SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
PROFº MARCELO QUEIROZ
   1º AULA AGOSTO 2009
Introdução a Tomografia
    Computadorizada




                          AGOSTO 2009
Tomografia Computadorizada
• Método radiológico que permite mostrar a
  reprodução de um corte humano com a
  finalidade de ver e estudar suas estruturas
  anatômicas.
HOUNSFIELD
1ª. Geração
Feixe em forma de lápis
detector único.
Movimento  do sistema de tubo
/detector em rotação
Tempo  de varredura entre 4 á
5 minutos
Scanners de Segunda Geração: os         2ª Geração
scanners de segunda geração foram
grandemente aperfeiçoados, e
forneciam um feixe de raios X em
forma de leque, com até 30 detectores
ou mais. Os tempos de varredura
foram encurtados em cerca de 15
segundos por corte ou 10 minutos
para um exame de 40 cortes.
DIFERENÇAS DOS APARELHOS DE TC
                     3ª. Geração
TOMOGRAFIACOMPUTADORIZADA
     QUARTA GERAÇÃO
                   4ª. Geração
Aparelho de TC
4ª Geração
Nova Geração
• São conhecidos por espirais ou helicoidais
• A ampola apresenta giro contínuo.
• A mesa faz movimentos de translação com
  aquisições de imagens simultâneas.
• Os tubos de RX são de maior capacidade.
• Os computadores são de maior velocidade e
  capacidade.
   São os multi-slice.
   4,8,16,32,40,64,128 e 256 pistas no detector.
   Maior quantidade da dados.
   Melhor resolução espacial.
   Maior velocidade da mesa.
   E também muito mais caro.
O desenvolvimento de anéis de deslizamento para substituir os cabos
de raios X de alta tensão permite rotação contínua do tubo,
necessária para varredura do tipo helicoidal. Anteriormente o
movimento do tubo de raios X era restrito por cabos de alta tensão
fixados, e limitado a uma rotação de 360° em uma direção
compreendendo um corte, seguida por outra rotação de 360° na
direção oposta, criando um segundo corte com o paciente movendo
um incremento entre os cortes.
Scanners de TC por Volume (helicoidal/espiral): durante os primeiros
anos da década de 1990, um novo tipo de scanner foi desenvolvido,
chamado scanner de TC por volume (helicoidal/espiral). Com esse
sistema, o paciente é movido de forma contínua e lenta através da
abertura durante o movimento circular de 360° do tubo de raios X e dos
detectores, criando um tipo de obtenção de dados helicoidal ou “em
mola espiral”. Dessa forma, um volume de tecido é examinado, e dados
são coletados, em vez de cortes individuais como em outros sistemas.
(Helicoidal e espiral são termos específicos de fabricantes para
scanners do tipo de volume.)
         Os sistemas de TC por volume utilizam arranjos de detectores
do tipo de terceira ou quarta geração, dependendo do fabricante
específico.
Volumétrico ou Helicoidal
    Tubo de raios-X
                                 colimador


                             Transformação
                             analógico-digital

                                             computador
                      ROI

 Raios-x                                 Algoritmos de
atenuados                                reconstrução

                                                 Imagem

Detectores de
                            Detectores
 referência
Volumétrico ou Helicoidal
Etapas de desenvolvimento
        principais projetos


    2° geração: Preocupação em
    diminuir o tempo de captação
3° geração: Modificações estruturais
         na mesa de exame

4° geração: Detectores estacionários
          (sem ganho real)
Posicionamento




  •Supra-órbito-meatal (SOM)
      •Órbito-meatal (OM)
   •Infra-órbito-meatal (IOM)
Visão axial
Visão Coronal   Visão Sagital
Dados Técnicos Sobre A Tomografia

Espessura do Corte
• Depende da geração. 1,2,3,5,7e10mm
Espessura do Corte
Incremento ou Índex: É o espaçamento
                   entre os cortes.

          excursão da mesa X tempo de rotação do tubo
Pitch   = _________________________________________
                        colimação
              mm(5) x s (1)
    Unidade = ____________
                mm (5)
José Pedro
Wilson
Jefferson Alves



E-mail: emersonprof10@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Jean Carlos
 
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADAESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADAAdriano Silva
 
Conceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagemConceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagemPollyanna Medeiros
 
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosAula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosPedro Antonio
 
Densitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoDensitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoRafael Sciammarella
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019FLAVIO LOBATO
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Rodrigo Ribeiro Jr.
 
