Agrupamento de Escolas
D. Dinis
Sede: Rua do Lobito
2675-511 Odivelas
21 9345300 / 2109345308
Diretora: Ana Gralheiro
PROJ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 1 DE 34
ÍNDICE
1. INTRODUÇÃO ...........................
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 2 DE 34
ANEXOS .........................................
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 3 DE 34
1. INTRODUÇÃO
Uma escola que pensa é construí...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 4 DE 34
Nesse contexto, importou planear um sistema d...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 5 DE 34
2. BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO GEOGRÁFICA, SOCIOEC...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 6 DE 34
vínculos laborais, assim como a consequente s...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 7 DE 34
3. MISSÃO, VISÃO, VALORES E PRIORIDADES DO AG...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 8 DE 34
Missão do Agrupamento:
Considerando os desafi...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 9 DE 34
de estabelecimento), assim como incentivar um...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 10 DE 34
 Adquirir os saberes científicos e tecnológ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 11 DE 34
4. DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO DO AGRUPAMENTO
Ba...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 12 DE 34
 Ausência de gabinetes de trabalho para os ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 13 DE 34
 Acessibilidade inadequada dos meios de soc...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 14 DE 34
 Acessibilidade inadequada às salas de aula...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 15 DE 34
5. DEFINIÇÃO DE METAS
Pelo anteriormente exp...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 16 DE 34
Metas para a Unidade Orgânica em 2010 ( font...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 17 DE 34
5.3. Promoção de uma Liderança Democrática e...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 18 DE 34
 Continuar a articular, com o Projeto SEI! ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 19 DE 34
6. ÁREAS DE INTERVENÇÃO: OBJETIVOS E ESTRATÉ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 20 DE 34
 Incentivar a aquisição de conhecimentos/co...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 21 DE 34
 Combater o absentismo;
Estratégias:
 Enca...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 22 DE 34
 Fomentar aprendizagens significativas base...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 23 DE 34
 Continuar a facultar as ofertas de percurs...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 24 DE 34
Objetivos:
 Promover uma cultura de Escola ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 25 DE 34
6.3. Promoção de uma Liderança Democrática e...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 26 DE 34
 Gerir a bolsa de voluntariado de acordo co...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 27 DE 34
 Envolver os pais na tomada de decisão sobr...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 28 DE 34
 Estabelecer protocolos de cooperação com e...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 29 DE 34
 Desenvolver a profissionalidade, melhorand...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 30 DE 34
A avaliação interna da escola deverá ser um ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 31 DE 34
7. AVALIAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAM...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 32 DE 34
As propostas de alteração ou de reformulação...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 33 DE 34
• Fomentar a participação na escola da comun...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 34 DE 34
Práticas de ensino
• Adequação das atividade...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA i DE xxix
ANEXOS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA ii DE xxix
I - CARACTERIZAÇÃO DOS ESPAÇOS F...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA iii DE xxix
de professores;
 2 Instalações...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA iv DE xxix
A Escola EB1 Rainha Santa situa-...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA v DE xxix
 Balneários/vestiários (desativa...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA vi DE xxix
 Gabinete da Direção
 Gabinete...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA vii DE xxix
 Uma arrecadação
Bloco C – blo...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA viii DE xxix
 Cozinha (inclui copa; despen...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA ix DE xxix
II - ORGANOGRAMA
CONSELHO
GERAL
...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA x DE xxix
III - CARACTERIZAÇÃO HUMANA DO AG...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xi DE xxix
Representantes do Pessoal Não Do...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xii DE xxix
Representantes da Comunidade Lo...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xiii DE xxix
CONSELHO PEDAGÓGICO
REPRESENTA...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xiv DE xxix
COORDENADORA TÉCNICA E ENCARREG...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xv DE xxix
Educadores
de Infância
Professor...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xvi DE xxix
 Situação Profissional
Serviço...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xvii DE xxix
ALUNOS
Ensino Pré-Escolar
 Nú...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xviii DE xxix
 Número de alunos por ano e ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xix DE xxix
 Número de alunos por ano e po...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xx DE xxix
3º Ciclo
 Número de alunos por ...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxi DE xxix
IV - TAXAS DE ABANDONO
1º Ciclo...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxii DE xxix
3º Ciclo
 Taxa de Abandono Es...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxiii DE xxix
V - TAXAS DE SUCESSO
1º Ciclo...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxiv DE xxix
2º Ciclo
 Taxa de Sucesso
5.º...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxv DE xxix
 Taxa da Qualidade do Sucesso
...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxvi DE xxix
3º Ciclo
 Taxa de Sucesso
7.º...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxvii DE xxix
 Taxa da Qualidade do Sucess...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxviii DE xxix
9º Ano
Ano
Letivo
08/09
Ano
...
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS
ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxix DE xxix
VI – OFERTA CURRICULAR
De form...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Anexo iv projeto educativo 13-16 (2)

443 visualizações

Publicada em

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS - ODIVELAS
Ana Gralheiro

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
443
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anexo iv projeto educativo 13-16 (2)

  1. 1. Agrupamento de Escolas D. Dinis Sede: Rua do Lobito 2675-511 Odivelas 21 9345300 / 2109345308 Diretora: Ana Gralheiro PROJETO EDUCATIVO 2013/2016
  2. 2. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 1 DE 34 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO .....................................................................3 2. BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO GEOGRÁFICA, SOCIOECONÓMICA E CULTURAL..........................................................................5 3. MISSÃO, VISÃO, VALORES E PRIORIDADES DO AGRUPAMENTO ..........7 4. DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO DO AGRUPAMENTO.......................... 11 5. DEFINIÇÃO DE METAS ......................................................... 15 5.1. Promoção do Sucesso Educativo....................................... 15 5.2. Promoção de Hábitos de Cidadania ................................... 16 5.3. Promoção de uma Liderança Democrática e Transformacional . 17 5.3.1. Promoção do Trabalho Cooperativo e do Reconhecimento da Excelência............................................................... 17 5.3.2. Promoção da Articulação Escola-Família ..................... 17 5.3.3. Promoção da Articulação Interinstitucional.................. 18 5.3.4. Promoção da Avaliação Docente e Não Docente do Agrupamento ............................................................... 18 5.3.5. Promoção da Avaliação Interna do Agrupamento ........... 18 6. ÁREAS DE INTERVENÇÃO: OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS .................. 19 6.1. Promoção do Sucesso Educativo....................................... 19 6.2. Promoção de Hábitos de Cidadania ................................... 23 6.3. Promoção de uma Liderança Democrática e Transformacional . 25 6.3.1. Promoção do Trabalho Cooperativo e do Reconhecimento da Excelência............................................................... 25 6.3.2. Promoção da Articulação Escola-Família ..................... 26 6.3.3. Promoção da Articulação Interinstitucional.................. 27 6.3.4. Promoção da Avaliação Docente e Não Docente do Agrupamento ............................................................... 28 6.3.5. Promoção da Avaliação Interna do Agrupamento ........... 29 7. AVALIAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO.............. 31
  3. 3. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 2 DE 34 ANEXOS ................................................................................i I - CARACTERIZAÇÃO DOS ESPAÇOS FÍSICOS DO AGRUPAMENTO ...........ii Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância Maria Lamas .........ii Escola Básica do 1º Ciclo Rainha Santa ...................................... iv Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Pombais ............................... v II - ORGANOGRAMA................................................................. ix III - CARACTERIZAÇÃO HUMANA DO AGRUPAMENTO ESTRUTURAS E SERVIÇOS2013/2014...........................................................x IV - TAXAS DE ABANDONO .......................................................xxi V – TAXAS DE SUCESSO.......................................................... xxiii VI – OFERTA CURRICULAR ...................................................... xxix
  4. 4. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 3 DE 34 1. INTRODUÇÃO Uma escola que pensa é construída por pessoas que pensam ou aprendem a pensar. Aprender a pensar quer dizer literalmente manter uma discussão continua, um interrogar-se contínuo. Malaguzzi O presente documento, irá definir a política educativa para o Agrupamento, a adequação do Currículo Nacional ao currículo do Agrupamento e os modos de avaliação da sua implementação. É sua intenção promover a igualdade de oportunidades, valorizar a Educação e promover a melhoria da qualidade do ensino, sendo determinante dessa qualidade a promoção de uma escola democrática, inclusiva, orientada para o sucesso educativo de todas as crianças e jovens. Construir o Projeto Educativo de Agrupamento é assumir a autonomia que lhe é reconhecida como instituição. É refletir e identificar problemas, debater decisões, avaliar resultados, mobilizar-se em torno de objetivos comuns, tendo em vista a qualidade educativa. O atual Projeto Educativo, que partiu de um trabalho prévio de avaliação do projeto educativo anterior e do observatório de qualidade, foi elaborado e aprovado pelos órgãos de administração e gestão para um horizonte de três anos. É um instrumento estratégico que consagra a orientação educativa do Agrupamento, no qual se explicitam os valores, as prioridades educativas, as metas, os compromissos e as estratégias segundo as quais o Agrupamento se propõe cumprir a sua função educativa. Nele se enfatizam as ideias fundamentais que constituem a Visão Estratégica e a Missão do Agrupamento. Nesta conformidade, o PEA deverá ser também entendido como um instrumento dinâmico e flexível, ajustável às constantes mutações que a sociedade vive, de forma a dar resposta aos novos desafios que permanentemente se colocam e constitui a matriz para a elaboração dos Planos de Turma, definindo as prioridades curriculares.
