as mais diversas funções cie de recurso de emergência. O funda-do organismo. Portanto, por trás de to- mental é não forçar o apetite e comerdos os sinais da gravidez há uma ação apenas o que sentir vontade para nãohormonal. Não à toa, eles tendem a ser piorar o quadro. O que realmente fazmais intensos quando a mulher espe- diferença para a grávida nessa fase é ara gêmeos. Ora, no caso, ela está for- hidratação, e não a comida. É disso quemando no ventre uma quantidade bem ela não deve se descuidar.maior de placenta — portanto, estáproduzindo mais e mais hormônios e,provavelmente, experimentando maise mais sintomas. Saiba mais Evite comer quando se O problema do enjoo sentir enjoada para evitar Ele é um sinal frequente, mas não obri- as crises de vômito. Mais do que desagradáveis,gatório. Algumas grávidas nunca sentiram elas fazem seu organismoesse mal-estar. Em outras, ele aparece por perder muito líquidovolta da sétima semana de gestação. e minerais importantes para A ansiedade, o estresse, o cansaço físi- o desenvolvimento do feto.co, o excesso de comida ou, ao contrário, Uma ótima sugestão éperíodos de jejum prolongado tendem fracionar as refeições.a agravar as crises de enjoo. O médico Comer pequenas porçõespoderá prescrever medicamentos para de alimentos em intervaloscontrolá-las. O ideal, porém, é a mulher regulares ajuda bastante.perceber em que horários do dia ela cos- www.bebe.com.br | 3
  4. 4. Aula 01 - Os sintomas da gravidez Manter-se hidratada Essa deve ser a preocupação núme- Saiba maisro 1 da gestante, especialmente nesse Uma boa ideia para conter ainício de gravidez. No caso das mulhe- ansiedade é conversar bastanteres que sentem muito enjoo, porém, com seu obstetra e tirar todasum copo de água pode atrapalhar mais as dúvidas. Uma das funçõesdo que ajudar. Elas devem privilegiar mais importantes do pré-natalsucos, leite, iogurtes, sopas e outros é justamente esta: proporcionaralimentos ricos em água, como frutas segurança à futura mamãe.bem suculentas. As alterações emocionais Questões de apetite Elas surgem logo no início e têm a Os famosos desejos por alimentosver com a história de toda uma vida específicos — por ironia, na maioria— o que essa mulher experimentou das vezes difíceis de ser encontradosna infância, sua vida familiar, a ex- naquele momento, como frutas forapectativa em relação ao bebê e ao seu de época — são um sintoma clássicopapel de mãe, o relacionamento com o da gravidez, bastante observado nosparceiro, se é uma gravidez muito de- consultórios dos obstetras. É provávelsejada ou, ao contrário, inesperada... que os hormônios tenham uma par-Tudo conta. É preciso respeitar esses ticipação muito discreta nesse fenô-aspectos psicológicos e refletir sobre meno. Mas, sem dúvida, sua principalesses fatores envolvidos. Até porque causa é de caráter psicológico.eles afetam diretamente os sintomasfísicos e o bem-estar da gestante. www.bebe.com.br | 4
  5. 5. Aula 01 - Os sintomas da gravidez Saiba mais O cálculo do tempo de gravidez Se achar todas essas contas complicadas, há uma saída fácil. Uma gestação dura 40 semanas, em Visite o bebe.com.br e use amédia. E os médicos costumam contá-la a nossa calculadora de gravidez, quepartir do primeiro dia da última menstrua- entrega a data provável doção. Portanto, faça o seguinte: parto em alguns segundos.• Anote a data da última vez em que Caso você não se lembre da data você menstruou. da última menstruação, não se• Vamos imaginar que tenha sido no dia preocupe. O primeiro ultrassom 2 de abril. Primeiro, some 7 ao número resolve a questão, ao medir do dia. Ou seja, 2 + 7 = 9. o feto. Seu tamanho também• Então, subtraia 3 do número do mês, indica a idade gestacional. que no caso de abril é 4. Ou seja, 4 - 3 = 1, número equivalente a janeiro. O resultado desse cálculo indica que a O sexo do bebê Para aquelas que desejam descobrir criança deverá nascer aproximada- o sexo antes do nascimento e nem se- mente em 9 de janeiro. quer querem esperar a ultrassonografia• Se, ao somar o dia da última mens- da 16ª semana — que já é capaz de dar truação com 7, o mês virar, então a essa informação com segurança —, há conta será ligeiramente diferente. Ima- um teste de sangue que pode respon- gine que sua última menstruação tenha der a essa dúvida já na oitava semana. começado no dia 27 de junho. Ora, 27 de Trata-se do exame de sexagem fetal. Ele junho mais sete dias daria 4 de julho no acerta na resposta em 99% dos casos. calendário. Guarde o número 4.• Agora, para calcular o mês, é sim- ples: pegue o número do mês da úl- tima menstrução — mês 6, no nosso exemplo — e subtraia 2 em vez de 3. Ou seja, 6 - 2 = 4. A criança deverá nascer por volta de 4 de abril. www.bebe.com.br | 5
  6. 6. AULA 02AS TRANSFORMAÇ NA ÕESPRIMEIRA METADE DA GRAVIDEZDra. Lucila Pires EvangelistaGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  7. 7. Aula 02As transformações naprimeira metade da gravidezA ginecologista e obstetra Lucila Pires Evangelista, do HospitalIsraelita Albert Einstein, deu a segunda aula do nosso curso sobre essetema. E aqui está o resumo para você consultar sempre que quiser.N as primeiras semanas da gestação, o corpo da mulher é inundado por Para evitar manchas uma série de hormônios. Uma das A grávida precisa usar filtroprimeiras funções desse banho hormonal solar sempre. Não importa seé preparar os seios para a amamentação. o dia está ensolarado ou nublado.Imagine que as mamas lembram um ca- Em seu estado, com a melanina acho de uvas. Elas irão se ramificar e ficar mil, qualquer radiação solar serácom os bagos grandes. Isso porque se pre- o estopim de cloasmas. Aliás, paraparam para, lá adiante, produzir cerca de reforçar a proteção, o ideal seria450 mililitros de leite diariamente. Mas, – se for à praia, à piscina, enfim,com isso, os seios praticamente dobrarão se ficar sob o sol diretamente –de tamanho nos três primeiros meses de usar sempre chapéu, viseira ou boné, ficar sentada sob tendasgravidez. Esse crescimento rápido às vezes ou guarda-sóis e, de preferência,chega a provocar uma ligeira dor. naqueles horários em que a A inundação de hormônios também radiação dá uma trégua,age sobre a pele. Ela tende a ficar mais hi- ou seja, antes das 10 horasdratada e iluminada. Às vezes, bem mais da manhã e depois das 15.oleosa, tanto assim que algumas gestan-tes apresentam acne. Outro efeito não tãoagradável na pele é o surgimento de cloas-mas gravídicos. São manchas escuras nasmaçãs do rosto, formadas por uma concen-tração de melanina, o pigmento naturalque nos dá cor. Ocorre que, na gravidez,sua produção é disparada. www.bebe.com.br | 2
  8. 8. Aula 02 - As transformações na primeira metade da gravidez Os cabelos são uma história à parte.Normalmente, eles crescem, ficam es- Dores e cólicastabilizados por um tempo e caem. Mas,na gestação, quando os hormônios fe- É comum, logo no iníciomininos imperam, os fios praticamen- da gestação, sentir cólicaste só crescem. Por isso, a cabeleira de e leves puxões na barriga.quem está grávida fica mais bonita, vo- Isso porque o útero está crescendo rapidamente. Anteslumosa, brilhante. Só que, claro, isso de engravidar, esse órgão tinhaé temporário. Quando o bebê nasce e o tamanho de um punho fechado.os níveis hormonais voltam ao normal, Mas com três meses de gravidezos cabelos que cresceram ao longo dos já está do tamanho de umaúltimos nove meses tendem a cair. Às manga-rosa, aproximadamente!vezes, a queda é tão intensa que asnovas mamães se assustam, achandoque algo de errado está ocorrendo. Não Como se tudo isso fosse pouco, oshá nada para se preocupar porque é hormônios ainda agem na mente. Elesassim mesmo: os cabelos crescem mais deixam a mulher menos focada. Ficana gravidez e caem depois. Isso é ab- mais difícil para ela se concentrar emsolutamente normal. uma tarefa — é como se vivesse mais distraída. Mas, na verdade, é quase o Olhar de grávida oposto. Ela se torna mais alerta, pres- tando atenção em tudo o que está ao Alguns oftalmologistas são seu redor no ambiente — e não neces- capazes de diagnosticar uma sariamente só no que está à sua fren- gravidez antes mesmo do te. É uma estratégia de proteção cria- ginecologista! Isso porque, da pela natureza, como se a grávida na gestante, a curvatura do olhasse para todos os lados, o tempo olho muda. E, outra vez, por todo, para proteger o bebê. causa da ação dos hormônios. Outro mecanismo de defesa é a sen- Essa alteração provoca sibilidade do olfato e do paladar. Na dificuldades de adaptação a natureza, em geral tudo o que é tóxico lentes de contato, por exemplo. Após o parto, os olhos voltam tem gosto ou cheiro fortes. Por isso, a a ter a curvatura do passado. grávida tende a rejeitar qualquer sa- bor ou odor mais intensos. E é comum www.bebe.com.br | 3
