Oitavas Cósmicas

469 visualizações

Publicada em

Quarto Caminho - Conceito de Ouspensky sobre as Oitavas Cósmicas

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oitavas Cósmicas

  1. 1. “Quando o dia de Brahma se manifesta, esta multidão de entidades vivas vem a existir, e com a chegada da noite de Brahma elas são todas aniquiladas.” (Bhagavad-Gita, 8:18) “ Porque Nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também Sua geração. “(At 17:28) O Raio da Criação
  2. 2. “O Todo, possuindo a plenitude, a plena vontade e plena consciência, cria mundos dentro de si mesmo e começa assim a oitava cósmica descendente.” (Pág.156) A Vontade do Todo Poderoso ou mundo de primeira ordem, cria mundos de outras ordens com uma seqüência crescente de forças atuantes, ou leis (3, 6, 9, 12, 24, 48, 96... ) a cada mundo criado. Quanto mais leis, mais longe se está da Vontade Una e maior será o grau de mecanicidade. A oitava ascendente é a evolução mecânica (conduzida) ou por esforço próprio seguindo os Mestres. No raio da criação estamos em um mundo de sétima ordem (Terra), que faz parte do raio que termina na Lua, um mundo de oitava ordem, com 96 leis ou forças atuantes. Protocosmos (Absoluto , Brahma ou O Todo) Um dia do Protocosmos é 3.1023 anos na Terra
  3. 3. (Todos os Mundos) 10 milhões de anos-luz (1.1022 m) de distância da Terra. Ayocosmos (mundo 3) Aeon, Eon ou Ìon significa “vida” ou “ente manifestado”. O Ayocosmo é o primeiro ente a se manifestar. Na vida, a ciência dividiu a idade geológica da terra em Eons. O Eon é subdividido em Eras; estas em Períodos que, por sua vez, são divididos em Épocas as quais são divididas em Idades. Vivemos na Era de Peixes e idade do Ferro, note que o ferro é o elemento mais estável atualmente no universo, sendo o elemento principal do núcleo dos planetas terrestres (não gasosos). Um EON dura centenas de milhões de anos, contendo duas ou mais eras.
  4. 4. 1 milhão de anos-luz (1.1021 m) Torna-se visível o expiral da galáxia Via-Láctea . No Ayocosmos estão os Mundos Estelares e no aglomerado com cerca de 18 Mundos, chamado pela ciência de Grupo Local, se encontram dois Macrocosmos próximos (Via-Láctea e Andrômeda). Ano–luz é distância. Viajando todos os segundos de um ano à velocidade da luz temos um ano luz. 1 ano-luz é a distância de 9.460.800.000.000 km (9,4 . 1012 km) Macrocosmos Em destaque dois Macrocosmos do Ayocosmo. (mundo 6)
  5. 5. 10.000 anos-luz (1.1020 m) Aparecem estrelas de nossa galáxia. Observando o homem diante do universo podemos deduzir o tempo de vida dos outros mundos utilizando o principio da correspondência ou seja, a relatividade. Quanto mais distante a forma de vida está da Fonte, menor será seu tempo de vida, comparado com o humano ou melhor, relacionando com o ponto de vista humano. “O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está em baixo é como o que está em cima”. Hermes Trismegisto .
  6. 6. 10.000 anos-luz (1.1020 m) Aparecem estrelas de nossa galáxia. O tempo das impressões, respiração e vida de tudo que está contido no Protocosmos pode ser encontrado pela observação da máquina humana ou Microcosmos pois está em acordo com o princípio da correspondência, conhecido desde o antigo Egito. “O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está em baixo é como o que está em cima”. Hermes Trismegisto .
