AULA 05 - DICAS DE REDAÇÃO - DETALHES QUE FARÃO DIFERENÇA NA SUA REDAÇÃO

7.238 visualizações

Publicada em

Material produzido pela Professora Sílvia Cláudia Marques Lima

Publicada em: Educação
7 comentários
22 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
547
Comentários
7
Gostaram
22
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AULA 05 - DICAS DE REDAÇÃO - DETALHES QUE FARÃO DIFERENÇA NA SUA REDAÇÃO

  1. 1. Profª. Sílvia Cláudia Marques LimaDETALHES QUEFARÃO ADIFERENÇA EM SUAREDAÇÃO
  2. 2. 1ª. ABREVIAÇÕES Escreva as palavras por extenso. As abreviações são consideradasincorretas. Portanto, não use abreviações quando no corpo do textode sua redação.ERRADO CERTOP/, C/, tá, pra, qndo Para, com, está, para, quandoProf., edif., pop Professor, edifício, populaçãoFone, cine Telefone, cinema
  3. 3. 2ª. ACENTOS Coloque-os com clareza e corretamente, e não simples traçosdisplicentes (em pé ou deitados). O acento grave (crase),levemente voltado para a esquerda; o agudo, levemente inclinadopara a direita. Tanto o acento grave, quanto o agudo e o circunflexo, devem sercolocados bem próximos das respectivas letras e bem centralizados(e não distantes e de lado). O acento não pode ser um risquinho qualquer, torto, deformado,ilegível. Tem que ser escrito de maneira correta, clara e precisa. Faça-os de tamanho normal, nem demasiado grandes, nemdemasiado pequenos.
  4. 4. 3ª. AMBIGUIDADE Evite frases ambíguas (confusas) ou de duplo sentido. Ocorrem emconsequência da má pontuação ou da má colocação das palavras. A ambiguidade deve ser evitada com a utilização de termos queexpressem clara e objetivamente o que se pretende mostrar.
  5. 5. FRASES AMBÍGUAS CORRIJA ASEXPRESSÕESGRIFADAS PARAOUAlice saiu com sua irmã. a irmã dela a irmã de uma amigaVi José beijando sua namorada. a namorada dele a namorada de um amigoUm ladrão foi preso em sua casa. na casa dele na casa da vítimaJoão ficou com Mariana em suacasa.na casa dela na casa delePintaram o quarto da casa em quedurmo.no qual durmo na qual durmo
  6. 6. 4ª. ANULADAA redação poderá ser anulada, ou receber nota zero, se: Estiver ilegível. Fugir do assunto. For escrita a lápis. For escrita com rasuras e sem título. For apresentada sob a forma de verso. Não obedecer ao espaço e ao número de parágrafos determinados. Não seguir as instruções relativas ao tema escolhido. Tiver menos ou mais linhas do que a quantidade preestabelecida. Contiver cópias das ideias do texto de motivação, quando estefor dado.
  7. 7. 5ª. ASPECTO VISUAL Qualidade da letra, margem, espaços entre as palavras,,legibilidade,, limpeza, pontuação, facilidade de leitura,parágrafos (espaços), períodos (se não deixou períodoslongos).
  8. 8. 6ª. BARBARISMO OU ESTRANGEIRISMO É a utilização de palavras ou construções estranhas à línguaportuguesa. Evite usá-lo.ESTRANGEIRISMOS PREFIRAShow espetáculoJeans calça de brim
  9. 9. 7ª. CACOFONIA OU CACÓFATO É o encontro de sílabas que formam palavras de sentido ridículo ouobsceno, com a produção de som desagradável.ORAÇÕES COM CACÓFATOS ESCREVA-AS ASSIMMeu coração por ti gela. Meu coração gela por ti.Vou-me já para casa. Já estou indo para casa.O noivo beijou a boca dela. O noivo beijou-a na boca.Nunca gaste dinheiro combobagens.Jamais gaste dinheiro combobagens.
