SlideShare uma empresa Scribd logo
Mobilismo Geológico

Bárbara Isabel Sousa Castanheira

Ano Lectivo: 2013/2014

Disciplina de: Biologia e Geologia
Mobilismo Geológico
• A

Terra

é

um

planeta

dinâmico,

que

se

encontra

em

constante

mudança.

- A maior parte dos processos geológicos, têm uma velocidade bastante lenta, para que
sejam notados pela humanidade.
Exemplo: Tectónica de placas
Teoria Da Deriva Continental
• A idade da mobilidade dos continentes,

nunca tinha surgido na cabeça de nenhum
cientista. No seculo XX, um cientista afirmou
que os continentes se deslocavam uns em
relação aos outros, como também já

estiveram unidos. Esse cientista foi Wegener.
• A deriva continental é uma teoria

uniformitarista, porque afirma que todos os
continentes, foram mudando de posição ao
longa da historia da Terra, um processo lento

e gradual.
Teoria Da Deriva Continental
• Wegener, enquanto observava um mapa, reparou

que a costa da América do Sul e da Africa se
juntavam, como peças de um puzzle. Conclui que:
• Os continentes teriam estados todos unidos num só

– Pangea – e rodeados por um único oceano –
Pantalassa.
• O continente ter-se-á fragmentado separando-se

ate ás posições que ocupam hoje.
Argumentos que apoiam o Mobilismo Geológico
• Wegener começou a reunir argumentos que convencem, para apoiar a sua teoria:
1.

Argumentos Morfológicos;

2.

Argumentos Paleontológicos;

3.

Argumentos Paleoclimaticos;

4.

Argumentos Geológicos.
Argumentos
Morfológicos
Wegener, baseou-se no contorno dos

continentes. Não poderia ser coincidência
tantos continentes encaixarem uns nos
outros.
• Foram os argumentos mais fortes, pois em

diferentes continentes, foram encontrados
fosseis da mesma espécie, que não dispunham
de meios de locomoção que lhes permitissem
percorrer distancias tão longas, como atravessar
um oceano. Fosseis como as trilobites,
glossopteries, mesossaurio, etc., provam, esta

ideia.

Argumentos
Paleontológicos
Argumentos
Paleoclimaticos
Wegener observou marcas das glaciações
que se estendem por vastas áreas, desde a
Oceânia, passando pela Ásia até à América

do Sul. Regiões na actualidade distantes e
com climas quentes.
Argumentos
Geológicos
Foram identificadas rochas do mesmo tipo

e com a mesma idade nalgumas zonas de
encaixe entre 2 continentes. Também as
montanhas parecem ter seguimento
noutros continentes.
Qual a força capaz
de fazer mover
massas tão grandes?
Correntes de Convecção
• Holmes propôs as correntes de convecção como

força responsável pelos movimentos da
litosfera.
• Segundo este modelo, os materiais do manto ao

serem aquecidos devido ao calor, tornam-se

menos densos e sobem em direcção à litosfera,
formando correntes ascendentes que ao
aproximarem-se da crosta arrefecem e tornamse mais densas e descem para zonas mais

quentes, reiniciando-se o ciclo.
Que novos
conhecimentos indicam
haver mobilidade da
superfície terrestre?
Conhecimento do Interior da Terra
• Admite-se que a Terra é constituída por três zonas concêntricas: crosta, manto e núcleo.
• Nestas zonas as propriedades físicas da Terra variam. A crosta e a zona superior do manto são

rígidas e formam a Litosfera que assenta numa zona pastosa do manto – a astenosfera.
Morfologia do fundo dos oceanos
• Foi durante a 2ºGuerra Mundial que novas tecnologias, como submarinos,

foram desenvolvidos, o que deu um empurrão á Teoria da Deriva Continental.
• Utilizaram-se sonares para detectar submarinos de guerra, mas acabaram

também por fazer um levantamento do fundo oceânico, que até então se
suponha liso e sem irregularidades. Esta tecnologia veio provar o contrário.
Veio provar que o fundo oceânico é irregular, com zonas planas, grandes

pressões e cadeias montanhosas.
…

Plataforma

continental

-

Dorsal

médio-oceânica

–

Planície

abissal

–

região

prolongamento submerso da

cadeia montanhosa alinhada

plana situada de um e de

região litoral

de um e de outro lado do

outro lado da dorsal médio-

rifte.

