SlideShare uma empresa Scribd logo

Padrões emocionais

Kátia Rumbelsperger
Kátia Rumbelsperger
Kátia RumbelspergerPedagoga, Psicoterapeuta, Psicopedagoga Empresarial, Institucional e Clínica. Palestrante e Treinamentos em Espaço Perger

A PSICANÁLISE trata da ALMA, DA PSIQUE, DOS MECANISMO QUE REGEM O INCONSCIENTE, DOS REGISTROS FEITOS E DAS CONSEQUÊNCIAS DESSES REGISTROS.

Padrões emocionais

1 de 57
Baixar para ler offline
Padrões Emocionais das Doenças.
Certa vez um discípulo foi ter com seu mestre.
Conversaram longamente sem perceber que a
noite caiu. Junto com a noite veio a chuva
torrencialmente. Na hora do discípulo partir, o
mestre ofereceu uma lamparina acesa para
que lhe iluminasse o caminho. Quando o
discípulo se cercou da porta de saída o mestre
foi ate ele, apagou a lamparina e lhe disse;
"SEJA UMA LUZ EM VOCÊ MESMO." 1Kátia Perger - Padrões Emocionais
Se a sua dor pudesse
falar com você, o
que ela diria?
O que revelaria?
2Kátia Perger - Padrões Emocionais
3Kátia Perger - Padrões Emocionais
As Doenças, as emoções e a genética
É muito comum ouvirmos falar em doenças
herdadas geneticamente, o certo é que quando
estamos no ventre materno estamos já expostos aos
padrões emocionais vividos no ambiente familiar.
Estes padrões emocionais vão ser parte integrante
também da educação da criança e mais tarde
manifestar-se fisicamente se não forem
transformados em potencialidades e sabedoria.4Kátia Perger - Padrões Emocionais
5Kátia Perger - Padrões Emocionais
 A FINAL DE QUE É COMPOSTO O SER
HUMANO?
 Por que adoecemos?
 POR QUE FICAMOS DE REPENTE TÃO
VULNERÁVEIS?
 Por que há pessoas que nunca adoecem e ha
outras que estão sempre sentindo algo,
alimentando uma patologia por anos e anos
a fio?
6Kátia Perger - Padrões Emocionais
Anúncio

Recomendados

Ansiedade, Medo, Fobias e Pânico
Ansiedade, Medo, Fobias e Pânico   Ansiedade, Medo, Fobias e Pânico
Ansiedade, Medo, Fobias e Pânico Ponte de Luz ASEC
 
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio -  dezembro 2014 - policia...
Palestra stress, ansiedade, depressão e suicídio - dezembro 2014 - policia...Dr. Icaro Alves Alcântara
 
Transtornos de ansiedade
Transtornos de ansiedadeTranstornos de ansiedade
Transtornos de ansiedadeMiriam Gorender
 
Ansiedade e transtorno de ansiedade generalizada
Ansiedade e transtorno de ansiedade generalizadaAnsiedade e transtorno de ansiedade generalizada
Ansiedade e transtorno de ansiedade generalizadagfolive
 
2. aula psicopatologia ii ansiedade
2. aula psicopatologia ii   ansiedade2. aula psicopatologia ii   ansiedade
2. aula psicopatologia ii ansiedadePoliana Maton
 
Perturbações Mentais
Perturbações MentaisPerturbações Mentais
Perturbações MentaisJorge Barbosa
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-NoseFojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-NoseIraneide Lima
 
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?Renata Pimentel
 
Doenças psicossomáticas
Doenças psicossomáticasDoenças psicossomáticas
Doenças psicossomáticasMarcos Paterra
 
Falando sobre transtorno da ansiedade
Falando sobre transtorno da ansiedadeFalando sobre transtorno da ansiedade
Falando sobre transtorno da ansiedadeizaiasneto4
 
Gestão do stress e ansiedade
Gestão do stress e ansiedadeGestão do stress e ansiedade
Gestão do stress e ansiedadeJuliana Costa
 
Transtornos de ansiedade em adolescentes
Transtornos de ansiedade em adolescentesTranstornos de ansiedade em adolescentes
Transtornos de ansiedade em adolescentesMax Suell Vitor
 
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...Dr. Icaro Alves Alcântara
 

Mais procurados (20)

Estresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedadeEstresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Fojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-NoseFojornalismo- Revista G-Nose
Fojornalismo- Revista G-Nose
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
 
