SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
De professor
para professor
2
Bons estudos
Uma proposta de
aperfeiçoamento profissional
para professores dos Anos
Iniciais ( 4º e 5º )
Matemática
4
A importância da Matemática
Todos nós já fizemos ou já ouvimos perguntas do tipo:
A importancia da matematica “Porque esse monstro existe?”; “Para que serve a
Matemática na minha vida?”;
“Porque eu preciso estudar Matemática?”; Qual é a importância da Matemática
na minha vida?”
São perguntas muito comuns feitas por pessoas que não gostam do assunto
ou que nem se deram conta de sua infinita importância em nosso cotidiano.
Como vou mostrar, ela aparece cada vez mais no nosso dia a dia, de forma
muito intensa e simplesmente posso garantir que não vivemos sem ela.
Você quer uma prova? Passe no mínimo uma hora do seu dia sem estar ligado
ou relacionado a números. Isso é impossível, pois estamos ligados a eles o
tempo todo, desde o momento que acordamos. Temos que acordar com o
despertador marcando um “número”, temos que calcular o tempo que levamos
até chegar no trabalho, escola, etc. e ai estão mais números!
5
Utilizando a Matemática no dia a dia
A História da Matemática torna-se um importante instrumento para a melhoria
do processo de ensino e aprendizagem da mesma, possibilitando assim
entender conceitos a partir de sua criação, levando em consideração todas
suas alterações no decorrer da história, facilitando desse modo à compreensão
para os alunos, bem como despertando sua curiosidade e principalmente
interesse para futuras pesquisas (OLIVEIRA; ALVES; NEVES, 2008).
A matemática é utilizada no dia a dia para facilitar a vida do ser humano, pois
tudo que acontece ao nosso redor está diretamente ligada a esta disciplina.
Seja fazendo compras no supermercado: somando o quanto irá gastar, calcular
o troco, calcular possíveis descontos; na rotina de casa: fazendo uma receita,
calculando os itens que devem ser colocados em unidades, peso e etc.; para
se locomover: calculando quanto se deve colocar de gasolina de acordo com o
percurso realizado e valor do combustível, quanto tempo se gasta de um lugar
ao outro, calcular possíveis gastos extras de uma viagem; no trabalho:
calculando o pagamento da previdência, calcular as férias, calcular o valor do
décimo terceiro, valor do salário; e assim por diante.
6
Com o decorrer do tempo, com o avanço científico e tecnológico em destaque,
a matemática tornou-se essencial na sociedade devido a sua necessidade
diária, pois está ligada a vários ramos, como a economia, finanças, saúde,
engenharia, entre outras. Com isso, o estímulo ao estudo e compreensão da
matéria tendem a aumentar consideravelmente, sendo transmitida aos alunos
de uma forma moderna, contextualizada, invocando os fatos e acontecimentos
diários diretamente ligados as suas operações.
Importante papel que o professor de matemática deve desempenhar é o de
contribuir para que os alunos aprendam a gostar da mesma e aumente sua
autoestima. Uma maneira disso acontecer é estudar e se aprimorar sobre
algumas das principais causas das dificuldades na aprendizagem da
matemática, obtendo assim avanços e consequentemente melhores resultados
no ensino desta disciplina (SANTOS; FRANÇA; BRUM DOS SANTOS, 2007).
Desta forma, o professor tem um papel importantíssimo, sendo responsável por
agregar um sistema pedagógico que atraia o aluno de forma natural a participar
da aula, causando-o a curiosidade e aprofundando seu conhecimento na
disciplina. Trabalhando em cima das dificuldades para diminuí-las, e assim
elevando a sua autoestima, surge o interesse do mesmo para esta disciplina.
7
Os métodos de ensino e o currículo escolar devem atender ás necessidades
dos alunos, estando de acordo com a realidade por eles vivida. A disciplina
pode estar mais ligada a questões do cotidiano para que possa fazer sentido
ao aluno e este se sinta mais motivado em aprender e lidar com problemas
enfrentados habitualmente (ALMEIDA, 2006, p. 10)
Na sala de aula, o professor de matemática enfrenta essas dificuldades