oceânica

Talude continental – Declive

acentuado que se segue à
plataforma continental

Fossa – depressão profunda

Rifte – Fenda enorme no
fundo oceânico, entrecortada
transversalmente
milhares de outras fendas

por

e

alongada

paralela

fundo

muitas

oceânico,

no

vezes

ao

continentes

bordo

dos
Datação dos sedimentos e das rochas
• As sondagens realizadas no fundo dos oceanos

possibilitaram a datação dos sedimentos e das
rochas. As rochas mais recentes são junto aos rifts
e as mais antigas ás margens continentais. As
rochas que se situam em lados opostos do rifte,

mas que se encontram situadas à mesma distância
deste, têm a mesma idade.
Expansão dos Fundos Oceânicos
• Podemos concluir que á medida que nova crosta oceânica vai

sendo formada a partir do rifte, a crosta oceânica mais antiga vaise afastando simetricamente para um e outro lado da dorsal.
• A expansão do fundo oceânico é responsável pela alteração das

posições dos continentes.
Tectónica de Placas
• A litosfera não é continua, estando dividida em vastas porções , denominadas placas litosféricas, que

deslizam sobre astenosfera (camada plástica) por ação de correntes de convecção.
• Os geólogos verificam que:

- Ao nível das placas mais elevadas, as placas afastam-se umas das outras;
- Ao nível das placas com mais pressão, as placas chocam umas com as outras;
-Há placas que nem se afastam, nem se aproximam, deslizam umas pelas outras.
…
• Definem-se 3 tipos de limites:
1. Limites Convergentes;
2. Limites Divergentes;
3. Limites Conservativos.
Limites Convergentes
• Verifica-se destruição de placas litosféricas. Nos limites convergentes, o movimento relativo

entre duas placas faz com que elas se choquem uma com a outra, sendo destruídas.
Encontrámos este tipo de limite ao nível das fossas oceânicas conhecidas como zonas de
subducção.
…
• O choque entre uma placa oceânica (+densa)

e uma placa continental (-densa), leva á
subducção e destruição da placa mais densa
(placa oceânica).
• Os limites convergentes estão associados a

grandes sismos, vulcões e formação de
montanhas.
Limites Divergentes
• Neste tipo de limites as placas afastam-se umas das outras, sendo rapidamente ocupadas por magma

que ascende e arrefece quando atinge a superfície, formando nova litosfera.
• Este tipo de limites encontra-se ao nível das dorsais oceânicas, que geralmente têm um vale chamado

rifte, onde há ascensão de material. Nas zonas de rifte estão associados fenómenos vulcânicos que
permitem explicar a expansão dos fundos oceânicos.
Limites Conservativos
• Neste limite, uma placa desliza horizontalmente ao longo da outra, onde não se verifica

destruição ou alastramento de placas, mas apenas verificamos que deslizam uma em relação
á outra. Estas placas transformam rochas em novas rochas. Neste locais são constantes
sismos.
Influência da
Tectónica de Placas
A mobilidade das placas litosféricas não influencia

apenas a morfologia do planeta ou a deriva dos
continentes. Os fenómenos geológicos como a
separação dos continentes provocaram ao longo do
tempo alterações ambientais que influenciaram actual
distribuição geográfica das diferentes especies de
seres vivos. A separação dos continentes originou
alterações no clima. Isto levou ao isolamento

reprodutivo das populações.
Webgrafia:
• http://www.notapositiva.com/pt/trbestbs/geologia/10_mobilismo_geologico_d.htm

Novembro de 2013

2 de

• http://cienciasdavidaedaterra25.blogspot.pt/2011/10/o-mobilismo-geologico-as-placas-e-

os.html 2 de Novembro de 2013

• http://www.scribd.com/doc/71695296/Resumo-10%C2%BA-Ano-Mobilismo-Geologico 2 de