  9. 9. Aula 02 - As transformações na primeira metade da gravidezainda que seu organismo peça maisalimentos que são energia pura, como Uma piscinaarroz, pão, macarrão, batata. Afinal, dentro de você!ele precisa mesmo de muita energiapara formar o embrião. Quando essa Com oito semanas de gestação,fase inicial termina, na 12ª semana, o quando o embrião tem cerca deapetite costuma voltar ao normal. 1,5 centímetro, ele já se mexe — e como se mexe! Fica nadando Desde o início da gestação, a estru- dentro de uma bolsa cheia detura óssea também começa a se modi- líquido amniótico. No quartoficar. Ela precisa se adaptar para aco- mês, essa espécie de bexigamodar um bebê dentro do corpo e, ao contém o equivalente a umfinal de nove meses, permitir que ele copo cheio desse líquido —passe pela bacia. Para que isso aconte- uma verdadeira piscina. Nessaça, os ossos ficam mais maleáveis. As fase, a placenta também jáarticulações terminam mais frágeis. está pronta para assumir suasTudo isso, ainda por cima, afeta a no- múltiplas funções. Além deção de equilíbrio corporal. Por isso, as ajudar a proteger a criança, ela se encarrega de suagrávidas são mais sujeitas a entorses, oxigenação e nutrição.por exemplo. E o recomendável é queevitem saltos altos. A formação do bebê Logo no comecinho, ainda por prontos. Músculos e cartilagem volta de três semanas de gestação, surgem e ficam aptos a crescer as primeiras células do sistema a partir da oitava semana. nervoso se diferenciam, formando E, com 12 semanas, todos as estruturas que darão origem ao os demais órgãos dão o ar da cérebro e à medula do seu filho. graça – rins, pulmões, fígado... Por volta da sexta semana, sangue, Tudo, a partir daí, só precisará veias, artéria e o coração estão crescer e amadurecer. www.bebe.com.br | 4
  10. 10. AULA 03AS TRANSFORMAÇÕES NASEGUNDA METADE DA GRAVIDEZDra. Lucila Pires EvangelistaGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  11. 11. Aula 03As transformações nasegunda metade da gravidezVamos relembrar o que ensinou a ginecologista e obstetraLucila Pires Evangelista, do Hospital Israelita AlbertEinstein, na terceira aula do nosso curso.A s mudanças no corpo da mulher A sensação que a grávida tem desse mo- continuam com o avanço da vimento é que pode mudar. Lá no início gestação. Nessa etapa, elas são da gravidez, o bebê parecia um peixinhomarcadas muito mais pelo crescimento que, de vez em quando, surgia nadandoacelerado da barriga do que pelos efei- em sua barriga. A partir do quinto mês,tos dos hormônios. E a barriga, por sua ela começa a perceber joelhos, mãos,vez, cresce para acompanhar o bebê, cambalhotas... Essa percepção reforça oque está cada vez maior. vínculo mãe/filho. E, a partir do sétimo Entre o quinto e o sexto mês, a grávida mês, claro, ela leva muitos chutes, al-começa a viver uma fase muito agradá- guns até bem doloridos.vel. Os enjoos, provavelmente, se torna- Na reta final da gestação, o bebê járam coisa do passado. A barriga despon- não faz movimentos tão bruscos e àstou, mas não está enorme a ponto de vezes a grávida até estranha, achandoprovocar algum desconforto. E o melhor: que ele está se mexendo menos e que,ela começa a sentir o bebê se mexer pra por isso, algo está errado: ora, simples-valer. Isso lhe dá uma noção concreta mente ele cresceu e já não há tanto es-de que está carregando uma criança no paço em sua barriga! Só por essa razãoventre e, quando ela se move, é como se o bebê fica menos agitado.a mulher soubesse que tudo está bem. Nessa fase — aliás, desde o sexto mês Aliás, é importantíssimo observar: — ela pode sentir uma vontade frequen-a movimentação do bebê deve ser di- te de fazer xixi. Isso porque a bexigaária. Ele até pode se mexer mais em está espremida pelo útero grandalhão e,um dia, menos em outro. Tende a se ao menor volume de urina, já parece lo-movimentar, por exemplo, quando a tada. Não só ela está no maior aperto: omulher se alimenta. O fato é que pre- estômago, o intestino, o diafragma... Ocisa se mexer todo dia. útero, a esta altura, começa a comprimir www.bebe.com.br | 2
  12. 12. Aula 03 - As transformações na segunda metade da gravideztudo ao seu redor. Por isso, a grávida Os seios também se transformam.também pode experimentar azia, prisão Eles, que já cresceram no início dade ventre e até falta de ar, mesmo que gestação, agora ficam com as aréo-não tenha feito esforço algum. Nesses las, a parte pigmentada ao redor domomentos, para recuperar o fôlego, nada bico, bem escuras. E, nelas, costu-melhor do que se sentar e jogar o corpo mam surgir pequenas bolinhas quepara a frente. Assim, o peso da barriga lembram espinhas. Não é para espre-deixa de apertar o diafragma, músculo mê-las! Elas, na verdade, são glân-envolvido diretamente na respiração, e dulas sebáceas que se desenvolveramela logo se normaliza. para lubrificar a região. Para driblar a azia A partir do quinto mês, talvez você note a saída de um líquido Procure diminuir as porções transparente das mamas, de comida e, em compensação, especialmente ao apertar faça várias pequenas refeições o bico dos seios. É o colostro, ao dia. Durante as crises, o primeiro leite, riquíssimo prefira alimentos pastosos. em proteínas e defesas para o bebê. Ele pode surgir logo depois do parto, mas algumas mulheres já produzem, sim, Entre o sétimo e o oitavo mês, como a uma pequena quantidade debarriga está muito maior, há um meca- colostro durante a gestação.nismo de compensação que leva a umaalteração da postura. As pernas se sepa-ram ligeiramente e o eixo da coluna se Não podemos nos esquecer que, nacurva um pouco mais do que o habitual. reta final da gestação, a grávida temSe a grávida exagera ao inclinar as cos- cerca de 1,5 litro a mais de líquido emtas para contrabalançar o peso da barri- seu corpo. E o excedente, além de pro-ga, porém, surgem dores nas costas — o vocar inchaços, se concentra, princi-que, aliás, é comum. A região do púbis palmente, nos membros inferiores. Astambém fica dolorida, porque a bacia vai veias das pernas tendem a sofrer comse abrindo ao se preparar para o parto. essa sobrecarga. Além de usar meiasAfinal, por ela deverá passar um bebê. elásticas de compressão, a grávida www.bebe.com.br | 3
  13. 13. Aula 03 - As transformações na segunda metade da gravidezdeve procurar se movimentar a cada Elas têm a função de alagar o útero eduas horas, no mínimo. E, quando as prepará-lo para o parto. São positivaspernas estiverem muito inchadas, uma e esperadas na maioria dos casos.boa alternativa é um banho morno. As contrações de Braxton Hicks, a O que muitas mulheres se perguntam, barriga, o inchaço — nada disso, noporém, é quanto seria normal engordar fundo, impede que a gestante saudá-em uma gestação. A resposta: entre 9 e vel leve uma rotina normal. Ela pode12 quilos. Destes, cerca de 3 quilos cor- passear, trabalhar, praticar atividaderespondem ao bebê. O líquido amnióti- física, fazer sexo — com moderação,co pesa 1 quilo, assim como a placen- tudo é permitido, e gozar a vida sóta. E aquele 1,5 litro extra de sangue faz bem à futura mamãe.equivale a 1,5 quilo. A mulher sai damaternidade, portanto, com cerca de7 quilos a menos do que entrou. O ganho de peso e o crescimento da barriga favorecem o aparecimento de estrias. Elas surgem porque, de tanto a pele esticar, suas fibras de sustentação se rompem, deixando marcas. Para evitá-las, além de tentar se manter em um peso adequado, a grávida precisa deixar a pele bem hidratada e beber muito líquido. Nos últimos meses, a grávida sen-te que, ao longo do dia, sua barrigafica dura de vez em quando e parecemudar de posição. Esses movimentos— que, diga-se, não são dolorosos —são as contrações de Braxton Hicks. www.bebe.com.br | 4
  14. 14. AULA 04A GRAVIDEZ DE GÊMEOSDr. Carlos Eduardo CzeresniaGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  15. 15. Aula 04A gravidez de gêmeosO resumo das informações da aula doginecologista e obstetra Carlos Eduardo Czeresnia,do Hospital Israelita Albert Einstein.A presença de dois bebês no úte- E isso por causa da tal sobrecarga. ro da mulher sempre representa A sobrecarga é uma espécie de em- uma sobrecarga importante — purrão para a mulher desenvolver pro-uma sobrecarga alimentar, circulatória, blemas se por acaso já tinha propensãoosteoarticular... É, de fato, um peso a para tê-los. Assim, a grávida com ten-mais. Portanto, há uma dose de descon- dência a diabete muito provavelmenteforto a mais. Sem contar que a ansie- apresentará essa doença se estiver espe-dade, diante da perspectiva de cuidar rando gêmeos. A mulher com tendênciade dois bebês ao mesmo tempo, tende a a hipertensão poderá ficar com a pressãoduplicar também. nas alturas. Assim como aquela que já A questão que precisa ficar clara é até tinha dificuldades respiratórias ou pro-que ponto a gestação de gêmeos pode blemas de coluna talvez sofra de crisesser classificada como uma gravidez de intensas durante a gestação.risco — enfim, o que seria risco nes- Por essas e por outras, claro, o pré-na-se caso? É preciso, antes de mais nada, tal na gravidez gemelar precisa ser muitoressaltar que a evolução nas técnicas mais cuidadoso. As visitas ao médico, porde reprodução assistida, observada nos exemplo, devem ser mais assíduas paraúltimos anos, faz com que hoje de 2 a acompanhar os bebês e ver, entre outras3% das gestações sejam de gêmeos. E, coisas, se um não está se desenvolvendocomo se tornaram mais comuns, a me- muito mais do que o outro. Aliás, muitasdicina adquiriu um conhecimento mui- vezes o exame clínico não é suficiente. Éto maior sobre elas. Agora, os médicos comum o médico pedir mais ultrassono-conseguem acompanhá-las de maneira grafias para ter certeza sobre como estáainda mais adequada, com abordagens o crescimento de um e de outro, o líquidocada vez mais seguras, diminuindo bas- de um e de outro, a placenta...tante a probabilidade de complicações. Além de fazer o pré-natal corretamen-Mas, claro, sempre restam alguns riscos. te, a grávida deve prestar muita atenção www.bebe.com.br | 2