diariamente, apenas seguindo os critérios que os mesmos adotam, sem seguir
uma prática ou teoria concreta. Assim, Santos, França e Brum dos Santos
(2007) ressaltam a importância de se conhecer diversas possibilidades de
trabalho em sala de aula para que o professor construa a sua prática.
Destacando a importância de se trabalhar com a história da matemática, as
tecnologias da comunicação e os jogos como instrumentos metodológicos
capazes de fornecer os contextos dos problemas e assim, construir estratégias
para solução de tais problemas.
Diversos métodos e técnicas poderão ser utilizados pelo docente em sala de
aula para exemplificar e transmitir os assuntos, desde materiais figurativos
como virtuais, utilizando a tecnologia. Passando por dinâmicas grupais onde
são trabalhadas metodologias contextuais, construindo seguimento para definir
soluções para os problemas expostos pela atividade.
8
Existem vários exemplos da utilização da matemática no cotidiano que são
importantes para o professor aplicar em sala de aula, pois ao transmitirem seus
conhecimentos, repassam aos alunos situações diárias comparando com a
realidade mais próxima, refletindo num melhor aprendizado e ao mesmo tempo
estimulando o raciocínio lógico.
A matemática não deve ser vista apenas como pré-requisito para estudos
posteriores. É preciso que o ensino esteja voltado à formação do cidadão, que
utiliza cada vez mais conceitos matemáticos em sua rotina (PCN – Edição
Especial, p.51).
9
REFERÊNCIAS
ALMEIDA, S. C. Dificuldades de aprendizagem em Matemática e a percepção dos professores
em relação a fatores associados ao insucesso nesta área. Brasília: UCB, 2006.
EBERHARDT, I. F. N.; COUTINHO, C. V. S. Dificuldades de Aprendizagem em Matemática nas
Séries Iniciais: diagnóstico e intervenções. Vivências. Erechim, RS, v. 7, n. 13, p. 62-70, out.,
2011.
PCNs Fáceis de Entender. Nova Escola. Abril. Edição Especial. São Paulo, SP.
OLIVEIRA, J. S. B.; ALVES, A. X.; NEVES, S. S. M. História da Matemática: contribuições e
descobertas para o ensino-aprendizagem de matemática. Belém: SBEM, 2008.
SANTOS, J. A.; FRANÇA, K. V; BRUM dos SANTOS, L. S. Dificuldades na Aprendizagem de
Matemática. 2007. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso. – Graduação em Licenciatura em
Matemática do Centro Universitário Adventista de São Paulo, São Paulo, 2007.
10
SUGESTÕES DE ESTUDOS PARA PROFESSORES DO 4º E 5º ANO DAS SÉRIES
INICIAIS
11
NÚMEROS
• A criança se percebendo como construtora do
Sistema de Numeração Decimal
Cristiano Alberto Muniz
https://drive.google.com/file/d/0B_G1efOfKl8WY3A4dDExRENOS3c/view?usp=sharing
• Sistema de Numeração Decimal - Pnaic
https://pt.slideshare.net/AlineCaixeta/caderno-pnaic-3-construo-do-sistema-de-numerao-
decimal
https://pt.slideshare.net/ElieneDias/pnaic-matemtica-caderno-3-construo-
snd?next_slideshow=1
12
FICHAS SOBREPOSTAS ( AUXÍLIO PARA O TRABALHO DO PROFESSOR)
As fichas sobrepostas são um ótimo recurso para explorar as propriedades do
sistema de numeração decimal, auxiliando o aluno a interpretar e produzir
escritas numéricas.
As propostas com esse material auxiliam o aluno a:
• perceber a relação entre a escrita numérica e o valor posicional;
• ler, escrever e comparar números naturais pela compreensão das
características do sistema de numeração decimal;
• relacionar um número no sistema de numeração decimal com sua
decomposição nas ordens do sistema
• compor e decompor números naturais nas ordens do sistema de
numeração decimal.
13
Sugerimos que esse material seja usado a partir do 2º ano do Ensino
Fundamental, pois permitirá ao aluno “ver” em 254, por exemplo, tanto as
duzentas e cinquenta e quatro unidades, quanto as vinte e cinco dezenas ou as
duas centenas que o compõem.
Sempre é importante que você tenha clareza dos objetivos e do potencial do
recurso e da atividade escolhida.
Outro aspecto importante é com relação à prática de sala de aula com as fichas
sobrepostas. O aluno precisa ser motivado a investigar, levantar hipóteses
sobre elas, ser estimulado a observar regularidades, utilizar a linguagem oral,
