SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
Material​ ​Para
Concurso
Assunto:​​ ​Síntese​ ​Educação​ ​Inclusiva
● Primeira​ ​metade​ ​do​ ​século​ ​XX​ ​​–​ ​o​ ​conceito​ ​de​ ​deficiente​ ​era​ ​relacionado​ ​a​ ​causas​ ​fundamentalmente
orgânicas.
● Concepção​ ​determinista​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​​-​ ​transtorno​ ​era​ ​um​ ​problema​ ​inerente​ ​à​ ​criança,​ ​com
poucas​ ​possibilidades​ ​de​ ​intervenção​ ​educativa​ ​e​ ​de​ ​mudança.
● Consequências​ ​da​ ​concepção​ ​determinista:
- necessidade​ ​de​ ​um​ ​diagnóstico​ ​preciso​ ​do​ ​transtorno.​ ​Por​ ​isso,​ ​generalizam-se​ ​os​ ​testes​ ​de​ ​inteligência,
cujo​ ​objetivo​ ​principal​ ​é​ ​o​ ​de​ ​situar​ ​as​ ​pessoas​ ​em​ ​um​ ​determinado​ ​nível,​ ​comparando-as​ ​ao​ ​restante​ ​da
população.
- uma das primeiras escalas de inteligência foi encomendada pelo ministro de Instrução Pública francesa
Alfred Binet, em 1904, com a finalidade de separar as crianças que deviam ser educadas nas escolas regulares
daquelas​ ​que​ ​não​ ​podiam​ ​frequentá-la.
● Anos de 1940 e 1950 ​- concepção de que a deficiência pode ser motivada por falta de estímulo adequado
ou processos de aprendizagem incorretos e incluem-se os conceitos de adaptação social e de aprendizagem nas
definições​ ​sobre​ ​o​ ​atraso​ ​intelectual,​ ​reforçando​ ​as​ ​possibilidades​ ​de​ ​intervenção.
A oferta educacional nos países desenvolvidos considera as classes escolas específicas para os alunos com
deficiências devido ao número de alunos por sala, à existência de edifícios específicos e adaptados aos alunos e à
possibilidade​ ​de​ ​uma​ ​atenção​ ​educativa​ ​mais​ ​especializada.
● A partir da década de 1960 ​- produz-se um movimento bastante forte, impulsionado por âmbitos sociais
muito diversos, que irá provocar profundas transformações no campo da educação especial. Os principais fatores
que​ ​favorecem​ ​essas​ ​mudanças​ ​podem​ ​ser​ ​resumidos​ ​em:
1. Uma​ ​nova​ ​concepção​ ​dos​ ​transtornos​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​e​ ​da​ ​deficiência.
2. Uma​ ​perspectiva​ ​distinta​ ​dos​ ​processos​ ​de​ ​aprendizagem​ ​e​ ​das​ ​diferenças​ ​individuais.
3. A​ ​revisão​ ​da​ ​avaliação​ ​psicométrica.
4. A​ ​presença​ ​de​ ​um​ ​maior​ ​número​ ​de​ ​professores​ ​competentes.
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
5. A​ ​extensão​ ​da​ ​educação​ ​obrigatória.
6. O​ ​abandono​ ​escolar.
7. A​ ​avaliação​ ​das​ ​escolas​ ​de​ ​educação​ ​especial.
8. As​ ​experiências​ ​positivas​ ​de​ ​integração.
9. A​ ​existência​ ​de​ ​uma​ ​corrente​ ​normalizadora​ ​no​ ​enfoque​ ​dos​ ​serviços​ ​sociais.
10. Os​ ​movimentos​ ​sociais​ ​a​ ​favor​ ​da​ ​igualdade.
● Fenômenos mais relevantes dessa nova aproximação: no plano conceitual, um novo enfoque baseado na
análise das necessidades educativas especiais dos alunos; no plano da prática educativa, o desenvolvimento da
integração educativa, que impulsiona, ao mesmo tempo, mudanças na concepção do currículo, na organização das
escolas,​ ​na​ ​formação​ ​dos​ ​professores​ ​e​ ​no​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​na​ ​sala​ ​de​ ​aula.
● Conceito de Pessoa com Necessidades Especiais: ​“é a que apresenta, em caráter permanente ou
temporário, algum tipo de deficiência física, sensorial, cognitiva, múltipla, condutas típicas ou altas habilidades,
necessitando, por isso, de recursos especializados para desenvolver mais plenamente o seu potencial e/ou superar
ou minimizar suas dificuldades. No contexto escolar, costumam ser chamadas de alunos com necessidades
educacionais​ ​especiais”
● Quem​ ​são​ ​os​ ​alunos​ ​da​ ​educação​ ​especial:
I – Alunos com deficiência: aqueles que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, intelectual,
mental​ ​ou​ ​sensorial.
II – Alunos com transtornos globais do desenvolvimento: aqueles que apresentam um quadro de alterações
no desenvolvimento neuropsicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação ou estereotipias
motoras. Incluem-se nessa definição alunos com autismo clássico, síndrome de Asperger, síndrome de Rett,
transtorno​ ​desintegrativo​ ​da​ ​infância​ ​(psicoses)​ ​e​ ​transtornos​ ​invasivos​ ​sem​ ​outra​ ​especificação.
