Elementos essenciais em Investigação em Educação

1.340 visualizações

Publicada em

Sessão de apresentação sobre Investigação em Educação, UniCV

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.340
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
425
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Elementos essenciais em Investigação em Educação

  1. 1. TRABALHOS CIENTÍFICOS E INVESTIGAÇÃOEM EDUCAÇÃO João Filipe Matos Neuza Pedro UniCV, 2014
  2. 2. O QUE SE ENTENDEPOR CONHECIMENTO CIENTÍFICO? PORQUÊ PRODUZI-LO NA ÀREA DA EDUCAÇÃO?
  3. 3. “(…) investigação é um questionamento sistemático, planeado e crítico, sujeito a apreciação crítica pública; como questionamento que é, tem as suas raízes na curiosidade e no desejo de compreender [algo]; mas trata-se de uma curiosidade estável, sistemática na medida em que é sustentada por uma dada estratégia” (Rudduck& Hopkins, 1985) SOBRE A INVESTIGAÇÃO…
  4. 4. RELAÇÃO INVESTIGAÇÃO-CIÊNCIA- SOCIEDADE Reciprocidade Interdependência Investigação Ciência Sociedade NP
  5. 5. “(…) A forma mais eficaz e produtiva de gerar e testar conhecimento (e produzir novos artefactos) é através da investigação científica e tecnológica…. Aparece assim como o instrumento mais eficiente, que hoje se conhece, para transformar uma realidade” (Herrán, 2005) SOBRE A INVESTIGAÇÃO…
  6. 6. RELAÇÃO INVESTIGAÇÃO-CIÊNCIA- SOCIEDADE Reciprocidade Interdependência Desenvolvimento Investigação Conhecimento Prática Teoria Ciência Tecnologia …. Sociedade NP
  7. 7. Processo sistemático Rigoroso “Empírico” Crítico “Testável” Produz/ valida conhecimento Poder descritivo, explicativo e preditivo dos factos Influência sobre a prática Em premanente revisão EM RESUMO…
  8. 8. PENSANDO SOBRE TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO…
  9. 9. O problema Enquadramentoteórico: Princípiose Conceitos-chave Metodologia: . o quê . quem . onde . como Implicações (naspráticas, nossujeitos, nossistemas, etc.) Perspectivas futuras Considerações finais Resultados Introdução Análise: do quese encontroucomorelevante Estrutura
  10. 10. UM EXEMPLO…
  11. 11. SUPORTE (TEÓRICO/EMPÍRICO) AO PROBLEMA: REGISTA-SE DIVERGÊNCIA NA INVESTIGAÇÃO EXISTENTE NO DOMÍNIO DA EDUCAÇÃO FACE AOS EFEITOS DO TRABALHO COLABORATIVO COMPARATIVAMENTE ÀS ATIVIDADES INDIVIDUAIS EM SALA DE AULA
  12. 12. PROBLEMÁTICA: APREDIZAGEM COM BASE EM TRABALHO COLABORATIVO VSAPRENDIZAGEM INDIVIDUAL NO DESEMPENHO ESCOLAR
  13. 13. CAMPO EMPIRICO DE INVESTIGAÇÃO Ano letivo 2014/15 Professora Ana Isabel 6 turmas de francês do 8º ano Abordagem Qualitativa Abordagem Quantitativa
  14. 14. Investigação num Paradigma positivista Procura-se dados que confirmem uma dada teoria Adopta-se em geral técnicas de recolha e análise de dados de tipo quantitativo Parte do pensamento hipotético-dedutivo Investigação num Paradigma interpretativo O fenómeno é olhado com o objectivo de criar uma teoria que o explique Adopta-se fundamentalmente metodologias de investigação assentes em técnicas de índole qualitativana análise de dados Parte do pensamento indutivo DIVISÃO TRADICIONAL
  15. 15. O EXEMPLO SOB UMA ABORDAGEM QUALITATIVADE INVESTIGAÇÃO
  16. 16. QUESTÕES ORIENTADORAS como é que se caracteriza a interação entre os alunos no trabalho de grupo na aula? existe equilíbrio no grau de participação dos alunos? de que forma o conhecimento existente no colectivo do grupo é adquirido ou apropriado por cada um dos alunos? como é que os alunos apreciam o trabalho de grupo em relação ao trabalho individual? porquê?
  17. 17. ABORDAGEMMETODOLÓGICA enquadradanumparadigmainterpretativo com utilizaçãode métodosqualitativos: observação entrevista Recolhade dados porobservação: 10 aulasde trabalhode grupo Recolhade dados porentrevista: 6 entrevistasem formatofocus group (entrevistacolectivacom osgruposde trabalho)
  18. 18. MÉTODOSE INSTRUMENTOS observação: 10 aulasde trabalhode grupo construçãode guiãode observação* construçãode sistemade registode comportamentosa partirdo guião[possibilidadede fazera gravaçãoemvídeodo trabalhode um grupoemcadaaula?] entrevista: 10 aulasde trabalhode grupo construçãode um guiãode entrevista[6 a 8 questões]** duração1 hora gravaçãoáudio realizadasnumasalada escoladepoisdas 10 aulas
  19. 19. *EXEMPLODEREGISTODE OBSERVAÇÃO(TIPOFLANDERS) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 A B C D disperso iniciadiscurso tentainiciardiscurso discurso Legenda Alunosdo grupo registos15/15 s
  20. 20. **EXEMPLODEGUIÃODE ENTREVISTA 1.ondesentemqueaprendemmais, no trabalhode grupoouno individual? porquê? 2.háactividadespara as quaissejamelhoro trabalhode grupo? 3.quedificuldadessurgiramno desenvolvimentodo trabalhode grupo? 4.duranteo trabalhode grupofalaramem Francês? 4.1 achamquea oralidadeé maisdesenvolvidano trabalhode grupose falaremtodosem Francês? 5.sentiramquehaviadiferençasnacompetênciaem Francêsdos diversosalunosdo grupo? 6.houvealgumasaprendizagensqueconsigamdizerquesóforamaprendidasporteremtrabalhadoem grupo?