os registros informais e a linguagem matemática.
É importante que o aluno perceba que cada algarismo possui um valor,
dependendo da posição que ocupa na escrita: em 142, por exemplo, o 1 vale
100, o 4 vale 40 e o 2 vale 2, por isso eles usam as fichas.
14
O importante é problematizar para que o aluno reflita ao utilizar o material e,
não apenas manipule de forma mecânica.
Podemos perguntar: Quantas unidades há em 452? Queremos que ele perceba
que são 452 e não apenas 2. Já ao questionar: “ Qual o número que aparece
na posição das unidades?”, deseja-se o 2 como resposta.
É importante que ao usar o material, o aluno tenha oportunidade de
compreender o sistema de numeração decimal, buscando regularidades e não
resolvendo atividades mecanicamente, aumentando o grau de dificuldade de
acordo com o ano trabalhado.
Vídeo - Fichas Escalonadas:
https://www.youtube.com/watch?v=2AZ5a79gg74
15
ÁLGEBRA
4º Ano
4º ano EF, Álgebra, BNCC, BNCC | Matemática, BNCC | Matemática no Ensino Fundamental,
Ensino Fundamental, Materiais para Professores 27/04/2019
Quando falamos sobre Compreender os critérios de formação de uma
sequência numérica estamos falando de números, correto? Na verdade, a
resposta é: estamos falando de números, mas também estamos falando de
Álgebra! Vamos falar um pouco sobre isso neste capítulo, que trata do
desenvolvimento do pensamento algébrico, de acordo com as proposições da
BNCC para o 4º ano do Ensino Fundamental.
Assista ao conteúdo deste post nos vídeos a seguir!
16
http://gutoazevedo.com.br/bncc-matematica-algebra-no-4o-ano-do-ensino-fundamental/
https://youtu.be/sK85h8laTRQ
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/75/igualdade-como-equivalencia
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/258/diferencas-iguais-parte-ii
17
5º ano
5º ano EF, Álgebra, BNCC, BNCC | Matemática, BNCC | Matemática no Ensino Fundamental,
Ensino Fundamental, Materiais para Professores 27/04/2019
Se você pensa que resolver equações é coisa do 7º ano do Ensino
Fundamental, eu preciso dizer que não. No 4º e no 5º ano os estudantes já
podem estudar isso, é o que propõe a BNCC.
18
http://gutoazevedo.com.br/bncc-matematica-algebra-no-5o-ano-do-ensino-fundamental/
https://youtu.be/sQ1UI2eT1hA
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1251/trabalhando-equivalencia-na-multiplicacao
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1245/descobrindo-equivalencia-usando-adicao-e-subtracao
19
Geometria
https://wp.ufpel.edu.br/antoniomauricio/files/2017/11/5_Caderno-5_pg001-096.pdf
4º ANO e 5º ano
-Materiais virtuais para o ensino da Geometria (páginas 43 a 45).
Andréia Aparecida da Silva Brito
- Localização e movimentação no espaço (páginas 46 e 47).
Antonio Vicente Marafioti Garnica
Maria Ednéia Martins-Saladi
20
Grandezas e medidas
http://www.piraquara.pr.gov.br/aprefeitura/secretariaseorgaos/educacao/uploadAddress/PNAIC
_MAT_Caderno_6_pg001-080%5B3668%5D.pdf
4º Ano - A medida em nossas vidas ( páginas13 a 17).
A impotância de ensinar grandezas e medidas (páginas 18 a 23).
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/612/medidas-de-massa-e-suas-equivalencias
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1651/transformando-medida-de-tempo
21
PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA
4º Ano e 5º Ano
• Conceitos básicos de probabilidade
RobsonLuiz
https://escolakids.uol.com.br/matematica/probabilidade.htm
22
• Construção e interpretação de gráficos e tabelas.
Gilda Guimarães
Izabella Oliveira
https://wp.ufpel.edu.br/obeducpacto/files/2019/08/Unidade-7-
3.pdf
https://wp.ufpel.edu.br/obeducpacto/files/2019/08/Unidade-7-3.pdf
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1171/probabilidade-do-impossivel
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/494/representando-probabilidade-com-fracoes
https://novaescola.org.br/plano-de-aula/329/o-que-e-espaco-amostral
Senhores professores, esperamos que tenha sido útil e
produtivo os estudos até aqui.
Em caso de dúvidas ou sugestões, estamos disponíveis no
e-mail eppseed@gmail.com
Equipe de Práticas Pedagógicas – Fundamental I
24

