Exame Neurológico: Tipos de Afasia

30.714 visualizações

Publicada em

Dr. Rafael Higashi, médico neurologista, explica os tipos de afasia.
www.estimulacaoneurologica.com.br

Publicada em: Saúde e medicina
4 comentários
29 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
30.714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
386
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
419
Comentários
4
Gostaram
29
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exame Neurológico: Tipos de Afasia

  1. 1. AFASIAS E LOBO CEREBRAIS Dr. Rafael Higashi Médico neurologista www.estimulacaoneurologica.com.br www.estiEwwwmulacaoneurologica.com.br www.estimulacaoneurologica.com.br
  2. 2. O CÓRTEX HUMANO <ul><li>Área sensória primária </li></ul><ul><li>Área motora primária </li></ul><ul><li>Córtex de associação: </li></ul><ul><li>áreas secundárias + terciária </li></ul><ul><li>Cognição </li></ul><ul><li>Emoção </li></ul><ul><li>Comportamento </li></ul>< 10 % > 80 %
  3. 3. ORGANIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CEREBRAL DA LINGUAGEM <ul><li>Lobo temporal: </li></ul><ul><li>Recepção e decodificação de estímulos auditivos </li></ul><ul><li>Processamento complexo da informação auditiva </li></ul><ul><li>parte posterior: coordenada com os impulsos visuais </li></ul><ul><li>anterior: coordenada com a atividade motora visceral (olfação e gustação) </li></ul>
  4. 4. ORGANIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CEREBRAL DA LINGUAGEM <ul><li>Lobo occipital: </li></ul><ul><li>Recepção e integração visual </li></ul><ul><li>Feixe de fibras integradoras intra-hemisféricas: </li></ul><ul><li>Com lobo parietal (movimento) </li></ul><ul><li>Com lobo temporal (formas e cores); </li></ul><ul><li>Lobo parietal: </li></ul><ul><li>Interpretação e integração de informações visuais, auditivas, somatosensoriais (tato). </li></ul><ul><li>Área semântica do cérebro (área terciária) </li></ul><ul><li>Responsável pela síntese da informação, conhecimento geral, interpretação de relações espaciais (visuoespaciais e visuomotoras) </li></ul>
  5. 5. ORGANIZAÇÃO E PROCESSAMENTO CEREBRAL DA LINGUAGEM <ul><li>Lobo frontal: </li></ul><ul><li>Pré-frontal: Funções mentais superiores, comportamento e conduta ativa do homem. Intenção, iniciativa e planejamento da fala. </li></ul><ul><li>Córtex motor: Córtex pré-motor responsável pela iniciação, ativação e realização da atividade motora. Execução da fala. </li></ul>
  6. 7. DISTÚRBIOS DA COGNIÇÃO : <ul><li>Afasia </li></ul><ul><li>Apraxia </li></ul><ul><li>Agnosia </li></ul><ul><li>Distúrbio da memória </li></ul><ul><li>Disfunção executiva </li></ul><ul><li>Distúrbio visoespacial </li></ul>
  7. 8. ETIOLOGIAS <ul><li>Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC/AVE) </li></ul><ul><li>Traumatismos Crânio Encefálicos (TCE) </li></ul><ul><li>Aneurismas </li></ul><ul><li>Tumores ( sintomas variáveis, alterações motoras, de linguagem, cognição e crises epiléticas ) </li></ul><ul><li>Distúrbios tóxicos (álcool, drogas) </li></ul><ul><li>Infecções </li></ul><ul><li>Associação com quadros neurológicos de caráter progressivo </li></ul><ul><li>quadros demenciais: </li></ul><ul><li>atrofia cortical – Demência de Alzheimer)) </li></ul><ul><li>atrofias focais - degeneração lobar fronto-temporal) </li></ul><ul><li>afasia progressiva primária </li></ul><ul><li>demências </li></ul>
