Universidade de São Paulo                  Escola de Comunicações e Artes      Departamento de Relações Públicas, Turismo ...
JULIA ISABEL MIRANDA TRAVAGLINIO CONSUMO CONTEMPORÂNEO, AS NOVAS MÍDIAS E A COMUNICAÇÃO               Trabalho apresentado...
Sumário     Introdução     Consumo contemporâneo     As novas mídias     As redes sociais     A relação entre as redes soc...
Introdução      Do jornal para o rádio, do rádio para a televisão, da televisão para ainternet e a internet em todos os lu...
O Consumo Contemporâneo      O consumo por muito tempo se determinou no ciclo de compra, ou seja,na relação entre empresa,...
Envolvendo todos esses aspectos do consumo contemporâneo está aconexão. A conectividade entre as pessoas, formando comunid...
As Redes Sociais      O homem é por si um ser social por isso necessita sempre do contatocom outros homens e para isso pre...
que 76% dos usuários estão interessados em atualizar o próprio perfil, ou seja,cria-se a necessidade de mostrar aos outros...
foi bem elaborado os usuários se entretiveram com o social game e a marcaaumentou seu shareofmind.      No youtube existe ...
Conclusão      Hoje a sociedade está inserida na era da informação, a qual se baseiana internet. Os dispositivos móveis do...
Referências BibliográficasGOSCIOLA, Vicente. Roteiro Para as Novas Mídias: Do Cinema às MídiasInterativas. São Paulo: Ed. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O consumo contemporâneo, as novas mídias e a comunicação - Teoria e Técnica da Publicidade

355 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado na disciplina de Teoria e Técnica da Publicidade, orientado pelo Prof. Dr. Eneus Trindade, pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O consumo contemporâneo, as novas mídias e a comunicação - Teoria e Técnica da Publicidade

  1. 1. Universidade de São Paulo Escola de Comunicações e Artes Departamento de Relações Públicas, Turismo e PropagandaO CONSUMO CONTEMPORÂNEO, AS NOVAS MÍDIAS E A COMUNICAÇÃO Julia Isabel Miranda Travaglini Trabalho de Teoria e Técnica da Publicidade – REFLECON Prof. Dr. Eneus Trindade São Paulo, 2011
  2. 2. JULIA ISABEL MIRANDA TRAVAGLINIO CONSUMO CONTEMPORÂNEO, AS NOVAS MÍDIAS E A COMUNICAÇÃO Trabalho apresentado à disciplina de Teoria e Técnica da Publicidade, ministrada pelo Professor Doutor Eneus Trindade Barreto Filho, como parte do requisito para composição da nota final referente ao segundo semestre do ano de 2011. São Paulo, 2011
  3. 3. Sumário Introdução Consumo contemporâneo As novas mídias As redes sociais A relação entre as redes sociais, as novas mídias e a publicidade Conclusão Referências bibliográficas
  4. 4. Introdução Do jornal para o rádio, do rádio para a televisão, da televisão para ainternet e a internet em todos os lugares. Analisando a evolução das mídiaspublicitárias, é possível perceber que a mobilidade não é recente. O jornalimpresso, por exemplo, pode ser levado pelo leitor. O rádio à pilha, podeacompanhar o ouvinte. Porém, o celular agregou o jornal, o rádio, a televisão ea internet. Além de oferecer mobilidade, traz facilidade. O celular,acompanhando a internet, apresentou à sociedade a era da informação. Porém não só o celular promove acessibilidade e mobilidade.Smartphones, notebooks, netbooks e tablets entram para a lista dos aparelhosque contribuem para a revolução da informação sem distâncias. Dentro dessesaparelhos encontram-se as novas mídias. Esse segmento de mídia trazconsigo a conexão, que alteraa estrutura da sociedade contemporânea.Segundo Lemos (2007, p.32), “essa conexão modifica práticas sociais ecomunicacionais (princípio de reconfiguração)”. A publicidade, como propagadora de informação, é aliada à novidade. Apublicidade incentiva e sustenta a novidade, é a base para a movimentação domercado, para o lançamento de ideias e para a criação de espaço paracirculação de informações, como as novas mídias, ou seja, celulares, tablets esmartphones. Esse trabalho discutirá a relação entre a publicidade, as novas mídias ea internet como principal componente dessas.
