SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
RAFAEL SCIAMMARELLA
Rafael Sciammarella
Radon – 1977
Desenvolve a solução
matemática para reconstrução
de projeções
Cormack – 1956
Primeiras considerações
sobre tomografia com raios-X
Kuhl e Edwards – 1959
Primeira emissão de seção
transversal em laboratório
utilizando fonte radioativa
Hounsfield – 1967
Primeiro trabalho em
tomografia com raios-X
Cormack – 1963
Escâner experimental de
tomografia
Oldendorf – 1961
Medições de sinais (perfis) de
um simulador com
movimentos de translação e
rotação utilizando fonte I¹³¹ e
detector do tipo tubo
fotomultiplicador
Kuhl e Edwards – 1968
Equipamento Mark 3
EMI – 1971
Primeiro equipamento clínico
Hounsfield e Cormack - 1979
Prêmio nobel de Fisiologia e
Medicina compartilhado
pelos dois pesquisadores
PRIMEIRA GERAÇÃO
▪ Feixe de radiação muito estreito (3 x 13 mm) que
fazia múltiplas varreduras lineares sobre o objeto;
▪ Rotação de 1 grau para iniciar nova varredura e
coletar outros 160 feixes na nova projeção;
▪ Corte: 5 minutos
Estudo completo: 1 hora
Movimento do conjunto fonte-detector: Translação e rotação (1° de cada vez)
Geometria do feixe: Muito colimado (feixe “lápis”)
Detector: Um ou dois detectores
Tempo de aquisição: 5 minutos (em média)
SEGUNDA GERAÇÃO
▪ Conjunto de detectores e não mais um único;
▪ Feixe laminar, em forma de leque, suficiente
para cobrir o conjunto de detectores;
▪ Princípio de aquisição das imagens era
semelhante ao dos equipamentos de
primeira geração;
▪ Aquisição dos cortes reduzidos a menos de
1 minuto.
Movimento do conjunto fonte-detector: Translação e rotação (6° de cada vez)
Geometria do feixe: Divergente (formato de leque)
Detector: 30 unidades
Tempo de aquisição: 20 segundos (em média)
TERCEIRA GERAÇÃO
▪ Eliminou-se o modo de varredura linear;
▪ Os tubos passaram a fazer movimentos de rotação
contínuos com a coleta simultânea dos dados;
▪ Conjunto de detectores com aproximadamente
600 unidades;
▪ Tempo de aquisição dos cortes em torno de 2 à 5
segundos por imagem;
▪ Processamento das imagens variando entre 5 e 40
segundos.
Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação (giro completo – 360°)
Geometria do feixe: Divergente (formato de leque)
Detector: 30 unidades
Tempo de aquisição: 20 segundos (em média)
Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação (giro completo 360°)
Geometria do feixe: Divergente (formato de leque)
Detector: Formato de arco de 30° a 40°
Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média)
Limitações: Cabos de alta tensão (slip ring)
Artefatos: Formato de anel (detector descalibrado ou com
defeito)
QUARTA GERAÇÃO
▪ Conjunto de detectores distribuídos
pelos 360 graus do gantry;
▪ Introdução da tecnologia Slip-ring;
▪ Giro contínuo do tubo numa única
direção;
▪ Melhora significativa na estabilidade dos
detectores.
Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-estacionário (giro completo –
360°)
Geometria do feixe: Divergente (formato de leque)
Detector: Arco de 360°, composto por 4000 unidades
detectoras
Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média)
TOMOGRAFIA HELICOIDAL
▪ Permitiu a rotação contínua do tubo ao
deslocamento simultâneo da mesa;
▪ Aquisição assemelha-se a um modelo
espiral, com fatias em forma de hélice;
▪ Sistema de computador moderno e mais
potente;
▪ Reduziu de forma drástica o tempo de
realização do exame;
▪ Novos conceitos foram introduzidos,
destacando-se: Revolução, Pitch e
Interpolação.
▪ Anel deslizante
Foi implementado em 1989
aos tomógrafos uma tecnologia que
permitia a rotação contínua do
conjunto Tubo de RX/Detectores,
esta tecnologia adota anéis
deslizantes para interligar
eletricamente a estrutura fixa com
a parte móvel do tomógrafo.
▪REVOLUÇÃO: compreende o giro de 360 graus do
conjunto tubo-detectores;
▪PITCH: representa a razão entre o deslocamento da mesa
pela espessura de corte;
▪INTERPOLAÇÃO: interpolação de imagens digitais é
basicamente criar novos pixels à partir dos pixels já
existentes.
Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação
Geometria do feixe: Feixe cônico
Detector: Fileira única
Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média)
Aplicação: Diversas regiões anatômicas
TOMOGRAFIA MULTISLICE
▪ Tubos de raios-x mais potentes e
ultramodernos sistemas computacionais;
▪ Múltiplos conjuntos de anéis detectores de
forma estrategicamente emparelhados;
▪ Obtenção de cortes com espessura menor
que 1mm;
▪ Maior velocidade no giro do conjunto tubo-
detectores no interior do gantry;
▪ Aquisição em tempo próximo do real das
imagens.
Rafael Sciammarella
Rafael Sciammarella
Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação
Geometria do feixe: Feixe cônico
Detector: Múltiplos-aquisição simultânea
Tempo de aquisição: Frações de segundos
Aplicação: Diversas regiões anatômicas e específicas
Rafael Sciammarella
Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.Fabiano Ladislau
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Rodrigo Ribeiro Jr.
 
