SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Definição:

   Um ponto gatilho é um ponto de hiperirritabilidade
   no interior do músculo esquelético, desenvolvendo
   dor pronunciada mesmo quando sujeito a pressão
   moderada.




             Hugo Pedrosa / 2009
Os eventos mais comuns que precipitam o desenvolvimento
do ponto-gatilho são:

1 – Tensão mecânica exercida sobre a estrutura (stresse repetido);

2 – Circulação dificultada (isquémia);

3 – Trauma / resposta inflamatória local;

4 – Falta de mobilidade prolongada;

5 – Stresse emocional;


               Hugo Pedrosa / 2009
Uma área de ponto-gatilho está situada, com frequência, numa
faixa compacta de fibras musculares.



A palpação através da faixa pode obter o que é chamado de
resposta contráctil (sensação de “ressalto” das fibras musculares).



Associado ao desenvolvimento de pontos-gatilho está o padrão
característico de dor referida e a restrição de movimento associada
à dor miofascial.



                 Hugo Pedrosa / 2009
Hugo Pedrosa / 2009
Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho
são reflexos, mecânicos e sistémicos:



Os factores reflexos incluem os seguintes:

•   Sensibilidade da pele nas áreas do ponto-gatilho
•   Disfunção da articulação
•   Disfunção visceral
•   Vasoconstrição




              Hugo Pedrosa / 2009
Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho
são reflexos, mecânicos e sistémicos:



Os factores mecânicos incluem os seguintes:

•   Desvio postural na posição de pé
•   Desvio postural na posição sentada
•   Desvio na forma de andar
•   Falta de mobilidade
•   Stresse profissional
•   Sapatos e roupas apertadas ou que se ajustam mal



             Hugo Pedrosa / 2009
Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho
são reflexos, mecânicos e sistémicos:




Os factores sistémicos incluem os seguintes:

•   Disfunção enzimática, metabólica ou endócrina
•   Infecção crónica
•   Insuficiências de dieta
•   Stresse psicológico




             Hugo Pedrosa / 2009
Chaitow e DeLany sumarizam estes grupos de factores como:



  1 - Uso repetido
  2 - Falta de uso
  3 - Desuso
  4 - Abuso



  Independentemente do evento que precipitou o aparecimento
  do ponto-gatilho, o evento inicial acredita-se que seja uma
  disfunção na sinapse entre o motoneurónio e a fibra muscular.




             Hugo Pedrosa / 2009
Procedimento terapêutico / Ligação à massagem

Os terapeutas de massagem encontram, em geral, pontos-gatilho
durante a palpação e/ou massagem geral, utilizando tanto a
palpação leve como a profunda (movimentos deslizantes com
alguma pressão associada).



Notas importantes:

- A dor causada durante o tratamento deve estar dentro de uma
  zona de conforto.
- O músculo deve estar relaxado.
- Os pontos-gatilho que estão muito activos quanto à dor referida
  produzida não precisam de pressão exagerada
               Hugo Pedrosa / 2009
Procedimento terapêutico / Ligação à massagem



  O processo terapêutico tem como objectivo eliminar a
  hiperirritabilidade, pela interrupção mecânica das terminações
  nervosas sensitivas que medeiam a actividade do
  ponto-gatilho. Quando se estiver a usar a técnica de pressão
  directa, o terapeuta deve sustentar a compressão o tempo
  suficiente para estimular as fibras do fuso muscular.




                Hugo Pedrosa / 2009
Hugo Pedrosa / 2009
Procedimento terapêutico / Ligação à massagem



   - O procedimento deve terminar quando o cliente informar que
   a dor referida acabou ou quando o terapeuta sentir um quot;alívioquot;
   no tecido.


   - Recomenda-se uma pressão variável em vez de pressão
   mantida constantemente do início ao fim, para evitar irritação
   adicional na área do ponto-gatilho. Trata-se de uma cuidadosa
   mudança de pressão com um propósito específico.