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Material-de-MAtemática-para-Professores-do-4º-e-5º-anos-1.pdf

Pnaic mat caderno 4_pg001-088
Pnaic mat caderno 4_pg001-088Pnaic mat caderno 4_pg001-088
Pnaic mat caderno 4_pg001-088
weleslima
 
Dos naturais aos racionais. texto
Dos naturais aos racionais. textoDos naturais aos racionais. texto
Dos naturais aos racionais. texto
CidaLoth
 
Projeto grupotimesemana3e4 (1)
Projeto grupotimesemana3e4 (1)Projeto grupotimesemana3e4 (1)
Projeto grupotimesemana3e4 (1)
nunomarx76
 
Asa correio da_educacaofev2011
Asa correio da_educacaofev2011Asa correio da_educacaofev2011
Asa correio da_educacaofev2011
pr_afsalbergaria
 
Atps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematicaAtps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematica
mkbariotto
 
Atps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematicaAtps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematica
mkbariotto
 

Semelhante a Material-de-MAtemática-para-Professores-do-4º-e-5º-anos-1.pdf (20)

Pnaic mat caderno 4_pg001-088
Pnaic mat caderno 4_pg001-088Pnaic mat caderno 4_pg001-088
Pnaic mat caderno 4_pg001-088
 
Dos naturais aos racionais. texto
Dos naturais aos racionais. textoDos naturais aos racionais. texto
Dos naturais aos racionais. texto
 
Orientações matemática para planejamento escolar de Matemática
Orientações matemática para planejamento escolar de MatemáticaOrientações matemática para planejamento escolar de Matemática
Orientações matemática para planejamento escolar de Matemática
 
Uma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completaUma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completa
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
 
Apostila 3 bim 7 ano escola nova
Apostila 3 bim 7 ano escola novaApostila 3 bim 7 ano escola nova
Apostila 3 bim 7 ano escola nova
 
Metodologia da matematca2
Metodologia da matematca2Metodologia da matematca2
Metodologia da matematca2
 
Modulo matematica
Modulo matematicaModulo matematica
Modulo matematica
 
Matemática 4º ano
Matemática   4º anoMatemática   4º ano
Matemática 4º ano
 
Matemática 4º ano
Matemática   4º anoMatemática   4º ano
Matemática 4º ano
 
A psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientadorA psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientador
 
Sintese do mestrado
Sintese do mestradoSintese do mestrado
Sintese do mestrado
 
Projeto grupotimesemana3e4 (1)
Projeto grupotimesemana3e4 (1)Projeto grupotimesemana3e4 (1)
Projeto grupotimesemana3e4 (1)
 
Programa de Matemática 3º e 4º anos - experimentação
Programa de Matemática 3º e 4º anos - experimentaçãoPrograma de Matemática 3º e 4º anos - experimentação
Programa de Matemática 3º e 4º anos - experimentação
 
A viabilidade da construção do conhecimento
A viabilidade da construção do conhecimentoA viabilidade da construção do conhecimento
A viabilidade da construção do conhecimento
 
A viabilidade da construção do conhecimento de números
A viabilidade da construção do conhecimento de númerosA viabilidade da construção do conhecimento de números
A viabilidade da construção do conhecimento de números
 
A viabilidade da construção do conhecimento
A viabilidade da construção do conhecimentoA viabilidade da construção do conhecimento
A viabilidade da construção do conhecimento
 
