SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 93
Baixar para ler offline
AS PERTURBAÇÕES
ESPIRITUAIS NO LAR
SUMÁRIO
1. Introdução ..................................................................................................... 1
1.1 A Família e o Lar Missão...........................................................................3
1.1.1 Amparo e Suporte .......................................................................................3
1.1.2 Aperfeiçoamento Mútuo .............................................................................6
1.1.3 Reajuste e Rearmonização Espiritual..........................................................8
1.1.4 Polo de Indução.........................................................................................10
1.2 As Obsessões x As Perturbações Espirituais – O Que É ..........................11
1.2.1 Obsessão Espiritual...................................................................................11
1.2.2 Perturbação Espiritual...............................................................................13
2. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Preponderantes – A
“Raiz” .................................................................................................................17
2.1 Débitos Cármicos......................................................................................17
2.2 Indolência Mental......................................................................................19
2.3 Tendências Negativas................................................................................20
3. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Predisponentes – O
“Adubo” .............................................................................................................21
3.1 Alto índice de Criminalidade na Sociedade atual.....................................21
3.2 Incremento dos conflitos Familiares – violência domesticas ...................22
3.3 Aumento da sintonia psíquica negativa na Transição Planetária..............23
3.4 Elevado número de problemas de Comportamento – Álcool/Drogas ......25
3.5 Os Reajustes Reencarnatórios Familiares.................................................27
3.6 Os Níveis consciências diferentes dos membros da Família ....................28
3.7 As Auto-Obsessões ...................................................................................31
4. As Perturbações Espirituais no Lar – Consequências Principais – Os
“Frutos”..............................................................................................................34
4.1 Desencontros Familiares...........................................................................34
4.2 Distúrbios de Comportamento Infanto-juvenil .........................................36
4.2.1 Na Escola...................................................................................................36
4.2.2 No Lar .......................................................................................................37
4.3 Agravamento de processos obsessivos .....................................................40
4.4 Depressão no núcleo Familiar...................................................................41
4.5 Suicídio na Família ...................................................................................42
4.6 Drogadição no ambiente Familiar.............................................................44
5. A Perturbação Espiritual no Lar – O Que Fazer? A “Poda” da árvore
da Perturbação .................................................................................................. 46
5.1 Orar e implementar o Evangelho no Lar...................................................46
5.2 Fortalecer a Educação e a União Familiar ................................................51
5.3 Exercitar o Silêncio/a Serenidade .............................................................54
5.4 Cultivar a Paciência/a Benevolência.........................................................56
5.5 Promova a Compaixão/Perdão/Esquecimento..........................................57
5.6 Reeducação Mental/Tratamentos Espirituais............................................67
5.7 Ação Enobrecedora – abnegação Familiar................................................68
6. A Perturbação Espiritual no Lar – Exemplos.......................................... 72
6.1 Tentativa de Suicídio Infantil – Suely Caldas Schubert ...........................72
6.2 Suicídio Juvenil – Hilda............................................................................73
6.3 Perturbação Familiar Coletiva – Yvonne Pereira .....................................76
7. Referências................................................................................................... 84
1
As Perturbações Espirituais no Lar
1. Introdução
Muita gente se queixa de que, periodicamente, o lar vira um pandemônio.
Muita gente afirma que, às vezes, percebe que a família está em polvorosa, que alguma
força negativa parece ter penetrado o lar.
Imaginam que houve trabalhos de magia, alguém fez algum trabalho forte, todo esse
contexto popular em que nós queremos atribuir aos outros, questões que estão sob nossa
responsabilidade.
Manter a nossa casa em paz, manter o nosso lar em ordem é alguma coisa de nossa
alçada. É alguma coisa que está sob nossa responsabilidade, sob nossa custódia.
(...) dentro de casa existem aqueles cujo temperamento leva-os a debochar dos outros, a
condenar sempre, jamais elogiar, apenas vêem defeitos.
Há aqueles que falam aos gritos, os que são sempre grosseiros ao se expressar junto aos
familiares. Há aqueles que têm sempre um alfinete pronto para as alfinetadas comuns dentro de
casa. Os que falam jogando piadas, com segundas intenções, e ferem o temperamento daquele
que é mais sensível ou que é pavio curto. E há aqueles que, dentro de casa, nem pavio têm,
explodem por qualquer coisa.
Natural é pensar, nessas ocasiões, que nós estaremos dando margem a infiltrações
espirituais inferiores. Como nos disse o Apóstolo Paulo, estamos o tempo todo sendo
observados por uma nuvem de testemunhas.
Mas, se temos testemunhas apostando em nosso crescimento, em nossa virtude, em
nossa felicidade, não podemos descrer que haja outras testemunhas investindo em nossa
queda.
São aqueles inimigos do nosso pretérito, de nossas vidas passadas, de nossa existência
presente. Eles estão sempre à espreita de nossa fragilidade, de um gesto em falso, de uma
vivência incorreta, para que possam nos provocar mal-estares, aturdimentos, desarmonias, com
o prazer patológico de nos ver sofrer.
Por isso pode haver sim, influências espirituais bastante nefastas dentro de nossa
casa, ou influências leves em função do estilo de vida que adotemos viver em família, em razão
de tudo aquilo que decidimos fazer junto aos nossos familiares.
2
As Perturbações Espirituais no Lar
Todas as influências que venhamos a sofrer em nossa residência, em nossa casa, não
temos que pensar primeiramente que alguém nos desfechou pensamentos negativos, que
alguém está fazendo trabalhos contra nós, trabalhos de magia porque o que manda, na nossa
casa, é a nossa vivência.
Daí, vale a pena a família ter esse cuidado na sua convivência. Ninguém vai imaginar
que, dentro de casa, não teremos altercações, alguma indisposição, alguém que fale de uma
forma mais ríspida, mais áspera com o outro e o outro se debulhe a chorar. Isso tudo faz parte
da normalidade da vida doméstica cotidiana.
Mas, o que não deve acontecer é que essa postura de agressividade, essa postura
ferinte, pessimista, negativa, se torne uma constante na relação familiar. Quando isso se
torna uma constante, não podemos ter dúvida de que estaremos mal assistidos. Criaturas
espirituais de má índole, ou ignorantes ou inconscientes, estarão procurando fazer ninho na
nossa consciência.
Sentir-nos-emos lesados, traídos, amargurados, desprezados em casa, nos sentiremos a
sós, nós veremos pessoas solitárias. E tudo isso, agasalhado por nós, nessa baixa auto-estima,
vai fazendo com que entidades desencarnadas de má índole, infelizes em si mesmas, se
apropriem desse caldo de cultura que nós lhes oferecemos, para fazer toda sorte de
estripulias, para provocar toda sorte de males, de infestações negativas no seio da nossa
família.
Será de bom alvitre instalar em nossa casa, pelo menos uma vez por semana, o hábito
de orar. O Evangelho no lar, como chamamos, ou Jesus no lar, como quisermos.
Raul Teixeira – Programa Vida e Valores – No
116 – 2007 Outubro – Perturbações
Espirituais no Lar Federação Espírita do Paraná
Acautele-se. Os Espíritos infelizes, de mente ultrajada, vivem mais com os encarnados
do que se supõe.
Misturam-se nas atividades comuns, perambulam no ninho doméstico, participam das
conversações, seguem com os comensais, de quem dependem em processo legítimo de
vampirização.
Perturbam-se e perturbam. Sofrem e fazem sofrer. Odeiam e geram ódios.
Infelicitados, infelicitam.
Marco Prisco – Glossário Espírita Cristão – Cap. 18 – Perturbadores
3
As Perturbações Espirituais no Lar
1.1 A Família e o Lar Missão
“Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua Família, negou
a fé e é pior do que o infiel”.
Paulo de Tarso – I TIMÓTEO, 5:8.
“O mundo pode fabricar novas indústrias, novos arranha-céus, erguer estátuas e
cidades, mas, sem a benção do lar, nunca haverá felicidade verdadeira”.
André Luiz/Aniceto – Os Mensageiros – Cap. 37 – No Santuário Doméstico
1.1.1 Amparo e Suporte
Os liames sociais são necessários ao progresso e os laços de família estreitam os laços
sociais: eis porque eles constituem uma lei natural. Deus quis que os homens, assim,
aprendessem a amar-se como irmãos.
Allan Kardec – O Livro dos Espíritos – 3º Parte – Cap. 7 – Item 3 – Perg. 774
Quando o lar se estiola e a família se desorganiza a Sociedade combale e estertora.
De nobre significação, a família não são apenas os que se amam, através dos vínculos
da consanguinidade, mas, também, da tolerância e solidariedade que se devem doar os
equilibrados e afáveis aos que constituem os elos fracos, perturbadores e em deperecimento no
clã doméstico.
Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 25 – Filhos Ingratos
Jamais a família desaparecerá, porque a criança dependente nos braços adultos,
inspira ternura e devotamento, trabalhando as emoções para o entendimento e a comunhão dos
genitores em sua volta, dando surgimento ao grupo consanguíneo e à afetividade mais pessoal.
As mudanças continuarão ocorrendo, conforme as conquistas de cada época, sem que a
família perca os seus alicerces de segurança, quais sejam: a fidelidade ao grupo, o amparo
recíproco, a proteção, como decorrência do sentimento de amor, preparando para a união
com as demais associações, na identificação universal.
(...) Reflexionando neste novo programa de construção da família moderna e saudável,
o Espiritismo, com os seus nobres conceitos de ética-moral, fundamentados na crença em
Deus, na imortalidade, na comunicabilidade dos espíritos, na reencarnação, oferece os
pilotis vigorosos para que se torne realidade o clã de paz e de amor que todos anelam.
Joanna de Angelis – Constelação Familiar – Cap. 29 – A Família hodierna
4
As Perturbações Espirituais no Lar
A fim de que aprendamos, ao longo das eras, a nos dedicar o verdadeiro amor,
reciprocamente, deveremos, antes, aprender a vivenciar esse amor em suas expressões mais
variadas, em pequenos grupos aos quais chamamos familiares – verdadeiros laboratórios
em que aprendemos a conviver com espíritos das mais diferentes inclinações, gostos e posturas
ante a existência – locus em que aprendemos a respeitar individualidades, personalidades,
distintos posicionamentos.
(...) Assim, numa só existência o indivíduo molda personalidades de filho ou filha, de
esposo ou esposa, de pai ou de mãe, de irmão ou de irmã, de avô ou de avó, e de outros laços
secundários. Cada alma, reencarnações afora, aprende a sensibilizar-se, a portar-se, a agir e a
reagir, a sofrer e a amar, vivenciando cada uma dessas relações, em famílias forjadas segundo
povos, etnias e raças variados, conforme culturas diferentes.
Não podemos estranhar, com isso, a multiplicidade de valores, de coerências e
incoerências, de grandezas e pequenezas, de gostos, de anseios, de liberdades, de algemas, de
alegrias e tristezas endógenas que encontramos em indivíduos e em grupos de indivíduos.
São somatórios, subtrações, multiplicações e divisões de tudo o que vêm acumulando,
fixando, ganhando e perdendo, pelos milênios afora.
É desse modo, no mundo, que Deus nos mostra que para conseguir amar multidões
inumeráveis de irmãos nossos, temos que aprendê-lo pelo exercício desse amor a pequenos
grupos de três, cinco ou dez pessoas, dentro do lar, uma vez que ninguém pode ser fiel em
grandes obras, se não consegue sê-lo nas obras pequenas, conforme o ensino de Jesus.
Camilo – Desafios da vida Familiar – Cap. 1 – O Sentido da Família
Os Pais não são os construtores da vida, porém, os médiuns dela, plasmando-
a, sob a divina diretriz do Senhor.
Tornam-se instrumentos da oportunidade para os que sucumbiram nas lutas ou
se perderam nos tentames da evolução, algumas vezes se transformando em veículos para os
embaixadores da verdade descerem ao mundo em agonia demorada.
A carne gera a carne, mas o espírito não produz o espírito.
O filhinho que te chega é compromisso para a tua existência.
Não o temas, nunca.
Não o ofendas com a falsa valorização dele, em demasia.
Recorda-lhe a humildade, considerando a procedência de todos nós e o lugar
comum do barro orgânico...
E orienta-o dignamente, sem cessar.
Joanna de Angelis – SOS família – Cap. 17 – Perante a Prole
5
As Perturbações Espirituais no Lar
Não é a família em si que nossos contemporâneos recusam, mas o modelo
excessivamente rígido e normativo que assumiu no século XIX.
Eles rejeitam o nó, não o ninho.
A casa é, cada vez mais, o centro da existência.
O lar oferece, num mundo duro, um abrigo, uma proteção, um pouco de calor
humano.
O que eles desejam é conciliar as vantagens da solidariedade familiar e as da
liberdade individual.
Tateando, esboçam novos modelos de famílias, mais igualitárias nas relações de
sexos e de idades, mais flexíveis em suas temporalidades e em seus componentes, menos
sujeitas às regras e mais ao desejo.
O que se gostaria de conservar da família, no terceiro milênio, são seus aspectos
positivos: a solidariedade, a fraternidade, a ajuda mútua, os laços de afeto e o amor. Belo
sonho.
Michelle Perrot – Veja 25 anos – Reflexões para o futuro – São Paulo/Abril, 1993 – O Nó e
o Ninho,
Umberto Ferreira – Revista Reformador – 1994 – Maio – Reflexões sobre a Família
De todos os institutos sociais existentes na Terra, a Família é o mais
importante, do ponto de vista dos alicerces morais que regem a vida.
Emmanuel – Vida e Sexo – Cap.17 – Aborto
6
As Perturbações Espirituais no Lar
1.1.2 Aperfeiçoamento Mútuo
Deus permite, nas famílias, essas encarnações de espíritos antipáticos ou estranhos,
com o duplo objetivo de servir de prova para alguns, e de meio de adiantamento para
outros.
Os maus se melhoram pouco a pouco ao contato dos bons e pelos cuidados que deles
recebem; seu caráter se abranda, seus costumes se depuram e suas antipatias se apagam; é assim
que se estabelece a fusão entre as diferentes categorias de espíritos, como ocorre na Terra, entre
as raças e os povos.
Allan Kardec – Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap 4 – Item 19
Teu lar, tua escola. Aí dentro, serás professor e aluno ao mesmo tempo.
Erguer-te-ás na cátedra do dever cumprido e transmitirás o ensinamento vivo do bom
exemplo aos que te acompanham. Por outro lado, ouvirás, talvez, aí nesse abençoado cenáculo
de aperfeiçoamento moral, frases agressivas ou conceitos ferinos que desconheces na vida
pública, a fim de que aprendas paciência e humildade, no trato da purificação.
Emmanuel – No Portal da Luz – Cap. 8 – Familiares Incompreensivos
Os Pais educam para a sociedade, quanto para si mesmos.
Examina a tua vida e dela retira as experiências com que possas brindar a tua prole.
Tens conquistas pessoais, porquanto já trilhaste o caminho da infância, da adolescência
e sabes de moto próprio discernir entre os erros e acertos dos teus educadores, identificando o
que de melhor possuis para dar.
Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 14 – Deveres dos Pais
Naturalmente que a disciplina se fazia inquestionável, desde que a reencarnação tem
como objetivos primeiros a reeducação moral, o recondicionamento superior das tendências e
aptidões negativas que devem ser canalizadas para metas elevadas, o ressarcimento das dívidas
e a aquisição dos valores da inteligência e da moral.
Para tanto, o lar é de fundamental importância, por ser o primeiro educandário do
espírito em recomeço, numa aprendizagem que lhe fixará diretrizes para toda a existência.
Victor Hugo 100 Reflexões Filosóficas e Cor Local nos Romances Cap. 18 O amor
e a educação na infância
7
As Perturbações Espirituais no Lar
Vale pensar seriamente sobre as razões pelas quais tais ou quais Espíritos estão na
condição de teus filhos, vinculados biologicamente a ti. Há motivos ponderáveis e outros
imponderáveis para que os tenhas como produtos da tua cooperação fisiológica com o Criador.
Considerando que o Pai da vida não comete equívocos em seus desígnios, em suas leis,
tens as condições necessárias e suficientes para impulsionar os teus descendentes para os
caminhos do bem, seguindo junto a eles com teus testemunhos de fidelidade aos céus.
É nas páginas luculentas de o Evangelho segundo o Espiritismo que encontramos as
referências de Santo Agostinho a respeito dos compromissos dos genitores para com seus filhos,
ou seja, os de encaminhá-los para o criador. Esse é o maior compromisso da pater-
maternidade no orbe.
Na mesma obra literária espírita, aqui referida, ainda o Bispo de Hipona informa que o
pai da criação um dia perguntará a cada pai ou a cada mãe terrestre: que fizeste do filho que te
confiei?
Esta é uma pergunta desnorteadora, pois eclode no âmago da consciência, fazendo
cada genitor refletir sobre o uso que fez do acesso espiritual à alma dos filhos; é quando cada
um verificará se a omissão se deu por preguiça, por ignorância, por causa da filosofia religiosa
ou política que adotou.
Para todos os casos o senhor terá solução diferente, encaminhamento diverso, até
mesmo programando o retorno às reencarnações dos pais e dos filhos, daqueles que se perderam
e daqueles outros que se tornaram responsáveis por essas perdas de ordem moral.
Camilo Nos Passos da Vida Terrestre Cap. 8 – Descaso na Educação
Maternidade e paternidade são magistérios sublimes.
Lar, primeira escola; pais, primeiros professores; primeiro dia de vida, primeira aula do
filho.
Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa
deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas
superiores de Vida.
André Luiz O Espírito da Verdade – Cap. 16 Educação
8
As Perturbações Espirituais no Lar
1.1.3 Reajuste e Rearmonização Espiritual
Família – Espelho vivo do nosso pretérito.
Caldeira de refinamento do óleo bruto do Espírito – dilui, em temperatura elevada de
tensão irresistível, as paixões rudes fixadas nas peças sensíveis da máquina psíquica.
Marco Prisco – Ementário Espírita – Cap. 6 – No Lar
A Família é abençoada escola de educação moral e espiritual, oficina santificante
onde se lapidam caracteres; laboratório superior em que se caldeiam sentimentos, estruturam
aspirações, refinam idéias, transformam mazelas antigas em possibilidades preciosas para a
elaboração de misteres edificantes.
Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 25 – Filhos Ingratos
A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver
em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações?
Neio Lucio – Jesus no Lar – Cap. 1 – O Culto Cristão no Lar
Quem descobre a maneira de viver bem em seu lar, já está preparado para viver bem
a vida inteira, em qualquer parte do mundo.
Jácome Góes – Conceitos de Vida – Cap. 17 – A Difícil convivência no Lar
Geralmente, não se reúnem a nós os companheiros que já demandaram a Esfera
Superior, [dignamente] aureolados por vencedores, e sim afeiçoados menos estimáveis de
outras épocas, a fim de restaurarmos o tecido da fraternidade, indispensável ao agasalho de
nossa alma, na jornada para a frente.
Muitas vezes, na condição de pais e filhos, cônjuges ou parentes, não passamos de
devedores em resgate de antigos compromissos.
Emmanuel – Nós – Cap. 5 – A Família / Família – Cap. 1 – Em Família
Atados por compromissos anteriores, retornam, ao lar, não somente aqueles seres a
quem se ama, senão aqueloutros a quem se deve ou que estão com dívidas....
Joanna de Ângelis – SOS Família Cap. 2 Vida em Família
9
As Perturbações Espirituais no Lar
A Família é, antes de tudo, um laboratório de experiências reparadoras, na qual a
felicidade e a dor se alternam, programando a paz futura.
Nem é o grupo da bênção, nem o élan da desdita.
Antes é a escola de aprendizagem e redenção futura.
Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 2 – Vida em Família
Famílias-problema! ...
− Irmãos que se antagonizam...
− Cônjuges em lamentáveis litígios...
− Animosidades entre filho e pai, farpas de ódios entre filha e mãe...
− Afetos conjugais que se desmantelam em caudais de torvas acrimônias...
− Sorrisos filiais que se transfiguram em rictos de idiossincrasias e vinditas...
− Tempestades verbais em discussões extemporâneas...
− Agressões infelizes de consequências fatais...
− Tragédias nas paredes estreitas da família...
− Enfermidades rigorosas sob látegos de impiedosa maldade...
− Mãos encanecidas sob tormentos de filhos dominados por ódios inomináveis.
− Pais enfermos açoitados por filhas obsidiadas, em conúbios satânicos de reações
violentas em cadeia de ira...
− Irmãos dependentes sofrendo agressões e recebendo amargos pães, fabricados
com vinagre e fel de queixas e recriminações...
Famílias em guerras tiranizantes, famílias-problema! ...
É da Lei Divina que o infrator renasça ligado à infração que o caracteriza.
A justiça celeste estabeleceu que a sementeira tem caráter espontânea, mas a colheita
tem impositivo de obrigatoriedade.
Não renasceste ali por circunstância anacrônica ou casual.
Não resides com uma família-problema por fator fortuito nem por engano dos Espíritos
Egrégios.
Escolheste, antes do retorno ao veículo físico, aqueles que dividiriam contigo as aflições
superlativas e os próprios desenganos.
Joanna de Angelis – Dimensões da Verdade – Cap. 52 – Dentro do Lar
10
As Perturbações Espirituais no Lar
1.1.4 Polo de Indução
O lar é o mais vigoroso centro de indução que conhecemos na Terra.
À maneira de alguém que recebe esse ou aquele tipo de educação em estado de
sonolência, o Espírito reencarnado, no período infantil, recolhe dos Pais os mapas de
inclinação e conduta que lhe nortearão a existência, em processo análogo ao da escola
primária, pelo qual a criança é impelida a contemplar ou mentalizar certos quadros, para refleti-
los no desenvolvimento natural da instrução.
As almas valorosas, dotadas de mais alto padrão moral, segundo as aquisições já feitas
em numerosas reencarnações de trabalho e sacrifício, constituem exceções no ambiente
doméstico, por se sobreporem a ele, exteriorizando a vontade mais enérgica de que se fazem
mensageiras.
Contudo, via de regra, a maioria esmagadora de Inteligências encarnadas retratam
psicologicamente aqueles que lhes deram o veículo físico, transformando-se, por algum tempo,
em instrumentos ou médiuns dos genitores, à face do ajustamento das ondas mentais que lhes
são próprias, em circuitos conjugados, pelos quais permutam entre si os agentes mentais de que
se nutrem.
Somente depois que experiências mais fortes lhes renovam a feição interior, costumam
os filhos alterar de maneira mais ampla os moldes mentais recebidos.
André Luiz – Mecanismos da Mediunidade – Cap. 16 – Centro Indutor do Lar
O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem
é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum.
Neio Lucio – Luz no Lar – Cap. 60 – Culto Cristão no Lar
A escola é um lar de iniciação para as almas que começam as lides do burilamento
intelectual, constituindo, simultaneamente, um centro de reflexos condicionados para milhões
de espíritos que reencarnam para readquirir pelo alfabeto o trabalho das próprias conquistas na
esfera da inteligência.
Emmanuel – Pensamento e Vida – Cap. 9 – Sugestão
11
As Perturbações Espirituais no Lar
1.2 As Obsessões x As Perturbações Espirituais – O Que É
Obsessão = Influência espiritual, negativa, continuada no tempo. Usualmente ligadas
a fatores cármicos.
Perturbação Espiritual = Influência espiritual, negativa, intermitente no tempo.
Usualmente ligadas a tendências negativas íntimas e vícios morais.
Adalberto Coelho
1.2.1 Obsessão Espiritual
A obsessão é a ação persistente que o Espírito “ignorante” exerce sobre um
indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem
perceptíveis sinais exteriores até a perturbação completa do organismo e das faculdades
mentais”.
Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. 28 – item 81
A obsessão consiste no domínio que os maus Espíritos assumem sobre certas
pessoas, com o objetivo de as escravizar e submeter à vontade deles, pelo prazer que
experimentam em fazer o mal.
Quando um Espírito, bom ou mau, quer atuar sobre um indivíduo, envolve-o, por assim
dizer, no seu perispírito, como se fora um manto. Interpenetrando-se os fluidos, os pensamentos
e as vontades dos dois se confundem e o Espírito, então, se serve do corpo do indivíduo, como
se fosse seu, fazendo-o agir à sua vontade, falar, escrever, desenhar, quais os médiuns.
Allan Kardec – Obras Póstumas – Cap. 7 – Item 56
No número das dificuldades que a prática do Espiritismo apresenta é necessário colocar
a da obsessão em primeira linha.
Trata-se do domínio que alguns Espíritos podem adquirir sobre certas pessoas.
São sempre os Espíritos inferiores que procuram dominar, pois os bons não exercem
nenhum constrangimento.
Os bons aconselham, combatem a influência dos maus, e se não os escutam preferem
retirar-se.
Os maus, pelo contrário, agarram-se aos que conseguem prender. Se chegam a dominar
alguém, identificam-se com o Espírito da vítima e a conduzem: como se faz com uma criança.
Allan Kardec – O Livro dos Médiuns – Cap. 23 – Item 237 – A Obsessão
12
As Perturbações Espirituais no Lar
A obsessão, sob qualquer modalidade que se apresente, é enfermidade de longo curso,
exigindo terapia especializada de segura aplicação e de resultados que não se fazem sentir
apressadamente.
Transmissão mental de cérebro a cérebro, a obsessão é síndrome alarmante que
denuncia enfermidade grave de erradicação difícil.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
Obsessão é o domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas.
Nunca é praticada senão pelos Espíritos inferiores, que procuram dominar.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
Em toda obsessão, mesmo nos casos mais simples, o encarnado conduz em si mesmo
os fatores predisponentes e preponderantes – os débitos morais a resgatar – que facultam
a alienação.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
Desse modo, as obsessões, na sua fase inicial, antes da tragédia da subjugação, de mais
difícil reequilíbrio, têm caráter Provacional, enquanto que a idiotia e a loucura estão incursas
nas expiações redentoras, através das quais o espírito calceta desperta para a compreensão dos
valores da vida, enriquecendo-se de sabedoria para os futuros comportamentos.
Assim mesmo, nos casos dessa ordem, a contribuição psicoterapêutica do Espiritismo
através da bioenergia, da água fluidificada, da doutrinação do paciente e dos espíritos que,
possivelmente, estarão complicando-lhe o processo de desequilíbrio, a oração fraternal e
intercessória são de inequívoco resultado saudável, proporcionando o bem-estar possível e a
diminuição de sofrimento do paciente, a ambos encaminhando para a paz e a futura plenitude.
Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 1o
Parte – Cap. 5 – Obsessão,
Idiotia e Loucura
As obsessões enxameiam por toda parte e os homens terminam por conviver, infelizes,
com essas psicopatologias para as quais, fugindo à sua realidade, procuram as causas nos
traumas, nos complexos, nos conflitos, nas pressões sociais, familiares e econômicas, como
mecanismo de fuga aos exames de profundidade da gênese real de tão devastadora enfermidade.
Não negando a preponderância de todos esses fatores que desencadeiam problemas de
comportamento psicológico, afirmamos que eles, antes de constituírem causa dos distúrbios,
são, em si mesmos, efeito de atitudes transatas, que o Espírito imprime na organização
fisiopsíquica ao reencarnar-se, porquanto é sempre colocado no grupo familiar com o qual se
encontra enredado, por impositivo de ressarcimento de dívidas, para o equilíbrio evolutivo.
Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 26 – Fenômenos
Obsessivos
13
As Perturbações Espirituais no Lar
1.2.2 Perturbação Espiritual
Existem, sim, em número expressivo, interessados em perturbar a marcha das criaturas
humanas. Nenhuma dúvida sobre esta questão.
Pululam, ao lado dos homens e das mulheres, como nuvem que os acompanha, conforme
observou o Apóstolo Paulo.
Atraídos pelas imperfeições humanas, imantam-se àqueles com os quais sintonizam,
realizando um terrível comércio espiritual.
Tenazes e perigosos, espreitam, na situação em que se encontram, as suas futuras
vítimas, e logo dispõem de possibilidade cercam-nas, envolvendo-as em pensamentos
perturbadores com tal insistência que as desarmonizam.
Outras vezes, sitiam-lhes as emoções, descarregando energias deletérias que terminam
por descontrolar os centros do equilíbrio, levando-as a transtornos depressivos, do pânico,
obsessivos-compulsivos.
Invadem o campo da vontade daqueles que se permitem sofrer-lhes o assédio,
empurrando-os para situações calamitosas, nas quais se comprazem.
Em incontáveis ocasiões atiram pessoas imprevidentes, umas contra as outras, gerando
situações embaraçosas, causando graves distúrbios no comportamento, nos relacionamentos
sociais.
São hábeis na produção da cizânia, nutrindo-se da maledicência em que os frívolos se
demoram, aplicando o tempo que poderia ser útil em sistemática difamação do seu próximo.
Perversos, não respeitam os valores éticos nem morais, preferindo, naturalmente, as
pessoas que se encontram no claro-escuro da distonia psicológica, que mais lhes facilita a
identificação.
(...) Isoladamente, por inveja, malquerença, desocupação ou desdita pessoal, tornam-se
verdadeiros flagelos para a Humanidade e, com a sua insistência calamitosa, desviam do rumo
aqueles contra quem investem com fúria continuada.
(...) É indispensável ter-se muito cuidado com eles.
Esses Espíritos, em razão da inferioridade em que se encontram, imiscuem-se em
todos os cometimentos humanos, dominados pela perversidade ou simplesmente pela falta do
que fazer, mediante loucas tentativas de desforço contra a sociedade, para a qual transferem a
responsabilidade pelo fracasso das suas infelizes existências terrenas.
Joanna de Ângelis – Diretrizes para o êxito – Cap. 21 – Adversários Perigosos
14
As Perturbações Espirituais no Lar
Há, no entanto, uma influenciação sutil, que passa despercebida e merece
consideração.
Referimo-nos à identificação de idéias e propósitos, que certos indivíduos recebem
noutros, passando a receber-lhes o magnetismo e deixando-se impregnar.
Quando essa força se exterioriza de pessoa boa, nobre e generosa, produz salutar efeito
sobre aquele que se deixa arrastar, assimilando-lhe as vibrações e os exemplos edificantes de
que passam a dar mostras após o convívio estabelecido.
Quando, porém, se trata de criatura enferma do caráter, portadora de imperfeições
morais danosas, a sua subjugação se transforma em efeito nefasto para quem lhe padece a
injunção.
Sentindo-se atraído pela influenciação daquele com quem convive, cabe a cada um
desidentificar-se desse arrastamento e sintonizar com Jesus, que é o único modelo para a
humanidade terrestre.