  5. 5. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 4 DE 34 Nesse contexto, importou planear um sistema de educação flexível pautado por uma visão global de articulação curricular integrada, que permitirá responder à diversidade de características e necessidade de todos os alunos. Ao elaborarmos este documento, tivemos a pretensão de podermos, futuramente, criar estruturas e condições para que a Escola possa adotar, de uma forma progressiva e intrínseca, os seguintes princípios gerais de ação:  Uma Escola mais flexível, oferecendo percursos curriculares diversificados e ajustados às necessidades e aos interesses dos alunos;  Uma Escola mais heterogénea com capacidade para entender pessoas com culturas e estados diferentes, negociar e resolver conflitos com cenários complexos e problemáticos;  Uma “Escola de qualidade” que celebre a diversidade de todos os seus membros e a use como alavanca essencial da aprendizagem e da vida na escola. “O desafio é dar mais qualidade à quantidade e mais quantidade à qualidade”;  Uma Escola atual, que responda às novas tendências, relativamente ao recurso às tecnologias da informação e da comunicação;  Uma Escola inclusiva, que não desista de nenhum aluno;  Uma Escola promotora das artes e da saúde, que permita o acesso à cultura no domínio das artes e do desporto.
  6. 6. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 5 DE 34 2. BREVE CONTEXTUALIZAÇÃO GEOGRÁFICA, SOCIOECONÓMICA E CULTURAL Localizado no distrito de Lisboa, o concelho de Odivelas é composto por quatro freguesias: Odivelas, União das Freguesias da Pontinha e Famões, União das Freguesias da Póvoa de St.º Adrião e Olival Basto, União das Freguesias da Ramada e Caneças. O nível socioeconómico da população é médio, embora exista um número significativo de famílias desestruturadas e carenciadas. A rede de transportes públicos é razoável. Ainda assim, o trânsito e a falta de lugares para estacionamento são um dos grandes problemas da cidade. A elevação desta freguesia a sede de um novo concelho veio dar uma nova dinâmica à autarquia não só com a instalação de novos equipamentos como na resolução mais célere de muitos problemas inerentes à vida em sociedade, nomeadamente no que toca no apoio às escolas. As atividades económicas existentes são sobretudo o comércio e os serviços, tendo-se assistido nos últimos anos a um “boom” de construção de grandes e médias superfícies comerciais que têm contribuído para uma acentuação da descaracterização do meio, cuja história, costumes e tradições se têm diluído, à semelhança do que tem ocorrido em todas as áreas limítrofes das metrópoles do mundo ocidental. Na população residente há uma percentagem substancial que é natural de outras regiões do país ou descende delas. É de salientar o número crescente de população imigrante, oriunda numa fase inicial, essencialmente dos PALOP. Atualmente a diversidade dos países de origem é enorme: Brasil, China, países de Leste, Índia, Paquistão, etc. A estas novas características demográficas tem-se aliado a crescente precariedade da economia e dos
  7. 7. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 6 DE 34 vínculos laborais, assim como a consequente segregação e o risco de conflitualidade. Apesar das associações culturais e desportivas locais oferecerem já um leque diversificado de atividades, as mesmas têm-se revelado ainda insuficientes para abarcarem/ cativarem tão vasto leque sociocultural. Saliente-se os esforços evidentes da Autarquia, através da construção de espaços vocacionados para a ocupação dos tempos livres dos jovens e através de uma agenda cultural de qualidade dirigida aos diferentes grupos etários, com destaque para a Municipália, Espaço Jovem e Biblioteca D. Dinis.
  8. 8. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 7 DE 34 3. MISSÃO, VISÃO, VALORES E PRIORIDADES DO AGRUPAMENTO A educação é a ferramenta mais poderosa que podemos usar para mudar o mundo. Nelson Mandela A arte, um dos grandes valores da vida, deve ensinar aos homens: humildade tolerância, sabedoria e magnanimidade. William Maugham SUCESSO EDUCATIVO – INTEGRAÇÃO PELAS ARTES E DESPORTO – CIDADANIA O nosso Projeto Educativo defende uma abordagem centrada no aluno, que respeite as circunstâncias sociais e culturais, assumindo-o como principal destinatário e toda a razão de ser do processo de ensino e aprendizagem. Deverá o aluno, ao longo do seu percurso escolar, consciencializar-se de que é imprescindível a sua participação, ativa e responsável, na construção da sua formação enquanto cidadão livre numa sociedade aberta, democrática e em constante mutação. Esta consciencialização deverá desencadear mecanismos de envolvimento/responsabilização formal dos pais e encarregados de educação. O Projeto Educativo vem nortear o Agrupamento no sentido de desenvolver a sua ação educativa com base num conjunto de princípios/valores incitadores de uma formação integral e harmoniosa dos alunos, potenciando a formação de cidadãos autónomos, responsáveis, tolerantes e solidários. Assim, a atuação da comunidade educativa junto dos alunos apoia-se nos grandes pilares da educação na formação dos jovens: “o saber” (os conteúdos), “o saber ser” e “o saber estar” (a educação para a cidadania), tendo como visão "A ESCOLA NUM MUNDO EM MUDANÇA".
  9. 9. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 8 DE 34 Missão do Agrupamento: Considerando os desafios da sociedade atual, o Agrupamento tem como Missão criar as condições indispensáveis para que os alunos adquiram sólidos conhecimentos académicos, apetrechando-os igualmente de competências diversificadas que contribuam para uma cidadania ativa e responsável, estimulando a autoconfiança, a assertividade e a resiliência, insubstituíveis na formação integral dos indivíduos. Visão do Agrupamento: Tendo em conta o meio envolvente e a realidade do mundo atual, o Agrupamento pretende continuar a desenvolver estratégias que permitam:  Reduzir o insucesso, absentismo, abandono e a indisciplina e premiar o mérito e a excelência;  Garantir uma “Cultura de Escola” para todos (Escola Inclusiva), reforçando as vertentes artística e desportiva, promovendo e valorizando a articulação e o envolvimento de Escola-Família-Comunidade, nomeadamente através do desenvolvimento de atividades artísticas, desportivas, projetos socioeducativos e outras atividades de carácter cultural.  Promover estratégias que visem estimular nos alunos o conhecimento da cultura e língua portuguesa, o desenvolvimento do raciocínio abstrato e a aquisição de competências de métodos de trabalho e pesquisa, dando prioridade ao trabalho em equipa.  Direcionar a “Cultura de Escola” para os valores de cidadania e vivência democrática, promovendo a apropriação destes valores por parte da comunidade educativa.  Incutir uma cultura de trabalho em equipa e de responsabilização, reforçando as lideranças intermédias (coordenadores de departamento e
  10. 10. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 9 DE 34 de estabelecimento), assim como incentivar uma cultura de autoavaliação e de melhoria contínua.  Disponibilizar e otimizar recursos (tal como o acesso à informação/documentação/legislação), através de plataformas Web e do trabalho em rede.  Liderar de forma democrática e transformacional, demonstrando capacidade de planeamento e adaptação a novas situações (responder de forma eficaz e em tempo útil), promovendo igualmente o “enpowerment” das lideranças intermédias (pessoal docente e não docente) e a participação das associações de pais. Valores do Agrupamento:  O saber;  A equipa;  A pessoa;  A liberdade;  A justiça;  A cidadania;  O respeito e a aceitação do outro e das suas diferenças;  A aprendizagem ao longo da vida;  A qualidade do serviço educativo;  A diversificação da oferta formativa. Prioridades Educativas: Cultura de Escola para Todos  Estimular uma ação educativa motivadora e diversificada capaz de conduzir ao sucesso respeitando a individualidade dos alunos;  Valorizar a Língua Materna;  Desenvolver a capacidade de usar a Matemática;  Promover a capacidade de utilizar os saberes em situações reais, de forma independente e autónoma;
  11. 11. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 10 DE 34  Adquirir os saberes científicos e tecnológicos necessários à sua eficaz integração na sociedade;  Potenciar as metodologias da diferenciação pedagógica para uma Escola verdadeiramente inclusiva. Cultura de Escola para os Valores  Incutir a noção de Saber Ser e Estar na Escola e em Sociedade;  Desenvolver a capacidade de se afirmar como ser responsável, solidário, tolerante e autónomo;  Transmitir os valores fundamentais e regras de conduta no campo da sexualidade, numa perspetiva da Educação para os Afetos;  Consciencializar para a necessidade de se preservar o património histórico e ambiental. Cultura de Trabalho Colaborativo  Promover nos alunos a dinâmica de grupo, a entreajuda, e o espírito crítico;  Estabelecer uma relação pedagógica assente na confiança, na reciprocidade, no diálogo e na partilha;  Assegurar a articulação vertical e horizontal dos conteúdos disciplinares, em trabalho corroborativo/cooperativo entre professores;  Construir os Planos de Turma num esforço conjunto e concertado entre todos os elementos/partes envolvidas;  Responsabilizar os Pais e Encarregados de Educação pelo cumprimento dos deveres escolares dos seus educandos, atuando construtivamente, de modo sistemático e incutindo-lhes o respeito pela instituição Escola e seus representantes.