  8. 9. AFASIA: <ul><li>Perda ou deterioração da linguagem adquirida por dano cerebral. </li></ul><ul><li>(Perkin, 1998) </li></ul>
  9. 12. AFASIA DE WERNICKE <ul><li>Lesão em giro superior/posterior do lobo temporal esquerdo; </li></ul><ul><li>Artéria cerebral média divisão inferior; </li></ul><ul><li>Compreensão oral e escrita alteradas; </li></ul><ul><li>Parafasias e/ou Jargão; </li></ul><ul><li>Fala com muitas palavras de função e poucos substantivos e verbos; </li></ul><ul><li>Quadrantopsia superior e hemianopsia; </li></ul><ul><li>Diagnóstico diferencial com quadros psiquiátricos como mania e esquizofrenia; </li></ul>
  10. 13. ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA
  11. 14. AFASIA TRANCORTICAL SENSITIVA <ul><li>Lesão em região têmporo-parietal: </li></ul><ul><li>Zona de transição entre artéria cerebral posterior e artéria cerebral média; </li></ul><ul><li>Compreensão prejudicada; </li></ul><ul><li>Fluência preservada; </li></ul><ul><li>Diagnóstico diferencial com Wernicke: repetição preservada; </li></ul><ul><li>Associação com hemioanopsias; </li></ul>
  12. 15. AFASIA DE BROCA <ul><li>Lesão na área de Broca (posterior, inferior em hemisfério dominante para linguagem - H.E.); </li></ul><ul><li>Artéria cerebral média (divisão superior) </li></ul><ul><li>Agramatismo (alteração morfossintática); </li></ul><ul><li>Usualmente associada à disartria espástica; </li></ul><ul><li>Compreensão da leitura preservada; </li></ul><ul><li>Insight preservado; </li></ul><ul><li>Déficits neurológicos adicionais comum; </li></ul><ul><li>Campo visual intacto; </li></ul>
  13. 16. ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA
  14. 17. AFASIA TRANSCORTICAL MOTORA <ul><li>Lesão em área frontal; </li></ul><ul><li>Zona de transição entre a artéria cerebral média ou artéria cerebral anterior; </li></ul><ul><li>Paciente sem iniciativa comunicativa; </li></ul><ul><li>Diagnóstico diferencial com Broca: repetição preservada; </li></ul>
  15. 18. AFASIA GLOBAL <ul><li>Lesão que envolvem as áreas de Broca à Wernicke; </li></ul><ul><li>Artéria cerebral média (antes da ramificação); </li></ul><ul><li>Fala não fluente; </li></ul><ul><li>Compreensão oral e escrita alteradas; </li></ul><ul><li>Nomeação e repetição prejudicadas; </li></ul><ul><li>Lesões neurológicas associadas mais graves; </li></ul>
  16. 20. AFASIA DE CONDUÇÃO <ul><li>Lesão nos feixes arqueados entre Broca e Wernicke ; </li></ul><ul><li>Lesão na artéria cerebral média (bifurcação); </li></ul><ul><li>Dificuldade para repetição ; </li></ul><ul><li>Fala fluente; </li></ul><ul><li>Compreensão e fluência preservadas; </li></ul><ul><li>Nomeação prejudicadas; </li></ul><ul><li>Realização de parafasias; </li></ul><ul><li>Ocasionalmente pacientes com Wernicke evoluem para esse quadro; </li></ul>
  17. 22. AFASIA ANÔMICA <ul><li>Lesão em qualquer área de linguagem do H.E.; </li></ul><ul><li>Também chamada de síndrome da disfunção mínima da linguagem; </li></ul><ul><li>Articulação, compreensão, fluência e repetição preservados; </li></ul><ul><li>Confrontação da nomeação, achado de palavras é alterado; </li></ul><ul><li>Fala enriquecida por palavras de funções e pobre em substantivos e verbos; </li></ul><ul><li>Alta frequência de circunlocunções e parafasias; </li></ul><ul><li>Mais comuns em pacientes com Encefalopatias Metabólicas, TCE e Doença de Alzheimer em estágio inicial; </li></ul>
