Drogas antimicrobianas

6.948 visualizações

Publicada em

teste aula

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.948
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
114
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Drogas antimicrobianas

  1. 1. Drogas antimicrobianas
  2. 2. Histórico da quimioterapia <ul><li>1928 – Alexander Fleming </li></ul><ul><ul><li>Penicilina : Penicillium X Staphylococcus aureus </li></ul></ul>
  3. 3. Espectro de ação <ul><li>Toxicidade seletiva </li></ul><ul><li>Células procariotas X eucariotas </li></ul><ul><li>Alvos em potencial : </li></ul><ul><li>Parede celular </li></ul><ul><li>Ribossomos </li></ul><ul><li>Metabolismo microbiano </li></ul><ul><li>Amplo espectro X microbiota endogena </li></ul>Amplo espectro
  4. 4. Espectro de ação
  5. 5. Ação das drogas antimicrobianas <ul><li>Ação Bactericida X Ação Bacteriostática </li></ul><ul><li>Inibição da síntese de parede celular </li></ul><ul><li>1.1 Penicilina e derivados </li></ul><ul><li>Impedem a síntese completa do peptideoglicano de parede celular </li></ul>
  6. 6. Peptideoglicano da Parede Celular de Bactéria
  7. 7. Dissacarídeo do Peptídeoglicano de Parede de Bactéria Ligação transpeptídica:  1-4  1-4  1-4  1-4 NAc Mur NAc Guc NAc Mur NAc Guc Peptideoglicano de Parede de Bactéria 1 NAc NAc O H 3 C- C - C = O O  4 L-Ala D-Glu L-Lis D-Ala n NH COOH NH 2 COOH L-Ala D-Glu L-Lys D-Ala NH COOH NH 2 COOH L-Ala D-Glu L-Lys D-Ala
  8. 8. Penicilina: impede a ligação transversal dos pepetideoglicanos (etapa final da síntese da parede bacteriana) NH COOH NH 2 COOH L-Ala D-Glu L-Lys D-Ala NH COOH NH 2 COOH L-Ala D-Glu L-Lys D-Ala D-Ala transpeptidase Penicilina Vancomicina Ristocetina Ação de Antibióticos
  9. 10. <ul><li>Penicilinase ou β -lactamase </li></ul><ul><ul><li>Resistentes:Meticilina*, oxacilina e nafcilina </li></ul></ul><ul><ul><li>*MRSA ( S. aureus resistente a meticilina) </li></ul></ul><ul><ul><li>- Penicilinas + inibidores de β -lactamase (ac. clavulânico) </li></ul></ul><ul><li>Espectro estendido </li></ul><ul><ul><li>Gram + e Gram – </li></ul></ul><ul><ul><li>Aminopenicilinas: ampicilina e amoxicilina; carboxipenicilinas: carbenicilina e tiarcilina </li></ul></ul>
  10. 11. <ul><li>1.2 Cefalosporinas </li></ul><ul><ul><li>Inibem síntese de parede celular </li></ul></ul><ul><ul><li>São mais resistentes as penicilinases </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior espectro de ação em bactérias GRAM- </li></ul></ul><ul><ul><li>+70 versões - 1ª 2ª 3ª e 4ª gerações </li></ul></ul><ul><ul><li>exs.: cefalotina, cefotaxim </li></ul></ul>
  11. 12. <ul><li>1.3 Antibióticos Polipeptídicos </li></ul><ul><ul><li>inibe a síntese de parede celular em estágios anteriores as penicilinas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Bacitracina – </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Uso tópico (Gram +) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Vancomicina </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ultima linha de defesa contra MRSA( S. aureus resistente a meticilina) </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>1.4 Antibióticos antimicobacterianos </li></ul><ul><ul><li>Mycobacterium tuberculosis </li></ul></ul><ul><ul><li>Isoniazida – inibição da síntese de acido micolico (componente de parede celular de micobacterias) </li></ul></ul><ul><ul><li>Etambutol – inibição da incorporação de acido micolico na parede celular </li></ul></ul>
  12. 13. <ul><li>2. Inibição da síntese protéica </li></ul><ul><li>Diferenças na estrutura dos ribossomos </li></ul><ul><li>Toxicidade seletiva – ribossomo 70S (bacteriano) </li></ul><ul><li>Efeitos adversos relacionados a danos em mitocôndrias eucariotas </li></ul>