  16. 16. Aula 04 - A gravidez de gêmeosna alimentação. Durante a gravidez, otrânsito intestinal já tende a se tornar A duração da gravidezmais lento. E, para complicar ainda maisas coisas, no caso da gestante que espe- Estatisticamente as mulheresra gêmeos, há uma necessidade maior de que esperam gêmeos tendemcalorias e proteínas. Ela então precisa a dar à luz umas duas semanascomer de uma forma mais correta do que antes das 40 habituais de uma gestação porque a distensão donunca — em intervalos bem curtos e in- útero é muito grande. Agora, égerindo pequenos volumes de alimentos importante que você saiba: nãode fácil digestão. Isso porque, à medida significa que toda gravidez deque crescem, os bebês ocupam o espaço gêmeos tenha que terminar antesdo abdômen, diminuindo a capacidade das 40 semanas! Muitas mulheresdo estômago e tornando o trânsito da pensam que precisam anteciparcomida pelo tubo digestivo ainda mais o parto. Não é verdade.vagaroso. Se a grávida arriscar comer A gestação gemelar, emuma porção maior numa situação des- princípio, dura as mesmassas, ela sentirá um enorme mal-estar — 40 semanas, como a gestação únicae, provavelmente, não estará nutrindo — o que não pode acontecer é ultrapassar esse tempo.direito seus bebês. O repouso precisa ser respeitado rigo-rosamente. Ele diminui a tensão, reduz Não existe nenhuma restrição emo tônus do períneo e as contrações ute- relação ao parto normal. A única con-rinas — o que faz com que os bebês se dição é que os dois estejam de cabe-desenvolvam mais, favorecendo o au- cinha para baixo. E, diga-se, costu-mento do tempo de gestação. ma ser um parto até bem tranquilo, A atividade física é igualmente fun- porque gêmeos costumam ser bebêsdamental. Como a sobrecarga — cir- menores do que as crianças nascidasculatória, óssea, articular e até res- de gestações únicas.piratória — é muito grande, torna-se Seja como for, o pós-parto costumanecessário que a mulher se prepare ser um pouco mais delicado. Ora, oadequadamente. É claro que precisa útero se distendeu muito mais do queser um exercício orientado, adequado o da mulher que passou por uma gra-ao seu estado — ela não pode sair cor- videz simples — portanto, ele demorarendo, mas pode praticar hidroginásti- um pouco mais para voltar ao estadoca, ioga, alongamento... Há uma série de normal. O sangramento costuma ser,opções fantásticas para a grávida. inclusive, mais intenso. E detalhe: www.bebe.com.br | 3
  17. 17. Aula 04 - A gravidez de gêmeosessa mulher já chegou mais cansada e,provavelmente, ligeiramente anêmicaà sala de parto. Tudo isso faz com quemereça mais cuidados na maternidade.Sem contar a ansiedade. Por exemplo:a dificuldade para amamentar dois be-bês, no início, pesa bastante. Por isso, érelativamente comum encontrar a mãede gêmeos, no pós-parto, ligeiramenteabatida ou deprimida. Ela merece, sim,carinho e uma atenção especial. www.bebe.com.br | 4
  18. 18. AULA 05A ATIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZDr. Eduardo ZlotnikGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  19. 19. Aula 05A atividade física na gravidezO ginecologista e obstetra Eduardo Zlotnik, do HospitalIsraelita Albert Einstein, deu a quinta aula do nossocurso, sobre a prática de exercícios durante a gestação.A atividade física é recomendada a todo mundo, a todas as mulheres. Quando há A gestante, portanto, não é exce- contraindicaçõesção. Ela deve continuar praticando exer- ao exercíciocício. Aliás, o ideal seria a mulher deixar • quando a mulherseu corpo em forma antes mesmo de en- tem sangramentosgravidar, ou seja, ao planejar um bebê. • quando a placenta A mulher pode se exercitar, inclusive, apresenta problemasno início da gestação, ao contrário do • quando há umaque muita gente imagina. Tecnicamen- dilatação do colo uterinote, não há nada que a impeça — basta • problemas cardíacos prévios,até lembrar que a maioria só sabe que ainda mais considerando queestá grávida quando já está com um ou a própria gravidez é umadois meses de gravidez. Se o organismo sobrecarga para o coração.é saudável, não existem riscos. Por que,então, esse mito? Porque infelizmen-te uma parte das mulheres — em tor-no de 10% — perde o bebê no primeirotrimestre de gestação e, daí, relacionaisso ao que estava fazendo. Ora, se faziaginástica, passa a culpar as sessões deexercício pelo episódio, que provavel-mente aconteceria de qualquer maneira.O melhor a fazer é sempre conversar como médico: se estiver tudo bem, ele pro-vavelmente irá liberar o exercício. www.bebe.com.br | 2
  20. 20. Aula 05 - A atividade física na gravidez Procure fazer pelo menos 30 minutos Ao escolher uma atividade física parade exercício cinco vezes por semana praticar nesses nove meses, a mulher pre-— ou, melhor ainda, todos os dias, se cisa lembrar que seu peso está mudando.conseguir. Isso seria o ideal. Não é tão O centro de gravidade também, o que al-complicado quanto parece. Você pode tera o jeito de andar. Ela se alonga comcaminhar até o restaurante próximo do maior facilidade porque suas articulaçõesseu trabalho — e, só nesse trajeto de estão com maior mobilidade. Enfim, algu-ida e volta, consumir 20 ou, quem sabe, mas modalidades levam vantagem numaos tais 30 minutos. situação dessas. A caminhada é uma de- Existem mulheres que começam a se las, claro. As atividades na água tambémexercitar quando ficam grávidas e preci- são uma boa. Não à toa, são muito procu-sam mesmo pegar leve. Para elas, qual- radas. No mais, vale qualquer esporte quequer caminhada já é um tremendo ga- ofereça segurança.nho. Outras estavam acostumadas a, por Não pode existir risco de trauma ou que-exemplo, caminhar 10 quilômetros por dia da. O tênis, por exemplo: parece inofensi-e, no final da gestação, só conseguem per- vo, mas imagine a bolinha batendo bemcorrer 5 quilômetros. Tudo bem, é normal. na barriga. Esportes de contato, como oCom o crescimento da barriga, a perfor- basquete, devem ser evitados. O mergu-mance diminui mesmo e o importante é lho, idem, por causa da descompressão.manter a pulsação e se sentir bem. Não é Esqui e todos os esportes que exigem agi-o momento de se superar. lidade estão descartados. A gestante que pratica atividade física Abdominais melhora a circulação e incha menos. Ad- quire uma melhor percepção do corpo e de Uma dúvida comum: posso suas transformações. O exercício é um dos fazer abdominal? Até poderia, principais recursos para evitar as famosas mas provavelmente não vai lombalgias, dores nas costas que afligem conseguir com a barriga muitas grávidas, principalmente nos últi- enorme — e nem iria adiantar. mos meses. E, para completar, é sabido que Nessa fase, é mais importante a gestante que se exercita — em compa- inclusive trabalhar a musculatura pélvica e os alongamentos. ração com a grávida que não pratica uma Isso renderá muito mais. atividade física — tem menos melancolia durante os nove meses e no pós-parto. www.bebe.com.br | 3
  21. 21. Aula 05 - A atividade física na gravidez Não é para perder peso! Cuidados importantes Quem engravidou acima do peso • Não faça exercícios não deve querer eliminar o excesso de estômago vazio de quilos nesses nove meses. No • Beba bastante água caso, praticar um esporte ajuda enquanto treina no sentido de controlar • Use roupas e acessórios o ganho de peso para que adequados a cada esporte, ele fique dentro do esperado, ou evitando lesões seja, entre 9 e 12 quilos a mais. www.bebe.com.br | 4
  22. 22. AULA 06ALIMENTAÇÃO NA GRAVIDEZDra. Mariangela MalufGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  23. 23. Aula 06Alimentação na gravidezA ginecologista e obstetra Mariangela Malufdeu a sexta aula do nosso curso, em que explicoucomo a grávida deveria comer para se manter saudávele garantir o bom desenvolvimento do bebê.Q uando falamos em alimentação Aliás, a ideia nunca é se entupir de ca- saudável na gravidez, no fundo lorias. A grávida precisa comer para dois, estamos definindo uma boa ali- e não comer por dois — o que é bem dife-mentação para qualquer indivíduo. E ela rente. No primeiro trimestre de gestação,seria composta de cinco ou seis refeições, sua necessidade calórica é a mesma deporque — além do desjejum, do almoço e sempre. No segundo trimestre, sim, elado jantar — não podemos nos esquecer precisa aumentar um pouco o consumodos lanches no meio da manhã e da tar- energético — cerca de 350 calorias a maisde, sem contar aquele outro lanchinho, a todo dia, algo como um copo cheio de lei-ceia, feito antes de dormir. te integral e um bife pequeno de 60 a 70 Essas paradas para comer algo ao longo gramas, ou seja, nada assim tão gigantes-do dia são importantíssimas porque aju- co. Na reta final da gravidez, isto é, nodam a manter estáveis os níveis de açúcar terceiro trimestre, a mulher deve ingerirno sangue. E diga-se: nas gestantes, eles apenas 450 calorias extras diariamente.tendem a cair depressa depois de um je-jum prolongado, criando um quadro maissevero de hipoglicemia. De onde vêm Quando a grávida fica mais de quatro ou as calorias que acinco horas sem ingerir nada, sente tre- grávida deve consumir?mores, tonturas, náuseas. Para evitar todo 40% da gorduraesse mal-estar, ela deve ter sempre à mão (dos óleos vegetais, por exemplo)alimentos como barrinhas energéticas efrutas. Ou parar para comer uma gelati- 30% da proteínana, um pedaço de queijo ou um iogurte. (carnes, ovos, peixes, leite, aves...)Note que esses são exemplos de alimentosque nem chegam a ser muito calóricos — 30% do carboidrato (pão, arroz,mas já são o bastante para fazer os níveis batata, cereais...)de açúcar se estabilizarem. www.bebe.com.br | 2