  18. 23. CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS DA AFASIA : COMPREENSÃO REPETIÇÃO NOMEAÇÃO FLUÊNCIA Wernicke alterada alterada alterada preservada Broca preservada alterada alterada alterada Global alterada alterada alterada alterada Condução preservada alterada alterada preservada Transcortical motora preservada preservada alterada alterada Transcortical sensitiva alterada preservada alterada preservada Anômica preservada preservada alterada preservada
  19. 25. INFARTO WATERSHED CORTICAL
  20. 26. AFASIAS SUBCORTICAIS <ul><li>Causadas por lesões das conexões subcorticais da linguagem ex:estriado e tálamo; </li></ul><ul><li>Raramente enquadram-se num padrão específico; </li></ul><ul><li>Afasia anômica acompanhada por disartria e afasia fluente com hemiparesia são sugestivas deste tipo de afasia; </li></ul><ul><li>Dividem- se em: talâmicas (semelhantes à trancortical motora) e não talâmicas(variáveis em função das estruturas acometidas e da relação córtico-subcórtico); </li></ul>
  21. 27. ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA
  22. 28. APRAXIA <ul><li>Caracteriza-se por uma alteração da atividade gestual, que impossibilitam que o indivíduo obedeça a comandos motores apesar de compreenderem-nos. </li></ul><ul><li>Para que a definição de apraxia seja válida, é necessário que os órgãos executores estejam intactos. </li></ul><ul><li>(Perkin,1998) </li></ul>
  23. 29. APRAXIA IDEOMOTORA <ul><li>Lesão na área frontal e/ou pré- frontal: </li></ul><ul><li>Representação simbólica do movimento (sem o objeto); </li></ul><ul><li>Via Bilateral; </li></ul><ul><li>Fala com esforço (estereotipias, perseverações, repetições, ensaio e erro, não consegue falar a palavra); </li></ul><ul><li>Lesão na área parietal: </li></ul><ul><li>Representação simbólicado movimento (sem o objeto) ; </li></ul><ul><li>Bilateral; </li></ul><ul><li>Não acha o ponto articulatório (perda da memória tátil cinestésica) </li></ul><ul><li>Dificuldade maior com a sílaba inicial; </li></ul>
  24. 30. APRAXIA IDEATÓRIA <ul><li>Por lesão na área frontal: </li></ul><ul><li>Não planeja a ação e/ou não organiza; </li></ul><ul><li>Representação do movimento concreto (com o objeto ) </li></ul><ul><li>Unilateral; </li></ul><ul><li>Por lesão na área parietal: </li></ul><ul><li>Perde a memória tátil cinestésica (ex:não lembra o movimento de pinça); </li></ul><ul><li>Representação do movimento concreto (com o objeto ); </li></ul><ul><li>Unilateral; </li></ul>
  25. 31. VIAS MOTORAS DOS MOVIMENTOS ESPECIALIZADOS
  26. 32. BIBLIOGRAFIA <ul><li>MURDOCH, B.E.. Desenvolvimento da fala e distúrbios da linguagem: Uma abordagem Neuroanatômica e Neurofisiológica. Rio de Janeiro: Revinter,1997. </li></ul><ul><li>BRAUNWALD, FAUCI, KASPER et al . Harrinson: Princípios da medicina interna . Volume 1 capítulo 25 pgs 140 – 147. Mcgraw-hill, 2001. </li></ul><ul><li>PERKIN. Atlas mosby em cores e teste de Neurologia. São Paulo: Manole, 1998. </li></ul><ul><li>Wilson P. L. Propedêutica neurológica básica. São Paulo: Atheneu, 2000. </li></ul><ul><li>Porto, C.C. Semiologia médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997 </li></ul><ul><li>Drumond, C. Apostila de disciplina teórica. Rio de Janeiro, 2004. </li></ul>
  27. 33. Obrigado a todos ! www.estimulacaoneurologica.com.br

×