Os habitantes do plano astral

10.937 visualizações

Publicada em

Os habitantes do plano astral baseado no livro "o plano astral" de autoria de Charles Webster Leadbeater.

0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.937
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.013
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
399
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os habitantes do plano astral

  1. 1. OS HABITANTES DO PLANO ASTRAL GET THOTH – GRUPO DE ESTUDOS TEOSÓFICOS
  2. 2. 1.0 - SERES HUMANOS1.1 – Fisicamente vivos1.1.1 – A pessoa comum1.1.2 – o psíquico1.1.3 – O Adepto e seusdiscípulos1.1.4 – O Mago negro eseus discípulos
  3. 3. 1.2 - Fisicamente mortos1.2.1 – A pessoa comum depois da morte1.2.2 – A Sombra1.2.3 – O Cascão1.2.4 – O Cascão vitalizado1.2.5 – O Suícida e a vítima de mortesúbita1.2.6 – O Vampiro e o Lobisomem1.2.7 – O Mago Negro e seus discípulos1.2.8 – O Discípulo a espera dareencarnação1.2.9 – Os Nirmanakayas
  4. 4. 2.0 – SERES NÃO HUMANOS2.1 - Essência Elemental2.2 – O corpo astral de animais2.3 – Espíritos da Natureza2.4 – Devas (Anjos)
  5. 5. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS 2.2.1 – Elementais formados inconscientemente 2.2.2 – Elementais formados conscientemente 2.2.3 – Artificiais humanos
  6. 6. 1.0 - SERES HUMANOS 1.1 – Fisicamente vivos - A pessoa comum Essa classe consiste em pessoas cujos corpos físicos estão adormecidos e que quando temporariamente desligadas da matéria flutuam pelo plano astral, em vários graus de consciência. 1) Homem pouco desenvolvido2) Homem de mediano desenvolvimento3) Homem altamente desenvolvido
  7. 7. 1.1 – Fisicamente vivos - O Psíquico-Tem plena consciência quando está forado corpo físico.- Poderá ser vítima de enganos quanto aoque vê.- Percorre por todos os subplanos astrais.- As recordações variam entreperfeita nitidez, máxima distorçãoou o absoluto esquecimento. Chico Xavier em 1968
  8. 8. 1.1 – Fisicamente vivos - O Adepto e seus Discípulos- Utilização do corpo mental (quatro níveisinferiores do plano mental)- Formar uma materialização temporária(Mayavi Rupa)- Utilizado também por discípulosavançados Blavatsky e os “Irmãos mais Velhos”
  9. 9. 1.1 – Fisicamente vivos - O Mago Negro e seus Discípulos- Desenvolvimento para o mal.- Poderes latentes desenvolvidos com propósitos egoísticos.- Visam a grande heresia da separatividade.- Ritos das escolas de Obeah e Vudu (categoria inferior).- De intelecto superior, e por isso mesmo mais censuráveis, são osmagos negros tibetanos (Dugpas).
  10. 10. Dugpa TibetanoRitual Vudu
  11. 11. 1.2 – Fisicamente mortos - A pessoa comum depois da morte- Diversidade de condições de consciência.- Não há nenhuma mudança, permanece como era antes damorte física.-Não há recompensa nem castigos vindos do exterior.- Lei de Causalidade.-Incapacidade de observar o corpo físico, porém, observa o corpoastral de pessoas vivas.- Criação de formas-pensamento – Sofrimento mental
  12. 12. Existem dois fatores importantes referentes as condições de vida astral:1) A extensão do tempo em que ele passa em qualquer subplano particular2) O grau de conscientização
  13. 13. Ensinamento Oculto - Condições dos vivos para com os mortos
  14. 14. 1.2 – Fisicamente mortos - A Sombra-Término da vida física, cadáver físico;término da vida astral, cadáver astral.- Permanência de matéria mentalinferior no cadáver astral.- Princípio Imortal inexiste.- Possue memória, possue aparênciaexata.- Aparece com frequência em sessõesespíritas.- Não é consciente de qualquer ato deimpersonalização.
