Estrutura Geológica do Planeta

1.066 visualizações

Publicada em

ggg

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.066
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
739
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrutura Geológica do Planeta

  1. 1. ESTRUTURA GEOLÓGICA DO PLANETA.
  2. 2. ERAS GEOLÓGICAS OU TEMPO GEOLÓGICO
  3. 3. ROCHAS • Rocha é um agregado sólido que ocorre naturalmente e é constituído por um ou mais minerais. A camada externa sólida da Terra, conhecida por litosfera, é constituída por rochas. O estudo científico das rochas é chamado de petrologia, um ramo da geologia. Os termos populares pedra e calhau se referem a pedaços soltos de rochas, ou fragmentos.
  4. 4. CROSTA TERRESTRE OU LITOSFERA • ROCHAS = MAGMÁTICAS INTRUSIVAS OU PLUTÔNICAS OU EXTRUSIVAS OU VULCÂNICAS.
  5. 5. SEDIMENTARES – CLÁSTICAS, QUÍMICAS E ORGÂNICAS. • CLÁSTICAS = COMPACTAÇÃO DE OUTRAS ROCHAS.
  6. 6. QUÍMICAS
  7. 7. ORGÂNICA
  8. 8. PETRÓLEO E CARVÃO MINERAL.
  9. 9. FORMAÇÕES CÁRSTICAS – CALCÁRIAS.
  10. 10. METAMÓRFICAS – diagenético – mudanças físicas e químicas. • METAMORFOSE = MUDANÇAS = AUMENTYO DE PRESSÃO E TEMPERATURA DAS ROCHAS. • ALTA DUREZA E DURABILIDADE.
  11. 11. DIVIDIDA EM PLACAS TECTÔNICAS.
  12. 12. CICLO DAS ROCHAS.
  13. 13. BRASIL • MAGMÁTICAS. • MACIÇO DE ITATIAIA – RJ • ILHA DE SEBASTIÃO – SP • MACIÇO DE POÇOS DE CALDAS – MG • BACIA DO PARANÁ – TERRA ROXA
  14. 14. 58% do território brasileiro é coberto por rochas sedimentares.
  15. 15. 8% vulcânica e 34% metamórfico.
  16. 16. MANTO
  17. 17. NÚCLEO – NÍQUEL E FERRO
  18. 18. MINÉRIO • Todas as rochas e minerais quando adquirem um valor econômico, passam a ser chamados de Minérios. • Brasil é detentor de uma infinidade de riquezas naturais: uma delas é o minério. O país destaca-se principalmente na produção de ferro, bauxita (alumínio), manganês e nióbio.
  19. 19. Minérios Encontrados no Brasil. FERRO • SERRA DOS CARAJÁS = PARÁ = M. EXTERNO • MACIÇO DO URUCUM = MS = M. INTERNO • QUADRILÁTERO FERRÍFERO = MG = M. INTERNO.
  20. 20. A teoria da Tectônica de Placas. • Antes de se entender a teoria mais aceita nos dias de hoje sobre a movimentação dos continentes (Tectônica de Placas), devemos analisar os estudos de um cientista alemão chamado Alfred Wegener, chamado de Deriva continental.
  21. 21. A DERIVA CONTINENTAL, em 1915. • Alfred Wegener foi pioneiro nos estudos sobre a separação dos continentes e a movimentação dos mesmos. Diversos foram os argumentos que Wegener teve, dentre eles: • Argumentos Morfológicos: Os continentes encaixam entre si como peças de um grande quebra cabeça, sendo mais evidente entre as costas atlânticas de África e América do Sul.
  22. 22. PANGEIA – LAURÁSIA E GONDWANA
  23. 23. A TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS, DE 1960. • A partir da década de 60 do século passado, alguns geólogos retomaram as inquietações de Wegener, e começaram a estudar a fundo a possível movimentação dos continentes. Até que descobriram que o fundo oceânico não é homogêneo, mas que existe formas de relevo submarino bastante diversificado. Dentre elas, uma cadeia montanhosa (Dorsal mesooceânica) bem no meio do oceâno Atlântico.
  24. 24. continuação • A conclusão de que os continentes realmente estão em deslocamento foi tirada quando foram feiras medições da idade das rochas do assoalho oceânico. Quanto mais próximas da dorsal, mais jovens eram as rochas, e tanto pra esquerda quanto pra direita, a idade delas amumentava.
  25. 25. O QUE CAUSA O MOVIMENTO DAS PLACAS. FLUXO DE MATERIAS.
  26. 26. PLACAS TECTONICAS
  27. 27. OS LIMITES DE PLACAS TECTÔNICAS • Todas as placas tectônicas possuem dinâmicas nas suas extremidades, ou limites. Como foi visto anteriormente, a placa Sulamericana vai aumentando e se locomovendo para a esquerda, na medida que a placa Africana se move para a direita.
  28. 28. LIMITES DIVERGENTES (ZONAS DE EXPANSÃO) • Um dos tipos de limites, são os divergentes, conforme já foi colocado sobre a dinâmica da expansão do assoalho oceânico das placas Sulamericana e Africana.
  29. 29. A Dorsal Meso-oceânica entre a América do Sul (esquerda) e África (direita)
  30. 30. LIMITES CONVERGENTES (ZONAS DE SUBDUCÇÃO)
  31. 31. A fossa submarina formada devido ao encontro da placa de Nazca com a Sul- Americana
  32. 32. LIMITES TRANSFORMANTES (TANGENCIAIS OU TRANSCORRENTES) • SAN ANDRES NOS EUA.
  33. 33. TECTONISMO – orogênese e epirogênese • Orogênese = geração de montanhas. • Podem está associados ao vulcanismo e aos falhamentos. • Montanhas Rochosas, Andes, Alpes e Himalaia. • Movimento horizontal, choque das placas. • Pode ser convergente, Andes ou divergente, Dorsais, ilhas, como Fernando de Noronha.
  34. 34. Continuação • Epirogênese = movimento vertical. • Transgressão e regressão marinha. • Formação dos continentes.
  35. 35. Consequências do choque das placas. • VULCANISMO • TERREMOTO • MAREMOTO (tsunami)
  36. 36. Estrutura do relevo • Bacias sedimentares
  37. 37. Escudos cristalinos
  38. 38. Dobramentos modernos
  39. 39. Formas de relevo • Planaltos, planícies, depressões e montanhas.
  40. 40. Agentes do relevo • Internos ou endógenos, responsáveis por transformar o relevo.
  41. 41. Agentes externos ou exógenos. • São modeladores do relevo. • Ação do vento ou eólica.
  42. 42. Ação das chuvas ou pluvial
  43. 43. Ação dos rios ou fluvial
  44. 44. Ação do mar ou marítimo ou abrasão
  45. 45. Ação antrópica

×