  10. 10. 8ª. CALIGRAFIA Escreva com capricho e nitidez, procurando tornar sua grafia clara,uniforme e bem legível. Se possuir grafia ruim, faça de tudo para melhorá-la, porqueuma redação escrita com capricho e grafia bonita impressionafavoravelmente. Não invente traços novos nas letras e não enfeite demais asmaiúsculas, pois o leitor do texto pode não compreender o quevocê está escrevendo.
  11. 11. CLICHÊS E expressão idiomática que de tão utilizada, se torna previsível.Desgastou-se e perdeu o sentido ou se tornou algo que gera umareação ruim, algo cansativo, por ser previsível e repetitivo.• "Tem que sair de cabeça erguida"• "A maldade está nos olhos de quem vê
  12. 12. JARGÕES Expressões ou palavras comuns para um ou alguns gruposprofissionais. Ex. Para os advogados peticionar significa o que os leigosconhecem por entrar com a ação ou pedir para o juiz.
  13. 13. 9ª. FRASES FEITAS e MODISMOS Evite-os, pois empobrecem o texto e demonstram a ausência deoriginalidade, falta de imaginação e de bom gosto. A inflação galopante, rigoroso inquérito, vitória esmagadora,astro-rei. Caixinha de surpresas, nos píncaros da glória, encerrarcom chave de ouro, nos primórdios da humanidade. Não é fácil falar a respeito de… Bem, eu acho que… A esperança éa última que morre. …um dos problemas mais discutidos daatualidade.
  14. 14. 10ª. CLAREZA Redija frases curtas e, portanto, use ponto à vontade. Escreva com toda a simplicidade e clareza, sem embolar oassunto. Ser claro é ser coerente, conciso, não se contradizer. São inimigos da clareza: a desobediência às normas da língua, osperíodos longos e o vocabulário difícil, rebuscado ou impreciso. O segredo está em não deixar nada subentendido, nem imaginarque o leitor sabe o que se quer dizer. Evidencie todo o conteúdoda escrita. Lembre-se de que está dando uma opinião,desenvolvendo ideias, narrando um fato. O mais importante éfazer-se entender.
  15. 15. TEXTOS EMBOLADOS —CONFUSOSCORREÇÃOParticipei de um campeonato tireisegundo lugar em ping-pong eganhei medalha de prata.Participei de um campeonato de “ping-pong”, no qualtirei segundo lugar, tendo ganhado uma medalha deprata. NOTA: “Ping-pong”, entre aspas, por serestrangeirismo.Comemoramos o aniversário demeu pai que foi uma surpresa paraele, fizemos um churrasco commuitas bebidas.Comemoramos o aniversário de meu pai e, comosurpresa para ele, fizemos-lhe um churrasco commuitas bebidas.Na hora de ir embora nós fomos pelacanoa, a mesma começou abalançar, eu na ponta da canoafazendo a danada balançar, teve umavez que a canoa quase emborcava,eu tomei um choque.Na hora de voltarmos, viemos numa canoa quecomeçou a balançar, sendo que eu, que estava naponta da canoa, fi-la balançar mais ainda. Houve ummomento em que ela quase emborcava, quandotomei um grande susto.ATENÇÃO: “Tomar um choque” é receber umadescarga elétrica. Portanto, a expressão está usada
  16. 16. 11ª. COERÊNCIA A coerência entre todas as partes do texto constitui fator primordial para se escrever bem. Énecessário que elas formem um todo, ou seja, que estabeleçam uma ordem para as ideias,se completem e formem o corpo da narrativa. Explique, mostre as causas e asconsequências. Em muitas redações fica patente a falta de coerência. O candidato apresenta um argumentoe o contradiz mais adiante. As ideias contidas no texto devem estar interligadas de maneiralógica. O vestibulando não pode expor uma opinião no início do texto e desmenti-la no final.Deve-se ter cuidado redobrado para não se cometer esse tipo de erro. Em vestibular da FUVEST, o candidato saiu-se com a seguinte frase: “...a palidez do soltropical refletia nas águas do rio Amazonas”. Convenhamos que o sol tropical pode seracusado de muitas coisas, menos de palidez. O riso provocado pela leitura do texto poético éderivado de um caso de incoerência no uso da imagem.