  15. 15. 1.2 – Fisicamente mortos - O Cascão- É o cadáver astral em seus últimosestágios de sua desintegração.- Partícula mental vai deixando deexistir.- Vive passivamente entre ascorrentes astrais.- Pode reproduzir sua caligrafia eexpressões familiares.- Tem a qualidade de ser cegamenteresponsivo a vibrações, geralmenteinferior.
  16. 16. 1.2 – Fisicamente mortos - O Cascão Vitalizado- Esta entidade não éhumana, porém é classificada porseu aspecto externo.- Pertenceu a humanidade.- Destítuido de sentidos.- Também é completamentepassivo.- Elemental artifical o anima.- É sempre malevolente.- É usado frequentemente nas formas Obeah e Vudu.
  17. 17. 1.2 – Fisicamente mortos - O Suicida e a vítima de morte súbitaSuicídio- Crime não apenas a simesmo, também contra a Natureza.- Tem que ficar até que seja cumpridoo número de anos planejado.- Próxima encarnação será arrancadada vida física súbita e abruptamente.- Karma terrível e amargo.- A culpa no suicído difere segundo ascircunstâncias (a atitude mental porocasião da morte determina a posiçãosubseqüente da pessoa).
  18. 18. 1.2 – Fisicamente mortos - O Suicida e a vítima de morte súbitaVítima de morte súbita- Homens de mentalidade Pura e espiritual (dormem tranquilamente atéo término de sua vida natural)- Homens de mentalidade baixa , brutal, egoísta, cheia desensualismo, haverá plena consciência desta pouco hospitaleiraregião, e estarão sujeitas a transformar-se em entidades terrivelmentemalfazejas. Ex: Pena de morte.- Falta do corpo físico se servem de médiuns (por afinidade) para asatisfação de seus apetites mais grosseiros.- São os íncubus (aspecto masculino) e súcubos (aspecto feminino) daIdade Média.- Prolongam sua existência sugando a vitalidade de seres humanos aosquais consigam influenciar..
  19. 19. 1.2 – Fisicamente mortos - O Vampiro e o Lobisomem- Estas duas classes são extremamente raras, porém são encontradosocasionalmente.- Vivência humana completamente degradada, brutal e egoísta; o tododa mente inferior se torne um emaranhado dos desejos e por fim sesepara do Ego Superior. Tal entidade perdida encontra-se no plano astral e é irresistivelmente atraída, em plena consciência, para "seu próprio lugar", a misteriosa oitava esfera, para ali desintegrar-se lentamente, após experiências que é melhor não descrever.- Morte através do suicídio ou pela morte súbita, pode sob certascircunstâncias, especialmente se sabe algo de magia negra, evitar essedestino passando à horrenda existência de vampiro.
  20. 20. O Lobisomem pode manifestar-se, de início, somente durante a vidafísica de um homem, e isso implica invariavelmente em algumconhecimento das artes mágicas - suficiente pelo menos para que eleconsiga projetar seu corpo astral.Quando um homem inteiramentebrutal e cruel faz tal coisa, sob certascircunstâncias o corpo astral pode serapanhado por outras entidades astraise ser materializado, não sob formahumana, mas sob a forma de algumanimal selvagem, quase sempre umlobo.
  21. 21. 1.2 – Fisicamente mortos - O Mago Negro e seus DiscípulosEsta classe corresponde, à do discípulo à espera dareencarnação, mas, nesse caso, o homem está desafiando o processonatural de evolução, mantendo-se na vida astral através de artesmágicas - muitas vezes da mais horrível natureza.Considera-se indesejável a enumeração ou descrição das váriassubespécies, já que o estudante de ocultismo deseja apenas evitá-las.Todas essas entidades, que assim prolongam sua vida no plano astralpara além do natural limite, fazem isso a expensas de outros e pelaabsorção de suas vidas, de uma ou de outra forma.
  22. 22. Harry Potter Valdemort(Personalidade (personalidadeposterior) anterior)animada pelo rompimento doEu Superior Eu Superior (Mago negro) Joanne K. Rowling escritora possue conhecimentos esotéricos
  23. 23. 1.2 – Fisicamente mortas - O Discípulo a espera da reencarnação- Consiste em uma classerara.- Discípulo resolveu não“entrar em seu Dhevachan”através da permissão de seuMestre.- Discípulo pode ser colocado diretamente num corpo adulto, cujo ocupanteanterior não mais o usa. Procedimento raro, e disponibilidade de um corpotambém o é.