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
 
Eae 78 - medicina psicossomatica
Eae   78 - medicina psicossomaticaEae   78 - medicina psicossomatica
Eae 78 - medicina psicossomatica
 
Doenças psicossomáticas
Doenças psicossomáticasDoenças psicossomáticas
Doenças psicossomáticas
 
Ansiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismoAnsiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismo
 
Tratamento do transtorno do pânico
Tratamento do transtorno do pânicoTratamento do transtorno do pânico
Tratamento do transtorno do pânico
 
Emoções e saúde completo
Emoções e saúde completoEmoções e saúde completo
Emoções e saúde completo
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Ansiedade na infância
Ansiedade  na  infânciaAnsiedade  na  infância
Ansiedade na infância
 
Falando sobre transtorno da ansiedade
Falando sobre transtorno da ansiedadeFalando sobre transtorno da ansiedade
Falando sobre transtorno da ansiedade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Doença mental
Doença mentalDoença mental
Doença mental
 
Gestão do stress e ansiedade
Gestão do stress e ansiedadeGestão do stress e ansiedade
Gestão do stress e ansiedade
 
Transtornos de ansiedade em adolescentes
Transtornos de ansiedade em adolescentesTranstornos de ansiedade em adolescentes
Transtornos de ansiedade em adolescentes
 
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...
Palestra sobre "Controle do Stress, Ansiedade, Depressão e Emagrecimento atra...
 
Adolescentes e a ansiedade
Adolescentes e  a ansiedadeAdolescentes e  a ansiedade
Adolescentes e a ansiedade
 

Destaque

Cadernenta de saúde da criança - menina
Cadernenta de saúde da criança - meninaCadernenta de saúde da criança - menina
Cadernenta de saúde da criança - meninaLetícia Spina Tapia
 
Caderneta saude crianca_menino
Caderneta saude crianca_meninoCaderneta saude crianca_menino
Caderneta saude crianca_meninoCínthia Corrêa
 
Caderneta saude menina_passaporte_cidadania
Caderneta saude menina_passaporte_cidadaniaCaderneta saude menina_passaporte_cidadania
Caderneta saude menina_passaporte_cidadaniaLidiane Martins
 
Caderneta saude menino_passaporte_cidadania
Caderneta saude menino_passaporte_cidadaniaCaderneta saude menino_passaporte_cidadania
Caderneta saude menino_passaporte_cidadaniaKátia Rumbelsperger
 
Método CIS
Método CISMétodo CIS
Método CISfebracis
 

Destaque (8)

Cardeneta saude-crianca-menino
Cardeneta saude-crianca-meninoCardeneta saude-crianca-menino
Cardeneta saude-crianca-menino
 
Cadernenta de saúde da criança - menina
Cadernenta de saúde da criança - meninaCadernenta de saúde da criança - menina
Cadernenta de saúde da criança - menina
 
Caderneta saude crianca_menino
Caderneta saude crianca_meninoCaderneta saude crianca_menino
Caderneta saude crianca_menino
 
Caderneta saude menina_passaporte_cidadania
Caderneta saude menina_passaporte_cidadaniaCaderneta saude menina_passaporte_cidadania
Caderneta saude menina_passaporte_cidadania
 
Caderneta de saúde da criança
Caderneta de saúde da criançaCaderneta de saúde da criança
Caderneta de saúde da criança
 
Caderneta saude menino_passaporte_cidadania
Caderneta saude menino_passaporte_cidadaniaCaderneta saude menino_passaporte_cidadania
Caderneta saude menino_passaporte_cidadania
 
A Roda Da Vida
A Roda Da VidaA Roda Da Vida
A Roda Da Vida
 
Método CIS
Método CISMétodo CIS
Método CIS
 

Semelhante a Padrões emocionais

Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocionalDalila Melo
 
Família, emoções e pensamentos
Família, emoções e pensamentosFamília, emoções e pensamentos
Família, emoções e pensamentosFrancisco Baptista
 
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdf
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdfEncontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdf
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdfagnaldosantiago3
 
palestra estresse.pptx
palestra estresse.pptxpalestra estresse.pptx
palestra estresse.pptxErickSalesCuna
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panicoGraça Martins
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxSuzy De Abreu Santana
 
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionais
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionaisAspectos psicologicos em doencas ocupacionais
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionaisColégio Elisa Andreoli
 