  24. 24. Aula 06 - Alimentação na gravidez O prato da grávida deve privilegiar tam- meça a planejar uma gravidez, uns trêsbém os famosos micronutrientes, como as meses antes de engravidar.vitaminas. Entre elas, vale destacar a B6, E uma coisa é certa: no cardápio daa B12 e a vitamina A. Essa última se acu- gestante não deveria faltar carne ver-mula no organismo, por isso o consumo melha. Esse ingrediente contém novedeve ser sob medida. Ou seja, ao mesmo tipos de aminoácidos essenciais, subs-tempo que esse nutriente não pode faltar, tâncias precursoras de proteínas quea grávida deve evitar comer com frequên- serão usadas, feito tijolos, na formaçãocia alimentos como patê de fígado, que e no desenvolvimento do bebê. De to-tem alta concentração dele. das as eventuais restrições alimentares Também devemos nos lembrar dos que uma grávida pode ter, é nessa queoligoelementos — como o magnésio, o devemos prestar mais atenção, porqueselênio e o zinco —, que, afinal, são es- pode comprometer a criança no futu-senciais para a formação e o crescimen- ro, criando inclusive dificuldades deto do bebê. Para que eles e outros tantos aprendizado. Por isso mesmo, o conse-nutrientes importantes nunca faltem no lho para as vegetarianas é claro: elasprato da grávida, ele deve ser colorido, devem procurar depressa a orientaçãocom legumes e verduras diversas. E ela de um profissional nutricionista, quetambém deve sempre consumir muitas irá balancear seu prato para garantir ofrutas e cereais integrais. aporte de todos os aminoácidos e vita- Por mais variada que seja a dieta, po- minas essenciais para a gestação, com-rém, a gestante não está livre da su- pensando a falta da carne.plementação do ácido fólico, nutriente Além das vegetarianas, as grávidas quefundamental para a formação do sistema se encontram muito abaixo do peso tam-nervoso do feto. Sem ele, os riscos de o bém devem buscar uma orientação nutri-bebê apresentar malformações aumen- cional. Provavelmente, vão precisar au-tam. Por isso, toda mulher é orientada mentar ainda mais a ingestão calórica parapelo obstetra a tomar cápsulas de ácido não colocar o bebê em risco. Já as obesasfólico diariamente durante o primeiro merecem uma visita ao nutricionista paratrimestre. Na realidade, o ideal é iniciar evitar que engordem ainda mais, prejudi-a suplementação quando a mulher co- cando o trabalhado de parto. www.bebe.com.br | 3
  25. 25. Aula 06 - Alimentação na gravidez Para reduzir Existem, claro, alguns cuidados e res- a prisão de ventre trições. No caso das saladas, por exem- plo, é melhor que as folhas sejam sempre Uma queixa muito comum lavadas com hipoclorito de sódio, subs- na gestação é a do intestino tância usada para esterilizar. Quando preso. Há medicamentos não se tiver certeza da assepsia, melhor específicos para contornar esse optar por legumes e verduras cozidos. problema, mas também é possível Eles não têm tantas vitaminas quanto os melhorar o funcionamento do vegetais crus, mas oferecem baixíssimo intestino comendo alimentos risco de contaminação por bactérias. com mais fibras e bebendo muita Os peixes, ótimas fontes de proteína, água. Sucos caseiros, feitos com iogurte, linhaça, gergelim, também merecem atenção. Eles infeliz- sementes de girassol e ameixa, mente não devem ser consumidos todos costumam dar muito certo. os dias pelo risco de contaminação por mercúrio, metal pesado que muitas vezes contamina as águas e se encontra nos pes- Alívio ao refluxo! cados. Se ultrapassar o limite e chegar ao bebê, poderá afetar seu sistema nervoso. A partir do sétimo mês, é comum a Adoçantes como o aspartame, a sucra- gestante sentir certa queimação no estômago. Isso tem nome: refluxo. lose e a estévia são seguros porque, con- O útero cresce muito e aperta sumidos com moderação, não oferecem o estômago. O que tem dentro risco ao bebê. Já a sacarina e o ciclamato dele, quase invariavelmente, podem causar câncer de bexiga no feto. volta para o esôfago. Para evitar Apesar de a chance de o problema ocorrer esse desconforto, melhor comer ser muito pequena, melhor não arriscar. alimentos de digestão rápida, Os refrigerantes e iogurtes dietéticos têm como os carboidratos (arroz, pão, grande quantidade de sacarina e ciclama- batata, macarrão), especialmente to e, por isso mesmo, devem ter o consu- à noite. Comidas ricas em gorduras mo reduzido a uma vez na semana. (os óleos vegetais) e as proteínas (como as carnes), que são A mesma orientação de consumo mo- digeridas mais lentamente, devem derado serve para os enlatados e embuti- ser saboreadas com parcimônia, de dos. Eles têm uma quantidade excessiva preferência na hora do almoço. de um conservante, o nitrito, usado para evitar a contaminação por botulismo. www.bebe.com.br | 4
  26. 26. Aula 06 - Alimentação na gravidezAltas doses de nitrito na gestação, po-rém, podem aumentar as chances de obebê sofrer alterações na oxigenação ede ter câncer de bexiga. Mas, calma, nãosão nove meses só de carne vermelha,frutas, verduras e legumes! A grávida pode tomar, por exemplo, atéduas xícaras de café por dia. E, se qui-ser saborear um bom chocolate, podedegustar um bombom de até 20 gramasdiariamente — o limite, no caso, é paranão extrapolar nas calorias. Também estáliberada para se divertir, duas vezes nasemana, com pão ou pizza ou ainda combolo e doces feitos com açúcar branco. O que toda gestante precisa se lembrar,para ter força de vontade, é que esse pe-ríodo diferente, com um pouco de res-trições e muita disciplina, dura apenasnove meses, e não nove anos. Nove me-ses passam depressa! E, se ela se alimen-tar direito, estará gerando uma criançamuito mais saudável, com certeza. www.bebe.com.br | 5
  27. 27. AULA 07RELAXAMENTO E ALONGAMENTOFisioterapeutas do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  28. 28. Aula 07Relaxamento e alongamentoAs fisioterapeutas do Hospital Israelita Albert EinsteinCristiane do Prado e Olívia Cerri falaram sobre essetema na aula 07 do nosso curso e ainda ensinaram algunsexercícios para as grávidas. As explicações e as sugestõesestão aqui neste resumo, elaborado para você guardar.É comum as mulheres terem queixas Entre os exercícios, os respira- durante a gestação, especialmen- tórios são importantíssimos. Eles te de dor nas costas e de incha- ajudam bastante porque, em pri-ço nas pernas. Elas são decorrentes das meiro lugar, dão à própria mulhertransformações, que são normais e que uma maior consciência do seuacontecem gradualmente em seu corpo corpo. Sem contar que melhoramao longo dos nove meses, impulsionadas a oxigenação tanto da mãe quan-pelo crescimento do bebê. to do filho. Por falar no bebê, ele Na correria do dia a dia, muitas grá- sente o tempo todo como está avidas só notam essas mudanças justa- respiração materna. Portanto, semente quando sentem algum incômodo. a grávida consegue, por meio des-O ideal seria preparar seu corpo para ses exercícios, respirar mais tran-suportar todas essas transformações quilamente, ela passa essa sensa-— uma medida que, no mínimo, ame- ção de calma e segurança para anizaria esses sintomas. Há uma série de criança que está em seu ventre.alongamentos e exercícios muito úteis Por fim, a técnica dos exercíciosnesse sentido, que a gestante poderia respiratórios pode ser muito útilincorporar à sua rotina diária. na hora do parto. www.bebe.com.br | 2
  29. 29. Aula 07 - Relaxamento e alongamentoPrimeiro exercício Segundo exercíciode respiração de respiração• Sente-se com os pés bem apoiados no • Ainda sentada, com os pés bem apoia- chão e as costas confortáveis, prestan- dos no chão e as costas confortáveis, do bastante atenção na região lombar. deixe as mãos agora na região abdomi-• As duas mãos devem ficar pousadas nal, abaixo dos seios. sobre o tórax. • Puxe o ar lentamente, percebendo que• Inspire pelo nariz, percebendo que as mãos se afastam. os dedos se afastam ligeiramente. • Expire também devagar, notando as E, depois, expire lentamente pela mãos se aproximarem. boca, notando que os dedos agora se • Repita este exercício dez vezes. aproximam.• Repita este exercício dez vezes. www.bebe.com.br | 3
  30. 30. Aula 07 - Relaxamento e alongamento A postura e o andar são profundamen-te alterados durante a gestação devido aoaumento e à nova distribuição do peso,que se concentra na barriga. A grávidatende a inclinar as costas para trás e agirar os pés para fora, afastando-os. Paranão piorar a situação, ela deve tomar al-guns cuidados. Por exemplo: carregar me-nos peso na bolsa. Os saltos devem ter nomáximo 5 centímetros. E, se precisar ficarmuito tempo em pé, o melhor é conseguirum apoio também de uns 5 centímetros eir alternado os pés. Tudo isso ajuda. Mesmo assim, o novo rearranjo dapostura tende a provocar dores lomba-res. Por isso, alguns exercícios de alon-gamento e reforço da musculatura sãofundamentais. Eles ajudam a preveni-las e, se possível, também devem serpraticados todos os dias.Primeiro exercíciopara as costas• Em pé, mantenha os joelhos levemente flexionados e as costas alongadas.• Incline o tronco para um lado e conte, pausadamente, até 20.• Incline-se para o outro lado e conte até 20 novamente, mantendo a respiração tranquila. www.bebe.com.br | 4