  24. 24. 1.2 – Fisicamente mortas - Os NirmanakayasÉ realmente muito raro isto de um ser tãoelevado como um Nirmanakayamanifestar-se no plano astral.Um Nirmanakaya é aquele que, tendoconquistado o direito derepouso, durante infinitas eras, emindescritível beatitude, ainda assimescolheu permanecer em contato coma terra, suspenso, por assimdizer, entre este mundo e o Nirvana, afim de gerar correntes de forçaespiritual que possam ser empregadasno auxílio à evolução.
  25. 25. 2.0 – SERES NÃO HUMANOS – Essência ElementalEssência Elemental é a matéria que compõe o plano mental abstrato (1aessência Elemental; o plano mental concreto (2a essência Elemental) e oplano astral (3a essência elemental), todas geradas a partir da matériafundamental (mulaprakriti).Nossos veículos mental, astral e físico são compostos destas essênciaselementais, que tem uma espécie de semi-consciência própria, que asvezes confundimos com a nossa própria.A maioria das lutas do Ego, é para controlar os “desejos” dessasessências, que frequentemente confundimos e achamos que são nossospróprios desejos.
  26. 26. Essência Monádica é o nome dado ao Segundo Aspecto do Logosanimando a matéria atômica dos vários planos da natureza.Essência Elemental é o nome dado á matéria dotada de vida dosdemais subplanos da natureza.O fluxo de vida que é o Segundo Aspecto do Logos animando amatéria, ao chegar ao plano mental superior, constrói formas e passa ahabitá-las.Essas formas dotadas de vida são chamadas de Primeiro ReinoElemental. O Objetivo deste reino é cada vez mais se densificar-se, buscando agregar mais matéria, evolução descendente.
  27. 27. PRIMEIRO ASPECTO LOGOS SOLAR SEGUNDO ASPECTO TERCEIRO ASPECTOPLANO DIVINOou ADIPLANO MONÁDICOou ANUPADAKAPLANO ATMICO SATYAou NIRVANICO TAPAHPLANO BUDDHICO JANAHou INTUICIONALPLANO MAHAHMENTAL SUVAHPLANO ASTRAL BHUVAHou EMOCIONALPLANOFÍSICO BHUH AS TRÊS EMANAÇÕES
  28. 28. OS TRÊS CANAIS DA CRIAÇÃO A TRINDADE DIVINA Consciência DivinaENERGIA MATÉRIA VIDA PROCESSO ESPÍRITOALMA Evolução Evolução MATERIAL Evolução BIOLÓGICA ESPIRITUAL
  29. 29. OS SETE REINOS Essência Monádica Super Humano ...ATMICOBUDDHICO 1a Essência Elemental 1o REINO ELE. REINO HUMANOMENTAL 2a Essência Elemental 2o REINO ELE. REINO ANIMAL 3a Essência ElementalASTRAL 3o REINO ELEMENTAL REINO VEGETALFÍSICO REINO MINERAL
  30. 30. 2.0 – SERES NÃO HUMANOS – O corpo Astral de Animais- Classe extremamentegrande, porém, permanecempor um curto período detempo.- A maioria dos animais não seindividualizaram, assim, fazemparte de uma Alma-Grupo.- Possue uma existência real no - Após sua morte, a essênciaplano astral, porém curta, vai monádica que se estevedepender da inteligência que manifestando através dele flui dedesenvolveu. Permanece na retorno à alma-grupo de ondemaioria dos casos em estado de veio, levando consigo o avanço ousemi-consciência. experiência que obteve durante a vida terrena.
  31. 31. - Os poucos animais domésticos que já atingiram aindividualização, vivem no plano astral uma vida mais longa e maisanimada do que seus companheiros menos adiantados.- Um animal assim individualizado, em geral, permanece próximo de seular terreno e em contato íntimo com seu amigo e protetor especial. Esseperíodo será seguido de um período ainda mais feliz, que durará até queem algum mundo futuro assuma forma humana.- Depois de sua morte nos planos físico e astral, o animal individualizadotem uma longa e sonolenta vida no sétimo subplano mental ou primeirocéu. Sua condição é análoga ao Ser-Humano, porém, com uma precáriaatividade mental.- Nos países "civilizados", esses corpos astrais de animais acrescentammuito ao sentimento geral de hostilidade no plano astral, porque amatança organizada de animais nos abatedouros, e por"esporte", manda milhões para o plano astral, cheios de terror, de horrore de medo diante do homem.