III – ​Alunos com altas habilidades/superdotação: aqueles que apresentam um potencial elevado e grande
envolvimento com as áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, liderança,
psicomotora,​ ​artes​ ​e​ ​criatividade.
● Organização​ ​da​ ​Educação​ ​Especial:
- Transversalidade​ ​da​ ​educação​ ​especial​ ​desde​ ​a​ ​educação​ ​infantil​ ​até​ ​a​ ​educação​ ​superior;
- Atendimento​ ​educacional​ ​especializado;
- Continuidade​ ​da​ ​escolarização​ ​nos​ ​níveis​ ​mais​ ​elevados​ ​do​ ​ensino;
-Formação de professores para o atendimento educacional especializado e demais profissionais da educação para
a​ ​inclusão​ ​escolar;
- Participação​ ​da​ ​família​ ​e​ ​da​ ​comunidade;
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
- Acessibilidade urbanística, arquitetônica, nos mobiliários e equipamentos, nos transportes, na
comunicação​ ​e​ ​informação;​ ​e
- Articulação​ ​intersetorial​ ​na​ ​implementação​ ​de​ ​políticas​ ​públicas.
● São​ ​objetivos​ ​do​ ​atendimento​ ​educacional​ ​especializado:
I​ ​-​ ​prover​ ​condições​ ​de​ ​acesso,​ ​participação​ ​e​ ​aprendizagem​ ​no​ ​ensino​ ​regular​ ​aos​ ​alunos​ ​especiais.
II​ ​-​ ​garantir​ ​a​ ​transversalidade​ ​das​ ​ações​ ​da​ ​educação​ ​especial​ ​no​ ​ensino​ ​regular;
III - fomentar o desenvolvimento de recursos didáticos e pedagógicos que eliminem as barreiras no processo
de​ ​ensino​ ​e​ ​aprendizagem;​ ​e
IV -​ ​assegurar​ ​condições​ ​para​ ​a​ ​continuidade​ ​de​ ​estudos​ ​nos​ ​demais​ ​níveis​ ​de​ ​ensino.
● Adequações​ ​Curriculares
As​ ​adequações​ ​curriculares​ ​são​ ​possibilidades​ ​educacionais​ ​de​ ​atuar​ ​frente​ ​às​ ​dificuldades​ ​de​ ​aprendizagem​ ​dos
alunos.
São​ ​destinadas​ ​aos​ ​alunos​ ​que​ ​necessitam​ ​de​ ​serviços​ ​e/ou​ ​situações​ ​especiais​ ​de​ ​educação.
• Devem​ ​estar​ ​respaldadas​ ​no​ ​projeto​ ​pedagógico​ ​da​ ​escola,​ ​não​ ​por​ ​meio​ ​de​ ​um​ ​currículo​ ​novo,​ ​mas,​ ​da
adaptação​ ​progressiva​ ​do​ ​regular.
• Adaptações​ ​não​ ​significativas.
• Adaptações​ ​significativas.
Níveis​ ​de​ ​adequação​ ​curricular
• No​ ​âmbito​ ​do​ ​Projeto​ ​Pedagógico.
• No​ ​currículo​ ​desenvolvido​ ​na​ ​sala​ ​de​ ​aula.
• No​ ​nível​ ​individual.
● Nas​ ​políticas​ ​públicas.
⇒ Constituição​ ​Federal​ ​de​ ​1988​ ​​traz​ ​como​ ​um​ ​dos​ ​seus​ ​objetivos​ ​fundamentais​ ​“promover​ ​o​ ​bem​ ​de​ ​todos,
sem​ ​preconceitos​ ​de​ ​origem,​ ​raça,​ ​sexo,​ ​cor,​ ​idade​ ​e​ ​quaisquer​ ​outras​ ​formas​ ​de​ ​discriminação”​ ​(art.3º,​ ​inciso​ ​IV).
Define,​ ​no​ ​artigo​ ​205,​ ​a​ ​educação​ ​como​ ​um​ ​direito​ ​de​ ​todos,​ ​garantindo​ ​o​ ​pleno​ ​desenvolvimento​ ​da​ ​pessoa,​ ​o
exercício​ ​da​ ​cidadania​ ​e​ ​a​ ​qualificação​ ​para​ ​o​ ​trabalho.
No seu artigo 206, inciso I, estabelece a “igualdade de condições de acesso e permanência na escola” como um dos
princípios para o ensino e garante, como dever do Estado, a oferta do atendimento educacional especializado,
preferencialmente​ ​na​ ​rede​ ​regular​ ​de​ ​ensino​ ​(art.​ ​208).
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
⇒ Declaração​ ​​ ​Mundial​ ​​ ​de​ ​​ ​Educação​ ​​ ​para​ ​​ ​Todos​ ​​ ​(1990)​ ​​ ​e​ ​​ ​a​ ​​ ​Declaração​ ​​ ​de​ ​​ ​Salamanca​ ​​ ​(1994)​ ​​ ​​ ​​ ​​passam​ ​​ ​a
influenciar​ ​a​ ​formulação​ ​das​ ​políticas​ ​públicas​ ​da​ ​educação​ ​inclusiva.
⇒ ​Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394/96, no artigo 59​, preconiza que os sistemas de
ensino devem assegurar aos alunos currículo, métodos, recursos e organização específicos para atender às suas
necessidades; assegura a terminalidade específica àqueles que não atingiram o nível exigido para a conclusão do
ensino fundamental, em virtude de suas deficiências; e assegura a aceleração de estudos aos superdotados para
conclusão do programa escolar. Também define, dentre as normas para a organização da educação básica, a
“possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante verificação do aprendizado” (art. 24, inciso V) e “[...]
oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de
vida​ ​e​ ​de​ ​trabalho,​ ​mediante​ ​cursos​ ​e​ ​exames”​ ​(art.​ ​37).
⇒ ​O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, Lei nº 8.069/90, no artigo 55​, reforça os dispositivos legais