  21. 21. RESULTADOS: identificar e caracterizar categorias de expressão das opiniões sobre as temáticas (dimensões) da entrevista identificar e caracterizar padrões de comportamento no grupo (frequências de encadeamento de acções) associar tipologias de comportamento dos alunos às opiniões expressas na entrevista sobre a qualidade da aprendizagem em grupo ilustrar as tendências com extractos da observação ...
  22. 22. CONCLUSÕES apresentar as características da interação entre os alunos no trabalho de grupo na aula apresentar as tendências identificadas na opinião dos alunos sobre o valor do trabalho de grupo em relação ao trabalho individual indicar as formas (tipologias e padrões) como o conhecimento do grupo é partilhado estabelecer ligações dos resultados com as perspectivas teóricas de Vygotsky–em particular o conceito de ZPD e o Princípio Colectivo/Individual
  23. 23. O EXEMPLO SOB UMA ABORDAGEM QUANTITATIVADE INVESTIGAÇÃO
  24. 24. ABORDAGEM METODOLÓGICA Ano letivo 2014/15 Professora Ana Isabel 6 turmas de francês do 8º ano 1 turma eleita para estudo 1º periodo: trabalho de grupo 2º periodo: trabalho colaborativo DESIGN EXPERIMENTAL
  25. 25. HIPÓTESES DE INVESTIGAÇÃO 1.O trabalho colaborativo promoveos resultados académicos em Francês dos alunos. 1.O trabalho colaborativo promovea motivação dos alunos para a aprendizagem do Francês.
  26. 26. HIPÓTESES DE INVESTIGAÇÃO 1.Seo trabalho colaborativo promoveos resultados académicos em Francês dos alunos, entãoas avaliações finais dos alunos serão mais elevadas quando os mesmos são expostos a atividades de aprendizagem em grupo do que quando são expostos a atividades de trabalho individual. 2.Seo trabalho colaborativo promovea motivação dos alunos para a aprendizagem do Francês, entãoos níveis de motivação dos alunos serão mais elevados quando os mesmos são expostos a atividades de aprendizagem em grupo do que quando são expostos a atividades de trabalho individual.
  27. 27. VARIÁVEIS DE INVESTIGAÇÃO 1.Variável independente: Metodologia de trabalho dos alunos Operacionalização: Trabalho de grupo Trabalho individual Variável dependente: os resultados académicos em Francês Operacionalização: classificações finais em competências de produção escrita classificações finais em competências de produção oral 2. Variável independente: Metodologia de trabalho dos alunos Operacionalização: Trabalho de grupo Trabalho individual Variável dependente: motivação dos alunos para a aprendizagem do Francês Operacionalização: Attitude/Motivation Test Battery (French) de Gardner
  28. 28. INSTRUMENTOS E PROCEDIMENTOSMomento 1: Inicio 1º periodo Teste diagnóstico (produção escrita e oral+ Bateria de Atitudes e Motivação para aprendizagem do Francês) Após 10 semanas Ficha de avaliação parte A: competências de produção escrita parte B: competências de produção oral Bateria de Atitudes e Motivação para aprendizagem do FrancêsMomento 2: Inicio 2º periodo Teste diagnóstico (produção escrita e oral+ Bateria de Atitudes e Motivação para aprendizagem do Francês) Após 10 semanas Ficha de avaliação parte A: competências de produção escrita parte B: competências de produção oral Bateria de Atitudes e Motivação para aprendizagem do Francês
  29. 29. RESULTADOS: Analisar estados iniciais (baseline) Analisar resultados dos grupos após desenvolvimento de trabalho individual e de trabalho em grupo em cada uma das variáveis dependentes: . competências de produção escrita e oral . motivação para aprendizagem do Francês Comparar os resultados anteriores
  30. 30. CONCLUSÕES Comparar os resultados encontrados em cada um dos grupos e em cada um dos momentos face aos registados no momento inicial= indicar diferenças (melhorias) Confirmar/refutar as hipóteses 1 e 2 1.Em atividades de trabalho colaborativo registaram-se melhoresresultados académicos na produção oral dos alunos. Não se registam diferenças na produção escrita 2.O trabalho colaborativo evidenciou promoverníveis mais elevados de motivação dos alunos para a aprendizagem do Francês do que o trabalho individual. Discutir os resultados encontrados à luz de perspetivas teóricas (ex:conceito de ZPD e o Princípio Colectivo/Individual de Vygostky)
  31. 31. REGRAS DE OURO: CIENTIFICIDADETRANSPARÊNCIADA ESCRITAORGANIZAÇÃOE COERÊNCIASUPORTEEM EVIDÊNCIASCOMPLETUDE
  32. 32. Almeida, L. S., & Freire, T. (2000). Metodologia da investigação em Psicologia e Educação. Braga: Psiquilíbrios. Bogdan, R., & Biklen, S. K. (1994). Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora. Creswell, J. W. (2010). Research design: Qualitative, quantitative and mixed methods approaches. Londres: SAGE Publications. Gay, L., Mills, G., & Airasian, P. (2006). Educational research. Competencies for analysis and applications. Columbus: Pearson. Tuckman, B. (2012). Manual de investigação em Educação (5ª edição). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. REFERÊNCIAS

×