  32. 32. 2.0 – SERES NÃO HUMANOS – Espíritos da NaturezaOs espíritos-da-natureza pertencem a uma evolução muito diferente danossa.Estão divididos em sete grandes classes, habitando os mesmos seteestados de matéria impregnados pelas variedades correspondentes deessência elemental.Na literatura medieval, os espíritos da terra são muitas vezes chamadosgnomos, os espíritos da água ondinas, os espíritos do ar silfos, osespíritos do fogo salamandras.Em linguagem popular têm sidochamados, variadamente, fadas, duendes, elfos, gênios, djins, sátiros, faunos, espíritos domésticos, diabretes, trasgos etc.
  33. 33. A Espíritos Solares Anjos (Mental Superior) AdeptoEVOLUÇÃO Anjos (Mental Inferior) Discípulos DA VIDA Anjos (Astral) Homens AdiantadosNível de Individualização Silfos (Astral) Homens Comuns Espíritos das Nuvens Espíritos do Fogo Homens Primitivos (Etérico Superior) (Etérico Superior) Animais Domésticos Espíritos da Água Fadas da Superfície Superiores (Etérico) (Etérico) Mamíferos Espíritos da Peixes Gnomos Aves Criaturas RépteisÁgua Inferiores (Não-Fixos) minúsculas Antedi (Etérico) Cefalópodes Répteis (Etérico) Luvianos (Profundida MamíferosFormas Etéricas de média) Insetos Abelhas Inferiores (Profundidade média) Corais e Bactérias Formigas Árvores esponjas Gnomos CamarõesFormas vagas (Amorfos Fungos Cereais Plantas com FloresEtéricas (Mar Algas e Fixos) Fetos profundo) marinhas Ervas Musgos Água Terra Vida Mineral Vida Elemental
  34. 34. Um Espírito da Natureza do Mar Na experiência de Hodson, são comumente vistas deslizando na superfície dos oceanos e lagos. Eles variam emtamanho a partir de 1 a 3,5 metros de acordo com seu estágio de evolução.
  35. 35. Um Silfo do MarDe acordocom Hodson, oEspírito daNatureza domar evolui para o tipode Silfo do Mar. Aaltura média da figuraé entre 3 a 4,5 metros
  36. 36. Salamandra de FogoUm Espírito da Naturezado Fogo possuem cercade 600 a 900centímetros de altura.
  37. 37. Um Silfo da MontanhaUm Silfo nãoindividualizado, muitasvezes visto no ar sobre aterra. Devido a sua coloraçãoestá possivelmente associadocom o prana , e que constitui avitalidade de todas asformas orgânicas. A altura dafigura do presente silfo é decerca de 1,5 metros.
  38. 38. Em 1917, duas meninas adolescentes em Yorkshire produziram fotos que tinham tirado de fadas em seu jardim. Elsie Wright (6) e sua prima Frances Griffiths (10)Arthur C. Doyle AVinda das Fadas
  39. 39. 2.0 – SERES NÃO HUMANOS – DevasDeva significa literalmente divino, resplandecente,luminoso.Os seres chamados Devas pelos hindus, são denominados Anjos natradição cristã.Pertencem a uma evolução diferente da que rege a humanidade, umaevolução na qual podem ser vistos como um reino logo acima dahumanidade.Jamais serão humanos, porque a maioria deles já está além desseestágio, mas há alguns que foram humanos no passado.Os devas aparecem, habitualmente, como seres humanos de tamanhogigantesco. Têm uma linguagem colorida, que não pode serprovavelmente definida como a nossa linguagem, embora sob certosaspectos seja mais expressiva.