Assimilar as boas impressões é muito importante, mantendo, porém, a própria
individualidade, desde que, cada Espírito possui específico patrimônio, e tem por meta, em
razão dos seus atos passados, a renovação interior e a auto recuperação conforme as forças de
que disponha.
(...) Procura, desse modo, também tu, identificar a onda de influenciação que te
envolve e descobrir-lhe a procedência, a fim de elegeres aquela que te beneficie, sem que
interfira ou perturbe a tua individualidade ou a tua tarefa.
(...) Judas, inspirado sutilmente pelas forças do mal, traiu ao Amigo.
Pedro, amedrontado, foi teleguiado pelas mesmas entidades perversas e negou-O.
Os que O acompanharam na entrada triunfal de Jerusalém, poucos dias antes,
atemorizados, foram sutilmente afastados dEle, a Quem aclamaram com entusiasmo no
domingo anterior...
Sob comando mental sutil, Zaqueu subiu ao sicômoro para vê-lO passar, e gozou a honra
de recebê-lO depois no seu lar. Maria de Madalena, conduzida de forma sutil ao sepulcro,
testemunhou-Lhe a ressurreição.
Os fenômenos ostensivos despertam mais interesse, provocam admiração, porém cedem
lugar aos sutis, permanentes, que conduzem as pessoas que devem aprimorar a sua capacidade
de percepção mediúnica, a fim de seguirem, com acerto e paz, a experiência do progresso e da
iluminação.
Joanna de Angelis – Sob a Proteção de Deus – Cap. 28 – Fenômeno Mediúnico Sutil
15
As Perturbações Espirituais no Lar
As obsessões sutis são perigosas, exatamente em razão da sua delicadeza de estrutura,
da maleabilidade com que se apresentam, sendo confundidas com as naturais manifestações
de conduta psicológica pertinente a cada indivíduo.
É necessário muito discernimento para distinguir, quando se expressam desajustes
emocionais, transtornos orgânicos que afetam a conduta psicológica e influências espirituais
perturbadoras.
Tornar os ensinamentos cristãos parte da filosofia existencial diária constitui um recurso
valioso para a preservação da saúde sob quaisquer aspectos considerados, e mesmo quando se
manifestem enfermidades, na condição de terapia psicológica e espiritual, capaz de manter o
equilíbrio interior e a coragem para o prosseguimento da luta até o momento da vitória.
Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 2o
Parte – Cap. 2 – Sutilezas da
Obsessão
Sempre que você experimente um estado de espirito tendente ao derrotismo, perdurando
há várias horas, sem causa orgânica ou moral de destaque, avente a hipótese de uma
influenciação espiritual sutil.
(...) Seja claro consigo para auxiliar os Mentores Espirituais a socorrer você. Essa é a
verdadeira ocasião da humildade, da prece, do passe.
O encarnado responsável pode estar tão inconsciente de seus atos que os efeitos
negativos se fazem sentir como se fossem desenvolvidos pela própria pessoa.
Quando o influenciador é consciente, a ocorrência é preparada com antecedência e
meticulosidade, às vezes, dias e semanas antes do sorrateiro assalto, marcado para a
oportunidade de encontro em perspectiva, conversação, recebimento de carta, clímax de
negocio ou crise imprevista de serviço.
Não se sabe o que tem causado maior dano à Humanidade: se as Obsessões
espetaculares, individuais e coletivas, que todos percebem e ajudam a desfazer ou isolar, ou se
essas meio-obsessões, de quase-obsidiados, despercebidas, contudo, bem mais freqüentes, que
minam, as energias de uma só criatura incauta, mas por vezes influenciando o roteiro de legiões
de outras.
Quantas desavenças, separações e fracassos não surgem assim?
Estude em sua existência se nessa última quinzena você não esteve em alguma
circunstância com características de influenciação espiritual sutil.
Estude e ajude a você mesmo.
André Luiz – Estude e Viva – Cap. 35 – Influenciações Espirituais Sutis
16
As Perturbações Espirituais no Lar
Quem, periodicamente, experimente as alternâncias de humor, de estados emocionais e
físicos, sem causas imediatas, certamente está sob a pressão de obsessões intermitentes,
necessitando de coragem para o auto-exame, o enfrentamento das inferioridades e a elevação
moral, entregando-se ao bem que possa fazer e fruir, no qual a saúde se torna o estado ideal que
todos aspiram.
Manoel Philomeno de Miranda – Antologia Espiritual – Cap. 35 – Obsessões Intermitentes
Através do autocontrole, vigiaremos a porta de nossas manifestações, barrando gestos e
palavras desaconselháveis, e, com o auxílio da oração, faremos luz para entender o que há
conosco, de maneira a impedir a própria queda em alienação e tumulto.
Atendamos constantemente a esse trabalho de auto imunização mental, porque, junto
ao imenso número de companheiros perturbados e obsediados que enxameiam a Terra de hoje,
em toda parte, encontramos milhares de criaturas irmãs que estão quase às portas da obsessão.
Emmanuel – Alma e coração – Ca. 21 – Perturbação e obsessão
Quando experimentes tormentos íntimos ou te encontres exaltado, e anotes estranha,
peculiar presença ao teu lado;
Quando tenhas a sensação de que uma força irresistível te propele ao erro, à
agressividade, ao desequilíbrio;
Quando te sintas angustiado ou deprimido, sem uma razão aparente, e não consigas
racionalmente superar essa situação;
Quando idéias inabituais se desenhem nos teus painéis mentais, produzindo
inquietação ou medo;
Quando sejas tomado por impressões premonitórias, que mais tarde se confirmam,
causando-te surpresa;
Quando te pareça perceber vultos de pessoas em tua volta ou sons inarticulados na
acústica da alma;
Quando ores e te encontres envolvido por suaves e harmônicas vibrações;
Quando impulsos generosos comandem os teus hábitos, levando-te à renovação de
comportamento;
Quando estiveres induzido ao perdão das ofensas, ao esquecimento das mágoas, à
liberação daqueles a quem escravizas emocionalmente por ciúme, insegurança pessoal, ou
egoísmo;
Quando desabrochem, em ondas sucessivas, os sentimentos de amor em relação ao
próximo, à Natureza, à Vida, sem dúvida estarás sob a indução dos Espíritos
desencarnados, que de uma ou de outra forma se acercam de ti, e lhes captas o pensamento,
sintonizando com as suas emoções.
Joanna de Angelis – Sob a Proteção de Deus – Cap. 28 – Fenômeno Mediúnico Sutil
17
As Perturbações Espirituais no Lar
2. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Preponderantes – A
“Raiz”
A Doutrina que estuda as obsessões, as suas causas preponderantes e predisponentes
– o Espiritismo –, possui os recursos excepcionais capazes de vencer essa epidemia cruel que,
generalizada, invade hoje a Terra em todos os seus pontos.
Eurípedes Barsanulfo – Sementes de Vida Eterna – Cap. 50 – Tormentos da Obsessão
Nos processos obsessivos, não deixemos de repeti-lo, estão incursas na Lei as pessoas
que constituem o grupo familiar e social do paciente, aí situado por necessidade evolutiva e
de resgate para todos.
Não se podem fugir à responsabilidade os que foram cúmplices ou co-autores dos
delitos, quando os infratores mais comprometidos são alcançados pela justiça. Reunidos pelo
parentesco sanguíneo ou através de conjunturas da afetividade, da afinidade, formam os grupos
onde são alcançados pelos recursos reeducativos, dentro dos objetivos do progresso.
Manoel Philomeno de Miranda – Nas Fronteiras da Loucura – Introdução – Análise das
Obsessões
2.1 Débitos Cármicos
Pululam em torno da Terra os maus Espíritos, em consequência da inferioridade moral
de seus habitantes.
A ação malfazeja desses Espíritos é parte integrante dos flagelos com que a Humanidade
se vê a braços neste mundo.
A obsessão, que é um dos efeitos de semelhante ação, como as enfermidades e todas as
atribulações da vida, deve, pois, ser considerada como provação ou expiação e aceita com
esse caráter.
Allan Kardec – A Gênese – Cap. 14 – Os Fluidos – Obsessões e Possessões
Neste capítulo, o das culpas, origina-se o fator causal para a injunção obsessiva; daí
porque só existem obsidiados porque há dívidas a resgatar.
A culpa, consciente ou inconscientemente instalada na casa mental, emite ondas que
sintonizam com inteligências doentias, habilitando-se a intercâmbios mórbidos.
A obsessão resulta de um conúbio por afinidade de ambos os parceiros.
O reflexo de uma ação gera reflexo equivalente.
Toda vez que uma atitude agride, recebe uma resposta de violência, tanto quanto, se o
endividado se apresenta forrado de sadias intenções para o ressarcimento do débito, encontra
benevolência e compreensão para recuperar-se.
Manoel Philomeno de Miranda – Painéis da Obsessão – Prefácio
18
As Perturbações Espirituais no Lar
Com origem nos refolhos do espírito encarnado, obsessões há em escala infinita e,
consequentemente, obsidiados existem em infinita variedade, sendo a etiopatogenia de tais
desequilíbrios, genericamente denominada distúrbios mentais, mais ampla do que a clássica
apresentada, merecendo destaque aquela denominação causa cármica.
Jornaleiro da Eternidade, o espírito conduz os germens cármicos que facultam o
convívio com os desafetos do pretérito, ensejando a comunhão nefasta.
Inicialmente o hospede espiritual (o obsessor), movido pela morbidez do ódio ou do
amor insano, ou por outros sentimentos, envolve a casa mental do futuro parceiro (o obsedado)
– a quem se encontra vinculado por compromissos infelizes de outras vidas, o que lhe confere
receptividade por parte deste, mediante a consciência da culpa, o arrependimento
desequilibrante, a afinidade nos gostos e aspirações, por ser endividado – enviando-lhe
mensagens persistentes, em continuas tentativas telepáticas, até que sejam captadas as primeiras
induções, que abrirão o campo a incursões mais ousadas e vigorosas.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
A consciência culpada é sempre porta aberta à invasão da penalidade justa ou
arbitrária. E o remorso, que lhe constitui dura clave, faculta o surgimento de idéias-fantasmas
apavorantes que ensejam os processos obsessivos de resgate das dívidas.
Invariavelmente, na obsessão, há sempre o aproveitamento da ideia traumatizante
– a presença do crime praticado –, que é utilizada pela mente que se fez perseguidora revel,
apressando o desdobramento das forças deprimentes em latência, no devedor, as quais,
desgovernadas, gravitam em torno de quem as elabora, sendo consumido por elas mesmas,
paulatinamente.
As idéias plasmadas e aceitas pelo cérebro, durante a jornada física, criam nos painéis
delicados do perispírito as imagens mais vitalizadas, de que se utilizam os hipnotizadores
espirituais para recompor o quadro apavorante, em cujas malhas o imprevidente se vê
colhido, derrapando para o desequilíbrio psíquico total e deixando-se revestir por formas
animalescas grotescas – que já se encontram no subconsciente da própria vítima – e que
estrugem, infelizes, como o látego da justiça no necessitado de corretivo.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Cap. 4 – Estudando o
Hipnotismo
19
As Perturbações Espirituais no Lar
2.2 Indolência Mental
Os indivíduos tornam-se presas fáceis dos seus antigos comparsas, tombando nos
processos variados de alienações obsessivas, porque, além de se descurarem da observância
espiritual da existência, mediante atitudes salutares, comportamento equilibrado e vida mental
enriquecida pela prece, pela reflexão, não se esforçam por libertar-se dos aborrecimentos e
problemas desgastantes do dia a dia, mediante a aplicação dos recursos físicos e
especialmente os mentais, por acomodação preguiçosa ou por uma dependência emotiva,
infantil, que sempre transfere responsabilidades para os outros e prazeres para si.
A preguiça mental é um polo de captação das induções obsessivas pelo princípio
de aceitação irracional de tudo quanto a atinge.
Cabe ao homem que pensa dar plasticidade ao raciocínio, ampliando o campo das idéias
e renovando-as com o aprimoramento da possibilidade de absorver os elementos salutares que
o enriquecem de sabedoria e de paz íntima.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
Mentes viciadas com mais facilidade aceitam as sugestões morbíficas que lhes são
insufladas dentro do campo em que melhor se expressam: desconfiança, ciúme, ódio, desvario
sexual, dependência alcoólica ou toxicômana, gula, maledicência...
Temperamentos arredios, suspeitosos, são mais acessíveis em razão de melhor
agasalharem as induções equivalentes, que se lhes associam em forma de perfeita sintonia.
Caracteres violentos, apaixonados, mais fortemente se fazem maleáveis em decorrência
do espírito rebelde que nesse corpo habita, dissimulando as chispas que lhes acendem as
labaredas do incêndio interior, a exteriorizar-se como fogareis destruidores...
Personalidades ociosas são mais susceptíveis em razão da mente vazia sempre
acolher o que lhe apraz, deixando-se conduzir pela personalidade dos seus afins
desencarnados.
Joanna de Ângelis – Alerta – Cap. 4 – Obsessão e Jesus
Mentes em vigorosas emissões conscientes ou não dardejam em todas as direções.
Inapelavelmente, por um processo de sintonia na mesma faixa de frequência de
interesses, produzem intercâmbio salutar ou danoso, em processo de transmissão e de recepção.
Se te elevas pelo pensamento, alcanças vibrações nobres; se te perturbas e vulgarizas,
registas as mais grosseiras.
Joanna de Angelis – Rumos Libertadores – Cap. 43 – Médiuns Conscientes
20
As Perturbações Espirituais no Lar
2.3 Tendências Negativas
Os espíritos perversos e infelizes sempre se utilizam das tendências negativas
daqueles a quem odeiam, para estimulá-las, desse modo levando-os às situações penosas,
perturbadoras. Se o homem se apoia nos recursos de elevação, difícil se torna para os seus
verdugos espirituais encontrar as brechas pelas quais infiltram os seus pensamentos torpes, na
sanha da perseguição em que se comprazem.
Manoel Philomeno de Miranda – Painéis da Obsessão – Cap. 7 – Sementes da Insensatez
Na Terra, igualmente, é muito grande o número de encarnados que se convertem, por
irresponsabilidade e invigilância, em obsessores de outros encarnados, estabelecendo um
consórcio de difícil erradicação e prolongada duração, quase sempre em forma de vampirismo
inconsciente e pertinaz.
São criaturas atormentadas, feridas nos seus anseios, invariavelmente inferiores que,
fixando aqueles que elegem gratuitamente como desafetos, os perseguem em corpo astral,
através dos processos de desdobramento inconsciente, prendendo, muitas vezes, nas malhas
bem urdidas da sua rede de idiossincrasia, esses desassisados morais, que, então, se trans-
formam em vítimas portadoras de enfermidades complicadas e de origem clínica ignorada...
Outros, ainda, afervorados a esta ou àquela iniquidade, fixam-se, mentalmente, a
desencarnados que efetivamente se identificam e fazem-se obsessores destes, amargurando-
os e retendo-os às lembranças da vida física, em lamentável comunhão espiritual degradante...
Além dessas formas diversificadas de obsessão, outras há, inconscientes ou não, entre
as quais, aquelas produzidas em nome do amor tiranizante aos que se demoram nos
invólucros carnais, atormentados por aqueles que partiram em estado doloroso de perturbação
e egocentrismo... ou entre encarnados que mantém conúbio mental infeliz e demorado...
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão
Todo desregramento ou abuso de que sejamos dispenseiros se faz utilizado por mentes
vigilantes e perversas do Mundo Espiritual, que açulam falsas necessidades, estabelecendo
comércio lamentável e doloroso, em cujo curso surgem obsessões de consequências
imprevisíveis, que se podem evitar antes, se refugiados no uso correto das faculdades da
existência e na utilização da oração, forem aplicadas as horas na execução do programa de
enobrecimento íntimo para o qual nascemos e renascemos.
Marco Prisco – Sementeira da Fraternidade – Cap. 28 – Acessos à Obsessão
É uma questão clara e aberta:
O “encosto” que nos encosta
Tem a base justa e certa
Naquilo que a gente gosta.
Toninho Bittencourt – Sorrir e pensar – Cap. 13 – Temas da obsessão
21
As Perturbações Espirituais no Lar
3. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Predisponentes – O
“Adubo”
3.1 Alto índice de Criminalidade na Sociedade atual
Os altos índices da criminalidade de todos os matizes e as calamidades sociais
espalhadas na Terra são alguns dos fatores predisponentes para as obsessões...
Os crimes ocultos, os desastres da emoção, os abusos de toda ordem de uma vida
ressurgem depois, noutra vida, em caráter coercitivo, obsessivo.
Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Exórdio
A estes e a seus congêneres deve a sociedade do Rio de Janeiro grande percentagem dos
acidentes verificados diariamente nas vias públicas e pelos domicílios particulares:
atropelamentos, quedas, braços e pernas partidos, queimaduras, suicídios, homicídios,
brigas, escândalos, confusões domésticas, assaltos, etc., etc.
É a atmosfera. em que vivem e se agitam, porque já eram afins com ela antes de
passarem para a vida invisível.
É o que constantemente inspiram, sugerem e incitam, encontrando no homem um
colaborador passivo, que facilmente se deixa dominar por suas terríveis seduções.
A infelicidade alheia é o seu espetáculo preferido: Provocam mil distúrbios na sociedade
e nos lares, pois se divertem com a prática de malefícios.
Não entendem a sublime significação dos vocábulos – amor, caridade, piedade,
fraternidade, honestidade! Não crêem em Deus nem têm religião. Odeiam o bem e o belo com
todas as forças vibratórias que possuem.
Odeiam os homens e os seguem, sorrateira e covardemente, porque odiavam a
própria sociedade, antes de morrerem, sabendo que não serão vistos nem pressentidos. E
a perseguição mental que lhes movem, aos homens, é inveterada e implacável, afirmando eles
que assim agem porque igualmente foram perseguidos, quando homens, pela sociedade, que
nunca os protegeu contra os males com que tiveram de lutar: doenças, miséria, fome, falta de
instrução, orfandade, desemprego, delinquência, desesperos de mil e uma naturezas. ..
E muitos destes foram, com efeito, delinquentes que a sociedade perseguiu e levou ao
desespero, em vez de ajudá-los a se reeducarem para Deus...
O resultado de tal incúria por parte dos homens aí está: uma vez desaparecidos da
vida objetiva, pela chamada morte, infestam, como Espíritos, a sociedade, e prejudicam-
na, acobertados pelo segredo da morte...
Yvonne Pereira – Devassando o Invisível – Cap. 10 – Os grandes segredos do Além
22
As Perturbações Espirituais no Lar
3.2 Incremento dos conflitos Familiares – violência domesticas
Há aqueles que falam aos gritos, os que são sempre grosseiros ao se expressar junto aos
familiares.
Há aqueles que têm sempre um alfinete pronto para as alfinetadas comuns dentro de
casa.
Os que falam jogando piadas, com segundas intenções, e ferem o temperamento daquele
que é mais sensível ou que é pavio curto.
E há aqueles que, dentro de casa, nem pavio têm, explodem por qualquer coisa.
Natural é pensar, nessas ocasiões, que nós estaremos dando margem a infiltrações
espirituais inferiores. Como nos disse o Apóstolo Paulo, estamos o tempo todo sendo
observados por uma nuvem de testemunhas.
Raul Teixeira – Federação Espírita do Paraná – Programa Vida e Valores – No
116
– 2007 – Outubro – Perturbações Espirituais no Lar
Muita gente chega aos casamento já portadora de anomalias da emoção ou do
caráter, ou de ambos, enquanto muitos alcançam os esponsais com grandes predisposições aos
desarranjo interior, após o que as tensões, as dores morais, a violência psicológica e física
experimentadas no cotidiano, advindas do cônjuge agressivo, de personalidade esquizoide ou
portador de outras patologias, acabam por chafurdar no lodo das enfermidades psicológicas,
dos destrambelhos mentais a exigirem sérios tratamentos reestruturadores, e, no caso de não
existirem essas providencias restauradoras do equilíbrio, haverá o comprometimento
negativo dessas criaturas, o que se espalhará para todas as suas realizações ao longo da
reencarnação e que, sem nenhuma dúvida, converterá a vida familiar num verdadeiro
pandemônio ou num inferno desolador.
Há muitos filhos que nascem nesse caldo de cultura familiar e que padecem,
amargamente, os mais variados tipos de maus-tratos físicos e psicológicos, além de não
encontrarem nenhum respaldo que os socorra, que os liberte dessas amarras consanguíneas,
impondo-lhes, desde muita tenra idade, expiações indescritíveis.
(...) quando levamos em consideração os elementos de outras existências corporais do
ser, ou de outras reencarnações planetárias, surge quase sempre um fator que costuma
influenciar grandemente os passos dos indivíduos no mundo, que é a obsessão espiritual.
Raul Teixeira/Camilo – Minha Família, o Mundo e Eu – Cap. 11 – Pais e Mães com
dificuldades morais
23
As Perturbações Espirituais no Lar
3.3 Aumento da sintonia psíquica negativa na Transição Planetária
“Época de Transição”: esta é a legenda que repetis frequentemente para definir a
atualidade terrestre, em que surpreendeis, a cada passo, larga fieira de ocorrências inusitadas:
Conflitos; Desencarnações em massa; Acidentes enlutando almas e lares; Desvinculações
violentas; Dramas no instituto doméstico; Processos obsessivos, culminando com
perturbações e lágrimas; Moléstias de etiologia obscura; Incompreensões.
(...) Perante a Vida Maior, quase tudo aquilo que vedes, presentemente, em matéria
de agitação ou desequilíbrio, nada mais significa que a movimentação mais intensa de
vastas coletividades que retornam à Esfera Física, em regime de urgência, no intuito de
conseguirem retoques e meios com que possam abordar os tempos novos em condições mais
dignas de trabalho e progresso.
Emmanuel – Diálogos dos Vivos – Cap. 21 – Dupla Renovação
Incontável número de seres procede das regiões dolorosas e purgativas do planeta, que
experimenta mudança de psicosfera, dentro da programática evolutiva a que estão sujeitos
homens e mundos, experimentando a assepsia dos núcleos inditosos que agasalhavam as hordas
de bárbaros do passado, temporariamente ali retidos a fim de que não obstaculizassem o
desenvolvimento do lar...
Recebendo a ensancha liberativa, apresentam-se ao crescimento espiritual, trazendo
insculpidas nos recessos do psiquismo as condições que os tipificam, apesar da aparência
harmoniosa e da estética decorrente das leis genéticas.
Sôfregos e inquietos anseiam por repetir as comunidades chãs, entre as necessidades
primárias de que se desobrigam por instinto, utilizando as aquisições da cultura científica e
filosófica tão somente para a autossatisfação.
Joanna de Angelis – Rumos Libertadores – Cap. 24 – Impulsos e Vontade
Face à necessidade de promover o progresso moral do planeta, milhões de Espíritos
foram transferidos das regiões infelizes onde se demoravam, para a inadiável investidura
carnal, por cujo recurso podem recompor-se e mudar a paisagem mental, aprendendo, na
convivência social, os processos que os promovam a situações menos torpes.
Entretanto, dependências viciosas decorrentes da situação em que viviam, leva-os a
tombarem nas malhas da toxicomania.
Bezerra de Meneses – Nas Fronteiras da Loucura – Cap. 9 – O Problema das Drogas
24
As Perturbações Espirituais no Lar
Não vos preocupeis demasiadamente com a presença pandêmica do vírus, cujo
momento será mais tarde entendido nas suas razões, nas suas origens e no porquê nos
chegou agora, provocando pânico e dor.
Vós que conheceis Jesus, mantende o respeito às leis, buscando a precaução
recomendada pelas autoridades sanitárias, mas não oculteis a mão socorrista aos padecentes,
não negueis a palavra libertadora aos que se preparam para enfrentar a Imortalidade.
Tende o cuidado para que as vossas ondas mentais sincronizem-se com as mentes que
administram as vidas, e evita descer o vosso pensamento às páginas da agonia, onde se
encontram as forças ultrajantes que estão produzindo as dores por necessidade da evolução
do planeta.
Bezerra de Meneses – Revista Presença Espírita # 338 – Maio/Junho/2020
Mensagem recebida por psicofonia de Divaldo Franco no encerramento da 22º
Conferência Estadual Espírita do Paraná, em 15/Março/2020
25
As Perturbações Espirituais no Lar
3.4 Elevado número de problemas de Comportamento – Álcool/Drogas
Há, contudo, a possibilidade de cada familiar associar-se a entidades
perturbadoras do Mundo Invisível, em razão dos seus vícios, do mau caráter ou de suas
inclinações perversas não devidamente tratadas. Esse tipo de Espíritos, comprazendo-se em
infelicitar, em desarticular tudo o que demonstre algum incipiente equilíbrio, com certeza não
se limitará a enredar a sua presa, mas buscará provocar situações de graves estresses
sentimentais entre os membros do lar daquele a quem assedia.
O resultado é que todos se sentem mal à chegada do parente inditoso, tendo em vista a
presença do desencarnado infeliz ou simplesmente pela má qualidade dos fluidos com os quais
envolve a sua presa.
Conduzindo consigo essa atmosfera fluídica desarmonizadora, é comum que onde
chegue o referido familiar haja o surgimento de indisposição, irritação ou antipatia por
parte dos demais. Esse choque fluídico pode estabelecer um processo de combates que, a
principio apenas mentais, podem degenerar ainda mais, alcançando o campo das palavras,
rumando para os embates palavrosos, para os confrontos corporais, podendo chegar a violências
extremas, a desforços e à morte.
Raul Teixeira/Camilo – Minha Família, o Mundo e Eu – Cap. 18 – Indisposições e
pugnas na Família
Muito mais grave do que parece é a obsessão, nos problemas sociais do
comportamento humano.
Alcoolismo, tabagismo, drogas alucinógenas, sexolatria, jogatina, gula recebem
grande suporte espiritual, sendo, não poucas vezes, iniciada a viciação de cá para ai, por
inspiração que fomenta a curiosidade e por necessidade que estimula o prosseguimento.
O enfermo, dificilmente, consegue evadir-se, por si mesmo, da dificuldade.
De um lado, pelos nefastos prejuízos orgânicos de que se ressente e, por outro, em razão
da incidência mental do obsessor, que o utiliza como instrumento da loucura de que se vê
possuído.
As verdadeiras multidões de dependentes de drogas ou de outras viciações estertoram,
mesmo sem o saberem, em danosos processos de obsessão lamentável.
Manoel Philomeno de Miranda – Roteiro de Libertação – Cap. 34 – Comportamento por
Obsessão
26
As Perturbações Espirituais no Lar
Invariavelmente, defrontamos nas panorâmicas da toxicomania, da sexolatria, dos
vícios em geral a sutil presença de obsessões, como causa remota ou como efeito do
comportamento que o homem se permite, sintonizando com mentes irresponsáveis e enfermas
desembaraçadas do corpo.
Atado à retaguarda donde procede, mantêm-se psiquicamente em sintonia com sítios,
nem sempre felizes, onde estagiou no Além-túmulo, antes de ser recambiado à reencarnação.
Bezerra de Meneses – Nas Fronteiras da Loucura – Cap. 9 – O Problema das Drogas
Além das conjunturas meramente psicofisiológicas, merece considerar-se que em toda
dependência viciosa há sempre uma lancinante força obsessiva, mediante a qual seres
pervertidos e viciados que viveram na Terra e se equivocaram, por processo natural de sintonia,
imantam-se às criaturas humanas, às vezes sendo a causa do mal, em circunstâncias outras, o
que é mais comum, dependentes, também, da falsa necessidade de que padece o homem...
Toxicomania, alcoolismo, tabagismo, sexualismo desvairado, paixões morais
deprimentes, tais a mentira, a calúnia, a pusilanimidade, a idiossincrasia, são amarras perigosas
e constritoras que ora dizimam expressiva soma de seres humanos, nos vários pontos da Terra.
Joanna de Angelis – Oferenda – Cap. 31 – Dependências
27
As Perturbações Espirituais no Lar
3.5 Os Reajustes Reencarnatórios Familiares
Há mais enfermos no mundo do que se supõe que existam. Isto porque, no reduto
familiar raramente fecundam a conversação edificante, o entendimento fraterno, a
tolerância geral, o amor desinteressado...
Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 11 – Cristo em Casa
E nesse vastíssimo roteiro de Espíritos em desajuste, não identificaremos tão somente
os cônjuges infortunados. Além deles, há fenômenos sentimentais mais complexos.
Existem Pais que não toleram os filhos e Mães que se voltam, impassivelmente, contra
os próprios descendentes.
Há filhos que se revelam inimigos dos progenitores e irmãos que se exterminam dentro
do magnetismo degenerado da antipatia congênita, dilacerando-se uns aos outros, com os raios
mortíferos e invisíveis do ódio e do ciúme, da inveja e do despeito, apaixonadamente cultivados
no solo mental.
Os hospitais e principalmente os manicômios apresentam significativo número de
enfermos, que não passam de mutilados espirituais dessa guerra terrível e incruenta na
trincheira mascarada sob o nome de Lar.
Batizam-nos os médicos com rotulagens diversas, na esfera da diagnose complicada;
entretanto, na profundez das causas, reside a influência maligna da parentela consanguínea que,
não raro, copia as atitudes da tribo selvagem e enfurecida.
Todos os dias, semelhantes farrapos humanos atravessam os pórticos das casas de saúde
ou de caridade, à maneira de restos indefiníveis de náufragos, perdidos em mar tormentoso,
procurando a terra firme da costa.
Ninguém pode negar a existência do amor no fundo das multiformes uniões a que
nos referimos. Mas esse amor ainda se encontra, à maneira do ouro inculto, incrustado no
cascalho duro e contundente do egoísmo e da ignorância que, às vezes, matam sem a intenção
de destruir e ferem sem perceber a inocência ou a grandeza de suas vítimas.
Por isso mesmo, o Espiritismo com Jesus, convidando-nos ao sacrifício e à bondade,
ao conhecimento e ao perdão, aclarando a origem de nossos antagonismos e reportando-
nos aos dramas por nós todos já vividos no pretérito, acenderá um facho de luz em cada
coração, inclinando as almas rebeldes ou enfermiças à justa compreensão do programa sublime
de melhoria individual, em favor da tranquilidade coletiva e da ascensão de todos.
Humberto de Campos – Luz no Lar – Cap. 5 – No Reino Doméstico
28
As Perturbações Espirituais no Lar
3.6 Os Níveis consciências diferentes dos membros da Família
Quando analisamos os relacionamentos conturbados dentro dos lares, constatamos a
imensa gama de dificuldades que permeiam as famílias.
Quase toda família tem um parente mais difícil, e muitas vezes se trata de uma pessoa
que sustenta o estranho hábito de ser desagradável, de provocar aborrecimentos por motivos
banais; em outras ocasiões, é alguém que não consegue ser gentil, mesmo sem a intenção de
agredir.
Um familiar com esse perfil é aquele a quem precisamos destinar maior soma de
cuidados e de compaixão.
Se uma pessoa faz questão de ser um estorvo ou se age de forma rude por não ter
autocontrole, estamos diante de um Espírito que carrega na intimidade uma alta dose de
conflitos.
Ele traz estados de angústia, de sofrimento e de inquietação que não consegue
exteriorizar de maneira pacífica, causando-nos um grande sentimento de repulsa, razão pela
qual acabamos sendo intolerantes e assumimos uma postura igualmente agressiva e birrenta. Se
dentro do lar não for cultivada uma visão espiritual dos laços familiares, ficará muito difícil
conduzir o problema com equilíbrio e serenidade.
Em face dessas ocorrências, muitas pessoas me perguntam o que fazer diante de um
familiar que nos fere e nos persegue, adotando posturas contrárias ao senso de justiça e amor.
A dúvida envolve a necessidade de conciliar saúde psíquica e perdão sem sermos
coniventes com o erro, e eu respondo que o método mais eficaz é oferecer o exemplo de uma
conduta saudável a fim de que isso sensibilize a pessoa de temperamento difícil.
Se não constatarmos uma transformação positiva em nosso parente, teremos que nos
manter firmes em nossas opções, dando ao indivíduo o direito de ser como é, ao mesmo tempo
que nós reservamos o direito de ser como devemos.
Kardec nos alerta que não é possível dedicar ao ser que nos causa aversão a mesma
ternura que dedicamos a quem nos ama em profundidade.
Todavia, é perfeitamente viável trabalhar-nos para ajudar o Espírito que ainda se
encontra na consciência de sono, porque poderemos ao menos respeitá-lo e oferecer-lhe o
nosso apoio no que for necessário.
29
As Perturbações Espirituais no Lar
