3 gesto e gesticulação - 13 slides

2.220 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.220
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3 gesto e gesticulação - 13 slides

  1. 1. Técnicas de Apresentação
  2. 2. GESTOS E GESTICULAÇÃO DefiniçãoGesticulação Ação de gesticular, ou seja, Fazer gestos, em geral gestos acompanhando com eles a fala. Movimento do corpo, corpo em especial da cabeça e dos braços, ou para exprimir idéias ou sentimentos, ou para realçar a expressão.
  3. 3. GESTOS E GESTICULAÇÃO Noções GeraisAto ou ação por meio do qual se dá força àspalavras.Deve ser feito sem exagero e sem excessos, istoé, com naturalidade e elegância. elegânciaLembrar sempre que ele é apenas a essência, tãosomente, do que se quer exprimir.Deve preceder à palavra ou acompanhá-la, acompanhá-lanunca sucedê-la. Se anteceder, prepara o efeitoda palavra; se acompanhá-la, reforça-a; sesuceder, perde sua força.
  4. 4. GESTOS E GESTICULAÇÃO PosturaEvite-se a postura displicente, como falar sentadona cadeira ou encostado em alguma coisa. Jamaissentar-se sobre a mesa.O olhar do expositor deve percorrer a platéiainteira, não circunscrevendo a atenção para esseou aquele lado, em especial. Evitar os maneirismos, isto é, torcer os dedos, maneirismosmexer na roupa, estalar os dedos, esfregar asmãos, bater palmas ou tocar amiudamente objetossobre a mesa.
  5. 5. GESTOS E GESTICULAÇÃO Cabeça •Se pender, indica humilhação; pender humilhação •Muito elevada, arrogância; elevada arrogância •Caída para os lados, lassidão(cansaço ,fadiga); A posição da cabeça deve guardar equilíbrio com o restante do corpo e serve principalmente para complementar ou indicar idéias afirmativas ou negativas.
  6. 6. GESTOS E GESTICULAÇÃO DedosDevem permanecer levemente abertos e curvados. O dedo indicador em riste é acusador. Unido ao polegar é doutoral, de quem ensina. Abertos o polegar, o indicador e o médio, é o gesto de quem explica, explana, torna fácil e claro.
  7. 7. GESTOS E GESTICULAÇÃO MãosRepelir (rejeitar) ==> Palma da mãovolvida para baixo até a altura dopeito.Defesa ==> Erguem-se as mãos àaltura do peito, palma aberta parafora.Desolação ==> As mãos caem,palmas abertas para fora.Pedir ==> Quando se pede, elevam-se as mãos até o peito, palmas paracima, movimento trêmulo.
  8. 8. GESTOS E GESTICULAÇÃO Os erros mais comuns : 1. Mãos atrás das costas; 2. Mãos nos bolsos; 3. Braços cruzados; 4. Apoiar-se sobre a mesa ou a cadeira; 5. Movimento desordenado dos pés; 6. Detalhes que sobressaem .
  9. 9. GESTOS E GESTICULAÇÃOAtitudes que deve evitar:1. Fugir com os olhos;2. Olhar para um ponto fixo;3. Olhar desconfiado;4. Olhar perdido.
  10. 10. Como posicionar as Mãos? CONCLUSÃONem prender as mãos, tornando-as imóveis,nem lançando-as para trás, imobilizando-as,nem adotando gesticulação teatralexagerada.A melhor atitude perante os próprios gestos éesquecer as mãos, e falar com naturalidade,deixando que elas procedam como procedemquando conversamos.
  11. 11. Como posicionar os Pés? CONCLUSÃOA sugestão, é que se fique de frente para opúblico, posicionando sobre as duas pernas,possibilitando bom equilíbrio ao corpo.Normalmente as pernas deverão ficar afastadasa uma distância de aproximadamente um palmo,o que dará bom equilíbrio ao corpo e promoveráuma posição elegante, porém isso não impediráo orador de se movimentar no meio do público.
  12. 12. Como posicionar os Pés? CONCLUSÃOSeja você mesmo Nenhuma técnica poderá sermais importante que a sua naturalidade.Seja natural
  13. 13. FONTE DE CONSULTAO amor não consiste em fitar um aooutro, mas em olhar juntos na mesmadireção.(Antoine de Saint-Exupéry) SANTOS, M. F. dos. Curso de Oratória e Retórica.7. ed., São Paulo, Logos, 1959. SIGNATES, L. Caridade do Verbo - Métodos eTécnicas de Exposição Doutrinária TRIANGALE,DANTE. Introdução à Retórica - A Retórica ComoCrítica Literária. São Paulo, Duas Cidades, 1988.

×