  40. 40. Muito poucos, entre os da nossa humanidade, alcançaram o nível do qualé possível reunir-se à evolução dos devas. A maioria dos recrutas do reinodeva tem vindo de outras humanidades do sistema solar, umas inferiorese outras superiores à nossa.As três grandes divisões inferiores dos devas são:1) Kamadevas, cujo corpo inferior é o astral;2) Rupadevas, cujo corpo inferior é o mental inferior;3) Arupadevas, cujo corpo inferior é o mental superior, ou causal.A manifestação dos Rupadevas e Arupadevas no plano astral é, pelomenos, tão rara como para uma entidade astral é a sua materializaçãono plano físico.
  41. 41. Acima destas classes, há quatro outras grandes divisões, e acima ealém do reino dévico estão as grandes hostes dos Espíritos Planetários.Anjo na tradição Cristã Deva na tradição Hindu
  42. 42. A Mountain God“A forma central neste casoé pelo menos 60 metros dealtura e é um dosmais majestosose esplêndidos membrosdesta Ordem de HostesAngélicas que tive oprivilégio de contemplar. "
  43. 43. Um Deva do Pacífico SulUm Ser altamente evoluído. Possue cerca de 30 metros de altura. "
  44. 44. O Senhor dosPinheirosA estatura desseDeva é cerca de 9metros.
  45. 45. Anjo de JavaSantuário deBorobudur, Java, suaforma é na verdadeesférica, com feixesde luz irradiante. Oscírculos regularesconcêntricos de suaaura indicam suaavançada evolução.
  46. 46. Santuário de Borobudur, Java – O maior Templo Budista do mundo
  47. 47. Anjos de Cura
  48. 48. Um Anjo de CuraObserve a criança aospés do anjo.
  49. 49. Um Anjo daMúsica Celestial
  50. 50. Anjos da Mãe do Mundo Supervisionam onascimento de uma criança. Estes anjos pairam em torno da mãe e do feto até omomento do parto.
  51. 51. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS – Elementais formados inconscientementeFormam a mais ampla classe e são incapazes de classificação.É uma criação do homem e está relacionada por estreitos laçoskármicos.O desejo e o pensamento de um homem atiram-se sobre a essênciaplástica elemental e modelam instantaneamente um ser vivo de formacondizente.Vive uma existência própria cuja extensão é proporcional à intensidade dopensamento que a criou, e tanto pode ser de alguns minutos como demuitos dias.Esses elementais artificiais tornam-se, assim, uma espécie de criaturasvivas, entidades de intensa atividade, animadas pela idéia que as gerou.São, na verdade, tidas erroneamente, pelos psíquicos e clarividentes nãotreinados, como entidades realmente vivas.
  52. 52. Assim, quando um homem pensa num objeto concreto - um livro, umacasa, uma paisagem etc. - constrói minúscula imagem do objeto namatéria de seu corpo mental.Se um homem pensa em outra pessoa, cria um minúsculo e exatoretrato dessa pessoa. Se o pensamento de um homem está baseado num sentimento pessoal, como costumam ser os pensamentos em sua vasta maioria, a forma pairará na vizinhança imediata do seu gerador.Além disso, cada homem também serve como magneto para atrair a sias formas-pensamentos de outras, que sejam idênticas àssuas, atraindo assim para sua própria pessoa um reforço de energiavinda de fora.
  53. 53. Se a forma-pensamento é enviada para outra pessoa, irá para essapessoa. Um, de dois efeitos, pode então resultar daí.1 - Se na aura da pessoa visada há material capaz de respondersimpaticamente à vibração da forma-pensamento, então a forma-pensamento permanecerá junto da pessoa ou mesmo em suaaura, e, quando chegue a oportunidade, descarrega-seautomaticamente, inclinando-se assim a fortalecer na pessoa aqueleritmo particular de vibração.2 - Se, por outro lado, não houver na aura da pessoa matéria capaz deresponder, então a forma-pensamento não pode afeta-la. Portanto, irárefluir dali, com força proporcional à energia com a qual foi atiradacontra o alvo, retornando para bater em seu criador.