da Constituição Federal ao determinar que “os pais ou responsáveis têm a obrigação de matricular seus filhos ou
pupilos​ ​na​ ​rede​ ​regular​ ​de​ ​ensino”.
Política​ ​Nacional​ ​de​ ​Educação​ ​Especial​ ​na​ ​Perspectiva​ ​da​ ​Educação​ ​Inclusiva
Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria Ministerial nº 555, de 5 de junho de 2007,
prorrogada​ ​pela​ ​Portaria​ ​nº​ ​948,​ ​de​ ​09​ ​de​ ​outubro​ ​de​ ​2007.
Orienta o processo de “integração instrucional” que condiciona o acesso às classes comuns do ensino regular
àqueles que “(...) possuem condições de acompanhar e desenvolver as atividades curriculares programadas do
ensino comum, no mesmo ritmo que os alunos ditos normais” (p.19). Ao reafirmar os pressupostos construídos a
partir de padrões homogêneos de participação e aprendizagem, a Política não provoca uma reformulação das
práticas educacionais de maneira que sejam valorizados os diferentes potenciais de aprendizagem no ensino
comum, mas mantendo a responsabilidade da educação desses alunos exclusivamente no âmbito da educação
especial.
Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, Resolução CNE/CEB nº 2/2001, no artigo 2º,
determinam​ ​que:
“Os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo às escolas organizarem-se para o atendimento
aos educandos com necessidades educacionais especiais, assegurando as condições necessárias para uma
educação​ ​de​ ​qualidade​ ​para​ ​todos.​ ​(MEC/SEESP,​ ​2001).”
As Diretrizes ampliam o caráter da educação especial para realizar o atendimento educacional especializado
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
complementar ou suplementar à escolarização, porém, ao admitir a possibilidade de substituir o ensino regular,
não potencializam a adoção de uma política de educação inclusiva na rede pública de ensino, prevista no seu artigo
2º.
Convenção da Guatemala (1999), promulgada no Brasil pelo Decreto nº 3.956/2001​, afirma que as pessoas com
deficiência têm os mesmos direitos humanos e liberdades fundamentais que as demais pessoas, definindo como
discriminação com base na deficiência toda diferenciação ou exclusão que possa impedir ou anular o exercício dos
direitos humanos e de suas liberdades fundamentais. Este Decreto tem importante repercussão na educação,
exigindo uma reinterpretação da educação especial, compreendida no contexto da diferenciação, adotado para
promover​ ​a​ ​eliminação​ ​das​ ​barreiras​ ​que​ ​impedem​ ​o​ ​acesso​ ​à​ ​escolarização.
⇒ ​Na perspectiva da educação inclusiva, a Resolução CNE/CP nº 1/2002​, que estabelece as Diretrizes
Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, define que as instituições de ensino
superior devem prever, em sua organização curricular, formação docente voltada para a atenção à diversidade e
que​ ​contemple​ ​conhecimentos​ ​sobre​ ​as​ ​especificidades​ ​dos​ ​alunos​ ​com​ ​necessidades​ ​educacionais​ ​especiais.
⇒ ​A Lei nº 10.436/02 ​reconhece a Língua Brasileira de Sinais – Libras como meio legal de comunicação e
expressão, determinando que sejam garantidas formas institucionalizadas de apoiar seu uso e difusão, bem como a
inclusão da disciplina de Libras como parte integrante do currículo nos cursos de formação de professores e de
fonoaudiologia.
⇒ ​Portaria nº 2.678/02 do MEC ​aprova diretrizes e normas para o uso, o ensino, a produção e a difusão do
sistema Braille em todas as modalidades de ensino, compreendendo o projeto da Grafia Braille para a Língua
Portuguesa​ ​e​ ​a​ ​recomendação​ ​para​ ​o​ ​seu​ ​uso​ ​em​ ​todo​ ​o​ ​território​ ​nacional.
Material​ ​Completo​ ​se​ ​encontra​ ​na​ ​página:
http://questoesconcursopedagogia.com.br/mais1200questoes/
Olá,​ ​tudo​ ​bem?​ ​Sou​ ​professor​ ​Luiz​ ​Carlos​ ​Melo.
Perfil​ ​no​ ​facebook:
https://www.facebook.com/luizcarlos.melo.127
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
Fanpage:
https://www.facebook.com/superpreparado/
Canal​ ​no​ ​Youtube:
https://www.youtube.com/channel/UCZ3D5VBLZW1lacEE89nMJgg
Blog:
http://questoesconcursopedagogia.com.br/
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...
A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...
A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...Ricardo Gomes
 