Doenças do mundo moderno!
Doenças do mundo moderno!Doenças do mundo moderno!
Doenças do mundo moderno!Leonardo Pereira
 
Paradoxos bíblicos aula 3
Paradoxos bíblicos aula 3Paradoxos bíblicos aula 3
Paradoxos bíblicos aula 3Pedro Siena
 

Semelhante a Padrões emocionais (20)

Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Família, emoções e pensamentos
Família, emoções e pensamentosFamília, emoções e pensamentos
Família, emoções e pensamentos
 
Sensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slideSensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slide
 
Ansiedade e depressao
Ansiedade e depressaoAnsiedade e depressao
Ansiedade e depressao
 
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdf
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdfEncontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdf
Encontro 01 Exaustão Emocional Prof. Abraão L. _20231221_110530_0000.pdf
 
palestra estresse.pptx
palestra estresse.pptxpalestra estresse.pptx
palestra estresse.pptx
 
Neuropeptideos
NeuropeptideosNeuropeptideos
Neuropeptideos
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico
 
As emocoes no panico
As emocoes no panicoAs emocoes no panico
As emocoes no panico
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
 
TOC E ANSIEDDE.pptx
TOC E ANSIEDDE.pptxTOC E ANSIEDDE.pptx
TOC E ANSIEDDE.pptx
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionais
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionaisAspectos psicologicos em doencas ocupacionais
Aspectos psicologicos em doencas ocupacionais
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
 
Doenças do mundo moderno!
Doenças do mundo moderno!Doenças do mundo moderno!
Doenças do mundo moderno!
 
Stress no trabalho
Stress no trabalhoStress no trabalho
Stress no trabalho
 
Stress no trabalho
Stress no trabalhoStress no trabalho
Stress no trabalho
 
Paradoxos bíblicos aula 3
Paradoxos bíblicos aula 3Paradoxos bíblicos aula 3
Paradoxos bíblicos aula 3
 
Cura espiritual da depressão
Cura espiritual da depressãoCura espiritual da depressão
Cura espiritual da depressão
 
Doenças da alma
Doenças da alma Doenças da alma
Doenças da alma
 

Mais de Kátia Rumbelsperger

Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiosos
Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiososDependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiosos
Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiososKátia Rumbelsperger
 
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.Kátia Rumbelsperger
 
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais.
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais. Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais.
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais. Kátia Rumbelsperger
 
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.Kátia Rumbelsperger
 
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogia
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogiaUma pequena reflexão sobre História da pedagogia
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogiaKátia Rumbelsperger
 
Como adoecemos pelos pensamentos neuropeptideos1
Como adoecemos pelos pensamentos   neuropeptideos1Como adoecemos pelos pensamentos   neuropeptideos1
Como adoecemos pelos pensamentos neuropeptideos1Kátia Rumbelsperger
 
Teoria das Múltiplas Inteligências
Teoria das Múltiplas InteligênciasTeoria das Múltiplas Inteligências
Teoria das Múltiplas InteligênciasKátia Rumbelsperger
 
Portifolio objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...
Portifolio   objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...Portifolio   objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...
Portifolio objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...Kátia Rumbelsperger
 
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAAUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAKátia Rumbelsperger
 

Mais de Kátia Rumbelsperger (20)

Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiosos
Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiososDependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiosos
Dependencia quimica nos espacos escolares, trabalhos, religiosos
 
Mindset set
Mindset  setMindset  set
Mindset set
 
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.
Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.
 
Os tipos de educando
Os tipos de educandoOs tipos de educando
Os tipos de educando
 
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais.
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais. Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais.
Cisne pavao - Aprenda como o movimento dos animais.
 
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.
Como recrutar linkedin? Dicas importantes para sua empresa e colaboradores.
 
