O que sentimos sobre nos?

148 visualizações

Publicada em

Escutar nossos sentimentos. Auto-amor.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
148
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que sentimos sobre nos?

  1. 1. O QUE SENTIMOS SOBRE NÓS? Livro: Escutando Sentimentos, Ermance Dufaux por Wanderley Oliveira.
  2. 2. • Que sentimos sobre nós? • Qual a relação afetiva que temos conosco? • Como temos tratado a nós mesmos?
  3. 3. Amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo. Eu Próximo Deus Caminho de crescimento, libertação e plenitude: A felicidade que ansiamos.
  4. 4. • Como começar essa viagem de auto- encontro em favor da consolidação de uma relação pacífica e amorosa conosco? • Como trabalhar a aplicação do auto-amor?
  5. 5. Façamos, inicialmente, algumas indagações: • Que fatores íntimos determinam a minha dependência de situações e pessoas? • Que causas emocionais ou psicológicas podem me afastar do desejo de ser criativo e espontâneo? • O que me impede de avançar em direção aos meus íntimos de realização e felicidade? • Por que ainda não tenho conseguido progresso na construção de valores pessoais em sintonia com os propósitos iluminados da Doutrina Espírita? • O que realmente quero da vida?
  6. 6. 1º Passo: Diluir a ilusão da inferioridade. O Criador nos ama como estamos. Temos um nobre significado para Deus. Somente nós, por enquanto, ainda não descobrimos o valor que possuímos.
  7. 7. 1º Passo: Diluir a ilusão da inferioridade. Renascemos com novo corpo para esquecer e olhar para frente! As indagações que devemos assinalar nesta etapa são: • Por que não me sinto digno? • Quais são minhas reais intenções? • Que lições tenho a aprender quando me sinto inferior? • Por que determinada atitude ou acontecimento me faz sentir inferior?
  8. 8. 2º Passo: saber lhe dar com os julgamentos que fazem de nós. Quando não cultuamos o auto-amor, os julgamentos alheios constituem espessas algemas. Podemos nos culpar ou adotar o cuidado de refletir sobre o valor que tenham para nós!
  9. 9. Em inúmeras ocasiões é mais cômodo se ajustar a muitos julgamentos que acreditar nos ideais pessoais e nos nossos sentimentos.
  10. 10. Portanto, temos um processo interior – o sentimento de inferioridade – e uma força externa – os julgamentos, a aprovação social. Ambos consorciam-se, freqüentemente, contra nossos anseios de crescimento. Somente com a aquisição da autonomia saberemos lidar com tais fatores educativos.
  11. 11. O impedimento freqüente na construção da autonomia é o medo de rejeição – uma das mais graves conseqüência da baixa auto-estima. • Como seremos interpretados? • Qual será o conceito que farão de nós a partir do instante em que decidirmos por um caminho afinado com o que sentimos e pensamos?
  12. 12. Todas as pessoas e suas respectivas ideias a nosso respeito merecem carinho e consideração, respeito e fraternidade. Mas a decisão final é nossa...
  13. 13. Necessitamos investir na erradicação da acomodação em busca da solidificação da autonomia psicológica em favor da liberdade que ansiamos.
  14. 14. • Sigamos a intuição, aprendendo a ler as mensagens sutis da vida interior despachadas pelo sentimento, evitando desprezo ao que sentimos. • Mesmo as sensações desconfortáveis à consciência nos ensinam algo. • A garantia de que vamos aprender depende do trato que daremos ao nosso mundo íntimo. O respeito incondicional que devemos usar conosco. Amar-nos como merecemos ser amados.
  15. 15. Uma vez alfabetizados pelo coração, passaremos a fruir uma vida mais plena, felizes com nossa condição, permitindo-nos evoluir com naturalidade, sem condenações e severidade.
  16. 16. A partir da harmonia que podemos criar com nossa “vida profunda”, essa busca de si mesmo terá como prêmio o encontro com o “eu verdadeiro”, aquilo que realmente somos – a singularidade – e, consequentemente, com a Lei Divina e o próximo.
  17. 17. O espiritismo vem nos informar, esclarecer sobre muitas coisas, mas acima de tudo vem nos convidar a sermos melhores, a nos transformar! “AMAI-VOS E INSTRUI-VOS” Allan Kardec.
  18. 18. Auto-Amor é o caminho...
  19. 19. Viver é afinar o instrumento De dentro pra fora De fora pra dentro A toda hora, todo momento De dentro pra fora De fora pra dentro... Serra do Luar – Leila Pinheiro
  20. 20. Elaborado por Arilma Tavares Em 2012 Se tem alguma contribuição para melhorar esse material ou se tem alguma dúvida, não hesite em entrar em contato: arilmatavares@yahoo.com.br Facebook: Arilma Tavares Compartilhado é que crescemos!

×