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação InclusivaCarina
 
Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Renata Louchard
 
Declaração de jomtien
Declaração de jomtienDeclaração de jomtien
Declaração de jomtienJeziel Mello
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Anaí Peña
 
Marcos político legais
Marcos político legaisMarcos político legais
Marcos político legaistelmasimoes49
 
Decreto 10 502_30_09_20
Decreto 10 502_30_09_20Decreto 10 502_30_09_20
Decreto 10 502_30_09_20Geo Silva
 
Inclusão escolar: práticas e compromissos para com os educandos
Inclusão escolar:  práticas e compromissos  para com os educandosInclusão escolar:  práticas e compromissos  para com os educandos
Inclusão escolar: práticas e compromissos para com os educandosSimoneHelenDrumond
 
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULARA INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULARchristianceapcursos
 
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAISI ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAISClasse Especial SZ Inclusão
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaBárbara Delpretto
 
Recursos Pedagogicos PNE
Recursos Pedagogicos PNERecursos Pedagogicos PNE
Recursos Pedagogicos PNEHudson Augusto
 
8. Educação Inclusiva
8. Educação  Inclusiva  8. Educação  Inclusiva
8. Educação Inclusiva Sandra Luccas
 
Declara�����o de jomtien gt08
Declara�����o de jomtien   gt08Declara�����o de jomtien   gt08
Declara�����o de jomtien gt08♥Marcinhatinelli♥
 

Mais procurados (20)

A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...
A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...
A inclusão de alunos deficientes intelectuais nas instituições regulares de e...
 
Dissertação pnee Tereza Freitas
Dissertação pnee Tereza FreitasDissertação pnee Tereza Freitas
Dissertação pnee Tereza Freitas
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva
 
História da ed. especial e legislação no brasil
História da ed. especial e legislação no brasilHistória da ed. especial e legislação no brasil
História da ed. especial e legislação no brasil
 
Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2 Projeto educacao inclusiva2
Projeto educacao inclusiva2
 
Declaração de jomtien
Declaração de jomtienDeclaração de jomtien
Declaração de jomtien
 
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
Necessidades educacionais especiais no ensino fundamental anos finais cef vil...
 
Marcos político legais
Marcos político legaisMarcos político legais
Marcos político legais
 
Decreto 10 502_30_09_20
Decreto 10 502_30_09_20Decreto 10 502_30_09_20
Decreto 10 502_30_09_20
 
Inclusão escolar: práticas e compromissos para com os educandos
Inclusão escolar:  práticas e compromissos  para com os educandosInclusão escolar:  práticas e compromissos  para com os educandos
Inclusão escolar: práticas e compromissos para com os educandos
 
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULARA INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR
A INCLUSÃO DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR
 
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAISI ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
I ENCONTRO COM OS PROFESSORES DAS CLASSES ESPECIAIS
 
Apresentao de sbado!!!!
Apresentao de sbado!!!!Apresentao de sbado!!!!
Apresentao de sbado!!!!
 
Palestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusivaPalestra sobre educação inclusiva
Palestra sobre educação inclusiva
 
Convenção e Política Pública
Convenção e Política PúblicaConvenção e Política Pública
Convenção e Política Pública
 
Recursos Pedagogicos PNE
Recursos Pedagogicos PNERecursos Pedagogicos PNE
Recursos Pedagogicos PNE
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
8. Educação Inclusiva
8. Educação  Inclusiva  8. Educação  Inclusiva
8. Educação Inclusiva
 
Declara�����o de jomtien gt08
Declara�����o de jomtien   gt08Declara�����o de jomtien   gt08
Declara�����o de jomtien gt08
 

Semelhante a Educação Inclusiva História Conceitos

10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusivaRita de Cássia Freitas
 