  12. 12. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 11 DE 34 4. DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO DO AGRUPAMENTO Baseado nos levantamentos levados a cabo pela Direção Executiva, Diretores de Turma, Observatório da Qualidade, Projeto SEI! ODIVELAS, Professores e Educadoras, Associações de Pais e Encarregados de Educação, Pessoal não Docente e Autarquia, diagnosticaram-se os seguintes aspetos: Vertente Socioeconómica, Cultural e Pedagógica  Elevado número de alunos com poucos hábitos de trabalho;  Alheamento dos Encarregados de Educação face à vida dos seus educandos na escola e dos respetivos futuros profissionais;  Défice de conhecimento dos valores culturais da região;  Défices graves de conhecimentos básicos a nível de todas as disciplinas, em especial de língua portuguesa, ao nível da leitura e interpretação de textos;  Aumento do número de casos de comportamentos desajustados;  Situações de exclusão social;  Multiculturalidade;  Dificuldades de integração interpares;  Baixas expetativas dos alunos relativamente ao seu futuro profissional;  Degradação social e económica das famílias;  Aumento de situações de desestruturação familiar. Vertente dos Espaços Físicos e Equipamentos Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Pombais  Ausência de ginásio e/ou pavilhão desportivo/multiusos;  Balneários em mau estado de conservação;  Escassez de salas de aula;
  13. 13. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 12 DE 34  Ausência de gabinetes de trabalho para os docentes;  As áreas verdes e expectantes são amplas, não sendo possível a gestão das mesmas só com os recursos do Agrupamento. O recurso a parcerias com a Autarquia têm sido importantes, contudo tem um caráter pontual e descontinuado. Jardim de Infância da Escola Básica do 1º Ciclo com JI Maria Lamas  Número de salas extremamente reduzido, para a crescente procura que se tem registado nos últimos anos. Atualmente dispomos apenas de 2 salas, com crianças de cinco anos de idade, já completas e uma lista de espera que ultrapassa a centena;  Ausência de espaço para o desenvolvimento da Componente de Apoio à Família. 1º Ciclo da Escola Básica do 1º Ciclo com JI Maria Lamas  Ausência de sala para atendimento aos Pais e Encarregados de Educação;  Deficiente acesso à Internet em todas as salas;  Ausência de sala para Biblioteca/ Mediateca; Escola Básica do 1º Ciclo Rainha Santa  Ausência de salas para atendimento aos Encarregados de Educação;  Deficiente acesso à Internet em todas as salas; Vertente Segurança e Saúde Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Pombais  Eficiência energética nula – excesso de frio no inverno e de calor no verão e gastos de energia muito elevados;  Pavimentos exteriores com desníveis;
  14. 14. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 13 DE 34  Acessibilidade inadequada dos meios de socorro e salvamento a todas as zonas do edifício escolar;  Acessibilidade inadequada a todos os espaços da escola para pessoas com mobilidade condicionada (inexistência de rampas ou outros sistemas);  Encostas íngremes e com muitas áreas verdes expetantes não tratadas, que potenciam quedas e a disseminação de animais infestantes;  Pavilhões e passadiço exterior com cobertura de amianto;  Escadas exteriores com deficientes protecções laterais;  Salas de aula, balneários, vestiários, instalações sanitárias, despensas, etc. com sinais evidentes de humidade.  Portas de evacuação sem abertura no sentido da saída e/ou sem barras antipânico Escola Básica do 1º Ciclo com JI Maria Lamas  Portas de evacuação sem abertura no sentido da saída e/ou sem barras antipânico;  Portas totalmente envidraçadas em corredores e/ou entradas de grande movimento sem vidro temperado e/ou sem sinalização visual;  Campo de jogos com pavimento em mau estado de conservação e/ou com superfície inadequada (cimento, gravilha, alcatrão);  Ausência de gabinete médico;  Corredores sem largura mínima de 1,60m e/ou com zonas de estrangulamento;  Sinalização de emergência inexistente, mal localizada e/ou saídas de emergência obstruídas;  Recreio com ausência de área coberta;
  15. 15. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 14 DE 34  Acessibilidade inadequada às salas de aula do 1º piso (inexistência de rampas ou outros sistemas para pessoas com mobilidade condicionada);  Ausência de vidros duplos e estores que originam condições térmicas extremas: verões muito quentes e invernos muito frios; Escola Básica do 1º Ciclo Rainha Santa  Ausência de gabinete médico;  Superfície de impacto inadequada no espaço do recreio;  Portas de evacuação sem abertura no sentido da saída e/ou sem barras antipânico  Varandas sem proteção;  Sinalização de emergência inexistente;  Salas de aula com sinais de humidade evidentes;  Falta de rampas e/ou outras estruturas adaptadas para deficientes fiscos, ao nível da mobilidade;  Ausência de vidros duplos e estores que originam condições térmicas extremas: verões muito quentes e invernos muito frios;  Inexistência de dispositivos de proteção que impedem a incidência direta da radiação solar inexistentes, em mau estado de conservação e/ou de higiene (estores, persianas, cortinados, etc.). É neste quadro de diagnóstico que se justificam as metas que foram definidas, no sentido de resolver os problemas com que o Agrupamento se depara e prosseguir a sua tarefa de prestação de um serviço público de qualidade.
  16. 16. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 15 DE 34 5. DEFINIÇÃO DE METAS Pelo anteriormente exposto, considera-se fundamental e indispensável a implementação das seguintes metas: 5.1. Promoção do Sucesso Educativo Incremento da Qualidade do Sucesso  Taxa de transição no 1. º ciclo de 97%;  Taxas de 70% de sucesso a Língua Portuguesa e Matemática no 1.º ciclo;  Taxas de transição no 2.º ciclo de 80%;  Atingir os 40 % de alunos sem níveis negativos no 2.º ciclo;  Atingir mais de 5% de alunos só com níveis iguais ou superiores a 4, no 2.º ciclo;  Taxas de 70% de sucesso a Língua Portuguesa e Matemática no 2.º ciclo;  Taxas de transição no 3.º ciclo de 77%;  Atingir os 40 % de alunos sem níveis negativos no 3.º ciclo;  Atingir mais de 5% de alunos só com níveis iguais ou superiores a 4, no 3.º ciclo;  Taxas de 70% de sucesso a Língua Portuguesa e Matemática no 3.º ciclo;  Aproximar os resultados da avaliação externa aos da avaliação interna em todos os ciclos: - diferença entre taxa de insucesso interna e taxa de insucesso externa positiva ou, caso negativa, não ultrapassar -10%;  Aproximar os resultados da avaliação externa aos das médias nacionais em todos os ciclos: - diferença entre média externa e média nacional positiva ou, caso negativa, não ser significativa;
  17. 17. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 16 DE 34 Metas para a Unidade Orgânica em 2010 ( fonte MISI)  95% no exame de Português no 4.º ano e 92% na Matemática;  92% no exame de Português no 6.º ano e 80% na Matemática;  75% no exame de Português no 9.º ano e 55% na Matemática. Assiduidade  Redução da taxa de Abandono Escolar tendencialmente para 0%.  Redução de 10% dos alunos em situação de absentismo escolar; Programa de Tutoria  Aproximar a percentagem de sucesso dos alunos acompanhados por um tutor de 50%;  Aproximar a percentagem de abandono escolar dos alunos acompanhados por um tutor tendencialmente para 0%; 5.2. Promoção de Hábitos de Cidadania  Melhorar o Clima e Ambiente Escolar;  Promover o bem-estar e a segurança da comunidade escolar;  Redução de 10% nos procedimentos disciplinares;  Continuar a prevenir as situações de risco, nomeadamente através da articulação com a Segurança Social, Juntas de Freguesia, Programa Escola Segura, Projeto SEI (Câmara Municipal de Odivelas), Programa EPIS, Associações de Pais e outras instituições ao dispor das populações;  Continuar a articular com a CPCJ e/ou com os serviços do Ministério Público, do Tribunal de família, em caso de comportamento de risco.
  18. 18. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 17 DE 34 5.3. Promoção de uma Liderança Democrática e Transformacional  Flexibilidade organizacional;  Participação de todos os atores e parceiros educativos;  Promoção de uma cultura de escola inclusiva.  Responsabilização dos órgãos e atores educativos pelas suas atividades atribuições/competência;  Negociação na tomada de decisões; 5.3.1. Promoção do Trabalho Cooperativo e do Reconhecimento da Excelência  Cooperação no trabalho de equipa;  Partilha de informações, experiências e saberes;  Valorização e reconhecimento da excelência. 5.3.2. Promoção da Articulação Escola-Família  Co-responsabilizar a família no percurso escolar dos alunos;  Melhorar a participação dos Pais e Encarregados de Educação;  Aproximar a percentagem de presença dos Pais e Encarregados de Educação nas reuniões com os Professores Titulares de 75%;  Aproximar a percentagem de Pais e Encarregados de Educação que contactam os Professores Titulares (fora das reuniões) de 75%;  Aproximar a percentagem de presença dos Pais e Encarregados de Educação nas reuniões com os Diretores de Turma de 60%;  Aproximar a percentagem de Pais e Encarregados de Educação que contactam os Diretores de Turma (fora das reuniões) de 60%;
  19. 19. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 18 DE 34  Continuar a articular, com o Projeto SEI! ODIVELAS, nomeadamente através de seminários e ações de formação para Pais e Encarregados de Educação. 5.3.3. Promoção da Articulação Interinstitucional  Potenciar uma política de negociação e concertação educativa com todos os atores sociais intervenientes no processo educativo, visando uma adequada intervenção comunitária;  Reclamar junto dos órgãos competentes a requalificação dos espaços escolares (edifícios, recreios e zonas verdes e expectantes). 5.3.4. Promoção da Avaliação Docente e Não Docente do Agrupamento  Promover uma justa e objetiva avaliação do pessoal docente e não docente. 5.3.5. Promoção da Avaliação Interna do Agrupamento  Melhoria do sistema de autorregulação interna – Observatório da Qualidade.
