[Pesquisa] Profissional de métricas, monitoramento social analytics no Brasil (2014)

17.294 visualizações
17.619 visualizações

Publicada em

A pesquisa busca reunir informações sobre os profissionais métricas, monitoramento e social analytics no Brasil. Faz parte de uma série de surveys, que já publicou: Profissional de Monitoramento, Mensuração e Social Analytics no Brasil (2013); Perfil do Profissional de Monitoramento de Mídias Sociais no Brasil (2012); e Usos e Percepções do Monitoramento de Mídias Sociais (2011).

Publicada em: Negócios
14 comentários
84 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.294
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.755
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
287
Comentários
14
Gostaram
84
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Pesquisa] Profissional de métricas, monitoramento social analytics no Brasil (2014)

  1. 1. PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL PESQUISA ANO 4 / 2014
  2. 2. SOBRE PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL GRADUADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL COM HABILITAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA PELA UNIVERSIDADE TIRADENTES DE SERGIPE. PROFISSIONAL FOCADO EM MÉTRICAS E MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS. ATUALMENTE TRABALHA COM BUSINESS INTELLIGENCE NA SAPIENTNITRO (PUBLICIS GROUPE), TERCEIRA MAIOR AGÊNCIA DIGITAL DO MUNDO. CLIENTES QUE ATENDE: A PESQUISA “PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL (2014)” DÁ CONTINUIDADE A SÉRIE INICIADA EM 2011 PELO PESQUISADOR TARCIZIO SILVA (SOCIAL FIGURES). ELA TEM O APOIO DA MEDIA EDUCATION E FOI REALIZADA PELO PUBLICITÁRIO JÚNIOR SIRI (SAPIENTNITRO). APESAR DA PESQUISA DESTE ANO ESTAR NA SUA 4ª EDIÇÃO, NOS GRÁFICOS QUE MOSTRAM EVOLUTIVOS ANO A ANO, FORAM RETIRADOS OS DADOS DA 1ª EDIÇÃO, UMA VEZ QUE A DE 2011 FOCOU APENAS EM MONITORAMENTO, DIFERENTE DAS POSTERIORES. ESTA É A MAIOR PESQUISA DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS JÁ REALIZADA NO BRASIL. FORAM 222 RESPONDENTES DE TODO O PAÍS QUE RESPONDERAM QUESTÕES SOBRE PERFIL PROFISSIONAL, FORMAÇÃO, PRÁTICAS E MERCADO.
  3. 3. OBJETIVO GERAR INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA OS PROFISSIONAIS, AGÊNCIAS, EMPRESAS, DESENVOLVEDORAS, PROFESSORES E ESTUDANTES DA ÁREA. A ÁREA NO BRASIL CONTINUA CRESCENDO E VEM GANHANDO CONSISTÊNCIA COM A CHEGADA DE NOVOS PROFISSIONAIS, CURSOS, FERRAMENTAS E EMPRESAS ESPECIALIZADAS. ESPERA-SE QUE ESTA PESQUISA AUMENTE AINDA MAIS O DEBATE ACERCA DA ÁREA. A PESQUISA FOI APLICADA ENTRE OS DIAS 19 DE SETEMBRO E 10 DE OUTUBRO DE 2014. O QUESTIONÁRIO, DISPONÍVEL ONLINE, FOI CRIADO ATRAVÉS DO GOOGLE DOCS E DIVULGADO COM PERFIS, MAILING DE PROFISSIONAIS DA ÁREA E GRUPOS NO FACEBOOK, LINKEDIN E TWITTER. AO TODO FORAM 222 RESPONDENTES DE TODO O BRASIL, SENDO QUE 219 VÁLIDOS. FOI CONSIDERADO UM “RESPONDENTE VÁLIDO” AQUELE QUE TRABALHA PELO MENOS PARTE DO TEMPO COM MÉTRICAS, MONITORAMENTO E/OU SOCIAL ANALYTICS. METODOLOGIA PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL
  4. 4. 4 ESFERAS ESTIVERAM PRESENTES NO RADAR DA PESQUISA:
  5. 5. 4 ESFERAS ESTIVERAM PRESENTES NO RADAR DA PESQUISA: PERFIL