Novembro de 2013

• http://bgeseg10c.blogspot.pt/2010/10/mobilismo-geologico.html 2 de Novembro de 2013
• http://portefolio-geologia-biologia.webnode.pt/o-mobilismo-geologico-as-placas-tectonicas-e-os-

seus-movimentos/ 3 de Novembro de 2013

• http://portfolio-eli.webnode.pt/news/o-mobilismo-geologico-as-placas-tectonicas-e-os-seus-

movimentos/ 3 de Novembro de 2013

• http://outrafacedaterra.blogspot.pt/2010/03/mobilismo-geologico.html 12 de Novembro de 2013

• http://biozarco.files.wordpress.com/2010/12/dinc3aamica-interna-da-terra_b.pdf 12 de

Novembro de 2013
Webgrafia:
• http://www.educacao.te.pt/jovem/index.jsp?p=117&idArtigo=298 13 de Novembro de

2013

• http://espacociencias.com/site/ciencias-7o-ano/dinamica-interna-da-

terra/morfologia-fundo-oceanos/ 13 de Novembro de 2013

• http://www.infopedia.pt/$morfologia-dos-fundos-oceanicos 13 de Novembro de 2013

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Terra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudançaTerra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudança
Isabel Lopes
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Gabriela Bruno
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
Ana Castro
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
Isabel Lopes
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
Hugo Martins
 
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º AnoSubsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
_Nunomartins_
 
Geologia 10 vulcanismo
Geologia 10   vulcanismoGeologia 10   vulcanismo
Geologia 10 vulcanismo
Nuno Correia
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
Gabriela Bruno
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
margaridabt
 
Testes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºanoTestes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºano
sandranascimento
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Isabel Lopes
 
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ana Castro
 
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Rita Pereira
 
Vulcanologia
VulcanologiaVulcanologia
Vulcanologia
Gabriela Bruno
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
Tânia Reis
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
Tânia Reis
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
Cláudia Moura
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
margaridabt
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
José Luís Alves
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares

Mais procurados (20)

Terra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudançaTerra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudança
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
 
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º AnoSubsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
Subsistemas Terrestres - Geologia 10º Ano
 
Geologia 10 vulcanismo
Geologia 10   vulcanismoGeologia 10   vulcanismo
Geologia 10 vulcanismo
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
 
Testes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºanoTestes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºano
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
 
Ondas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidadesOndas sísmicas e descontinuidades
Ondas sísmicas e descontinuidades
 
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
 
Vulcanologia
VulcanologiaVulcanologia
Vulcanologia
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
Descontinuidades Internas
Descontinuidades InternasDescontinuidades Internas
Descontinuidades Internas
 
Vulcanismo
VulcanismoVulcanismo
Vulcanismo
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 

Destaque

BioGeo10-rochas
BioGeo10-rochasBioGeo10-rochas
BioGeo10-rochas
Rita Rainho
 
Origem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos PlanetasOrigem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos Planetas
Rita Galrito
 
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio GeológicoPrincípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Tânia Reis
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
Nuno Correia
 
Geologia 10 raciocínio geológico
Geologia 10   raciocínio geológicoGeologia 10   raciocínio geológico
Geologia 10 raciocínio geológico
Nuno Correia
 
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhasderiva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
Tiago Pengui
 
BioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológicoBioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológico
Rita Rainho
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
Tânia Reis
 

Destaque (8)

BioGeo10-rochas
BioGeo10-rochasBioGeo10-rochas
BioGeo10-rochas
 
Origem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos PlanetasOrigem do Sol e dos Planetas
Origem do Sol e dos Planetas
 
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio GeológicoPrincípios Básicos do Raciocínio Geológico
Princípios Básicos do Raciocínio Geológico
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 1)
 
Geologia 10 raciocínio geológico
Geologia 10   raciocínio geológicoGeologia 10   raciocínio geológico
Geologia 10 raciocínio geológico
 
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhasderiva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
deriva continental, tectonica de placas e dobras e falhas
 
BioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológicoBioGeo10-mobilismo geológico
BioGeo10-mobilismo geológico
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
 

Semelhante a Mobilismo Geológico

odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptxodis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
julianapalma2008
 
Resumo 3º módulo
Resumo 3º móduloResumo 3º módulo
CN: A tectonica de placas
CN: A tectonica de placasCN: A tectonica de placas
CN: A tectonica de placas
nelsonesim
 