  20. 20. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 19 DE 34 6. ÁREAS DE INTERVENÇÃO: OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS Procurando intervir nas áreas identificadas como fundamentais e atingir as metas a que nos propomos, identificamos em seguidas objetivos base, apresentando estratégias cuja adoção visa a persecução dos mesmos. 6.1. Promoção do Sucesso Educativo A eficácia da ação educativa está diretamente relacionada com a capacidade de promover e consolidar aprendizagens, seja do ponto de vista da construção dos saberes ou da aquisição e manifestação de competências cognitivas e sociais. O sucesso educativo só poderá ser uma realidade se se traduzir num percurso coerente que possibilite uma aquisição efetiva de ferramentas científicas, tecnológicas e sociais por parte dos nossos alunos. Nesta medida, é fundamental contrariar o insucesso educativo mediante uma aposta clara do Agrupamento em proporcionar aprendizagens significativas, que apetrechem os alunos para ulteriores percursos de desenvolvimento pessoal, social e cultural. Havendo cada vez mais crianças e jovens cujo percurso escolar é afetado por uma assiduidade deficiente, é de uma importância extrema atuar junto destes alunos e das suas famílias, de forma a superar esse constrangimento. Tendo sempre como objetivo primordial o sucesso educativo dos nossos alunos, é necessário encontrar meios de combater algumas das causas que levam ao insucesso. O acompanhamento individualizado será, potencialmente, uma ferramenta importante na redução do insucesso resultante do abandono, do absentismo ou da manifestação de comportamentos desajustados. Objetivos:  Apoiar carências individualizadas e detetar e estimular aptidões específicas;
  21. 21. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 20 DE 34  Incentivar a aquisição de conhecimentos/competências para selecionar, interpretar e organizar informação;  Estimular o conhecimento tecnológico e informático, promovendo a utilização das tecnologias da informação e comunicação numa perspetiva de integração multidisciplinar e de otimização das aprendizagens;  Contribuir para uma formação integral dos alunos;  Promover a integração dos alunos estrangeiros;  Implementar a articulação de conteúdos curriculares entre os diferentes ciclos de escolaridade dentro do Agrupamento;  Pugnar por uma efetiva igualdade de oportunidades, individualizando percursos de formação e diversificando as ofertas educativas;  Reforçar as condições para o desenvolvimento de atividades extracurriculares, clubes e projetos;  Desenvolver a capacidade crítica, fomentando o trabalho em grupo, criando hábitos de respeito, participação e solidariedade, potenciando o nível de observação num ambiente que se pretende participativo, criativo e inovador;  Valorizar e potenciar o papel da BE/CRE como espaço privilegiado para o desenvolvimento de atividades de natureza pedagógica, bem como de ocupação de tempos livres e de lazer, geradoras de competências potenciadoras de cidadãos críticos e interventivos na sociedade da informação e do conhecimento.  Promover uma avaliação adequada e rigorosa ao serviço do sucesso das aprendizagens.  Privilegiar a avaliação diagnóstica e formativa.  Diversificar modalidades e instrumentos de avaliação.  Reduzir a taxa de abandono escolar, apontando para um valor tendencial de zero por cento.  Prevenir e combater a indisciplina;
  22. 22. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 21 DE 34  Combater o absentismo; Estratégias:  Encaminhar os alunos para o percurso escolar mais adequado às suas vivências e ao seu percurso escolar anterior;  Facultar o acesso a saberes e competências adequados e facilitadores de ulteriores trajetos de aprendizagem e formação;  Promover situações que demonstrem atitudes de autonomia, responsabilidade, partilha e cidadania;  Facilitar a aquisição de ferramentas no âmbito dos métodos de trabalho e de estudo, do tratamento da informação da comunicação e do relacionamento interpessoal e de grupo;  Implementar a diferenciação do ensino e das práticas pedagógicas, privilegiando metodologias de ensino ativas;  Promover a individualização dos percursos de aprendizagem;  Aproveitar as potencialidades dos recursos tecnológicos disponíveis elegendo-os como recursos fundamentais ao serviço da aquisição de saberes e do treino de competências transversais;  Promover a reflexão sobre as causas do insucesso dos alunos;  Implementar aulas de apoio educativo e atividades de enriquecimento curricular diversificadas;  Formar turmas que agrupem alunos estrangeiros, de forma a poderem tirar melhor partido das aulas de PLNM;  Promover o trabalho de equipa e cooperativo;  Promover atividades que permitam desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita: o Criar uma oficina de leitura e escrita; o Manter a publicação trimestral do jornal do Agrupamento: “O Trovador”; o Dinamizar a BE/CRE;  Promover atividades que permitam desenvolver o gosto pela matemática: o Criar uma oficina de matemática;
  23. 23. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 22 DE 34  Fomentar aprendizagens significativas baseadas numa metodologia experimental e de investigação;  Premiar o mérito e a excelência;  Contribuir para a generalização das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC’s) nas Escolas do 1.º CEB, melhorando as condições de oferta às famílias, para uma “escola a tempo inteiro”, em cooperação estratégica com a Entidade Promotora e os restantes Parceiros.  Integrar alunos com necessidades educativas especiais de carácter permanente, de forma a que tenham acesso a uma educação inclusiva e de qualidade: - avaliar corretamente as suas problemáticas; - determinar apoios adequados; - diversificar estratégias pedagógicas na sala de aula; - adequar a gestão curricular; - disponibilizar recursos humanos e materiais consentâneos com a especificidade de cada caso; - organizar um estilo de trabalho coordenado e cooperativo entre os intervenientes no processo educativo do aluno; - envolver os alunos em atividades da comunidade escolar; - Constituir turmas/horários que contribuam para o sucesso dos alunos, tendo por base a legislação em vigor e os critérios aprovados em Conselho Pedagógico, devendo ainda ter em conta as sugestões emanadas pelo professor titular de turma/Conselho de Turma do ano letivo anterior.  Acompanhar/encaminhar os alunos em situação de risco;  Diversificar as atividades de enriquecimento curricular, indo, dentro do possível, ao encontro das motivações dos alunos;  Adaptar o currículo às características dos alunos;  Encaminhar os alunos para cursos de carácter mais prático, nomeadamente os Cursos de Educação e Formação (CEF's) e o Ensino Vocacional;
  24. 24. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 23 DE 34  Continuar a facultar as ofertas de percursos formativos (CEF’s), tendo em conta o contexto sociocultural e económico do meio;  Apostar no reforço do acompanhamento dos alunos através de tutorias individualizadas;  Implementar a coadjuvação nas turmas de homogeneidade relativa, nomeadamente PCA e turmas com uma percentagem elevada de alunos com retenções repetidas;  Reforçar a responsabilização dos encarregados de educação (estratégias, métodos, atividades diversificadas por parte dos professores e diretores de turma);  Promover e reforçar os contactos com as entidades externas (CPCJ, Segurança Social, Autarquia, Centro de Saúde...).  Articular informação com todos os elementos da comunidade educativa na identificação dos problemas de indisciplina;  Articular informação com os diretores de turma;  Responsabilizar alunos e pais e/ou encarregados de educação pela sua postura face à escola.  Potenciar um clima de disciplina, conscientemente exercida, que se reflita e conduza à ordem;  Acionar mecanismos de envolvimento dos pais e/ou encarregados de educação no processo em causa;  Utilizar, de forma pedagógica, todas as situações que venham a envolver procedimentos disciplinares. 6.2. Promoção de Hábitos de Cidadania Os hábitos de cidadania desenvolvem-se através de um processo participado, individual e coletivo, que recorre à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada indivíduo e pela sociedade. A cidadania traduz-se numa atitude e num comportamento, num modo de estar em sociedade que tem como referência os direitos humanos, nomeadamente os valores da igualdade, da democracia e da justiça social.
  25. 25. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 24 DE 34 Objetivos:  Promover uma cultura de Escola que valorize atitudes e valores fundamentais na formação integral dos alunos;  Implementar comportamentos cívicos contribuindo para a construção da identidade e para o desenvolvimento da consciência cívica;  Promover o conhecimento de si próprio, o desenvolvimento progressivo de sentimentos de autoconfiança e melhor auto-estima, e um relacionamento positivo com os outros, no apreço pelos valores da Justiça, da Verdade, da Solidariedade e de Tolerância.  Promover uma Educação em função de Valores Universais de Cidadania e Proteção do Meio Ambiente; Estratégias:  Desenvolver campanhas de solidariedade ao nível do Agrupamento, que tenham impacto na comunidade;  Impulsionar ações de voluntariado;  Premiar a produção de atividades/eventos e trabalhos inovadores;  Promover debates que envolvam a comunidade educativa;  Promover a integração pelas artes/ expressões: música, dança, teatro, expressão plástica…;  Promover o embelezamento, melhoria e manutenção dos edifícios escolares e zonas verdes;  Promover formação, preferencialmente pelo Gabinete de Psicologia e Orientação, ao Pessoal Docente, Pessoal não Docente e Pais/ Encarregados de Educação com vista à criação de uma cultura de escola assente no saber estar – cumprimento de regras e adequação de comportamentos.