Se a proposta se concretizar, é provável que em breve surja uma simpatia entre os seres
que inicialmente se digladiavam, em seguida pode nascer uma amizade e, com o tempo, os dois
estarão amando-se.
O amor sempre será a solução para as dificuldades da família!
Divaldo Franco – Vivências do amor em Família – Cap. 7 – Conflitos Familiares
A Psicologia Transpessoal possui uma abordagem que contribui de forma significativa
para a compreensão do processo evolutivo: o estudo dos níveis de consciência.
Cada ser se encontra em um estágio específico do desenvolvimento espiritual, o que
explica as dificuldades que podem surgir no relacionamento entre Espíritos reencarnados em
uma mesma família.
O primeiro nível de evolução é denominado consciência de sono.
Nesse patamar, o indivíduo tem interesses muito restritos, voltados apenas à satisfação
das necessidades primárias da existência humana: ele se alimenta, repousa e tem relações
sexuais, demonstrando que é um ser fisiológico, que vive da boca para baixo, manifestando
mais o instinto do que a inteligência, as emoções e a afetividade.
No entanto, lentamente o Espírito desenvolverá suas potencialidades mais profundas e
se tornará um ser psicológico.
O segundo nível evolutivo é a consciência desperta, em que a pessoa procura
satisfazer suas necessidades básicas, mas também cultiva algum ideal: ela se dispõe a colaborar
com a sua religião, com a atividade do seu clube ou outra causa humanitária, embora ainda não
se comprometa com uma proposta mais ampla de enobrecimento da vida.
Essa pessoa já possui discernimento e consegue visualizar novos horizontes, começando
a trabalhar o seu mundo psíquico para futuras incursões em paisagens superiores.
O terceiro nível é intitulado consciência de si mesma, quando o ser se revela
possuidor de virtudes mais aprimoradas e se candidata à realização de ações expressivas em
benefício da coletividade: ele se torna pioneiro em atividades de transformação do panorama
social e é convidado a participar de projetos humanos de grande impacto, mobilizando seu
potencial anímico a fim de cumprir os compromissos abraçados.
É uma fase em que o indivíduo sintoniza com Espíritos nobres para assumir o papel de
verdadeiro colaborador em Programas de dignificação da criatura humana, sustentado pelo
contato com as forças espirituais que zelam pelo seu êxito.
30
As Perturbações Espirituais no Lar
Os fenômenos paranormais e mediúnicos desabrocham com naturalidade, e ele
vislumbra um mergulho profundo nas dimensões do Infinito...
O quarto nível é classificado como consciência objetiva ou consciência cósmica, em
que o Espírito se encontra no mais alto grau evolutivo que se pode almejar na Terra.
Esse patamar foi alcançado pelo admirável apóstolo Paulo, que disse de forma
inesquecível: "Já não sou eu que vivo, é o Cristo que vive em mim!".
Também podemos ver o mesmo desenvolvimento espiritual em Madre Teresa de
Calcutá, que afirmou amorosamente: "Eu sou o lápis na mão de Deus. Ele escreve por mim
aquilo que deseja registrar!".
Divaldo Franco – Vivências do amor em Família – Cap. 7 – Conflitos Familiares
31
As Perturbações Espirituais no Lar
3.7 As Auto-Obsessões
Nem todos os fenômenos obsessivos, entretanto, procedem da injunção proposital
de um Espírito desencarnado sobre outro vestido pela roupagem fisiológica.
Grande parte dos que se encontram entorpecidos pelos problemas de ordem espiritual,
psíquica ou física, padece de um processo de auto-obsessão dos mais lamentáveis, pois que
nesse quadro o Espírito obsessor é o próprio obsidiado em reencarnação compulsória de resgate
impositivo, que não consegue forças para se libertar facilmente das situações enfermiças, a fim
de avançar nos rumos do equilíbrio, da necessária paz.
Manoel Philomeno de Miranda – Sementeira da Fraternidade – Cap. 5 – Alienação por
Obsessão
Excetuados os casos puramente orgânicos, o louco é alguém que procurou forçar a
libertação do aprendizado terrestre, por indisciplina ou ignorância.
Temos neste domínio um gênero de suicídio habilmente dissimulado, a auto-
eliminação da harmonia mental, pela inconformação da alma nos quadros de luta que a
existência humana apresenta.
Diante da dor, do obstáculo ou da morte, milhares de pessoas capitulam, entregando-se,
sem resistência, à perturbação destruidora, que lhes abre, por fim, as portas do túmulo.
A princípio, são meros descontentes e desesperados, que passam despercebidos
mesmo àqueles que os acompanham de mais perto. Pouco a pouco, no entanto, transformam-se
em doentes mentais de variadas gradações, de cura quase impossível, portadores que são de
problemas inextricáveis e ingratos.
Imperceptíveis frutos da desobediência começam por arruinar o patrimônio fisiológico
que lhes foi confiado na Crosta da Terra e acabam empobrecidos e infortunados.
Aflitos e semimortos, são eles homens e mulheres que desde os círculos terrenos
padecem, encovados em precipícios infernais, por se haverem rebelado aos desígnios divinos,
preterindo-os, na escola benéfica da luta aperfeiçoadora, pelos caprichos insensatos.
André Luiz – No Mundo Maior – Cap. 16 – Alienados Mentais
32
As Perturbações Espirituais no Lar
Seu aspecto será o de um obsidiado. No entanto, ele é obsidiado apenas por sua memória
profunda, que vinculou sua personalidade humana. Se houve remorso, houve crime,
delinquência. E, se houve crime, a consciência, desarmonizada consigo mesma, desarmonizará
todo o ser, e de muitas formas.
A mente enferma refletirá sua anormalidade sobre o perispírito, que é dirigido por ela,
e este sobre o corpo carnal, que é escravo de ambos, através do sistema nervoso.
E eis aí a doença mental com substrato orgânico vinculada a problemas espirituais, mas
não propriamente a obsessão na sua feição comum.
Bezerra de Meneses – Recordações da Mediunidade – Cap. 10 – O Complexo
Obsessão
As emoções reencarnam junto com a pessoa. Na dinâmica emocional, as vidas passadas
respondem pelo maior acervo dos desencontros emocionais reeditados na vida atual.
Costumamos dizer que o que se apaga das vidas passadas são os fatos, mas não a
memória emocional dos fatos.
Traumas de vidas anteriores reencarnam junto no nível emocional.
Diante de circunstâncias semelhantes aos fatos de vidas anteriores, a pessoa volta a
sentir o que sentiu na outra existência. Pânico, tristeza, raiva, entre outras emoções, estão
permanentemente ressurgindo, aparentemente sem explicação.
(...) esses processos obsessivos mais graves, frequentemente remontam aos séculos, ou
seja, já foram instalados em outras existências.
Instalaram-se pela mesma dinâmica emocional de persistência em faixas negativas de
entendimento. Dissemos que as várias circunstâncias da nossa vida fazem conectar situações
anteriores por semelhança afetiva.
Pois bem, no momento em que uma memória anterior é disparada pelo gatilho das
emoções, concomitantemente uma faixa espiritual se abre também, e é por essa faixa de passado
que antigos perseguidores espirituais se acoplam ao campo energético do indivíduo,
determinando quadros graves de desajuste emotivo-espiritual.
Sérgio Luís da Silva Lopes – Revista A Reencarnação – No
425 – A Dinâmica Emocional
nas Perturbações Obsessivas – 2003 – FERGS
33
As Perturbações Espirituais no Lar
Por isso mesmo, no encadeamento das vidas sucessivas, o espírito herda das
experiências pretéritas as conquistas e os prejuízos morais que ressurgem consciente ou
inconscientemente nos recônditos de si mesmo.
Disso resulta que as aquisições negativas, que foram fatores do insucesso, reaparecem
em condicionamentos psíquicos deprimentes, em complexas manifestações de narcisismo,
de evasão da realidade, de catarse, de esquizofrenia, nas suas apresentações variadas, ou
repontam em expressões de instintos agressivos, inibições, repressões, conflitos, em que o
próprio espírito sofre as perturbações que lhe são atinentes, transmitindo dos centros sensíveis
do psicossoma à matéria as distonias e as alienações de variada espécie, que traz do pretérito
espiritual.
Não padecem, pois, dúvidas, quanto as enfermidades mentais procederem, em grande
parte, do espírito encarnado, perturbado como é, em si mesmo.
Em tais casos as técnicas psicanalistas logram atingir os fulcros próximos das
alienações, facultando a liberação da consciência sob os estímulos da esperança, do trabalho e
do amor.
Outras vezes, os traumas decorrem de fundas marcas do passado próximo, removíveis
com relativa facilidade, dentro, todavia, dos quadros de débitos e créditos a que se encontra o
espírito vinculado.
Vianna de Carvalho – Sementeira da Fraternidade – Cap. 8 – Psiquiatria e Espiritismo
34
As Perturbações Espirituais no Lar
4. As Perturbações Espirituais no Lar – Consequências Principais – Os
“Frutos”
4.1 Desencontros Familiares
Gúbio informou que, a determinadas horas da noite, três quartos da população da Crosta
se acham nas zonas de contato com os Espíritos e a maior percentagem permaneciam detidos
em círculos de baixas vibrações, como aquele. Por aqui –– disse Gúbio ––, muitas vezes se
forjam dolorosos dramas que se desenrolam nos campos da carne.
Grandes crimes têm nestes sítios as respectivas nascentes e, não fosse o trabalho
ativo e constante dos Espíritos protetores que se desvelam pelos homens no labor sacrificial da
caridade oculta e da educação perseverante, sob a égide do Cristo, acontecimentos mais trágicos
estarreceriam as criaturas.
André Luiz – Libertação – Cap. 6 – Observações e Novidades
Notamos que você, ultimamente, anda mais fraca, mais serviçal... Estará desencantada,
quanto aos compromissos assumidos?
A interpelada, um tanto confundida, disse que seu marido, João, filiara-se a um grupo
de preces, o que, de algum modo, lhes vinha alterando a vida.
A entidade desencarnada deu um salto para trás, como um animal surpreendido, e gritou:
"orações”? você está cega quanto ao perigo que isso significa? Quem reza cai na mansidão.
E' necessário espezinhá-lo, torturá-lo, feri-lo, a fim de que a revolta o mantenha em
nosso círculo.
Volte para o corpo e não ceda um milímetro.
Corra com os apóstolos improvisados. Fazem-nos mal. Prenda João, controlando-lhe o
tempo.
Desenvolva serviço eficiente e não o liberte. Fira-o devagarinho.
Gúbio, que também observara a cena, esclareceu que obsessão desse teor apresenta
milhões de casos. De manhã cedo, aquela esposa, incapaz de apreciar a felicidade que o Senhor
lhe concedera, com um casamento digno e tranqüilo, despertaria no corpo de alma desconfiada
e abatida, convertendo-se em objeto de aflição para o esposo e prejudicando-lhe as conquistas
incipientes.
André Luiz – Libertação – Cap. 6 – Observações e Novidades
35
As Perturbações Espirituais no Lar
Famílias-problemas! ...
− Irmãos que se antagonizam...
− Cônjuges em lamentáveis litígios...
− Animosidades entre filho e pai, farpas de ódios entre filha e mãe...
− Afetos conjugais que se desmantelam em caudais de torvas acrimônias...
− Sorrisos filiais que se transfiguram em rictos de idiossincrasias e vinditas...
− Tempestades verbais em discussões extemporâneas...
− Agressões infelizes de consequências fatais...
− Tragédias nas paredes estreitas da família...
− Enfermidades rigorosas sob látegos de impiedosa maldade...
− Mãos encanecidas sob tormentos de filhos dominados por ódios inomináveis.
− Pais enfermos açoitados por filhas obsidiadas, em conúbios satânicos de reações
violentas em cadeia de ira...
− Irmãos dependentes sofrendo agressões e recebendo amargos pães, fabricados
com vinagre e fel de queixas e recriminações...
Famílias em guerras tiranizantes, famílias-problemas! ...
É da Lei Divina que o infrator renasça ligado à infração que o caracteriza.
A justiça celeste estabeleceu que a sementeira tem caráter espontânea, mas a colheita
tem impositivo de obrigatoriedade.
Não renasceste ali por circunstância anacrônica ou casual.
Não resides com uma família-problema por fator fortuito nem por engano dos Espíritos
Egrégios.
Escolheste, antes do retorno ao veículo físico, aqueles que dividiriam contigo as aflições
superlativas e os próprios desenganos.
Joanna de Angelis – Dimensões da Verdade – Cap. 52 – Dentro do Lar
36
As Perturbações Espirituais no Lar
4.2 Distúrbios de Comportamento Infanto-juvenil
4.2.1 Na Escola
(...) Continuamos naquele recinto e, como era a primeira vez que tinha oportunidade de
encontrar-me em uma Escola para crianças, pude observar que todas eram acompanhadas
por Espíritos, algumas felizes, e não poucas por Entidades cruéis que, desde cedo,
intentavam perturbá-las, vinculando-se-lhes psiquicamente. Diversas podiam situar-se no
diagnostico de obsidiadas, tão estreito era já o conúbio mental entre os desencarnados e
elas.
Irritação, agressividade, indiferença emocional, perversidade, obtusão de
raciocínio, enfermidade físicas e distúrbios psicológicos fazem parte das síndromes
perturbadoras da infância, que tem suas nascentes na interferência de Espíritos perversos
uns, traiçoeiros outros, vingativos todos eles...
Olhando, em derredor, enquanto não se iniciavam as aulas, apontou uma menina loura
de olhos claros e cabelos encaracolados com mais ou menos sete anos, que gritava, agredindo
outra com palavras e gestos vulgares, quase aplicando-lhe golpes físicos.
Aí está um exemplo. A pequenina, como podemos observar, é uma obsessa. No lar é
tida como recalcitrante e teimosa, não obstante os castigos físicos que lhe aplicam os pais
desinformados e confusos, por não entenderem o que ocorre com a filha que esperaram com
imenso carinho e os decepciona.
Não ignoramos que a misericórdia de Deus está presente em toda a Criação, e que não
seria o ser humano quem marcharia sem a necessária proteção para alcançar a meta que busca
no seu desenvolvimento intelecto-moral. Todavia, sabemos, também, que muitos processos de
obsessão têm o seu início fora do corpo físico, quando os calcetas e rebeldes, os criminosos
e viciados reencontram suas vítimas no Além-Túmulo, que se lhes imantam, nos tentames
infelizes e de resultados graves em formas de obsessões.
A obsessão na infância muitas vezes é continuidade da ocorrência procedente da
Erraticidade. Sem impedir o processo da reencarnação, essa influência perniciosa
acompanha o período infantil de desenvolvimento, gerando graves dificuldades no
relacionamento entre filhos e pais, alunos e professores, vida social saudável entre
coleguinhas.
Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão
na infância
37
As Perturbações Espirituais no Lar
4.2.2 No Lar
Inúmeros casos de autismo, quando detectados na primeira infância, procedem de
graves compromissos negativos com a retaguarda espiritual do ser, que renasce com as
marcas correspondentes no perispírito, que se encarrega de imprimir as deficiências que lhe
são necessárias para o refazimento. Outrossim, aqueles que padeceram nas suas mãos cruéis
acompanham-no, dificultando-lhe a recuperação, gerando situações críticas e mui
dolorosas, ameaçando-o com impropérios e vibrações deletérias que não sabe decodificar,
mas registra nas telas mentais, fugindo da realidade aparente para o seu mundo de sombras,
isto quando não se torna agressivo, intempestivo, silencioso e rude.
Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão
na infância
Uma das nossas parentas, menina de dez anos de idade, justamente a caçula dentre
seis irmãos, acusava anormalidades nos modos comuns a uma criança, anormalidades que
uma razão esclarecida em assuntos espíritas compreenderia provirem de
influenciações da parte de seres desencarnados inferiores.
Caracterizavam-se os seus modos por trejeitos cômicos, carantonhas horríveis,
palavreado piegas ou atrevido, desagradável, tolo, que a todos da família irritava e aos
estranhos escandalizava.
A dita criança se rebelava contra qualquer disciplina, desobedecendo a tudo,
renitente, odiosa, dando mesmo impressão de se encontrar desequilibrada das faculdades
mentais.
(...) Ela afinou-se com entidades inferiores durante o estágio no Espaço, antes
da reencarnação. Arrependimento sincero, porém, levou-a., a tempo, a se retrair das
mesmas, e desejar encaminhar-se para melhores planos. É médium, ou antes, possui
faculdades mediúnicas, que futuramente poderão frutificar generosamente, a serviço do
próximo, se bem cultivadas. Os antigos companheiros de Invisível, assediam-na,
tentando reavê-la para o sabor de velhos conluios.
Yvonne Pereira – Devassando o Invisível – Cap. 10 – Os grandes segredos do Além
38
As Perturbações Espirituais no Lar
Irritação, agressividade, indiferença emocional, perversidade, obtusão de
raciocínio, enfermidades físicas e distúrbios psicológicos fazem parte das síndromes
perturbadoras da infância, que tem suas nascentes na interferência de Espíritos perversos
uns, traiçoeiros outros, vingativos todos eles...
Consultado um psicólogo, o mesmo anotara distúrbios de comportamento na menina,
que se vem tentando solucionar, sem penetrar na causa dos mesmos, que lhe escapam por
falta de conhecimento dessa parasitose espiritual. No curso que o processo vem recebendo
atendimento fará que, no futuro, essa criança seja candidata a terapias muito violentas e
inócuas em grande parte, em razão das mesmas alcançarem somente os efeitos, não
erradicando a causa central. Os fármacos e os neurolépticos conseguem, muitas vezes, auxiliar
os neurônios na execução das sinapses, bloqueando as interferências espirituais, porém por
pouco tempo.
Ninguém caminha a sós e, por isso mesmo, na conjuntura aflitiva em que a menina se
debate, o seu Espírito protetor muitas vezes impede que seja arrastada pelo seu algoz para
as regiões mais infelizes em que se situa, nos períodos do parcial desdobramento pelo sono
físico, dificultando-lhe o domínio quase total que teria sobre as suas faculdades mentais e os
seus sentimentos de afetividade e de comportamento.
Quando luzir na Humanidade o conhecimento espírita e as sutilezas da obsessão
puderem ser identificadas desde os primeiros sintomas, muitos transtornos infanto-juvenis
serão evitados, graças às terapias preventivas, ou minimizados mediante os tratamentos que o
Espiritismo coloca a disposição dos interessados.
No caso em tela, a terapêutica bio-energética, a sua participação nas aulas de
orientação evangélica sob a luz do pensamento espírita, a água magnetizada e a psicosfera
de bondade, do esclarecimento, da paciência dos genitores libertá-la-ia da influência
perniciosa, auxiliando-a ater um desenvolvimento normal.
Concomitantemente, porque em ambiente propício, os Benfeitores da Vida Maior
poderiam também conduzir o seu desafeto ao tratamento espiritual desobsessivo, alterando
completamente o quadro
Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão
na infância
39
As Perturbações Espirituais no Lar
Não obstante, os recursos terapêuticos ministrados ao adulto serão aplicados ao
enfermo infantil com mais intensa contribuição dos passes e da água fluidificada –
bioenergia – bem como proteção amorosa e paciente, usando-se a oração e a doutrinação
indireta ao agente agressor – psicoterapia – , e por fim, através do atendimento desobsessivo
mediante o concurso psicofônico, quando seja possível atrair o hospede a comunicação
mediúnica de conversação direta.
A visão do Espiritismo em relação à criança obsidiada é holística, pois que não
dissocia, na sua forma atual, do adulto de ontem quando contraiu o debito. Ensina que infantil
é somente o corpo, já que o Espírito possui uma diferente idade cronológica, nada
correspondente à da matéria. Além disso, propõe que se cuide não só da saúde imediata, mas
sobretudo da disposição para toda uma existência saudável, que proporcionará uma
reencarnação vitoriosa, o que equivale dizer, rica de experiências iluminativas e libertadoras.
Adimos a terapia do amor dos pais e demais familiares, igualmente envolvidos no
drama que afeta a criança.
Manoel Philomeno de Miranda – Nas Trilhas da Libertação – Cap.2 – Ampliando
Conhecimentos
40
As Perturbações Espirituais no Lar
4.3 Agravamento de processos obsessivos
(...) Paralítico de nascença, primogênito de um casal aparentemente feliz, conta oito
anos – não fala, não anda, não chega a sentar-se, vê muito mal, quase nada ouve da esfera
humana; psiquicamente, porém, tem a vida de um sentenciado sensível, a cumprir severa pena,
lavrada, em verdade, por ele próprio.
Há quase dois séculos, decretou a morte de muitos compatriotas numa insurreição civil.
Valeu-se da desordem político-administrativa para vingar-se de desafetos pessoais, semeando
ódio e ruínas.
Viveu nas regiões inferiores, apartado da carne, inomináveis suplícios. Inúmeras
vítimas já lhe perdoaram os crimes; muitas, seguiram-no, obstinadas, anos afora...
A malta, outrora densa, rareou pouco a pouco, até que se reduziu aos dois últimos
inimigos, hoje em processo final de transformação.
(...) Os pensamentos de revolta e de vingança, emitidos por todos aqueles aos quais
deliberadamente ofendeu, vergastaram-lhe o corpo perispiritual por mais de cem anos
consecutivos, como choques de desintegração da personalidade.
(...) Um dos verdugos desencarnados se moveu e tocou a destra o cérebro do
doentinho, recomendando-me Calderaro que examinasse os efeitos desse contacto.
Extrema palidez e enorme angustia transpareceram no semblante do paralítico.
Notei que a infeliz entidade emitia, através das mãos, estrias negras de substancia
semelhante ao piche, as quais atingiam o encéfalo do pequenino, acentuando-lhe as
impressões de pavor.
O doentinho, da aflição, em que se mergulhara, passou às contorções. Os órgãos
revelavam agora estranhos deslocamentos.
O sistema endócrino patenteava indefiníveis perturbações – Os raios destrutivos
alcançam-lhe a zona motora, provocando a paralisação dos centros da fala, dos
movimentos, da audição, da visão e do governo de todos os departamentos glandulares.
Na verdade, essa dolorosa situação cronificou-se, pela repetição desta ocorrência milhares de
vezes, por quase duas centenas de anos.
Examinando essa criança sofredora como enigma sem solução, alguns médicos
insensatos da Terra se lembrarão talvez da “morte suave”; ignoram que, entre as paredes
deste lar modesto, o Médico Divino, utilizando um corpo incurável e o amor, até o
sacrifício, de um coração materno, restitui o equilíbrio a espíritos eternos, a fim de que
sobre as ruínas do passado possam irmanar-se para gloriosos destinos.
André Luiz – No Mundo Maior – Cap. 7 – Processo Redentor
41
As Perturbações Espirituais no Lar
4.4 Depressão no núcleo Familiar
Frente a frente com esta realidade, que assusta e fere, vamos encontrar jovens que
procuram abrigo nos falsos refúgios da tristeza e da amargura.
Outros apelam para a rebeldia e para a agressividade. Buscam nesses meios a forma de
neutralizar os açoites psicológicos a que se vêem expostos, ininterruptamente.
Ativando os mecanismos da defesa psíquica, muitos jovens alheiam-se da realidade,
aprisionando-se, lentamente, nas malhas da depressão.
A depressão faz instalar no recôndito do ser desta jovem criatura uma amargura
profunda, uma dor infinita, uma tristeza sem-fim. O Espírito adoece, passo a passo,
chegando a ponto de ver na morte, no atentado à existência física, a solução que lhe parece
salvadora.
Dias da Cruz – Revista Reformador – 2005 – Agosto – Suicídio na Adolescência
Por uma natural lei de afinidade, os Espíritos renascem no mesmo grupo
consangüíneo com o qual agrediram a ordem e desrespeitaram os deveres.
Assim sendo, quando algum deles apresenta na infância a parasitose obsessiva,
os seus genitores igualmente aturdidos não dispõem de recursos para os auxiliarem,
utilizando-se da docilidade, da paciência, da compaixão, do fervor religioso, que
sempre se contrapõem às aflições dessa natureza.
Desesperam-se com facilidade, aplicam castigos físicos e morais injustificáveis no
paciente infantil, agravando mais a questão pelos resíduos que ficam nos sentimentos
prejudicados, especialmente o ressentimento, o ódio, a antipatia, a consciência da
injustiça de que foram objeto.
À medida que atingem a maturidade e a idade adulta, adicionam a esses
transtornos íntimos, a magoa contra sociedade que não lhes soube respeitar as aflições e
mais as aguçaram com a rejeição, criticas ásperas e desprezo...
Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão na
Infância
42
As Perturbações Espirituais no Lar
4.5 Suicídio na Família
(...) Desde a morte do pobre Leonel, verificada, como sabes, por um suicídio em tão
trágicas condições, a família inteira sente ímpetos para o suicidio. Não ignoras que sua filha
Alcina suicidou-se também, dez meses depois dele próprio. Agora é seu filho Orlando que
deseja morrer, havendo já tentado algumas vezes o ato terrível.
Trata-se de um caso de obsessão coletiva simples, meu caro irmão... carente de
intervenção imediata de socorro espiritual, a fim de que se evitem outros suicídios na família...
O chefe da Leonel, pôs termo à existência terrena, desfechando um tiro de revólver
no ouvido direito, e que sua filha primogênita, jovem de vinte primaveras, lhe imitou o gesto
alguns meses depois, servindo-se, porém, de um tóxico violento... O outro filho seu, de quinze
anos de idade, tentou igualmente o sinistro ato, salvando-se, no entanto, graças à ação
prestimosa de amigos agilíssimos, que evitaram fôsse ele colhido por um trem de ferro.
Vimos ambos os suicidas ainda retidos no próprio teatro dos acontecimentos:
Leonel, vagando, desolado e sofredor, a bradar por socorros médicos, traindo nas próprias
repercussões vibratórias o gênero da morte escolhida sob pressões invisíveis... e Alcina, a filha,
com o perispírito ainda em colapso, desmaiada sob o choque violento do ato praticado...
Distinguimos também os obsessores...
Yvonne Pereira – Dramas da Obsessão – Cap. 1 – Leonel e os Judeus.
Certa criança de três anos e alguns meses vinha tentando o suicídio das mais
diferentes maneiras, o que lhe resultara, inclusive, ferimentos: um dia, jogou-se na piscina; em
outro, atirou-se do alto do telhado, na varanda de sua casa; depois quis atirar-se do carro em
movimento, o que levou os familiares a vigiá-la dia e noite.
Seu comportamento, de súbito, tornou- se estranho, maltratando especialmente a mãe,
a quem dirigia palavras de baixo calão que os pais nunca imaginaram ser do seu
conhecimento.
Suely Caldas Schubert – Obsessão e Desobsessão – Cap. 12 – A criança obsidiada
Toda tentativa de suicídio de um adolescente é dirigida a alguém e expressa a
necessidade de afeto, de amor, de ser ouvido e reconhecido como pessoa. Deve ser
interpretada como uma pergunta que requer resposta.
Edith Serfaty – Suicídio na Adolescência–1998 (psiquiatra argentina)
43
As Perturbações Espirituais no Lar
A tentativa de suicídio entre jovens é, acima de tudo, um grito de dor, de desespero e
um pedido de ajuda.
Ghislaine Bouchard – O Suicídio na Adolescência – 2000 (psiquiatra canadense)
Amadurecidas precipitadamente, em razão dos lares desajustados e das famílias
desorganizadas;
Atiradas à agressividade e aos jogos fortes que a sociedade lhes brinda, extirpando-lhes
a infância não vivida, sobrecarregam-se de angustias e frustrações que as desgastam,
retirando-lhes da paisagem mental a esperança e o amor.
Vazias, desprotegidas do afeto que alimenta os centros vitais de energia e beleza,
vêem-se sem rumo, fugindo, desditosas, pela porta mentirosa do suicídio.
Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 17 – Suicídio
solução insolvável
Os contínuos choques dos embates domésticos, entre cônjuges e filhos, produzem
impactos de monta nas estruturas psíquicas dos envolvidos.
A desunião familiar, associada ao desamor, assemelha-se à ação dos tóxicos que
produzem alucinações na mente da criança e do jovem.
A ausência do amor nas relações familiares, manifestada sob a forma de
comportamentos extremados de abandono ou superproteção, infiltram ilusões perniciosas
no psiquismo do Espírito em processo de recomeço nas experiências do plano físico.
Dias da Cruz – Revista Reformador – 2005 – Agosto– Suicídio na Adolescência
Amadurecidas precipitadamente, em razão dos lares desajustados e das famílias
desorganizadas;
Atiradas à agressividade e aos jogos fortes que a sociedade lhes brinda, extirpando-lhes
a infância não vivida, sobrecarregam-se de angustias e frustrações que as desgastam,
retirando-lhes da paisagem mental a esperança e o amor.
Vazias, desprotegidas do afeto que alimenta os centros vitais de energia e beleza,
vêem-se sem rumo, fugindo, desditosas, pela porta mentirosa do suicídio.
Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 17– Suicídio
solução insolvável
44
As Perturbações Espirituais no Lar
4.6 Drogadição no ambiente Familiar
Somando-se a esses fatores externos os compromissos espirituais de cada criatura, não
se pode negar a preponderância da interferência dos espíritos desencarnados na conduta
dos homens terrestres.
Conforme as leis de afinidade e de sintonia, ocorrem as vinculações naturais, quando
não de caráter recuperador em razão de antigos débitos para com aqueles que se sentem
prejudicados ou que foram vitimados pela incúria e perversidade de quem os afligiu e
infelicitou.
Nesse comenos, no período da iniciação ou mesmo antes dela, instalam-se as obsessões
simples, que se convertem em problemas graves, derrapando para subjugações cruéis, nas quais,
hóspede e hospedeiro interdependem-se na usança das drogas devastadoras.
Quase sempre, após instalada a obsessão desse porte, o espírito perturbador passa a
experimentar o prazer gerador do vício, especialmente se antes da desencarnação esteve sob o
jugo da infeliz conduta.
Havendo desencarnado, mas não sucumbindo ante o tacape da morte, busca desesperado
dar prosseguimento ao hábito doentio, sintonizando com personalidades fragilizadas e
inseguras, levando-as à degradante toxicodependência.
A oração, as leituras edificantes, as conversações saudáveis, ao lado da terapêutica
especializada, devem ser movimentadas para a recuperação do paciente e a sua entrega a Deus
mediante os bons pensamentos e as ações relevantes que constituem recurso precioso para a
terapia preventiva, assim como para a curadora.
Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 1o
Parte – Cap. 3 –
Toxicodependência
Sob outro aspecto, as vinculações com personalidades psicopatas desencarnadas ou
inimigos pessoais de outras experiências carnais respondem pela sua indução à dependência
viciosa, na qual também se comprazem em mecanismos de vampirização cruel, em verdadeira
interdependência espiritual.
Joanna de Angelis – Conflitos Existências – Cap. 12 – Drogadição
45
As Perturbações Espirituais no Lar
Mesmo nos lares equilibrados, onde o amor enriquece os sentimentos, encontram-se
espíritos atormentados interiormente, incapazes de lutar contra as más inclinações, que se fazem
trânsfugas aos deveres que lhes dizem respeito, tombando nas armadilhas do erro, de que se
deveriam libertar por completo.
Em virtude da larga e fácil propagação das drogas perversas, esses espíritos quase
sempre reincidem nos vícios a que se acostumaram, sem forças para superar as situações
afligentes que lhes desencadeiam as falsas necessidades para as fugas doentias...
(...)
Quando, no entanto, seja constatada a presença da insidiosa drogadição em algum dos
membros da família, a postura dos pais deverá ser a de equilíbrio e não de espanto, de lucidez
e não de autopunição ou de autocompaixão, mais afeiçoando-se ao combalido e sustentando-o
com a sua compreensão, trabalhando pela sua recuperação.
Concomitantemente, vale a aplicação da bioenergia, durante os estudos do Evangelho
no Lar, noutros momentos, e, de acordo com a gravidade do problema, o atendimento
psicológico, a fim de ser removido o fator propiciador da fuga emocional.
(...)
Há espíritos muito comprometidos nessa área, alguns dos quais, em existência transata
optaram pelo suicídio como recurso de libertação, ora retomando com altas cargas de
desequilíbrio e tendências depressivas funestas, recorrendo aos mesmos instrumentos que os
infelicitaram antes.
Joanna de Angelis – Constelação Familiar – Cap. 24 – Drogadição na Família
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar
Perturbações espirituais no Lar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2.8.6 - Segunda Vista
2.8.6 - Segunda Vista 2.8.6 - Segunda Vista
2.8.6 - Segunda Vista Marta Gomes
 
