Redescobrir os Lugares da História

454 visualizações

Publicada em

Apresentação, Sessão 1, Curso Redescobrir os Lugares da História - Visitas de Estudo.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
454
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redescobrir os Lugares da História

  1. 1. Redescobrir os Lugares da História Sessão 1
  2. 3. Lugares
  3. 5. Não-Lugares
  4. 7. Arte
  5. 11. Educação pela Arte
  6. 12. <ul><li>A Educação pela Arte poderá ser definida como o desenvolvimento da criatividade e das capacidades de expressão e comunicação de cada um. Tem por base a realização pessoal, apelando muito à imaginação e espontaneidade do indivíduo. Quando se fala em educação pela Arte, dá-se ênfase a todas as formas de expressão que o ser humano possui e é capaz de desenvolver. A pessoa deve ser estimulado para tomar consciência das suas emoções e a expressá-las, exteriorizando-as </li></ul>
  7. 14. Visita
  8. 16. <ul><li>O que distingue a visita de estudo de um passeio ou excursão é a sua integração no processo ensino-aprendizagem, bem como a sua planificação e preparação cuidada. Na preparação de uma visita, o primeiro momento será a definição dos objectivos . </li></ul><ul><li>As visitas de estudo possibilitam o desenvolvimento de várias competências e capacidades : a aquisição e aplicação de técnicas de pesquisa, recolha e tratamento de informação; o desenvolvimento de capacidades de observação e organização do trabalho, bem como a elaboração de sínteses e relatórios. </li></ul>
  9. 17. Ponto de Partida
  10. 18. Exploratória Livre
  11. 19. Orientada
  12. 20. Roteiros de Exploração/Workshops
  13. 22. <ul><li>A visita guiada, ou dirigida - por professores ou por guias -, valoriza, sobretudo, a transmissão de conhecimentos. O carácter expositivo remete os alunos para um papel passivo, sendo difícil mantê-los atentos e mobilizados para o que está a ser dito e mostrado. Este tipo de visita é, muitas vezes, utilizado para ilustrar um tema já leccionado. Mesmo assim, do ponto de vista didáctico, os resultados são pobres, porque não é solicitada a participação do aluno. A atenção do grupo - que deve ser pequeno - pode ser estimulada através de perguntas, esclarecimentos, registo de apontamentos… O período de exposição deve ser curto e não conter excesso de informação . </li></ul>
  14. 23. <ul><li>Na visita de descoberta , os alunos têm um papel activo: orientados por um guião, por fichas com informação ou por indicações informais, os alunos progridem no local a visitar. </li></ul><ul><li>Neste tipo de visita, o aluno assume um papel activo , tornando-a mais motivadora. Os professores são elementos disponíveis, a quem os alunos recorrem para tirar dúvidas e pedir esclarecimentos. Acompanhando os alunos, podem fornecer informações complementares e colocar questões que estimulem os alunos nas suas observações e registos. </li></ul>
  15. 24. FIM

×