  6. 6. 4 ESFERAS ESTIVERAM PRESENTES NO RADAR DA PESQUISA: PERFIL FORMAÇÃO
  7. 7. 4 ESFERAS ESTIVERAM PRESENTES NO RADAR DA PESQUISA: PERFIL FORMAÇÃO PRÁTICAS
  8. 8. 4 ESFERAS ESTIVERAM PRESENTES NO RADAR DA PESQUISA: PERFIL FORMAÇÃO PRÁTICAS MERCADO
  9. 9. PERFIL PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL
  10. 10. Qual a faixa etária dos profissionais? Entre os respondentes, foi possível encontrar profissionais com idade entre 19 e 53 anos, sendo que 85% deles se encontram na faixa etária que vai dos 19 até os 32 anos. Em média, os profissionais desse segmento possuem 28 anos, pouco acima da média de profissionais de social media em geral, que de acordo com outra recente pesquisa*, realizada pelo Trampos, é de 26 anos. *O Raio-X dos profissionais de mídias sociais no Brasil: www.trampos.co/raiox
  11. 11. Em quais regiões e estados moram? O Sudeste continua concentrando a maioria dos respondentes, destacando o eixo Rio-São Paulo (53%). Ao todo, 58% deles moram nesta região. Apesar do grande volume do Sudeste, a ordem da volumetria por região está coerente com os dados populacionais (IBGE, 2013). 7% 4% 10% 21% 58% SUDESTE CENTRO-OESTE NORDESTE SUL NORTE 43% 10% 3% 5% 5% 7% 3% 2% 2% 1% 2% 1% 2% As porcentagens (%) representam o volume de respondentes em cada estado. Não existem dados no Acre, Tocantins, Roraima e Piauí por que não houve participação desses estados. 3% 0,5% 5% 1% 0,5% 0,5% 0,5% 0,5% 2% 0,5%
  12. 12. Quais cargos ocupam? CARGOS ESTRATÉGICOS: 9% CARGOS GERENCIAIS: 25% CARGOS OPERACIONAIS: 44% Profissionais de diversas áreas responderam, mas principalmente os que ocupam cargos relacionados a métricas e monitoramento: social intelligence, buzz intelligence, data intelligence, social listening, business intelligence etc. Destes profissionais, ao todo 37% são analistas (cargo operacional), 12% coordenadores (cargo gerencial) e 11% gerentes (cargo gerencial). Os três níveis de cargos (operacional, gerencial e estratégico) representaram 78% dos respondentes; os 22% restantes foram categorizados como “outros”, pois não especificaram o cargo que ocupam. ANALISTA ASSISTENTE ESTAGIÁRIO GERENTE SUPERVISOR COORDENADOR CEO DIRETOR
  13. 13. FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL
  14. 14. Qual a escolaridade dos profissionais? Os estudantes de graduação e graduados continuam sendo o público predominante na pesquisa, mas foram menos expressivos em relação a 2012 e 2013, dando espaço para os profissionais com especialização/ MBA e mestrado. Esses dois últimos tiveram aumento significativo, evidenciando o aumento do interesse e da busca desses profissionais se qualificarem. *Dentro de cada escolaridade estão pessoas que completaram ou não os seus cursos.
  15. 15. Em quais cursos se graduaram? Assim como nos últimos anos, os cursos de comunicação continuam sendo a chancela predominante na formação dos profissionais, principalmente as habilitações em Publicidade & Propaganda e Jornalismo - mesmos cursos que predominaram nas pesquisas de 2012 e 2013. A surpresa deste ano foi a representatividade do curso de Letras, mostrando que a formação desses profissionais não se restringe aos cursos de comunicação.