  7. 7. 100.000 anos-luz (1.1021 m) O Sol situa-se numa posição excêntrica, próxima do braço chamado de Quilha-Órion-Cisne Impressão Respiração Dia-e-noite Vida Protocosmos (Absoluto ou Brahma) 3.1015 anos 9.1019 anos 3.1023 anos 9.1028 anos Ayocosmos (Todos os mundos) 90 bilhões anos 3.1015 anos 9.1019 anos 3.1025 anos Macrocosmos (Via-Láctea) 3 milhões anos 90 bilhões anos 3.1015 anos 9.1019 anos Deuterocosmos (sistema solar) 80 anos 3 milhões anos 90 bilhões anos 3.1015 anos Mesocosmos ( terra) 24 horas 80 anos 3 milhões anos 90 bilhões anos Tritocosmos (Vida Orgânica) 3 segundos 24 horas 80 anos 3 milhões anos Microcosmos (Homem) 1/10.000 s 3 segundos 24 horas 80 anos Célula grande (Células) 1/10.000 s 3 segundos 24 horas Célula pequena (moléculas) 1/10.000 s 3 segundos Elétron 1/10.000 s Relações entre os Cosmos ou Mundos Oitava descendente Cada cosmos é um ser animado que vive, respira, pensa, sente, nasce e morre. (Pág-237)
  8. 8. 1.000 anos-luz (1019 m) . Dez vezes mais perto. “O tempo é respiração.” Gurdieff, (pág.373) A quarta dimensão (ou tempo) é representada como um número fora do domínio dos números Reais. A variável “i” fornecida pela fórmula de Minkovsky possibilita definir uma coordenada com quatro dimensões, no R4. ( x , y , z , i ) x = comprimento; y = largura; z = altura ou cota; i = tempo i = j.c.t c = velocidade da luz = 3.106 Km/s t = tempo em segundos j = -1 * 1/2 ou “raiz quadrada de menos um”
  9. 9. 1.000 anos-luz (1019 m) . Dez vezes mais perto. “O tempo é respiração.” Gurdieff, (pág.373) Período é um ciclo palavra de origem grega de onde vem “século = cem ciclos” ou período de 100 anos. O número de vezes que o ciclo se repete é a freqüência “F” medida em segundos tem a unidade em Hertz ou Hz, também pode ser r.p.m, revoluções ou rotações por minuto. F=1/t (inverso do tempo em segundos fornece freqüência em Hz) Como no mundo real existem acelerações e retardos no tempo, existe a formula que considera essas interações no tempo, daí a utilização do “i” ou “J” representado a quarta coordenada relacionada aos números imaginários.
  10. 10. 100 anos-luz (1018 m) Nada além de estrelas. “A fórmula de Minkovsky mostra, para todos os cosmos, a relação entre a quarta coordenada de um dos cosmos e a quarta coordenada do outro . E essa relação ou, noutros termos, a relação entre os quatro períodos principais de cada cosmos, assim como entre um dos períodos de um dos cosmos e o período correspondente, isto é, de nome similar, de outro cosmos, é igual a trinta mil.” (Pág.382) “O que me interessou em seguida, no que denominei, “tabela do tempo nos diferentes cosmos”, foi a relação dos cosmos e do tempo dos diferentes cosmos com os centros do corpo humano.” “Gurdieff falara muitas vezes da enorme diferença de velocidade nos diferentes centros. O raciocínio acima levou- me, no que diz respeito à velocidade do trabalho interior do organismo, à idéia que essa velocidade pertenceria ao centro instintivo.” (Pág.382) Fórmula de Minkovsky i = j.c.t
  11. 11. 10 anos-luz (1017 m) Ainda apenas estrelas. Os Seres Superiores ABSOLUTO, mundo 1 TODOS OS MUNDOS ou ETERNO IMUTÁVEL (Arcanjos), mundo 3 Todos os Sóis (Falange de Anjos), mundo 6 Sol (um Anjo), mundo 12 Todos os Planetas, mundo 24 A Terra , mundo 48 A Lua, mundo 96 (luas são “planetas que ainda não nasceram, como óvulos no ovário da Natureza) *Fonte: pág. 366