Aula sobre Transito Intestinal
Aula sobre Transito IntestinalAula sobre Transito Intestinal
Aula sobre Transito IntestinalRobson Rocha
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAWillian R. Bandeira
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introduçãocelais0814
 
Contraste radiologico
Contraste radiologicoContraste radiologico
Contraste radiologicoradiomed
 

Mais procurados (20)

Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
 
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADAESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Conceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagemConceitos basicos de qualidade da imagem
Conceitos basicos de qualidade da imagem
 
Aula 06 densitometria
Aula 06 densitometriaAula 06 densitometria
Aula 06 densitometria
 
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosAula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
 
Apostilaposicionamento1
Apostilaposicionamento1Apostilaposicionamento1
Apostilaposicionamento1
 
Densitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraçoDensitometria óssea do antebraço
Densitometria óssea do antebraço
 
Aula 07 ultrassonografia
Aula 07 ultrassonografiaAula 07 ultrassonografia
Aula 07 ultrassonografia
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019
 
Meios de contraste: TC e RM
Meios de contraste: TC e RMMeios de contraste: TC e RM
Meios de contraste: TC e RM
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia
 
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
 
Aula sobre Transito Intestinal
Aula sobre Transito IntestinalAula sobre Transito Intestinal
Aula sobre Transito Intestinal
 
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICAANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
 
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introdução
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
Radiobiologia seminario
Radiobiologia seminarioRadiobiologia seminario
Radiobiologia seminario
 
Contraste radiologico
Contraste radiologicoContraste radiologico
Contraste radiologico
 

Semelhante a 1ª tc[1].ppt cópia

Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaLuanapqt
 
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Guillermo Alberto López
 
DOC-20230522-WA0030_.ppt
DOC-20230522-WA0030_.pptDOC-20230522-WA0030_.ppt
DOC-20230522-WA0030_.pptWellyson Rocha
 
Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
Evolução tecnológica em Tomografia ComputadorizadaEvolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
Evolução tecnológica em Tomografia ComputadorizadaRafael Sciammarella
 
Tomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em OdontologiaTomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em OdontologiaLorem Morais
 
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARTOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARLeonardo Flor
 
Tomografia para tecnicos
Tomografia   para tecnicosTomografia   para tecnicos
Tomografia para tecnicosLuanapqt
 
Apostila osciloscopio pdf
Apostila osciloscopio pdfApostila osciloscopio pdf
Apostila osciloscopio pdfJoão Marques
 
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais Mistos
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais MistosInfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais Mistos
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais MistosPareseletronica
 
Microtomografia de raios X (MicroCT)
Microtomografia de raios X (MicroCT)Microtomografia de raios X (MicroCT)
Microtomografia de raios X (MicroCT)CNPEM
 

Semelhante a 1ª tc[1].ppt cópia (20)

Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
Tomografia computadorizada power point (1) [reparado]
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
DOC-20230522-WA0030_.ppt
DOC-20230522-WA0030_.pptDOC-20230522-WA0030_.ppt
DOC-20230522-WA0030_.ppt
 
Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
Evolução tecnológica em Tomografia ComputadorizadaEvolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
Evolução tecnológica em Tomografia Computadorizada
 
Tomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em OdontologiaTomografia computadorizada em Odontologia
Tomografia computadorizada em Odontologia
 
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFARTOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
TOMOGRAFANDO A TÉCNICA DE TOMOGRAFAR
 
Analisador de vibraçôes IX Funções de um canal no tempo
Analisador de vibraçôes IX   Funções de um canal no tempoAnalisador de vibraçôes IX   Funções de um canal no tempo
Analisador de vibraçôes IX Funções de um canal no tempo
 
Apostila tomografia prof. ricardo pereira
Apostila tomografia   prof. ricardo pereiraApostila tomografia   prof. ricardo pereira
Apostila tomografia prof. ricardo pereira
 
Tomografos
TomografosTomografos
Tomografos
 
Tomografia feixe conico
Tomografia feixe conicoTomografia feixe conico
Tomografia feixe conico
 
TC (2).ppt
TC (2).pptTC (2).ppt
TC (2).ppt
 
Modulo 21
Modulo 21Modulo 21
Modulo 21
 
Tomografia para tecnicos
Tomografia   para tecnicosTomografia   para tecnicos
Tomografia para tecnicos
 
Analisador de vibrações X o Cepstro
Analisador de vibrações X  o CepstroAnalisador de vibrações X  o Cepstro
Analisador de vibrações X o Cepstro
 
Apostila osciloscopio pdf
Apostila osciloscopio pdfApostila osciloscopio pdf
Apostila osciloscopio pdf
 
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais Mistos
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais MistosInfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais Mistos
InfiiniVision - A nova geração de Instrumentos de Testes de Sinais Mistos
 
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptxWLGLIMA AULA TC 1.pptx
WLGLIMA AULA TC 1.pptx
 
Microtomografia de raios X (MicroCT)
Microtomografia de raios X (MicroCT)Microtomografia de raios X (MicroCT)
Microtomografia de raios X (MicroCT)
 

Mais de Douglas Henrique

Mais de Douglas Henrique (13)

Aula de enema opaco
Aula de enema opacoAula de enema opaco
Aula de enema opaco
 
Aulas douglas
Aulas douglasAulas douglas
Aulas douglas
 
A importância da anatomia humana para o tecnólogo
A importância da anatomia humana para o tecnólogoA importância da anatomia humana para o tecnólogo
A importância da anatomia humana para o tecnólogo
 