  26. 26. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 25 DE 34 6.3. Promoção de uma Liderança Democrática e Transformacional A organização da escola e o conhecimento claro da posição que cada um dos seus membros responsáveis tem na sua estrutura funcional são um elemento importante na estratégia de conquista dos seus objectivos. O empenho e dedicação de todos os docentes e profissionais que desempenham funções na escola, bem como dos pais e encarregados de educação, são a chave do êxito. Esse empenho e dedicação dependem, de entre outros fatores, da capacidade de liderar de forma democrática e transformacional. 6.3.1. Promoção do Trabalho Cooperativo e do Reconhecimento da Excelência O desempenho e o sucesso da escola dependem cada vez mais das capacidades de organização e gestão. Promover o trabalho em equipa e reconhecer o mérito, são formas de organizar e gerir, que estimulam o empenho e propiciam a consecução dos objetivos. Objetivos:  Gerir racionalmente os Recursos Humanos;  Otimizar o desempenho de funções de coordenação (responsabilização/envolvimento das chefias intermédias);  Promover o trabalho de equipa e cooperativo. Estratégias:  Inventariar as necessidades dos Jardins de Infância e das Escolas do Agrupamento;  Afetar pessoal docente e não docente a tarefas e funções que melhor se adequam com o Projeto Educativo;  Solicitar autorização superior para a contratualização de técnicos especializados para projetos de desenvolvimento;  Contratualizar serviços educativos especializados a afetar a determinados projetos;
  27. 27. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 26 DE 34  Gerir a bolsa de voluntariado de acordo com as necessidades das escolas do agrupamento;  Reconhecer o mérito e a excelência. 6.3.2. Promoção da Articulação Escola-Família A escola é uma instituição social que atua como ponte entre a família e a sociedade. Adquire protagonismo como instituição que educa as atitudes e os comportamentos do aluno. A família, por sua vez, cumpre um papel determinante na socialização dos jovens e detém a máxima responsabilidade na formação dos seus filhos. Nesta rede de direitos, deveres e responsabilidades entre a família e a escola, situa-se a necessidade de colaboração entre as duas Instituições. Objetivos:  Corresponsabilizar a família no percurso escolar dos alunos;  Promover a participação voluntária dos pais, potenciando a sua adesão a programas de envolvimento na escola;  Melhorar a comunicação com as famílias;  Potenciar ações dirigidas aos pais, visando a sua intervenção no acompanhamento do percurso escolar dos aluno;  Fomentar a participação na escola, da comunidade educativa e da sociedade local, oferecendo um melhor conhecimento público da qualidade do trabalho das escolas; Estratégias:  Diversificar estratégias de envolvimento de acordo com a variedade e tipo de famílias;  Desenvolver o Projeto “Escola de Pais”;  Reativar a Associação de Pais e Encarregados de Educação, da E.B.2.3 dos Pombais;
  28. 28. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 27 DE 34  Envolver os pais na tomada de decisão sobre questões que têm a ver com a sua colaboração com as escolas;  Estimular a participação dos pais em atividades de natureza educativa;  Estimular a comunicação formal e informal entre os pais e as estruturas de orientação educativa;  Estimular a participação da comunidade educativa em eventos (seminários, workshops, festas…) consagrados pela escola;  Incentivar a comunidade educativa para a utilização dos meios de divulgação das práticas do agrupamento ( site, blogs, jornal…) 6.3.3. Promoção da Articulação Interinstitucional A abertura da escola ao exterior implica o desenvolvimento de uma política de interligação com os contextos locais, regionais, nacionais e internacionais territorializando a sua política educativa. Nesta área de intervenção a escola deverá partilhar as decisões com os representantes locais, vincular comunitariamente a sua política educativa, desenvolver e participar em iniciativas, atividades e projetos com outras instituições e organizações da região. Objetivos:  Potenciar uma política de negociação e concertação educativa com todos os atores sociais intervenientes no processo educativo, visando uma adequada intervenção comunitária;  Contribuir para o desenvolvimento e valorização da identidade cultural do território local;  Promover a melhoria da qualidade da escola enquanto prestadora de um serviço social público. Estratégias:  Definir os princípios enquadradores para o estabelecimento de parcerias;
  29. 29. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 28 DE 34  Estabelecer protocolos de cooperação com entidades locais (autarquias, instituições do ensino superior, empresas, associações económicas, desportivas, culturais e profissionais);  Concretizar e articular estratégias de prevenção e de intervenção em parceria com outras instituições comunitárias em várias vertentes educativas: saúde, problemas de aprendizagem, comportamentos de risco, integração social e profissional, ambiente e outras;  Continuar a desenvolver projetos em parceria com a C. M. O., Junta de Freguesia e Projeto SEI! ODIVELAS;  Ceder e partilhar espaços e equipamentos;  Criar dispositivos eficazes de circulação da informação entre a escola e a comunidade. 6.3.4. Promoção da Avaliação Docente e Não Docente do Agrupamento A formação profissional dos atores escolares deve obedecer a uma lógica contextual, adaptativa, organizacional e orientada para a mudança, que responda à crescente complexidade e às mudanças continuas que hoje se colocam e se produzem na organização escolar. Face à realidade que hoje se vive nas escolas a formação não pode ser encarada como um fim em si mesmo, mas sim como um recurso, entre outros, ao serviço da instituição ensino. Objetivos:  Promover uma política de formação centrada no Agrupamento obedecendo a uma lógica contextual, adaptativa, organizacional e orientada para a mudança;  Potenciar uma formação contínua na tripla perspetiva: aumento de competências instrumentais, produção de projetos de mudança/inovação e gestão de conflitos;
  30. 30. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 29 DE 34  Desenvolver a profissionalidade, melhorando a qualidade do desempenho;  Estimular a inovação e a criatividade;  Promover a avaliação do pessoal docente e não docente nas perspetivas científica/pedagógica e organizacional. Estratégias:  Conceber um Plano de Formação para professores, funcionários, e pais e encarregados de educação, que assuma a dupla dimensão de privilegiar as necessidades individuais (profissionais e pessoais) e as necessidades da organização escolar;  Articular o Projeto de Formação do Agrupamento com o Centro de Formação CENFORES – LOURES;  Estimular a participação dos atores escolares em modelos de formação diversificados (Círculos de Estudo, Projetos, Oficina de Formação, Seminários, Ações de Sensibilização);  Implementar dinâmicas de formação assentes na Reflexão/Ação;  Dinamizar ações de informação sensibilização e formação sobre temáticas consideradas pertinentes;  Dar visibilidade e divulgar os projetos e as práticas educativas inovadoras na comunidade educativa. 6.3.5. Promoção da Avaliação Interna do Agrupamento A crescente autonomia da escola implica o alargamento do âmbito de tomada de decisões. Para as decisões serem fundamentadas é necessária uma postura de responsabilização da escola, procurando através da avaliação interna formas de autorregulação. O efetivo desenvolvimento da escola implica modalidades de autoavaliação ou avaliação interna, bem como uma monitorização do desempenho centrada no contexto, nos recursos, nos processos e nos resultados.
  31. 31. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 30 DE 34 A avaliação interna da escola deverá ser um processo de democracia participativa, de crescimento e de emancipação, refletindo as mudanças e melhorias que o processo foi capaz de induzir. Objetivos:  Potenciar uma cultura de avaliação;  Promover a qualidade da educação;  Promover autoconhecimento e desenvolvimento organizacional;  Contribuir para a regulação da educação, dotando os responsáveis pelas políticas educativas e pela administração das escolas de informação pertinente;  Desenvolver um sistema de informação atualizada sobre o Agrupamento Estratégias:  Continuar a desenvolver o Observatório de Qualidade, adequando os indicadores em função dos referentes definidos pela IGEC (Site IGEC - Avaliação Externa);  Conceber e concretizar instrumentos de autoavaliação (grau de consecução dos objetivos, conteúdos e estratégias);  Desenvolver práticas reflexivas entre os elementos da comunidade escolar;  Melhorar o sistema de informação do Agrupamento;  Utilizar os dados da avaliação na tomada de decisões tendentes ao aperfeiçoamento e desenvolvimento do Agrupamento.
  32. 32. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 31 DE 34 7. AVALIAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO DO AGRUPAMENTO O presente Projeto Educativo, terá a vigência de três anos e está de acordo com a Lei em vigor que regulamenta o regime de Autonomia, Administração e Gestão dos Estabelecimentos de Educação Pré – Escolar e dos Ensino Básico e Secundário. A Avaliação do Projeto Educativo é da competência do Conselho Geral, ouvido o Conselho Pedagógico que emitirá parecer respeitando os seguintes parâmetros: - A Conformidade do Projeto, ações realizadas em função dos objetivos, princípios e finalidades estabelecidas; - A Eficiência do Projeto, verificação dos melhores recursos postos à disposição do Agrupamento; - A Pertinência do Projeto, verificar a relação das ações previstas e desenvolvidas às efetivas necessidades do Agrupamento; - A Consistência do Projeto, as metas a atingir; - A Eficácia do Projeto, avaliar os resultados com os recursos investidos. Deve o Conselho Geral, como Órgão de Gestão, prever o momento das avaliações intermédias que devem incidir sobre as áreas definidas como prioritárias, no início de vigência deste P.E, identificando os obstáculos que condicionam o seu desenvolvimento, melhorando os aspetos positivos geradores de dinâmicas na Comunidade Educativa, de o readaptar e reajustar permitindo a eficácia do P.E.. Contudo as avaliações intermédias não poderão operar mudanças estruturais, já que estas só farão sentido após a avaliação final do P.E.. Estas avaliações servirão como diagnóstico para o ano letivo seguinte. Ressalva-se, no entanto, as alterações a aplicar no âmbito de reajustamentos à legislação em vigor.
