SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 66
Baixar para ler offline
• Matrizes produtivas:
• Agricultura
•Transporte
•Energia
AspectosAspectos econômicoseconômicos
Matriz produtiva agropecuáriaMatriz produtiva agropecuária
• A agropecuária tocantinse ficou por quase dois séculos
limitada a uma produção para auto-consumo.
• Com a falta de assistência e recursos, não existia
preocupação com a conservação do solo.
• Situação explicada pelo professor Antônio Teixeira Neto:
A agricultura antes de se transformar em atividade
comercial, só alimentava as pessoas em volta dos
pequenos arraias.
A pecuária, antes de se transforma em intensiva e
altamente cientifica e tecnológica, foi praticada
extensivamente, à solta, sobre as imensas pastagens.
A agropecuária tocantinense, apesar ter sido uma
das primeiras atividades econômica, ficou, por quase
dois séculos limitada a uma produção para auto
consumo.
A exploração agrícola extensiva com o mínimo de
investimento,onde as lavouras eram geralmente em
regime de trabalho familiar.
Praticava-se a policultura: a lavoura sob queimada,
também conhecida como roça de touco.
A vida na zona rural,era muito simples.
• Uma grande melhoria ao estado foi a criação da
Belém Brasília em 1960.
• Mas mesmo com essas melhorias e avanços, a
criação bovina continuo sendo uma atividade
predominante extensiva e com baixos índices de
rendimentos.
A pastagem tinha pouco valor alimentar, onde
predominava o gado nativo conhecido como
“curraleiro”
Na década de 1970, tanto a agricultura como a pecuária
passaram a ser prioridades nos programas dos
presidentes militares.
Eles incentivaram ocupação a ocupação da região do
Cerrado e da Amazônia,financiando grandes projetos
agrícolas, através do Polocentro (O Programa de
Desenvolvimento dos Cerrado).
 Criado no início do governo Geisel, em 1975,
“destinava-se à construção de armazéns.
Apoiar à pesquisa e assistência técnica, ao sistema
de transporte, à rede de energia e exploração do
calcário”.
O desenvolvimento e a modernização das
atividades agropecuárias da região Centro-Oeste
e do oeste do Estado de Minas Gerais.
PRODECER: Programa de Cooperação Nipo-brasileiro
para o Desenvolvimento
do Cerrado. Enfatiza a construção territorial pelo viés
do Estado, políticas públicas e corporações
internacionais.
É um dos únicos programas direcionados para a
ocupação do Cerrado a ter se efetivado e
permanecido em funcionamento no Brasil, com
resultados satisfatórios, desde os governos militares
até os dias atuais.
Estruturou-se em etapas, incorporando uma área
total de 350 mil hectares nos Estados de Minas
Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul,
Bahia, Tocantins e Maranhão.
A pesquisa, em construção, privilegiará o território
enquanto categoria de análise no entendimento do
espaço agrário, enfatizando a reestruturação
produtiva do Cerrado pelo viés da inserção do Meio
Técnico-Científico-Informacional.
Mudanças do Meio Técnico-
científico Informal
Infraestrutura
Agroindústria
Biodiesel/Frederyk Borges – Governo do Tocantins
Marco Vieira/ Governo do Tocantins
Já em 1990, sob a criação do estados o cenário
foi modificado os investimentos também passou a
ser para implantação de projetos de irrigação.
Produção de bananas, Projeto Manuel Alves, Tocantins
O processo de irrigação das lavouras, o Tocantins
conta com muita água disponível.
O Tocantins desponta atualmente como o “novo
polo agrícola do Brasil”.
 São terras férteis, de valor competitivo no mercado
e de topografia plana, o que favorece o processo de
mecanização agrícola.
o tempo maior de luz solar (se comparado a outros
estados brasileiros) contribui com a alta na
produtividade.
Agricultura atual
Nos últimos dez anos, a produção de grãos teve um
crescimento superior a 180% na área plantada e
240% na produção, evidenciando o avanço
tecnológico nas propriedades.
Produtos agrícolas de maior
destaque
Produtividades agrícolas em
crescimento
Grande produtor agrícola, com destaque para o cultivo de arroz,
mandioca, cana-de-açúcar, milho e, principalmente, soja.
Projetos agrícolasProjetos agrícolas
Araguaína: Criação de gado
Pedro Afonso: Projetos de irrigação
Gurupi: Distrito industrial
Miranorte: Fruticultura
Xambioá: Distrito industrial