                Hugo Pedrosa / 2009
Procedimento terapêutico / Ligação à massagem

  * Sensibilidade do terapeuta

  -   O terapeuta aplica mais pressão quando o tecido mostra que
      está a relaxar e aceita mais pressão.
  -   Quando o terapeuta sente que os tecidos estão a tornar-se
      tensos, a pressão é reduzida.

  Após o tratamento:

  - Pesquisa para se descobrir e tratar gatilhos satélites ou
    embrionários.
  - Imediatamente após o tratamento, calor sobre a região pode
    ser calmante e útil.
  - A área vai precisar de descanso durante alguns dias.
                Hugo Pedrosa / 2009
Hugo Pedrosa / 2009
1 - Quantidade de pressão numa escala de 1 a 10:

Deveremos apontar para o 6


2 - Número de pontos a tratar numa sessão:

6a8

3 - Efeitos colaterais

Dor/sensibilidade nas 24 a 48 horas seguintes


             Hugo Pedrosa / 2009
Passos a respeitar:

   1 – Localização.

   2 – Posicionar o músculo da melhor forma para o acesso
       mais correcto.

   3 – Explorar a nossa posição (princípios de mecânica corporal).

   4 – Aplicar pressão directa numa escala de 6.

   5 – Pressionar durante aproximadamente 90 segundos.

   6 – Aliviar a pressão a aplicar ligeiro estiramento durante
       15 a 30 segundos.


                Hugo Pedrosa / 2009
Trabalho prático:

Com base na imagem de apoio:

1 - Identificar o ponto gatilho relativo ao músculo quadrado lombar;
2 - Compressão directa sobre o ponto;


Nota:
É importante respeitar as directrizes específicas
Para esta forma de terapia neuromuscular.




               Hugo Pedrosa / 2009
Uma bibliografia de referência




            Hugo Pedrosa / 2009

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoNay Ribeiro
 
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIA
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIAAULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIA
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIAsuzana cardoso moreira
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia PodalHugo Pedrosa
 
Terapias complementares
Terapias complementaresTerapias complementares
Terapias complementaresSônia Marques
 
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4Cleanto Santos Vieira
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteRosiane Bezerra
 
Ventosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdfVentosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdfLucianoHuann
 
Efeitos da Massagem
Efeitos da MassagemEfeitos da Massagem
Efeitos da MassagemHugo Pedrosa
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial FUAD HAZIME
 
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesApresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesGessilene Martins
 

Mais procurados (20)

Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducao
 
Miofascial
MiofascialMiofascial
Miofascial
 
Laserterapia
LaserterapiaLaserterapia
Laserterapia
 
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIA
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIAAULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIA
AULA-protocolos clínicos LASER DE BAIXA POTÊNCIA
 
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-152759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
52759046 apostila-principal-de-massoterapia-aplicada-1
 
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportivaApresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
Apresentação do curso de massagem terapêutica & desportiva
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Terapias complementares
Terapias complementaresTerapias complementares
Terapias complementares
 
Microcorrente
MicrocorrenteMicrocorrente
Microcorrente
 
Massagem modeladora
Massagem modeladoraMassagem modeladora
Massagem modeladora
 
Eletroterapia
EletroterapiaEletroterapia
Eletroterapia
 
Manual Massagem Terapêutica
Manual Massagem TerapêuticaManual Massagem Terapêutica
Manual Massagem Terapêutica
 
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
Fundamentos de fisioterapia - recursos terapeuticos da fisioterapia - capitulo 4
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
 
Ventosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdfVentosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdf
 
Massagem
MassagemMassagem
Massagem
 
Efeitos da Massagem
Efeitos da MassagemEfeitos da Massagem
Efeitos da Massagem
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
 
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras QuentesApresentação de Terapia com Pedras Quentes
Apresentação de Terapia com Pedras Quentes
 