  5. 5. O Consumo Contemporâneo O consumo por muito tempo se determinou no ciclo de compra, ou seja,na relação entre empresa, consumidor e produto. A empresa produzia oproduto e o consumidor comprava-o. A propaganda poderia ajudar na venda,destacando características do produto que fossem atraentes ao consumidor.Essas características poderiam ser, por exemplo, a facilidade de uso, aqualidade ou o preço, ou seja, aspectos intangíveis de fácil identificação edeterminação. Na contemporaneidade, porém, a relação de consumo na sociedadeestá diferente. A empresa, através de seu produto, não oferece apenasaspectos visíveis ou facilmente perceptíveis. O produto leva ao consumidormais que a alta qualidade aliada ao baixo preço. É preciso entender o que atraio consumidor. De acordo com Kotler (2010, p. 4), “os consumidores (...) têmopção em meio a uma gama de características funcionais e alternativas. Osprofissionais de marketing de hoje tentam chegar ao consumidor e à mente doconsumidor”. O ato de compra também mudou. O consumidor está informado sobre oproduto e a capacidade de escolha aumentou.Antes era necessário que oconsumidor fosse até o produto para adquiri-lo, hoje o comprador não precisase mover para isso, portanto a comunicação para levá-lo ao ato de compratambém mudou. Além disso, a era da informação possibilitou a interatividade.O consumidor é capaz de interagir com a empresa, demonstrar sua opinião edelimitar diante da sociedade o que lhe agrada e o que não o satisfaz. Portanto o consumo hoje não se pauta apenas sobre a venda. Osbenefícios que atraem o consumidor são outros, este consumidor tem acesso àinformação e o produto precisa estar a sua disposição. Todos esses aspectosinfluenciam diretamente a comunicação que envolve o consumo. O comprador busca mais que o simples consumo de um produto, elequer experiências, sensações e sentimentos. A partir daí não quersimplesmente uma recomendação, quer pontos-de-vista próprios. Mais do queum produto ou um serviço, o consumidor busca hoje significados.
  6. 6. Envolvendo todos esses aspectos do consumo contemporâneo está aconexão. A conectividade entre as pessoas, formando comunidades,transforma a sociedade e a comunicação.As novas mídias As novas mídias são meios de comunicação assim nomeadas para sediferenciarem das mídias tradicionais televisão, rádio e mídia impressa.ParaGosciola (2008, p. 7), o termo novas mídias se define como o vasto campodelimitado pelas tecnologias digitais, ou seja, as novas mídias caminham aolado da tecnologia. Porém as novas mídias vão além da tecnologia ou do que é digital. Umanúncio em um banheiro, em uma caixa de pizza, no piso de uma loja, sãoexemplos de novas mídias que não envolvem tecnologia nem digitalização. É fato que, na maioria das vezes, quando algum autor ou estudioso doassunto diz novas mídias, ele está se referindo à internet ou ao celular. Masnão se pode generalizar. A publicidade caminha pelas novas mídias da mais variadas formas. Issoé esperado já que intrínseca a essas mídias está à inovação. A empresa quedeseja ter seu anúncio veiculado nas novas mídias está interessada eminovação. Agrega-se à empresa o valor de atual, moderna, e até revolucionária. Em se tratando de mídias móveis, como a internet e o celular, asempresas precisam ser cautelosas e entender como chamar atenção doconsumidor de modo correto. Tanto na internet quanto no celular, o consumidorde depara com multifuncionalidades, é atingido por milhares de informações etem multitarefas a realizar. Assim, a comunicação publicitária, para se destacarentre tanta informação precisa atuar de forma diferenciada. Unindo internet, celular e publicidade em um mesmo assunto, pensa-selogo em redes sociais. As redes sociais estão hospedadas na internet, masganham destaque no celular. Aplicativos no aparelho agregam facilidade deacesso aos sites que ficam disfarçados por seus menus personalizados nodispositivo móvel. As redes sociais como mídia são conhecidas como mídiassociais, nas quais comunicação é de todos para todos.