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Guillermo Alberto López
 
Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Ruan Macedo
 
Ressonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaRessonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaNilton Campos
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAWillian R. Bandeira
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaHeraldo Silva
 
Historia da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliHistoria da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliLeonardo Flor
 
Técnicas de Tratamento em Radioterapia
Técnicas de Tratamento em RadioterapiaTécnicas de Tratamento em Radioterapia
Técnicas de Tratamento em RadioterapiaRui P Rodrigues
 

Mais procurados (20)

HEMODINÂMICA
HEMODINÂMICAHEMODINÂMICA
HEMODINÂMICA
 
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIAHEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
HEMODINÂMICA - RADIOLOGIA
 
Tomografia trabalho
Tomografia trabalhoTomografia trabalho
Tomografia trabalho
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.GADOLÍNIO EM  RESSONÂNCIA MAGNÉTICA:  Definição, Aplicabilidade e Reações.
GADOLÍNIO EM RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: Definição, Aplicabilidade e Reações.
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia
 
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
 
Radiologia digital
Radiologia digitalRadiologia digital
Radiologia digital
 
Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.Slides sobre o manuseio do arco em c.
Slides sobre o manuseio do arco em c.
 
RADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITALRADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITAL
 
Ressonancia Magnetica
Ressonancia MagneticaRessonancia Magnetica
Ressonancia Magnetica
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
 
EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICAEXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
 
Historia da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliHistoria da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoli
 
Técnicas de Tratamento em Radioterapia
Técnicas de Tratamento em RadioterapiaTécnicas de Tratamento em Radioterapia
Técnicas de Tratamento em Radioterapia
 
Noçoes de mamografia
Noçoes de mamografiaNoçoes de mamografia
Noçoes de mamografia
 
Aula de rm prof. luis aguiar
Aula de rm   prof. luis aguiarAula de rm   prof. luis aguiar
Aula de rm prof. luis aguiar
 
Mamografia
MamografiaMamografia
Mamografia
 
Radioterapia 2009
Radioterapia 2009Radioterapia 2009
Radioterapia 2009
 

Semelhante a Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada

Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaLuanapqt
 
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentosTomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentoswelberrj
 
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdf
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdfQuímica Analítica_material de apoio_aula 2.pdf
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdfGeanGomes8
 
Microscopia de Varredura por Sonda
Microscopia de Varredura por SondaMicroscopia de Varredura por Sonda
Microscopia de Varredura por SondaLudmila Alem
 
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorial
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorialSegunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorial
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorialMafalda Cardeira
 
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARTOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARLeonardo Flor
 
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentes
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentesAparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentes
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentesAdenilson Giovanini
 
Tomografia fisica basica
Tomografia   fisica basicaTomografia   fisica basica
Tomografia fisica basicaLuanapqt
 
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdfCésar Antônio da Silva
 

Semelhante a Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada (20)

Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentosTomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
 
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptxWLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
 
1ª tc[1].ppt cópia
1ª tc[1].ppt   cópia1ª tc[1].ppt   cópia
1ª tc[1].ppt cópia
 
Wlglima aula tc 1
Wlglima aula tc 1Wlglima aula tc 1
Wlglima aula tc 1
 
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptxWLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdf
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdfQuímica Analítica_material de apoio_aula 2.pdf
Química Analítica_material de apoio_aula 2.pdf
 