Artigo weslley vieira pdf
Artigo weslley vieira pdfArtigo weslley vieira pdf
Artigo weslley vieira pdf
 
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogia
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogiaUma pequena reflexão sobre História da pedagogia
Uma pequena reflexão sobre História da pedagogia
 
O que motiva voce
O que motiva voceO que motiva voce
O que motiva voce
 
Curso de tranças
Curso de trançasCurso de tranças
Curso de tranças
 
Monólogo das mãos
Monólogo das mãosMonólogo das mãos
Monólogo das mãos
 
Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente   Atendimento ao cliente
Atendimento ao cliente
 
Escovas e penteados katia
Escovas e penteados katiaEscovas e penteados katia
Escovas e penteados katia
 
O psicopedagogo na beleza
O psicopedagogo na belezaO psicopedagogo na beleza
O psicopedagogo na beleza
 
Como adoecemos pelos pensamentos neuropeptideos1
Como adoecemos pelos pensamentos   neuropeptideos1Como adoecemos pelos pensamentos   neuropeptideos1
Como adoecemos pelos pensamentos neuropeptideos1
 
Teoria das Múltiplas Inteligências
Teoria das Múltiplas InteligênciasTeoria das Múltiplas Inteligências
Teoria das Múltiplas Inteligências
 
Portifolio objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...
Portifolio   objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...Portifolio   objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...
Portifolio objetivo do treinamento com recursos da PSICOPEDAGOGIA CLINICA, ...
 
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEMDIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
 
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORAAUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
AUTISMO E TERAPIAS COGNITIVO- MOTORA
 
Processamento mental
Processamento mentalProcessamento mental
Processamento mental
 

Último

Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfPedroGual4
 

Último (20)

Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
 

Padrões emocionais

  • 1. Padrões Emocionais das Doenças. Certa vez um discípulo foi ter com seu mestre. Conversaram longamente sem perceber que a noite caiu. Junto com a noite veio a chuva torrencialmente. Na hora do discípulo partir, o mestre ofereceu uma lamparina acesa para que lhe iluminasse o caminho. Quando o discípulo se cercou da porta de saída o mestre foi ate ele, apagou a lamparina e lhe disse; "SEJA UMA LUZ EM VOCÊ MESMO." 1Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 2. Se a sua dor pudesse falar com você, o que ela diria? O que revelaria? 2Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 3. 3Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 4. As Doenças, as emoções e a genética É muito comum ouvirmos falar em doenças herdadas geneticamente, o certo é que quando estamos no ventre materno estamos já expostos aos padrões emocionais vividos no ambiente familiar. Estes padrões emocionais vão ser parte integrante também da educação da criança e mais tarde manifestar-se fisicamente se não forem transformados em potencialidades e sabedoria.4Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 5. 5Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 6.  A FINAL DE QUE É COMPOSTO O SER HUMANO?  Por que adoecemos?  POR QUE FICAMOS DE REPENTE TÃO VULNERÁVEIS?  Por que há pessoas que nunca adoecem e ha outras que estão sempre sentindo algo, alimentando uma patologia por anos e anos a fio? 6Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 7. • POR QUE HÁ PESSOAS QUE FAZEM DA VIDA UMA FESTA, UMA BRINCADEIRA, ESTÃO SEMPRE DE BEM COM A VIDA APESAR DE TODOS OS OBSTÁCULOS QUE SURGEM E POR QUE HÁ OUTRAS QUE FAZEM DA VIDA UM FARDO HOJE O MUNDO? • Por que os hospitais estão cada vez mais lotado e mais cheios? • QUAL É O PADRÃO DAS PESSOAS QUE ESTÃO SEMPRE PRECISANDO DOS SERVIÇOS MÉDICOS e HOSPITALARES? 7Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 8. A medicina convencional ocidental focaliza o CORPO, O FÍSICO. A psicologia focaliza e leva em consideração o COMPORTAMENTO que a pessoa tem em decorrência daquilo que ela PENSA E SENTE. A PSICANÁLISE trata da ALMA, DA PSIQUE, DOS MECANISMO QUE REGEM O INCONSCIENTE, DOS REGISTROS FEITOS E DAS CONSEQUÊNCIAS DESSES REGISTROS. 8Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 9. O QUE TEM A VER O FÍSICO COM O EMOCIONAL E COM O PSÍQUICO? Tem tudo a ver. CORPO, MENTE, EMOÇÕES, PSIQUE e ESPÍRITO forma um todo. 9Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 10. 10Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 11. Esse todo é um centro energético que estoca energia, que recebe energia e que doa energia tanto no físico quanto no emocional, mental e espiritual. Não dá mais para descartarmos a realidade de que somos uma energia condensada, que somos um todo, que somos o micro do macro, que somos a síntese do universo. 11Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 12. • A medicina ocidental corre atrás dos sintomas físicos no caso de uma doença. • Mas o SER HUMANO é muito complexo, é uma maquina complexa. • Quando os sintomas aparecem no físico as causas desses sintomas já estão fazendo um estrago tremendo ha muito tempo já estão minando tanto o organismo físico quanto o complexo emocional, mental e psíquico. 12Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 13. • Há um pensador oriental que diz que quando o CORPO COMEÇA SENTIR SINTOMAS, A ALMA JÁ ESTA APODRECIDA HÁ MUITO TEMPO. 13Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 14. Quando a boca cala…. o corpo fala!! AMAR pode CURAR O resfriado escorre quando o corpo não chora. A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições. O estômago arde quando as raivas não conseguem sair. O diabetes invade quando a solidão dói. O corpo engorda quando a insatisfação aperta. A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam. 14Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 15. O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar. A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável. As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas. O peito aperta quando o orgulho escraviza. A pressão sobe quando o medo aprisiona. As neuroses paralisam quando a criança interna tiraniza. A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade. Quando a boca cala…. o corpo fala!! AMAR pode CURAR 15Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 16. 16Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 17. 17Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 19. 1.Como é composta a estrutura psicoemocional, mental e física do ser humano? Resposta: A psicanálise trata da alma, da psique, dos mecanismos que regem o inconsciente, dos registros feitos e das consequências desses registros. 19Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 20. 2. Que ligação ha entre o físico e psicoemocional mental e espiritual? Resposta: O corpo, mente, emocões, psique, espírito forma um todo. Esse todo é um centro energético que estoca energia, que recebe energia e que doa energia tanto no físico quanto no emocional, mental e espiritual. Não podemos descartar a realidade de que somos ma energia condensada, que somos um todo, que somos o micro do macro, que somos a síntese do universo. 20Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 21. 3. O que são Emoções? Resposta: É o resultado daquilo que vivemos, nos nossos acontecimentos diários, nas mudanças que nos são exigidas, nas atividades que fazemos, nas decisões que tomamos. As emoções dão cor e sabor a nossa vida. Todos nós queremos viver grande coloridas e saborosas emoções. 21Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 22. 