  7. 7. As Redes Sociais O homem é por si um ser social por isso necessita sempre do contatocom outros homens e para isso precisa se comunicar. Assim, sempre existiramredes sociais que ligavam indivíduos com características em comum, porexemplo, religião, hábitos culturais, língua, posições políticas, que contamessencialmente com a comunicação para se manter. Com o avanço tecnológico, as relações sociais e as formascomunicacionais existentes na sociedade se alteram, porém as redes sociaispermanecem, apesar de reconfiguradas. As redes sociais hoje estão refletidas na internet. Pessoas se conectamatravés dessa ferramenta, interagindo entre si, interagindo com desconhecidos,com empresas e se mais do que nunca divulgando sua própria vida na redeonline. Portanto, a partir daqui, esse trabalho reconhecerá como redessociaissites e organizações virtuais das quais pessoas conectadas fazem parte. Uma rede social é uma estrutura social composta por pessoas ouorganizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilhamvalores e objetivos comuns. No Brasil, são famosos o Orkut, o Facebook e o Twitter. Mais de 190milhões de brasileiros estão presentes nas redes sociais, dentre essesusuários, 72% estão no Orkut. Isso significa que a sociedade está conectada. No Facebook, a maior rede social do mundo, estão aproximadamente800 milhões de pessoas. Dentre esses usuários, 100 milhões acessam o siteatravés de seus celulares ativamente, ou seja, acessam oFacebook duas vezesmais que em seus desktops. Nessas redes sociais, os usuários têm uma página de perfil, cominformações e interesses. Eles podem procurar conhecidos que tambémestejam presentes no site, podem enviar mensagens, compartilhar links paraoutros sites da internet, conversar entre usuários, divulgar fotos, vídeos, textos.Enfim, são infinitas as funções oferecidas por esses produtos. Uma reflexão se encaixa aqui: porque o brasileiro é atraído pelas redessociais? Sabe-se que o Facebook alcançou 1 milhão de usuários brasileiros emapensa um ano, mas por quê? Muitas explicações são possíveis. Uma delas éo desejo do brasileiro de autoafirmação. Em pesquisa do Ibope, descobriu-se
  8. 8. que 76% dos usuários estão interessados em atualizar o próprio perfil, ou seja,cria-se a necessidade de mostrar aos outros usuários quem você é. Issocarrega um significado muito grande de que os usuários brasileiros dão grandeimportância para “o que pensam dele”. Outra possível explicação é o desejo de estar “por dentro” do queacontece em seu círculo social. Os indivíduos cada vez mais se isolam uns dosoutros, e acabam interagindo através da internet. Por isso necessitam estar nasredes sociais para se salvarem do isolamento. Com tantos usuários, conclui-se que as redes sociais são altamenteinfluenciáveis na sociedade. E a publicidade se aproveita desse fato para agirjunto aos consumidores. Liberdade de comunicação interativa, possibilidade de inovação nas campanhas, combinada à facilidade de uso das ferramentas para fazê-lo e arquitetura participativa em redes forma a base da receita para que as plataformas de mídias sociais possam ser classificadas como uma das mais influentes formas de mídia até hoje criada. (Tunes, Silva, Del Rey e Antonieto, 2010)A relação entre as redes sociais, as novas mídias e a publicidade As redes sociais, dentro das novas mídias têm íntima relação com apublicidade. O Facebook, por exemplo, está repleto de anúncios publicitários.O logout do Orkut é um dos espaços publicitários online de mais retorno deinvestimento. O Twitter, por sua vez, está cheios de promoções que geramcirculação de informação sem investimento. Ou seja, novas mídias somadas aredes sociais é certeza de vantagem publicitária, porém, é