  16. 16. Quais pós-graduações fizeram? Tal qual as últimas pesquisas, marketing continua liderando entre as pós-graduações que mais são feitas. O destaque deste ano vai para o significativo aumento de profissionais com pós voltadas especificamente para Business Intelligence e Métricas.
  17. 17. PRÁTICAS PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL
  18. 18. Quais são os objetivos de comunicação que as mídias sociais melhor atingem? Considerando os principais 14 objetivos de comunicação definidos pelo CEACOM-USP, na opinião dos entrevistados os 5 mais alcançados são: estabelecer interação, dar conhecimento, criar interesse, gerar disseminação e garantir identificação. Os objetivos sinalizados seguem exatamente a mesma ordem da pesquisa de 2013, mostrando a consistência das opiniões do público acerca dos objetivos.
  19. 19. 50% dos respondentes trabalham a maior parte do tempo ou exclusivamente com as habilidades citadas. A cada ano esse percentual aumenta; em 2012 a amostra era de 39,60% e em 2013 de 49,1%. Isso mostra que, apesar de muitos profissionais de social media desempenharem diversas funções, está cada vez mais comum vê-los utilizando mais tempo em atividades de inteligência. Os profissionais trabalham somente com métricas, monitoramento e/ou social analytics?
  20. 20. Quais softwares/ferramentas de métricas, monitoramento e social analytics utilizam? Diversas ferramentas de métricas, monitoramento e social analytics são utilizadas. Neste ano, ao todo, foram mencionadas 148, sendo que as que estão no gráfico foram as 30 mais representativas. 2014 foi o ano em que mais ferramentas foram mencionadas; em 2012 e 2013 foram listadas 119 e 102, respectivamente. Em média, os profissionais usam pelo menos 4 ferramentas. Esse dado comprova que não existe uma que supra todas as necessidades do profissional. Algumas novidades surgiram na pesquisa deste ano: Twitter Analytics, Mention, TalkWalker e Netbase.
  21. 21. Web e social analytics RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA: Dentre as ferramentas citadas anteriormente, essas 10 podem ser consideradas como sendo de web e/ou social analytics, pois são focadas em apresentar dados quantitativos e métricas sobre canais de mídias sociais e propriedades da marca. As ferramentas são heterogêneas e a grande maioria das citadas pelos participantes mescla diversas funções. Neste gráfico não estão inclusas ferramentas focadas em gestão (como o TweetDeck) e processamento de dados (como o Excel).
  22. 22. Web e social analytics RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA E PAÍS DE ORIGEM: 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º ANALYTICS Dentre as ferramentas de web e social analytics mais usadas, nenhuma é brasileira. Há uma hegemonia de ferramentas norte-americanas. República Tcheca e França aparecem representando Social Bakers (3ª colocada) e Iconosquare (4ª colocada), respectivamente.
  23. 23. 1º 3º Web e social analytics RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA E REGIÃO: SUDESTE SUL NORDESTE NORTE CENTRO-OESTE ANALYTICS ANALYTICS ANALYTICS *Algumas ferramentas receberam a mesma quantidade de votos. Nesses casos elas foram colocadas na mesma posição. 2º
  24. 24. Monitoramento RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA: Dentre as ferramentas citadas anteriormente, as 19 principais de monitoramento pleno são essas, pois permitem busca, coleta, armazenamento, classificação, produção de visualizações e relatórios de menções de usuários à marcas ou termos específicos.
  25. 25. Monitoramento RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA E PAÍS DE ORIGEM: Dentre as ferramentas de monitoramento mais usadas, cinco são brasileiras e quatro estão no TOP 5 - cenário bem diferente do que foi visto nas ferramentas de web e social analytics, que são dominadas pelos EUA. EUA ocupam a segunda posição no recorte por país com duas ferramentas: Radian 6 (4ª colocada) e NetBase (9ª colocada). Inglaterra (6ª colocada), Luxemburgo (7ª colocada) e Canadá (8ª colocada) também aparecem nas 10 mais usadas. 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º
  26. 26. 1º 2º 3º Monitoramento RECORTE POR TIPO DE FERRAMENTA E REGIÃO: SUDESTE SUL NORDESTE NORTE CENTRO-OESTE *Algumas ferramentas receberam a mesma quantidade de votos. Nesses casos elas foram colocadas na mesma posição.