Semelhante a Pontos gatilho

Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxLinda Moreira
 
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosExcerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosHugo Pedrosa
 
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladoraEliseu Correa
 
Fisiostetica massagem susana silva
Fisiostetica massagem susana silvaFisiostetica massagem susana silva
Fisiostetica massagem susana silvaSusana Silva
 
Friccao Transversa Profunda
Friccao Transversa ProfundaFriccao Transversa Profunda
Friccao Transversa ProfundaHugo Pedrosa
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - ErgonomiaFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - ErgonomiaUniversidade Norte do Paraná
 
Spiral taping ou esparadrapoterapia
Spiral taping ou  esparadrapoterapiaSpiral taping ou  esparadrapoterapia
Spiral taping ou esparadrapoterapiaClaudemir Sewald
 
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatóriaDiagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatóriaLuana Chagas Miguel
 
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...BIANCA ROCHA FREDERICO
 
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVASCRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVASAngella Barros
 
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDE
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDECENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDE
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDEArtthurPereira2
 

Semelhante a Pontos gatilho (20)

Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
 
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos ProfundosExcerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
Excerto do manual de Massagem dos Tecidos Profundos
 
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
 
Fisiostetica massagem susana silva
Fisiostetica massagem susana silvaFisiostetica massagem susana silva
Fisiostetica massagem susana silva
 
Exercicios De Fisioterapia Para O Tennis Elbow
Exercicios De Fisioterapia Para O Tennis ElbowExercicios De Fisioterapia Para O Tennis Elbow
Exercicios De Fisioterapia Para O Tennis Elbow
 
Friccao Transversa Profunda
Friccao Transversa ProfundaFriccao Transversa Profunda
Friccao Transversa Profunda
 
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - ErgonomiaFisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
Fisioterapia na Saúde do Trabalhador - Síndrome do Túnel do Carpo - Ergonomia
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Anestesia
Anestesia Anestesia
Anestesia
 
Spiral taping ou esparadrapoterapia
Spiral taping ou  esparadrapoterapiaSpiral taping ou  esparadrapoterapia
Spiral taping ou esparadrapoterapia
 
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatóriaDiagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...279  -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
279 -a_a_y_yo_do_tratamento_do_agulhamento_a_seco_no_controle_da_sindrome_do...
 
Modulo 23
Modulo 23Modulo 23
Modulo 23
 
63487147 massagem-apostila-para-leigos
63487147 massagem-apostila-para-leigos63487147 massagem-apostila-para-leigos
63487147 massagem-apostila-para-leigos
 
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdfaula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
aula 1 e 2 _ massoterapia-1.pdf
 
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVASCRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS
CRIOTERAPIA NAS LESÕES ESPORTIVAS
 
120901322 apostila-mtc
120901322 apostila-mtc120901322 apostila-mtc
120901322 apostila-mtc
 
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDE
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDECENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDE
CENTRO CIRÚRGICO ASSISTENCIAL E CLINICO NO AMBITO DE SAÚDE
 
Técnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamentoTécnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamento
 

Mais de Hugo Pedrosa

Apresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaApresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaHugo Pedrosa
 
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutasBiblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutasHugo Pedrosa
 
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaBiblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaHugo Pedrosa
 
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaBiblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaHugo Pedrosa
 
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyBiblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyHugo Pedrosa
 
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasBiblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasHugo Pedrosa
 
Expectativas Formador
Expectativas FormadorExpectativas Formador
Expectativas FormadorHugo Pedrosa
 
Ligaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisLigaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisHugo Pedrosa
 
Miologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoMiologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoHugo Pedrosa
 
Fisiologia Muscular
Fisiologia MuscularFisiologia Muscular
Fisiologia MuscularHugo Pedrosa
 
CV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoCV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoHugo Pedrosa
 
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosPortfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosHugo Pedrosa
 
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaExcerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaHugo Pedrosa
 
Portfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem CadeiraPortfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem CadeiraHugo Pedrosa
 