  17. 17. 12ª. COESÃO A ausência de coesão provoca a redundância. Com relações semânticas discordantes; Contradição lógica entre as partes do texto; Relações semânticas ilógicas provocadas por frases de nonsense; Termos redundantes ou circulares EX: Hoje dezoito anos. Como uma data pode mudar tanto a vidade uma pessoa, apesar que quando a situação aperta pedimosconselhos aos nossos tutores; Em lugar de: Comprei sorvetes. Dei os sorvetes a meus filhos.Deve-se usar: Comprei sorvetes. Dei-os a meus filhos.
  18. 18. 13ª. COLOQUIALISMO Uso da língua na forma como é falada, ou seja, é uma armadilha para oaluno o emprego de termos coloquiais, gíria e jargão. Expressões coloquiais somente são aceitas na reprodução dediálogos. Isso não significa que o texto tenha de ser empolado, dedifícil entendimento. Evite usar as expressões: só que, que nem, é o seguinte, etc.
  19. 19. 14ª. CONCISÃO Elimine palavras ou expressões desnecessárias. Escreva com clareza e, na medida do possível, diga muito com poucaspalavras. Concisão, clareza, coesão e elegância: palavras-chaves que definemum texto competente num exame vestibular. Seja claro, preciso, direto, objetivo e conciso. Use frases curtas e eviteintercalações excessivas ou ordens inversas desnecessárias. O aluno deve expressar o pensamento com o menor número depalavras possível. Aquilo que é desnecessário deve ser eliminado. Aconcisão dá ênfase ao estilo. O prolixo prejudica e enfraquece o texto,além de tirar o brilho de suas ideias.
  20. 20. EM VEZ DE EMPREGUE...neste momento nósacreditamos....acredita-se.Travar uma discussão. Discutir.
  21. 21. 15ª. CONCLUSÃO Não conclua sua redação, jamais, com as seguintes terminologias:concluindo, em resumo, nada mais havendo, poderia ter feitomelhor, como o tempo foi curto, etc. Termine-a, sim, com conclusões consistentes (e não com evasivas).
  22. 22. 16ª. CONCORDÂNCIA Cuidado para não cometer erros gramaticais, como de concordância. Lembre-se de que o verbo sempre concordará com o sujeito e osnomes devem estar concordando entre si.ERRADO CERTOFalta cinco alunos. Faltam cinco alunos.Fazem dez dias que não chove. Faz dez dias que não chove.Minas férias começou. Minhas férias começaram. (plural, com plural,isto é, férias concordando com começaram).Os meninos saltavam descalço sobre aspoças d água da rua.Os meninos saltavam descalços sobre aspoças d água da rua.
  23. 23. 17ª. CONTEÚDO Um bom texto não é apenas o texto correto, sem erros gramaticais. Ele deve terconteúdo. O conteúdo não pode ser ridículo, nem infantil, mas deve ser simples. Faça sempre uma análise crítica do que escreveu, como, por exemplo, através dasseguintes perguntas: Sua redação é interessante? A leitura do texto é agradável?Tem boas ideias? O texto dá uma boa ideia daquilo que foi descrito? O texto está bemorganizado? Presume-se que o candidato prestes a ingressar numa universidade tenha certacultura. Assim sendo, não pode encarar o tema da redação de modo infantil ourasteiro. É por meio do conteúdo, especialmente, que o professor irá avaliar acapacidade ou o grau de conhecimento do aluno.
  24. 24. 18ª. DESENVOLVIMENTO Consiste no corpo da redação. No desenvolvimento, o alunodeverá discutir os argumentos apresentados na introdução. Em cada parágrafo, escreve-se sobre um argumento. Tenha sempre em mente que o examinador de sua dissertaçãolê bons jornais e revistas e tem bastante conhecimento geral,portanto não generalize.