TC (2).ppt
TC (2).pptTC (2).ppt
TC (2).ppt
 
Microscopia de Varredura por Sonda
Microscopia de Varredura por SondaMicroscopia de Varredura por Sonda
Microscopia de Varredura por Sonda
 
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorial
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorialSegunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorial
Segunda aula de introdução aos métodos de exame e análise laboratorial
 
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARTOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
 
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentes
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentesAparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentes
Aparelhos topográficos: Conheça os diferentes existentes
 
Capítulo 5 2014_pos
Capítulo 5 2014_posCapítulo 5 2014_pos
Capítulo 5 2014_pos
 
FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA FIBRA ÓPTICA
FIBRA ÓPTICA
 
Tomografia fisica basica
Tomografia   fisica basicaTomografia   fisica basica
Tomografia fisica basica
 
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
 
Aster
AsterAster
Aster
 
Som
SomSom
Som
 

Mais de Rafael Sciammarella

FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...
FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...
FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...Rafael Sciammarella
 
Estudo da Sarcopenia por Densitometria óssea
Estudo da Sarcopenia por Densitometria ósseaEstudo da Sarcopenia por Densitometria óssea
Estudo da Sarcopenia por Densitometria ósseaRafael Sciammarella
 
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZO
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZOCONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZO
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZORafael Sciammarella
 
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da Osteoporose
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da OsteoporoseImportância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da Osteoporose
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da OsteoporoseRafael Sciammarella
 
Densitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoDensitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoRafael Sciammarella
 
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...Rafael Sciammarella
 
Controle de qualidade em Densitometria Óssea
Controle de qualidade em Densitometria ÓsseaControle de qualidade em Densitometria Óssea
Controle de qualidade em Densitometria ÓsseaRafael Sciammarella
 
Avaliação de composição corporal por DEXA
Avaliação de composição corporal por DEXAAvaliação de composição corporal por DEXA
Avaliação de composição corporal por DEXARafael Sciammarella
 

Mais de Rafael Sciammarella (8)

FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...
FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...
FRAX E TBS: NOVAS FERRAMENTAS PARA AUXÍLIO DA PREVENÇÃO A FRATURAS OSTEOPORÓT...
 
Estudo da Sarcopenia por Densitometria óssea
Estudo da Sarcopenia por Densitometria ósseaEstudo da Sarcopenia por Densitometria óssea
Estudo da Sarcopenia por Densitometria óssea
 
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZO
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZOCONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZO
CONTROLE DE QUALIDADE EM DENSITOMETRIA ÓSSEA - TESTE A CURTO E LONGO PRAZO
 
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da Osteoporose
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da OsteoporoseImportância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da Osteoporose
Importância e precisão da Densitometria Óssea no diagnóstico da Osteoporose
 
Densitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoDensitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraço
 
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
Fatores de controle de qualidade da imagem: Sistema filme-ecran X sistema dig...
 
Controle de qualidade em Densitometria Óssea
Controle de qualidade em Densitometria ÓsseaControle de qualidade em Densitometria Óssea
Controle de qualidade em Densitometria Óssea
 
Avaliação de composição corporal por DEXA
Avaliação de composição corporal por DEXAAvaliação de composição corporal por DEXA
Avaliação de composição corporal por DEXA
 

Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada

  • 3.
  • 4. Radon – 1977 Desenvolve a solução matemática para reconstrução de projeções Cormack – 1956 Primeiras considerações sobre tomografia com raios-X Kuhl e Edwards – 1959 Primeira emissão de seção transversal em laboratório utilizando fonte radioativa Hounsfield – 1967 Primeiro trabalho em tomografia com raios-X Cormack – 1963 Escâner experimental de tomografia Oldendorf – 1961 Medições de sinais (perfis) de um simulador com movimentos de translação e rotação utilizando fonte I¹³¹ e detector do tipo tubo fotomultiplicador Kuhl e Edwards – 1968 Equipamento Mark 3 EMI – 1971 Primeiro equipamento clínico Hounsfield e Cormack - 1979 Prêmio nobel de Fisiologia e Medicina compartilhado pelos dois pesquisadores
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. PRIMEIRA GERAÇÃO ▪ Feixe de radiação muito estreito (3 x 13 mm) que fazia múltiplas varreduras lineares sobre o objeto; ▪ Rotação de 1 grau para iniciar nova varredura e coletar outros 160 feixes na nova projeção; ▪ Corte: 5 minutos Estudo completo: 1 hora
  • 9.
  • 10. Movimento do conjunto fonte-detector: Translação e rotação (1° de cada vez) Geometria do feixe: Muito colimado (feixe “lápis”) Detector: Um ou dois detectores Tempo de aquisição: 5 minutos (em média)
  • 11.
  • 12. SEGUNDA GERAÇÃO ▪ Conjunto de detectores e não mais um único; ▪ Feixe laminar, em forma de leque, suficiente para cobrir o conjunto de detectores; ▪ Princípio de aquisição das imagens era semelhante ao dos equipamentos de primeira geração; ▪ Aquisição dos cortes reduzidos a menos de 1 minuto.
  • 13. Movimento do conjunto fonte-detector: Translação e rotação (6° de cada vez) Geometria do feixe: Divergente (formato de leque) Detector: 30 unidades Tempo de aquisição: 20 segundos (em média)
  • 14. TERCEIRA GERAÇÃO ▪ Eliminou-se o modo de varredura linear; ▪ Os tubos passaram a fazer movimentos de rotação contínuos com a coleta simultânea dos dados; ▪ Conjunto de detectores com aproximadamente 600 unidades; ▪ Tempo de aquisição dos cortes em torno de 2 à 5 segundos por imagem; ▪ Processamento das imagens variando entre 5 e 40 segundos.
  • 15. Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação (giro completo – 360°) Geometria do feixe: Divergente (formato de leque) Detector: 30 unidades Tempo de aquisição: 20 segundos (em média) Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação (giro completo 360°) Geometria do feixe: Divergente (formato de leque) Detector: Formato de arco de 30° a 40° Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média) Limitações: Cabos de alta tensão (slip ring) Artefatos: Formato de anel (detector descalibrado ou com defeito)
  • 16. QUARTA GERAÇÃO ▪ Conjunto de detectores distribuídos pelos 360 graus do gantry; ▪ Introdução da tecnologia Slip-ring; ▪ Giro contínuo do tubo numa única direção; ▪ Melhora significativa na estabilidade dos detectores.
  • 17. Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-estacionário (giro completo – 360°) Geometria do feixe: Divergente (formato de leque) Detector: Arco de 360°, composto por 4000 unidades detectoras Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média)
  • 18. TOMOGRAFIA HELICOIDAL ▪ Permitiu a rotação contínua do tubo ao deslocamento simultâneo da mesa; ▪ Aquisição assemelha-se a um modelo espiral, com fatias em forma de hélice; ▪ Sistema de computador moderno e mais potente; ▪ Reduziu de forma drástica o tempo de realização do exame; ▪ Novos conceitos foram introduzidos, destacando-se: Revolução, Pitch e Interpolação.
  • 19. ▪ Anel deslizante Foi implementado em 1989 aos tomógrafos uma tecnologia que permitia a rotação contínua do conjunto Tubo de RX/Detectores, esta tecnologia adota anéis deslizantes para interligar eletricamente a estrutura fixa com a parte móvel do tomógrafo.
  • 20. ▪REVOLUÇÃO: compreende o giro de 360 graus do conjunto tubo-detectores; ▪PITCH: representa a razão entre o deslocamento da mesa pela espessura de corte; ▪INTERPOLAÇÃO: interpolação de imagens digitais é basicamente criar novos pixels à partir dos pixels já existentes.
  • 21.
  • 22. Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação Geometria do feixe: Feixe cônico Detector: Fileira única Tempo de aquisição: Menor que 1 segundo (em média) Aplicação: Diversas regiões anatômicas
  • 23. TOMOGRAFIA MULTISLICE ▪ Tubos de raios-x mais potentes e ultramodernos sistemas computacionais; ▪ Múltiplos conjuntos de anéis detectores de forma estrategicamente emparelhados; ▪ Obtenção de cortes com espessura menor que 1mm; ▪ Maior velocidade no giro do conjunto tubo- detectores no interior do gantry; ▪ Aquisição em tempo próximo do real das imagens.
  • 26. Movimento do conjunto fonte-detector: Rotação-rotação Geometria do feixe: Feixe cônico Detector: Múltiplos-aquisição simultânea Tempo de aquisição: Frações de segundos Aplicação: Diversas regiões anatômicas e específicas