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - EspiritsimoEducação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - EspiritsimoMarcio Augusto Guariente
 
A saúde na visão espirita
A saúde na visão espiritaA saúde na visão espirita
A saúde na visão espiritacarlos freire
 
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritualSegundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritualCeiClarencio
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoDenise Aguiar
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Marcos Antônio Alves
 
A páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espíritaA páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espíritaGraça Maciel
 
Há Muitas Moradas Na Casa Do Pai
Há Muitas Moradas Na Casa Do PaiHá Muitas Moradas Na Casa Do Pai
Há Muitas Moradas Na Casa Do PaiSergio Menezes
 
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismoCapítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismoRoberta Andrade
 
CAP. XIV - Piedade filial
CAP. XIV - Piedade filial CAP. XIV - Piedade filial
CAP. XIV - Piedade filial Leonardo Mota
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardecmarjoriestavismeyer
 
Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão igmateus
 
Livro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopseLivro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopseSolange Montosa
 
No Mundo Maior Cap 10 Dolorosa Perda parte 2 de 2
No Mundo Maior Cap 10  Dolorosa Perda parte 2 de 2No Mundo Maior Cap 10  Dolorosa Perda parte 2 de 2
No Mundo Maior Cap 10 Dolorosa Perda parte 2 de 2Fernando Pinto
 

Mais procurados (20)

2.8.6 - Segunda Vista
2.8.6 - Segunda Vista 2.8.6 - Segunda Vista
2.8.6 - Segunda Vista
 
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - EspiritsimoEducação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
 
A verdadeira propriedade
A verdadeira propriedadeA verdadeira propriedade
A verdadeira propriedade
 
Família material e espiritual
Família material e espiritualFamília material e espiritual
Família material e espiritual
 
A saúde na visão espirita
A saúde na visão espiritaA saúde na visão espirita
A saúde na visão espirita
 
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritualSegundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
A páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espíritaA páscoa na visão espírita
A páscoa na visão espírita
 
Há Muitas Moradas Na Casa Do Pai
Há Muitas Moradas Na Casa Do PaiHá Muitas Moradas Na Casa Do Pai
Há Muitas Moradas Na Casa Do Pai
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
 
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismoCapítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 22 - O evangelho segundo o espiritismo
 
CAP. XIV - Piedade filial
CAP. XIV - Piedade filial CAP. XIV - Piedade filial
CAP. XIV - Piedade filial
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
Escala Espírita
Escala EspíritaEscala Espírita
Escala Espírita
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2
 
Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão Obsessão e Desobsessão
Obsessão e Desobsessão
 
Livro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopseLivro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopse
 
No Mundo Maior Cap 10 Dolorosa Perda parte 2 de 2
No Mundo Maior Cap 10  Dolorosa Perda parte 2 de 2No Mundo Maior Cap 10  Dolorosa Perda parte 2 de 2
No Mundo Maior Cap 10 Dolorosa Perda parte 2 de 2
 

Semelhante a Perturbações espirituais no Lar

Evangelho familia
Evangelho familiaEvangelho familia
Evangelho familiasocialceia
 
Procrastinação e Obsessão Espiritual
Procrastinação e Obsessão EspiritualProcrastinação e Obsessão Espiritual
Procrastinação e Obsessão EspiritualRicardo Azevedo
 
Estudo de pais 26
Estudo de pais 26Estudo de pais 26
Estudo de pais 26Fatoze
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiaresVictor Passos
 
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontros
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontrosA Família na atualidade - desafios - encontros e desencontros
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontrosADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraternoJorge Elarrat
 
46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no larAntonio SSantos
 
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diaria
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diariaInfluencia dos Espíritos inferiores na vida diaria
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diariaADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
Porque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estouPorque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estouwalcamarra
 
Caridade paulo instrucoes_espiritos
Caridade paulo instrucoes_espiritosCaridade paulo instrucoes_espiritos
Caridade paulo instrucoes_espiritosEdjard Mota
 
Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho O PAE PAE
 
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e PazEvangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e PazRicardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - número 2
Série Evangelho no Lar - número 2Série Evangelho no Lar - número 2
Série Evangelho no Lar - número 2Ricardo Azevedo
 
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profecia
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de ProfeciaNovelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profecia
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profeciasosliderja
 

Semelhante a Perturbações espirituais no Lar (20)

Evangelho familia
Evangelho familiaEvangelho familia
Evangelho familia
 
Procrastinação e Obsessão Espiritual
Procrastinação e Obsessão EspiritualProcrastinação e Obsessão Espiritual
Procrastinação e Obsessão Espiritual
 
Mediunidade o que é isso apostila 027
Mediunidade o que é isso   apostila 027Mediunidade o que é isso   apostila 027
Mediunidade o que é isso apostila 027
 
Mediunidade o que é isso apostila 039
Mediunidade o que é isso   apostila 039Mediunidade o que é isso   apostila 039
Mediunidade o que é isso apostila 039
 
Estudo de pais 26
Estudo de pais 26Estudo de pais 26
Estudo de pais 26
 
Conflitos familiares
Conflitos familiaresConflitos familiares
Conflitos familiares
 
11 essencia de luz
11  essencia de luz11  essencia de luz
11 essencia de luz
 
405 an 14_novembro_2012.ok
405 an 14_novembro_2012.ok405 an 14_novembro_2012.ok
405 an 14_novembro_2012.ok
 
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontros
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontrosA Família na atualidade - desafios - encontros e desencontros
A Família na atualidade - desafios - encontros e desencontros
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraterno
 
Cuidado com a memoria de sua
Cuidado com a memoria de suaCuidado com a memoria de sua
Cuidado com a memoria de sua
 
46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar46 fluidoterapia - evangelho no lar
46 fluidoterapia - evangelho no lar
 
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diaria
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diariaInfluencia dos Espíritos inferiores na vida diaria
Influencia dos Espíritos inferiores na vida diaria
 
Porque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estouPorque estou na_familia_que_estou
Porque estou na_familia_que_estou
 
Caridade paulo instrucoes_espiritos
Caridade paulo instrucoes_espiritosCaridade paulo instrucoes_espiritos
Caridade paulo instrucoes_espiritos
 
Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho
 
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e PazEvangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
Evangelho no Lar - Educação, Compreensão, Proteção e Paz
 
Série Evangelho no Lar - número 2
Série Evangelho no Lar - número 2Série Evangelho no Lar - número 2
Série Evangelho no Lar - número 2
 
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profecia
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de ProfeciaNovelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profecia
Novelas, Jornais e Filmes à Luz da Bíblia e do Espírito de Profecia
 
Padrões emocionais
Padrões emocionais Padrões emocionais
Padrões emocionais
 

Mais de ADALBERTO COELHO DA SILVA JR

A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...ADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTO
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTOA Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTO
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTOADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdf
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdfEnquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdf
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdfADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completo
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completoO Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completo
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completoADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_Sintese
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_SinteseO Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_Sintese
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_SinteseADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Texto
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_TextoRelacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Texto
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_TextoADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Apresentação
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_ApresentaçãoO Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Apresentação
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_ApresentaçãoADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_Apresentação
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_ApresentaçãoAs Catástrofes e os Desastres Coletivos_Apresentação
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_ApresentaçãoADALBERTO COELHO DA SILVA JR
 

Mais de ADALBERTO COELHO DA SILVA JR (20)

A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - EX...
 