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...Bianca Medeiros
 
Politica de educação especial
Politica de educação especialPolitica de educação especial
Politica de educação especialCre Educação
 
Politica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especialPolitica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especialsibilapa
 
Politica pnee na educação inclusiva
Politica   pnee na educação inclusivaPolitica   pnee na educação inclusiva
Politica pnee na educação inclusivaEducation secretary
 
Politica Nacional de Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação InclusivaCLIP_ColegioOswald
 
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...Helenilson Silveira
 
Politica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialPolitica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialDaniela Gil
 
Politica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialPolitica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialDaniela Gil
 
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...christianceapcursos
 
Oficina resolução see 2197
Oficina   resolução see 2197Oficina   resolução see 2197
Oficina resolução see 2197pipatcleopoldina
 

Semelhante a Educação Inclusiva História Conceitos (20)

Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
 
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
 
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...
1. brasil. secretaria_de_educação_especial._política_nacional_de_educação_esp...
 
Politica de educação especial
Politica de educação especialPolitica de educação especial
Politica de educação especial
 
Nb m07t02 politicanacional
Nb m07t02 politicanacionalNb m07t02 politicanacional
Nb m07t02 politicanacional
 
Politica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especialPolitica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especial
 
Politica pnee na educação inclusiva
Politica   pnee na educação inclusivaPolitica   pnee na educação inclusiva
Politica pnee na educação inclusiva
 
Politica Nacional de Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação InclusivaPolitica Nacional de Educação Inclusiva
Politica Nacional de Educação Inclusiva
 
Politica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especialPolitica nacional educacao_especial
Politica nacional educacao_especial
 
Politica
PoliticaPolitica
Politica
 
Politica nacional
Politica nacionalPolitica nacional
Politica nacional
 
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...
Politica nacional de_educacao_especial_na_perspectiva_da_educacao_inclusiva_0...
 
Educação Especial.pptx
Educação Especial.pptxEducação Especial.pptx
Educação Especial.pptx
 
Politica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialPolitica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especial
 
Politica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especialPolitica nacional edu_especial
Politica nacional edu_especial
 
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...
5. a inclusão do aluno com deficiência intelectual no ensino regular maria mi...
 
Parecer
ParecerParecer
Parecer
 
Oficina resolução see 2197
Oficina   resolução see 2197Oficina   resolução see 2197
Oficina resolução see 2197
 
Como atuar com o AEE
Como atuar com o AEEComo atuar com o AEE
Como atuar com o AEE
 
Como desenvolver o AEE
Como desenvolver o AEEComo desenvolver o AEE
Como desenvolver o AEE
 

Mais de AlineMelo123

40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docxAlineMelo123
 
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor vigotsky.docxAlineMelo123
 
33. resumo para concurso professor decroly.docx
33. resumo para concurso professor   decroly.docx33. resumo para concurso professor   decroly.docx
33. resumo para concurso professor decroly.docxAlineMelo123
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docxAlineMelo123
 
30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docxAlineMelo123
 
29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)AlineMelo123
 
29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docxAlineMelo123
 
28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docxAlineMelo123
 
27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)AlineMelo123
 
27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.docAlineMelo123
 
25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docxAlineMelo123
 
24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)AlineMelo123
 
24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docxAlineMelo123
 
23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)AlineMelo123
 
22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)AlineMelo123
 
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)AlineMelo123
 
21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)AlineMelo123
 
20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)AlineMelo123
 
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docxAlineMelo123
 
19.simulado lev s.vygotsky (1)
19.simulado lev s.vygotsky (1)19.simulado lev s.vygotsky (1)
19.simulado lev s.vygotsky (1)AlineMelo123
 

Mais de AlineMelo123 (20)

40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
 
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
 
33. resumo para concurso professor decroly.docx
33. resumo para concurso professor   decroly.docx33. resumo para concurso professor   decroly.docx
33. resumo para concurso professor decroly.docx
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
 
30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx
 
29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)
 
29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx
 
28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx
 
27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)
 
27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc
 
25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx
 
24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)
 
24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx
 
23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)
 
22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)
 
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
 
21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)
 
20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)
 
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
 
19.simulado lev s.vygotsky (1)
19.simulado lev s.vygotsky (1)19.simulado lev s.vygotsky (1)
19.simulado lev s.vygotsky (1)
 

