SlideShare uma empresa Scribd logo
VALOR PARTILHADO
CARLOS AZEVEDO | DIRETOR ACADÉMICO
9 de maio de 2016
A. O IES – SOCIAL BUSINESS SCHOOL
Capacitação do
ecossistema de
inves1mento social
e desenvolvimento
de novos
instrumentos
financeiros.
Laboratório de
InvesGmento
Social
(LIS)
Promoção do
contributo das
empresas para a
resolução de
problemas na
sociedade.
Laboratório de
Negócios Sociais
(LNS)
Iden1ficação e
cer1ficação de
soluções inovadoras
e sustentáveis.
Laboratório de
Inovação Social
(LINOS)
Promoção e
cer1ficação de ações
de formação,
desenvolvimento de
conhecimento e
gestão da
comunidade de
agentes de mudança.
Escola
O IES-SBS tem como missão Inspirar e Capacitar para um Mundo Melhor, através do
Empreendedorismo Social. Desenvolve a sua ação através de 4 unidades de negócio
que tocam os setores público, privado e social.
2
A. O IES – SOCIAL BUSINESS SCHOOL
As diferentes unidades orgânicas do IES-SBS encontram-se interligadas, contribuindo
para a construção de uma economia de impacto.
3
LIS
LNS
Escola
LINOS
Os Laboratórios representam
conceitos e temas
consolidados que se
autonomizaram.
A Escola é responsável pela
supervisão académica e
pedagógica, gestão de
conhecimento e gestão de
agenda de todas as áreas do
IES-SBS.
B. ESCOLA
Capacitação de agentes de
impacto.
AGvação de Rede
AGvação de Rede
Expansão da fronteira de
conhecimento do IES-SBS.
Construção de comunidades
vibrantes de aprendizagem.
A Escola IES-SBS posiciona-se como a Social Business School de referência na
produção, gestão e disseminação de conhecimento e na capacitação de todos os
agentes de impacto através de uma oferta complementar e arIculada com a existente
nas escolas de negócio tradicionais. 
4
B. ESCOLA
Bootcamp01
Foco no Problema e
Solução
S4I02
Crescimento
Organizacional
ISEP03
Disseminação da
Solução
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
Programas por Fase do Ciclo de Vida
IES powered by INSEAD
Programas por Competências
Managing Impact Business Programme (MIB)
Inovação e
CompeGGvidade
Modelos de Negócio e
Sustentabilidade
Gestão de
Desempenho e
Medição de Impacto
Negociação
Liderança
Comunicação
MarkeHng
Governance
Design Thinking
Avaliação de
InvesGmento e Gestão
de Tesouraria
Empreend.
Social Comportamental Técnica
Tipo de competência
A formação pretende capacitar agentes de impacto, oferecendo programas que vão
de encontro às diferentes necessidades dos Empreendedores Sociais.
5
Formação Customizada
ACADEMIA
6Think Social, Act Business
Valor	Par(lhado	 Outros	Movimento	B	Corp	
2007	 2006	
2001/	
2006
7Think Social, Act Business
EXEMPLOS	DE	B	CORPS	
•  MISSÃO:	desenvolver	os	melhores	produtos,	sem	causar	
danos	desnecessários	e	inspirar	e	implementar	soluções	
para	resolver	a	crise	ambiental	