  54. 54. Por outro lado, uma forma-pensamento de amor e desejo deproteção, fortemente dirigida para alguém muito amado, atua comoagente de amparo e proteção.Pensamentos amigáveis e sinceros bons desejos criam emantêm, assim, o que é virtualmente um "anjo da guarda", sempre aolado da pessoa em que se pensa, não importando o que ela possa ser.Os pensamentos e orações de muitas mães, por exemplo, têm dadoassistência e proteção ao seu filho. Tais pensamentos são vistos comfreqüência pelos clarividentes e em raros casos podem mesmomaterializar-se, tornando-se visíveis.
  55. 55. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS – Elementais formados conscientementeElementais formados conscientemente são mais poderosos porque sabemcom precisão o que se está fazendo.Quem sabe como fazer isso mantém conexão com seu elemental e guia-ode forma que ele agirá praticamente como se possuísse a inteligência deseu senhor.Ocultistas tanto da escola branca como da negra usam freqüentementeelementais artificiais em seu trabalho.Os magos negros da Atlântida os "senhores da face escura“ ao que pareceespecializaram-se nesse tipo de elementais artificiais, e algunsdeles, segundo se tem sugerido, conservam sua existência mesmo emnossos dias.
  56. 56. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS – Elementais formados conscientementeTêm-se vistos anjos da guarda extremamente ativos e nitidamentedefinidos, criados desta forma, mas é raro que o karma premitaintervenção tão direta na vida de um homem.Muitos podem escapar ao domínio daqueles que tentam utilizá-las, convertendo-se em demônios errantes. Além disso possueminteligência e poder muito maiores e vida mais longa, assim são muitoperigosos.Alimentam-se da vitalidade de seres humanos, através da influência deoferendas por meio de tribos semi-selvagens que o levam a reconhecercomo deuses de uma povoação oude uma família.Toda divindade que exige sacrifícios que importem a efusão desangue, pode ser considerada como pertencente as classes maisinferiores e repugnantes.
  57. 57. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS – Elementais formados conscientementeCategorias menos condenáveis contentam-se com oferendas de arroz ede alimentos cozinhados de várias espécies.Encontram-se na Índia em algumas regiões as duas variedades deelementais, porém é muita mais numerosa na África.Graças ao alimento que colhem das oferendas e sobretudo da vitalidadedos fiéis, podem continuar a prolongar a sua existência por muitos anosou mesmo por séculos.
  58. 58. A terrível deusahindu, Káli, seráprovavelmente uma relíquiadesse tipo.
  59. 59. 3.0 – SERES ARTIFICIAIS – Artificiais humanosEsta é uma classe particular com íntima conexão com o movimentoespírita.A fim de explicar sua origem é necessário voltar a antiga Atlântida.Entre as lojas para o estudo oculto, anteriores à Iniciação e formadaspelos Adeptos da Boa Lei, há uma que ainda observa o mesmo ritualdaquele antigo mundo e ensina as mesmas línguas atlantes comolínguas tão sagradas e ocultas há muitos milhares de anos.Os mestres dessa loja não estão no nível dos Adeptos e a loja não fazparte diretamente da Irmandade dos Himalaias, embora haja algunsAdeptos himalaicos que estiveram relacionados com ela em encarnaçõesanteriores.
  60. 60. Pelos meados do século dezenove, os dirigentes daquelaloja, preocupados com o materialismo crescente da Europa e daAmérica, determinaram combatê-lo através de métodos novos e ofereceroportunidades a qualquer homem sensato para que pudesse ter provasde uma existência separada do corpo físico.O movimento assim instalado se desenvolveu na vasta rede doespiritismo moderno, cujos aderentes se contam aos milhões.Sejam quais forem os resultados que se possam ter seguido, éindiscutível que por meio do espiritismo uma grande quantidade depessoas adquiriram crença em, pelo menos, alguma espécie de vidafutura.E essa é uma conquista magnífica, embora alguns pensem que foiconseguida a um custo muito alto.
  61. 61. Metodologia adotada:1) Despertar uma pessoa comum após a morte no plano astral.2) Instruí-la até certo ponto quanto aos poderes e possibilidades que lhepertenciam.3) Colocar a seu cargo um círculo espírita.4) Essa entidade, por sua vez, "desenvolvia" dentro das mesmas linhasoutras personalidades falecidas, e todas agiram sobre os quefreqüentavam suas sessões, "desenvolvendo-os" como médiuns.Assim cresceu e progrediu o espiritismo. Alguns membros vivos da Lojaoriginal manifestaram-se por vezes na forma astral, em alguns dessescírculos e talvez ainda o façam hoje.