Sampaio: Projetos de irrigação
PROJETO CULTIVO OBSERVAÇÕES
Javaés e formoso Safra de arroz, milho, soja,
feijão, melão e melancia.
Esse projeto é
considerado o maior de
irrigação em área
continua da América
latina
Campos lindos Soja, milho além de frutas
tropicais.
Municípios de campos
lindos
Projeto São João Fruticultura irrigada e
hortifrutigranjeira
Criado com o
enchimento do lago da
usina hidrelétrica Luís
Eduardo Magalhães
Projeto Manuel Alves Frutas diversas Esta entre os municípios
de Dianópolis e porto
alegre
Projeto bico do papagaio Frutas, arroz, milho, feijão localiza-se entre os
municípios se Sampaio,
Augustinópolis e
carrasco bonito
Importância paraImportância para
economia:economia:
A agropecuária exerce grande influencia sobre vários
setores da economia, criando cadeias produtivas,
divididas em três partes:
Primeira parte- os produtores rurais, sejam eles,
pequenos médios ou grandes .
Segunda parte- negócios representados pela indústria
e comércios que fornecem material para produção
rural.
Terceira parte- as compras, transportes,
beneficiamento e venda dos produtos agropecuários.
Temos a soja que foi introduzida em 1980 no estado, em
virtude da demanda crescente pelo produto nos
mercados internacionais hoje com um crescimento na
área plantada e na produtividade. Uma porcentagem de
80% só em exportações.
A soja e cultivada em quase todo estado, mas,
frequentemente em municípios de:
• Campos lindos;
• Pedro Afonso;
• Guaraí;
• Porto Nacional;
•Dianópolis;
Juntos representam 64% da produção.
A safra de arroz presente nas cidade de: Formoso do
Araguaia, lagoa da confusão e Dueré. Juntos produzem
90% do arroz no estado.
Um projeto com 45 mil hectares.
O Tocantins ocupa a 24ª posição no ranking de
contribuição econômica, com o total de R$ 35,5
bilhões.
A agropecuária é a atividade responsável por,
aproximadamente, 99% das exportações do estado.
A pecuária bovina de corte é um dos grandes
elementos econômicos do Tocantins.
PECUÁRIA DE CORTE
Caprinos
Ovinos
A carne bovina e a soja, são responsáveis pelo equilíbrios
da balança comercial.
FEIRAS AGROPECUÁRIAS:FEIRAS AGROPECUÁRIAS:
As mais importantes feiras agropecuárias:
Expoara (Exposição Agropecuária de Araguaína)
Expogurupi (Exposição Agropecuária de Gurupi)
Agrotins (Feira de Tecnologia Agropecuária do
Tocantins, realizadas no mês de maio no centro agrotecnológico
de Palmas)
ExportaçõesExportações::
Os países para qual o Tocantins exporta:
Rússia(43%)
Hong Kong(17%)
Egito(14%)
Venezuela(8%)
Chile(5%)
Irã(4%)
Argélia(2%)
Vantagens:
Um rebanho de mais de 154 mil cabeças, a
ovinocaprinocultura encontrou no Estado um
ambiente favorável para expandir.
 O pequeno espaço necessário para uma grande
quantidade de matrizes;
A lucratividade, enquanto a arroba do boi está entre
R$ 130 e R$ 135, a da carne ovina está entre R$ 180
e R$ 200.
Matriz energética doMatriz energética do
Tocantins:Tocantins:
Geração de Energia Elétrica - Tocantins.
Expandir a oferta de energia elétrica através da
construção de empreendimentos com fontes
renováveis e de baixa emissão de carbono, tais como:
usinas e pequenas centrais hidrelétricas, eólicas,
térmicas a biomassa e gás natural, solar (fotovoltaica)
e nucleares.
A energia elétrica consumida em Tocantins é gerada
principalmente pela Usina Hidrelétrica Tucuruí (PA),
mas como o Estado é o centro da interligação entre os
sistemas elétricos brasileiros também recebe energia
gerada em outras regiões.
Matriz energética, consiste no conjunto da produção e
consumo de energia, dos materiais. Formados por usina
termoelétrica, hidrelétrica, termonucleares, produção de
combustíveis e das fontes alternativas.
Ao todo são 15 usinas hidrelétricas construídas e em
operação no estado. 9% são consumidas no estado e os
91% exportados através da linha norte-sul com
destaque(Luís Eduardo Magalhães, São Salvador, Peixe e
Estreito).
Problema da usina de SantaProblema da usina de Santa
Isabel:Isabel:
A única usina projetada no leito do rio Araguaia, entre as cidades
de Ananás(TO) e Palestina(PA). Seu lago inundara 240km2, o
que ocasionará o desaparecimento de 114 sítios arqueólogos.
Para construir a barragem de Santa Isabel os investidores alegam
que será preciso desapropriar uma área onde vivem mais de 8 mil