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaPortfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaHugo Pedrosa
 
Curso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalCurso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalHugo Pedrosa
 

Mais de Hugo Pedrosa (20)

Bibliografia 1
Bibliografia 1Bibliografia 1
Bibliografia 1
 
Apresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaApresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de Reflexologia
 
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutasBiblioteca 5   guia de patologias para massoterapeutas
Biblioteca 5 guia de patologias para massoterapeutas
 
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia ClínicaBiblioteca 4 - Massoterapia Clínica
Biblioteca 4 - Massoterapia Clínica
 
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De AnatomiaBiblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
Biblioteca 3 - Yokochi Atlas FotográFico De Anatomia
 
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching AnatomyBiblioteca 2 - Stretching Anatomy
Biblioteca 2 - Stretching Anatomy
 
Apresentações
ApresentaçõesApresentações
Apresentações
 
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares ModernasBiblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
Biblioteca 1 - Técnicas Neuromusculares Modernas
 
Expectativas Formador
Expectativas FormadorExpectativas Formador
Expectativas Formador
 
Ligaduras Funcionais
Ligaduras FuncionaisLigaduras Funcionais
Ligaduras Funcionais
 
Miologia posterior do tronco
Miologia posterior do troncoMiologia posterior do tronco
Miologia posterior do tronco
 
Manual Thera Cane
Manual Thera CaneManual Thera Cane
Manual Thera Cane
 
Anamnese
AnamneseAnamnese
Anamnese
 
Fisiologia Muscular
Fisiologia MuscularFisiologia Muscular
Fisiologia Muscular
 
CV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotograficoCV tradicional versus Portfólio fotografico
CV tradicional versus Portfólio fotografico
 
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos ProfundosPortfolio Massagem Tecidos Profundos
Portfolio Massagem Tecidos Profundos
 
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem TerapêuticaExcerto do manual de Massagem Terapêutica
Excerto do manual de Massagem Terapêutica
 
Portfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem CadeiraPortfolio Massagem Cadeira
Portfolio Massagem Cadeira
 
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do MassoterapeutaPortfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
Portfolio Mecanica Corporal do Massoterapeuta
 
Curso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem GeotermalCurso de Massagem Geotermal
Curso de Massagem Geotermal
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 

