Neuza Pedro
Professora do Instituto de
Educação, ULisboa
MOOCs:
7 tópicos a considerar:
1. Estratégia
2. Tema e público-alvo
3. Tecnologia
4. Estrutura e organização
5. Modelo pedagógico...
1) Estratégia
1) Abordagem
estratégica
Massive Online Open Courses
• Pretende-se que seja MASSIVO?
• Presende-se que seja TOTALMENTE ONL...
. Pretende-se que seja MASSIVO?
. Presende-se que seja TOTALMENTE ONLINE?
. Pretende-se que sera realmente um ‘OPEN COURSE...
• Democratização do acesso ao conhecimento
• Devolver a ciência a quem a financia = SOCIEDADE
• Envolvimento público na in...
2) Tema e público-alvo
2) Tema e público-alvo
• Qual a temática central do curso?
• Qual o nível de abrangência temática?
• Existem outros MOOCs ...
2) Tema e público-alvo
Qual a temática central do curso?
O que a torna relevante? Porquê oferecê-la num MOOC?
Qual o nível...
3) Tecnologia
“Real ‘open education’
course uses open access
technology”
Soluções open source Soluções comerciais
++ ++
0
Soluções baseadas
na cloud
Soluções baseadas em
servidor (institucional)
...
3) Soluções Tecnológicas
. Que funcionalidades se deseja?
. Que nível de performance?
. Para que interfaces?
. Que nível d...
3) Soluções Tecnológicas
. Que funcionalidades se deseja?
. Que nível de performance?
. Para que interfaces?
. Que nível d...
3) Soluções Tecnológicas
. Que funcionalidades se deseja?
. Que nível de performance?
. Para que interfaces?
. Que nível d...
3) Soluções Tecnológicas
. Que funcionalidades se deseja?
. Que nível de performance?
. Para que interfaces?
. Que nível d...
Exemplos de plataformas para
MOOCs
4) Estrutura e
organização
4) Estrutura e
organização
Sequencialidade dos conteúdos
Navegabilidad
e
Dinâmicas, duração e ritmo de
Aprendizagem
Coerên...
4) Estrutura e
organização
Cenário A:
Totalidade dos conteúdos
disponíveis
Aprendizagem individual
Ritmo pessoal
Ritmo
não...
5) Modelo pedagógico
++ ++
0
++++
Assíncrono
Síncrono
Aprendizagem por
projetos
Game-based learning
Case-study
Instrucionismo
Conetivismo
Construtivismo
Socio-
construcionismo
...
6) Gestão da qualidade
6) Gestão da Qualidade
Elevado grau
de exposição
Rigor e atualidade científic
Design atrativo
Elevada usabilidade
Sentido ...
6) Monitorização
E-learning
Quality labels
Big data analytics
Peer
review
7) Certificação
7) Certificação
Deve ser pensada sob 2
vertentes:
Interna
Externa
7) Certificação (interna)
. Certificação institucional
. Reconhecimento da autoria dos
conteúdos (texto, imagens, videos,
...
7) Certificação (externa)
Opções:
1. Sem certificação
2. Certificação de conclusão
3. Certificação com
classificação
4. Cr...
MOOCs:
Peter Norvig, co-instructor on one
Stanford’s first xMOOCs, when asked to
comment on MOOCs said, ‘it’s a
confusing ...
Referências
Marquis, J. (2013). Resources & expectations for creating a smarter MOOC.
Disponivel em http://www.teachthough...
Template retirado de
www.presentationmagazine.com
Neuza Pedro
nspedro@ie.ulisboa.pt
Instituto de Educação, ULisboa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como criar um Mooc: guidelines de preparação para o ensino superior

2.269 visualizações

Publicada em

Diretrizes de apoio à preparação de um Massive Open Online Course

Publicada em: Educação
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.269
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
719
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como criar um Mooc: guidelines de preparação para o ensino superior