  12. 12. 1 ano-luz (1016 m). O sistema solar ou Deuterocosmos “È no Absoluto que as vibrações são mais rápidas e a matéria menos densa. No mundo imediatamente consecutivo, as vibrações são mais lentas e a matéria mais densa; além dele, a matéria é ainda mais densa e as vibrações mais lentas. A matéria pode ser considerada constituída de átomos. Cada átomo de um mundo segue propriedades da matéria neste mundo. O átomo do mundo 3 é composto por 3 átomos do mundo 1, sendo então 3 vezes maior e com velocidade de vibração 3 vezes mais lento que o átomo do mundo 1 (Absoluto). O átomo do mundo 6 é composto por 6 átomos do mundo 1, que forma neste mundo um átomo diferente, 6 vezes maior e 6 vezes mais lento, assim sucessivamente, até o mundo 96. No mundo 96 a densidade da matéria é maior, seu átomo é 96 vezes maior que do Absoluto e 96 vezes mais lento. Pág.108 Um período é um ciclo, a velocidade com que um ciclo se repete é chamado freqüência. Deuterocosmos Mundo 12
  13. 13. 1 trilhão de quilômetros (1015 m) O Sol um pouco maior. Os sete mundos do raio da criação representam sete ordens diferentes de materialidade. A concepção de matéria, na vida, só abrange os mundos 96 e 48, e ainda assim, com dificuldade. Mundo 24,12,6,3,1 são rarefeitas demais para serem consideradas matéria pela ciência ou física. “Todas as matérias pertencentes a ordens variadas do universo não estão dispostas em camadas separadas, mas se mesclam, ou melhor, se interpenetram umas às outras”. Pág.109 Matéria
  14. 14. 100 bilhões de quilômetros (1014 m). O Sistema Solar começa a aparecer. Um exemplo de interpenetração da matéria por matérias de densidades diferentes é o caso de um pedaço de madeira, que pode estar saturada de água e essa conter gases. Da mesma forma ocorre no universo, matérias mais finas penetram nas matérias mais grosseiras. A matéria dos planos superiores não é , em absoluto, matéria para os planos inferiores . Deuterocosmos mundo 12
  15. 15. 10 bilhões de quilômetros (1013 m). Nosso Sistema Solar mais definido. Um homem com os quatro corpos tem elementos dos mundos 6,12,24 e 48. Primeiro corpo ou corpo físico: é o homem comum (homem numero 1,2,3 e 4) é do pó e ao pó voltará, está sujeito às 48 leis pois tem elementos do mundo 48 (Terra). Segundo corpo ou corpo astral: o homem com o segundo corpo tem elementos do mundo 48 e do mundo 24 (todos os planetas), sobrevive ao corpo mas não é imortal. Terceiro corpo: o homem com o terceiro corpo tem elementos do mundo 12 (sol) e pode existir depois da morte do “corpo astral”. Quarto corpo: o homem com o quarto corpo tem elementos do mundo das estrelas (Macrocosmos), ou seja, cristalizou no limite do sistema solar e dentro deste sistema é imortal. Material dos corpos do homem
  16. 16. 1 bilhão de quilômetros (1012 m). Órbitas de: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte e Júpiter. Cada nota de uma oitava pode ser considerada uma oitava inteira em outro plano, isto é, cada nota pode ter oitavas completas internamente, mas não infinitamente. Uma substância tem vibrações, que podem ser divididas em oitavas e notas. Uma substância do mundo 48, está saturada com substâncias do mundo sucessivo (24) em outras palavras, cada nota de uma oitava do mundo 48 contém uma oitava inteira do mundo 24, que por sua vez tem oitavas e cada nota tem oitavas inteiras do mundo 12 e assim sucessivamente contendo os mundos 6,3,2,1. Na oitava descendente dó é a nota do Absoluto, seguido de si (Todos os Mundos ou Todas as Galáxias – mundo3),lá (Todas as estrelas),sol (Nossa Estrela, chamada SOL),fá (Todos os Planetas), mi (a Terra), ré (a Lua)e dó ( Absoluto). No intervalo mi-fá, ocorre um choque para a continuidade da oitava e é representado pela vida biológica na Terra. Nestes pontos de intervalo existem cruzamentos com oitavas paralelas e é o único momento que pode haver uma interação entre as oitavas paralelas.