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTO
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTOA Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTO
A Obsessão por Justa Causa - – A Paixão, o Ciúme, a Traição e a obsessão - TEXTO
 
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdf
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdfEnquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdf
Enquanto Você ainda Pode - - TEXTO_Completo_2024_v5.pdf
 
Enquanto Você ainda Pode - - APRESENTAÇÃO
Enquanto Você ainda Pode - - APRESENTAÇÃOEnquanto Você ainda Pode - - APRESENTAÇÃO
Enquanto Você ainda Pode - - APRESENTAÇÃO
 
Esses Dias Tumultuosos e o Natal_Exposição
Esses Dias Tumultuosos e o Natal_ExposiçãoEsses Dias Tumultuosos e o Natal_Exposição
Esses Dias Tumultuosos e o Natal_Exposição
 
Estes Dias Tumultuosos e o Natal - texto
Estes Dias Tumultuosos e o Natal - textoEstes Dias Tumultuosos e o Natal - texto
Estes Dias Tumultuosos e o Natal - texto
 
Loucura e Obsessão - 35 anos_TEXTO
Loucura e Obsessão - 35 anos_TEXTOLoucura e Obsessão - 35 anos_TEXTO
Loucura e Obsessão - 35 anos_TEXTO
 
Loucura e Obsessão - 35 anos
Loucura e Obsessão - 35 anosLoucura e Obsessão - 35 anos
Loucura e Obsessão - 35 anos
 
Sexo e Destino - 60 anos_Texto
Sexo e Destino - 60 anos_TextoSexo e Destino - 60 anos_Texto
Sexo e Destino - 60 anos_Texto
 
Sexo e Destino - 60 anos
Sexo e Destino - 60 anosSexo e Destino - 60 anos
Sexo e Destino - 60 anos
 
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completo
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completoO Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completo
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_TEXTO_completo
 
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_Sintese
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_SinteseO Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_Sintese
O Martírio nos Tempos Atuais - Ave-Cristo - 70 anos_APRESENTAÇÃO_Sintese
 
O Autismo – uma Leitura Espiritual_TEXTO
O Autismo – uma Leitura Espiritual_TEXTOO Autismo – uma Leitura Espiritual_TEXTO
O Autismo – uma Leitura Espiritual_TEXTO
 
O Autismo - uma leitura espiritual_APRESENTAÇÃO
O Autismo - uma leitura espiritual_APRESENTAÇÃOO Autismo - uma leitura espiritual_APRESENTAÇÃO
O Autismo - uma leitura espiritual_APRESENTAÇÃO
 
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Texto
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_TextoRelacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Texto
Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Texto
 
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Apresentação
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_ApresentaçãoO Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Apresentação
O Relacionamento entre Pais e Filhos num Mundo em Transição_Apresentação
 
As Catástrofes e os Desastres Coletivos
As Catástrofes e os Desastres ColetivosAs Catástrofes e os Desastres Coletivos
As Catástrofes e os Desastres Coletivos
 
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_Apresentação
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_ApresentaçãoAs Catástrofes e os Desastres Coletivos_Apresentação
As Catástrofes e os Desastres Coletivos_Apresentação
 
Tempo de Recomeçar - TEXTO - 2023
Tempo de Recomeçar - TEXTO - 2023Tempo de Recomeçar - TEXTO - 2023
Tempo de Recomeçar - TEXTO - 2023
 
Tempo de Recomeçar - 2023
Tempo de Recomeçar - 2023Tempo de Recomeçar - 2023
Tempo de Recomeçar - 2023
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfFrancisco Baptista
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2emprego2
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024thandreola
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (11)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 