  62. 62. Materializaçõesde Entidades
  63. 63. Materialização da entidade Ana, em14/12/1953, onde pode se observar omédium Peixotinho em transe, deitadosobre a cama. Ectoplasma saindo da boca do médium Antônio Alves Feitosa e formando a aparição de Irmã Josefa, em Uberaba, 1965, na presença de Chico
  64. 64. Alfred Russel Wallacepresenciando uma materialização William Crookes e a entidade Katie King
  65. 65. Pouco se duvida de que o movimento cresceu tanto que depressa foialém de seu controle.A intensidade anormal da vida astral dessas entidades retardava-lhesseu progresso natural.Embora aquilo fosse tomado como integral compensação para tal perdaatravés do resultado do bom karma trazido pelo fato de conduzir outros àverdade, depressa se soube que era impossível fazer uso do "espírito-guia" por qualquer espaço de tempo sem lhe causar sério e permanentedano.Recorreu-se as substituições. Em outros casos, ficava impossibilitado eentão um notável expediente foi adotado, dando início a uma curiosaclasse de criaturas chamadas "artificiais humanos".Deixou-se que os princípios superiores continuassem sua lenta evoluçãoao mundo celestial, mas a Sombra que havia ficado atrás; foitomada, sustentada e manipulada de forma a continuar a aparecer nocírculo, tal como antes.
  66. 66. Finalmente se decidiu que a pessoa falecida que tinha sido apontada parasuceder ao antigo "espírito-guia" ainda o fosse, mas tomasse posse daSombra deste último, sombra ou cascão, e simplesmente usasse suaaparência. É a isso que se chama uma entidade "humana artificial".Nenhum dos membros da Irmandade do Himalaia jamais empreendeu aformação de uma entidade artificial desse tipo, embora não pudesseminterferir com ninguém que se julgasse no direito de tomar tal resolução.Além da decepção envolvida, um ponto fraco no arranjo é que outraslojas, que não a original, podem adotar o plano, e nada poderá impedirque magos negros se supram de espíritos comunicantes, comoaliás, sabe-se, têm feito.
  67. 67. Diz um Mestre de Sabedoria, em “Cartas dos Mahatmas”:“A regra é que uma pessoa que tenha uma morte natural permaneça“desde algumas horas até uns poucos anos” dentro da atração daterra, isto é, no Kama-loka. Mas há exceções, no caso dos suicidas edaqueles que têm uma morte violenta em geral. (...) (...) Felizes, trêsvezes felizes, em comparação, são aquelas entidades desencarnadasque dormem seu longo sono e vivem em sonhos no seio do Espaço! Epobres daqueles cuja Trishna [sede de viver] os atraia para osmédiuns, e pobres destes últimos, que os colocam em tentação (...)Pois ao agarrar-se a eles e satisfazer sua sede de vida, o médiumajuda a desenvolver neles – é de fato a causa de – um novo conjuntode Skandhas, um novo corpo, com tendências e paixões muito pioresque as do corpo anterior. (...) Se pelo menos os médiuns e espíritassoubessem, como eu disse, que cada novo “anjo-guia” a que eles dãoas boas-vindas em êxtase é induzido por eles a um Upadana [processode adquirir órgãos sensoriais] que produzirá uma série de malesindescritíveis para o novo Ego (...) – eles seriam, talvez, menos liberaisna sua hospitalidade.”
  68. 68. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:BESANT, A. Os sete princípios do homem. São Paulo: Ed. Pensamento.BESANT, A.; LEADBEATER, C. W. Formas de Pensamento. São Paulo: Ed.Pensamento.BUCK, A. G. Manual básico de Teosofia. São Paulo: Ed. Mystic.HODSON, G. O Reino dos Deuses. São Paulo: Ed. Pensamento.LEADBEATER. C. W. O plano Astral. São Paulo: Ed. Pensamento.
  69. 69. LEADBEATER, C. W. O lado Oculto das coisas. São Paulo: Ed.Pensamento.NEHRU, K. V. K. Slides da Sociedade Teosófica na Índia.

×