Lequesne e ducroquet
Lequesne e ducroquetLequesne e ducroquet
Lequesne e ducroquet
 
Axial longo tornozelo[1]
Axial longo tornozelo[1]Axial longo tornozelo[1]
Axial longo tornozelo[1]
 
Sistema osseo cranio.pdf
Sistema osseo cranio.pdfSistema osseo cranio.pdf
Sistema osseo cranio.pdf
 
Ressonância magnética
Ressonância magnéticaRessonância magnética
Ressonância magnética
 
Medicina nuclear
Medicina nuclearMedicina nuclear
Medicina nuclear
 
Slide padrão
Slide padrãoSlide padrão
Slide padrão
 
História da radiologia aula
História da radiologia aulaHistória da radiologia aula
História da radiologia aula
 
Aula de coluna cervical
Aula de coluna cervicalAula de coluna cervical
Aula de coluna cervical
 
Anatomia da coluna cervical
Anatomia da coluna cervicalAnatomia da coluna cervical
Anatomia da coluna cervical
 
Prova técnico radiologia
Prova técnico radiologiaProva técnico radiologia
Prova técnico radiologia
 

1ª tc[1].ppt cópia

  • 1. PROFº MARCELO QUEIROZ 1º AULA AGOSTO 2009
  • 2. Introdução a Tomografia Computadorizada AGOSTO 2009
  • 3. Tomografia Computadorizada • Método radiológico que permite mostrar a reprodução de um corte humano com a finalidade de ver e estudar suas estruturas anatômicas.
  • 5. 1ª. Geração Feixe em forma de lápis detector único. Movimento do sistema de tubo /detector em rotação Tempo de varredura entre 4 á 5 minutos
  • 6. Scanners de Segunda Geração: os 2ª Geração scanners de segunda geração foram grandemente aperfeiçoados, e forneciam um feixe de raios X em forma de leque, com até 30 detectores ou mais. Os tempos de varredura foram encurtados em cerca de 15 segundos por corte ou 10 minutos para um exame de 40 cortes.
  • 7. DIFERENÇAS DOS APARELHOS DE TC 3ª. Geração
  • 8.
  • 9.
  • 10. TOMOGRAFIACOMPUTADORIZADA QUARTA GERAÇÃO 4ª. Geração
  • 13. Nova Geração • São conhecidos por espirais ou helicoidais • A ampola apresenta giro contínuo. • A mesa faz movimentos de translação com aquisições de imagens simultâneas. • Os tubos de RX são de maior capacidade. • Os computadores são de maior velocidade e capacidade.
  • 14.
  • 15. São os multi-slice.  4,8,16,32,40,64,128 e 256 pistas no detector.  Maior quantidade da dados.  Melhor resolução espacial.  Maior velocidade da mesa.  E também muito mais caro.
  • 16. O desenvolvimento de anéis de deslizamento para substituir os cabos de raios X de alta tensão permite rotação contínua do tubo, necessária para varredura do tipo helicoidal. Anteriormente o movimento do tubo de raios X era restrito por cabos de alta tensão fixados, e limitado a uma rotação de 360° em uma direção compreendendo um corte, seguida por outra rotação de 360° na direção oposta, criando um segundo corte com o paciente movendo um incremento entre os cortes.
  • 17. Scanners de TC por Volume (helicoidal/espiral): durante os primeiros anos da década de 1990, um novo tipo de scanner foi desenvolvido, chamado scanner de TC por volume (helicoidal/espiral). Com esse sistema, o paciente é movido de forma contínua e lenta através da abertura durante o movimento circular de 360° do tubo de raios X e dos detectores, criando um tipo de obtenção de dados helicoidal ou “em mola espiral”. Dessa forma, um volume de tecido é examinado, e dados são coletados, em vez de cortes individuais como em outros sistemas. (Helicoidal e espiral são termos específicos de fabricantes para scanners do tipo de volume.) Os sistemas de TC por volume utilizam arranjos de detectores do tipo de terceira ou quarta geração, dependendo do fabricante específico.
  • 18. Volumétrico ou Helicoidal Tubo de raios-X colimador Transformação analógico-digital computador ROI Raios-x Algoritmos de atenuados reconstrução Imagem Detectores de Detectores referência
  • 20. Etapas de desenvolvimento principais projetos 2° geração: Preocupação em diminuir o tempo de captação 3° geração: Modificações estruturais na mesa de exame 4° geração: Detectores estacionários (sem ganho real)
  • 21.
  • 22.
  • 23. Posicionamento •Supra-órbito-meatal (SOM) •Órbito-meatal (OM) •Infra-órbito-meatal (IOM)
  • 25. Visão Coronal Visão Sagital
  • 26.
  • 27. Dados Técnicos Sobre A Tomografia Espessura do Corte • Depende da geração. 1,2,3,5,7e10mm
  • 29. Incremento ou Índex: É o espaçamento entre os cortes. excursão da mesa X tempo de rotação do tubo Pitch = _________________________________________ colimação mm(5) x s (1) Unidade = ____________ mm (5)
  • 30.