Perturbações espirituais no Lar

  • 2. SUMÁRIO 1. Introdução ..................................................................................................... 1 1.1 A Família e o Lar Missão...........................................................................3 1.1.1 Amparo e Suporte .......................................................................................3 1.1.2 Aperfeiçoamento Mútuo .............................................................................6 1.1.3 Reajuste e Rearmonização Espiritual..........................................................8 1.1.4 Polo de Indução.........................................................................................10 1.2 As Obsessões x As Perturbações Espirituais – O Que É ..........................11 1.2.1 Obsessão Espiritual...................................................................................11 1.2.2 Perturbação Espiritual...............................................................................13 2. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Preponderantes – A “Raiz” .................................................................................................................17 2.1 Débitos Cármicos......................................................................................17 2.2 Indolência Mental......................................................................................19 2.3 Tendências Negativas................................................................................20 3. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Predisponentes – O “Adubo” .............................................................................................................21 3.1 Alto índice de Criminalidade na Sociedade atual.....................................21 3.2 Incremento dos conflitos Familiares – violência domesticas ...................22 3.3 Aumento da sintonia psíquica negativa na Transição Planetária..............23 3.4 Elevado número de problemas de Comportamento – Álcool/Drogas ......25 3.5 Os Reajustes Reencarnatórios Familiares.................................................27 3.6 Os Níveis consciências diferentes dos membros da Família ....................28 3.7 As Auto-Obsessões ...................................................................................31 4. As Perturbações Espirituais no Lar – Consequências Principais – Os “Frutos”..............................................................................................................34 4.1 Desencontros Familiares...........................................................................34 4.2 Distúrbios de Comportamento Infanto-juvenil .........................................36 4.2.1 Na Escola...................................................................................................36 4.2.2 No Lar .......................................................................................................37 4.3 Agravamento de processos obsessivos .....................................................40 4.4 Depressão no núcleo Familiar...................................................................41 4.5 Suicídio na Família ...................................................................................42 4.6 Drogadição no ambiente Familiar.............................................................44
  • 3. 5. A Perturbação Espiritual no Lar – O Que Fazer? A “Poda” da árvore da Perturbação .................................................................................................. 46 5.1 Orar e implementar o Evangelho no Lar...................................................46 5.2 Fortalecer a Educação e a União Familiar ................................................51 5.3 Exercitar o Silêncio/a Serenidade .............................................................54 5.4 Cultivar a Paciência/a Benevolência.........................................................56 5.5 Promova a Compaixão/Perdão/Esquecimento..........................................57 5.6 Reeducação Mental/Tratamentos Espirituais............................................67 5.7 Ação Enobrecedora – abnegação Familiar................................................68 6. A Perturbação Espiritual no Lar – Exemplos.......................................... 72 6.1 Tentativa de Suicídio Infantil – Suely Caldas Schubert ...........................72 6.2 Suicídio Juvenil – Hilda............................................................................73 6.3 Perturbação Familiar Coletiva – Yvonne Pereira .....................................76 7. Referências................................................................................................... 84
  • 4. 1 As Perturbações Espirituais no Lar 1. Introdução Muita gente se queixa de que, periodicamente, o lar vira um pandemônio. Muita gente afirma que, às vezes, percebe que a família está em polvorosa, que alguma força negativa parece ter penetrado o lar. Imaginam que houve trabalhos de magia, alguém fez algum trabalho forte, todo esse contexto popular em que nós queremos atribuir aos outros, questões que estão sob nossa responsabilidade. Manter a nossa casa em paz, manter o nosso lar em ordem é alguma coisa de nossa alçada. É alguma coisa que está sob nossa responsabilidade, sob nossa custódia. (...) dentro de casa existem aqueles cujo temperamento leva-os a debochar dos outros, a condenar sempre, jamais elogiar, apenas vêem defeitos. Há aqueles que falam aos gritos, os que são sempre grosseiros ao se expressar junto aos familiares. Há aqueles que têm sempre um alfinete pronto para as alfinetadas comuns dentro de casa. Os que falam jogando piadas, com segundas intenções, e ferem o temperamento daquele que é mais sensível ou que é pavio curto. E há aqueles que, dentro de casa, nem pavio têm, explodem por qualquer coisa. Natural é pensar, nessas ocasiões, que nós estaremos dando margem a infiltrações espirituais inferiores. Como nos disse o Apóstolo Paulo, estamos o tempo todo sendo observados por uma nuvem de testemunhas. Mas, se temos testemunhas apostando em nosso crescimento, em nossa virtude, em nossa felicidade, não podemos descrer que haja outras testemunhas investindo em nossa queda. São aqueles inimigos do nosso pretérito, de nossas vidas passadas, de nossa existência presente. Eles estão sempre à espreita de nossa fragilidade, de um gesto em falso, de uma vivência incorreta, para que possam nos provocar mal-estares, aturdimentos, desarmonias, com o prazer patológico de nos ver sofrer. Por isso pode haver sim, influências espirituais bastante nefastas dentro de nossa casa, ou influências leves em função do estilo de vida que adotemos viver em família, em razão de tudo aquilo que decidimos fazer junto aos nossos familiares.
  • 5. 2 As Perturbações Espirituais no Lar Todas as influências que venhamos a sofrer em nossa residência, em nossa casa, não temos que pensar primeiramente que alguém nos desfechou pensamentos negativos, que alguém está fazendo trabalhos contra nós, trabalhos de magia porque o que manda, na nossa casa, é a nossa vivência. Daí, vale a pena a família ter esse cuidado na sua convivência. Ninguém vai imaginar que, dentro de casa, não teremos altercações, alguma indisposição, alguém que fale de uma forma mais ríspida, mais áspera com o outro e o outro se debulhe a chorar. Isso tudo faz parte da normalidade da vida doméstica cotidiana. Mas, o que não deve acontecer é que essa postura de agressividade, essa postura ferinte, pessimista, negativa, se torne uma constante na relação familiar. Quando isso se torna uma constante, não podemos ter dúvida de que estaremos mal assistidos. Criaturas espirituais de má índole, ou ignorantes ou inconscientes, estarão procurando fazer ninho na nossa consciência. Sentir-nos-emos lesados, traídos, amargurados, desprezados em casa, nos sentiremos a sós, nós veremos pessoas solitárias. E tudo isso, agasalhado por nós, nessa baixa auto-estima, vai fazendo com que entidades desencarnadas de má índole, infelizes em si mesmas, se apropriem desse caldo de cultura que nós lhes oferecemos, para fazer toda sorte de estripulias, para provocar toda sorte de males, de infestações negativas no seio da nossa família. Será de bom alvitre instalar em nossa casa, pelo menos uma vez por semana, o hábito de orar. O Evangelho no lar, como chamamos, ou Jesus no lar, como quisermos. Raul Teixeira – Programa Vida e Valores – No 116 – 2007 Outubro – Perturbações Espirituais no Lar Federação Espírita do Paraná Acautele-se. Os Espíritos infelizes, de mente ultrajada, vivem mais com os encarnados do que se supõe. Misturam-se nas atividades comuns, perambulam no ninho doméstico, participam das conversações, seguem com os comensais, de quem dependem em processo legítimo de vampirização. Perturbam-se e perturbam. Sofrem e fazem sofrer. Odeiam e geram ódios. Infelicitados, infelicitam. Marco Prisco – Glossário Espírita Cristão – Cap. 18 – Perturbadores
  • 6. 3 As Perturbações Espirituais no Lar 1.1 A Família e o Lar Missão “Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua Família, negou a fé e é pior do que o infiel”. Paulo de Tarso – I TIMÓTEO, 5:8. “O mundo pode fabricar novas indústrias, novos arranha-céus, erguer estátuas e cidades, mas, sem a benção do lar, nunca haverá felicidade verdadeira”. André Luiz/Aniceto – Os Mensageiros – Cap. 37 – No Santuário Doméstico 1.1.1 Amparo e Suporte Os liames sociais são necessários ao progresso e os laços de família estreitam os laços sociais: eis porque eles constituem uma lei natural. Deus quis que os homens, assim, aprendessem a amar-se como irmãos. Allan Kardec – O Livro dos Espíritos – 3º Parte – Cap. 7 – Item 3 – Perg. 774 Quando o lar se estiola e a família se desorganiza a Sociedade combale e estertora. De nobre significação, a família não são apenas os que se amam, através dos vínculos da consanguinidade, mas, também, da tolerância e solidariedade que se devem doar os equilibrados e afáveis aos que constituem os elos fracos, perturbadores e em deperecimento no clã doméstico. Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 25 – Filhos Ingratos Jamais a família desaparecerá, porque a criança dependente nos braços adultos, inspira ternura e devotamento, trabalhando as emoções para o entendimento e a comunhão dos genitores em sua volta, dando surgimento ao grupo consanguíneo e à afetividade mais pessoal. As mudanças continuarão ocorrendo, conforme as conquistas de cada época, sem que a família perca os seus alicerces de segurança, quais sejam: a fidelidade ao grupo, o amparo recíproco, a proteção, como decorrência do sentimento de amor, preparando para a união com as demais associações, na identificação universal. (...) Reflexionando neste novo programa de construção da família moderna e saudável, o Espiritismo, com os seus nobres conceitos de ética-moral, fundamentados na crença em Deus, na imortalidade, na comunicabilidade dos espíritos, na reencarnação, oferece os pilotis vigorosos para que se torne realidade o clã de paz e de amor que todos anelam. Joanna de Angelis – Constelação Familiar – Cap. 29 – A Família hodierna
  • 7. 4 As Perturbações Espirituais no Lar A fim de que aprendamos, ao longo das eras, a nos dedicar o verdadeiro amor, reciprocamente, deveremos, antes, aprender a vivenciar esse amor em suas expressões mais variadas, em pequenos grupos aos quais chamamos familiares – verdadeiros laboratórios em que aprendemos a conviver com espíritos das mais diferentes inclinações, gostos e posturas ante a existência – locus em que aprendemos a respeitar individualidades, personalidades, distintos posicionamentos. (...) Assim, numa só existência o indivíduo molda personalidades de filho ou filha, de esposo ou esposa, de pai ou de mãe, de irmão ou de irmã, de avô ou de avó, e de outros laços secundários. Cada alma, reencarnações afora, aprende a sensibilizar-se, a portar-se, a agir e a reagir, a sofrer e a amar, vivenciando cada uma dessas relações, em famílias forjadas segundo povos, etnias e raças variados, conforme culturas diferentes. Não podemos estranhar, com isso, a multiplicidade de valores, de coerências e incoerências, de grandezas e pequenezas, de gostos, de anseios, de liberdades, de algemas, de alegrias e tristezas endógenas que encontramos em indivíduos e em grupos de indivíduos. São somatórios, subtrações, multiplicações e divisões de tudo o que vêm acumulando, fixando, ganhando e perdendo, pelos milênios afora. É desse modo, no mundo, que Deus nos mostra que para conseguir amar multidões inumeráveis de irmãos nossos, temos que aprendê-lo pelo exercício desse amor a pequenos grupos de três, cinco ou dez pessoas, dentro do lar, uma vez que ninguém pode ser fiel em grandes obras, se não consegue sê-lo nas obras pequenas, conforme o ensino de Jesus. Camilo – Desafios da vida Familiar – Cap. 1 – O Sentido da Família Os Pais não são os construtores da vida, porém, os médiuns dela, plasmando- a, sob a divina diretriz do Senhor. Tornam-se instrumentos da oportunidade para os que sucumbiram nas lutas ou se perderam nos tentames da evolução, algumas vezes se transformando em veículos para os embaixadores da verdade descerem ao mundo em agonia demorada. A carne gera a carne, mas o espírito não produz o espírito. O filhinho que te chega é compromisso para a tua existência. Não o temas, nunca. Não o ofendas com a falsa valorização dele, em demasia. Recorda-lhe a humildade, considerando a procedência de todos nós e o lugar comum do barro orgânico... E orienta-o dignamente, sem cessar. Joanna de Angelis – SOS família – Cap. 17 – Perante a Prole
  • 8. 5 As Perturbações Espirituais no Lar Não é a família em si que nossos contemporâneos recusam, mas o modelo excessivamente rígido e normativo que assumiu no século XIX. Eles rejeitam o nó, não o ninho. A casa é, cada vez mais, o centro da existência. O lar oferece, num mundo duro, um abrigo, uma proteção, um pouco de calor humano. O que eles desejam é conciliar as vantagens da solidariedade familiar e as da liberdade individual. Tateando, esboçam novos modelos de famílias, mais igualitárias nas relações de sexos e de idades, mais flexíveis em suas temporalidades e em seus componentes, menos sujeitas às regras e mais ao desejo. O que se gostaria de conservar da família, no terceiro milênio, são seus aspectos positivos: a solidariedade, a fraternidade, a ajuda mútua, os laços de afeto e o amor. Belo sonho. Michelle Perrot – Veja 25 anos – Reflexões para o futuro – São Paulo/Abril, 1993 – O Nó e o Ninho, Umberto Ferreira – Revista Reformador – 1994 – Maio – Reflexões sobre a Família De todos os institutos sociais existentes na Terra, a Família é o mais importante, do ponto de vista dos alicerces morais que regem a vida. Emmanuel – Vida e Sexo – Cap.17 – Aborto
  • 9. 6 As Perturbações Espirituais no Lar 1.1.2 Aperfeiçoamento Mútuo Deus permite, nas famílias, essas encarnações de espíritos antipáticos ou estranhos, com o duplo objetivo de servir de prova para alguns, e de meio de adiantamento para outros. Os maus se melhoram pouco a pouco ao contato dos bons e pelos cuidados que deles recebem; seu caráter se abranda, seus costumes se depuram e suas antipatias se apagam; é assim que se estabelece a fusão entre as diferentes categorias de espíritos, como ocorre na Terra, entre as raças e os povos. Allan Kardec – Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap 4 – Item 19 Teu lar, tua escola. Aí dentro, serás professor e aluno ao mesmo tempo. Erguer-te-ás na cátedra do dever cumprido e transmitirás o ensinamento vivo do bom exemplo aos que te acompanham. Por outro lado, ouvirás, talvez, aí nesse abençoado cenáculo de aperfeiçoamento moral, frases agressivas ou conceitos ferinos que desconheces na vida pública, a fim de que aprendas paciência e humildade, no trato da purificação. Emmanuel – No Portal da Luz – Cap. 8 – Familiares Incompreensivos Os Pais educam para a sociedade, quanto para si mesmos. Examina a tua vida e dela retira as experiências com que possas brindar a tua prole. Tens conquistas pessoais, porquanto já trilhaste o caminho da infância, da adolescência e sabes de moto próprio discernir entre os erros e acertos dos teus educadores, identificando o que de melhor possuis para dar. Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 14 – Deveres dos Pais Naturalmente que a disciplina se fazia inquestionável, desde que a reencarnação tem como objetivos primeiros a reeducação moral, o recondicionamento superior das tendências e aptidões negativas que devem ser canalizadas para metas elevadas, o ressarcimento das dívidas e a aquisição dos valores da inteligência e da moral. Para tanto, o lar é de fundamental importância, por ser o primeiro educandário do espírito em recomeço, numa aprendizagem que lhe fixará diretrizes para toda a existência. Victor Hugo 100 Reflexões Filosóficas e Cor Local nos Romances Cap. 18 O amor e a educação na infância
  • 10. 7 As Perturbações Espirituais no Lar Vale pensar seriamente sobre as razões pelas quais tais ou quais Espíritos estão na condição de teus filhos, vinculados biologicamente a ti. Há motivos ponderáveis e outros imponderáveis para que os tenhas como produtos da tua cooperação fisiológica com o Criador. Considerando que o Pai da vida não comete equívocos em seus desígnios, em suas leis, tens as condições necessárias e suficientes para impulsionar os teus descendentes para os caminhos do bem, seguindo junto a eles com teus testemunhos de fidelidade aos céus. É nas páginas luculentas de o Evangelho segundo o Espiritismo que encontramos as referências de Santo Agostinho a respeito dos compromissos dos genitores para com seus filhos, ou seja, os de encaminhá-los para o criador. Esse é o maior compromisso da pater- maternidade no orbe. Na mesma obra literária espírita, aqui referida, ainda o Bispo de Hipona informa que o pai da criação um dia perguntará a cada pai ou a cada mãe terrestre: que fizeste do filho que te confiei? Esta é uma pergunta desnorteadora, pois eclode no âmago da consciência, fazendo cada genitor refletir sobre o uso que fez do acesso espiritual à alma dos filhos; é quando cada um verificará se a omissão se deu por preguiça, por ignorância, por causa da filosofia religiosa ou política que adotou. Para todos os casos o senhor terá solução diferente, encaminhamento diverso, até mesmo programando o retorno às reencarnações dos pais e dos filhos, daqueles que se perderam e daqueles outros que se tornaram responsáveis por essas perdas de ordem moral. Camilo Nos Passos da Vida Terrestre Cap. 8 – Descaso na Educação Maternidade e paternidade são magistérios sublimes. Lar, primeira escola; pais, primeiros professores; primeiro dia de vida, primeira aula do filho. Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores de Vida. André Luiz O Espírito da Verdade – Cap. 16 Educação
  • 11. 8 As Perturbações Espirituais no Lar 1.1.3 Reajuste e Rearmonização Espiritual Família – Espelho vivo do nosso pretérito. Caldeira de refinamento do óleo bruto do Espírito – dilui, em temperatura elevada de tensão irresistível, as paixões rudes fixadas nas peças sensíveis da máquina psíquica. Marco Prisco – Ementário Espírita – Cap. 6 – No Lar A Família é abençoada escola de educação moral e espiritual, oficina santificante onde se lapidam caracteres; laboratório superior em que se caldeiam sentimentos, estruturam aspirações, refinam idéias, transformam mazelas antigas em possibilidades preciosas para a elaboração de misteres edificantes. Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 25 – Filhos Ingratos A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações? Neio Lucio – Jesus no Lar – Cap. 1 – O Culto Cristão no Lar Quem descobre a maneira de viver bem em seu lar, já está preparado para viver bem a vida inteira, em qualquer parte do mundo. Jácome Góes – Conceitos de Vida – Cap. 17 – A Difícil convivência no Lar Geralmente, não se reúnem a nós os companheiros que já demandaram a Esfera Superior, [dignamente] aureolados por vencedores, e sim afeiçoados menos estimáveis de outras épocas, a fim de restaurarmos o tecido da fraternidade, indispensável ao agasalho de nossa alma, na jornada para a frente. Muitas vezes, na condição de pais e filhos, cônjuges ou parentes, não passamos de devedores em resgate de antigos compromissos. Emmanuel – Nós – Cap. 5 – A Família / Família – Cap. 1 – Em Família Atados por compromissos anteriores, retornam, ao lar, não somente aqueles seres a quem se ama, senão aqueloutros a quem se deve ou que estão com dívidas.... Joanna de Ângelis – SOS Família Cap. 2 Vida em Família
  • 12. 9 As Perturbações Espirituais no Lar A Família é, antes de tudo, um laboratório de experiências reparadoras, na qual a felicidade e a dor se alternam, programando a paz futura. Nem é o grupo da bênção, nem o élan da desdita. Antes é a escola de aprendizagem e redenção futura. Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 2 – Vida em Família Famílias-problema! ... − Irmãos que se antagonizam... − Cônjuges em lamentáveis litígios... − Animosidades entre filho e pai, farpas de ódios entre filha e mãe... − Afetos conjugais que se desmantelam em caudais de torvas acrimônias... − Sorrisos filiais que se transfiguram em rictos de idiossincrasias e vinditas... − Tempestades verbais em discussões extemporâneas... − Agressões infelizes de consequências fatais... − Tragédias nas paredes estreitas da família... − Enfermidades rigorosas sob látegos de impiedosa maldade... − Mãos encanecidas sob tormentos de filhos dominados por ódios inomináveis. − Pais enfermos açoitados por filhas obsidiadas, em conúbios satânicos de reações violentas em cadeia de ira... − Irmãos dependentes sofrendo agressões e recebendo amargos pães, fabricados com vinagre e fel de queixas e recriminações... Famílias em guerras tiranizantes, famílias-problema! ... É da Lei Divina que o infrator renasça ligado à infração que o caracteriza. A justiça celeste estabeleceu que a sementeira tem caráter espontânea, mas a colheita tem impositivo de obrigatoriedade. Não renasceste ali por circunstância anacrônica ou casual. Não resides com uma família-problema por fator fortuito nem por engano dos Espíritos Egrégios. Escolheste, antes do retorno ao veículo físico, aqueles que dividiriam contigo as aflições superlativas e os próprios desenganos. Joanna de Angelis – Dimensões da Verdade – Cap. 52 – Dentro do Lar
  • 13. 10 As Perturbações Espirituais no Lar 1.1.4 Polo de Indução O lar é o mais vigoroso centro de indução que conhecemos na Terra. À maneira de alguém que recebe esse ou aquele tipo de educação em estado de sonolência, o Espírito reencarnado, no período infantil, recolhe dos Pais os mapas de inclinação e conduta que lhe nortearão a existência, em processo análogo ao da escola primária, pelo qual a criança é impelida a contemplar ou mentalizar certos quadros, para refleti- los no desenvolvimento natural da instrução. As almas valorosas, dotadas de mais alto padrão moral, segundo as aquisições já feitas em numerosas reencarnações de trabalho e sacrifício, constituem exceções no ambiente doméstico, por se sobreporem a ele, exteriorizando a vontade mais enérgica de que se fazem mensageiras. Contudo, via de regra, a maioria esmagadora de Inteligências encarnadas retratam psicologicamente aqueles que lhes deram o veículo físico, transformando-se, por algum tempo, em instrumentos ou médiuns dos genitores, à face do ajustamento das ondas mentais que lhes são próprias, em circuitos conjugados, pelos quais permutam entre si os agentes mentais de que se nutrem. Somente depois que experiências mais fortes lhes renovam a feição interior, costumam os filhos alterar de maneira mais ampla os moldes mentais recebidos. André Luiz – Mecanismos da Mediunidade – Cap. 16 – Centro Indutor do Lar O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum. Neio Lucio – Luz no Lar – Cap. 60 – Culto Cristão no Lar A escola é um lar de iniciação para as almas que começam as lides do burilamento intelectual, constituindo, simultaneamente, um centro de reflexos condicionados para milhões de espíritos que reencarnam para readquirir pelo alfabeto o trabalho das próprias conquistas na esfera da inteligência. Emmanuel – Pensamento e Vida – Cap. 9 – Sugestão
  • 14. 11 As Perturbações Espirituais no Lar 1.2 As Obsessões x As Perturbações Espirituais – O Que É Obsessão = Influência espiritual, negativa, continuada no tempo. Usualmente ligadas a fatores cármicos. Perturbação Espiritual = Influência espiritual, negativa, intermitente no tempo. Usualmente ligadas a tendências negativas íntimas e vícios morais. Adalberto Coelho 1.2.1 Obsessão Espiritual A obsessão é a ação persistente que o Espírito “ignorante” exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais”. Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. 28 – item 81 A obsessão consiste no domínio que os maus Espíritos assumem sobre certas pessoas, com o objetivo de as escravizar e submeter à vontade deles, pelo prazer que experimentam em fazer o mal. Quando um Espírito, bom ou mau, quer atuar sobre um indivíduo, envolve-o, por assim dizer, no seu perispírito, como se fora um manto. Interpenetrando-se os fluidos, os pensamentos e as vontades dos dois se confundem e o Espírito, então, se serve do corpo do indivíduo, como se fosse seu, fazendo-o agir à sua vontade, falar, escrever, desenhar, quais os médiuns. Allan Kardec – Obras Póstumas – Cap. 7 – Item 56 No número das dificuldades que a prática do Espiritismo apresenta é necessário colocar a da obsessão em primeira linha. Trata-se do domínio que alguns Espíritos podem adquirir sobre certas pessoas. São sempre os Espíritos inferiores que procuram dominar, pois os bons não exercem nenhum constrangimento. Os bons aconselham, combatem a influência dos maus, e se não os escutam preferem retirar-se. Os maus, pelo contrário, agarram-se aos que conseguem prender. Se chegam a dominar alguém, identificam-se com o Espírito da vítima e a conduzem: como se faz com uma criança. Allan Kardec – O Livro dos Médiuns – Cap. 23 – Item 237 – A Obsessão
  • 15. 12 As Perturbações Espirituais no Lar A obsessão, sob qualquer modalidade que se apresente, é enfermidade de longo curso, exigindo terapia especializada de segura aplicação e de resultados que não se fazem sentir apressadamente. Transmissão mental de cérebro a cérebro, a obsessão é síndrome alarmante que denuncia enfermidade grave de erradicação difícil. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão Obsessão é o domínio que alguns Espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Nunca é praticada senão pelos Espíritos inferiores, que procuram dominar. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão Em toda obsessão, mesmo nos casos mais simples, o encarnado conduz em si mesmo os fatores predisponentes e preponderantes – os débitos morais a resgatar – que facultam a alienação. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão Desse modo, as obsessões, na sua fase inicial, antes da tragédia da subjugação, de mais difícil reequilíbrio, têm caráter Provacional, enquanto que a idiotia e a loucura estão incursas nas expiações redentoras, através das quais o espírito calceta desperta para a compreensão dos valores da vida, enriquecendo-se de sabedoria para os futuros comportamentos. Assim mesmo, nos casos dessa ordem, a contribuição psicoterapêutica do Espiritismo através da bioenergia, da água fluidificada, da doutrinação do paciente e dos espíritos que, possivelmente, estarão complicando-lhe o processo de desequilíbrio, a oração fraternal e intercessória são de inequívoco resultado saudável, proporcionando o bem-estar possível e a diminuição de sofrimento do paciente, a ambos encaminhando para a paz e a futura plenitude. Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 1o Parte – Cap. 5 – Obsessão, Idiotia e Loucura As obsessões enxameiam por toda parte e os homens terminam por conviver, infelizes, com essas psicopatologias para as quais, fugindo à sua realidade, procuram as causas nos traumas, nos complexos, nos conflitos, nas pressões sociais, familiares e econômicas, como mecanismo de fuga aos exames de profundidade da gênese real de tão devastadora enfermidade. Não negando a preponderância de todos esses fatores que desencadeiam problemas de comportamento psicológico, afirmamos que eles, antes de constituírem causa dos distúrbios, são, em si mesmos, efeito de atitudes transatas, que o Espírito imprime na organização fisiopsíquica ao reencarnar-se, porquanto é sempre colocado no grupo familiar com o qual se encontra enredado, por impositivo de ressarcimento de dívidas, para o equilíbrio evolutivo. Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 26 – Fenômenos Obsessivos
  • 16. 13 As Perturbações Espirituais no Lar 1.2.2 Perturbação Espiritual Existem, sim, em número expressivo, interessados em perturbar a marcha das criaturas humanas. Nenhuma dúvida sobre esta questão. Pululam, ao lado dos homens e das mulheres, como nuvem que os acompanha, conforme observou o Apóstolo Paulo. Atraídos pelas imperfeições humanas, imantam-se àqueles com os quais sintonizam, realizando um terrível comércio espiritual. Tenazes e perigosos, espreitam, na situação em que se encontram, as suas futuras vítimas, e logo dispõem de possibilidade cercam-nas, envolvendo-as em pensamentos perturbadores com tal insistência que as desarmonizam. Outras vezes, sitiam-lhes as emoções, descarregando energias deletérias que terminam por descontrolar os centros do equilíbrio, levando-as a transtornos depressivos, do pânico, obsessivos-compulsivos. Invadem o campo da vontade daqueles que se permitem sofrer-lhes o assédio, empurrando-os para situações calamitosas, nas quais se comprazem. Em incontáveis ocasiões atiram pessoas imprevidentes, umas contra as outras, gerando situações embaraçosas, causando graves distúrbios no comportamento, nos relacionamentos sociais. São hábeis na produção da cizânia, nutrindo-se da maledicência em que os frívolos se demoram, aplicando o tempo que poderia ser útil em sistemática difamação do seu próximo. Perversos, não respeitam os valores éticos nem morais, preferindo, naturalmente, as pessoas que se encontram no claro-escuro da distonia psicológica, que mais lhes facilita a identificação. (...) Isoladamente, por inveja, malquerença, desocupação ou desdita pessoal, tornam-se verdadeiros flagelos para a Humanidade e, com a sua insistência calamitosa, desviam do rumo aqueles contra quem investem com fúria continuada. (...) É indispensável ter-se muito cuidado com eles. Esses Espíritos, em razão da inferioridade em que se encontram, imiscuem-se em todos os cometimentos humanos, dominados pela perversidade ou simplesmente pela falta do que fazer, mediante loucas tentativas de desforço contra a sociedade, para a qual transferem a responsabilidade pelo fracasso das suas infelizes existências terrenas. Joanna de Ângelis – Diretrizes para o êxito – Cap. 21 – Adversários Perigosos