  27. 27. O que as ferramentas que utilizam poderiam ter para melhorar o trabalho, mas ainda não tem? Por ser um mercado muito mutável, diversas ferramentas fazem upgrades constantes para melhorar e facilitar o dia a dia do profissional. Mas quais upgrades os usuários acham mais necessários? Segundo a pesquisa, 39% acham que as melhorias mais necessárias são as que envolvem integração, data visualização e interface. Em primeiro lugar, “Integração” entre ferramentas deve melhorar para 15% dos profissionais. “Customização de dashboards / Report” e “Visualização / Interface” aparecem em seguida.
  28. 28. MERCADO PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL
  29. 29. Quais blogs/portais/fóruns/grupos os profissionais usam como referência? Por ser um mercado muito novo, muitos profissionais recorrem a meios alternativos de estudo e busca de referências/cases. Essas são as principais fontes de informação do mercado: os blogs do Scup, Mashable e Brainstorm9. Das 10 referências mais citadas, metade são focadas em métricas, monitoramento e social analytics: blogs do Scup, Tarcizio Silva, Social Figures, Raquel Recuero e o maior grupo focado no tema no Facebook, o Entusiastas - Monitoramento e Métricas. O fato de 5 das 10 fontes mais citadas não terem foco no segmento, mostra como o mercado carece de referências da área. DENTRE AS 331 REFERÊNCIAS CITADAS, ESSAS FORAM AS 10 MAIS: 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º brainstorm9.com.br mashable.com proxxima.com.br tarciziosilva.com.br socialfigures.com.br/blog adnews.com.br facebook.com/groups/entusiasta.metricas meioemensagem.com.br raquelrecuero.com ideas.scup.com
  30. 30. Quais blogs/portais/fóruns/grupos os profissionais usam como referência? 1º 2º 3º RECORTE POR REGIÃO: SUDESTE SUL NORDESTE NORTE CENTRO-OESTE *Algumas referências receberam a mesma quantidade de votos. Nesses casos elas foram colocadas na mesma posição.
  31. 31. Quais profissionais/palestrantes/professores têm como referência? Brasileiros e estrangeiros (apenas 10% dos mencionados) foram citados pelos respondentes como sendo “referências da área” no Brasil, sendo que 3 deles se destacaram de forma significativa em relação aos outros: Tarcízio Silva (Gerente de Produto da Social Figures), Martha Gabriel (Coordenadora do MBA em Marketing da HSM) e Mariana Oliveira (Gerente de Business Intelligence & Social Listening da Riot). Todos deste TOP 10 têm uma característica em comum: são produtores de conteúdo. DENTRE AS 294 REFERÊNCIAS CITADAS, ESSAS FORAM AS 10 MAIS: 1º 2º 3º 4º 5º TARCIZIO SILVA Social Figures MARIANA OLIVEIRA Riot GABRIEL ISHIDA DP6 MARTHA GABRIEL HSM Educação RAQUEL RECUERO UcPel 6º 7º 8º 9º 10º IAN BLACK New Vegas PRISCILA MUNIZ Gauge JÚNIOR SIRI SapientNitro EDNEY SOUZA Boo-Box DANIELE RODRIGUES Movimento
  32. 32. 1º 2º 3º RECORTE POR REGIÃO: SUDESTE SUL NORDESTE NORTE CENTRO-OESTE Quais profissionais/palestrantes/professores têm como referência? *Algumas referências receberam a mesma quantidade de votos. Nesses casos elas foram colocadas na mesma posição.