pessoas, incluindo indígenas e pescadores.
A usina inundara os municípios de Palestina, São Geraldo e
Piçarra, no Pará. Esse projeto existe desde 2000.
Usinas hidrelétricas:Usinas hidrelétricas:
Usina luís Eduardo Magalhães:
Construída em 39 meses(tempo recorde), os municípios
atingidos pelo lago- Miracema, Lajeado, Palmas, Porto
Nacional, Brejinho de Nazaré e Ipueiras. O lago possui uma
área de 630km2, com uma extensão de 173km.
Usina de Peixe:
A sua construção foi iniciada em abril de 2002, ficou
interrompida durante um ano até ser retomada em 2003 e
inaugurada em 2007.
Usina São Salvador:
Se estende pelo municípios de são salvador do Tocantins,
a primeira construída pelo consorcio da Odebrecht,
Andrade Gutierrez com capacidade de 243 Mn
inaugurada em fevereiro de 2009.
BiocombustíveisBiocombustíveis ::
Biocombustíveis são derivados da biomassa como,
oleaginosas, madeira e outras matérias orgânicas.
O Tocantins dispõe de várias espécies de plantas
oleaginosas, com destaque para mamona, girassol,
babaçu.
Os biocombustíveis pode proporcionar vantagens que
comtemplam a sustentabilidade econômica, social e
ambiental.
O Tocantins conta com quatro usinas em
funcionamento sendo duas biodiesel e duas etanol.
Usinas biocombustíveisUsinas biocombustíveis:
Brasil Ecodiesel:
Localizada na margem da TO-050 em porto nacional,
produz 118,8 mil m3 de biodiesel por ano.
Usina Tocantins de álcool:
Em arraias, se destaca com a produção de álcool. Com
capacidade de 3 mil toneladas por dia e ocupa uma área de
1.300 hectares.
Matriz de transporte:Matriz de transporte:
A matriz de transporte e o conjunto dos meios de
circulação usados para transportar mercadorias e pessoas
formado por quatro tipo:
Transporte terrestre
Transporte hidroviários
Transporte de tubulações
Transporte aéreos
Transporte ferroviário:Transporte ferroviário:
O Tocantins esta sendo beneficiado com a conclusão Norte-
Sul, que cota o Estado em longitudinal, passando por 24
municípios.
Conceitualmente Plataforma Mudimodal consiste em
locais com estruturas para facilitar o carregamento dos vagões,
e servir como integração entre os meios de transporte
ferroviário, rodoviários e fluvial.
Esse projeto previa a construção de 1.550 km de
trilhos, iniciando na cidade de Açailândia (TO) até
Anápolis(GO). A construção da ferrovia começou em
1986, quando foi criada a VALEC-engenharia,
Construções e Ferrovias.
De acordo com estudos do IPEA-Instituto de Politica
Econômica Aplicada, a Ferrovia Norte Sul, é a principal
obra ferroviária executada no Brasil.
Transporte fluvial:Transporte fluvial:
O Tocantins necessita da implantação da hidrovia
Araguaia-Tocantins. Essa hidrovia há exemplo com a
ferrovia Norte Sul.
O projeto consiste na navegabilidade entre os rios
Araguaia e Tocantins beneficiando 5 estado, MT, GO,
PA, TO e MA.
No Tocantins poderá chegar a 700 km de
navegabilidade construída a eclusa de lajeado, na
barragem de Luís Eduardo Magalhães.
A dificuldade do projeto e o impacto ambiental,
principalmente no Araguaia. De acordo com o Estudo de
Impacto Ambiental(EIA-RIMA) O aprofundamento do
leito do rio atingira as lagoas que se formam nas cheias do
Araguaia.
O volume de agua do rio aumentara e com isso as
inundações, e isto se constitui em uma grande ameaça na
fauna do rio
Referências bibliográficas
Nascimento, Junior Batista do/Tocantins:geografia e
Historia/ Junior Batista doNascimento. Goiânia:
Kelps,2013.
http://seagro.to.gov.br/pecuaria/
http://seagro.to.gov.br/pecuaria/
http://to.gov.br/invista-no-tocantins/agricultura/
http://www.faetrural.com.br/
http://conexaoto.com.br/2017/11/01/tocantins-
apresenta-crescimento-nas-exportacoes-e-
importacoes-no-acumulado-do-3o-trimestre
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/uf
s/to?codUf=24
Centro de Ensino Médio José Alves de Assis
Série: 3ª - Ensino Médio Regular - POS/TO
Turma: 33.02
Professora: Danúzia Dalat
Disciplina: Geografia
Alunas:
Cinthya Valéria Rodrigues Araújo
Natália Cristina Costa Santos
Kelismar Pereira da Silva
Larissa Alves Teixeira
Luara Nunes Silva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Slide geografia agricultura e pecuária
Slide geografia agricultura e pecuáriaSlide geografia agricultura e pecuária
Slide geografia agricultura e pecuária
 