Último

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 

Educação Inclusiva História Conceitos

  • 1. Material​ ​Para Concurso Assunto:​​ ​Síntese​ ​Educação​ ​Inclusiva ● Primeira​ ​metade​ ​do​ ​século​ ​XX​ ​​–​ ​o​ ​conceito​ ​de​ ​deficiente​ ​era​ ​relacionado​ ​a​ ​causas​ ​fundamentalmente orgânicas. ● Concepção​ ​determinista​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​​-​ ​transtorno​ ​era​ ​um​ ​problema​ ​inerente​ ​à​ ​criança,​ ​com poucas​ ​possibilidades​ ​de​ ​intervenção​ ​educativa​ ​e​ ​de​ ​mudança. ● Consequências​ ​da​ ​concepção​ ​determinista: - necessidade​ ​de​ ​um​ ​diagnóstico​ ​preciso​ ​do​ ​transtorno.​ ​Por​ ​isso,​ ​generalizam-se​ ​os​ ​testes​ ​de​ ​inteligência, cujo​ ​objetivo​ ​principal​ ​é​ ​o​ ​de​ ​situar​ ​as​ ​pessoas​ ​em​ ​um​ ​determinado​ ​nível,​ ​comparando-as​ ​ao​ ​restante​ ​da população. - uma das primeiras escalas de inteligência foi encomendada pelo ministro de Instrução Pública francesa Alfred Binet, em 1904, com a finalidade de separar as crianças que deviam ser educadas nas escolas regulares daquelas​ ​que​ ​não​ ​podiam​ ​frequentá-la. ● Anos de 1940 e 1950 ​- concepção de que a deficiência pode ser motivada por falta de estímulo adequado ou processos de aprendizagem incorretos e incluem-se os conceitos de adaptação social e de aprendizagem nas definições​ ​sobre​ ​o​ ​atraso​ ​intelectual,​ ​reforçando​ ​as​ ​possibilidades​ ​de​ ​intervenção. A oferta educacional nos países desenvolvidos considera as classes escolas específicas para os alunos com deficiências devido ao número de alunos por sala, à existência de edifícios específicos e adaptados aos alunos e à possibilidade​ ​de​ ​uma​ ​atenção​ ​educativa​ ​mais​ ​especializada. ● A partir da década de 1960 ​- produz-se um movimento bastante forte, impulsionado por âmbitos sociais muito diversos, que irá provocar profundas transformações no campo da educação especial. Os principais fatores que​ ​favorecem​ ​essas​ ​mudanças​ ​podem​ ​ser​ ​resumidos​ ​em: 1. Uma​ ​nova​ ​concepção​ ​dos​ ​transtornos​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​e​ ​da​ ​deficiência. 2. Uma​ ​perspectiva​ ​distinta​ ​dos​ ​processos​ ​de​ ​aprendizagem​ ​e​ ​das​ ​diferenças​ ​individuais. 3. A​ ​revisão​ ​da​ ​avaliação​ ​psicométrica. 4. A​ ​presença​ ​de​ ​um​ ​maior​ ​número​ ​de​ ​professores​ ​competentes. Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/
  • 2. 5. A​ ​extensão​ ​da​ ​educação​ ​obrigatória. 6. O​ ​abandono​ ​escolar. 7. A​ ​avaliação​ ​das​ ​escolas​ ​de​ ​educação​ ​especial. 8. As​ ​experiências​ ​positivas​ ​de​ ​integração. 9. A​ ​existência​ ​de​ ​uma​ ​corrente​ ​normalizadora​ ​no​ ​enfoque​ ​dos​ ​serviços​ ​sociais. 10. Os​ ​movimentos​ ​sociais​ ​a​ ​favor​ ​da​ ​igualdade. ● Fenômenos mais relevantes dessa nova aproximação: no plano conceitual, um novo enfoque baseado na análise das necessidades educativas especiais dos alunos; no plano da prática educativa, o desenvolvimento da integração educativa, que impulsiona, ao mesmo tempo, mudanças na concepção do currículo, na organização das escolas,​ ​na​ ​formação​ ​dos​ ​professores​ ​e​ ​no​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​na​ ​sala​ ​de​ ​aula. ● Conceito de Pessoa com Necessidades Especiais: ​“é a que apresenta, em caráter permanente ou temporário, algum tipo de deficiência física, sensorial, cognitiva, múltipla, condutas típicas ou altas habilidades, necessitando, por isso, de recursos especializados para desenvolver mais plenamente o seu potencial e/ou superar ou minimizar suas dificuldades. No contexto escolar, costumam ser chamadas de alunos com necessidades educacionais​ ​especiais” ● Quem​ ​são​ ​os​ ​alunos​ ​da​ ​educação​ ​especial: I – Alunos com deficiência: aqueles que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, intelectual, mental​ ​ou​ ​sensorial. II – Alunos com transtornos globais do desenvolvimento: aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuropsicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação ou estereotipias motoras. Incluem-se nessa definição alunos com