  25. 25.  Evite radicalismos, ofensas pessoais, nacionalismos piegas e “achismos” (eu acho). O desenvolvimento é a parte mais importante em qualquer texto. É quando podemosaprofundar nas ideias que, por enquanto, foram apenas mencionadas na introdução. Os argumentos devem ser apresentados em função da ideia e organizados com clarezapara não confundir o leitor. Devemos ser cuidadosos para que o texto não se torne inconsistente e imaturo por faltade informação de nossa parte. Para isso, é preciso que nos ilustremos, lendo revistas,jornais e livros; assistindo a noticiários na televisão; frequentando o maior númeropossível de produções culturais a que tivermos acesso - teatro, “shows”, exposições, etc. Em qualquer uma dessas atividades, assuma uma posição crítica questionadora queresultará em análises objetivas e, consequentemente, em julgamentos coerentes.
  26. 26. 19ª. EMBROMAÇÃO É o famoso enche linguiça. Fica-se dando voltas no mesmo lugar,usando-se palavras vazias e embromatórias, ou seja, embromation.A vida, única e exclusivamente, é tão complexa que, apesar detudo, não obstante o que possam dizer, torna-se altamenteproblemática.
  27. 27. 20ª. ESPAÇOS ENTRE PALAVRAS Utilize espaços normais entre as palavras, de modo queestas se posicionem nem muito distanciadas nem muitopróximas umas das outras.
  28. 28. 21ª. ESQUEMA Antes de iniciar a redação (antes mesmo do rascunho), façaum esquema de um roteiro de ideias. O esquema é um mapa e um guia, que evitará desvios ouretrocessos quando da elaboração do texto. Esquematizar é planejar. É caminhar com os olhos abertos. Ésaber o terreno onde pisa. É dar à redação um destino, umsentido, um fim.
  29. 29. 22ª. ETC Evite escrever o termo “ETC”, pois, por ser incompleto pode soarcomo ausência de conhecimento do vestibulando acerca do assuntotratado.
  30. 30. 23ª. EUFEMISMO É o mesmo que suavização ou abrandamento. Trata-se do uso deuma expressão menos áspera, rude e chocante com relação a umarealidade.Ele deu seu último suspiro.Você faltou com a verdade a um homem.José desviou recursos dos cofres públicos.
  31. 31. 24ª. GENERALIZAR Evite empregar os seguintes vocábulos genéricos: coisa, dar, fazer,ninguém, nunca, sempre, ser, ter, todo mundo, qualquer, algo, etc. Em se tratando de dissertação, é sempre pecado mortal generalizarconceitos, pois acabam soando como preconceitos. Ideias muitoampliadas nada significam. Não generalize. Seja específico, utilize argumentos concretos, fatosimportantes. Uma redação repleta de generalizações demonstra falta decultura e de conhecimentos gerais de seu autor. Uma maneira prática parasolucionar o problema é a leitura de qualquer gênero, como jornais,revistas e livros. Assista a programas de reportagens, a filmes, adocumentários. Interesse-se pela cultura. Alimente sua inteligência.
  32. 32. GENERALIZAÇÕES QUE PECAM PELAIMPRECISÃOAs crianças são inocentes.Todo político é ladrão.Os velhos são sábios.
  33. 33. 25ª. GÍRIA As gírias consistem em um meio de expressão aceitável para algunstextos narrativos, em especial nos diálogos travados por algunspersonagens. Tornam-se, entretanto, completamente inadequadasquando usadas em uma dissertação. Jamais use gírias ou qualquer outra variação linguística que limite oentendimento do texto. Somente utilize gírias se o assunto e suas personagens exigirem nasituação apresentada. Com isso, poderá aumentar o realismo danarração.