•  PRODUTOS:	u8lização	de	algodão	orgânico,	custo	de	50	a	
100%	mais	elevado	do	que	o	algodão	normal.	Desafia/	
influencia	o	mercado	–	Nike	propôs-se	chegar	a	10%	de	
algodão	orgânico	nos	seus	produtos		
•  COLABORADORES:	licença	paga	até	2	meses	para	trabalho	
em	organizações	com	missão	ambiental	
•  COMUNIDADE:	doa	1%	das	receitas	para	organizações	
ambientais	em	todo	o	mundo	
PATAGONIA
8Think Social, Act Business
EXEMPLOS	DE	B	CORPS	
CERCO	–	Construção	Civil	
Integração	de	reclusos	e	ex-reclusos	na	
sua	força	de	trabalho
9Think Social, Act Business
EXEMPLOS	DE	B	CORPS	
ColorADD
10
EXEMPLOS	VALOR	PARTILHADO	
10
Grieg	Green	–	Desmantelamento	de	navios	responsável	
Recentes	noOcias	têm	evidenciado	a	forma	como	o	sector	de	navegação	marí8ma	
gere	os	seus	navios	em	fim	de	vida:	
•  Nigeria,	May	2,	2012:	Abandoned	Ships	a	Rus:ng	Hazard	in	Nigeria	Waters	
•  Pakistan,	March	3,	2012:	Gaddani	Shipbreakers	Defy	Death	Everyday	
•  Brussels,	February	23,	2012:	Asbestos	s:ll	a	threat	to	thousands	of	workers	in	
the	shipbreaking	industry	
Fonte: The Collaboration Economy – How to meet business, social, and environmental need and gain competitive advantage, Eric Lowitt, 2013.
A	reciclagem	destes	navios	é	infame	devido	à	falta	de	segurança	e	de	standards	a	nível	ambiental.	Muitos	destes	navios,	depois	de	lhes	ser	
re8rado	 todo	 o	 aço	 valioso	 para	 revenda,	 são	 abandonados	 em	 praias,	 apodrecendo	 em	 países	 como	 Bangladesh	 e	 outros	 em	
desenvolvimento.	 O	 custo	 de	 desmantelamento	 destes	 navios	 abandonados	 é	 incalculavelmente	 alto,	 desde	 o	 impacto	 ambiental,	 às	
perdas	de	saúde	e	vidas	humanas,	es8mando-se	que	morrem	cerca	de	8	pessoas	por	mês	nestes	locais,	no	desmantelamento	e	remoção	
destes	navios.	
Desta	forma,	uma	das	empresas	de	transportes	marí8mos	–	Grieg	Green	–,	iniciou	um	negócio	para	o	desmantelamento	responsável	de	
navios.	Através	deste	negócio,	esta	empresa	compra	navios	em	fim	de	vida	às	demais	empresas	do	mercado,	vendendo	os	mesmos	a	
desmanteladores	 responsáveis.	 A	 venda	 dos	 navios	 em	 fim	 de	 vida	 à	 Grieg	 Green,	 por	 parte	 das	 várias	 empresas,	 é	 mo8vada	 pela	
transparência	 que	 o	 processo	 garante	 para	 todo	 o	 mercado,	 fazendo	 com	 que	 estas	 empresas	 evitem	 problemas	 nas	 transações	
financeiras	e	processos	judiciais,	pelo	facto	da	empresa	garan8r	a	minimização	do	impacto	do	desmantelamento	para	a	sociedade	e	para	o	
ambiente	e,	ainda,	pela	compe88vidade	do	preço,	face	à	tradicional	alterna8va.	Para	a	Grieg	Green	o	negócio	não	só	é	rentável,	como	
também	potencia	as	relações	com	as	autoridades	dos	Governos	locais	e	as	parcerias	com	organizações	muitas	vezes	concorrentes,	nunca	
antes	pensadas.
11Think Social, Act Business
	
