Naturalismo

12.556 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.556
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
333
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Naturalismo

  1. 1. Naturalismo<br />
  2. 2. Momento histórico<br />Transformações econômicas<br />Segunda revolução industrial<br />Progresso científico<br />Apogeu do domínio europeu<br />Ampliação do mercado internacional<br />Crescimento urbano<br />Industrialização<br />
  3. 3. Aspectos ideológicos<br />Cientificismo<br />Positivismo<br />Darwinismo<br />Determinismo<br />
  4. 4. Características do Naturalismo<br />As forças da natureza explicam o mundo<br />Condicionamento do ser humano aos instintos biológicos e ao meio social<br />A realidade científica, objetiva, sem idealizações<br />Temática dos desejos humanos, instintos, loucura, violência, traição, miséria, exploração social etc.<br />Análise do comportamento humano e social<br />Preferência pela patologia da alma humana<br />Materialismo<br />Animalização<br />
  5. 5. Aspectos das personagens<br />Para o Naturalismo, o homem não possui livre-arbítrio, funciona como uma máquina guiada por vários fatores:<br />Leis naturais (físicas e químicas)<br />Hereditariedade<br />Meio social<br />O homem é um brinquedo nas mãos do destino, estando à mercê de forças além de sua compreensão.<br />As personagens são mais simples do que as realistas.<br />
  6. 6. Escatologia naturalista<br />Escatologia é o estudo científico dos excrementos. Mas a palavra grega scatos possui um sentido teológico, significando o destino final do homem e do mundo.<br />O homem integra-se organicamente na natureza e qualquer desacerto, injustiça, aberração do estado natural é remediável pelo culto ou pela magia.<br />Contexto apocalíptico, final dos tempos, do homem e de seus valores. Assim, o conceito serve para rebaixar a nobreza humana e possibilita a animalização.<br />
  7. 7. Linguagem naturalista<br />Linguagem direta, objetiva e chocante<br />Uso de descrições de ambientes e de pessoas<br />Descrição lenta e detalhista<br />Impessoalidade<br />Objetividade<br />Linguagem simples, coloquial.<br />
  8. 8. Realismo x Naturalismo<br />REALISMO (1881)<br />Romance documental, apoia-se na observação e na análise<br />Valorização da racionalidade: Inteligência<br />Acumula documentos, “fotografa” a realidade, para dar a impressão de vida real.<br />Arte desinteressada, impassibilidade.<br />Seleciona os temas, tem aspirações estéticas, busca o belo.<br />Reproduz a realidade exterior, bem como a interior, através da análise psicológica.<br />Volta-se para a psicologia, para o indivíduo (homem).<br />Retrata e critica as classes dominantes,<br />a alta burguesia urbana.<br />É indireto na interpretação; o leitor tira as suas conclusões.<br />Grande preocupação com o estilo.<br />NATURALISMO (1881)<br />Romance experimental, apoia-se na experimentação científica.<br />Valorização do instinto: Atitudes animalescas, brutas<br />Imagina experiências que remetem a conclusões a que não se chegaria apenas pela observação.<br />Arte engajada, de denúncia; preocupações políticas e sociais.<br />Detém-se nos aspectos mais torpes e degradantes.<br />Centra-se nos aspectos exteriores: atos, gestos, ambientes.<br />Prefere a biologia, a patologia (evolucionismo – zoomorfismo), e o determinismo.<br />Retrata as camadas inferiores, o proletariado, os marginalizados.<br />É direto na interpretação; expõe teses, cabendo ao leitor aceitá-las ou discuti-las.<br />O estilo é relegado a segundo plano; no primeiro, está a denúncia.<br />

×