Segunda aula fundamentos ii

138 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
138
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Segunda aula fundamentos ii

  1. 1. IGREJA EM CÉLULAS NO MODELO DOS DOZE ESCOLA DE LÍDERES PLANOS DE AULAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS II PLANO DE AULA – 2a . aula 1. TEMA DE AULA – A Cruz do Nosso Senhor Jesus Cristo 2. TEXTOS BÍBLICOS 3. CONTEÚDO - Definição de cruz - Sinal e o símbolo da cruz - O poder da cruz - Os sete efeitos da cruz 4. OBJETIVOS DA AULA Ao final da aula, o aluno deverá: - Saber como apropriar-se do poder da cruz para suprimento de todas as suas necessidades 5. METODOLOGIA - Aula expositiva; - Perguntas; 6. RECURSOS - Bíblia; - Livro didático; - Caderno; 7. PROGRAMA PARA UMA HORA DE AULA 7.1. Momento de oração; 7.2. Quebra-gelo; 7.3. Palestra; 7.4. Ministração: Música “ 7.5. Atividades para a próxima aula - Leitura do livro: pp. 85-90; 8. AVALIAÇÃO: 8.1. Sondagem através de perguntas; 8.2. Participação dos alunos nas atividades;
  2. 2. 9. RESUMO DA MATÉRIA: “A Cruz do Nosso Senhor Jesus Cristo” I. INTRODUÇÃO 1. Definição de Cruz: É um instrumento de suplício pelos assírios, persas, fenícios, egípcios e gregos, e principalmente pelos romanos; Cruz latina Cruz de S. Antônio Cruz de S. André 2. O Sinal e o símbolo da cruz Todas as religiões e ideologias têm seu símbolo visual, que explica um aspecto importante de sua história ou crenças. Flor de loto: Usada no budismo, representa o círculo do nascimento e da morte, ou a emergência da beleza e da harmonia das águas turvas do caos. Estrela e escudo de Davi: Judaísmo Crescente ou meia-lua: Islamismo Cruz: Símbolo universal do cristianismo II. O PODER DA CRUZ 1. O poder da cruz é o fundamento da nossa justificação (Gl. 3:13); 2. O poder da cruz é o fundamento da nossa santificação (Gl. 2:20); 3. O poder da cruz permite a morte da nossa natureza caída (Gl.5:24); 4. O poder da cruz permite a morte do mundo para nós (Gl.6:14); 5. O poder da cruz permite a nossa morte para o mundo (Gl.6:14); 6. O poder da cruz permite que testemunhemos a respeito dela (Gl.3:1); 7. O poder da cruz é o motivo da nossa glória (Gl.6:14; I Co.2:2); 7.1. Todo o nosso mundo deve girar em torno da cruz de Cristo; 7.2. O poder da cruz deve significar para nós mais do que qualquer outra coisa; III. INIMIGOS DA CRUZ (Fp.3:18) São inimigos da cruz de Cristo os que se opõem ao poder que ela exerce na vida das pessoas. Essa oposição se expressa: 1. Através da justificação própria (em vez de buscá-la na cruz); 2. A auto-indulgência (em vez de tomar a cruz e seguir a Jesus); 3. O anúncio próprio (em vez de gloriar-se na cruz); IV. OS TRÊS TESTEMUNHOS DA CRUZ A cruz dá testemunho da: 1. A inocência de Jesus: O cordeiro deveria ser isento de pecado (Ex.12:5; Jo.19:4); 2. A submissão de Jesus: O cordeiro seria manso (Is.42:2; Is.53:7; Fp.2:8); 3.A vitória de Jesus: Após a morte, o Cordeiro traria o perdão (Is.42:4; 53:11; Fp.2:9-11)  T X
  3. 3. V. OS SETE EFEITOS DA CRUZ 1. Na cruz, o pecado é tirado (Hb.9:26); 2. Na cruz, a ira de Deus é satisfeita (Rm.5:9); 3. Na cruz, finda-se a nossa condenação (Rm.8:1); 4. Na cruz, toda a maldição é anulada (Gl.3:13-14); 5. Na cruz, a carne é vencida (Gl. 5:24); 6. Na cruz, a parede de separação é destruída (Ef.2:14-15); 7. Na cruz, o poder de Satanás e dominado (Hb.2:14); VI. A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS (Fp.2:5-11) A forma com que a pena de morte de Jesus foi executada foi um suplício de maldição e vergonha atroz; 1. Primeiro, Pilatos interroga a Jesus, e depois o entrega para ser crucificado; 2. Jesus é torturado e escarnecido pelos soldados: vestiram-no com um manto de púrpura, colocaram uma coroa de espinhos na sua cabeça e um cetro de caniço na sua mão direita. Vendaram os seus olhos, cuspiram-no, esbofetearam-no e pediam para que profetizasse sobre quem lhe tinha batido; 3. Jesus carregou a sua cruz para o lugar da execução; 4. Supõe-se que Jesus tenha caído sob o peso da cruz, pois Simão Cirineu foi constrangido a carregar a cruz de Jesus; 5. Quando chegaram ao Gólgota, ofereceram a Jesus vinho com mirra para atenuar a sua dor. Ele porém, provando, não quis beber 6. O local onde Jesus foi crucificado era um palco para zombarias e escárnios; 7. Primeiro, o sentenciado era despido e humilhado publicamente; 8. Era forçado a deitar-se de costas no chão. Suas mãos eram pregadas ou atadas ao braço horizontal da cruz, e, seus pés, ao poste vertical; 9. A cruz era então erguida e jogada num buraco escavado para ela, no chão. Em geral providenciava-se um pino ou assento rudimentar, a fim de receber um pouco do peso do corpo da vítima para que não se rasgasse ou caísse; 10.O crucificado ficava exposto à dor física, ao calor do sol, ao frio da noite, à febre, à sede, à zombaria do povo. A tortura durava vários dias, até que, moribundo, o crucificado morresse; VII. O QUE ACONTECEU NA CRUZ 1. A cruz não foi apenas o evento por meio do qual Jesus fora condenado e sacrificado, mas também foi o local de triunfo sobre os principados, potestades e dominadores (Cl.2:14-15); 2. Quando Adão e Eva pecaram, a morte tornou-se um ingrediente permanente na vida do homem, roubando-lhe o direito de viver eternamente com o seu Criador. A única maneira de satisfazer a honra de Deus era a morte do transgressor. Então, Deus se ofereceu para cumprir a sentença na pessoa de seu Filho Jesus, que colocou-se no lugar do homem 3. A cruz se levanta como um meio: - do homem reconciliar-se com Deus (IICo. 5:19); - do homem Ter paz com Deus (Rm.5:1); - para que o homem usufrua, novamente da comunhão como filho (Rm.8:15);

×