Global	
	
	
	
de	Setores	
	
	
	
da	Dimensão	
	
ConWnuo	
	
	
Independente…	
	
Moda?	Not!		
Uma	tendência	que	se	transforma	em	cultura	empresarial.	
UM	NOVO	SISTEMA
12
1. Uma educação segmentada para
uma aprendizagem integrada
2. Uma economia de propriedade individual para uma
economia do usufruto e fluxo parHlhado
3. Da margem para o
mainstrem
Maior capacidade criaIva e
flexibilidade
Melhor uIlização possível dos recursos
 Traspor práIcas e
conceitos para o
quoIdiano
Interdependência	entre	setores	
Integração	de	todas	as	dimensões	reais	de	riqueza	
Transformação	dos	indivíduos	
Par(cipação	e	responsabilização	
VALOR	PARTILHADO:	
SE	NÃO	NÓS	QUEM?	SE	NÃO	AGORA,		QUANDO?
OBRIGADO!
IES-Social Business School

CASCAIS | PORTO | MAPUTO

ies-sbs.org
facebook.com/IES.SBS

+351 21 486 81 02

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
Miguel Toscano
 

Mais procurados (20)

Bolsa do empreendedorismo oportunidades para empresas - gppq
Bolsa do empreendedorismo   oportunidades para empresas - gppqBolsa do empreendedorismo   oportunidades para empresas - gppq
Bolsa do empreendedorismo oportunidades para empresas - gppq
 
Carlos Medeiros - Competir sem Fronteiras
Carlos Medeiros - Competir sem FronteirasCarlos Medeiros - Competir sem Fronteiras
Carlos Medeiros - Competir sem Fronteiras
 
Luís Miguel Ribeiro - Criar a Empresa
Luís Miguel Ribeiro - Criar a EmpresaLuís Miguel Ribeiro - Criar a Empresa
Luís Miguel Ribeiro - Criar a Empresa
 
Rui Coelho - Competir sem Fronteiras
Rui Coelho - Competir sem FronteirasRui Coelho - Competir sem Fronteiras
Rui Coelho - Competir sem Fronteiras
 
Pedro Rodrigues - Competir sem Fronteiras
Pedro Rodrigues - Competir sem FronteirasPedro Rodrigues - Competir sem Fronteiras
Pedro Rodrigues - Competir sem Fronteiras
 
Diana Costa - Testar o Mercado com Protótipos e Pilotos
Diana Costa - Testar o Mercado com Protótipos e PilotosDiana Costa - Testar o Mercado com Protótipos e Pilotos
Diana Costa - Testar o Mercado com Protótipos e Pilotos
 
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
 
João Marcelino - Marcas e Patentes
João Marcelino - Marcas e PatentesJoão Marcelino - Marcas e Patentes
João Marcelino - Marcas e Patentes
 
Miguel Matos - Incubadoras e Aceleradoras em Portugal
Miguel Matos - Incubadoras e Aceleradoras em PortugalMiguel Matos - Incubadoras e Aceleradoras em Portugal
Miguel Matos - Incubadoras e Aceleradoras em Portugal
 
BGI abre-se para o Mundo
BGI abre-se para o MundoBGI abre-se para o Mundo
BGI abre-se para o Mundo
 
Pedro Pires - Microcredito e Crowdfunding
Pedro Pires - Microcredito e CrowdfundingPedro Pires - Microcredito e Crowdfunding
Pedro Pires - Microcredito e Crowdfunding
 
Horácio Pina Prata - Negociar
Horácio Pina Prata - NegociarHorácio Pina Prata - Negociar
Horácio Pina Prata - Negociar
 
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factoryOs desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
Os desafios da dinamização das incubadoras de empresas ericeira business factory
 
Empreendedorismo em saúde
Empreendedorismo em saúdeEmpreendedorismo em saúde
Empreendedorismo em saúde
 
Matilde Carvalho - Criar a Empresa
Matilde Carvalho - Criar a Empresa Matilde Carvalho - Criar a Empresa
Matilde Carvalho - Criar a Empresa
 
Musikki vence 2ª Ed. do maior concurso de Empreendedorismo de base Tecnológic...
Musikki vence 2ª Ed. do maior concurso de Empreendedorismo de base Tecnológic...Musikki vence 2ª Ed. do maior concurso de Empreendedorismo de base Tecnológic...
Musikki vence 2ª Ed. do maior concurso de Empreendedorismo de base Tecnológic...
 