  31. 31. Aula 07 - Relaxamento e alongamentoSegundo exercíciopara as costas• Deitada, com os pés apoiados no chão, deixe as pernas dobradas e ligeiramen- te afastadas.• Então, balance-as de um lado para o outro, sentindo o movimento massa- gear a a musculatura da região lombar. Repita este movimento dez vezes.• Em seguida, deixe as pernas caírem para um lado, alongando as costas. Estique o braço do lado oposto, apoie a mão no chão com a palma voltada para cima. Mantenha o seu olhar na mão e fique nessa posição por cerca de dez segundos.• Repita o movimento do outro lado. www.bebe.com.br | 5
  32. 32. Aula 07 - Relaxamento e alongamento No terceiro trimestre de gestação, amulher começa a acumular muito líqui-do, o que provoca inchaços, especial-mente nas pernas, e certa perda de fle-xibilidade nas articulações. Para ajudarnessa situação, o que recomendamos é aprática dos chamados exercícios meta-bólicos, que ajudam na circulação.Primeiro exercíciopara a circulaçãode pernas e pés• Deitada no chão, com as pernas es- ticadas sobre um apoio baixo, faça um movimento circular com os pés — dez vezes para dentro e dez ve- zes para fora.• Em seguida, flexione e estique os pés dez vezes. www.bebe.com.br | 6
  33. 33. Aula 07 - Relaxamento e alongamentoSegundo exercíciopara a circulaçãode pernas e pés• Em pé, com as pernas um pouco afas- tadas e os joelhos dobrados, use um bastão — ou um móvel — como apoio e levante os calcanhares de maneira alternada. Faça isso 20 vezes. O melhor horário para fazer esses exer- Para relaxar, caminhe, leia um livro,cícios — para a circulação, para alongar e aproveite alguns momentos para sentar erespirar melhor — seria logo de manhã. respirar tranquilamente. Aliás, os exercí-Eles funcionam como um despertar do cios de respiração podem ser feitos até nocorpo, preparando-o para suportar o dia. carro, nas horas de congestionamento. www.bebe.com.br | 7
  34. 34. AULA 08DIABETE NA GRAVIDEZDr. Nilson Abrão SzlytGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  35. 35. Aula 08Diabete na gravidezO ginecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert EinsteinNilson Abrão Szlyt falou na aula 08 do nosso curso sobreos cuidados durante a gravidez tanto para as mulheresque têm diabete quanto para aquelas que desenvolvem oproblema na gestação. O resumo dessas explicações está aquiP ara começar, precisamos esclarecer Seja qual for a forma de diabete, o exces- um ponto: nem todo diabete na gra- so de açúcar em circulação chega até o bebê videz é gestacional. Algumas futuras através do cordão umbilical. O organismomamães já eram diabéticas — e nem des- dele reage: seu pâncreas começa a produzirconfiavam — muito antes de engravidar. E insulina além do normal para dar conta deesse diabete preexistente pode ser o do tipo toda a glicose extra — a que não é aprovei-1 ou o do tipo 2. O diabete tipo 1 ocorre tada é estocada em forma de gordura. Porquando o pâncreas é atacado por anticor- isso, as mamães que apresentam diabetepos do próprio sistema imunológico e deixa não controlada têm filhos maiores e, prin-de produzir a insulina, hormônio responsá- cipalmente, acima do peso. Alguns chegamvel pela entrada da glicose nas células. En- a nascer com 7 quilos ou mais.quanto no tipo 2, que tem causas variadas, Logo após o parto, o bebê, acostumadoa insulina é fabricada, mas tem dificuldade com a fartura de açúcar, precisa se adap-para cumprir sua função. Nessas duas va- tar a um mundo não tão açucarado. Seuriações, vale repetir, a doença já existia e pâncreas continua produzindo insulina aacaba sendo descoberta durante a gestação mil e é comum, então, o recém-nascido— não é provocada por ela. Da mesma ma- apresentar uma hipoglicemia, que deveneira, não vai embora depois do parto. ser controlada imediatamente. E isso O diabete gestacional é diferente. Ele apa- pode ser feito oferecendo leite maternorece especificamente na gravidez. E, quando nos primeiros minutos de vida ou, ainda,o bebê nasce, os níveis de glicose tendem a os médicos podem optar por injetar umse normalizar. Ele ocorre porque o pâncreas soro com glicose por algumas horas.de algumas mulheres, sobrecarregado pelos Como saber se a grávida tem o diabetehormônios envolvidos na gestação, não pro- gestacional? Não há outra saída: é precisoduz insulina suficiente para mandar o açú- fazer alguns exames. Até porque os sinto-car do sangue para dentro das células. mas do diabete gestacional não são claros www.bebe.com.br | 2
  36. 36. Aula 08 - Diabete na gravidez— é diferente do que acontece nos tipos É possível controlar o diabete por1 e 2, quando a paciente urina muito e meio da alimentação e da prática deconstantemente, por exemplo. Por isso, uma atividade física regular. Só na-a primeira recomendação é que todas as queles casos em que isso não é sufi-mulheres façam os testes de glicemia logo ciente para reduzir os níveis de açú-no início da gestação para, depois, repe- car no sangue o uso da insulina seti-lo entre a 24ª e a 27ª semana, quando faz necessário.o problema costuma dar as caras. O ideal é que o cardápio seja orien- Quando o diabete é confirmado — seja tado por uma nutricionista, mas oele gestacional ou não —, sempre preci- importante é manter refeições equi-sa ser controlado. E não só em nome da libradas, sem exageros, em interva-saúde do bebê. A grávida com diabete los regulares. Os exercícios devem tersem controle tem maior probabilidade intensidade moderada e precisam fa-de desenvolver hipertensão e infecções, zer parte da rotina diária, com muitaprincipalmente a urinária. disciplina. Não adianta fazer ginásti- ca de segunda a sexta e descansar no Quem está na mira final de semana — para a grávida com diabete, é a constância que faz efeito Algumas mulheres têm maior risco e evita os picos de glicose na circula- de desenvolver o diabete gestacional. Fazem parte desse grupo as que ção. Essas medidas resolvem a maioria engravidam com mais idade; dos casos. Apenas 25% das gestantes as de determinados grupos étnicos, precisam da insulina. E, no caso, a como as asiáticas; e, principalmente, grávida pode ficar tranquila porque o aquelas que estão muito acima do medicamento não faz mal ao bebê. peso. Por isso a importância de Além disso, é preciso manter um entrar na gravidez em boa forma. controle diário da glicemia, o nível E, mesmo se você está de bem de açúcar, principalmente depois das com a balança, há sempre a refeições. Isso significa usar apare- probabilidade de ter o problema lhos que dosam a glicose por meio — claro que, no caso, ela será bem de uma pequena picada no dedo para menor. Mas vale a pena ficar de olho e fazer exames durante o pré-natal. analisar uma gota ínfima de sangue. É simples, eficiente e não dói! www.bebe.com.br | 3
  37. 37. Aula 08 - Diabete na gravidez Mesmo tomando todos os cuidados, o diabete pode fugir ao controle e provocar problemas nos rins, na circulação e elevar a pressão arterial. Se isso acontece, o parto costuma ser antecipado. Por isso o número de casos de prematuridade entre as gestantes diabéticas é maior. Mas boa parte delas segue até o final da gestação com tranquilidade. Tudo é uma questão de fazer um bom acompanhamento e controlar o açúcar no sangue. No diabete gestacional, depois que obebê nasce, os níveis de açúcar no san-gue da mamãe voltam a se equilibrar.No entanto é recomendado que essamulher faça testes periódicos para sa-ber se a intolerância à insulina aindapersiste, porque ela sempre apresenta-rá uma tendência a esse tipo de proble-ma. Os primeiros exames são realizadosentre 40 e 60 dias após o parto. E, de-pois, devem ser repetidos a cada doisou três anos para afastar a hipótese deum diabete tipo 2. Vale ficar atenta eadotar um estilo de vida saudável paraque ele nunca dê as caras. www.bebe.com.br | 4
  38. 38. AULA 09A PREMATURIDADEDr. Marcelo ZugaibGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  39. 39. Aula 09A prematuridadeQuando um parto é considerado prematuro, quais as gestantesque correm esse risco e os cuidados para preveni-lo — esses sãoalguns dos assuntos abordados pelo ginecologista e obstetra doHospital Israelita Albert Einstein Marcelo Zugaib, na aula 09do nosso curso. E o resumo você pode relembrar a seguir.U ma gravidez tem duração de 40 se- los em todas as mulheres — os médicos manas, mas, às vezes, o bebê nasce costumam indicá-los apenas para esses antes do tempo, entre a 22ª e a 37ª casos já mencionados, que formam o gru-semana de gestação. Quando isso acontece, po de risco. Um dos exames é o da fi-o parto é considerado prematuro. Afinal, bronectina, uma proteína colada à mem-como o próprio nome indica, o nascimento brana do útero. Ele é feito por meio dase dá antes que a criança esteja madura. coleta da secreção vaginal a partir da 22ª Entre as gestantes, há aquelas que semana de gravidez e repetido a cada 15correm maior risco de ir para a mater- dias. Se houver a presença da proteína,nidade antecipadamente. Nesse grupo isso sinaliza ao médico que o parto podeestão as mulheres com histórico de pre- acontecer nos sete ou 14 dias seguintes.maturidade, ou seja, que já tiveram um Outro indicador de prematuridade é abebê nessas condições. As grávidas de medida do colo uterino, que costuma sergêmeos também podem entrar em traba- obtida com precisão por meio de uma ul-lho de parto antes da hora. Finalmente, trassonografia transvaginal, entre a 22ªfazem parte do grupo de risco as futu- e a 24ª semana. Trata-se de outro exa-ras mamães que tiveram sangramentos me que pode ser repetido nas semanaspersistentes no primeiro ou no segun- seguintes para orientar o obstetra quedo trimestre da gestação. Se, além de acompanha a gestante de risco.apresentar um desses fatores de risco, a Quando esses testes confirmam ao mé-mulher ainda tiver um colo uterino cur- dico que o parto prematuro pode, de fato,to, a probabilidade de a criança nascer acontecer, ele costuma lançar mão de al-prematura será ainda maior. gumas medidas de prevenção. A primei- Existem testes capazes de prever o par- ra delas é o repouso. Em uma situaçãoto prematuro, mas não vale a pena aplicá- dessas, é preciso descansar tanto o corpo www.bebe.com.br | 2