Agropecuária geral e do brasil
Agropecuária   geral e do brasilAgropecuária   geral e do brasil
Agropecuária geral e do brasil
 
Cartografia Social
Cartografia SocialCartografia Social
Cartografia Social
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
Paisagens
PaisagensPaisagens
Paisagens
 
Tipos de mapas
Tipos de mapasTipos de mapas
Tipos de mapas
 
Geoprocessamento
GeoprocessamentoGeoprocessamento
Geoprocessamento
 
Cartografia OrientaçãO E LocalizaçãO
Cartografia   OrientaçãO E LocalizaçãOCartografia   OrientaçãO E LocalizaçãO
Cartografia OrientaçãO E LocalizaçãO
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Coordenadas Geograficas
Coordenadas GeograficasCoordenadas Geograficas
Coordenadas Geograficas
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores ClimáticosClima - Elementos e Fatores Climáticos
Clima - Elementos e Fatores Climáticos
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
 
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia   .a cartografia e as novas tecnologiasGeografia   .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Orientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficasOrientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficas
 

Semelhante a Matrizes produtivas do tocantins

Geografia do brasil
Geografia do brasilGeografia do brasil
Geografia do brasilCurso Morse
 
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoIECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoprofrodrigoribeiro
 
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos geraisLenivaldo Costa
 
Correção grupo8
Correção grupo8Correção grupo8
Correção grupo8Joao Paulo
 
Correção grupo8
Correção grupo8Correção grupo8
Correção grupo8Joao Paulo
 
7°ano Correção grupo8 e 9
7°ano Correção grupo8 e 97°ano Correção grupo8 e 9
7°ano Correção grupo8 e 9Joao Paulo
 
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 9
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 97°ano (O.T) Correção grupo8 e 9
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 9Joao Paulo
 
Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsKiller Max
 
Regiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasRegiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasPré Master
 
Slides Geografia Capítulo 04.pdf
Slides Geografia Capítulo 04.pdfSlides Geografia Capítulo 04.pdf
Slides Geografia Capítulo 04.pdfVirna35
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrárioAlmir
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slidesIvone Rosa Sa
 
Agricultura no Brasil.
Agricultura no Brasil.Agricultura no Brasil.
Agricultura no Brasil.Camila Brito
 

Semelhante a Matrizes produtivas do tocantins (20)

Geografia Agrária
Geografia Agrária Geografia Agrária
Geografia Agrária
 
Seca do nordeste
Seca do nordesteSeca do nordeste
Seca do nordeste
 
Geografia do brasil
Geografia do brasilGeografia do brasil
Geografia do brasil
 
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestinoIECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
IECJ - Cap. 9 - A organização do espaço nordestino
 
Região sudeste slides1
Região sudeste slides1Região sudeste slides1
Região sudeste slides1
 
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos gerais
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
 
Correção grupo8
Correção grupo8Correção grupo8
Correção grupo8
 
Correção grupo8
Correção grupo8Correção grupo8
Correção grupo8
 
7°ano Correção grupo8 e 9
7°ano Correção grupo8 e 97°ano Correção grupo8 e 9
7°ano Correção grupo8 e 9
 
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 9
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 97°ano (O.T) Correção grupo8 e 9
7°ano (O.T) Correção grupo8 e 9
 
Projeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no TocantinsProjeto de Irrigação no Tocantins
Projeto de Irrigação no Tocantins
 