  34. 34. FRASES COM GÍRIAS PREFIRAO marmanjo bolou um jeito maneiro de sepirulitar.O homem criou uma forma inteligente defugir da situação.O cara deve procurar sacar se a lei está comele ou não.O cidadão deve procurar certificar-se deque está agindo dentro da lei.Fiquei gamado naquele broto porque ela ébacana pra chuchu.Apaixonei-me por aquela garota, porqueela é muito simpática e atraente.O deputado pisou na bola e deu a maiorbandeira no seu depoimento.O deputado cometeu um erro e acabou secomprometendo no seu depoimento.
  35. 35. 26ª. GRAFIA Prefira as palavras de grafias fáceis (mais fáceis de seremescritas). Lembre-se de que a língua portuguesa é muito rica emsinônimos. Tome cuidado com a grafia de palavras que não conheça.Quando tiver dúvidas, consulte o dicionário. Se não for possível,substitua a palavra por outra cuja grafia você conheça bem.Portanto, descarte palavras de grafia duvidosa.
  36. 36. EM VEZ DE PREFIRAEscassa RaraNeném CriançaSucinto BreveExíguo PequenoExpor MostrarParcimoniosa EconômicaSubmissa ObedienteNódoa Mancha
  37. 37. 27ª. INTRODUÇÃO É o início da redação e deve conter um resumo, em poucaspinceladas, daquilo que abordaremos no restante do texto. A introdução precisa ser rápida. Evidentemente, nunca terá tamanhoigual ao do desenvolvimento. Em uma redação de 20 linhas, porexemplo, não deve exceder 4 linhas. A Introdução apresenta a ideia que será discutida nodesenvolvimento. É nessa parte que se dá ao leitor uma informaçãosobre o assunto que será tratado. Deve ser pequena, porque, se aalongarmos demais, correremos o risco de esgotarmos o assunto noprimeiro parágrafo.
  38. 38. PROCURE EVITAR, NA INTRODUÇÃO, FRASES COMO:Meu caro leitor,...Bem, atualmente, no mundo em que vivemos...Não tenho palavras para exprimir o que sinto, mas...Vou tentar falar sobre o tema, embora não seja fácil abordar este assunto.Sei que não sou a pessoa mais indicada para falar sobre esse assunto. Entretanto...Embora sabendo que a minha opinião é uma gota d’água no oceano, tentareiexterná-la.
  39. 39. 28ª. LETRAS DE FORMA OU DE IMPRENSA Não faça letra de forma, porque algumas letras de forma minúsculasparecem maiúsculas (como o “j”, por exemplo), o que poderáprejudicá-lo na correção de sua redação, tirando-lhe pontos preciosos. Quem usar letra de forma, em vestibular ou concurso, poderá ter suaprova anulada ou tirar nota 0 (zero). A letra de forma dificulta a distinção entre maiúsculas e minúsculas.Uma boa grafia - legível e sem floreios - e limpeza são fundamentais.Não se esqueça dos pingos (e não bolinhas) nos "i".
  40. 40. 29ª. LINHAS Não exceda o número de linhas pedidas como limites máximos emínimos. A tolerância máxima é de aproximadamente cinco linhas aquém oualém dos limites.
  41. 41. 30ª. NEOLOGISMOS O candidato a uma vaga nas universidades precisa fazer uso dalíngua portuguesa de maneira adequada e se utilizar de termossemanticamente precisos e corretos. Jamais escreva uma palavracujo sentido real não conheça. Norma culta não quer dizer termos sofisticados, mas palavrassimples e precisas no contexto da redação. Preciosismos (palavrascomplicadas)? Nem pensar! Portanto, nunca use os neologismos incultos do tipo “imexível”,“windsurfar”, “inconstitucionalizável”, etc.
  42. 42. 31ª. PARÁGRAFOS Utilize parágrafos diferentes para ideias (assuntos) diferentes. Uma redaçãosobre o carnaval atual, por exemplo, você poderá subdividi-la em trêsparágrafos, a saber:DIVISÃO DO TEXTOPRIMEIRO PARÁGRAFOCarnaval de clube, mencionando a grande beleza na sua decoração, a presença dedois conjuntos tocando, quando for o caso, para que o folião pule o tempo todo, semparar, com mais conforto, pelo fato de o ambiente ser fechado, etc.SEGUNDO PARÁGRAFOCarnaval de rua, dando especial destaque ao desfile dos blocos, das escolas desamba e aos trios elétricos.TERCEIRO PARÁGRAFOConclusão, citando a ressaca (o cansaço), o dinheiro gasto, as noites semdormir, etc.