  17. 17. 100 milhões de quilômetros (1011 m) Órbitas de: Vênus, Terra e Marte. A Lua é o extremo do raio da criação e deve evoluir, tornando se um planeta para seu satélite então todos os elos da seqüência sobem uma nota na sinfonia universal. A Lua depende da vida orgânica na Terra e tudo que pode ser dito sobre o raio de criação ou sobre a parte Terra-Lua, pode ser dita sobre a vida biológica na Terra. Em outras palavras há tecidos na vida biológica (Tritocosmos) que evoluem e outros que servem de alimento. A parte da vida orgânica que evolui é a humanidade e se não evoluir, não terá função no sistema evolutivo e poderá ser destruída. Sabemos que há um tempo estipulado para as oitavas se completarem para que os ciclos cósmicos se completem.
  18. 18. 10 milhões de quilômetros (1010 m) A Terra, o mundo 48 e o orbital da Lua, mundo 96
  19. 19. 1 milhão de quilômetros (109 m). Orbital da Lua, mundo 96
  20. 20. 100.000 quilômetros (108 m) A Terra ainda pequena.
  21. 21. 10.000 quilômetros (107 m). O Hemisfério Norte da Terra.
  22. 22. 1.000 Km (106 m) Foto característica de satélite (estado da Flórida USA).
  23. 23. 100 Km (105 m) da superfície. Cidade de Tallahassee na Flórida USA, um pouco mais próximo...
  24. 24. 10 Km (104 m). Os quarteirões mal são vistos.
  25. 25. 1 Km (103 m). É possível a prática de pára-quedismo.
  26. 26. 100 metros (102 m). Vista típica de helicóptero.
  27. 27. 10 metros (101 m). Vista típica de edifício.
  28. 28. 1 metro (100 m). Quando olhamos algo ao alcance do braço.
  29. 29. 10 centímetros (10-1 m).
  30. 30. 1 centímetro (10-2 m). É possível sentir o cheiro da folha.
  31. 31. 1 milímetro (10-3 m). 1 Os vasos da folha aparecem.
  32. 32. 100 micra (10-4 m) As células praticamente estão definidas.
  33. 33. 10 micra (10-5 m) . As células aparecem.
  34. 34. 1 micron (10-6 m). O núcleo da célula já fica visível.
  35. 35. 1.000 angstrons (10-7 m). Os cromossomos aparecem.
  36. 36. 100 angstrons (10-8 m). A cadeia de DNA pode ser visualizada
  37. 37. 1 nanômetro (10-9 m). Os blocos cromossômicos.
  38. 38. 1 angstron (10-10 m). Nuvens de elétrons do átomo de carbono.
  39. 39. 10 picômetros (10-11 m). Elétron no campo do átomo.
  40. 40. 1 picômetro (10-12 m) Espaço vazio entre o núcleo e as órbitas de elétrons Quando você olha para o espaço e vê todo aquele espaço vazio deve lembrar-se desta imagem, também um grande espaço vazio e no entanto, é matéria sólida!
  41. 41. 100 fermis (10-13 m). O núcleo ainda pequeno.
  42. 42. 10 fermis (10-14 m)
  43. 43. 1 fermi (10-15 m). Face a face com um um Próton.
  44. 44. 100 atômetros (10-16 m) Examinando-se as partículas ‘quark’. www.apollo.org Centro de Porto Alegre Fonte: Fragmentos de um Ensinamento Desconhecido em busca do milagroso P. D. Ouspensky Lembre-se que ninguém é órfão no universo!

×