  40. 40. Aula 09 - A prematuridadequanto a mente. Por isso muitos médi- 72 horas — período que pode parecercos propõem até mesmo o afastamento curto, mas que faz uma imensa diferen-do trabalho. A atividade sexual também ça. Nesse prazo, a gestante pode recebercostuma ser suspensa e, para completar o corticoides, por exemplo. O remédio épacote de medidas, o obstetra pode indi- usado para acelerar o amadurecimentocar medicamentos, como a progesterona dos pulmões do bebê. Também é possí-natural, que vem obtendo resultados bri- vel, se for o caso, transferi-la para umalhantes — esse hormônio consegue evi- maternidade com UTI neonatal.tar até 50% dos partos prematuros. Durante o parto, o obstetra toma al- guns cuidados especiais. Ele evita, porDois tipos de parto prematuro exemplo, usar drogas que possam sedar Existem aqueles casos em que o parto a criança, aumentando o risco de com-prematuro é o que chamamos de eletivo. plicações respiratórias ao nascer. Ele re-Isto é, o médico marca a data do nasci- dobra a atenção para prevenir qualquermento para poupar a mãe ou o próprio trauma mecânico — afinal, o corpo dobebê de condições prejudiciais à sua bebê prematuro é ainda mais frágil. En-saúde — por exemplo, quando a hiper- fim, faz de tudo para poupar o recém-tensão foge do controle. E existem, tam- nascido de algum sofrimento.bém, os partos prematuros espontâneos, Em seguida, o bebê prematuro é levadoé claro. Quando a mulher dá sinais de para uma UTI neonatal, onde será acom-que está entrando em trabalho de parto panhado pelo médico neonatologista,antes da hora, a primeira coisa a fazer que lhe dedicará uma série de cuidadosé interná-la o mais rápido possível. Vale complementares para garantir seu de-ressaltar: os médicos não conseguem blo- senvolvimento. Felizmente, a evoluçãoquear o processo em 50% dos casos, mas da obstetrícia e da neonatologia tempelo menos podem ganhar um tempo. E, obtido ótimos resultados em casos deno caso, estamos falando de umas 48 ou bebês que nascem antes da hora. www.bebe.com.br | 3
  41. 41. AULA 10A PRÉ-ECLÂMPSIADr. Eduardo CordioliGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  42. 42. Aula 10A pré-eclâmpsiaNa aula 10 do nosso curso de gestantes, o ginecologista e obstetraEduardo Cordioli, coordenador da maternidade do Hospital IsraelitaAlbert Einstein, explica o que é a pré-eclâmpsia — os sinais,as causas, os tratamentos e, principalmente, como preveniro problema. A seguir, um resumo de todas as informações.O termo pré-eclâmpsia é bastante vasos é o inchaço. Por isso, toda gestante ouvido na gestação. Mas, afinal, deve ficar alerta ao perceber que os pés, as o que ele quer dizer? Trata-se de pernas e até mesmo as mãos estão inchan-um problema caracterizado pelo aumen- do demais e conversar com seu médico parato da pressão arterial, que oscila em pi- afastar a hipótese da pré-eclâmpsia.cos — ou seja, sobe muito e, depois, vol- Ela, costuma-se dizer, é uma doen-ta a se normalizar. Mas, diferentemente ça de extremos. Tende a aparecer comda hipertensão, que pode afetar homens maior frequência em grávidas jovens dee mulheres em qualquer fase da vida, ela primeira viagem e em mulheres que en-é um quadro transitório, que desaparece gravidam mais tarde, no final da vida re-após o nascimento do bebê. produtiva. E, infelizmente, ainda não há Esse vaivém da pressão é sério e nin- exames para prever quem terá o problemaguém sabe ao certo quais são suas causas. e quem não terá. Até porque há indíciosOs médicos cogitam, porém, que a pré- de que depende da combinação de geneseclâmpsia faça parte do que chamam de do casal. Nota-se que uma mulher podesíndrome da má adaptação placentária. ter pré-eclâmpsia ao engravidar de umÉ que, em algumas grávidas, a placenta parceiro e não apresentá-la ao gerar umanão gruda direito no útero e, então, seu criança de outro companheiro.sistema imunológico passaria a encará-la Já foram realizadas diversas pesquisascomo se fosse um corpo estranho. Essa em busca de tratamentos preventivos efica-reação, por sua vez, provocaria a contra- zes. Os cientistas analisaram, por exemplo,ção e a distensão dos vasos sanguíneos, se o consumo de cálcio e de óleo de peixefazendo a pressão subir e voltar ao nor- ajudaria a evitar esses quadros, mas nadamal, em uma espécie de gangorra. Outro foi muito animador. Na realidade, a grávidaefeito desse jogo de contrair e relaxar dos só se vê livre da pré-eclâmpsia no parto, www.bebe.com.br | 2
  43. 43. Aula 10 - A pré-eclâmpsiaquando a placenta, que parece ser a grande ocorrer é o obstetra optar por antecipar ocausadora do transtorno, é retirada. Até lá, parto quando a pressão da grávida está altao que a gestante com pré-eclâmpsia pode e o uso de medicamentos anti-hipertensi-fazer é observar algumas recomendações. vos não está surtindo efeito para garantir A primeira delas é seguir uma dieta equi- que mãe e filho fiquem muito bem.librada. E não adianta cortar o sal, até por-que ele tem iodo, um mineral importantepara o desenvolvimento do feto. O funda- Quando surge o problemamental é que esse cardápio, além de fornecer Os picos de pressão costumamtodos os nutrientes, não favoreça o ganho surpreender a gestante depois doexcessivo de peso — que, aliás, pode ser quinto mês. Mas sempre existemum estopim para a pré-eclâmpsia naquelas exceções. Nos casos de doença molar — quando a placenta se transformamulheres com tendência ao problema. em um tumor —, a pré-eclâmpsia O obstetra deve fazer um acompanha- aparece logo no início da gravidez.mento ainda mais próximo para evitar que Ela também pode não demorar tantoos picos de pressão rendam complicações para dar as caras se a mulher tempara a mãe e para o bebê. Afinal, ela tem problemas de tireoide. Finalmente,uma pré-eclâmpsia, e o que não se quer, quem espera gêmeos apresentade jeito algum, é que ela tenha a eclâmp- maior probabilidade de tersia propriamente dita, uma elevação da pré-eclâmpsia porque tem maispressão tão severa que é capaz de causar placenta no útero, o que aumentaconvulsões. Os sinais da ameaça são dor de o risco de desenvolver a doença.cabeça — principalmente frontal e na nuca—, dor forte na boca do estômago, tontura Bebês menorese visão de pontinhos brilhantes. No caso damulher com pré-eclâmpsia, sentir um único Nem tanto a pré-eclâmpsia em si,desses sintomas já é motivo para procurar mas a placenta mal grudada queauxílio médico. Se ela não consegue loca- tem a ver com ela, pode afetar a passagem de nutrientes para o feto.lizar seu obstetra depressa, então deve ir Isso pode atrapalhar seu crescimentopara a maternidade em vez de correr risco. e, por isso, os filhos de gestantes Mas a gestante com pré-eclâmpsia que se com esse problema de pressãocuida e segue à risca as orientações difi- tendem a nascer um pouco menores.cilmente chega a esse ponto. O que pode www.bebe.com.br | 3
  44. 44. AULA 11O PARTO NORMALDra. Heloisa Ferreira BrudniewskiGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  45. 45. Aula 11O parto normalA ginecologista e obstetra Heloisa Ferreira Brudniewski,do Hospital Israelita Albert Einstein, falou sobre o partonormal na aula 11 do nosso curso. Ela explicou quais sãoos requisitos para ter esse tipo de parto, como ele acontecee o que esperar do pós-parto. Aqui você tem um resumopara guardar e consultar sempre que quiser.T oda gestante pode, a princípio, ter e, depois, deixa o útero e passa pelo um parto normal. Ter um filho des- canal vaginal. A saída da criança, em sa maneira é algo natural e o cor- si, recebe o nome de expulsão.po não precisa nem sequer ser preparado Nesse momento, a primeira parte dopara isso. O mais importante é a mulher corpo do bebê que o obstetra visualizatirar todas as dúvidas — e os medos — é a cabeça. Quando ele sai por inteiro, ocom o médico e, assim, esperar por esse médico prende o cordão umbilical commomento com tranquilidade. uma espécie de pinça bem grande e o O corpo dá sinais de que a hora do corta. Depois que a criança nasce, a pla-parto está chegando — e o bebê está centa se descola e também é expulsa. Opronto para nascer — por meio das obstetra, então, ajuda a retirá-la.contrações, que se tornam mais fortes Existem três requisitos importantese dolorosas. A mulher sente como se e que facilitam o parto normal: a di-a barriga se contorcesse em um mo- latação do colo uterino, a mulher tervimento de cima para baixo, de modo uma boa bacia e o bebê estar bem.intenso e rítmico — essas são caracte- Sem a dilatação, não há abertura su-rísticas da verdadeira contração, que ficiente e a expulsão da criança sim-anuncia o trabalho de parto. plesmente não acontece. Por exemplo: Daí, o colo do útero dilata e afina até algumas mulheres têm contraçõesalcançar a medida de 10 centímetros. mas não têm dilatação. Isso é raro,As contrações — e, claro, a força feita mas possível. Também é necessáriopela mãe também ajuda — começam ter uma bacia larga o bastante paraentão a empurrar o bebê para fora. Em favorecer a saída da criança. Gestan-um primeiro momento, ele se encaixa tes com a bacia muito estreita e com www.bebe.com.br | 2