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptxDerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
mariagrave
 
Terra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudançaTerra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudança
joanabreu
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
cleiton denez
 
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
Gabriela Bruno
 
Deriva continental
Deriva continentalDeriva continental
Deriva continental
Mario Lopes
 
Estrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevoEstrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevo
Diana Lima
 
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
Alessandra Carvalho
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020
CecliaGuise
 
Ctic7 d1 d4
Ctic7 d1 d4Ctic7 d1 d4
Ctic7 d1 d4
xanapat
 
Deriva Continental
Deriva Continental Deriva Continental
Deriva Continental
Amanda Patricio
 
Margens oceanicass
Margens oceanicassMargens oceanicass
Margens oceanicass
Guachaarmando Paulo
 
Dinâmica da litosfera
Dinâmica da litosferaDinâmica da litosfera
Dinâmica da litosfera
Abner de Paula
 
Ap 4 a terra, um planeta em mudança
Ap 4   a terra, um planeta em mudançaAp 4   a terra, um planeta em mudança
Ap 4 a terra, um planeta em mudança
essg
 
Separação dos continentes
Separação dos continentes Separação dos continentes
Separação dos continentes
ruivaz1994
 
Deriva dos continentes e tectonica de placas
Deriva dos continentes e tectonica de placasDeriva dos continentes e tectonica de placas
Deriva dos continentes e tectonica de placas
Bruna Arriscado
 
Tectonica global - Geologia
Tectonica global - GeologiaTectonica global - Geologia
Tectonica global - Geologia
Diego Leite
 
Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação
Francisca Santos
 

Semelhante a Mobilismo Geológico (20)

odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptxodis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
odis10_ppt_raciocinio_geologico_tectonica_placas.pptx
 
Resumo 3º módulo
Resumo 3º móduloResumo 3º módulo
Resumo 3º módulo
 
CN: A tectonica de placas
CN: A tectonica de placasCN: A tectonica de placas
CN: A tectonica de placas
 
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptxDerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
 
Terra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudançaTerra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudança
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
 
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
Deriva Continental vs Tectónica de Placas....
 
Deriva continental
Deriva continentalDeriva continental
Deriva continental
 
Estrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevoEstrutura geológica e relevo
Estrutura geológica e relevo
 
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020
 
Ctic7 d1 d4
Ctic7 d1 d4Ctic7 d1 d4
Ctic7 d1 d4
 
Deriva Continental
Deriva Continental Deriva Continental
Deriva Continental
 
Margens oceanicass
Margens oceanicassMargens oceanicass
Margens oceanicass
 
Dinâmica da litosfera
Dinâmica da litosferaDinâmica da litosfera
Dinâmica da litosfera
 
Ap 4 a terra, um planeta em mudança
Ap 4   a terra, um planeta em mudançaAp 4   a terra, um planeta em mudança
Ap 4 a terra, um planeta em mudança
 
Separação dos continentes
Separação dos continentes Separação dos continentes
Separação dos continentes
 
Deriva dos continentes e tectonica de placas
Deriva dos continentes e tectonica de placasDeriva dos continentes e tectonica de placas
Deriva dos continentes e tectonica de placas
 
Tectonica global - Geologia
Tectonica global - GeologiaTectonica global - Geologia
Tectonica global - Geologia
 
Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação
 

Último

Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 

Mobilismo Geológico

  • 1. Mobilismo Geológico Bárbara Isabel Sousa Castanheira Ano Lectivo: 2013/2014 Disciplina de: Biologia e Geologia
  • 2. Mobilismo Geológico • A Terra é um planeta dinâmico, que se encontra em constante mudança. - A maior parte dos processos geológicos, têm uma velocidade bastante lenta, para que sejam notados pela humanidade. Exemplo: Tectónica de placas
  • 3. Teoria Da Deriva Continental • A idade da mobilidade dos continentes, nunca tinha surgido na cabeça de nenhum cientista. No seculo XX, um cientista afirmou que os continentes se deslocavam uns em relação aos outros, como também já estiveram unidos. Esse cientista foi Wegener. • A deriva continental é uma teoria uniformitarista, porque afirma que todos os continentes, foram mudando de posição ao longa da historia da Terra, um processo lento e gradual.
  • 4. Teoria Da Deriva Continental • Wegener, enquanto observava um mapa, reparou que a costa da América do Sul e da Africa se juntavam, como peças de um puzzle. Conclui que: • Os continentes teriam estados todos unidos num só – Pangea – e rodeados por um único oceano – Pantalassa. • O continente ter-se-á fragmentado separando-se ate ás posições que ocupam hoje.
  • 5. Argumentos que apoiam o Mobilismo Geológico • Wegener começou a reunir argumentos que convencem, para apoiar a sua teoria: 1. Argumentos Morfológicos; 2. Argumentos Paleontológicos; 3. Argumentos Paleoclimaticos; 4. Argumentos Geológicos.
  • 6. Argumentos Morfológicos Wegener, baseou-se no contorno dos continentes. Não poderia ser coincidência tantos continentes encaixarem uns nos outros.
  • 7. • Foram os argumentos mais fortes, pois em diferentes continentes, foram encontrados fosseis da mesma espécie, que não dispunham de meios de locomoção que lhes permitissem percorrer distancias tão longas, como atravessar um oceano. Fosseis como as trilobites, glossopteries, mesossaurio, etc., provam, esta ideia. Argumentos Paleontológicos
  • 8. Argumentos Paleoclimaticos Wegener observou marcas das glaciações que se estendem por vastas áreas, desde a Oceânia, passando pela Ásia até à América do Sul. Regiões na actualidade distantes e com climas quentes.
  • 9. Argumentos Geológicos Foram identificadas rochas do mesmo tipo e com a mesma idade nalgumas zonas de encaixe entre 2 continentes. Também as montanhas parecem ter seguimento noutros continentes.
  • 10. Qual a força capaz de fazer mover massas tão grandes?
  • 11. Correntes de Convecção • Holmes propôs as correntes de convecção como força responsável pelos movimentos da litosfera. • Segundo este modelo, os materiais do manto ao serem aquecidos devido ao calor, tornam-se menos densos e sobem em direcção à litosfera, formando correntes ascendentes que ao aproximarem-se da crosta arrefecem e tornamse mais densas e descem para zonas mais quentes, reiniciando-se o ciclo.
  • 12. Que novos conhecimentos indicam haver mobilidade da superfície terrestre?
  • 13. Conhecimento do Interior da Terra • Admite-se que a Terra é constituída por três zonas concêntricas: crosta, manto e núcleo. • Nestas zonas as propriedades físicas da Terra variam. A crosta e a zona superior do manto são rígidas e formam a Litosfera que assenta numa zona pastosa do manto – a astenosfera.
  • 14. Morfologia do fundo dos oceanos • Foi durante a 2ºGuerra Mundial que novas tecnologias, como submarinos, foram desenvolvidos, o que deu um empurrão á Teoria da Deriva Continental. • Utilizaram-se sonares para detectar submarinos de guerra, mas acabaram também por fazer um levantamento do fundo oceânico, que até então se suponha liso e sem irregularidades. Esta tecnologia veio provar o contrário. Veio provar que o fundo oceânico é irregular, com zonas planas, grandes pressões e cadeias montanhosas.
  • 15. … Plataforma continental - Dorsal médio-oceânica – Planície abissal – região prolongamento submerso da cadeia montanhosa alinhada plana situada de um e de região litoral de um e de outro lado do outro lado da dorsal médio- rifte. oceânica Talude continental – Declive acentuado que se segue à plataforma continental Fossa – depressão profunda Rifte – Fenda enorme no fundo oceânico, entrecortada transversalmente milhares de outras fendas por e alongada paralela fundo muitas oceânico, no vezes ao continentes bordo dos
