Revisao filosofia para 2 ano

598 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revisao filosofia para 2 ano

  1. 1. C.E. JOSÉ FURTADO BEZERRA MIRANDA DO NORTE – MA 2º ANO REVISÃO Prof. Marvão
  2. 2. Surge no Séc. VI a.C., na Grécia em substituição à Mitologia Filo: Amigo, amante Sofia: Sabedoria
  3. 3. Questão: Qual a origem de todas as coisas? Qual o arché (princípio) de todas as coisas? Tales: água Anaxímenes: Fogo, ar Anaximandro: á-peiron Pitágoras: Números Demócrito e Leucipo: átomos Platão: Demiurgo
  4. 4. Parmênides: atribuiu cinco qualidades ao ser (único, infinito, imóvel, imutável e eterno) Heráclito: tudo flui, tudo muda, nada permanece o mesmo. (nunca nos banhamos duas vezes no mesmo rio)
  5. 5. Com o crescimento das cidades, o surgimento da política, da democracia e da vida em sociedades mais complexas a preocupação da filosofia mudou de foco, deixou de ser as preocupações metafísicas e da natureza (phisis) se concentrando na problemática do homem.
  6. 6. A necessidade de se expressar bem, juntamente com a importância que foi dada ao indivíduo favoreceu o surgimento de um grupo de filósofos, chamados sofistas, que dominavam a arte da oratória. Eles discursavam em público e ensinavam sua arte em troca de pagamento.
  7. 7. os principais sofistas foram: Górgias e Protágoras. Protágoras: “O homem é a medida de todas as coisas” Nesse contexto surgiu um pensador cuja doutrina se opunha profundamente à sofistica: Sócrates.
  8. 8. Sócrates (470-399 a.C) - mais inteligente é aquele que sabe que não sabe (Só sei que nada sei) -conhece-te a ti mesmo - só o conhecimento do que é certo leva ao agir correto; quem sabe o que é bom acaba fazendo o bem. - o homem comete erros por ignorância, por não saber diferenciar o certo do errado. -o método socrático : o dialético (ironia e maiêutica).
  9. 9. Platão (428-348 a.C.) – a academia Teoria do mundo das idéias: existe um mundo imaterial, eterno e imutável, totalmente separado do mundo sensível (o universo material, que percebemos através dos cinco sentidos), a que só temos acesso por meio da razão. Nesse plano da realidade estão as ideias, que não são simples cogitações, mas sim, realidades que existem por si mesmas, independentes do pensamento e de todas as coisas materiais.
  10. 10. O homem: corpo e alma O ser humano é composto de corpo e alma, sendo a alma a parte mais importante e mais real do individuo. Ela seria imortal e eterna, existindo desde sempre no mesmo plano das ideias. A alma se divide em três partes: a racional – o guia da alma, conheceria a verdade e reuniria a inteligência, a moral e a lógica a emocional – conteria as emoções superiores, como a honra e a justiça a sensual – rebelde, corresponderia aos desejos inferiores, carnais e por isso, desordenada e inquieta
  11. 11. o amor O amor é a insuficiência de algo, é a falta de algo, e o desejo de conquistar aquilo que sentimos falta. O amor dirige-se para o bem, cuja aparência externa é a beleza. A gente busca na pessoa amada o que falta em nós. O mito da caverna
  12. 12. Política A finalidade da polis é garantir a felicidade de todos os seus habitantes e alcançamos a felicidade quando as três partes da alma agem em conjunto na busca do bem supremo, impulsionado pelo amor. Para essa finalidade, a parte racional precisa reinar, ajudada pela parte emocional e sensual.
  13. 13. Na cidade, os filósofos teriam o dever de tomar as rédeas da administração da cidade, criando as leis e controlando as atividades dos membros da cidade. Os guerreiros ou soldados colaborariam obedientemente com os filósofos governantes. Defenderiam a cidade de eventuais inimigos e seriam responsáveis pela aplicação da justiça entre os habitantes. Finalmente existiriam aqueles são os responsáveis para garantir o sustento da sociedade: os agricultores, pastores, artesãos, construtores e tecelões.
  14. 14. Aristóteles (348 – 322 a.C) liceu Difere do seu mestre. Para ele o conhecimento do mundo se dá por meio da experiência sensível, aplicando a razão nos dados fornecidos pelos cinco sentidos, descobrindo assim a essência das coisas. Cada ser tem uma substancia própria, que é o conjunto de todas as suas características fundamentais. Os seres também são determinados por seus acidentes, que são as características que não alteram a essência daquilo que um ser ou objeto é.
  15. 15. Potência: São as possibilidades de um determinado objeto ser transformado em outro Ato: a realização da potência As quatro causas: Material: matéria que o objeto é feito Eficiente: promove a passagem da potencia ao ato Formal: define o que a coisa é Final: o propósito, a finalidade do ser
  16. 16. Política O homem é naturalmente um animal político. Uma das condições essenciais do ser humano é o fato de viver agregado a outros homens. Em outras palavras, um indivíduo vivendo sozinho é inconcebível: um homem absolutamente solitário ou auto-suficiente deixaria de ser homem – seria um deus ou uma fera ou não sobreviveria. A polis era a melhor organização sócia possível, desde que fosse regida por critérios justos, que visassem ao bem comum.
  17. 17. Ética Ciência que trata do caráter e da conduta dos indivíduos. A finalidade da vida humana é atingir a felicidade. A felicidade é uma atividade. O homem feliz é aquele que pratica incessantemente a virtude, sempre aperfeiçoando o seu caráter. A conduta justa do indivíduo só teria sentido dentro da vida em sociedade.
  18. 18. Para que o homem possa ser virtuoso é necessário haver uma organização política favorável para que essa felicidade seja atingida: a polis governada democraticamente, na qual todos os cidadãos se conheçam pessoalmente e façam parte de uma grande assembléia que governa a cidade, determinando seus destinos e redigindo leis que garantam uma existência digna para seus habitantes.
  19. 19. Lógica

×