  46. 46. Aula 11 - O parto normalbebê grande demais, em geral, têm as contrações. Elas são aliviadas pelacontraindicação para o parto normal. anestesia. Já algumas mulheres fi- Outro ponto fundamental: o peque- cam inseguras em relação à duraçãono deve estar bem e saudável. Isso é do trabalho de parto — tempo que,checado durante todo o trabalho de diga-se, varia bastante de acordo comparto, por meio de exames. Se ele cor- cada gestante. Quando se torna muitorer qualquer risco ao se esforçar para demorado, o médico pode recorrer anascer, o parto normal será descarta- medicamentos que aceleram as con-do. Por isso mesmo, é importante você trações uterinas. Isso só é feito, po-saber, ainda, que, apesar de todas as rém, quando o bebê tem bom peso econdições favoráveis, caso um impre- está bem de saúde.visto aconteça, o parto normal pode De uma coisa todos podem estarser interrompido. Daí, o médico parte certos: os benefícios do parto normalpara a cesárea, sem problemas. tanto para a mãe quanto para o filho Algo que costuma preocupar muitas são muitos. Para começo de conversa,futuras mães é a velha história de o quando o bebê atravessa o canal vagi-cordão umbilical estar enrolado no nal, que é uma espécie de túnel aper-pescoço. Mas isso, em si, não impede tado, seu corpo fica comprimido. Issoo parto normal. Se o cordão está enro- é ótimo porque provoca a expulsão delado, os batimentos cardíacos do bebê toda água dos pulmões e facilita ossão monitorados. E, se houver uma que- primeiros movimentos respiratórios.da nesses batimentos, o que sugere que Para a mãe, o parto normal permi-o cordão está apertado demais e preju- te a retomada mais rápida de ativida-dicando a circulação, aí então o médico des simples, como se sentar e andar.pode pensar em uma cesárea. Na maio- A cicatrização dos pontos da episito-ria das vezes, porém, ele permanece mia — o corte realizado em algumasfrouxo, sem atrapalhar. E o obstetra o mulheres para facilitar a expulsão dadesenrola mal a criança nasce. criança — também costuma acontecer Outro medo é o de sentir dor na em até 15 dias. O pós-parto é quasehora de dar à luz. Mas hoje, vale sa- indolor. Assim, a mãe tem mais dispo-ber, já é possível passar pelo parto sição para cuidar do recém-nascido enormal praticamente sem sofrer com curtir a grande novidade da sua vida. www.bebe.com.br | 3
  47. 47. Aula 11 - O parto normal Os preparativos Na maternidade, alguns procedimentos são realizados antes do parto em si. O primeiro deles é a limpeza do canal vaginal e uma levíssima raspagem dos pelos pubianos só na região onde poderá ser feita a episiotomia, um corte na lateral do períneo, região entre a vagina e o ânus. Isso não ocorre sempre. A episioteomia é realizada na maioria das vezes para facilitar a saída do bebê e proteger os músculos e outras estruturas do corpo da mãe. Ela só não é necessária quando o bebê é pequeno. Vale saber que a lavagem intestinal, como parte da preparação, foi abolida. Fórceps, o que é isso? Um instrumento médico que ainda costuma ser utilizado em alguns partos normais é o fórceps. Parece um par de colheres longas e vazadas. Recorre-se a ele para ajudar a retirar o bebê quando o pequeno fica parado no canal vaginal — uma ajuda que traz um alívio e tanto para a criança e para a mãe. Atenção: a mulher não sente quando o instrumento é colocado, já que está anestesiada. Nem a criança: as “colheres” se encaixam nas laterais de sua cabeça, sem machucá-la. www.bebe.com.br | 4
  48. 48. AULA 12O PARTO CESARIANODr. Thomas Rafael GollopGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  49. 49. Aula 12O parto cesarianoNeste resumo você encontra as explicações do obstetra eginecologista Thomas Rafael Gollop, do Hospital Israelita AlbertEinstein, sobre o parto cesariano: como é a cirurgia, a novatécnica minimamente invasiva e a recuperação no pós-parto.A cesárea é uma cirurgia — no vasiva, o médico corta menos camadas caso, feita para trazer ao mun- de tecidos, porque algumas ele só afasta do um ou mais bebês. Ela existe com a ajuda das mãos. Também dá me-há muitos anos e garante o bem-estar nos pontos internos.da mãe e da criança nos casos em que Com isso tudo, há um menor risco deo parto normal não é possível. infecções e, consequentemente, menor Existem, hoje, algumas novidades. Para necessidade de antibióticos. A mulherse submeter a uma cesariana, a gestante também tende a tomar menos analgési-não precisa mais, por exemplo, ficar em cos, porque sente menos dor. Ela conse-jejum durante o trabalho de parto. Tam- gue se sentar e andar mais cedo do quebém não é mais necessário fazer lavagem se fizesse a cesariana tradicional. E, cla-intestinal ou mesmo raspar totalmente ro, com isso o bebê sai ganhando, porqueos pelos pubianos — aliás, uma mudança a mãe fica com mais disposição para cui-bem-vinda, porque a depilação total pro- dar dele. Aliás, é recomendado que mãevocava muita coceira no pós-parto e, pior, e filho fiquem no mesmo quarto. Dessaaumentava o risco de uma infecção. forma eles têm a chance de se adaptar Atualmente, há duas técnicas de ce- um ao outro. Em geral, as mulheres quesárea: a tradicional e a minimamente passam pela cesariana permanecem nainvasiva. Em ambas, a gestante recebe maternidade por 48 horas, além do diauma anestesia parecida com a do parto da cirurgia propriamente dita.normal. Nas duas formas de cesariana, àprimeira vista, o local e o tamanho docorte são similares: ele é feito na região De 40 a 50 minutospúbica, bem no final do abdômen, e temcerca de 11 centímetros de comprimen- é o tempo médioto. A diferença é o que acontece dentro de duração doda barriga: na técnica minimamente in- parto cesariano www.bebe.com.br | 2
  50. 50. Aula 12 - O parto cesariano Cuidados pós-parto Um parto cesariano, Quando o efeito da anestesia passa, um parto normal a mulher é logo encorajada a se Será que depois de uma cesárea sentar e, em seguida, a caminhar. é possível ter um bebê por parto Isso ajuda, inclusive, a estimular o normal? Essa é das grandes funcionamento do intestino. A hora dúvidas de boa parte das mães. do banho também não é nenhum A mulher que passa por essa problema. Hoje os médicos tendem cirurgia tem 50% de chance de a usar uma cola cirúrgica para fechar tentar (e conseguir com sucesso!) o corte da cesariana, o que facilita na um parto normal na segunda limpeza. Dá para lavar a região sem gravidez. Mas o inverso também medo e, depois, apenas secar com é possível de acontecer. Já uma toalha macia. Claro que algumas quem passou por duas cesáreas mamães recentes sentem dores, consecutivas terá obrigatoriamente mas isso pode ser controlado que fazer outro parto cesariano com medicamentos específicos. se engravidar pela terceira vez. Caso contrário, existe um risco grande de ruptura do útero por causa da força das contrações no momento da expulsão do bebê no parto vaginal. Essa complicação é muito séria. E não vale a pena correr o risco. www.bebe.com.br | 3
  51. 51. AULA 13OS TIPOS DE ANESTESIADr. Diego MayAnestesiologista do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  52. 52. Aula 13Os tipos de anestesiaO anestesiologista Diego May, do Hospital Israelita AlbertEinstein, explica as técnicas que são utilizadas no partoe tira uma série de dúvidas que passam pela cabeça dasgestantes. As principais informações estão no resumo a seguir.A maior parte das gestantes tem formigamento. Instantes depois, perde- dúvidas em relação à anestesia. se a sensibilidade e os movimentos — Antes de mais nada, é importan- um efeito que dura, em média, de trêste saber quais os tipos existentes e como a quatro horas, tempo mais do que sufi-eles agem no corpo. Hoje, a anestesia ciente para a cirurgia ser realizada.geral, que deixa a paciente completa-mente sedada, só é usada em raríssimasocasiões. Atualmente, na hora do parto, Queda de pressão?os médicos preferem recorrer a um des- Às vezes, a anestesia raquidianates outros três tipos: a raquianestesia, a provoca uma pequena queda deperidural ou o duplo bloqueio. pressão na gestante. Na prática, A anestesia raquidiana, ou raquianes- a sensação é de um leve mal-tesia, é a mais indicada para a cesárea, estar, que a mulher traduz comoporque, além de perder completamente uma sensação de enjoo. Quema sensibilidade da cintura para baixo se sentir assim deverá avisar o anestesista, que tem plenas— ou seja, na área em que será feito o condições de reverter a situaçãocorte —, a mulher não consegue mexer com medicamentos específicos.as pernas, o que certamente atrapalha- Muitas vezes, porém, eles nemria o cirurgião. Essa anestesia é aplicada são necessários, porque o médicode uma só vez, entre duas vértebras da lança mão de certas artimanhas.coluna, por meio de uma agulha com a Por exemplo, é comum eleponta arredondada. Ela atravessa pele, empurrar a barriga da parturientenervos e chega ao liquor, substância para o lado esquerdo. Essa manobraque banha a medula nervosa que passa favorece o retorno do sangue paraali no meio. Logo que o medicamento é a cabeça, normalizando a pressãoaplicado, a futura mamãe nota as pernas e acabando com o mal-estar.esquentarem e, em seguida, sente um www.bebe.com.br | 2