  33. 33. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 32 DE 34 As propostas de alteração ou de reformulação, poderão ser apresentadas por todos os elementos da Comunidade Educativa (Professores, Alunos, Pessoal não Docente, Encarregados de Educação). O processo de avaliação é parte integrante do P.E., devendo dinamizá-lo e torná-lo mais criativo tendo em conta três momentos. O primeiro respeita à fundamentação e elaboração do P.E. na sua relevância e pertinência, conhecer os recursos humanos e materiais disponíveis, caracterização do projeto, sua delimitação e exequibilidade, bem como análises de Projetos Educativos de outros estabelecimentos de ensino. O segundo momento é feito ao longo da execução do P.E., o nível de aceitação e mérito que provoca no Agrupamento, observando-se da sua oportunidade e qualidade pelo grau de cumprimento do Plano Anual de Atividades. O terceiro momento terá lugar no final do segundo ano da sua vigência, implicando uma análise do caminho percorrido, para que se proceda ao diagnóstico da situação do Agrupamento, e componha o ponto de partida para o próximo P.E.. Para além deste aspeto de avaliação interna, haverá também uma avaliação externa do Agrupamento, por parte de entidades competentes para o efeito (a). O presente Projeto Educativo entra em vigor na data da sua aprovação pelo Conselho Geral. (a) A avaliação interna pretende ser o mais próxima possível do exigido na avaliação externa. ASSIM, DE ACORDO COM A PÁGINA DO IGEC: 1 -QUADRO DE REFERÊNCIA DO AGRUPAMENTO 1.1 -OBJETIVOS • Promover o progresso das aprendizagens e dos resultados dos alunos, identificando pontos fortes e áreas prioritárias para a melhoria do trabalho das escolas; • Incrementar a responsabilização a todos os níveis, validando as práticas de autoavaliação das escolas;
  34. 34. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 33 DE 34 • Fomentar a participação na escola da comunidade educativa e da sociedade local, oferecendo um melhor conhecimento público da qualidade do trabalho das escolas; • Contribuir para a regulação da educação, dotando os responsáveis pelas políticas educativas e pela administração das escolas de informação pertinente. 1.2 - DOMÍNIOS Resultados, Prestação do serviço educativo e Liderança e gestão – abrangendo um total de nove campos de análise. 1.2.1 - CAMPOS DE ANÁLISE - REFERENTES Os campos de análise são explicitados por um conjunto de referentes: 1.2.3 - RESULTADOS Resultados académicos • Evolução dos resultados internos contextualizados • Evolução dos resultados externos contextualizados • Qualidade do sucesso • Abandono e desistência Resultados sociais • Participação na vida da escola e assunção de responsabilidades • Cumprimento das regras e disciplina • Formas de solidariedade • Impacto da escolaridade no percurso dos alunos Reconhecimento da comunidade • Grau de satisfação da comunidade educativa • Formas de valorização dos sucessos dos alunos • Contributo da escola para o desenvolvimento da comunidade envolvente PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO Planeamento e articulação • Gestão articulada do currículo • Contextualização do currículo e abertura ao meio • Utilização da informação sobre o percurso escolar dos alunos • Coerência entre ensino e avaliação • Trabalho cooperativo entre docentes
  35. 35. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA 34 DE 34 Práticas de ensino • Adequação das atividades educativas e do ensino às capacidades e aos ritmos de aprendizagem das crianças e dos alunos • Adequação das respostas educativas às crianças e aos alunos com necessidades educativas especiais • Exigência e incentivo à melhoria de desempenhos • Metodologias ativas e experimentais no ensino e nas aprendizagens • Valorização da dimensão artística • Rendibilização dos recursos educativos e do tempo dedicado às aprendizagens. • Acompanhamento e supervisão da prática letiva Monitorização e avaliação do ensino e das aprendizagens • Diversificação das formas de avaliação • Aferição dos critérios e dos instrumentos de avaliação • Monitorização interna do desenvolvimento do currículo • Eficácia das medidas de promoção do sucesso escolar • Prevenção da desistência e do abandono LIDERANÇA E GESTÃO Liderança • Visão estratégica e fomento do sentido de pertença e de identificação com a escola • Valorização das lideranças intermédias • Desenvolvimento de projetos, parcerias e soluções inovadoras • Motivação das pessoas e gestão de conflitos • Mobilização dos recursos da comunidade educativa
  36. 36. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA i DE xxix ANEXOS
  37. 37. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA ii DE xxix I - CARACTERIZAÇÃO DOS ESPAÇOS FÍSICOS DO AGRUPAMENTO Escola Básica do 1º Ciclo com Jardim de Infância Maria Lamas A Escola EB1/JI Maria Lamas situa-se na cidade de Odivelas, zona urbana a Norte de Lisboa. A população é formada na sua maioria por habitantes de médio e baixo poder económico, oriunda a maior parte do meio rural nas décadas de 60 e 70, tendo-se verificado a partir da década de 80 um grande fluxo de imigrantes do continente africano e asiático e mais recentemente dos países do leste europeu. As profissões predominantes da população são: funcionários públicos, operários não especializados, comerciantes, empregados domésticos, profissões liberais. Os equipamentos socioculturais oferecidos pela Comunidade revelam-se insuficientes para as necessidades do meio, pelo que as atividades existentes na Escola são fundamentais para a ocupação do tempo pós-escolar, sobretudo para as crianças mais desfavorecidas economicamente que ficam entregues a si próprias, após o horário escolar. A Escola EB1/JI Maria Lamas sita na Rua do Espírito Santo n.º 14, integrada numa das zonas mais antigas da cidade. Central na sua localização, serve a população das ruas contíguas bem como alunos oriundos do bairro da Serra da Luz e do Vale do Forno. Desde Janeiro de 2002, a escola é composta por dois edifícios principais com dois andares e duas alas: um de plano centenário, que comporta oito salas de aula, e um moderno, ligado ao edifício antigo, com:  6 Salas de aula, uma das quais a funcionar como mediateca/biblioteca  3 Complexos sanitários femininos e masculinos;  1 Complexo sanitário para deficientes;  1 Arrecadação. No exterior, num edifício lateral, com:  2 Salas funcionando uma como gabinete da direção/secretaria e outra como sala
  38. 38. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA iii DE xxix de professores;  2 Instalações sanitárias para adultos. Num edifício contíguo a este funciona o refeitório que serve refeições a mais de metade da respetiva população escolar. Esta escola funciona em regime normal, das 9h00m – 12h30m e das 14h – 16h. Das 16h30m até às 17h30m decorrem as A.E.C..Poderão surgir alterações anuais a estes horários. O Jardim de Infância situa-se no mesmo espaço da Escola EB1/JI Maria Lamas em Odivelas, tendo sido criado segundo a portaria de criação de Jardins de Infância 1046-A de 31/08/2001, e entrado em funcionamento em Abril de 2002. É composto por:  2 Salas de atividades;  2 Casas de banho para as crianças;  1 Arrecadação;  1 Pequeno gabinete;  1 Hall de entrada. O recreio exterior situa-se nas traseiras do edifício, destinado ao Jardim de Infância, onde existe equipamento lúdico para o lazer das crianças. Existe, ainda uma pequena zona exterior coberta. A sala de professores, a casa de banho dos adultos e o refeitório são comuns à Escola Básica e ao Jardim de Infância. Funciona em regime normal com o horário das 9.00h às 15.00h. A Componente de Apoio à Família (CAF) funciona numa sala da EB1 com o seguinte horário: 15h00m – 19h00m. Poderão surgir alterações anuais a estes horários. Escola Básica do 1º Ciclo Rainha Santa
  39. 39. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA iv DE xxix A Escola EB1 Rainha Santa situa-se numa zona urbana, concretamente na Rua Antero de Quental, num bairro denominado Patameiras, freguesia de Odivelas. O Bairro das Patameiras fica localizado no extremo sudoeste da Cidade de Odivelas podendo-se aceder através de um nó da CRIL IC17 (A36 Auto Estrada) - Odivelas Oeste ou das Patameiras. Dispõe de Delegação da Junta de Freguesia de Odivelas, da Igreja da Divina Misericórdia e ainda o Cemitério de Odivelas, embora habitualmente este seja erradamente localizado no bairro limítrofe dos Pombais. A denominação "Patameiras" poderá referir-se à existência, em tempos idos, de terrenos pantanosos (Patameiras) na zona baixa, onde hoje corre o Rio da Costa, e onde foi construído um troço da CRIL. São associações desportivas e recreativas dignas de registo: Os Leões Futebol Clube, O Clube Atlético das Patameiras e a AMOP (Associação Social de Moradores do Bairro das Patameiras). Dada a construção recente (e que ainda decorre) da Urbanização das Colinas do Cruzeiro, de grande dimensão, situada nos limites entre Arroja e Patameiras/Pombais, surge como hipótese alternativa a criação de uma freguesia de Arroja e Patameiras/Pombais, que poderá mais tarde ser dividida. É uma escola de tipo P3, constituída por:  8 Salas de aula de média dimensão,  1 Sala polivalente que funciona como refeitório e ginásio;  1 Cozinha;  1 Gabinete para as auxiliares de ação educativa e de prestação de primeiros socorros;  2 Salas pequenas que servem para Apoio Educativo/ Atividades Pedagógicas;  8 Instalações sanitárias para crianças;  2 Instalações sanitárias para professores e assistentes operacionais;  4 Zonas sujas (para expressão plástica); 3 Arrecadações;
  40. 40. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA v DE xxix  Balneários/vestiários (desativados). No exterior da escola existem:  2 Alpendres;  1 Logradouro;  No pátio encontra-se desenhado um mini campo de futebol e alguns jogos tradicionais;  Um chafariz(desativado);  Pequeno espaço ajardinado. Esta escola funciona em regime duplo: das 08h00m – 13h00m (turno da manhã) 13h15m – 18h15m (turno da tarde). As A.E.C. decorrem em simultâneo com as aulas. Poderão surgir alterações anuais a estes horários. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Pombais Esta Escola é sede do Agrupamento, ficando próxima das outras escolas que o integram. Fica localizada no centro da cidade de Odivelas, na Rua do Lobito, no bairro dos Pombais. A escola é constituída por quatro blocos distintos (A, B, C e D), possuindo uma portaria junto ao portão principal, um portão secundário, balneários, dois campos de jogos e espaços livres descobertos. Bloco A – essencialmente serviços Piso térreo  Secretaria (uma sala de arquivo)  PBX  Gabinete médico  Sala de professores  Sala de trabalho dos diretores de turma/departamentos  Sala de receção aos Encarregados de Educação;
  41. 41. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA vi DE xxix  Gabinete da Direção  Gabinete da chefe do pessoal auxiliar de ação educativa  Reprografia  Arrecadação do arquivo morto  Instalações sanitárias para professores e pessoal não docente Primeiro piso  Biblioteca  Sala de aula de Educação Musical  Sala multimédia (sala de aula de TIC)  Gabinete dos serviços de Psicologia e Orientação  Gabinete de Coordenação/Conselhia Desporto Escolar  Gabinete de Coordenação dos CEF;  Gabinete do Departamento de Educação Especial;  Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família. Bloco B – bloco de aulas Rés-do-chão  Duas salas de aulas de Educação Visual/Tecnológica do 2º ciclo e de Educação Tecnológica  Uma sala de Educação Visual;  Uma sala das turmas do Ensino Articulado;  Instalações sanitárias para alunos  Uma arrecadação Primeiro piso  Sete salas de aulas  Uma sala de trabalho adaptada a sala de aula  Um gabinete pequeno (Projeto SEI, CMO)
  42. 42. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA vii DE xxix  Uma arrecadação Bloco C – bloco de aulas Rés-do-chão  Uma sala de aula de Educação Tecnológica  Sala Tecnológica adaptada para aulas práticas de Educação Física  Uma sala de aula grande adaptada a Laboratório de Ciências Físico-- Químicas  Uma sala de aula grande adaptada a Laboratório de Ciências Naturais e da Natureza  Instalações sanitárias para alunos  Uma arrecadação Primeiro piso  Seis salas de aulas  Uma sala de trabalho adaptada a sala de aulas  Duas arrecadações Bloco D – um só piso  Sala de alunos (equipada com mesas e cadeiras, cabides, televisão e material para a prática de ténis de mesa)  Bufete  Papelaria  Arrecadação do bufete  Instalações sanitárias para alunos  Cacifos para alunos  Gabinete para Clube de Rádio (espaço improvisado)  Sala de aulas práticas de Educação Física (espaço improvisado)  Sala de pessoal auxiliar de ação educativa  Refeitório
  43. 43. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA viii DE xxix  Cozinha (inclui copa; despensa, sala de pessoal de cozinha e respetivas instalações sanitárias) Balneários - um só piso  Balneários femininos e masculinos  Gabinete de trabalho para professores de Educação Física e respetivas instalações sanitárias  Arrecadação de ferramentas Campos de jogos Dois campos de jogos descobertos, com marcações e equipamentos para a prática de futebol, de andebol e de basquetebol, tendo o maior (relva sintética) 1200m2 (40m x30m) e o menor 800m2 (20mx40m). Espaços livres Entre os blocos existem alguns espaços livres descobertos destinados a área de lazer dos alunos. Os espaços livres encontram- se praticamente todos ajardinados ou com plantações de árvores. Junto ao bloco D existe um espaço coberto por um telheiro, equipado com uma mesa de ping-pong. Esta escola funciona em regime normal, das 8h15m – 13h15m e das 13h30m – 18h30m.