As grandes regiões brasileiras
As grandes regiões brasileirasAs grandes regiões brasileiras
As grandes regiões brasileiras
 
Regiões Geoeconômicas
Regiões GeoeconômicasRegiões Geoeconômicas
Regiões Geoeconômicas
 
Cap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordesteCap. 9 - O nordeste
Cap. 9 - O nordeste
 
Slides Geografia Capítulo 04.pdf
Slides Geografia Capítulo 04.pdfSlides Geografia Capítulo 04.pdf
Slides Geografia Capítulo 04.pdf
 
Espaço agrário
Espaço agrárioEspaço agrário
Espaço agrário
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
 
Agricultura no Brasil.
Agricultura no Brasil.Agricultura no Brasil.
Agricultura no Brasil.
 
Unidade 7 7º ano
Unidade 7 7º anoUnidade 7 7º ano
Unidade 7 7º ano
 

Mais de Danuzia Dalat

Slides geografia do Estado do Tocantins
Slides geografia do Estado do TocantinsSlides geografia do Estado do Tocantins
Slides geografia do Estado do TocantinsDanuzia Dalat
 
Hora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresHora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresDanuzia Dalat
 
Hora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresHora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresDanuzia Dalat
 
Hora atividade sugestão
Hora atividade sugestãoHora atividade sugestão
Hora atividade sugestãoDanuzia Dalat
 
A dinâmica dos aspectos naturais e suas 1ª série emb
A dinâmica dos aspectos naturais e suas   1ª série embA dinâmica dos aspectos naturais e suas   1ª série emb
A dinâmica dos aspectos naturais e suas 1ª série embDanuzia Dalat
 
Plano de curso geografia 1º bimestre
Plano de curso geografia 1º bimestrePlano de curso geografia 1º bimestre
Plano de curso geografia 1º bimestreDanuzia Dalat
 
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º ano
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º anoAtividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º ano
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º anoDanuzia Dalat
 
Hino nacional ilustrado
Hino nacional ilustradoHino nacional ilustrado
Hino nacional ilustradoDanuzia Dalat
 
Espaço geográfico porque estudar a geografia
Espaço geográfico porque estudar a geografiaEspaço geográfico porque estudar a geografia
Espaço geográfico porque estudar a geografiaDanuzia Dalat
 

Mais de Danuzia Dalat (15)

Slides geografia do Estado do Tocantins
Slides geografia do Estado do TocantinsSlides geografia do Estado do Tocantins
Slides geografia do Estado do Tocantins
 
Hora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresHora atividades dos professores
Hora atividades dos professores
 
Hora atividades dos professores
Hora atividades dos professoresHora atividades dos professores
Hora atividades dos professores
 
Hora atividade sugestão
Hora atividade sugestãoHora atividade sugestão
Hora atividade sugestão
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
 
A dinâmica dos aspectos naturais e suas 1ª série emb
A dinâmica dos aspectos naturais e suas   1ª série embA dinâmica dos aspectos naturais e suas   1ª série emb
A dinâmica dos aspectos naturais e suas 1ª série emb
 
7º ano geografia
7º ano   geografia7º ano   geografia
7º ano geografia
 
6º ano geografia
6º ano   geografia6º ano   geografia
6º ano geografia
 
8º ano história
8º ano   história8º ano   história
8º ano história
 
7º ano história
7º ano    história7º ano    história
7º ano história
 
6º ano história
6º ano   história6º ano   história
6º ano história
 
Plano de curso geografia 1º bimestre
Plano de curso geografia 1º bimestrePlano de curso geografia 1º bimestre
Plano de curso geografia 1º bimestre
 
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º ano
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º anoAtividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º ano
Atividades interdisciplinar de Geografia, História e Filosofia - 9º ano
 
Hino nacional ilustrado
Hino nacional ilustradoHino nacional ilustrado
Hino nacional ilustrado
 
Espaço geográfico porque estudar a geografia
Espaço geográfico porque estudar a geografiaEspaço geográfico porque estudar a geografia
Espaço geográfico porque estudar a geografia
 