  53. 53. Aula 13 - Os tipos de anestesia No parto normal, há três opções de te dito. Ali, o médico aplica uma doseanestesia. A primeira é o médico dar uma baixa de anestésico. A agulha mais finadose baixa da raquidiana, o que, aliás, é, então, retirada e, no lugar, fica umcostuma ser feito quando a mulher che- cateter, que alcança a dura-máter paraga à maternidade em trabalho de parto levar, aos poucos, doses de reforço deadiantado. A quantidade de medicamen- medicamento conforme o trabalho deto é pequena, mas suficiente para barrar parto avança. O efeito no corpo da ges-a dor e, ao mesmo tempo, ainda permitir tante é o mesmo que na peridural — dácerto movimento das pernas. para sentir as pernas e as contrações —, Já se o trabalho de parto ainda está no a diferença é que a ação é imediata.meio do caminho, é possível decidir pela A anestesia, independentemente daperidural — que demora um pouco mais técnica de aplicação ou do medicamento,para agir — ou pelo duplo bloqueio. Na não provoca nenhum tipo de reação naperidural, uma agulha semelhante à da maioria das grávidas. Em geral, os pro-raquianestesia também é introduzida en- blemas só acontecem nas mulheres quetre as vértebras, mas ela só chega até a têm problemas de coagulação do sangue,dura-máter, uma membrana anterior ao aquelas com alguma infecção no lugarliquor. Ou seja, é uma aplicação, digamos, do corte ou as alérgicas às substânciasmais superficial. Ao chegar a esse ponto anestésicas. A recuperação costuma serexato, o anestesista retira a agulha e dei- muito tranquila. Claro que existem pe-xa ali, em seu lugar, um cateter fininho, quenas diferenças, de acordo com o tipoque vai derramando as drogas anestésicas de anestesia. Em comum, todas as mães,aos poucos. A mulher perde a sensibilida- independentemente da técnica usada,de para a dor, mas continua dominando sentem um pouco de coceira e frio, con-seus movimentos da cintura para baixo, forme o medicamento perde a ação. Ou-por isso pode ajudar o bebê a nascer. tras reações são retenção urinária, náu- A terceira alternativa de anestesia para sea e, mais raramente, vômito.o parto normal é o duplo bloqueio, que Mas vale saber que essas anestesias sãoune a raquianestesia e a peridural em seguras e usadas todos os dias ao redorum mesmo procedimento. Uma agulha, do mundo. O objetivo é fazer com que asimilar à da ráqui, encosta na dura-má- mãe fique consciente durante todo o par-ter, a tal membrana anterior ao liquor. to, não sinta dor e, assim, possa curtirPor dentro dessa agulha vem outra, mais cada minuto desse momento tão especial,fina, que chega até o liquor propriamen- que é o nascimento do seu bebê. www.bebe.com.br | 3
  54. 54. Aula 13 - Os tipos de anestesia Não se mexa! É provável que você escute essa frase do anestesista. Toda grávida, independentemente do tipo de anestesia, deve ficar sentada na maca, com os ombros soltos e o queixo encostado no peito. É preciso também ficar relaxada e não fazer nenhuma espécie de movimento. Isso pode ser difícil, principalmente durante as contrações. Mas não é impossível. Se você sentir que não vai aguentar se manter imóvel, avise o médico. A anestesia dói? Um pouco. Você vai sentir uma picada ardida na hora em que a agulha entrar — não é nada muito intenso e passa rápido. O melhor vem em seguida: as dores das contrações desaparecem e você pode, finalmente, relaxar para aproveitar a chegada do seu bebê! www.bebe.com.br | 4
  55. 55. AULA 14SINAIS DE PARTODr. DANIEL KLOTZELGinecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  56. 56. Aula 14Sinais de partoNeste resumo, o ginecologista e obstetra Daniel Klotzel,do Hospital Israelita Albert Einstein, explica quais alteraçõesno corpo da mulher indicam que o bebê está pronto paranascer e como acontece o trabalho de parto.E m torno da 40ª semana de gestação, Ao perceber que as contrações estão o corpo da mulher costuma sinalizar rítmicas e cada vez mais frequentes, a que o pequeno está pronto para vir ao mulher deve se preparar para ir à ma-mundo. A principal mudança ocorre no rit- ternidade — cá entre nós, o ideal é quemo das contrações uterinas, que se tornam essa viagem já tenha sido organizadamais frequentes e desconfortáveis. Vale de antemão. Caso haja algum tipo delembrar que, desde o quinto mês, a grávida sangramento, semelhante àqueles ca-tem as chamadas contrações de Braxton- racterísticos da menstruação ou maior,Hicks, que são esporádicas, indolores e cau- e que seja acompanhado de cólica ousam um leve endurecimento da barriga. contrações, a gestante não pode perder Diferentemente das de Braxton-Hicks, nenhum segundo: precisa se dirigir deas contrações que marcam o início do tra- imediato ao hospital. Esse procedimentobalho de parto começam nas costas e se também precisa ser seguido à risca se airradiam para a região inferior do útero. bolsa-d’água se romper e o líquido amni-Além disso, elas são dolorosas, regulares ótico estiver esverdeado, com uma colo-e ocorrem em intervalos cada vez mais ração que lembra a de sopa de ervilha.curtos — a cada dez minutos e, depois, a O rompimento da bolsa, aliás, é outrocada cinco, por exemplo. Quanto menores sinal importante que denuncia a chega-as pausas entre uma contração e outra, da do bebê. Como saber que isso aconte-mais próximo está o nascimento. ceu? Em geral, a quantidade de líquido que se esvai é o suficiente para escor- 3 X 10 rer pelas pernas e até molhar o chão. Os médicos definem que o trabalho de No entanto, a ruptura da bolsa pode se parto de fato começa quando o útero dar de forma diversa. Se houver apenas feminino se contrai pelo menos três um furo longe do colo uterino, o líqui- vezes no espaço de dez minutos. do tende a sair aos poucos e em peque- nas doses. Às vezes, isso é confundido www.bebe.com.br | 2
  57. 57. Aula 14 - Sinais de partocom os escapes involuntários de urinaou com corrimento vaginal, ambos nor-mais no final da gestação. Só que, nessecaso, o líquido é translúcido, parecidocom água de coco, e tem odor que seassemelha ao da água sanitária. Nessasituação, a gestante também deve ir depronto para a maternidade e levar con-sigo as malas — a dela e a do bebê, que,logo, logo, vai encher a casa de alegria. “Será que estou em trabalho de parto?’’ Na dúvida, os especialistas recomendam que a futura mamãe siga para a maternidade, sem muita pressa. O pré-parto costuma ser demorado. Na primeira gestação, ele pode durar até 12 horas; na segunda ou terceira gravidez, entre seis e oito horas. www.bebe.com.br | 3
  58. 58. AULA 15CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDONA SALA DE PARTODr. FELIPE DE SOUZA ROSSIPediatra e neonatologista do Hospital Israelita Albert Einstein Realização: Colaboração de especialistas do:
  59. 59. Aula 15Cuidados com o recém-nascidona sala de partoO pediatra e neonatologista Felipe de Souza Rossi,do Hospital Israelita Albert Einstein, contou o queacontece com o pequeno logo após o nascimento. Nesteresumo, você relembra os principais pontos dessa aula.A ssim que nasce, o bebê tem como mento e, em seguida, no quinto minuto primeiro desafio se acostumar ao de vida. Para cada item é dada uma nota, ambiente fora do útero. Em outras que varia de 0 a 2. O pediatra soma essaspalavras, terá de respirar e controlar a tem- notas e chega a um resultado final tan-peratura do corpo por conta própria. Além to para o primeiro quanto para o quintode se acostumar com a intensidade da luz, minuto de vida do pequeno.dos sons e dos cheiros. Para auxiliá-lo nessa Outro ponto que o pediatra observatarefa, deve haver, na sala de parto, um pe- nesse momento é o choro do bebê ou odiatra. É esse especialista que vai colocá-lo esforço para abrir o berreiro. Apesar deem um berço aquecido para ajudar a estabi- as lágrimas brotarem espontaneamentelizar sua temperatura. E é ali também que na maioria dos recém-nascidos, algumaso médico o seca e faz os primeiros exames. crianças não botam a boca no mundo.O objetivo é checar como o pequeno está. A ausência do chororô costuma indicarEsses testes não são aleatórios e seguem pa- muito mais uma característica do peque-drões que mostram como o recém-nascido no do que a presença de algum problemareage nos primeiros minutos de vida. Trata- grave, principalmente se os outros dadosse do chamado boletim de Apgar. do Apgar apontarem que ele está se adap- O Apgar analisa cinco itens relaciona- tando bem fora do útero. Vale saber quedos à saúde da criança: frequência car- dar um tapa no bumbum do recém-nasci-díaca, respiração, tônus muscular (se é do para que ele chore não é uma práticarígido ou flácido), coloração da pele e se adotada pelos médicos na sala de parto.o bebê está ativo e reativo à manipula- Logo após o nascimento, o choro temção. Essa avaliação acontece, aproxima- uma função importante. Ele auxilia odamente, no primeiro minuto pós-nasci- bebê a reter o ar dentro dos pulmões. www.bebe.com.br | 2

×