Pontos gatilho

  • 1. Definição: Um ponto gatilho é um ponto de hiperirritabilidade no interior do músculo esquelético, desenvolvendo dor pronunciada mesmo quando sujeito a pressão moderada. Hugo Pedrosa / 2009
  • 2. Os eventos mais comuns que precipitam o desenvolvimento do ponto-gatilho são: 1 – Tensão mecânica exercida sobre a estrutura (stresse repetido); 2 – Circulação dificultada (isquémia); 3 – Trauma / resposta inflamatória local; 4 – Falta de mobilidade prolongada; 5 – Stresse emocional; Hugo Pedrosa / 2009
  • 3. Uma área de ponto-gatilho está situada, com frequência, numa faixa compacta de fibras musculares. A palpação através da faixa pode obter o que é chamado de resposta contráctil (sensação de “ressalto” das fibras musculares). Associado ao desenvolvimento de pontos-gatilho está o padrão característico de dor referida e a restrição de movimento associada à dor miofascial. Hugo Pedrosa / 2009
  • 5. Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho são reflexos, mecânicos e sistémicos: Os factores reflexos incluem os seguintes: • Sensibilidade da pele nas áreas do ponto-gatilho • Disfunção da articulação • Disfunção visceral • Vasoconstrição Hugo Pedrosa / 2009
  • 6. Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho são reflexos, mecânicos e sistémicos: Os factores mecânicos incluem os seguintes: • Desvio postural na posição de pé • Desvio postural na posição sentada • Desvio na forma de andar • Falta de mobilidade • Stresse profissional • Sapatos e roupas apertadas ou que se ajustam mal Hugo Pedrosa / 2009
  • 7. Os factores que potenciam o desenvolvimento de pontos-gatilho são reflexos, mecânicos e sistémicos: Os factores sistémicos incluem os seguintes: • Disfunção enzimática, metabólica ou endócrina • Infecção crónica • Insuficiências de dieta • Stresse psicológico Hugo Pedrosa / 2009
  • 8. Chaitow e DeLany sumarizam estes grupos de factores como: 1 - Uso repetido 2 - Falta de uso 3 - Desuso 4 - Abuso Independentemente do evento que precipitou o aparecimento do ponto-gatilho, o evento inicial acredita-se que seja uma disfunção na sinapse entre o motoneurónio e a fibra muscular. Hugo Pedrosa / 2009
  • 9. Procedimento terapêutico / Ligação à massagem Os terapeutas de massagem encontram, em geral, pontos-gatilho durante a palpação e/ou massagem geral, utilizando tanto a palpação leve como a profunda (movimentos deslizantes com alguma pressão associada). Notas importantes: - A dor causada durante o tratamento deve estar dentro de uma zona de conforto. - O músculo deve estar relaxado. - Os pontos-gatilho que estão muito activos quanto à dor referida produzida não precisam de pressão exagerada Hugo Pedrosa / 2009
  • 10. Procedimento terapêutico / Ligação à massagem O processo terapêutico tem como objectivo eliminar a hiperirritabilidade, pela interrupção mecânica das terminações nervosas sensitivas que medeiam a actividade do ponto-gatilho. Quando se estiver a usar a técnica de pressão directa, o terapeuta deve sustentar a compressão o tempo suficiente para estimular as fibras do fuso muscular. Hugo Pedrosa / 2009
  • 12. Procedimento terapêutico / Ligação à massagem - O procedimento deve terminar quando o cliente informar que a dor referida acabou ou quando o terapeuta sentir um quot;alívioquot; no tecido. - Recomenda-se uma pressão variável em vez de pressão mantida constantemente do início ao fim, para evitar irritação adicional na área do ponto-gatilho. Trata-se de uma cuidadosa mudança de pressão com um propósito específico. Hugo Pedrosa / 2009
  • 13. Procedimento terapêutico / Ligação à massagem * Sensibilidade do terapeuta - O terapeuta aplica mais pressão quando o tecido mostra que está a relaxar e aceita mais pressão. - Quando o terapeuta sente que os tecidos estão a tornar-se tensos, a pressão é reduzida. Após o tratamento: - Pesquisa para se descobrir e tratar gatilhos satélites ou embrionários. - Imediatamente após o tratamento, calor sobre a região pode ser calmante e útil. - A área vai precisar de descanso durante alguns dias. Hugo Pedrosa / 2009
  • 15. 1 - Quantidade de pressão numa escala de 1 a 10: Deveremos apontar para o 6 2 - Número de pontos a tratar numa sessão: 6a8 3 - Efeitos colaterais Dor/sensibilidade nas 24 a 48 horas seguintes Hugo Pedrosa / 2009
  • 16. Passos a respeitar: 1 – Localização. 2 – Posicionar o músculo da melhor forma para o acesso mais correcto. 3 – Explorar a nossa posição (princípios de mecânica corporal). 4 – Aplicar pressão directa numa escala de 6. 5 – Pressionar durante aproximadamente 90 segundos. 6 – Aliviar a pressão a aplicar ligeiro estiramento durante 15 a 30 segundos. Hugo Pedrosa / 2009
  • 17. Trabalho prático: Com base na imagem de apoio: 1 - Identificar o ponto gatilho relativo ao músculo quadrado lombar; 2 - Compressão directa sobre o ponto; Nota: É importante respeitar as directrizes específicas Para esta forma de terapia neuromuscular. Hugo Pedrosa / 2009
  • 18. Uma bibliografia de referência Hugo Pedrosa / 2009