  33. 33. 1º 2º 3º RECORTE POR REGIÃO: SUDESTE SUL NORDESTE NORTE CENTRO-OESTE Quais profissionais/palestrantes/professores têm como referência? Apesar de não estarem entre os 10 profissionais mais mencionados do Brasil, José Calazans (Temple Comunicação) e Marcelo Minutti (MSLGROUP) aparecem no “recorte por região”, ocupando a 2ª posição do ranking Norte e Centro-Oeste, respectivamente. *Algumas referências receberam a mesma quantidade de votos. Nesses casos elas foram colocadas na mesma posição.
  34. 34. Qual a faixa salarial dos profissionais? Repetindo o resultado da pesquisa de 2013, a remuneração mais comum no mercado é de R$ 1.001,00 a R$ 2.000,00 mensais e a faixa salarial predominante vai dos R$ 1.001,00 aos R$ 4.000,00 - essa faixa representa 61% do total de respondentes. Uma surpresa nesta questão foi o grande aumento de profissionais que ganham mais de R$ 6.000,00 mensais. Em relação aos últimos anos, houve um aumento de 12 pontos percentuais. O crescimento de profissionais com especialização/MBA e mestrado pode justificar a presença representativa dessa faixa salarial.
  35. 35. Qual a faixa salarial dos profissionais? RECORTE POR GÊNERO: Apesar do eixo totalizar 25%, os valores de cada gênero somam 100%. No total, a pesquisa contou com 51% de mulheres e 49% de homens. Até 1 mil 1 a 2 mil 2 a 3 mil 3 a 4 mil 4 a 5 mil 5 a 6 mil Mais de 6 mil GÊNERO PREDOMINANTE: Mulher Mulher Mulher Mulher Mulher Homem Homem
  36. 36. Qual a faixa salarial dos profissionais? RECORTE POR REGIÃO: Apesar do eixo totalizar 45%, os valores de cada região somam 100%. Até 1 mil 1 a 2 mil 2 a 3 mil 3 a 4 mil 4 a 5 mil 5 a 6 mil Mais de 6 mil Nordeste Nordeste Centro-Oeste Norte Sudeste Sudeste Sudeste REGIÃO PREDOMINANTE:
  37. 37. Qual a faixa salarial dos profissionais? RECORTE POR ESCOLARIDADE: Ensino médio Graduação Especialização/MBA Mestrado Doutorado FAIXA SALARIAL PREDOMINANTE: 1 a 2 mil 1 a 2 mil 3 a 4 mil Mais de 6 mil Mais de 6 mil
  38. 38. DESTAQUES
  39. 39. X X X Por serem as cidades mais populosas e que mais contribuem com o PIB (Produto Interno Bruto), é natural que São Paulo e Rio de Janeiro concentrem os maiores clientes do Brasil e, consequentemente, boa parte da mão-de-obra. No entanto, é importante perceber que, apesar da área ser centralizada nesse eixo, a cada ano é possível encontrar profissionais em mais estados. Neste ano, pessoas de 85% dos estados brasileiros responderam a pesquisa; a)
  40. 40. X X X b) a) Por serem as cidades mais populosas e que mais contribuem com o PIB (Produto Interno Bruto), é natural que São Paulo e Rio de Janeiro concentrem os maiores clientes do Brasil e, consequentemente, boa parte da mão-de-obra. No entanto, é importante perceber que, apesar da área ser centralizada nesse eixo, a cada ano é possível encontrar profissionais em mais estados. Neste ano, pessoas de 85% dos estados brasileiros responderam a pesquisa; A fatia de pessoas que saíram da graduação foi de 19 pontos percentuais, enquanto que a de especialização/MBA e mestrado cresceu 18 pontos percentuais. Essa equivalência mostra que os profissionais não estão parando na graduação e sim se encaminhando para pós-graduações. Essa movimentação acompanha o aumento de cursos específicos para áreas relacionadas a este mercado;