autismo clássico, síndrome de Asperger, síndrome de Rett, transtorno​ ​desintegrativo​ ​da​ ​infância​ ​(psicoses)​ ​e​ ​transtornos​ ​invasivos​ ​sem​ ​outra​ ​especificação. III – ​Alunos com altas habilidades/superdotação: aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, liderança, psicomotora,​ ​artes​ ​e​ ​criatividade. ● Organização​ ​da​ ​Educação​ ​Especial: - Transversalidade​ ​da​ ​educação​ ​especial​ ​desde​ ​a​ ​educação​ ​infantil​ ​até​ ​a​ ​educação​ ​superior; - Atendimento​ ​educacional​ ​especializado; - Continuidade​ ​da​ ​escolarização​ ​nos​ ​níveis​ ​mais​ ​elevados​ ​do​ ​ensino; -Formação de professores para o atendimento educacional especializado e demais profissionais da educação para a​ ​inclusão​ ​escolar; - Participação​ ​da​ ​família​ ​e​ ​da​ ​comunidade; Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/
  • 3. - Acessibilidade urbanística, arquitetônica, nos mobiliários e equipamentos, nos transportes, na comunicação​ ​e​ ​informação;​ ​e - Articulação​ ​intersetorial​ ​na​ ​implementação​ ​de​ ​políticas​ ​públicas. ● São​ ​objetivos​ ​do​ ​atendimento​ ​educacional​ ​especializado: I​ ​-​ ​prover​ ​condições​ ​de​ ​acesso,​ ​participação​ ​e​ ​aprendizagem​ ​no​ ​ensino​ ​regular​ ​aos​ ​alunos​ ​especiais. II​ ​-​ ​garantir​ ​a​ ​transversalidade​ ​das​ ​ações​ ​da​ ​educação​ ​especial​ ​no​ ​ensino​ ​regular; III - fomentar o desenvolvimento de recursos didáticos e pedagógicos que eliminem as barreiras no processo de​ ​ensino​ ​e​ ​aprendizagem;​ ​e IV -​ ​assegurar​ ​condições​ ​para​ ​a​ ​continuidade​ ​de​ ​estudos​ ​nos​ ​demais​ ​níveis​ ​de​ ​ensino. ● Adequações​ ​Curriculares As​ ​adequações​ ​curriculares​ ​são​ ​possibilidades​ ​educacionais​ ​de​ ​atuar​ ​frente​ ​às​ ​dificuldades​ ​de​ ​aprendizagem​ ​dos alunos. São​ ​destinadas​ ​aos​ ​alunos​ ​que​ ​necessitam​ ​de​ ​serviços​ ​e/ou​ ​situações​ ​especiais​ ​de​ ​educação. • Devem​ ​estar​ ​respaldadas​ ​no​ ​projeto​ ​pedagógico​ ​da​ ​escola,​ ​não​ ​por​ ​meio​ ​de​ ​um​ ​currículo​ ​novo,​ ​mas,​ ​da adaptação​ ​progressiva​ ​do​ ​regular. • Adaptações​ ​não​ ​significativas. • Adaptações​ ​significativas. Níveis​ ​de​ ​adequação​ ​curricular • No​ ​âmbito​ ​do​ ​Projeto​ ​Pedagógico. • No​ ​currículo​ ​desenvolvido​ ​na​ ​sala​ ​de​ ​aula. • No​ ​nível​ ​individual. ● Nas​ ​políticas​ ​públicas. ⇒ Constituição​ ​Federal​ ​de​ ​1988​ ​​traz​ ​como​ ​um​ ​dos​ ​seus​ ​objetivos​ ​fundamentais​ ​“promover​ ​o​ ​bem​ ​de​ ​todos, sem​ ​preconceitos​ ​de​ ​origem,​ ​raça,​ ​sexo,​ ​cor,​ ​idade​ ​e​ ​quaisquer​ ​outras​ ​formas​ ​de​ ​discriminação”​ ​(art.3º,​ ​inciso​ ​IV). Define,​ ​no​ ​artigo​ ​205,​ ​a​ ​educação​ ​como​ ​um​ ​direito​ ​de​ ​todos,​ ​garantindo​ ​o​ ​pleno​ ​desenvolvimento​ ​da​ ​pessoa,​ ​o exercício​ ​da​ ​cidadania​ ​e​ ​a​ ​qualificação​ ​para​ ​o​ ​trabalho. No seu artigo 206, inciso I, estabelece a “igualdade de condições de acesso e permanência na escola” como um dos princípios para o ensino e garante, como dever do Estado, a oferta do atendimento educacional especializado, preferencialmente​ ​na​ ​rede​ ​regular​ ​de​ ​ensino​ ​(art.​ ​208). Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/
  • 4. ⇒ Declaração​ ​​ ​Mundial​ ​​ ​de​ ​​ ​Educação​ ​​ ​para​ ​​ ​Todos​ ​​ ​(1990)​ ​​ ​e​ ​​ ​a​ ​​ ​Declaração​ ​​ ​de​ ​​ ​Salamanca​ ​​ ​(1994)​ ​​ ​​ ​​ ​​passam​ ​​ ​a influenciar​ ​a​ ​formulação​ ​das​ ​políticas​ ​públicas​ ​da​ ​educação​ ​inclusiva. ⇒ ​Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394/96, no artigo 59​, preconiza que os sistemas de ensino devem assegurar aos alunos currículo, métodos, recursos e organização específicos para atender às suas necessidades; assegura a terminalidade específica àqueles que não atingiram o nível exigido para a conclusão do ensino fundamental, em virtude de suas deficiências; e assegura a aceleração de estudos aos superdotados para conclusão do programa escolar. Também define, dentre as normas para a organização da educação básica, a “possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante verificação do aprendizado” (art. 24, inciso V) e “[...] oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de vida​ ​e​ ​de​ ​trabalho,​ ​mediante​ ​cursos​ ​e​ ​exames”​ ​(art.