São recursos que tornam as mensagens
que emitimos mais expressivas.
Subdividem-se em figuras de som, figuras
de palavras, ...
Observe:
1) Fernanda acordou às sete horas,
Renata às nove horas, Paula às dez e
meia.
2) "Quando Deus fecha uma porta, ab...
Exemplo 1: há o uso de uma construção sintética ao
deixar subentendido, na segunda e na terceira frase, um
termo citado an...
Aliteração
Figura que consiste na repetição de consoantes, cujo intento é promover a
intensificação do ritmo ou produzir u...
Assonância
Tal figura se caracteriza pela repetição de sons vocálicos em sílabas tônicas de palavras
distintas ou naquelas...
Paronomásia
Caracteriza-se pela reprodução de sons semelhantes em palavras
com significados distintos. Eis alguns exemplos...
Onomatopeia
Consiste no emprego de uma palavra ou de um grupo de
palavras no intuito de imitar os sons da realidade.
Const...
O que são figuras de linguagem   figuras de som
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O que são figuras de linguagem figuras de som

339 visualizações

Publicada em

Figuras de linguagem, figuras de som.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que são figuras de linguagem figuras de som

  1. 1. São recursos que tornam as mensagens que emitimos mais expressivas. Subdividem-se em figuras de som, figuras de palavras, figuras de pensamento e figuras de construção.
  2. 2. Observe: 1) Fernanda acordou às sete horas, Renata às nove horas, Paula às dez e meia. 2) "Quando Deus fecha uma porta, abre uma janela.“ 3) Seus olhos eram luzes brilhantes. Nos exemplos acima, temos três tipos distintos de figuras de linguagem.
  3. 3. Exemplo 1: há o uso de uma construção sintética ao deixar subentendido, na segunda e na terceira frase, um termo citado anteriormente - o verbo acordar. Repare que a segunda e a última frase do primeiro exemplo devem ser entendidas da seguinte forma: "Renata acordou às nove horas, Paula acordou às dez e meia. Dessa forma, temos uma figura de construção ou de sintaxe. Exemplo 2: a ideia principal do ditado reside num jogo conceitual entre as palavras fecha e abre, que possuem significados opostos. Temos, assim, uma figura de pensamento. Exemplo 3: a força expressiva da frase está na associação entre os elementos olhos e luzes brilhantes. Essa associação nos permite uma transferência de significados a ponto de usarmos "olhos" por "luzes brilhantes". Temos, então, uma figura de palavra.
  4. 4. Aliteração Figura que consiste na repetição de consoantes, cujo intento é promover a intensificação do ritmo ou produzir um efeito sonoro significativo. Vejamos um exemplo: Violões que choram [...] Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpias dos violões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. [...] Cruz e Souza Constatamos que a repetição do fonema sonoro /v/ nos remete à ideia relacionada ao sussurro do vento.
  5. 5. Assonância Tal figura se caracteriza pela repetição de sons vocálicos em sílabas tônicas de palavras distintas ou naquelas contidas numa mesma frase, cujo intuito é provocar efeitos de estilo. Constatemos alguns exemplos: Antífona Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas! Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Cruz e Souza Notamos que as vogais “o”, “a” e “e” se repetem constantemente em todos os versos. Nesse exemplo, podemos perceber a combinação de ambas as figuras (assonância e aliteração). Observe: Um sonho Na messe, que enlourece, estremece a quermesse... O sol, celestial girassol, esmorece... E as cantilenas de serenos sons amenos Fogem fluidas, fluindo a fina flor dos fenos... [...] Eugênio de Castro
  6. 6. Paronomásia Caracteriza-se pela reprodução de sons semelhantes em palavras com significados distintos. Eis alguns exemplos: Aquela cativa Aquela cativa que me tem cativo, porque nela vivo já não quer que viva. [...] Luís de Camões Qualquer coisa [...] Berro pelo aterro Pelo desterro Berro por seu berro Pelo seu erro [...] Caetano Veloso
  7. 7. Onomatopeia Consiste no emprego de uma palavra ou de um grupo de palavras no intuito de imitar os sons da realidade. Constatemos, pois: Ode triunfal À dolorosa luz das grandes lâmpadas eléctricas da fábrica Tenho febre e escrevo. Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto, Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos. Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno! [...] Álvaro de Campos – heterônimo de Fernando Pessoa Fonte: Vânia Duarte Graduada em Letras

×