Asa correio da_educacaofev2011
Asa correio da_educacaofev2011Asa correio da_educacaofev2011
Asa correio da_educacaofev2011
 
Atps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematicaAtps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematica
 
Atps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematicaAtps fundamentos de matematica
Atps fundamentos de matematica
 

Mais de GalbertoGomesOliveir1

Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdfProjeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
GalbertoGomesOliveir1
 
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
GalbertoGomesOliveir1
 
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
GalbertoGomesOliveir1
 

Mais de GalbertoGomesOliveir1 (19)

1-Teoria do consumidor e da demanda (A).ppt
1-Teoria do consumidor e da demanda (A).ppt1-Teoria do consumidor e da demanda (A).ppt
1-Teoria do consumidor e da demanda (A).ppt
 
potenciacao.ppt
potenciacao.pptpotenciacao.ppt
potenciacao.ppt
 
LDB_2012_mar2016.ppt
LDB_2012_mar2016.pptLDB_2012_mar2016.ppt
LDB_2012_mar2016.ppt
 
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (2).ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (2).ppt56836Historia_da_educacao_no_Brasil (2).ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (2).ppt
 
56836Historia_da_educacao_no_Brasil.ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil.ppt56836Historia_da_educacao_no_Brasil.ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil.ppt
 
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (1).ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (1).ppt56836Historia_da_educacao_no_Brasil (1).ppt
56836Historia_da_educacao_no_Brasil (1).ppt
 
6matematicabncc.pdf
6matematicabncc.pdf6matematicabncc.pdf
6matematicabncc.pdf
 
Conceito de ação social em Max Weber.pdf
Conceito de ação social em Max Weber.pdfConceito de ação social em Max Weber.pdf
Conceito de ação social em Max Weber.pdf
 
O que é etnologia.pdf
O que é etnologia.pdfO que é etnologia.pdf
O que é etnologia.pdf
 
Conceito de ação social em Max Weber.docx
Conceito de ação social em Max Weber.docxConceito de ação social em Max Weber.docx
Conceito de ação social em Max Weber.docx
 
Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdfProjeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
Projeto-Colônia-de-Férias-PiquePega-na-COLPOL-e-SINDPOL-2020-divulgação-1.pdf
 
roteiro-para-elaborac3a7c3a3o-de-projetos.ppt
roteiro-para-elaborac3a7c3a3o-de-projetos.pptroteiro-para-elaborac3a7c3a3o-de-projetos.ppt
roteiro-para-elaborac3a7c3a3o-de-projetos.ppt
 
fdocumentos.tips_teoria-de-wilhelm-reich.ppt
fdocumentos.tips_teoria-de-wilhelm-reich.pptfdocumentos.tips_teoria-de-wilhelm-reich.ppt
fdocumentos.tips_teoria-de-wilhelm-reich.ppt
 
sld_1 (3).pdf
sld_1 (3).pdfsld_1 (3).pdf
sld_1 (3).pdf
 
apresentacao Raph MEC BNCC.pptx
apresentacao Raph MEC BNCC.pptxapresentacao Raph MEC BNCC.pptx
apresentacao Raph MEC BNCC.pptx
 
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
silo.tips_as-tecnicas-de-analise-do-ponto-de-equilibrio-e-sua-aplicaao-amanda...
 
aula-3-demanda-oferta-e-equilc3adbrio-de-mercado.ppt
aula-3-demanda-oferta-e-equilc3adbrio-de-mercado.pptaula-3-demanda-oferta-e-equilc3adbrio-de-mercado.ppt
aula-3-demanda-oferta-e-equilc3adbrio-de-mercado.ppt
 
Operações com frações adição, subtração.ppt
Operações com frações adição, subtração.pptOperações com frações adição, subtração.ppt
Operações com frações adição, subtração.ppt
 
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
Esporte Organização do conhecimento do Esporte enquanto fenômeno social, conc...
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 

Último (20)