preciso entender doassunto. Nesse trabalho Facebook, YouTube e Twitter serão usados de basepara análise da publicidade dentro das redes sociais. No Facebook, empresas criam banners, páginas e aplicativos quechamem atenção do consumidor e o façam interagir através do site. Umexemplo de campanha bem sucedida no Facebook foi o case elaborado pelaagência BorghiErh/Lowe para a marca Bic. O aplicativo "Cadê minha BIC?" se tratava de um jogo online, ou SocialGame, ou ainda Advergame, no qual os usuários do Facebook teriam queencontrar canetas Bic em um escritório virtual para subir de cargo. Como o jogo
  9. 9. foi bem elaborado os usuários se entretiveram com o social game e a marcaaumentou seu shareofmind. No youtube existe uma área dedicada à publicidade. Empresas emcontato com o site veiculam campanhas e anúncios que encontram em seuambiente milhares de consumidores. A vantagem do YouTube, além docompartilhamento do anúncio entre os próprios usuários, é o tempo de duraçãodo vídeo. Na televisão, o anúncio leva no máximo sessenta segundos. NoYouTube, o vídeo publicitário pode demorar até cinco minutos. Outra vantagem é o acompanhamento das visualizações dos vídeospelos consumidores. A mensuração da quantidade de pessoas que estiveramem contato com o anúncio é feita com muito mais facilidade. No YouTube, um case de sucesso, foi o elaborado pela agência Áfricapara a empresa Vivo, pela comemoração do dia dos namorados. A agênciaproduziu um clipe para a música Eduardo e Mônica, da banda Legião Urbana.O vídeo teve milhões de views, milhões de compartilhamentos dentro doFacebook, e milhões de postagens no Twitter. O investimento teve retorno vistoque a circulação e veiculação da campanha foi através de mídia espontânea. O Twitter muitas vezes serve como um email rápido entre empresa econsumidor. Através do site é muito mais fácil “ouvir” o consumidor. Aexpressão que ganhou a internet “vou xingar muito no Twitter” (que surgiu emum vídeo do YouTube) reflete a relação do consumidor com o site. Porém, ocontrário também acontece. Os consumidores expressam o quanto estãosatisfeitos com os serviços oferecidos pelas empresas. Quanto à veiculação de informação publicitária, o Twitter é base parainúmeras promoções do tipo “retweet a frase e concorra a um prêmio”. Essetipo de promoção faz muitos usuários terem contato com a marca, produto ouempresa sem grandes investimentos.
  10. 10. Conclusão Hoje a sociedade está inserida na era da informação, a qual se baseiana internet. Os dispositivos móveis dotados de conexão contribuem para umareconfiguração das relações sociais e comunicacionais. A publicidade alimenta e é alimentada pela inovação. As novas mídias,portanto, são aliadas da publicidade e dependem dessa para existirem. Assim,a publicidade explora esse novo segmento de mídia e também contribui para areconfiguração das relações comunicacionais. A publicidade se adapta aos consumidores, às mídias, às novasrelações sociais e comunicacionais e move o mercado e a sociedade atravésda inovação. Assim, conclui-se que a publicidade alimenta e é alimentada pelainovação.
  11. 11. Referências BibliográficasGOSCIOLA, Vicente. Roteiro Para as Novas Mídias: Do Cinema às MídiasInterativas. São Paulo: Ed. Senac. 2008.KOTLER, P. Administração em Marketing. São Paulo: Ed. Atlas. (Últimaedição).LEMOS, André. Comunicação e práticas sociais no espaço urbano: ascaracterísticas dosDispositivos Híbridos Móveis de Conexão Multirredes(DHMCM). Revista Comunicação, Mídia e Consumo, número 10, ESPM, SãoPaulo, 2007.TUNES, Gabriel Alvesat al. Evolução da Publicidade na internet: MídiasSociais. São Paulo. 2010.YANAZE, M. Gestão de Comunicação em Marketing. São Paulo: Saraiva.2007.

×