Último

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 

Matrizes produtivas do tocantins

  • 1. • Matrizes produtivas: • Agricultura •Transporte •Energia AspectosAspectos econômicoseconômicos
  • 2. Matriz produtiva agropecuáriaMatriz produtiva agropecuária • A agropecuária tocantinse ficou por quase dois séculos limitada a uma produção para auto-consumo. • Com a falta de assistência e recursos, não existia preocupação com a conservação do solo. • Situação explicada pelo professor Antônio Teixeira Neto: A agricultura antes de se transformar em atividade comercial, só alimentava as pessoas em volta dos pequenos arraias. A pecuária, antes de se transforma em intensiva e altamente cientifica e tecnológica, foi praticada extensivamente, à solta, sobre as imensas pastagens.
  • 3. A agropecuária tocantinense, apesar ter sido uma das primeiras atividades econômica, ficou, por quase dois séculos limitada a uma produção para auto consumo. A exploração agrícola extensiva com o mínimo de investimento,onde as lavouras eram geralmente em regime de trabalho familiar. Praticava-se a policultura: a lavoura sob queimada, também conhecida como roça de touco. A vida na zona rural,era muito simples.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. • Uma grande melhoria ao estado foi a criação da Belém Brasília em 1960. • Mas mesmo com essas melhorias e avanços, a criação bovina continuo sendo uma atividade predominante extensiva e com baixos índices de rendimentos. A pastagem tinha pouco valor alimentar, onde predominava o gado nativo conhecido como “curraleiro”
  • 9.
  • 10. Na década de 1970, tanto a agricultura como a pecuária passaram a ser prioridades nos programas dos presidentes militares. Eles incentivaram ocupação a ocupação da região do Cerrado e da Amazônia,financiando grandes projetos agrícolas, através do Polocentro (O Programa de Desenvolvimento dos Cerrado).  Criado no início do governo Geisel, em 1975, “destinava-se à construção de armazéns.
  • 11. Apoiar à pesquisa e assistência técnica, ao sistema de transporte, à rede de energia e exploração do calcário”. O desenvolvimento e a modernização das atividades agropecuárias da região Centro-Oeste e do oeste do Estado de Minas Gerais.
  • 12. PRODECER: Programa de Cooperação Nipo-brasileiro para o Desenvolvimento do Cerrado. Enfatiza a construção territorial pelo viés do Estado, políticas públicas e corporações internacionais. É um dos únicos programas direcionados para a ocupação do Cerrado a ter se efetivado e permanecido em funcionamento no Brasil, com resultados satisfatórios, desde os governos militares até os dias atuais.
  • 13. Estruturou-se em etapas, incorporando uma área total de 350 mil hectares nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Tocantins e Maranhão. A pesquisa, em construção, privilegiará o território enquanto categoria de análise no entendimento do espaço agrário, enfatizando a reestruturação produtiva do Cerrado pelo viés da inserção do Meio Técnico-Científico-Informacional.
  • 14. Mudanças do Meio Técnico- científico Informal Infraestrutura
  • 16. Biodiesel/Frederyk Borges – Governo do Tocantins Marco Vieira/ Governo do Tocantins
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. Já em 1990, sob a criação do estados o cenário foi modificado os investimentos também passou a ser para implantação de projetos de irrigação. Produção de bananas, Projeto Manuel Alves, Tocantins
  • 21. O processo de irrigação das lavouras, o Tocantins conta com muita água disponível.
  • 22.
  • 23. O Tocantins desponta atualmente como o “novo polo agrícola do Brasil”.  São terras férteis, de valor competitivo no mercado e de topografia plana, o que favorece o processo de mecanização agrícola. o tempo maior de luz solar (se comparado a outros estados brasileiros) contribui com a alta na produtividade. Agricultura atual
  • 24. Nos últimos dez anos, a produção de grãos teve um crescimento superior a 180% na área plantada e 240% na produção, evidenciando o avanço tecnológico nas propriedades.
  • 25. Produtos agrícolas de maior destaque
  • 27. Grande produtor agrícola, com destaque para o cultivo de arroz, mandioca, cana-de-açúcar, milho e, principalmente, soja.