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 

Material-de-MAtemática-para-Professores-do-4º-e-5º-anos-1.pdf

  • 3. Uma proposta de aperfeiçoamento profissional para professores dos Anos Iniciais ( 4º e 5º ) Matemática
  • 4. 4 A importância da Matemática Todos nós já fizemos ou já ouvimos perguntas do tipo: A importancia da matematica “Porque esse monstro existe?”; “Para que serve a Matemática na minha vida?”; “Porque eu preciso estudar Matemática?”; Qual é a importância da Matemática na minha vida?” São perguntas muito comuns feitas por pessoas que não gostam do assunto ou que nem se deram conta de sua infinita importância em nosso cotidiano. Como vou mostrar, ela aparece cada vez mais no nosso dia a dia, de forma muito intensa e simplesmente posso garantir que não vivemos sem ela. Você quer uma prova? Passe no mínimo uma hora do seu dia sem estar ligado ou relacionado a números. Isso é impossível, pois estamos ligados a eles o tempo todo, desde o momento que acordamos. Temos que acordar com o despertador marcando um “número”, temos que calcular o tempo que levamos até chegar no trabalho, escola, etc. e ai estão mais números!
  • 5. 5 Utilizando a Matemática no dia a dia A História da Matemática torna-se um importante instrumento para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem da mesma, possibilitando assim entender conceitos a partir de sua criação, levando em consideração todas suas alterações no decorrer da história, facilitando desse modo à compreensão para os alunos, bem como despertando sua curiosidade e principalmente interesse para futuras pesquisas (OLIVEIRA; ALVES; NEVES, 2008). A matemática é utilizada no dia a dia para facilitar a vida do ser humano, pois tudo que acontece ao nosso redor está diretamente ligada a esta disciplina. Seja fazendo compras no supermercado: somando o quanto irá gastar, calcular o troco, calcular possíveis descontos; na rotina de casa: fazendo uma receita, calculando os itens que devem ser colocados em unidades, peso e etc.; para se locomover: calculando quanto se deve colocar de gasolina de acordo com o percurso realizado e valor do combustível, quanto tempo se gasta de um lugar ao outro, calcular possíveis gastos extras de uma viagem; no trabalho: calculando o pagamento da previdência, calcular as férias, calcular o valor do décimo terceiro, valor do salário; e assim por diante.
  • 6. 6 Com o decorrer do tempo, com o avanço científico e tecnológico em destaque, a matemática tornou-se essencial na sociedade devido a sua necessidade diária, pois está ligada a vários ramos, como a economia, finanças, saúde, engenharia, entre outras. Com isso, o estímulo ao estudo e compreensão da matéria tendem a aumentar consideravelmente, sendo transmitida aos alunos de uma forma moderna, contextualizada, invocando os fatos e acontecimentos diários diretamente ligados as suas operações. Importante papel que o professor de matemática deve desempenhar é o de contribuir para que os alunos aprendam a gostar da mesma e aumente sua autoestima. Uma maneira disso acontecer é estudar e se aprimorar sobre algumas das principais causas das dificuldades na aprendizagem da matemática, obtendo assim avanços e consequentemente melhores resultados no ensino desta disciplina (SANTOS; FRANÇA; BRUM DOS SANTOS, 2007). Desta forma, o professor tem um papel importantíssimo, sendo responsável por agregar um sistema pedagógico que atraia o aluno de forma natural a participar da aula, causando-o a curiosidade e aprofundando seu conhecimento na disciplina. Trabalhando em cima das dificuldades para diminuí-las, e assim elevando a sua autoestima, surge o interesse do mesmo para esta disciplina.