  • 16. Datação dos sedimentos e das rochas • As sondagens realizadas no fundo dos oceanos possibilitaram a datação dos sedimentos e das rochas. As rochas mais recentes são junto aos rifts e as mais antigas ás margens continentais. As rochas que se situam em lados opostos do rifte, mas que se encontram situadas à mesma distância deste, têm a mesma idade.
  • 17. Expansão dos Fundos Oceânicos • Podemos concluir que á medida que nova crosta oceânica vai sendo formada a partir do rifte, a crosta oceânica mais antiga vaise afastando simetricamente para um e outro lado da dorsal. • A expansão do fundo oceânico é responsável pela alteração das posições dos continentes.
  • 18. Tectónica de Placas • A litosfera não é continua, estando dividida em vastas porções , denominadas placas litosféricas, que deslizam sobre astenosfera (camada plástica) por ação de correntes de convecção. • Os geólogos verificam que: - Ao nível das placas mais elevadas, as placas afastam-se umas das outras; - Ao nível das placas com mais pressão, as placas chocam umas com as outras; -Há placas que nem se afastam, nem se aproximam, deslizam umas pelas outras.
  • 19. … • Definem-se 3 tipos de limites: 1. Limites Convergentes; 2. Limites Divergentes; 3. Limites Conservativos.
  • 20. Limites Convergentes • Verifica-se destruição de placas litosféricas. Nos limites convergentes, o movimento relativo entre duas placas faz com que elas se choquem uma com a outra, sendo destruídas. Encontrámos este tipo de limite ao nível das fossas oceânicas conhecidas como zonas de subducção.
  • 21. … • O choque entre uma placa oceânica (+densa) e uma placa continental (-densa), leva á subducção e destruição da placa mais densa (placa oceânica). • Os limites convergentes estão associados a grandes sismos, vulcões e formação de montanhas.
  • 22. Limites Divergentes • Neste tipo de limites as placas afastam-se umas das outras, sendo rapidamente ocupadas por magma que ascende e arrefece quando atinge a superfície, formando nova litosfera. • Este tipo de limites encontra-se ao nível das dorsais oceânicas, que geralmente têm um vale chamado rifte, onde há ascensão de material. Nas zonas de rifte estão associados fenómenos vulcânicos que permitem explicar a expansão dos fundos oceânicos.
  • 23. Limites Conservativos • Neste limite, uma placa desliza horizontalmente ao longo da outra, onde não se verifica destruição ou alastramento de placas, mas apenas verificamos que deslizam uma em relação á outra. Estas placas transformam rochas em novas rochas. Neste locais são constantes sismos.
  • 24. Influência da Tectónica de Placas A mobilidade das placas litosféricas não influencia apenas a morfologia do planeta ou a deriva dos continentes. Os fenómenos geológicos como a separação dos continentes provocaram ao longo do tempo alterações ambientais que influenciaram actual distribuição geográfica das diferentes especies de seres vivos. A separação dos continentes originou alterações no clima. Isto levou ao isolamento reprodutivo das populações.
  • 25. Webgrafia: • http://www.notapositiva.com/pt/trbestbs/geologia/10_mobilismo_geologico_d.htm Novembro de 2013 2 de • http://cienciasdavidaedaterra25.blogspot.pt/2011/10/o-mobilismo-geologico-as-placas-e- os.html 2 de Novembro de 2013 • http://www.scribd.com/doc/71695296/Resumo-10%C2%BA-Ano-Mobilismo-Geologico 2 de Novembro de 2013 • http://bgeseg10c.blogspot.pt/2010/10/mobilismo-geologico.html 2 de Novembro de 2013 • http://portefolio-geologia-biologia.webnode.pt/o-mobilismo-geologico-as-placas-tectonicas-e-os- seus-movimentos/ 3 de Novembro de 2013 • http://portfolio-eli.webnode.pt/news/o-mobilismo-geologico-as-placas-tectonicas-e-os-seus- movimentos/ 3 de Novembro de 2013 • http://outrafacedaterra.blogspot.pt/2010/03/mobilismo-geologico.html 12 de Novembro de 2013 • http://biozarco.files.wordpress.com/2010/12/dinc3aamica-interna-da-terra_b.pdf 12 de Novembro de 2013
  • 26. Webgrafia: • http://www.educacao.te.pt/jovem/index.jsp?p=117&idArtigo=298 13 de Novembro de 2013 • http://espacociencias.com/site/ciencias-7o-ano/dinamica-interna-da- terra/morfologia-fundo-oceanos/ 13 de Novembro de 2013 • http://www.infopedia.pt/$morfologia-dos-fundos-oceanicos 13 de Novembro de 2013