  • 17. 14 As Perturbações Espirituais no Lar Há, no entanto, uma influenciação sutil, que passa despercebida e merece consideração. Referimo-nos à identificação de idéias e propósitos, que certos indivíduos recebem noutros, passando a receber-lhes o magnetismo e deixando-se impregnar. Quando essa força se exterioriza de pessoa boa, nobre e generosa, produz salutar efeito sobre aquele que se deixa arrastar, assimilando-lhe as vibrações e os exemplos edificantes de que passam a dar mostras após o convívio estabelecido. Quando, porém, se trata de criatura enferma do caráter, portadora de imperfeições morais danosas, a sua subjugação se transforma em efeito nefasto para quem lhe padece a injunção. Sentindo-se atraído pela influenciação daquele com quem convive, cabe a cada um desidentificar-se desse arrastamento e sintonizar com Jesus, que é o único modelo para a humanidade terrestre. Assimilar as boas impressões é muito importante, mantendo, porém, a própria individualidade, desde que, cada Espírito possui específico patrimônio, e tem por meta, em razão dos seus atos passados, a renovação interior e a auto recuperação conforme as forças de que disponha. (...) Procura, desse modo, também tu, identificar a onda de influenciação que te envolve e descobrir-lhe a procedência, a fim de elegeres aquela que te beneficie, sem que interfira ou perturbe a tua individualidade ou a tua tarefa. (...) Judas, inspirado sutilmente pelas forças do mal, traiu ao Amigo. Pedro, amedrontado, foi teleguiado pelas mesmas entidades perversas e negou-O. Os que O acompanharam na entrada triunfal de Jerusalém, poucos dias antes, atemorizados, foram sutilmente afastados dEle, a Quem aclamaram com entusiasmo no domingo anterior... Sob comando mental sutil, Zaqueu subiu ao sicômoro para vê-lO passar, e gozou a honra de recebê-lO depois no seu lar. Maria de Madalena, conduzida de forma sutil ao sepulcro, testemunhou-Lhe a ressurreição. Os fenômenos ostensivos despertam mais interesse, provocam admiração, porém cedem lugar aos sutis, permanentes, que conduzem as pessoas que devem aprimorar a sua capacidade de percepção mediúnica, a fim de seguirem, com acerto e paz, a experiência do progresso e da iluminação. Joanna de Angelis – Sob a Proteção de Deus – Cap. 28 – Fenômeno Mediúnico Sutil
  • 18. 15 As Perturbações Espirituais no Lar As obsessões sutis são perigosas, exatamente em razão da sua delicadeza de estrutura, da maleabilidade com que se apresentam, sendo confundidas com as naturais manifestações de conduta psicológica pertinente a cada indivíduo. É necessário muito discernimento para distinguir, quando se expressam desajustes emocionais, transtornos orgânicos que afetam a conduta psicológica e influências espirituais perturbadoras. Tornar os ensinamentos cristãos parte da filosofia existencial diária constitui um recurso valioso para a preservação da saúde sob quaisquer aspectos considerados, e mesmo quando se manifestem enfermidades, na condição de terapia psicológica e espiritual, capaz de manter o equilíbrio interior e a coragem para o prosseguimento da luta até o momento da vitória. Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 2o Parte – Cap. 2 – Sutilezas da Obsessão Sempre que você experimente um estado de espirito tendente ao derrotismo, perdurando há várias horas, sem causa orgânica ou moral de destaque, avente a hipótese de uma influenciação espiritual sutil. (...) Seja claro consigo para auxiliar os Mentores Espirituais a socorrer você. Essa é a verdadeira ocasião da humildade, da prece, do passe. O encarnado responsável pode estar tão inconsciente de seus atos que os efeitos negativos se fazem sentir como se fossem desenvolvidos pela própria pessoa. Quando o influenciador é consciente, a ocorrência é preparada com antecedência e meticulosidade, às vezes, dias e semanas antes do sorrateiro assalto, marcado para a oportunidade de encontro em perspectiva, conversação, recebimento de carta, clímax de negocio ou crise imprevista de serviço. Não se sabe o que tem causado maior dano à Humanidade: se as Obsessões espetaculares, individuais e coletivas, que todos percebem e ajudam a desfazer ou isolar, ou se essas meio-obsessões, de quase-obsidiados, despercebidas, contudo, bem mais freqüentes, que minam, as energias de uma só criatura incauta, mas por vezes influenciando o roteiro de legiões de outras. Quantas desavenças, separações e fracassos não surgem assim? Estude em sua existência se nessa última quinzena você não esteve em alguma circunstância com características de influenciação espiritual sutil. Estude e ajude a você mesmo. André Luiz – Estude e Viva – Cap. 35 – Influenciações Espirituais Sutis
  • 19. 16 As Perturbações Espirituais no Lar Quem, periodicamente, experimente as alternâncias de humor, de estados emocionais e físicos, sem causas imediatas, certamente está sob a pressão de obsessões intermitentes, necessitando de coragem para o auto-exame, o enfrentamento das inferioridades e a elevação moral, entregando-se ao bem que possa fazer e fruir, no qual a saúde se torna o estado ideal que todos aspiram. Manoel Philomeno de Miranda – Antologia Espiritual – Cap. 35 – Obsessões Intermitentes Através do autocontrole, vigiaremos a porta de nossas manifestações, barrando gestos e palavras desaconselháveis, e, com o auxílio da oração, faremos luz para entender o que há conosco, de maneira a impedir a própria queda em alienação e tumulto. Atendamos constantemente a esse trabalho de auto imunização mental, porque, junto ao imenso número de companheiros perturbados e obsediados que enxameiam a Terra de hoje, em toda parte, encontramos milhares de criaturas irmãs que estão quase às portas da obsessão. Emmanuel – Alma e coração – Ca. 21 – Perturbação e obsessão Quando experimentes tormentos íntimos ou te encontres exaltado, e anotes estranha, peculiar presença ao teu lado; Quando tenhas a sensação de que uma força irresistível te propele ao erro, à agressividade, ao desequilíbrio; Quando te sintas angustiado ou deprimido, sem uma razão aparente, e não consigas racionalmente superar essa situação; Quando idéias inabituais se desenhem nos teus painéis mentais, produzindo inquietação ou medo; Quando sejas tomado por impressões premonitórias, que mais tarde se confirmam, causando-te surpresa; Quando te pareça perceber vultos de pessoas em tua volta ou sons inarticulados na acústica da alma; Quando ores e te encontres envolvido por suaves e harmônicas vibrações; Quando impulsos generosos comandem os teus hábitos, levando-te à renovação de comportamento; Quando estiveres induzido ao perdão das ofensas, ao esquecimento das mágoas, à liberação daqueles a quem escravizas emocionalmente por ciúme, insegurança pessoal, ou egoísmo; Quando desabrochem, em ondas sucessivas, os sentimentos de amor em relação ao próximo, à Natureza, à Vida, sem dúvida estarás sob a indução dos Espíritos desencarnados, que de uma ou de outra forma se acercam de ti, e lhes captas o pensamento, sintonizando com as suas emoções. Joanna de Angelis – Sob a Proteção de Deus – Cap. 28 – Fenômeno Mediúnico Sutil
  • 20. 17 As Perturbações Espirituais no Lar 2. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Preponderantes – A “Raiz” A Doutrina que estuda as obsessões, as suas causas preponderantes e predisponentes – o Espiritismo –, possui os recursos excepcionais capazes de vencer essa epidemia cruel que, generalizada, invade hoje a Terra em todos os seus pontos. Eurípedes Barsanulfo – Sementes de Vida Eterna – Cap. 50 – Tormentos da Obsessão Nos processos obsessivos, não deixemos de repeti-lo, estão incursas na Lei as pessoas que constituem o grupo familiar e social do paciente, aí situado por necessidade evolutiva e de resgate para todos. Não se podem fugir à responsabilidade os que foram cúmplices ou co-autores dos delitos, quando os infratores mais comprometidos são alcançados pela justiça. Reunidos pelo parentesco sanguíneo ou através de conjunturas da afetividade, da afinidade, formam os grupos onde são alcançados pelos recursos reeducativos, dentro dos objetivos do progresso. Manoel Philomeno de Miranda – Nas Fronteiras da Loucura – Introdução – Análise das Obsessões 2.1 Débitos Cármicos Pululam em torno da Terra os maus Espíritos, em consequência da inferioridade moral de seus habitantes. A ação malfazeja desses Espíritos é parte integrante dos flagelos com que a Humanidade se vê a braços neste mundo. A obsessão, que é um dos efeitos de semelhante ação, como as enfermidades e todas as atribulações da vida, deve, pois, ser considerada como provação ou expiação e aceita com esse caráter. Allan Kardec – A Gênese – Cap. 14 – Os Fluidos – Obsessões e Possessões Neste capítulo, o das culpas, origina-se o fator causal para a injunção obsessiva; daí porque só existem obsidiados porque há dívidas a resgatar. A culpa, consciente ou inconscientemente instalada na casa mental, emite ondas que sintonizam com inteligências doentias, habilitando-se a intercâmbios mórbidos. A obsessão resulta de um conúbio por afinidade de ambos os parceiros. O reflexo de uma ação gera reflexo equivalente. Toda vez que uma atitude agride, recebe uma resposta de violência, tanto quanto, se o endividado se apresenta forrado de sadias intenções para o ressarcimento do débito, encontra benevolência e compreensão para recuperar-se. Manoel Philomeno de Miranda – Painéis da Obsessão – Prefácio
  • 21. 18 As Perturbações Espirituais no Lar Com origem nos refolhos do espírito encarnado, obsessões há em escala infinita e, consequentemente, obsidiados existem em infinita variedade, sendo a etiopatogenia de tais desequilíbrios, genericamente denominada distúrbios mentais, mais ampla do que a clássica apresentada, merecendo destaque aquela denominação causa cármica. Jornaleiro da Eternidade, o espírito conduz os germens cármicos que facultam o convívio com os desafetos do pretérito, ensejando a comunhão nefasta. Inicialmente o hospede espiritual (o obsessor), movido pela morbidez do ódio ou do amor insano, ou por outros sentimentos, envolve a casa mental do futuro parceiro (o obsedado) – a quem se encontra vinculado por compromissos infelizes de outras vidas, o que lhe confere receptividade por parte deste, mediante a consciência da culpa, o arrependimento desequilibrante, a afinidade nos gostos e aspirações, por ser endividado – enviando-lhe mensagens persistentes, em continuas tentativas telepáticas, até que sejam captadas as primeiras induções, que abrirão o campo a incursões mais ousadas e vigorosas. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão A consciência culpada é sempre porta aberta à invasão da penalidade justa ou arbitrária. E o remorso, que lhe constitui dura clave, faculta o surgimento de idéias-fantasmas apavorantes que ensejam os processos obsessivos de resgate das dívidas. Invariavelmente, na obsessão, há sempre o aproveitamento da ideia traumatizante – a presença do crime praticado –, que é utilizada pela mente que se fez perseguidora revel, apressando o desdobramento das forças deprimentes em latência, no devedor, as quais, desgovernadas, gravitam em torno de quem as elabora, sendo consumido por elas mesmas, paulatinamente. As idéias plasmadas e aceitas pelo cérebro, durante a jornada física, criam nos painéis delicados do perispírito as imagens mais vitalizadas, de que se utilizam os hipnotizadores espirituais para recompor o quadro apavorante, em cujas malhas o imprevidente se vê colhido, derrapando para o desequilíbrio psíquico total e deixando-se revestir por formas animalescas grotescas – que já se encontram no subconsciente da própria vítima – e que estrugem, infelizes, como o látego da justiça no necessitado de corretivo. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Cap. 4 – Estudando o Hipnotismo
  • 22. 19 As Perturbações Espirituais no Lar 2.2 Indolência Mental Os indivíduos tornam-se presas fáceis dos seus antigos comparsas, tombando nos processos variados de alienações obsessivas, porque, além de se descurarem da observância espiritual da existência, mediante atitudes salutares, comportamento equilibrado e vida mental enriquecida pela prece, pela reflexão, não se esforçam por libertar-se dos aborrecimentos e problemas desgastantes do dia a dia, mediante a aplicação dos recursos físicos e especialmente os mentais, por acomodação preguiçosa ou por uma dependência emotiva, infantil, que sempre transfere responsabilidades para os outros e prazeres para si. A preguiça mental é um polo de captação das induções obsessivas pelo princípio de aceitação irracional de tudo quanto a atinge. Cabe ao homem que pensa dar plasticidade ao raciocínio, ampliando o campo das idéias e renovando-as com o aprimoramento da possibilidade de absorver os elementos salutares que o enriquecem de sabedoria e de paz íntima. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão Mentes viciadas com mais facilidade aceitam as sugestões morbíficas que lhes são insufladas dentro do campo em que melhor se expressam: desconfiança, ciúme, ódio, desvario sexual, dependência alcoólica ou toxicômana, gula, maledicência... Temperamentos arredios, suspeitosos, são mais acessíveis em razão de melhor agasalharem as induções equivalentes, que se lhes associam em forma de perfeita sintonia. Caracteres violentos, apaixonados, mais fortemente se fazem maleáveis em decorrência do espírito rebelde que nesse corpo habita, dissimulando as chispas que lhes acendem as labaredas do incêndio interior, a exteriorizar-se como fogareis destruidores... Personalidades ociosas são mais susceptíveis em razão da mente vazia sempre acolher o que lhe apraz, deixando-se conduzir pela personalidade dos seus afins desencarnados. Joanna de Ângelis – Alerta – Cap. 4 – Obsessão e Jesus Mentes em vigorosas emissões conscientes ou não dardejam em todas as direções. Inapelavelmente, por um processo de sintonia na mesma faixa de frequência de interesses, produzem intercâmbio salutar ou danoso, em processo de transmissão e de recepção. Se te elevas pelo pensamento, alcanças vibrações nobres; se te perturbas e vulgarizas, registas as mais grosseiras. Joanna de Angelis – Rumos Libertadores – Cap. 43 – Médiuns Conscientes
  • 23. 20 As Perturbações Espirituais no Lar 2.3 Tendências Negativas Os espíritos perversos e infelizes sempre se utilizam das tendências negativas daqueles a quem odeiam, para estimulá-las, desse modo levando-os às situações penosas, perturbadoras. Se o homem se apoia nos recursos de elevação, difícil se torna para os seus verdugos espirituais encontrar as brechas pelas quais infiltram os seus pensamentos torpes, na sanha da perseguição em que se comprazem. Manoel Philomeno de Miranda – Painéis da Obsessão – Cap. 7 – Sementes da Insensatez Na Terra, igualmente, é muito grande o número de encarnados que se convertem, por irresponsabilidade e invigilância, em obsessores de outros encarnados, estabelecendo um consórcio de difícil erradicação e prolongada duração, quase sempre em forma de vampirismo inconsciente e pertinaz. São criaturas atormentadas, feridas nos seus anseios, invariavelmente inferiores que, fixando aqueles que elegem gratuitamente como desafetos, os perseguem em corpo astral, através dos processos de desdobramento inconsciente, prendendo, muitas vezes, nas malhas bem urdidas da sua rede de idiossincrasia, esses desassisados morais, que, então, se trans- formam em vítimas portadoras de enfermidades complicadas e de origem clínica ignorada... Outros, ainda, afervorados a esta ou àquela iniquidade, fixam-se, mentalmente, a desencarnados que efetivamente se identificam e fazem-se obsessores destes, amargurando- os e retendo-os às lembranças da vida física, em lamentável comunhão espiritual degradante... Além dessas formas diversificadas de obsessão, outras há, inconscientes ou não, entre as quais, aquelas produzidas em nome do amor tiranizante aos que se demoram nos invólucros carnais, atormentados por aqueles que partiram em estado doloroso de perturbação e egocentrismo... ou entre encarnados que mantém conúbio mental infeliz e demorado... Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Examinando a Obsessão Todo desregramento ou abuso de que sejamos dispenseiros se faz utilizado por mentes vigilantes e perversas do Mundo Espiritual, que açulam falsas necessidades, estabelecendo comércio lamentável e doloroso, em cujo curso surgem obsessões de consequências imprevisíveis, que se podem evitar antes, se refugiados no uso correto das faculdades da existência e na utilização da oração, forem aplicadas as horas na execução do programa de enobrecimento íntimo para o qual nascemos e renascemos. Marco Prisco – Sementeira da Fraternidade – Cap. 28 – Acessos à Obsessão É uma questão clara e aberta: O “encosto” que nos encosta Tem a base justa e certa Naquilo que a gente gosta. Toninho Bittencourt – Sorrir e pensar – Cap. 13 – Temas da obsessão
  • 24. 21 As Perturbações Espirituais no Lar 3. As Perturbações Espirituais no Lar – Causas Predisponentes – O “Adubo” 3.1 Alto índice de Criminalidade na Sociedade atual Os altos índices da criminalidade de todos os matizes e as calamidades sociais espalhadas na Terra são alguns dos fatores predisponentes para as obsessões... Os crimes ocultos, os desastres da emoção, os abusos de toda ordem de uma vida ressurgem depois, noutra vida, em caráter coercitivo, obsessivo. Manoel Philomeno de Miranda – Nos Bastidores da Obsessão – Exórdio A estes e a seus congêneres deve a sociedade do Rio de Janeiro grande percentagem dos acidentes verificados diariamente nas vias públicas e pelos domicílios particulares: atropelamentos, quedas, braços e pernas partidos, queimaduras, suicídios, homicídios, brigas, escândalos, confusões domésticas, assaltos, etc., etc. É a atmosfera. em que vivem e se agitam, porque já eram afins com ela antes de passarem para a vida invisível. É o que constantemente inspiram, sugerem e incitam, encontrando no homem um colaborador passivo, que facilmente se deixa dominar por suas terríveis seduções. A infelicidade alheia é o seu espetáculo preferido: Provocam mil distúrbios na sociedade e nos lares, pois se divertem com a prática de malefícios. Não entendem a sublime significação dos vocábulos – amor, caridade, piedade, fraternidade, honestidade! Não crêem em Deus nem têm religião. Odeiam o bem e o belo com todas as forças vibratórias que possuem. Odeiam os homens e os seguem, sorrateira e covardemente, porque odiavam a própria sociedade, antes de morrerem, sabendo que não serão vistos nem pressentidos. E a perseguição mental que lhes movem, aos homens, é inveterada e implacável, afirmando eles que assim agem porque igualmente foram perseguidos, quando homens, pela sociedade, que nunca os protegeu contra os males com que tiveram de lutar: doenças, miséria, fome, falta de instrução, orfandade, desemprego, delinquência, desesperos de mil e uma naturezas. .. E muitos destes foram, com efeito, delinquentes que a sociedade perseguiu e levou ao desespero, em vez de ajudá-los a se reeducarem para Deus... O resultado de tal incúria por parte dos homens aí está: uma vez desaparecidos da vida objetiva, pela chamada morte, infestam, como Espíritos, a sociedade, e prejudicam- na, acobertados pelo segredo da morte... Yvonne Pereira – Devassando o Invisível – Cap. 10 – Os grandes segredos do Além
  • 25. 22 As Perturbações Espirituais no Lar 3.2 Incremento dos conflitos Familiares – violência domesticas Há aqueles que falam aos gritos, os que são sempre grosseiros ao se expressar junto aos familiares. Há aqueles que têm sempre um alfinete pronto para as alfinetadas comuns dentro de casa. Os que falam jogando piadas, com segundas intenções, e ferem o temperamento daquele que é mais sensível ou que é pavio curto. E há aqueles que, dentro de casa, nem pavio têm, explodem por qualquer coisa. Natural é pensar, nessas ocasiões, que nós estaremos dando margem a infiltrações espirituais inferiores. Como nos disse o Apóstolo Paulo, estamos o tempo todo sendo observados por uma nuvem de testemunhas. Raul Teixeira – Federação Espírita do Paraná – Programa Vida e Valores – No 116 – 2007 – Outubro – Perturbações Espirituais no Lar Muita gente chega aos casamento já portadora de anomalias da emoção ou do caráter, ou de ambos, enquanto muitos alcançam os esponsais com grandes predisposições aos desarranjo interior, após o que as tensões, as dores morais, a violência psicológica e física experimentadas no cotidiano, advindas do cônjuge agressivo, de personalidade esquizoide ou portador de outras patologias, acabam por chafurdar no lodo das enfermidades psicológicas, dos destrambelhos mentais a exigirem sérios tratamentos reestruturadores, e, no caso de não existirem essas providencias restauradoras do equilíbrio, haverá o comprometimento negativo dessas criaturas, o que se espalhará para todas as suas realizações ao longo da reencarnação e que, sem nenhuma dúvida, converterá a vida familiar num verdadeiro pandemônio ou num inferno desolador. Há muitos filhos que nascem nesse caldo de cultura familiar e que padecem, amargamente, os mais variados tipos de maus-tratos físicos e psicológicos, além de não encontrarem nenhum respaldo que os socorra, que os liberte dessas amarras consanguíneas, impondo-lhes, desde muita tenra idade, expiações indescritíveis. (...) quando levamos em consideração os elementos de outras existências corporais do ser, ou de outras reencarnações planetárias, surge quase sempre um fator que costuma influenciar grandemente os passos dos indivíduos no mundo, que é a obsessão espiritual. Raul Teixeira/Camilo – Minha Família, o Mundo e Eu – Cap. 11 – Pais e Mães com dificuldades morais
  • 26. 23 As Perturbações Espirituais no Lar 3.3 Aumento da sintonia psíquica negativa na Transição Planetária “Época de Transição”: esta é a legenda que repetis frequentemente para definir a atualidade terrestre, em que surpreendeis, a cada passo, larga fieira de ocorrências inusitadas: Conflitos; Desencarnações em massa; Acidentes enlutando almas e lares; Desvinculações violentas; Dramas no instituto doméstico; Processos obsessivos, culminando com perturbações e lágrimas; Moléstias de etiologia obscura; Incompreensões. (...) Perante a Vida Maior, quase tudo aquilo que vedes, presentemente, em matéria de agitação ou desequilíbrio, nada mais significa que a movimentação mais intensa de vastas coletividades que retornam à Esfera Física, em regime de urgência, no intuito de conseguirem retoques e meios com que possam abordar os tempos novos em condições mais dignas de trabalho e progresso. Emmanuel – Diálogos dos Vivos – Cap. 21 – Dupla Renovação Incontável número de seres procede das regiões dolorosas e purgativas do planeta, que experimenta mudança de psicosfera, dentro da programática evolutiva a que estão sujeitos homens e mundos, experimentando a assepsia dos núcleos inditosos que agasalhavam as hordas de bárbaros do passado, temporariamente ali retidos a fim de que não obstaculizassem o desenvolvimento do lar... Recebendo a ensancha liberativa, apresentam-se ao crescimento espiritual, trazendo insculpidas nos recessos do psiquismo as condições que os tipificam, apesar da aparência harmoniosa e da estética decorrente das leis genéticas. Sôfregos e inquietos anseiam por repetir as comunidades chãs, entre as necessidades primárias de que se desobrigam por instinto, utilizando as aquisições da cultura científica e filosófica tão somente para a autossatisfação. Joanna de Angelis – Rumos Libertadores – Cap. 24 – Impulsos e Vontade Face à necessidade de promover o progresso moral do planeta, milhões de Espíritos foram transferidos das regiões infelizes onde se demoravam, para a inadiável investidura carnal, por cujo recurso podem recompor-se e mudar a paisagem mental, aprendendo, na convivência social, os processos que os promovam a situações menos torpes. Entretanto, dependências viciosas decorrentes da situação em que viviam, leva-os a tombarem nas malhas da toxicomania. Bezerra de Meneses – Nas Fronteiras da Loucura – Cap. 9 – O Problema das Drogas
  • 27. 24 As Perturbações Espirituais no Lar Não vos preocupeis demasiadamente com a presença pandêmica do vírus, cujo momento será mais tarde entendido nas suas razões, nas suas origens e no porquê nos chegou agora, provocando pânico e dor. Vós que conheceis Jesus, mantende o respeito às leis, buscando a precaução recomendada pelas autoridades sanitárias, mas não oculteis a mão socorrista aos padecentes, não negueis a palavra libertadora aos que se preparam para enfrentar a Imortalidade. Tende o cuidado para que as vossas ondas mentais sincronizem-se com as mentes que administram as vidas, e evita descer o vosso pensamento às páginas da agonia, onde se encontram as forças ultrajantes que estão produzindo as dores por necessidade da evolução do planeta. Bezerra de Meneses – Revista Presença Espírita # 338 – Maio/Junho/2020 Mensagem recebida por psicofonia de Divaldo Franco no encerramento da 22º Conferência Estadual Espírita do Paraná, em 15/Março/2020
  • 28. 25 As Perturbações Espirituais no Lar 3.4 Elevado número de problemas de Comportamento – Álcool/Drogas Há, contudo, a possibilidade de cada familiar associar-se a entidades perturbadoras do Mundo Invisível, em razão dos seus vícios, do mau caráter ou de suas inclinações perversas não devidamente tratadas. Esse tipo de Espíritos, comprazendo-se em infelicitar, em desarticular tudo o que demonstre algum incipiente equilíbrio, com certeza não se limitará a enredar a sua presa, mas buscará provocar situações de graves estresses sentimentais entre os membros do lar daquele a quem assedia. O resultado é que todos se sentem mal à chegada do parente inditoso, tendo em vista a presença do desencarnado infeliz ou simplesmente pela má qualidade dos fluidos com os quais envolve a sua presa. Conduzindo consigo essa atmosfera fluídica desarmonizadora, é comum que onde chegue o referido familiar haja o surgimento de indisposição, irritação ou antipatia por parte dos demais. Esse choque fluídico pode estabelecer um processo de combates que, a principio apenas mentais, podem degenerar ainda mais, alcançando o campo das palavras, rumando para os embates palavrosos, para os confrontos corporais, podendo chegar a violências extremas, a desforços e à morte. Raul Teixeira/Camilo – Minha Família, o Mundo e Eu – Cap. 18 – Indisposições e pugnas na Família Muito mais grave do que parece é a obsessão, nos problemas sociais do comportamento humano. Alcoolismo, tabagismo, drogas alucinógenas, sexolatria, jogatina, gula recebem grande suporte espiritual, sendo, não poucas vezes, iniciada a viciação de cá para ai, por inspiração que fomenta a curiosidade e por necessidade que estimula o prosseguimento. O enfermo, dificilmente, consegue evadir-se, por si mesmo, da dificuldade. De um lado, pelos nefastos prejuízos orgânicos de que se ressente e, por outro, em razão da incidência mental do obsessor, que o utiliza como instrumento da loucura de que se vê possuído. As verdadeiras multidões de dependentes de drogas ou de outras viciações estertoram, mesmo sem o saberem, em danosos processos de obsessão lamentável. Manoel Philomeno de Miranda – Roteiro de Libertação – Cap. 34 – Comportamento por Obsessão
  • 29. 26 As Perturbações Espirituais no Lar Invariavelmente, defrontamos nas panorâmicas da toxicomania, da sexolatria, dos vícios em geral a sutil presença de obsessões, como causa remota ou como efeito do comportamento que o homem se permite, sintonizando com mentes irresponsáveis e enfermas desembaraçadas do corpo. Atado à retaguarda donde procede, mantêm-se psiquicamente em sintonia com sítios, nem sempre felizes, onde estagiou no Além-túmulo, antes de ser recambiado à reencarnação. Bezerra de Meneses – Nas Fronteiras da Loucura – Cap. 9 – O Problema das Drogas Além das conjunturas meramente psicofisiológicas, merece considerar-se que em toda dependência viciosa há sempre uma lancinante força obsessiva, mediante a qual seres pervertidos e viciados que viveram na Terra e se equivocaram, por processo natural de sintonia, imantam-se às criaturas humanas, às vezes sendo a causa do mal, em circunstâncias outras, o que é mais comum, dependentes, também, da falsa necessidade de que padece o homem... Toxicomania, alcoolismo, tabagismo, sexualismo desvairado, paixões morais deprimentes, tais a mentira, a calúnia, a pusilanimidade, a idiossincrasia, são amarras perigosas e constritoras que ora dizimam expressiva soma de seres humanos, nos vários pontos da Terra. Joanna de Angelis – Oferenda – Cap. 31 – Dependências
  • 30. 27 As Perturbações Espirituais no Lar 3.5 Os Reajustes Reencarnatórios Familiares Há mais enfermos no mundo do que se supõe que existam. Isto porque, no reduto familiar raramente fecundam a conversação edificante, o entendimento fraterno, a tolerância geral, o amor desinteressado... Joanna de Angelis – SOS Família – Cap. 11 – Cristo em Casa E nesse vastíssimo roteiro de Espíritos em desajuste, não identificaremos tão somente os cônjuges infortunados. Além deles, há fenômenos sentimentais mais complexos. Existem Pais que não toleram os filhos e Mães que se voltam, impassivelmente, contra os próprios descendentes. Há filhos que se revelam inimigos dos progenitores e irmãos que se exterminam dentro do magnetismo degenerado da antipatia congênita, dilacerando-se uns aos outros, com os raios mortíferos e invisíveis do ódio e do ciúme, da inveja e do despeito, apaixonadamente cultivados no solo mental. Os hospitais e principalmente os manicômios apresentam significativo número de enfermos, que não passam de mutilados espirituais dessa guerra terrível e incruenta na trincheira mascarada sob o nome de Lar. Batizam-nos os médicos com rotulagens diversas, na esfera da diagnose complicada; entretanto, na profundez das causas, reside a influência maligna da parentela consanguínea que, não raro, copia as atitudes da tribo selvagem e enfurecida. Todos os dias, semelhantes farrapos humanos atravessam os pórticos das casas de saúde ou de caridade, à maneira de restos indefiníveis de náufragos, perdidos em mar tormentoso, procurando a terra firme da costa. Ninguém pode negar a existência do amor no fundo das multiformes uniões a que nos referimos. Mas esse amor ainda se encontra, à maneira do ouro inculto, incrustado no cascalho duro e contundente do egoísmo e da ignorância que, às vezes, matam sem a intenção de destruir e ferem sem perceber a inocência ou a grandeza de suas vítimas. Por isso mesmo, o Espiritismo com Jesus, convidando-nos ao sacrifício e à bondade, ao conhecimento e ao perdão, aclarando a origem de nossos antagonismos e reportando- nos aos dramas por nós todos já vividos no pretérito, acenderá um facho de luz em cada coração, inclinando as almas rebeldes ou enfermiças à justa compreensão do programa sublime de melhoria individual, em favor da tranquilidade coletiva e da ascensão de todos. Humberto de Campos – Luz no Lar – Cap. 5 – No Reino Doméstico
  • 31. 28 As Perturbações Espirituais no Lar 3.6 Os Níveis consciências diferentes dos membros da Família Quando analisamos os relacionamentos conturbados dentro dos lares, constatamos a imensa gama de dificuldades que permeiam as famílias. Quase toda família tem um parente mais difícil, e muitas vezes se trata de uma pessoa que sustenta o estranho hábito de ser desagradável, de provocar aborrecimentos por motivos banais; em outras ocasiões, é alguém que não consegue ser gentil, mesmo sem a intenção de agredir. Um familiar com esse perfil é aquele a quem precisamos destinar maior soma de cuidados e de compaixão. Se uma pessoa faz questão de ser um estorvo ou se age de forma rude por não ter autocontrole, estamos diante de um Espírito que carrega na intimidade uma alta dose de conflitos. Ele traz estados de angústia, de sofrimento e de inquietação que não consegue exteriorizar de maneira pacífica, causando-nos um grande sentimento de repulsa, razão pela qual acabamos sendo intolerantes e assumimos uma postura igualmente agressiva e birrenta. Se dentro do lar não for cultivada uma visão espiritual dos laços familiares, ficará muito difícil conduzir o problema com equilíbrio e serenidade. Em face dessas ocorrências, muitas pessoas me perguntam o que fazer diante de um familiar que nos fere e nos persegue, adotando posturas contrárias ao senso de justiça e amor. A dúvida envolve a necessidade de conciliar saúde psíquica e perdão sem sermos coniventes com o erro, e eu respondo que o método mais eficaz é oferecer o exemplo de uma conduta saudável a fim de que isso sensibilize a pessoa de temperamento difícil. Se não constatarmos uma transformação positiva em nosso parente, teremos que nos manter firmes em nossas opções, dando ao indivíduo o direito de ser como é, ao mesmo tempo que nós reservamos o direito de ser como devemos. Kardec nos alerta que não é possível dedicar ao ser que nos causa aversão a mesma ternura que dedicamos a quem nos ama em profundidade. Todavia, é perfeitamente viável trabalhar-nos para ajudar o Espírito que ainda se encontra na consciência de sono, porque poderemos ao menos respeitá-lo e oferecer-lhe o nosso apoio no que for necessário.