  13. 14. <ul><li>2.1 Cloranfenicol </li></ul><ul><ul><li>Amplo espectro; bacteriostatico </li></ul></ul><ul><ul><li>Baixo custo – sintetico </li></ul></ul><ul><ul><li>TOXICIDADE: supressao da atividade da medula ossea – anemia aplastica </li></ul></ul><ul><li>2.2 Aminoglicosideos </li></ul><ul><ul><li>Bactericidas </li></ul></ul><ul><ul><li>Entre os 1º a apresentarem atividade significativa em bacterias GRAM - </li></ul></ul><ul><ul><li>Toxicidade – danos ao nervo auditivo e lesoes renais </li></ul></ul><ul><ul><li>Estreptomicina (1944), neomicina, gentamicina </li></ul></ul>
  14. 15. <ul><li>2.3 Tetraciclinas </li></ul><ul><ul><li>Amplo espectro de atividade: Gram+, Gram - , clamidias e riquetsias </li></ul></ul><ul><ul><li>Muito utilizadas em tratamentos de infeccoes urinarias, pneumonias por micoplasma </li></ul></ul><ul><ul><li>Suprimem a microbiota intestinal- risco de superinfeccoes </li></ul></ul><ul><li>2.4 Macrolideos </li></ul><ul><ul><li>eritromicina – não atravessa parede de GRAM – resultando em espectro de acao + restrito </li></ul></ul><ul><ul><li>Azitromicina e claritromicina </li></ul></ul>
  15. 16. <ul><li>2.5 Oxazolidonas </li></ul><ul><li>Classe desenvolvida em resposta a resistencia a vancomicina </li></ul><ul><li>Liga-se ao ribossomo especificamente na subunidade 50S quase no ponto de interface com a subunidade 30S </li></ul><ul><li>Ex.: linezolida </li></ul>
  16. 17. <ul><li>3. Dano a membrana plasmática </li></ul><ul><ul><li>Bactericida contra GRAM - </li></ul></ul><ul><ul><li>Alterações na permeabilidade da membrana plasmática - Perda de metabolitos importantes da célula microbiana </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: polimixina B – causa ruptura ao se ligar a fosfolipídios de membrana </li></ul></ul><ul><ul><li>Atualmente utilizada no tratamento tópico de infecções superficiais (combinações com neomicina) </li></ul></ul>
  17. 18. <ul><li>4. Inibição da síntese de ácidos nucléicos </li></ul><ul><li>interferem nos processos de replicação e transcrição do DNA de microrganismos </li></ul><ul><li>Uso limitado – possivel interferencia com o DNA e RNA de mamiferos </li></ul><ul><li>Exs.: rifampinas (TB e hanseniase) </li></ul><ul><li>quinolonas – norfolxacina, ciprofloxacina </li></ul>
  18. 19. <ul><li>5. Inibição da síntese de metabolitos essenciais </li></ul><ul><ul><li>Anti-metabolitos – substancia que se assemelha ao substrato normal da enzima </li></ul></ul><ul><ul><li>acido paraminobenzoico (PABA) – precursor de ac. Fólico em microrganismos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sulfanilamida e o PABA - inibição competitiva, inibe produção de ac. fólico </li></ul></ul><ul><ul><li>Combinações, acao sinergica - Sulfametoxazol+trimetoprima (BACTRIN) </li></ul></ul>sulfas trimetoprim Parada síntese de DNA
  19. 21. Testes para orientar a quimioterpia <ul><li>Métodos de disco- difusão: antibiograma, ETEST </li></ul><ul><li>Testes de diluição em caldo de cultura </li></ul>
  20. 22. RESISTENCIA <ul><li>Mecanismos propostos para resistência bacteriana a antimicrobianos </li></ul><ul><li>Destruição ou inativação da droga </li></ul><ul><li>Prevenção da penetração no sitio-alvo da droga (dentro do micróbio) </li></ul><ul><li>Alterações no sitio-alvo das drogas </li></ul><ul><li>Efluxo rápido, bombeamento da droga para fora da célula </li></ul>
  21. 23. <ul><li>Possibilidade de mutantes resistentes substituam as população normal susceptível </li></ul><ul><li>Resistência hereditária as drogas – carregadas por plasmideos e transmitidas </li></ul><ul><li>Uso inapropriado </li></ul><ul><li>– sem prescrição medica; </li></ul><ul><li>- tempo de terapia menor que o indicado para erradicação da infecção – estimulo a sobrevivência de linhagens resistentes de bactérias </li></ul>

×