  1. 1. Neuza Pedro Professora do Instituto de Educação, ULisboa MOOCs:
  2. 2. 7 tópicos a considerar: 1. Estratégia 2. Tema e público-alvo 3. Tecnologia 4. Estrutura e organização 5. Modelo pedagógico 6. Gestão da Qualidade 7. Certificação
  3. 3. 1) Estratégia
  4. 4. 1) Abordagem estratégica Massive Online Open Courses • Pretende-se que seja MASSIVO? • Presende-se que seja TOTALMENTE ONLINE? • Pretende-se que sera realmente um ‘OPEN COURSE’?
  5. 5. . Pretende-se que seja MASSIVO? . Presende-se que seja TOTALMENTE ONLINE? . Pretende-se que sera realmente um ‘OPEN COURSE’? E como o conseguir? Divulgação? Como o fazer com qualidade inovação e sentido diferenciador ? Pretende-se uma partilha genuinamente gratuita do Conhecimento ? Nenhum trabalho é livre de custos, como o gerir? Massive Open Online Course
  6. 6. • Democratização do acesso ao conhecimento • Devolver a ciência a quem a financia = SOCIEDADE • Envolvimento público na investigação . Movimentos ‘Open Education’ Reconhecimento e Reputação Marketing Internacionalização Massive Open Online Course
  7. 7. 2) Tema e público-alvo
  8. 8. 2) Tema e público-alvo • Qual a temática central do curso? • Qual o nível de abrangência temática? • Existem outros MOOCs nessa área?
  9. 9. 2) Tema e público-alvo Qual a temática central do curso? O que a torna relevante? Porquê oferecê-la num MOOC? Qual o nível de abrangência temática? A quem se destina? Qual o grau de profundidade cientifica? Existem outros MOOCs na área? Justifica a concorrência? O que este curso terá de distintivo ? (ex. língua, forma de comunicação, abordagem pedagógica, certificação…)?
  10. 10. 3) Tecnologia
  11. 11. “Real ‘open education’ course uses open access technology”
  12. 12. Soluções open source Soluções comerciais ++ ++ 0 Soluções baseadas na cloud Soluções baseadas em servidor (institucional) 3) Soluções Tecnológicas O que existe disponível? . na instituição . na web
  13. 13. 3) Soluções Tecnológicas . Que funcionalidades se deseja? . Que nível de performance? . Para que interfaces? . Que nível de integração? . Que garantias de suporte técnico?
  14. 14. 3) Soluções Tecnológicas . Que funcionalidades se deseja? . Que nível de performance? . Para que interfaces? . Que nível de integração? . Que garantias de suporte técnico? Video- conferencia, foruns, testes, SCORM, …? Limite de upload? Nº máximo de utilizadores? Escalabilidade?
  15. 15. 3) Soluções Tecnológicas . Que funcionalidades se deseja? . Que nível de performance? . Para que interfaces? . Que nível de integração? . Que garantias de suporte técnico?
  16. 16. 3) Soluções Tecnológicas . Que funcionalidades se deseja? . Que nível de performance? . Para que interfaces? . Que nível de integração? . Que garantias de suporte técnico? Ao professor? Aos alunos? É necessária integração com algum sistema académico?
  17. 17. Exemplos de plataformas para MOOCs
  18. 18. 4) Estrutura e organização
  19. 19. 4) Estrutura e organização Sequencialidade dos conteúdos Navegabilidad e Dinâmicas, duração e ritmo de Aprendizagem Coerência do design Clareza instrucional
  20. 20. 4) Estrutura e organização Cenário A: Totalidade dos conteúdos disponíveis Aprendizagem individual Ritmo pessoal Ritmo não estruturado requer ++ ++ 0 Ritmo estruturado Cenário B: Conteudos disponibilizados faseadamente Aprendizagem individual Ritmo estabelecido pelo sistema Cenário C: Conteudos disponibilizados faseadamente Aprendizagem colaborativa Ritmo coletivamente estabelecido Cenário D ?? Cenário E
  21. 21. 5) Modelo pedagógico
  22. 22. ++ ++ 0 ++++ Assíncrono Síncrono
  23. 23. Aprendizagem por projetos Game-based learning Case-study Instrucionismo Conetivismo Construtivismo Socio- construcionismo Portefolios e Narrativas digita Flipped classroom Aprendizagem personalizada Problem-based learning … Virtual Worlds and MMORRGs
  24. 24. 6) Gestão da qualidade
  25. 25. 6) Gestão da Qualidade Elevado grau de exposição Rigor e atualidade científic Design atrativo Elevada usabilidade Sentido didático requer
  26. 26. 6) Monitorização E-learning Quality labels Big data analytics Peer review
  27. 27. 7) Certificação
  28. 28. 7) Certificação Deve ser pensada sob 2 vertentes: Interna Externa
  29. 29. 7) Certificação (interna) . Certificação institucional . Reconhecimento da autoria dos conteúdos (texto, imagens, videos, simulações…) . Propriedade intelectual (Licenças Creative Commons)
  30. 30. 7) Certificação (externa) Opções: 1. Sem certificação 2. Certificação de conclusão 3. Certificação com classificação 4. Creditação (ECTS) 5. Acreditação institucional custo vs retorno
  31. 31. MOOCs: Peter Norvig, co-instructor on one Stanford’s first xMOOCs, when asked to comment on MOOCs said, ‘it’s a confusing or an exciting time… I think schools are experimenting and they don’t quite yet know what to do’. At this stage in their development, it is not clear whether MOOCs are a disruptive technology which will alter the face of higher education, or an
  32. 32. Referências Marquis, J. (2013). Resources & expectations for creating a smarter MOOC. Disponivel em http://www.teachthought.com/technology/resources- expectations-for-creating-a-smarter-mooc/ UNESCO (2013). Introduction to MOOCs: Avalanche, illusion or augmentation?, UNESCO Institute for Information Technologies in Education, Disponivel em http://iite.unesco.org/pics/publications/en/files/3214722.pdf Bishop, P. (2014). How to make a MOOC. University of Reddit, Disponivel em http://ureddit.com/class/67829/how-to-make-a-mooc Yuan, L., & Powell, S. (2013). MOOCs and open education: Implications for higher education, Disponivel em http://publications.cetis.co.u/2013/667 Yuan, L., Powell, S. & Olivier, B. (2014). Beyond MOOCs: Sustainable online learning in institutions, Disponivel em http://publications.cetis.ac.uk/wp- content/uploads/2014/01/Beyond-MOOCs-Sustainable-Online-Learning-in- Institutions.pdf
  33. 33. Template retirado de www.presentationmagazine.com Neuza Pedro nspedro@ie.ulisboa.pt Instituto de Educação, ULisboa

×