  • 32. 29 As Perturbações Espirituais no Lar Se a proposta se concretizar, é provável que em breve surja uma simpatia entre os seres que inicialmente se digladiavam, em seguida pode nascer uma amizade e, com o tempo, os dois estarão amando-se. O amor sempre será a solução para as dificuldades da família! Divaldo Franco – Vivências do amor em Família – Cap. 7 – Conflitos Familiares A Psicologia Transpessoal possui uma abordagem que contribui de forma significativa para a compreensão do processo evolutivo: o estudo dos níveis de consciência. Cada ser se encontra em um estágio específico do desenvolvimento espiritual, o que explica as dificuldades que podem surgir no relacionamento entre Espíritos reencarnados em uma mesma família. O primeiro nível de evolução é denominado consciência de sono. Nesse patamar, o indivíduo tem interesses muito restritos, voltados apenas à satisfação das necessidades primárias da existência humana: ele se alimenta, repousa e tem relações sexuais, demonstrando que é um ser fisiológico, que vive da boca para baixo, manifestando mais o instinto do que a inteligência, as emoções e a afetividade. No entanto, lentamente o Espírito desenvolverá suas potencialidades mais profundas e se tornará um ser psicológico. O segundo nível evolutivo é a consciência desperta, em que a pessoa procura satisfazer suas necessidades básicas, mas também cultiva algum ideal: ela se dispõe a colaborar com a sua religião, com a atividade do seu clube ou outra causa humanitária, embora ainda não se comprometa com uma proposta mais ampla de enobrecimento da vida. Essa pessoa já possui discernimento e consegue visualizar novos horizontes, começando a trabalhar o seu mundo psíquico para futuras incursões em paisagens superiores. O terceiro nível é intitulado consciência de si mesma, quando o ser se revela possuidor de virtudes mais aprimoradas e se candidata à realização de ações expressivas em benefício da coletividade: ele se torna pioneiro em atividades de transformação do panorama social e é convidado a participar de projetos humanos de grande impacto, mobilizando seu potencial anímico a fim de cumprir os compromissos abraçados. É uma fase em que o indivíduo sintoniza com Espíritos nobres para assumir o papel de verdadeiro colaborador em Programas de dignificação da criatura humana, sustentado pelo contato com as forças espirituais que zelam pelo seu êxito.
  • 33. 30 As Perturbações Espirituais no Lar Os fenômenos paranormais e mediúnicos desabrocham com naturalidade, e ele vislumbra um mergulho profundo nas dimensões do Infinito... O quarto nível é classificado como consciência objetiva ou consciência cósmica, em que o Espírito se encontra no mais alto grau evolutivo que se pode almejar na Terra. Esse patamar foi alcançado pelo admirável apóstolo Paulo, que disse de forma inesquecível: "Já não sou eu que vivo, é o Cristo que vive em mim!". Também podemos ver o mesmo desenvolvimento espiritual em Madre Teresa de Calcutá, que afirmou amorosamente: "Eu sou o lápis na mão de Deus. Ele escreve por mim aquilo que deseja registrar!". Divaldo Franco – Vivências do amor em Família – Cap. 7 – Conflitos Familiares
  • 34. 31 As Perturbações Espirituais no Lar 3.7 As Auto-Obsessões Nem todos os fenômenos obsessivos, entretanto, procedem da injunção proposital de um Espírito desencarnado sobre outro vestido pela roupagem fisiológica. Grande parte dos que se encontram entorpecidos pelos problemas de ordem espiritual, psíquica ou física, padece de um processo de auto-obsessão dos mais lamentáveis, pois que nesse quadro o Espírito obsessor é o próprio obsidiado em reencarnação compulsória de resgate impositivo, que não consegue forças para se libertar facilmente das situações enfermiças, a fim de avançar nos rumos do equilíbrio, da necessária paz. Manoel Philomeno de Miranda – Sementeira da Fraternidade – Cap. 5 – Alienação por Obsessão Excetuados os casos puramente orgânicos, o louco é alguém que procurou forçar a libertação do aprendizado terrestre, por indisciplina ou ignorância. Temos neste domínio um gênero de suicídio habilmente dissimulado, a auto- eliminação da harmonia mental, pela inconformação da alma nos quadros de luta que a existência humana apresenta. Diante da dor, do obstáculo ou da morte, milhares de pessoas capitulam, entregando-se, sem resistência, à perturbação destruidora, que lhes abre, por fim, as portas do túmulo. A princípio, são meros descontentes e desesperados, que passam despercebidos mesmo àqueles que os acompanham de mais perto. Pouco a pouco, no entanto, transformam-se em doentes mentais de variadas gradações, de cura quase impossível, portadores que são de problemas inextricáveis e ingratos. Imperceptíveis frutos da desobediência começam por arruinar o patrimônio fisiológico que lhes foi confiado na Crosta da Terra e acabam empobrecidos e infortunados. Aflitos e semimortos, são eles homens e mulheres que desde os círculos terrenos padecem, encovados em precipícios infernais, por se haverem rebelado aos desígnios divinos, preterindo-os, na escola benéfica da luta aperfeiçoadora, pelos caprichos insensatos. André Luiz – No Mundo Maior – Cap. 16 – Alienados Mentais
  • 35. 32 As Perturbações Espirituais no Lar Seu aspecto será o de um obsidiado. No entanto, ele é obsidiado apenas por sua memória profunda, que vinculou sua personalidade humana. Se houve remorso, houve crime, delinquência. E, se houve crime, a consciência, desarmonizada consigo mesma, desarmonizará todo o ser, e de muitas formas. A mente enferma refletirá sua anormalidade sobre o perispírito, que é dirigido por ela, e este sobre o corpo carnal, que é escravo de ambos, através do sistema nervoso. E eis aí a doença mental com substrato orgânico vinculada a problemas espirituais, mas não propriamente a obsessão na sua feição comum. Bezerra de Meneses – Recordações da Mediunidade – Cap. 10 – O Complexo Obsessão As emoções reencarnam junto com a pessoa. Na dinâmica emocional, as vidas passadas respondem pelo maior acervo dos desencontros emocionais reeditados na vida atual. Costumamos dizer que o que se apaga das vidas passadas são os fatos, mas não a memória emocional dos fatos. Traumas de vidas anteriores reencarnam junto no nível emocional. Diante de circunstâncias semelhantes aos fatos de vidas anteriores, a pessoa volta a sentir o que sentiu na outra existência. Pânico, tristeza, raiva, entre outras emoções, estão permanentemente ressurgindo, aparentemente sem explicação. (...) esses processos obsessivos mais graves, frequentemente remontam aos séculos, ou seja, já foram instalados em outras existências. Instalaram-se pela mesma dinâmica emocional de persistência em faixas negativas de entendimento. Dissemos que as várias circunstâncias da nossa vida fazem conectar situações anteriores por semelhança afetiva. Pois bem, no momento em que uma memória anterior é disparada pelo gatilho das emoções, concomitantemente uma faixa espiritual se abre também, e é por essa faixa de passado que antigos perseguidores espirituais se acoplam ao campo energético do indivíduo, determinando quadros graves de desajuste emotivo-espiritual. Sérgio Luís da Silva Lopes – Revista A Reencarnação – No 425 – A Dinâmica Emocional nas Perturbações Obsessivas – 2003 – FERGS
  • 36. 33 As Perturbações Espirituais no Lar Por isso mesmo, no encadeamento das vidas sucessivas, o espírito herda das experiências pretéritas as conquistas e os prejuízos morais que ressurgem consciente ou inconscientemente nos recônditos de si mesmo. Disso resulta que as aquisições negativas, que foram fatores do insucesso, reaparecem em condicionamentos psíquicos deprimentes, em complexas manifestações de narcisismo, de evasão da realidade, de catarse, de esquizofrenia, nas suas apresentações variadas, ou repontam em expressões de instintos agressivos, inibições, repressões, conflitos, em que o próprio espírito sofre as perturbações que lhe são atinentes, transmitindo dos centros sensíveis do psicossoma à matéria as distonias e as alienações de variada espécie, que traz do pretérito espiritual. Não padecem, pois, dúvidas, quanto as enfermidades mentais procederem, em grande parte, do espírito encarnado, perturbado como é, em si mesmo. Em tais casos as técnicas psicanalistas logram atingir os fulcros próximos das alienações, facultando a liberação da consciência sob os estímulos da esperança, do trabalho e do amor. Outras vezes, os traumas decorrem de fundas marcas do passado próximo, removíveis com relativa facilidade, dentro, todavia, dos quadros de débitos e créditos a que se encontra o espírito vinculado. Vianna de Carvalho – Sementeira da Fraternidade – Cap. 8 – Psiquiatria e Espiritismo
  • 37. 34 As Perturbações Espirituais no Lar 4. As Perturbações Espirituais no Lar – Consequências Principais – Os “Frutos” 4.1 Desencontros Familiares Gúbio informou que, a determinadas horas da noite, três quartos da população da Crosta se acham nas zonas de contato com os Espíritos e a maior percentagem permaneciam detidos em círculos de baixas vibrações, como aquele. Por aqui –– disse Gúbio ––, muitas vezes se forjam dolorosos dramas que se desenrolam nos campos da carne. Grandes crimes têm nestes sítios as respectivas nascentes e, não fosse o trabalho ativo e constante dos Espíritos protetores que se desvelam pelos homens no labor sacrificial da caridade oculta e da educação perseverante, sob a égide do Cristo, acontecimentos mais trágicos estarreceriam as criaturas. André Luiz – Libertação – Cap. 6 – Observações e Novidades Notamos que você, ultimamente, anda mais fraca, mais serviçal... Estará desencantada, quanto aos compromissos assumidos? A interpelada, um tanto confundida, disse que seu marido, João, filiara-se a um grupo de preces, o que, de algum modo, lhes vinha alterando a vida. A entidade desencarnada deu um salto para trás, como um animal surpreendido, e gritou: "orações”? você está cega quanto ao perigo que isso significa? Quem reza cai na mansidão. E' necessário espezinhá-lo, torturá-lo, feri-lo, a fim de que a revolta o mantenha em nosso círculo. Volte para o corpo e não ceda um milímetro. Corra com os apóstolos improvisados. Fazem-nos mal. Prenda João, controlando-lhe o tempo. Desenvolva serviço eficiente e não o liberte. Fira-o devagarinho. Gúbio, que também observara a cena, esclareceu que obsessão desse teor apresenta milhões de casos. De manhã cedo, aquela esposa, incapaz de apreciar a felicidade que o Senhor lhe concedera, com um casamento digno e tranqüilo, despertaria no corpo de alma desconfiada e abatida, convertendo-se em objeto de aflição para o esposo e prejudicando-lhe as conquistas incipientes. André Luiz – Libertação – Cap. 6 – Observações e Novidades
  • 38. 35 As Perturbações Espirituais no Lar Famílias-problemas! ... − Irmãos que se antagonizam... − Cônjuges em lamentáveis litígios... − Animosidades entre filho e pai, farpas de ódios entre filha e mãe... − Afetos conjugais que se desmantelam em caudais de torvas acrimônias... − Sorrisos filiais que se transfiguram em rictos de idiossincrasias e vinditas... − Tempestades verbais em discussões extemporâneas... − Agressões infelizes de consequências fatais... − Tragédias nas paredes estreitas da família... − Enfermidades rigorosas sob látegos de impiedosa maldade... − Mãos encanecidas sob tormentos de filhos dominados por ódios inomináveis. − Pais enfermos açoitados por filhas obsidiadas, em conúbios satânicos de reações violentas em cadeia de ira... − Irmãos dependentes sofrendo agressões e recebendo amargos pães, fabricados com vinagre e fel de queixas e recriminações... Famílias em guerras tiranizantes, famílias-problemas! ... É da Lei Divina que o infrator renasça ligado à infração que o caracteriza. A justiça celeste estabeleceu que a sementeira tem caráter espontânea, mas a colheita tem impositivo de obrigatoriedade. Não renasceste ali por circunstância anacrônica ou casual. Não resides com uma família-problema por fator fortuito nem por engano dos Espíritos Egrégios. Escolheste, antes do retorno ao veículo físico, aqueles que dividiriam contigo as aflições superlativas e os próprios desenganos. Joanna de Angelis – Dimensões da Verdade – Cap. 52 – Dentro do Lar
  • 39. 36 As Perturbações Espirituais no Lar 4.2 Distúrbios de Comportamento Infanto-juvenil 4.2.1 Na Escola (...) Continuamos naquele recinto e, como era a primeira vez que tinha oportunidade de encontrar-me em uma Escola para crianças, pude observar que todas eram acompanhadas por Espíritos, algumas felizes, e não poucas por Entidades cruéis que, desde cedo, intentavam perturbá-las, vinculando-se-lhes psiquicamente. Diversas podiam situar-se no diagnostico de obsidiadas, tão estreito era já o conúbio mental entre os desencarnados e elas. Irritação, agressividade, indiferença emocional, perversidade, obtusão de raciocínio, enfermidade físicas e distúrbios psicológicos fazem parte das síndromes perturbadoras da infância, que tem suas nascentes na interferência de Espíritos perversos uns, traiçoeiros outros, vingativos todos eles... Olhando, em derredor, enquanto não se iniciavam as aulas, apontou uma menina loura de olhos claros e cabelos encaracolados com mais ou menos sete anos, que gritava, agredindo outra com palavras e gestos vulgares, quase aplicando-lhe golpes físicos. Aí está um exemplo. A pequenina, como podemos observar, é uma obsessa. No lar é tida como recalcitrante e teimosa, não obstante os castigos físicos que lhe aplicam os pais desinformados e confusos, por não entenderem o que ocorre com a filha que esperaram com imenso carinho e os decepciona. Não ignoramos que a misericórdia de Deus está presente em toda a Criação, e que não seria o ser humano quem marcharia sem a necessária proteção para alcançar a meta que busca no seu desenvolvimento intelecto-moral. Todavia, sabemos, também, que muitos processos de obsessão têm o seu início fora do corpo físico, quando os calcetas e rebeldes, os criminosos e viciados reencontram suas vítimas no Além-Túmulo, que se lhes imantam, nos tentames infelizes e de resultados graves em formas de obsessões. A obsessão na infância muitas vezes é continuidade da ocorrência procedente da Erraticidade. Sem impedir o processo da reencarnação, essa influência perniciosa acompanha o período infantil de desenvolvimento, gerando graves dificuldades no relacionamento entre filhos e pais, alunos e professores, vida social saudável entre coleguinhas. Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão na infância
  • 40. 37 As Perturbações Espirituais no Lar 4.2.2 No Lar Inúmeros casos de autismo, quando detectados na primeira infância, procedem de graves compromissos negativos com a retaguarda espiritual do ser, que renasce com as marcas correspondentes no perispírito, que se encarrega de imprimir as deficiências que lhe são necessárias para o refazimento. Outrossim, aqueles que padeceram nas suas mãos cruéis acompanham-no, dificultando-lhe a recuperação, gerando situações críticas e mui dolorosas, ameaçando-o com impropérios e vibrações deletérias que não sabe decodificar, mas registra nas telas mentais, fugindo da realidade aparente para o seu mundo de sombras, isto quando não se torna agressivo, intempestivo, silencioso e rude. Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão na infância Uma das nossas parentas, menina de dez anos de idade, justamente a caçula dentre seis irmãos, acusava anormalidades nos modos comuns a uma criança, anormalidades que uma razão esclarecida em assuntos espíritas compreenderia provirem de influenciações da parte de seres desencarnados inferiores. Caracterizavam-se os seus modos por trejeitos cômicos, carantonhas horríveis, palavreado piegas ou atrevido, desagradável, tolo, que a todos da família irritava e aos estranhos escandalizava. A dita criança se rebelava contra qualquer disciplina, desobedecendo a tudo, renitente, odiosa, dando mesmo impressão de se encontrar desequilibrada das faculdades mentais. (...) Ela afinou-se com entidades inferiores durante o estágio no Espaço, antes da reencarnação. Arrependimento sincero, porém, levou-a., a tempo, a se retrair das mesmas, e desejar encaminhar-se para melhores planos. É médium, ou antes, possui faculdades mediúnicas, que futuramente poderão frutificar generosamente, a serviço do próximo, se bem cultivadas. Os antigos companheiros de Invisível, assediam-na, tentando reavê-la para o sabor de velhos conluios. Yvonne Pereira – Devassando o Invisível – Cap. 10 – Os grandes segredos do Além
  • 41. 38 As Perturbações Espirituais no Lar Irritação, agressividade, indiferença emocional, perversidade, obtusão de raciocínio, enfermidades físicas e distúrbios psicológicos fazem parte das síndromes perturbadoras da infância, que tem suas nascentes na interferência de Espíritos perversos uns, traiçoeiros outros, vingativos todos eles... Consultado um psicólogo, o mesmo anotara distúrbios de comportamento na menina, que se vem tentando solucionar, sem penetrar na causa dos mesmos, que lhe escapam por falta de conhecimento dessa parasitose espiritual. No curso que o processo vem recebendo atendimento fará que, no futuro, essa criança seja candidata a terapias muito violentas e inócuas em grande parte, em razão das mesmas alcançarem somente os efeitos, não erradicando a causa central. Os fármacos e os neurolépticos conseguem, muitas vezes, auxiliar os neurônios na execução das sinapses, bloqueando as interferências espirituais, porém por pouco tempo. Ninguém caminha a sós e, por isso mesmo, na conjuntura aflitiva em que a menina se debate, o seu Espírito protetor muitas vezes impede que seja arrastada pelo seu algoz para as regiões mais infelizes em que se situa, nos períodos do parcial desdobramento pelo sono físico, dificultando-lhe o domínio quase total que teria sobre as suas faculdades mentais e os seus sentimentos de afetividade e de comportamento. Quando luzir na Humanidade o conhecimento espírita e as sutilezas da obsessão puderem ser identificadas desde os primeiros sintomas, muitos transtornos infanto-juvenis serão evitados, graças às terapias preventivas, ou minimizados mediante os tratamentos que o Espiritismo coloca a disposição dos interessados. No caso em tela, a terapêutica bio-energética, a sua participação nas aulas de orientação evangélica sob a luz do pensamento espírita, a água magnetizada e a psicosfera de bondade, do esclarecimento, da paciência dos genitores libertá-la-ia da influência perniciosa, auxiliando-a ater um desenvolvimento normal. Concomitantemente, porque em ambiente propício, os Benfeitores da Vida Maior poderiam também conduzir o seu desafeto ao tratamento espiritual desobsessivo, alterando completamente o quadro Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão na infância
  • 42. 39 As Perturbações Espirituais no Lar Não obstante, os recursos terapêuticos ministrados ao adulto serão aplicados ao enfermo infantil com mais intensa contribuição dos passes e da água fluidificada – bioenergia – bem como proteção amorosa e paciente, usando-se a oração e a doutrinação indireta ao agente agressor – psicoterapia – , e por fim, através do atendimento desobsessivo mediante o concurso psicofônico, quando seja possível atrair o hospede a comunicação mediúnica de conversação direta. A visão do Espiritismo em relação à criança obsidiada é holística, pois que não dissocia, na sua forma atual, do adulto de ontem quando contraiu o debito. Ensina que infantil é somente o corpo, já que o Espírito possui uma diferente idade cronológica, nada correspondente à da matéria. Além disso, propõe que se cuide não só da saúde imediata, mas sobretudo da disposição para toda uma existência saudável, que proporcionará uma reencarnação vitoriosa, o que equivale dizer, rica de experiências iluminativas e libertadoras. Adimos a terapia do amor dos pais e demais familiares, igualmente envolvidos no drama que afeta a criança. Manoel Philomeno de Miranda – Nas Trilhas da Libertação – Cap.2 – Ampliando Conhecimentos
  • 43. 40 As Perturbações Espirituais no Lar 4.3 Agravamento de processos obsessivos (...) Paralítico de nascença, primogênito de um casal aparentemente feliz, conta oito anos – não fala, não anda, não chega a sentar-se, vê muito mal, quase nada ouve da esfera humana; psiquicamente, porém, tem a vida de um sentenciado sensível, a cumprir severa pena, lavrada, em verdade, por ele próprio. Há quase dois séculos, decretou a morte de muitos compatriotas numa insurreição civil. Valeu-se da desordem político-administrativa para vingar-se de desafetos pessoais, semeando ódio e ruínas. Viveu nas regiões inferiores, apartado da carne, inomináveis suplícios. Inúmeras vítimas já lhe perdoaram os crimes; muitas, seguiram-no, obstinadas, anos afora... A malta, outrora densa, rareou pouco a pouco, até que se reduziu aos dois últimos inimigos, hoje em processo final de transformação. (...) Os pensamentos de revolta e de vingança, emitidos por todos aqueles aos quais deliberadamente ofendeu, vergastaram-lhe o corpo perispiritual por mais de cem anos consecutivos, como choques de desintegração da personalidade. (...) Um dos verdugos desencarnados se moveu e tocou a destra o cérebro do doentinho, recomendando-me Calderaro que examinasse os efeitos desse contacto. Extrema palidez e enorme angustia transpareceram no semblante do paralítico. Notei que a infeliz entidade emitia, através das mãos, estrias negras de substancia semelhante ao piche, as quais atingiam o encéfalo do pequenino, acentuando-lhe as impressões de pavor. O doentinho, da aflição, em que se mergulhara, passou às contorções. Os órgãos revelavam agora estranhos deslocamentos. O sistema endócrino patenteava indefiníveis perturbações – Os raios destrutivos alcançam-lhe a zona motora, provocando a paralisação dos centros da fala, dos movimentos, da audição, da visão e do governo de todos os departamentos glandulares. Na verdade, essa dolorosa situação cronificou-se, pela repetição desta ocorrência milhares de vezes, por quase duas centenas de anos. Examinando essa criança sofredora como enigma sem solução, alguns médicos insensatos da Terra se lembrarão talvez da “morte suave”; ignoram que, entre as paredes deste lar modesto, o Médico Divino, utilizando um corpo incurável e o amor, até o sacrifício, de um coração materno, restitui o equilíbrio a espíritos eternos, a fim de que sobre as ruínas do passado possam irmanar-se para gloriosos destinos. André Luiz – No Mundo Maior – Cap. 7 – Processo Redentor
  • 44. 41 As Perturbações Espirituais no Lar 4.4 Depressão no núcleo Familiar Frente a frente com esta realidade, que assusta e fere, vamos encontrar jovens que procuram abrigo nos falsos refúgios da tristeza e da amargura. Outros apelam para a rebeldia e para a agressividade. Buscam nesses meios a forma de neutralizar os açoites psicológicos a que se vêem expostos, ininterruptamente. Ativando os mecanismos da defesa psíquica, muitos jovens alheiam-se da realidade, aprisionando-se, lentamente, nas malhas da depressão. A depressão faz instalar no recôndito do ser desta jovem criatura uma amargura profunda, uma dor infinita, uma tristeza sem-fim. O Espírito adoece, passo a passo, chegando a ponto de ver na morte, no atentado à existência física, a solução que lhe parece salvadora. Dias da Cruz – Revista Reformador – 2005 – Agosto – Suicídio na Adolescência Por uma natural lei de afinidade, os Espíritos renascem no mesmo grupo consangüíneo com o qual agrediram a ordem e desrespeitaram os deveres. Assim sendo, quando algum deles apresenta na infância a parasitose obsessiva, os seus genitores igualmente aturdidos não dispõem de recursos para os auxiliarem, utilizando-se da docilidade, da paciência, da compaixão, do fervor religioso, que sempre se contrapõem às aflições dessa natureza. Desesperam-se com facilidade, aplicam castigos físicos e morais injustificáveis no paciente infantil, agravando mais a questão pelos resíduos que ficam nos sentimentos prejudicados, especialmente o ressentimento, o ódio, a antipatia, a consciência da injustiça de que foram objeto. À medida que atingem a maturidade e a idade adulta, adicionam a esses transtornos íntimos, a magoa contra sociedade que não lhes soube respeitar as aflições e mais as aguçaram com a rejeição, criticas ásperas e desprezo... Manoel Philomeno de Miranda – Sexo e Obsessão – Cap. 4 – O drama da obsessão na Infância
  • 45. 42 As Perturbações Espirituais no Lar 4.5 Suicídio na Família (...) Desde a morte do pobre Leonel, verificada, como sabes, por um suicídio em tão trágicas condições, a família inteira sente ímpetos para o suicidio. Não ignoras que sua filha Alcina suicidou-se também, dez meses depois dele próprio. Agora é seu filho Orlando que deseja morrer, havendo já tentado algumas vezes o ato terrível. Trata-se de um caso de obsessão coletiva simples, meu caro irmão... carente de intervenção imediata de socorro espiritual, a fim de que se evitem outros suicídios na família... O chefe da Leonel, pôs termo à existência terrena, desfechando um tiro de revólver no ouvido direito, e que sua filha primogênita, jovem de vinte primaveras, lhe imitou o gesto alguns meses depois, servindo-se, porém, de um tóxico violento... O outro filho seu, de quinze anos de idade, tentou igualmente o sinistro ato, salvando-se, no entanto, graças à ação prestimosa de amigos agilíssimos, que evitaram fôsse ele colhido por um trem de ferro. Vimos ambos os suicidas ainda retidos no próprio teatro dos acontecimentos: Leonel, vagando, desolado e sofredor, a bradar por socorros médicos, traindo nas próprias repercussões vibratórias o gênero da morte escolhida sob pressões invisíveis... e Alcina, a filha, com o perispírito ainda em colapso, desmaiada sob o choque violento do ato praticado... Distinguimos também os obsessores... Yvonne Pereira – Dramas da Obsessão – Cap. 1 – Leonel e os Judeus. Certa criança de três anos e alguns meses vinha tentando o suicídio das mais diferentes maneiras, o que lhe resultara, inclusive, ferimentos: um dia, jogou-se na piscina; em outro, atirou-se do alto do telhado, na varanda de sua casa; depois quis atirar-se do carro em movimento, o que levou os familiares a vigiá-la dia e noite. Seu comportamento, de súbito, tornou- se estranho, maltratando especialmente a mãe, a quem dirigia palavras de baixo calão que os pais nunca imaginaram ser do seu conhecimento. Suely Caldas Schubert – Obsessão e Desobsessão – Cap. 12 – A criança obsidiada Toda tentativa de suicídio de um adolescente é dirigida a alguém e expressa a necessidade de afeto, de amor, de ser ouvido e reconhecido como pessoa. Deve ser interpretada como uma pergunta que requer resposta. Edith Serfaty – Suicídio na Adolescência–1998 (psiquiatra argentina)
  • 46. 43 As Perturbações Espirituais no Lar A tentativa de suicídio entre jovens é, acima de tudo, um grito de dor, de desespero e um pedido de ajuda. Ghislaine Bouchard – O Suicídio na Adolescência – 2000 (psiquiatra canadense) Amadurecidas precipitadamente, em razão dos lares desajustados e das famílias desorganizadas; Atiradas à agressividade e aos jogos fortes que a sociedade lhes brinda, extirpando-lhes a infância não vivida, sobrecarregam-se de angustias e frustrações que as desgastam, retirando-lhes da paisagem mental a esperança e o amor. Vazias, desprotegidas do afeto que alimenta os centros vitais de energia e beleza, vêem-se sem rumo, fugindo, desditosas, pela porta mentirosa do suicídio. Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 17 – Suicídio solução insolvável Os contínuos choques dos embates domésticos, entre cônjuges e filhos, produzem impactos de monta nas estruturas psíquicas dos envolvidos. A desunião familiar, associada ao desamor, assemelha-se à ação dos tóxicos que produzem alucinações na mente da criança e do jovem. A ausência do amor nas relações familiares, manifestada sob a forma de comportamentos extremados de abandono ou superproteção, infiltram ilusões perniciosas no psiquismo do Espírito em processo de recomeço nas experiências do plano físico. Dias da Cruz – Revista Reformador – 2005 – Agosto– Suicídio na Adolescência Amadurecidas precipitadamente, em razão dos lares desajustados e das famílias desorganizadas; Atiradas à agressividade e aos jogos fortes que a sociedade lhes brinda, extirpando-lhes a infância não vivida, sobrecarregam-se de angustias e frustrações que as desgastam, retirando-lhes da paisagem mental a esperança e o amor. Vazias, desprotegidas do afeto que alimenta os centros vitais de energia e beleza, vêem-se sem rumo, fugindo, desditosas, pela porta mentirosa do suicídio. Manoel Philomeno de Miranda – Temas da Vida e da Morte – Cap. 17– Suicídio solução insolvável
  • 47. 44 As Perturbações Espirituais no Lar 4.6 Drogadição no ambiente Familiar Somando-se a esses fatores externos os compromissos espirituais de cada criatura, não se pode negar a preponderância da interferência dos espíritos desencarnados na conduta dos homens terrestres. Conforme as leis de afinidade e de sintonia, ocorrem as vinculações naturais, quando não de caráter recuperador em razão de antigos débitos para com aqueles que se sentem prejudicados ou que foram vitimados pela incúria e perversidade de quem os afligiu e infelicitou. Nesse comenos, no período da iniciação ou mesmo antes dela, instalam-se as obsessões simples, que se convertem em problemas graves, derrapando para subjugações cruéis, nas quais, hóspede e hospedeiro interdependem-se na usança das drogas devastadoras. Quase sempre, após instalada a obsessão desse porte, o espírito perturbador passa a experimentar o prazer gerador do vício, especialmente se antes da desencarnação esteve sob o jugo da infeliz conduta. Havendo desencarnado, mas não sucumbindo ante o tacape da morte, busca desesperado dar prosseguimento ao hábito doentio, sintonizando com personalidades fragilizadas e inseguras, levando-as à degradante toxicodependência. A oração, as leituras edificantes, as conversações saudáveis, ao lado da terapêutica especializada, devem ser movimentadas para a recuperação do paciente e a sua entrega a Deus mediante os bons pensamentos e as ações relevantes que constituem recurso precioso para a terapia preventiva, assim como para a curadora. Manoel Philomeno de Miranda – Reencontro com a Vida – 1o Parte – Cap. 3 – Toxicodependência Sob outro aspecto, as vinculações com personalidades psicopatas desencarnadas ou inimigos pessoais de outras experiências carnais respondem pela sua indução à dependência viciosa, na qual também se comprazem em mecanismos de vampirização cruel, em verdadeira interdependência espiritual. Joanna de Angelis – Conflitos Existências – Cap. 12 – Drogadição
  • 48. 45 As Perturbações Espirituais no Lar Mesmo nos lares equilibrados, onde o amor enriquece os sentimentos, encontram-se espíritos atormentados interiormente, incapazes de lutar contra as más inclinações, que se fazem trânsfugas aos deveres que lhes dizem respeito, tombando nas armadilhas do erro, de que se deveriam libertar por completo. Em virtude da larga e fácil propagação das drogas perversas, esses espíritos quase sempre reincidem nos vícios a que se acostumaram, sem forças para superar as situações afligentes que lhes desencadeiam as falsas necessidades para as fugas doentias... (...) Quando, no entanto, seja constatada a presença da insidiosa drogadição em algum dos membros da família, a postura dos pais deverá ser a de equilíbrio e não de espanto, de lucidez e não de autopunição ou de autocompaixão, mais afeiçoando-se ao combalido e sustentando-o com a sua compreensão, trabalhando pela sua recuperação. Concomitantemente, vale a aplicação da bioenergia, durante os estudos do Evangelho no Lar, noutros momentos, e, de acordo com a gravidade do problema, o atendimento psicológico, a fim de ser removido o fator propiciador da fuga emocional. (...) Há espíritos muito comprometidos nessa área, alguns dos quais, em existência transata optaram pelo suicídio como recurso de libertação, ora retomando com altas cargas de desequilíbrio e tendências depressivas funestas, recorrendo aos mesmos instrumentos que os infelicitaram antes. Joanna de Angelis – Constelação Familiar – Cap. 24 – Drogadição na Família