  • 7. 7 Os métodos de ensino e o currículo escolar devem atender ás necessidades dos alunos, estando de acordo com a realidade por eles vivida. A disciplina pode estar mais ligada a questões do cotidiano para que possa fazer sentido ao aluno e este se sinta mais motivado em aprender e lidar com problemas enfrentados habitualmente (ALMEIDA, 2006, p. 10) Na sala de aula, o professor de matemática enfrenta essas dificuldades diariamente, apenas seguindo os critérios que os mesmos adotam, sem seguir uma prática ou teoria concreta. Assim, Santos, França e Brum dos Santos (2007) ressaltam a importância de se conhecer diversas possibilidades de trabalho em sala de aula para que o professor construa a sua prática. Destacando a importância de se trabalhar com a história da matemática, as tecnologias da comunicação e os jogos como instrumentos metodológicos capazes de fornecer os contextos dos problemas e assim, construir estratégias para solução de tais problemas. Diversos métodos e técnicas poderão ser utilizados pelo docente em sala de aula para exemplificar e transmitir os assuntos, desde materiais figurativos como virtuais, utilizando a tecnologia. Passando por dinâmicas grupais onde são trabalhadas metodologias contextuais, construindo seguimento para definir soluções para os problemas expostos pela atividade.
  • 8. 8 Existem vários exemplos da utilização da matemática no cotidiano que são importantes para o professor aplicar em sala de aula, pois ao transmitirem seus conhecimentos, repassam aos alunos situações diárias comparando com a realidade mais próxima, refletindo num melhor aprendizado e ao mesmo tempo estimulando o raciocínio lógico. A matemática não deve ser vista apenas como pré-requisito para estudos posteriores. É preciso que o ensino esteja voltado à formação do cidadão, que utiliza cada vez mais conceitos matemáticos em sua rotina (PCN – Edição Especial, p.51).
  • 9. 9 REFERÊNCIAS ALMEIDA, S. C. Dificuldades de aprendizagem em Matemática e a percepção dos professores em relação a fatores associados ao insucesso nesta área. Brasília: UCB, 2006. EBERHARDT, I. F. N.; COUTINHO, C. V. S. Dificuldades de Aprendizagem em Matemática nas Séries Iniciais: diagnóstico e intervenções. Vivências. Erechim, RS, v. 7, n. 13, p. 62-70, out., 2011. PCNs Fáceis de Entender. Nova Escola. Abril. Edição Especial. São Paulo, SP. OLIVEIRA, J. S. B.; ALVES, A. X.; NEVES, S. S. M. História da Matemática: contribuições e descobertas para o ensino-aprendizagem de matemática. Belém: SBEM, 2008. SANTOS, J. A.; FRANÇA, K. V; BRUM dos SANTOS, L. S. Dificuldades na Aprendizagem de Matemática. 2007. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso. – Graduação em Licenciatura em Matemática do Centro Universitário Adventista de São Paulo, São Paulo, 2007.
  • 10. 10 SUGESTÕES DE ESTUDOS PARA PROFESSORES DO 4º E 5º ANO DAS SÉRIES INICIAIS
  • 11. 11 NÚMEROS • A criança se percebendo como construtora do Sistema de Numeração Decimal Cristiano Alberto Muniz https://drive.google.com/file/d/0B_G1efOfKl8WY3A4dDExRENOS3c/view?usp=sharing • Sistema de Numeração Decimal - Pnaic https://pt.slideshare.net/AlineCaixeta/caderno-pnaic-3-construo-do-sistema-de-numerao- decimal https://pt.slideshare.net/ElieneDias/pnaic-matemtica-caderno-3-construo- snd?next_slideshow=1
  • 12. 12 FICHAS SOBREPOSTAS ( AUXÍLIO PARA O TRABALHO DO PROFESSOR) As fichas sobrepostas são um ótimo recurso para explorar as propriedades do sistema de numeração decimal, auxiliando o aluno a interpretar e produzir escritas numéricas. As propostas com esse material auxiliam o aluno a: • perceber a relação entre a escrita numérica e o valor posicional; • ler, escrever e comparar números naturais pela compreensão das características do sistema de numeração decimal; • relacionar um número no sistema de numeração decimal com sua decomposição nas ordens do sistema • compor e decompor números naturais nas ordens do sistema de numeração decimal.