Bolsa do Empreendedorismo - Teresa Mendes
Bolsa do Empreendedorismo - Teresa MendesBolsa do Empreendedorismo - Teresa Mendes
Bolsa do Empreendedorismo - Teresa Mendes
 
ANJE - Think Global
ANJE - Think GlobalANJE - Think Global
ANJE - Think Global
 
Building Global Innovators: Portugal no mapa mundo da inovação
Building Global Innovators: Portugal no mapa mundo da inovaçãoBuilding Global Innovators: Portugal no mapa mundo da inovação
Building Global Innovators: Portugal no mapa mundo da inovação
 
09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
09.05.2014.Oeiras_Seminario de Empreendedorismo INCUBCENTER
 

Destaque

Destaque (11)

Marcos Couto - Partilha de Valor
Marcos Couto - Partilha de Valor Marcos Couto - Partilha de Valor
Marcos Couto - Partilha de Valor
 
Paulo Martins - Negociar
Paulo Martins - NegociarPaulo Martins - Negociar
Paulo Martins - Negociar
 
Casimiro Ramos - Liderança e gestão de talento
Casimiro Ramos - Liderança e gestão de talentoCasimiro Ramos - Liderança e gestão de talento
Casimiro Ramos - Liderança e gestão de talento
 
Jorge Pimenta - Como apresentar projectos a investidores
Jorge Pimenta - Como apresentar projectos a investidoresJorge Pimenta - Como apresentar projectos a investidores
Jorge Pimenta - Como apresentar projectos a investidores
 
Suzana Alipio - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Suzana Alipio - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoSuzana Alipio - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Suzana Alipio - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
 
Miguel Muñoz Duarte - Modelos de Negócio
Miguel Muñoz Duarte - Modelos de NegócioMiguel Muñoz Duarte - Modelos de Negócio
Miguel Muñoz Duarte - Modelos de Negócio
 
António Andrade - Marcas e Patentes
António Andrade - Marcas e PatentesAntónio Andrade - Marcas e Patentes
António Andrade - Marcas e Patentes
 
José Viana - Marcas e Patentes
José Viana - Marcas e PatentesJosé Viana - Marcas e Patentes
José Viana - Marcas e Patentes
 
Lazaro Raposo - Modelos de Negócio
Lazaro Raposo - Modelos de NegócioLazaro Raposo - Modelos de Negócio
Lazaro Raposo - Modelos de Negócio
 
Ricardo Lopes - Criar a Empresa
Ricardo Lopes - Criar a Empresa Ricardo Lopes - Criar a Empresa
Ricardo Lopes - Criar a Empresa
 
Paulo Dias - Metodologias de ideação e criação de projetos
Paulo Dias - Metodologias de ideação e criação de projetos Paulo Dias - Metodologias de ideação e criação de projetos
Paulo Dias - Metodologias de ideação e criação de projetos
 

Semelhante a Carlos Azevedo - Partilha de Valor

Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado ImobiliárioSustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
tana bassi
 
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoUnilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Cristiana Menezes Fonseca Ramos
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
Tânia Lucas
 

Semelhante a Carlos Azevedo - Partilha de Valor (20)

Como Implantar Gestão de Responsabilidade Social Empresarial
Como Implantar Gestão de Responsabilidade Social EmpresarialComo Implantar Gestão de Responsabilidade Social Empresarial
Como Implantar Gestão de Responsabilidade Social Empresarial
 
Responsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendizResponsabilidade social aprendiz
Responsabilidade social aprendiz
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Trabalho pronto
 
Empreendedorismo Social
Empreendedorismo SocialEmpreendedorismo Social
Empreendedorismo Social
 
Cria - Valor compartilhado
Cria - Valor compartilhadoCria - Valor compartilhado
Cria - Valor compartilhado
 
EEI2011 blog1
EEI2011 blog1EEI2011 blog1
EEI2011 blog1
 
Artemisia
ArtemisiaArtemisia
Artemisia
 
Ecozillabs - Junior Achievement Coworking
Ecozillabs - Junior Achievement CoworkingEcozillabs - Junior Achievement Coworking
Ecozillabs - Junior Achievement Coworking
 
1402528646584
14025286465841402528646584
1402528646584
 
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado ImobiliárioSustentabilidade no Mercado Imobiliário
Sustentabilidade no Mercado Imobiliário
 
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
Sustentabilidade e Sistema Financeiro: Inovações Importantes - Denise Hills (...
 