  44. 44. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA ix DE xxix II - ORGANOGRAMA CONSELHO GERAL CONSELHO PEDAGÓGICO DIRETORA DIREÇÃO SUBDIRETOR A ADJUNTOS ASSESSORES DEPARTAMENTOS ESCOLARES EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR 1º CEB LÍNGUAS GRUPOS DISCIPLINARES CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS GRUPOS DISCIPLINARES MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS GRUPOS DISCIPLINARES EXPRESSÕES GRUPOS DISCIPLINARES COORDENAÇÃO DE ANO/CICLO COORDENADORAS DE ESTABELECIMENTO COORDENADORA DOS DIRETORES DE TURMA COORDENADORA DOS CEF OUTROS SERVIÇOS SERVIÇO DE REFEITÓRIO BUFETE ENC.ASSISTENTES OPERACIONAIS OUTROS (VOLUNT.) NÚCLEO DE PROJETOS/ES TRUTURAS COORDENAD ORA DE PROJETOS CLUBES/PROJ ETOS BE/CRE COORDENADOR DE SEGURANÇA PNL/NOVOS PROGRAMAS DA MATEMÁTICA SECRETARIADO DE EXAMES E PROVAS DE AFERIÇÃO SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM APOIOS EDUCATIVOS SPO NEE PROJETO SEI! ODIVELAS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS COORDENADOR TÉCNICO SERVIÇOS DE ADMIN. ESCOLAR ASSISTENTES TÉNICOS SERVIÇOS DE AÇÃO SOCIAL ASSISTENTES TÉCNICOS CONSELHO ADMINISTRATIVO
  45. 45. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA x DE xxix III - CARACTERIZAÇÃO HUMANA DO AGRUPAMENTO ESTRUTURAS EDUCATIVAS E SERVIÇOS – 2013/2014 CONSELHO GERAL EFETIVO Representantes da Direção NOME CARGO Ana Manuela Gralheiro Diretora do Agrupamento Representantes do Pessoal Docente NOME ESCOLA/NÍVEL DE ENSINO Isabel Pereirinha Teixeira (Presidente) EB1-RS/1º ciclo Lídia Maria Vala C. Morais EB1JIMaria Lamas/JI Ana Sofia Trindade Antunes EB1-ML/1º ciclo João Gil Dias Bento EB2,3Pombais/2º ciclo José Manuel da Costa Brás EB2,3Pombais/2º ciclo Fernanda Maria Fernandes EB2,3Pombais/3º ciclo Maria do Soledade Pardal EB2,3Pombais/3º ciclo Maria da Graça Antunes Rijo EB2,3Pombais/2º e 3º ciclo
  46. 46. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xi DE xxix Representantes do Pessoal Não Docente EFECTIVOS NOME CARGO Maria Adelaide C. S. Fernandes Assistente Operacional/Rainha Santa Maria Helena D. P. Fernandes Coordenador Técnico/Pombais Representantes dos Encarregados de Educação NOME CARGO EFETIVOS Ana Sofia Leite C. S. Batista Assoc. Pais Mª Lamas Patrícia Alexandra Vicente Assoc. Pais Mª Lamas Inocência Pinto Assoc. Pais Pombais Ana Cristina Ferreira Assoc. Pais Rainha Sta. Ivone Maria C. M. M. Pereira Assoc. Pais Rainha Sta. Representantes do Município EFETIVOS NOME CARGO Maria Fernanda Franchi Vereadora do pelouro da Educação Isabel Dias Técnica Superior Gabriel Caetano Chefe de Divisão de Planeamento e Intervenção Socioeducativa SUPLENTES* Patrícia Barroso Técnica Superior * Para efeitos de representação, os membros suplentes podem a qualquer momento substituir os membros efetivos sem outras formalidades.
  47. 47. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xii DE xxix Representantes da Comunidade Local NOME CARGO Conservatório D. Dinis Carlos Manuel Gonçalves Gomes Diretor do Conservatório de Música D. Dinis SUPLENTES* Ana Maria de Magalhães Geraldo Diretora Pedagógica Municipália Mário Máximo Presidente do Conselho de Administração da Municipália, EM SUPLENTES* Cristina Soares Jurista da Municipália, EM Escola Profissional Agrícola D. Dinis - Paiã José Aires Matos Pereira da Silva Diretor da Esc. Profissional Agrícola D.Dinis- Paiã DIREÇÃO Diretora Ana Manuela Marques da Costa Gralheiro Subdiretora Rosa Maria Magalhães Gouveia Anjos Adjuntos Carla Alexandra Diogo de Faria Carlos Alberto da Conceição Neves
  48. 48. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xiii DE xxix CONSELHO PEDAGÓGICO REPRESENTANTE Nome Cargo Direção Executiva Ana Gralheiro Diretora do Agrupamento Pessoal Docente Maria Toricas Coord. Dep. Línguas Mª Fátima Rebelo Coord. Dep. Ciências Humanas e Sociais Mª Angelina Tiago Coord. Dep. Matemática e Ciências Experimentais Carla Faria Coord. Dep. Expressões Margarida Rapoula Repres. Educação Especial Fátima Rico Coord. Dep. 1º CEB Susana Rodrigues Coord. Ano 1º CEB Ana Teresa Marques Coord. Dep. Pré-Escolar Rosa Fernandes Coord. Diretores Turma Ana Gralheiro Coord. Projetos Helena Coimbra Coord.Desporto Escolar Nair Sobral Coord. Plano Tecnológico Fernanda Jacinto Coord. BE/CRE
  49. 49. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xiv DE xxix COORDENADORA TÉCNICA E ENCARREGADA ASSISTENTES OPERACIONAIS Coordenadora Técnica Maria Helena Dias Pereira Fernandes Encarregada das Assistentes Operacionais Rosa Maria Ribeiro Rego Lopes PESSOAL DOCENTE  Total de educadores e de professores do Agrupamento Educadores de Infância Professores de 1º CEB Professores de 2º CEB Professores de 3º CEB Educação Especial TOTAL 3 30 20 44 4 101  Situação profissional Educadores de Infância Professores de 1º CEB Professores de 2º CEB Professores de 3º CEB Educação Especial TOTAL Quadro 3 29 11 32 3 78 Contratados 0 1 9 12 1 23 TOTAL 3 30 20 44 4 101  Idade
  50. 50. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xv DE xxix Educadores de Infância Professores de 1º CEB Professores de 2º CEB Professores de 3º CEB Educação Especial TOTAL < 25 anos 0 0 0 0 0 0 25-34 anos 0 2 4 10 0 16 35-44 anos 0 12 8 12 0 32 45-54 anos 2 12 5 18 4 41 55 ou + 1 4 3 4 0 12  Sexo Educadores de Infância Professores de 1º CEB Professores de 2º CEB Professores de 3º CEB Educação Especial TOTAL Feminino 3 28 13 37 4 85 Masculino 0 2 7 7 0 16 PESSOAL NÃO DOCENTE  Idade SPO Assistentes Técnicos Técnicos Especializados Assistentes Operacionais Total <25 anos 0 0 0 0 0 25 a 34 anos 0 1 1 4 6 35 a 44 anos 0 3 1 8 12 45 a 54 anos 1 3 0 13 17 ≥ 55 anos 0 0 0 11 11
  51. 51. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xvi DE xxix  Situação Profissional Serviço de Psicologia e Orientaçã o Assistente s Técnicos Técnicos Especializad os Assistente s Operacion ais Total R.C.T.F.P. -- -- -- -- -- C.I.T -- -- -- -- -- Outros 1 7 1(Projeto SEI) 36 45 Total 1 7 1 36 45  Habilitações SPO Assistentes Técnicos Técnicos Especializad os Assistentes Operacion ais Total 1º CEB 0 0 0 7 7 2º CEB 0 0 0 4 4 3º CEB 0 0 0 22 22 Secundário 0 5 0 3 8 Bacharelato 0 0 0 0 0 Licenciatura 1 2 1 0 4 Outras 0 0 0 0 45  Sexo 2013/2014 Feminino 42 Masculino 3
  52. 52. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xvii DE xxix ALUNOS Ensino Pré-Escolar  Número de alunos do Jardim de Infância, por sala TOTAL Sala 1 25 Sala 2 20  Número de alunos por idade 1º Ciclo  Número de alunos por escola e por ano Escolas 1.º Ano 2.º Ano 3.º Ano 4.º Ano TOTAL Escola EB1/JI Maria Lamas 58 72 72 63 265 Escola EB1 Rainha Santa 51 64 72 67 254 TOTAL 109 136 144 130 519 TOTAL 5 Anos 44 6 Anos 1