  • 13. 13 Sugerimos que esse material seja usado a partir do 2º ano do Ensino Fundamental, pois permitirá ao aluno “ver” em 254, por exemplo, tanto as duzentas e cinquenta e quatro unidades, quanto as vinte e cinco dezenas ou as duas centenas que o compõem. Sempre é importante que você tenha clareza dos objetivos e do potencial do recurso e da atividade escolhida. Outro aspecto importante é com relação à prática de sala de aula com as fichas sobrepostas. O aluno precisa ser motivado a investigar, levantar hipóteses sobre elas, ser estimulado a observar regularidades, utilizar a linguagem oral, os registros informais e a linguagem matemática. É importante que o aluno perceba que cada algarismo possui um valor, dependendo da posição que ocupa na escrita: em 142, por exemplo, o 1 vale 100, o 4 vale 40 e o 2 vale 2, por isso eles usam as fichas.
  • 14. 14 O importante é problematizar para que o aluno reflita ao utilizar o material e, não apenas manipule de forma mecânica. Podemos perguntar: Quantas unidades há em 452? Queremos que ele perceba que são 452 e não apenas 2. Já ao questionar: “ Qual o número que aparece na posição das unidades?”, deseja-se o 2 como resposta. É importante que ao usar o material, o aluno tenha oportunidade de compreender o sistema de numeração decimal, buscando regularidades e não resolvendo atividades mecanicamente, aumentando o grau de dificuldade de acordo com o ano trabalhado. Vídeo - Fichas Escalonadas: https://www.youtube.com/watch?v=2AZ5a79gg74
  • 15. 15 ÁLGEBRA 4º Ano 4º ano EF, Álgebra, BNCC, BNCC | Matemática, BNCC | Matemática no Ensino Fundamental, Ensino Fundamental, Materiais para Professores 27/04/2019 Quando falamos sobre Compreender os critérios de formação de uma sequência numérica estamos falando de números, correto? Na verdade, a resposta é: estamos falando de números, mas também estamos falando de Álgebra! Vamos falar um pouco sobre isso neste capítulo, que trata do desenvolvimento do pensamento algébrico, de acordo com as proposições da BNCC para o 4º ano do Ensino Fundamental. Assista ao conteúdo deste post nos vídeos a seguir!
  • 17. 17 5º ano 5º ano EF, Álgebra, BNCC, BNCC | Matemática, BNCC | Matemática no Ensino Fundamental, Ensino Fundamental, Materiais para Professores 27/04/2019 Se você pensa que resolver equações é coisa do 7º ano do Ensino Fundamental, eu preciso dizer que não. No 4º e no 5º ano os estudantes já podem estudar isso, é o que propõe a BNCC.
  • 19. 19 Geometria https://wp.ufpel.edu.br/antoniomauricio/files/2017/11/5_Caderno-5_pg001-096.pdf 4º ANO e 5º ano -Materiais virtuais para o ensino da Geometria (páginas 43 a 45). Andréia Aparecida da Silva Brito - Localização e movimentação no espaço (páginas 46 e 47). Antonio Vicente Marafioti Garnica Maria Ednéia Martins-Saladi
  • 20. 20 Grandezas e medidas http://www.piraquara.pr.gov.br/aprefeitura/secretariaseorgaos/educacao/uploadAddress/PNAIC _MAT_Caderno_6_pg001-080%5B3668%5D.pdf 4º Ano - A medida em nossas vidas ( páginas13 a 17). A impotância de ensinar grandezas e medidas (páginas 18 a 23). https://novaescola.org.br/plano-de-aula/612/medidas-de-massa-e-suas-equivalencias https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1651/transformando-medida-de-tempo
  • 21. 21 PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA 4º Ano e 5º Ano • Conceitos básicos de probabilidade RobsonLuiz https://escolakids.uol.com.br/matematica/probabilidade.htm
  • 22. 22 • Construção e interpretação de gráficos e tabelas. Gilda Guimarães Izabella Oliveira https://wp.ufpel.edu.br/obeducpacto/files/2019/08/Unidade-7- 3.pdf https://wp.ufpel.edu.br/obeducpacto/files/2019/08/Unidade-7-3.pdf https://novaescola.org.br/plano-de-aula/1171/probabilidade-do-impossivel https://novaescola.org.br/plano-de-aula/494/representando-probabilidade-com-fracoes https://novaescola.org.br/plano-de-aula/329/o-que-e-espaco-amostral
  • 23. Senhores professores, esperamos que tenha sido útil e produtivo os estudos até aqui. Em caso de dúvidas ou sugestões, estamos disponíveis no e-mail eppseed@gmail.com Equipe de Práticas Pedagógicas – Fundamental I
  • 24. 24