Empresas B e seus modelos de negócios inspiradores.
Empresas B e seus modelos de negócios inspiradores. Empresas B e seus modelos de negócios inspiradores.
Empresas B e seus modelos de negócios inspiradores.
 
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
A Responsabilidade Social Empresarial - Cleber Antonello - IAV-Sustentabilidade.
 
Teias Summary
Teias SummaryTeias Summary
Teias Summary
 
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhadoUnilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
Unilever, stakeholders e criação de valor compartilhado
 
Projeto Aplicado Desafiar - Gamificação ASKE
Projeto Aplicado Desafiar - Gamificação ASKEProjeto Aplicado Desafiar - Gamificação ASKE
Projeto Aplicado Desafiar - Gamificação ASKE
 
Indicadores ethos ciclo 2016 2017
Indicadores ethos ciclo 2016 2017Indicadores ethos ciclo 2016 2017
Indicadores ethos ciclo 2016 2017
 
Proposta INNOVATION CO_LAB
Proposta INNOVATION CO_LABProposta INNOVATION CO_LAB
Proposta INNOVATION CO_LAB
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
 
Incubit Apresentação institucional 2011
Incubit Apresentação institucional 2011Incubit Apresentação institucional 2011
Incubit Apresentação institucional 2011
 

Carlos Azevedo - Partilha de Valor

  • 1. VALOR PARTILHADO CARLOS AZEVEDO | DIRETOR ACADÉMICO 9 de maio de 2016
  • 2. A. O IES – SOCIAL BUSINESS SCHOOL Capacitação do ecossistema de inves1mento social e desenvolvimento de novos instrumentos financeiros. Laboratório de InvesGmento Social (LIS) Promoção do contributo das empresas para a resolução de problemas na sociedade. Laboratório de Negócios Sociais (LNS) Iden1ficação e cer1ficação de soluções inovadoras e sustentáveis. Laboratório de Inovação Social (LINOS) Promoção e cer1ficação de ações de formação, desenvolvimento de conhecimento e gestão da comunidade de agentes de mudança. Escola O IES-SBS tem como missão Inspirar e Capacitar para um Mundo Melhor, através do Empreendedorismo Social. Desenvolve a sua ação através de 4 unidades de negócio que tocam os setores público, privado e social. 2
  • 3. A. O IES – SOCIAL BUSINESS SCHOOL As diferentes unidades orgânicas do IES-SBS encontram-se interligadas, contribuindo para a construção de uma economia de impacto. 3 LIS LNS Escola LINOS Os Laboratórios representam conceitos e temas consolidados que se autonomizaram. A Escola é responsável pela supervisão académica e pedagógica, gestão de conhecimento e gestão de agenda de todas as áreas do IES-SBS.
  • 4. B. ESCOLA Capacitação de agentes de impacto. AGvação de Rede AGvação de Rede Expansão da fronteira de conhecimento do IES-SBS. Construção de comunidades vibrantes de aprendizagem. A Escola IES-SBS posiciona-se como a Social Business School de referência na produção, gestão e disseminação de conhecimento e na capacitação de todos os agentes de impacto através de uma oferta complementar e arIculada com a existente nas escolas de negócio tradicionais. 4
  • 5. B. ESCOLA Bootcamp01 Foco no Problema e Solução S4I02 Crescimento Organizacional ISEP03 Disseminação da Solução 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 Programas por Fase do Ciclo de Vida IES powered by INSEAD Programas por Competências Managing Impact Business Programme (MIB) Inovação e CompeGGvidade Modelos de Negócio e Sustentabilidade Gestão de Desempenho e Medição de Impacto Negociação Liderança Comunicação MarkeHng Governance Design Thinking Avaliação de InvesGmento e Gestão de Tesouraria Empreend. Social Comportamental Técnica Tipo de competência A formação pretende capacitar agentes de impacto, oferecendo programas que vão de encontro às diferentes necessidades dos Empreendedores Sociais. 5 Formação Customizada ACADEMIA