​ ​37). ⇒ ​O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, Lei nº 8.069/90, no artigo 55​, reforça os dispositivos legais da Constituição Federal ao determinar que “os pais ou responsáveis têm a obrigação de matricular seus filhos ou pupilos​ ​na​ ​rede​ ​regular​ ​de​ ​ensino”. Política​ ​Nacional​ ​de​ ​Educação​ ​Especial​ ​na​ ​Perspectiva​ ​da​ ​Educação​ ​Inclusiva Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria Ministerial nº 555, de 5 de junho de 2007, prorrogada​ ​pela​ ​Portaria​ ​nº​ ​948,​ ​de​ ​09​ ​de​ ​outubro​ ​de​ ​2007. Orienta o processo de “integração instrucional” que condiciona o acesso às classes comuns do ensino regular àqueles que “(...) possuem condições de acompanhar e desenvolver as atividades curriculares programadas do ensino comum, no mesmo ritmo que os alunos ditos normais” (p.19). Ao reafirmar os pressupostos construídos a partir de padrões homogêneos de participação e aprendizagem, a Política não provoca uma reformulação das práticas educacionais de maneira que sejam valorizados os diferentes potenciais de aprendizagem no ensino comum, mas mantendo a responsabilidade da educação desses alunos exclusivamente no âmbito da educação especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, Resolução CNE/CEB nº 2/2001, no artigo 2º, determinam​ ​que: “Os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo às escolas organizarem-se para o atendimento aos educandos com necessidades educacionais especiais, assegurando as condições necessárias para uma educação​ ​de​ ​qualidade​ ​para​ ​todos.​ ​(MEC/SEESP,​ ​2001).” As Diretrizes ampliam o caráter da educação especial para realizar o atendimento educacional especializado Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/
  • 5. complementar ou suplementar à escolarização, porém, ao admitir a possibilidade de substituir o ensino regular, não potencializam a adoção de uma política de educação inclusiva na rede pública de ensino, prevista no seu artigo 2º. Convenção da Guatemala (1999), promulgada no Brasil pelo Decreto nº 3.956/2001​, afirma que as pessoas com deficiência têm os mesmos direitos humanos e liberdades fundamentais que as demais pessoas, definindo como discriminação com base na deficiência toda diferenciação ou exclusão que possa impedir ou anular o exercício dos direitos humanos e de suas liberdades fundamentais. Este Decreto tem importante repercussão na educação, exigindo uma reinterpretação da educação especial, compreendida no contexto da diferenciação, adotado para promover​ ​a​ ​eliminação​ ​das​ ​barreiras​ ​que​ ​impedem​ ​o​ ​acesso​ ​à​ ​escolarização. ⇒ ​Na perspectiva da educação inclusiva, a Resolução CNE/CP nº 1/2002​, que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, define que as instituições de ensino superior devem prever, em sua organização curricular, formação docente voltada para a atenção à diversidade e que​ ​contemple​ ​conhecimentos​ ​sobre​ ​as​ ​especificidades​ ​dos​ ​alunos​ ​com​ ​necessidades​ ​educacionais​ ​especiais. ⇒ ​A Lei nº 10.436/02 ​reconhece a Língua Brasileira de Sinais – Libras como meio legal de comunicação e expressão, determinando que sejam garantidas formas institucionalizadas de apoiar seu uso e difusão, bem como a inclusão da disciplina de Libras como parte integrante do currículo nos cursos de formação de professores e de fonoaudiologia. ⇒ ​Portaria nº 2.678/02 do MEC ​aprova diretrizes e normas para o uso, o ensino, a produção e a difusão do sistema Braille em todas as modalidades de ensino, compreendendo o projeto da Grafia Braille para a Língua Portuguesa​ ​e​ ​a​ ​recomendação​ ​para​ ​o​ ​seu​ ​uso​ ​em​ ​todo​ ​o​ ​território​ ​nacional. Material​ ​Completo​ ​se​ ​encontra​ ​na​ ​página: http://questoesconcursopedagogia.com.br/mais1200questoes/ Olá,​ ​tudo​ ​bem?​ ​Sou​ ​professor​ ​Luiz​ ​Carlos​ ​Melo. Perfil​ ​no​ ​facebook: https://www.facebook.com/luizcarlos.melo.127 Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/