  53. 53. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xviii DE xxix  Número de alunos por ano e por idade Ano de escolaridade 5 anos 6 anos 7 anos 8 anos 9 anos 10 anos 11 anos ≥12 anos TOTAL 1.º Ano - 104 5 - - - - - 109 2.º Ano - - 125 10 1 - - - 136 3.º Ano - - - 118 20 6 - - 144 4.º Ano - - - - 107 13 4 6 130 Total 0 104 130 128 128 19 4 6 519  Nº de alunos estrangeiros Ano Letivo 1ºCiclo 1.º Ano 2.º Ano 3.º Ano 4.º Ano TOTAL 2013/2014 6 9 6 14 35  Nº de alunos com ASE Ano Letivo 2013/2014 1ºCiclo 1.ºAno 2.ºAno 3.º Ano 4.º Ano TOTAL A 37 42 36 48 163 B 17 27 18 18 80 Total 54 69 54 56 233 2º Ciclo  Número de alunos por ano Ano Letivo 2013/2014 5.º Ano 6.º Ano CEF TOTAL 125 125 19 269
  54. 54. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xix DE xxix  Número de alunos por ano e por idade Ano Letivo 2013/2014 Ano de escolaridade Idades TOTAL 9 anos 10 anos 11 anos 12 anos 13 anos ≥14 anos 5.º Ano 22 70 22 7 3 1 125 6.º Ano 1 18 67 24 13 2 125 CEF - - - - - 19 19 Total 23 88 89 31 16 22 269  Nº de alunos estrangeiros Ano Letivo 2º Ciclo 5.º Ano 6.º Ano CEF TOTAL 2013/2014 22 18 6 46  Nº de alunos com ASE ASE 2º Ciclo 5.º Ano 6.º Ano CEF TOTAL A 54 57 12 123 B 28 28 4 60 Total 82 85 16 183
  55. 55. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xx DE xxix 3º Ciclo  Número de alunos por ano Ano Letivo 2013/2014 7.º Ano 8.º Ano 9.º Ano CEF TOTAL 153 87 83 55 378  Número de alunos por ano e por idade Ano Letivo 2013/2014 Ano de escolaridade Idades TOTAL11 Anos 12 Anos 13 Anos 14 Anos 15 Anos ≥16 Anos 7º Ano 15 89 24 16 6 3 153 8º Ano - 18 40 15 10 4 87 9º Ano - - 10 50 18 5 83 CEF - - - 1 10 44 55 Total 15 107 74 82 44 56 378  Nº de alunos estrangeiros  Nº de alunos com ASE ASE 3º Ciclo 7.º ano 8.º ano 9.ºano CEF TOTAL A 56 41 26 123 B 31 17 13 61 Total 87 58 39 184 Ano Letivo 3º Ciclo 7.º ano 8.º ano 9.ºano CEF TOTAL 2013/2014 18 11 17 13 59
  56. 56. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxi DE xxix IV - TAXAS DE ABANDONO 1º Ciclo  Taxa de Abandono Escolar Ano Letivo 1ºCiclo 1.ºAno 2.ºAno 3.º Ano 4.º Ano 2008/2009 0% 0% 0% 0% 2009/2010 0,7% 0% 0% 0% 2010/2011 0% 1,3% 0% 1,2% 2011/2012 0% 0% 0,7% 0% 2012/2013 2,8% 2,8% 0% 1,4% 2º Ciclo  Taxa de Abandono Escolar Ano Letivo 2ºCiclo 5.º Ano 6.º Ano 2008/2009 0% 1% 2009/2010 0% 0% 2010/2011 0,7% 0% 2011/2012 0,7% 0,7% 2012/2013 0% 1,2%
  57. 57. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxii DE xxix 3º Ciclo  Taxa de Abandono Escolar Ano Letivo 3ºCiclo 7.º Ano 8.º Ano 9.º Ano CEF 2008/2009 0% 0% 0% 0% 2009/2010 0,8% 0% 1,8% 0% 2010/2011 0,7% 1,0% 1,2% 6,1% 2011/2012 1,5% 2% 0% 0% 2012/2013 0,8% 0% 0% 0%
  58. 58. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxiii DE xxix V - TAXAS DE SUCESSO 1º Ciclo  Taxa de Sucesso 1ºCiclo Ano Letivo 2008/2009 Ano Letivo 2009/2010 Ano Letivo 2010/2011 Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2012/2013 N. Alunos inscritos (i) 550 576 600 555 540 Número de alunos que transitaram de ano (t) 524 549 579 532 508 Taxa de Sucesso (t/i) 85,2% 95,3% 95,7% 95,9% 94,1%
  59. 59. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxiv DE xxix 2º Ciclo  Taxa de Sucesso 5.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 140 128 137 145 135 Número de alunos que transitaram (t) 128 117 127 129 106 Taxa de Sucesso (t/i) 91,4% 91,4% 92,7% 89% 78,5% 6.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 104 139 147 135 159 Número de alunos que transitaram (t) 98 114 132 86 116 Taxa de Sucesso (t/i) 94,2% 82% 89,8% 63,7% 72,9%
  60. 60. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxv DE xxix  Taxa da Qualidade do Sucesso 5.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 140 128 137 145 135 Número de alunos que transitaram sem negativas (t) 73 66 80 81 61 Taxa de Sucesso (t/i) 52,1% 51,6% 58,4% 55,9% 45,2% 6.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 103 139 147 135 159 Número de alunos que transitaram sem negativas (t) 49 64 62 52 68 Taxa de Sucesso (t/i) 47,6% 46% 42,3% 38,5% 42,8%
  61. 61. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxvi DE xxix 3º Ciclo  Taxa de Sucesso 7.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 127 120 140 133 119 Número de alunos que transitaram (t) 101 87 99 86 80 Taxa de Sucesso (t/i) 79,5% 72,5% 70,7% 64,7% 67,2% 8.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 89 118 96 96 95 Número de alunos que transitaram (t) 70 95 77 83 78 Taxa de Sucesso (t/i) 75,3% 80,5% 80,2% 86,5% 82,1% 9.º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 76 55 85 77 90 Número de alunos que transitaram (t) 55 46 60 45 63 Taxa de Sucesso (t/i) 72,4% 83,8% 70,6% 58,4% 70%
  62. 62. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxvii DE xxix  Taxa da Qualidade do Sucesso 7º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 127 120 140 133 119 Número de alunos que transitaram sem negativas(t) 33 36 52 41 36 Taxa de Sucesso (t/i) 26% 30% 37,1% 30,8% 30,3% 8º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 89 118 96 96 95 Número de alunos que transitaram sem negativas(t) 17 27 27 28 21 Taxa de Sucesso (t/i) 19,1% 22,9% 28,1% 29,2% 22,1%
  63. 63. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxviii DE xxix 9º Ano Ano Letivo 08/09 Ano Letivo 09/10 Ano Letivo 10/11 Ano Letivo 11/12 Ano Letivo 12/13 N. Alunos inscritos (i) 76 55 85 77 90 Número de alunos que transitaram sem negativas(t) 24 21 21 45 26 Taxa de Sucesso (t/i) 31,6% 38,2% 24,7% 58,4% 28,9%
  64. 64. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS ANEXOS AO PROJETO EDUCATIVO 2013/2016 – PÁGINA xxix DE xxix VI – OFERTA CURRICULAR De forma dar resposta às necessidades específicas dos nossos alunos, e da comunidade em que estamos integrados, o nosso Agrupamento proporciona os seguintes cursos: CEF Tipo 1 – Jardinagem e Espaços Verdes CEF Tipo 2 – Logística e Armazém CEF Tipo 3 – Acompanhante de Ação Educativa CEF Tipo 3 – Práticas Técnico-Comerciais Oferece ainda uma turma de Percurso Curricular Alternativo (a frequentar o 7.º ano de escolaridade no ano letivo 2013/2014), em que se procura integrar através das artes. Dando grande valor à arte na formação do indivíduo, o Agrupamento oferece ainda a frequência do Ensino Articulado, em parceria com o Conservatório de Musica D. Dinis, havendo no ano letivo 2013/2014 cinco turmas integradas nesta oferta formativa, respetivamente, uma por ano letivo (desde o 5.º ao 9.º ano).

×