  • 6. 6Think Social, Act Business Valor Par(lhado Outros Movimento B Corp 2007 2006 2001/ 2006
  • 7. 7Think Social, Act Business EXEMPLOS DE B CORPS •  MISSÃO: desenvolver os melhores produtos, sem causar danos desnecessários e inspirar e implementar soluções para resolver a crise ambiental •  PRODUTOS: u8lização de algodão orgânico, custo de 50 a 100% mais elevado do que o algodão normal. Desafia/ influencia o mercado – Nike propôs-se chegar a 10% de algodão orgânico nos seus produtos •  COLABORADORES: licença paga até 2 meses para trabalho em organizações com missão ambiental •  COMUNIDADE: doa 1% das receitas para organizações ambientais em todo o mundo PATAGONIA
  • 8. 8Think Social, Act Business EXEMPLOS DE B CORPS CERCO – Construção Civil Integração de reclusos e ex-reclusos na sua força de trabalho
  • 9. 9Think Social, Act Business EXEMPLOS DE B CORPS ColorADD
  • 10. 10 EXEMPLOS VALOR PARTILHADO 10 Grieg Green – Desmantelamento de navios responsável Recentes noOcias têm evidenciado a forma como o sector de navegação marí8ma gere os seus navios em fim de vida: •  Nigeria, May 2, 2012: Abandoned Ships a Rus:ng Hazard in Nigeria Waters •  Pakistan, March 3, 2012: Gaddani Shipbreakers Defy Death Everyday •  Brussels, February 23, 2012: Asbestos s:ll a threat to thousands of workers in the shipbreaking industry Fonte: The Collaboration Economy – How to meet business, social, and environmental need and gain competitive advantage, Eric Lowitt, 2013. A reciclagem destes navios é infame devido à falta de segurança e de standards a nível ambiental. Muitos destes navios, depois de lhes ser re8rado todo o aço valioso para revenda, são abandonados em praias, apodrecendo em países como Bangladesh e outros em desenvolvimento. O custo de desmantelamento destes navios abandonados é incalculavelmente alto, desde o impacto ambiental, às perdas de saúde e vidas humanas, es8mando-se que morrem cerca de 8 pessoas por mês nestes locais, no desmantelamento e remoção destes navios. Desta forma, uma das empresas de transportes marí8mos – Grieg Green –, iniciou um negócio para o desmantelamento responsável de navios. Através deste negócio, esta empresa compra navios em fim de vida às demais empresas do mercado, vendendo os mesmos a desmanteladores responsáveis. A venda dos navios em fim de vida à Grieg Green, por parte das várias empresas, é mo8vada pela transparência que o processo garante para todo o mercado, fazendo com que estas empresas evitem problemas nas transações financeiras e processos judiciais, pelo facto da empresa garan8r a minimização do impacto do desmantelamento para a sociedade e para o ambiente e, ainda, pela compe88vidade do preço, face à tradicional alterna8va. Para a Grieg Green o negócio não só é rentável, como também potencia as relações com as autoridades dos Governos locais e as parcerias com organizações muitas vezes concorrentes, nunca antes pensadas.
  • 11. 11Think Social, Act Business Global de Setores da Dimensão ConWnuo Independente… Moda? Not! Uma tendência que se transforma em cultura empresarial. UM NOVO SISTEMA
  • 12. 12 1. Uma educação segmentada para uma aprendizagem integrada 2. Uma economia de propriedade individual para uma economia do usufruto e fluxo parHlhado 3. Da margem para o mainstrem Maior capacidade criaIva e flexibilidade Melhor uIlização possível dos recursos Traspor práIcas e conceitos para o quoIdiano Interdependência entre setores Integração de todas as dimensões reais de riqueza Transformação dos indivíduos Par(cipação e responsabilização VALOR PARTILHADO: SE NÃO NÓS QUEM? SE NÃO AGORA, QUANDO?
  • 14. IES-Social Business School CASCAIS | PORTO | MAPUTO ies-sbs.org facebook.com/IES.SBS +351 21 486 81 02