  • 28. Projetos agrícolasProjetos agrícolas Araguaína: Criação de gado Pedro Afonso: Projetos de irrigação Gurupi: Distrito industrial Miranorte: Fruticultura Xambioá: Distrito industrial Sampaio: Projetos de irrigação
  • 29. PROJETO CULTIVO OBSERVAÇÕES Javaés e formoso Safra de arroz, milho, soja, feijão, melão e melancia. Esse projeto é considerado o maior de irrigação em área continua da América latina Campos lindos Soja, milho além de frutas tropicais. Municípios de campos lindos Projeto São João Fruticultura irrigada e hortifrutigranjeira Criado com o enchimento do lago da usina hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães Projeto Manuel Alves Frutas diversas Esta entre os municípios de Dianópolis e porto alegre Projeto bico do papagaio Frutas, arroz, milho, feijão localiza-se entre os municípios se Sampaio, Augustinópolis e carrasco bonito
  • 30. Importância paraImportância para economia:economia: A agropecuária exerce grande influencia sobre vários setores da economia, criando cadeias produtivas, divididas em três partes: Primeira parte- os produtores rurais, sejam eles, pequenos médios ou grandes .
  • 31. Segunda parte- negócios representados pela indústria e comércios que fornecem material para produção rural. Terceira parte- as compras, transportes, beneficiamento e venda dos produtos agropecuários. Temos a soja que foi introduzida em 1980 no estado, em virtude da demanda crescente pelo produto nos mercados internacionais hoje com um crescimento na área plantada e na produtividade. Uma porcentagem de 80% só em exportações.
  • 32. A soja e cultivada em quase todo estado, mas, frequentemente em municípios de: • Campos lindos; • Pedro Afonso; • Guaraí; • Porto Nacional; •Dianópolis; Juntos representam 64% da produção.
  • 33. A safra de arroz presente nas cidade de: Formoso do Araguaia, lagoa da confusão e Dueré. Juntos produzem 90% do arroz no estado. Um projeto com 45 mil hectares.
  • 34. O Tocantins ocupa a 24ª posição no ranking de contribuição econômica, com o total de R$ 35,5 bilhões. A agropecuária é a atividade responsável por, aproximadamente, 99% das exportações do estado.
  • 35. A pecuária bovina de corte é um dos grandes elementos econômicos do Tocantins.
  • 39. A carne bovina e a soja, são responsáveis pelo equilíbrios da balança comercial.
  • 40.
  • 41.
  • 42. FEIRAS AGROPECUÁRIAS:FEIRAS AGROPECUÁRIAS: As mais importantes feiras agropecuárias: Expoara (Exposição Agropecuária de Araguaína) Expogurupi (Exposição Agropecuária de Gurupi) Agrotins (Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins, realizadas no mês de maio no centro agrotecnológico de Palmas)
  • 43. ExportaçõesExportações:: Os países para qual o Tocantins exporta: Rússia(43%) Hong Kong(17%) Egito(14%) Venezuela(8%) Chile(5%) Irã(4%) Argélia(2%)
  • 44. Vantagens: Um rebanho de mais de 154 mil cabeças, a ovinocaprinocultura encontrou no Estado um ambiente favorável para expandir.  O pequeno espaço necessário para uma grande quantidade de matrizes; A lucratividade, enquanto a arroba do boi está entre R$ 130 e R$ 135, a da carne ovina está entre R$ 180 e R$ 200.
  • 45.
  • 46. Matriz energética doMatriz energética do Tocantins:Tocantins: Geração de Energia Elétrica - Tocantins. Expandir a oferta de energia elétrica através da construção de empreendimentos com fontes renováveis e de baixa emissão de carbono, tais como: usinas e pequenas centrais hidrelétricas, eólicas, térmicas a biomassa e gás natural, solar (fotovoltaica) e nucleares.
  • 47.
  • 48. A energia elétrica consumida em Tocantins é gerada principalmente pela Usina Hidrelétrica Tucuruí (PA), mas como o Estado é o centro da interligação entre os sistemas elétricos brasileiros também recebe energia gerada em outras regiões.
  • 49. Matriz energética, consiste no conjunto da produção e consumo de energia, dos materiais. Formados por usina termoelétrica, hidrelétrica, termonucleares, produção de combustíveis e das fontes alternativas. Ao todo são 15 usinas hidrelétricas construídas e em operação no estado. 9% são consumidas no estado e os 91% exportados através da linha norte-sul com destaque(Luís Eduardo Magalhães, São Salvador, Peixe e Estreito).