4. Quem causa as doenças em mim? Resposta: Na maioria das vezes somos nós mesmos os causadores das doenças que nos acometem por causa dos nossos desequilíbrios emocionais, por causa das novas descompensações energéticas, por causa da nossa maneira errada e negativa de pensar, de agir, de imaginar, de sonhar, de planejar a vida, enfim, pensamos o que não deveríamos pensar e acabamos fazendo o que não deveriamos fazer. E não conseguimos lidar com aquilo que nós mesmos fabricamos. 22Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 23. 23Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 24. Muitas vezes esquecemos de ser luz para nós mesmos e por isso caímos nas sombras e deixamos de nos beneficiar das maravilhas que a luz pode nos oferecer. 24Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 25. 5. Como é um trabalho Psicanalítico? Resposta: O trabalho analítico é um trabalho artesanal. É como fazer uma colcha de retalhos. O analista vai juntando as peças e vai encaixando. 25Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 26. O ingrediente amor é o mais importante. As pessoas vão em busca de quem as ouça e de quem as ame. Estão grandemente feridas e machucadas que saem de casa para encontrar alguém que abra a porta e as recebas. 26Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 27. 5. Como é um trabalho Psicanalítico? Resposta: (continuando) Na maioria das vezes as pessoas não acreditam que alguém tenha misericórdia delas. É o trabalho artesanal, paciente, e sem pressa que vai tirá-las da dor e do sofrimento. Quantas pessoas dizem: Ninguém de minha familia abriu a porta de sua sala, abriu a sua tenda para me ouvir. Só me jogam pedras, me acusam, me apontam defeitos e falhas. 27Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 28. 6. Cite algumas causas internas das doenças? Resposta: As causas internas promovem o desequilíbrios emocionais que abrem as portas de somatizações de doenças físicas. As causas internas provocam doenças, dores, úlceras, derrames,paralisias etc. 28Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 29. 7. Cite algumas causas externas das doenças? Resposta: 1. CAUSAS FAMILIARES:  Não valorização,  Exploração  Violencia física e moral.  Não reconhecimento  Rejeição familiar  Sentimento de estar incomodando os familiares  Carência afetiva  Falta de demonstração de afeto e Amor  Rotulações e apelidos Etc… 29Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 30. 7. Cite algumas causas externas das doenças? Resposta: • CAUSAS SOCIAIS: Medo de sair a rua. Insegurança. Exclusão do grupo social preferido. Pela idade. Pela condiçao social. Pela profissão religiosa. Vergonha. Timidez. Aparência. Não aceitação própria. Etc. 30Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 31. 7. Cite algumas causas externas das doenças? Resposta: • CAUSAS ECONÔMICAS: Carências de recursos financeiros. Condições precárias de higiene. Condições precárias de moradia Condições precárias de alimentos e vestimentas. Falta de escolaridade. Etc. 31Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 32. 8. O que causam as explosões de raiva? Resposta: Afetam os músculos das costas, dos ombros, do pescoço e dos maxilares, bem como dos braços e da cabeça. Na raiva o sistema nervoso simpático é ativado e uma carga muito grande de adrenalina é lançada na circulação sanguínea envenenando o sangue. 32Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 33. Num ataque de raiva o sangue sai da periferia e vai par os músculos e com isso há uma frieza e uma insensibilidade momentânea na pessoa. Na raiva o fluxo de energia sobe e por isso o rosto e os olhos normalmente ficam vermelhos. 33Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 34. 9. Quem sofre as enxaquecas? Resposta: Quando aparecem as enxaquecas é porque já se somatizou um padrão de aborrecimentos contínuos, de chateações quase que permanentes. Há médicos que dizem que asssim como o adulto sofre de enxaquecas as crianças sofrem de dor de barriga, também oriunda de aborrecimentos de coisas que incomodam ou de alguma ameaça de algum perigo que possa provocar insegurança e medo. 34Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 35. 10. Quem está muito sujeito a doenças infecciosas? Resposta: Pessoas que vivem estressadas. Resultados do estresse vivido por causa de vivências grupais em desarmonia cujo desgaste provoca uma baixa imunologia. Está provado que ratos sós sofrem poucas infecçoes, bem menos do que aqueles que vivem em grupo, que se estressam porque estão em grupo por causa da êmuitas vezes difícil e estressante. 35Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 36. 11. Quem sofre de úlceras gástricas? Resposta: A gastrite caracteriza-se pela produção excessiva de suco gástrico fabricado pelo estômago. O perfil psicológico de uma pessoa que sofre de gastrite ou de úlceras gástrica é de não ter satisfeito sua necessidade de mamar quando bebê, ou seja, não mamou o suficiente, não mamou o quanto queria ou deveria mamar. Faltou algo e como houve uma frustração na oralidade, daí serem pessoas carentes de afetos e dependentes de carinho; 36Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 37. 11. Quem sofre de úlceras gástricas? • Resposta: Sentem necessidades de serem valorizadas e amadas. Por causa dessa necessidade permanente de preenchimento da carência afetiva, ao não conseguirem ficam vulneráveis e o aparelho digestivo se faz sentir por meio da gastrite ou de outro desdobramentos dos sintomas estomacais. 37Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 38. São pessoas que tem muita fome, tem necessidade de comer muitas vezes ao dia. Normalmente são pessoas magoadas, ressentidas e super-sensíveis. A mucosa gástrica nesse estado se torna irritada e pode até sangrar e o sofrimento é muito grande. Todos os problemas gástricos têm a ver com o estômago, baço e pâncreas e intestinos. 38Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 39. 12. O que indicam dores nas pernas? Resposta: Hoje em dia há diversas pessoas da terceira idade queixando-se de dores nas pernas, de cansaço e até de inchaço. Isto revela um padrão de cansaço emocional pela vida; há um desanimo, um desestímulo ou seja, a linguagem subliminar do insconsciente neste caso seria para revelar que não vale mais a pena lutar, que a pessoa já lutou tanto e não deu em nada, por que continuar lutando? Na verdade é um mecanismo que o inconsciente arma para compensar esse sentimento. 39Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 40. 40Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 41. 13.Descreva o candidato a problemas de vesícula. Resposta: Normalmente é por falta ou excesso de produção de bílis. O padrão inibidor de bílis é a raiva. O que faz produzir bílis é a alegria. Pessoas com problemas de vesícula estão sempre iradas, encolerizadas, raivosas, são muito críticas, magoam-se com atitudes dos outros porque esperam muito deles. 41Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 42. vesícula. 42Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 43. 13.Descreva o candidato a problemas de vesícula. • Resposta: Quando a energia do fígado e da vesícula é reprimida ou liberada por explosões da raiva quem vai sofrer são os OLHOS. Nos problemas dos OLHOS o padrão emocional é de que a pessoa se recusa a VER, a ENXERGAR O ÓBVIO. Já que ela não quer ver (O INCONSCIENTE PERGUNTA): por que ter OLHOS SAUDÁVEIS? 43Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 44. 13.Descreva o candidato a problemas de vesícula. • Resposta: Está é linguagem subliminar do inconsciente. Normalmente problemas nos OLHOS têm a ver com desarmonia no funcionamento do fígado. Os orientais dizem que as raízes dos OLHOS estão no FÍGADO. Surgem junto com o desequilíbrio da energia desses órgãos, dores de cabeça, dor nas pernas, falta de disposição sexual, desânimo, irritabilidade, cansaço, má digestao, impaciência, o diafragma fica tenso às vezes com flatulência. 44Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 45. 14. Qual é a emoção que uma vez descompensada vai afetar o coração. Resposta: A ansiedade emocional está ligada à distúrbios energéticos do coração. As patologias do coração estão estreitamente relacionadas com as emoções de ira, de estresse excessivo, de competitividade exacerbada, de desejo de ter sucesso a qualquer preço. São pessoas AMBICIOSAS, IRASCÍVEIS, QUEREM TUDO A TEMPO E A HORA. SE ABORRECEM COM FACILIDADE, SÃO IRRITADIÇAS, SÃO AGRESSIVAS. 45Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 46. 14. Qual é a emoção que uma vez descompensada vai afetar o coração. Resposta: São pessoas que para defender seus postos e suas carreiras são capazes de qualquer coisa. São pessoas movidas pela ambição e pela garra a qualquer preço. Impacientes, guardam ódios por longos anos, embora digam que perdoam não esquecem o que alguém lhes tenha feito e são capazes de vinganças muito sutis. 46Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 47. 14. Qual é a emoção que uma vez descompensada vai afetar o coração. Resposta: Ao mesmo tempo que são pessoas destemidas, são de uma emotividade exagerada, demonstram por vezes desequilíbrios relacionados a uma ansiedade mórbida, a uma impaciência exagerada e por vezes ate a um descontentamento com o mundo exterior. 47Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 48. 17. Quem sofre dos rins normalmente vai afetar qual tipo de órgão externo? Resposta: Afetam os ouvidos. Problemas nos ouvidos como surdez precoce. A sintomatologia dos ouvidos tem a ver com uma desarmonia nos rins uma vez que os ouvidos fazem parte ou melhor tem ligação direta com a energia vital cuja sede está nos rins. 48Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 49. 17. Quem sofre dos rins normalmente vai afetar qual tipo de órgão externo? Resposta: Portanto, tudo o que sai da rota da harmonia, do equilíbrio, do bem estar, do amor cria um terreno propício para que germinem sementes que vão provocar doenças. Cria estados morbidos de ansiedade que tomam suas formas específicas como: ANSIEDADE CARDÍACA (taquicardia). ANSIEDADE URINÁRIA ( cistite, enurese etc.) 49Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 50. 18. Qual é o padrão emocional do deprimido? Resposta: O padrão emocional do deprimido é de desespero, de abandono, de incapacidade de ter uma integração harmoniosa com o grupo em que vive. Há normalmente um padrão de culpa, de auto- punição, de agressão. A depressão é uma porta aberta para a somatização direta no corpo físico, como o câncer. 50Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 51. Kátia Perger - Padrões Emocionais 51
  • 52. Kátia Perger - Padrões Emocionais 52
  • 53. 53Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 54. 18. Qual é o padrão emocional do deprimido? Resposta: Normalmente as pessoas cancerosas tem um histórico deprimido, tem um padrão emocional complicado, sensível e de difícil entendimento e de administração pela propria pessoa. Se cobram muito, se auto-condenam, se maltratam, tem baixa auto-estima , não reconhecem seus valores e suas potencialidades. Somente vêem defeitos e fraquezas em si mesmas. 54Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 55. Kátia Perger - Padrões Emocionais 55
  • 56. 1 - Voce concorda com este tipo de padrão emocional de doenças? Resposta: 2 - Ao seu ver com este conhecimentos anamnese e mesmo o tratamento de seu paciente vai ser facilitado ou não vai fazer diferença alguma? Resposta: 56Kátia Perger - Padrões Emocionais
  • 57. 57Kátia Perger - Padrões Emocionais