  41. 41. X X X Quando comparada a nacionalidade das ferramentas, é visto que as de métricas e social analytics são exclusivamente internacionais, enquanto que as de monitoramento são lideradas por brasileiras. Isso deve acontecer por causa de limitações de idioma e da estratégia de comunicação das ferramentas estrangeiras, que não se promovem muito no Brasil; A fatia de pessoas que saíram da graduação foi de 19 pontos percentuais, enquanto que a de especialização/MBA e mestrado cresceu 18 pontos percentuais. Essa equivalência mostra que os profissionais não estão parando na graduação e sim se encaminhando para pós-graduações. Essa movimentação acompanha o aumento de cursos específicos para áreas relacionadas a este mercado; c) b) a) Por serem as cidades mais populosas e que mais contribuem com o PIB (Produto Interno Bruto), é natural que São Paulo e Rio de Janeiro concentrem os maiores clientes do Brasil e, consequentemente, boa parte da mão-de-obra. No entanto, é importante perceber que, apesar da área ser centralizada nesse eixo, a cada ano é possível encontrar profissionais em mais estados. Neste ano, pessoas de 85% dos estados brasileiros responderam a pesquisa;
  42. 42. X X X Quando comparada a nacionalidade das ferramentas, é visto que as de métricas e social analytics são exclusivamente internacionais, enquanto que as de monitoramento são lideradas por brasileiras. Isso deve acontecer por causa de limitações de idioma e da estratégia de comunicação das ferramentas estrangeiras, que não se promovem muito no Brasil; No TOP 3 de ferramentas por região, nenhuma PAGA de métricas e social analytics apareceu nas regiões nordeste e norte. É provável que isso aconteça por limitações de verba existentes na região; d) c) b) a) Por serem as cidades mais populosas e que mais contribuem com o PIB (Produto Interno Bruto), é natural que São Paulo e Rio de Janeiro concentrem os maiores clientes do Brasil e, consequentemente, boa parte da mão-de-obra. No entanto, é importante perceber que, apesar da área ser centralizada nesse eixo, a cada ano é possível encontrar profissionais em mais estados. Neste ano, pessoas de 85% dos estados brasileiros responderam a pesquisa; A fatia de pessoas que saíram da graduação foi de 19 pontos percentuais, enquanto que a de especialização/MBA e mestrado cresceu 18 pontos percentuais. Essa equivalência mostra que os profissionais não estão parando na graduação e sim se encaminhando para pós-graduações. Essa movimentação acompanha o aumento de cursos específicos para áreas relacionadas a este mercado;
  43. 43. X X X Facebook Insights e Social Bakers continuam reforçando a importância que o mercado brasileiro dá ao Facebook. Mas é notável como ferramentas de social analytics voltadas para o Instagram e Twitter (com o recente surgimento do Twitter Analytics) cresceram; o aumento do uso dessas ferramentas é reflexo da desvalorização do Facebook - devido a diminuição do alcance orgânico - e a valorização do Instagram e do Twitter, que teve o seu “conteúdo realtime” enaltecido com eventos importantes do ano: Copa do Mundo e Eleições; e)
  44. 44. X X X A hegemonia do Scup reforça que é uma das melhores ferramentas de monitoramento do mercado brasileiro. Nos últimos 3 anos ela foi mencionada pelo menos três vez mais que a segunda colocada, o Seekr. Quando visto o recorte por região, a hegemonia se reforça, pois o Scup lidera o mercado de ferramentas de monitoramento em todas as regiões do Brasil. f) Facebook Insights e Social Bakers continuam reforçando a importância que o mercado brasileiro dá ao Facebook. Mas é notável como ferramentas de social analytics voltadas para o Instagram e Twitter (com o recente surgimento do Twitter Analytics) cresceram; o aumento do uso dessas ferramentas é reflexo da desvalorização do Facebook - devido a diminuição do alcance orgânico - e a valorização do Instagram e do Twitter, que teve o seu “conteúdo realtime” enaltecido com eventos importantes do ano: Copa do Mundo e Eleições; e)