  • 50. Problema da usina de SantaProblema da usina de Santa Isabel:Isabel: A única usina projetada no leito do rio Araguaia, entre as cidades de Ananás(TO) e Palestina(PA). Seu lago inundara 240km2, o que ocasionará o desaparecimento de 114 sítios arqueólogos. Para construir a barragem de Santa Isabel os investidores alegam que será preciso desapropriar uma área onde vivem mais de 8 mil pessoas, incluindo indígenas e pescadores. A usina inundara os municípios de Palestina, São Geraldo e Piçarra, no Pará. Esse projeto existe desde 2000.
  • 51. Usinas hidrelétricas:Usinas hidrelétricas: Usina luís Eduardo Magalhães: Construída em 39 meses(tempo recorde), os municípios atingidos pelo lago- Miracema, Lajeado, Palmas, Porto Nacional, Brejinho de Nazaré e Ipueiras. O lago possui uma área de 630km2, com uma extensão de 173km.
  • 52. Usina de Peixe: A sua construção foi iniciada em abril de 2002, ficou interrompida durante um ano até ser retomada em 2003 e inaugurada em 2007.
  • 53. Usina São Salvador: Se estende pelo municípios de são salvador do Tocantins, a primeira construída pelo consorcio da Odebrecht, Andrade Gutierrez com capacidade de 243 Mn inaugurada em fevereiro de 2009.
  • 54. BiocombustíveisBiocombustíveis :: Biocombustíveis são derivados da biomassa como, oleaginosas, madeira e outras matérias orgânicas. O Tocantins dispõe de várias espécies de plantas oleaginosas, com destaque para mamona, girassol, babaçu. Os biocombustíveis pode proporcionar vantagens que comtemplam a sustentabilidade econômica, social e ambiental. O Tocantins conta com quatro usinas em funcionamento sendo duas biodiesel e duas etanol.
  • 55. Usinas biocombustíveisUsinas biocombustíveis: Brasil Ecodiesel: Localizada na margem da TO-050 em porto nacional, produz 118,8 mil m3 de biodiesel por ano.
  • 56. Usina Tocantins de álcool: Em arraias, se destaca com a produção de álcool. Com capacidade de 3 mil toneladas por dia e ocupa uma área de 1.300 hectares.
  • 57. Matriz de transporte:Matriz de transporte: A matriz de transporte e o conjunto dos meios de circulação usados para transportar mercadorias e pessoas formado por quatro tipo: Transporte terrestre Transporte hidroviários Transporte de tubulações Transporte aéreos
  • 58. Transporte ferroviário:Transporte ferroviário: O Tocantins esta sendo beneficiado com a conclusão Norte- Sul, que cota o Estado em longitudinal, passando por 24 municípios. Conceitualmente Plataforma Mudimodal consiste em locais com estruturas para facilitar o carregamento dos vagões, e servir como integração entre os meios de transporte ferroviário, rodoviários e fluvial.
  • 59. Esse projeto previa a construção de 1.550 km de trilhos, iniciando na cidade de Açailândia (TO) até Anápolis(GO). A construção da ferrovia começou em 1986, quando foi criada a VALEC-engenharia, Construções e Ferrovias. De acordo com estudos do IPEA-Instituto de Politica Econômica Aplicada, a Ferrovia Norte Sul, é a principal obra ferroviária executada no Brasil.
  • 60. Transporte fluvial:Transporte fluvial: O Tocantins necessita da implantação da hidrovia Araguaia-Tocantins. Essa hidrovia há exemplo com a ferrovia Norte Sul. O projeto consiste na navegabilidade entre os rios Araguaia e Tocantins beneficiando 5 estado, MT, GO, PA, TO e MA.
  • 61.
  • 62. No Tocantins poderá chegar a 700 km de navegabilidade construída a eclusa de lajeado, na barragem de Luís Eduardo Magalhães.
  • 63. A dificuldade do projeto e o impacto ambiental, principalmente no Araguaia. De acordo com o Estudo de Impacto Ambiental(EIA-RIMA) O aprofundamento do leito do rio atingira as lagoas que se formam nas cheias do Araguaia. O volume de agua do rio aumentara e com isso as inundações, e isto se constitui em uma grande ameaça na fauna do rio
  • 64. Referências bibliográficas Nascimento, Junior Batista do/Tocantins:geografia e Historia/ Junior Batista doNascimento. Goiânia: Kelps,2013. http://seagro.to.gov.br/pecuaria/ http://seagro.to.gov.br/pecuaria/
  • 66. Centro de Ensino Médio José Alves de Assis Série: 3ª - Ensino Médio Regular - POS/TO Turma: 33.02 Professora: Danúzia Dalat Disciplina: Geografia Alunas: Cinthya Valéria Rodrigues Araújo Natália Cristina Costa Santos Kelismar Pereira da Silva Larissa Alves Teixeira Luara Nunes Silva