Marketing oficial

198 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Marketing oficial

  1. 1. Resenha livro:Marketing de Interrupção
  2. 2.  Qual é a melhor maneira para atrair a atenção do seu potencial consumidor, cliente, ou como queria chamá-lo, num mundo que diariamente evolui com novas tecnologias e transforma as mídias em potenciais alavancas de transmissão das mensagens publicitárias? O livro Marketing de Permissão, best-seller de Seth Godin, trata das estratégias e dos melhores caminhos que devem ser traçados pelos profissionais do marketing. Apesar das inúmeras e fantásticas campanhas publicitárias existentes no mercado, os cuidados devem ser medidos a todo instante quando se opta pelos processos de permissão ou interrupção do potencial cliente. Tais termos são abordados com detalhes e sugestões de caminhos para o sucesso.
  3. 3.  O comportamento do consumidor tem mudado e dos empresários, obrigatóriamente também. Nesse contexto, as agências ainda buscam a internet como seu maior aliado, porém, maquinando para que o cliente não seja afrontado com um batalhão de campanhas que chegam em seu e-mail como spam´s etc. A estratégia agora é conquistá-lo dia a dia, de maneira especial, que o faça se sentir lisongeado com a atenção que lhe é dada através de promoções e ações direcionadas pela organização. Quando falamos em promoção, tecnicamente nos referimos ao Marketing de Interrupção, aquele que você obrigatoriamente faz com que o seu potencial cliente pare o que esta fazendo para prestar atenção no que esta dizendo com seu banner, informativo etc. Mas o desafio da ‘conquista amável’ do potencial consumidor tem dado trabalho e feito com que os elaboradores de planejamentos estratégicos de campanhas misturem o Marketing de Interrupção com o de Permissão.
  4. 4.  Numa linguagem de fácil compreensão, o primeiro pode ser definido como uma maneira mais cordial de conquistar o cliente para que aposte no consumo ou serviço de tal empresa. O segundo, de interrupção, é uma forma mais ‘extravagante’ de atrair, quase que obrigatória, a atenção do cliente, se importando apenas com o propósito de divulgar tal proposta de marketing e fincá-la na mentalidade das pessoas. Como forma de parar as mentalidades da publicidade e marketing para pensar nos efeitos do boom da internet, a obra leva a refletir sobre a necessidade de que os profissionais estão tendo de pensar se, encher a caixa de e-mails das pessoas tem realmente gerado resultados positivos, ou, se o chamado marketing de massa tem congestionado a internet e também as revistas com propagandas nada atrativas, que gastam fortunas de investimentos e, que no fim das contas não atendem as expectativas.
  5. 5.  A mala direta que é um exemplo de Marketing de Interrupção é um exemplo de conceito em transformação, pois já se discutem nas empresas se tal maneira realmente cativa a atenção do cliente ou não. Ainda não está com os dias contados na indústria do marketing, mas pode diminuir. Originário do Marketing de Interrupção, o Marketing de Permissão tem estratégias mais refinadas. Nessa linha de atuação no job, o desafio é alinhar conquista, atenção confiança e durabilidade na relação com o cliente, tendo a internet com a fatídica mola propulsora para atingir o alvo esperado. Os comerciais, publicidades gigantescas em revistas e jornais, do Marketing de Interrupção, podem atingir mais o sucesso esperado, mas elas induzem para a atuação de ações do Marketing de Permissão, pois estabelece um primeiro canal de contato, chamando as atenções para tal mensagem. É natural que o profissional de marketing veja o mercado primeiro, como as coisas estão girando nele, as tendências e a concorrência, sobretudo.
  6. 6.  Mas na escolha pela Permissão, o cliente deve ser a parcela de concentração do profissional. Tudo deve ser pensado a partir dele. Como vou vender esse produto? Por que vou vender para tal perfil de cliente? Qual o potencial de consumo dele? A ação é estritamente pessoal e a longo prazo, se quiser que esse cliente seja um excelente e fiel usuário do produto da sua empresa e, consequentemente, traga rentabilidade para o negócio. O longo prazo que pode existir na relação com o cliente é o mesmo que o profissional tem que considerar para conquistá-lo. Para isso, existe um ciclo de cinco etapas: estranho, amigo, cliente, cliente fiel e ex-cliente. O uso do conceito de Marketing de Permissão para chegar no cliente se transforma no Marketing Individualizado no futuro da ação.
  7. 7.  Na permissão, algumas características são fundamentais. Não envie uma mercadoria, seja para teste, como brinde ou com qualquer outra intensão, sem antes perguntar para o seu cliente se pode ter tal atitude. Isso mostra o respeito que existe na relação profissional e gera dia a dia a solidez necessária para que de potencial cliente, ele se torne cliente certo. E com a permissão em bons caminhos, o profissional pouco a pouco atinge o seu objetivo, muitas vezes sem fazer supercampanhas para ganhar seu o cliente, pois saberá exatamente o que ele precisa e deseja. Dessa maneira, usa a publicidade diretamente como a resposta direta e persuasiva. E todos ganham nesse processo.
  8. 8.  E no embalo do uso da expressão: ‘Caro cliente, posso tomar um pouquinho do seu tempo? Tenho certeza que vai gostar da proposta que temos’, o profissional do Marketing de Permissão segue na direção correta e segura para o resultado da sua ação e, simultaneamente, substitui o Marketing de Interrupção pela interação progressiva com seu cliente. E claro, que nessa linha de atuação ganha de vez a confiança do cliente e a eficácia do seu plano.

×