  45. 45. X X X Sobre as melhorias nas ferramentas, foi possível identificar, através de uma pergunta aberta, upgrades que melhorariam o trabalho dos profissionais: 1. Integração - que foi algo reforçado pela média de ferramentas que os profissionais precisam usar, que é de 4; 2. Customização de dashboards/report - que mostra a importância de “dar liberdade” para que os profissionais customizem reports de acordo com as necessidades de cada cliente. g) A hegemonia do Scup reforça que é uma das melhores ferramentas de monitoramento do mercado brasileiro. Nos últimos 3 anos ela foi mencionada pelo menos três vez mais que a segunda colocada, o Seekr. Quando visto o recorte por região, a hegemonia se reforça, pois o Scup lidera o mercado de ferramentas de monitoramento em todas as regiões do Brasil. f) Facebook Insights e Social Bakers continuam reforçando a importância que o mercado brasileiro dá ao Facebook. Mas é notável como ferramentas de social analytics voltadas para o Instagram e Twitter (com o recente surgimento do Twitter Analytics) cresceram; o aumento do uso dessas ferramentas é reflexo da desvalorização do Facebook - devido a diminuição do alcance orgânico - e a valorização do Instagram e do Twitter, que teve o seu “conteúdo realtime” enaltecido com eventos importantes do ano: Copa do Mundo e Eleições; e)
  46. 46. X X X h) Quando observadas as referências de estudo (blogs/portais/fóruns/grupos) e pessoas do mercado para seguir (profissionais/palestrantes/professores), é vista uma heterogeneidade nos dois contextos, pois aparecem referências que compreendem a comunicação digital como um todo e poucas com foco nas áreas descritas na pesquisa. Isso mostra que o mercado carece de especialistas. Um outro ponto a se observar é que, tanto no contexto acima como no de ferramentas de monitoramento, a hegemonia brasileira é algo evidente. Em blogs/portais/fóruns/grupos, apenas o Mashable aparece no TOP 10; em profissionais/palestrantes/professores, o estrangeiro mais próximo do TOP 10 é o Avinash Kaushik (Google), que ocupou a 16ª posição no ranking; em ferramentas de monitoramento, aparece o Radian6, mas em 4ª posição. Esses dados mostram que, se tratando de métricas, monitoramento e social analytics, é notória a relevância do mercado brasileiro.
  47. 47. X X X A distribuição salarial apresentou avanços. Antes, era difícil encontrar profissionais ganhando mais de R$ 4.000.00, enquanto que neste ano essa faixa representou 31% dos respondentes. A profissionalização do mercado e aumento da necessidade de cargos mais gerenciais pode ter acarretado na valorização salarial. i) h) Quando observadas as referências de estudo (blogs/portais/fóruns/grupos) e pessoas do mercado para seguir (profissionais/palestrantes/professores), é vista uma heterogeneidade nos dois contextos, pois aparecem referências que compreendem a comunicação digital como um todo e poucas com foco nas áreas descritas na pesquisa. Isso mostra que o mercado carece de especialistas. Um outro ponto a se observar é que, tanto no contexto acima como no de ferramentas de monitoramento, a hegemonia brasileira é algo evidente. Em blogs/portais/fóruns/grupos, apenas o Mashable aparece no TOP 10; em profissionais/palestrantes/professores, o estrangeiro mais próximo do TOP 10 é o Avinash Kaushik (Google), que ocupou a 16ª posição no ranking; em ferramentas de monitoramento, aparece o Radian6, mas em 4ª posição. Esses dados mostram que, se tratando de métricas, monitoramento e social analytics, é notória a relevância do mercado brasileiro.
  48. 48. PESQUISAS ANTERIORES 2011 2012 2013 PROFISSIONAL DE MÉTRICAS, MONITORAMENTO E SOCIAL ANALYTICS NO BRASIL bit.ly/1tc0yyS bit.ly/1xNDFbO bit.ly/1xZCCTN
  49. 49. br.linkedin.com/in/juniorsiri juniorsiri87@gmail.com

×