  43. 43.  O texto deve ter parágrafos bem distribuídos, articulados e interligados umao outro coerentemente. Não construa parágrafos longos, constituídos de um só período composto,recheado de orações e de relações sintáticas. Não faça parágrafos muito curtos nem muito longos. O ideal seria quecontivessem, no mínimo, 4 linhas e, no máximo, 7 linhas. Não deixe parágrafos soltos. Faça uma ligação entre eles, pois a ausênciade elementos coesivos entre orações, períodos e parágrafos constitui errograve. Obedeça ao parágrafo ao iniciar a redação, isto é, não comece a escreverlogo no início da linha. O parágrafo é marcado por um ligeiro afastamentocom relação à margem esquerda da folha (três centímetrosaproximadamente). E sempre que houver outros parágrafos no decorrer daredação, siga o alinhamento do parágrafo inicial.
  44. 44. 32ª. PONTUAÇÃO Uma pontuação errada pode comprometer toda a assimilação doconteúdo textual. A pontuação existe para facilitar a leitura do texto. Distribua com harmonia e adequação as pausas ao longo da frase. Empregue a pontuação corretamente, pois uma simples vírgula, fora dolugar adequado, pode mudar profundamente o sentido da frase. A pontuação deve obedecer às regras gramaticais, o que pressupõeconhecimento de sintaxe e de morfossintaxe.
  45. 45. 33ª. PRIMEIRA PESSOA A redação deve ter caráter impessoal (3ª pessoa), evitando-se a 1ªpessoa. Não utilize a primeira pessoa em sua redação, principalmente quandofor determinado texto objetivo. Sua opinião deverá ser dada por umsujeito indeterminado. Evite expressões do tipo: “Na minha opinião”, “Ao meu ver”, etc. Em vez de: “Eu acho que a privatização deveria acontecer...”,escreva: “A privatização deve ocorrer...”
  46. 46. 34ª. PRONOME Cuidado com o emprego ambíguo dos pronomes seu, sua, dele, dela. Não comece frase com pronome. Evite usar pronomes a todo o momento. Não empregue pronomes pessoais do caso reto no lugar do pronomeoblíquo. Escreva sempre “julgá-lo”, nunca “julgar ele”.ERRADO CERTOMe dá Dá-meMe presenteou Presenteou-meLhe disse isso Disse-lhe isso
  47. 47. 35ª. PROVÉRBIO OU DITO POPULAR Não utilize provérbios, ditos populares, frases feitas, pois elesempobrecem a redação. Faz parecer que o autor não temcriatividade ao lançar mão de formas já gastas pelo uso frequente. Portanto, jamais utilize de expressões, como:A palavra é de prata e o silêncio de ouro.Quem com o ferro fere, com o ferro será ferido.Entretanto, como já diziam os sábios: depois da tempestade semprevem a bonança.
  48. 48. 36ª. QUEÍSMO É o uso excessivo do “que”, cuja consequência é produzir períodoslongos. Evite-o.ERRADO CERTOAquele que diz que faz que é forte eque tudo pode é que teme que sediga dele que é fraco e que nadapode.Quem diz ser forte e tudo poder temeque se revele sua fraqueza eimpotência.Este é o apartamento que comprei deJoão, que tinha outros seis imóveisque estavam todos à venda.Este é o apartamento que comprei deJoão, dono também de outros seisimóveis. Estavam todos à venda.
  49. 49. 37ª. RADICALISMO Não afirme o que não pode provar. Evite análises radicais e posições extremistas, injustas e levianas. Nada como um texto equilibrado. Posicione-se, mas sem exagero.Todos os deputados são corruptos.A bem da verdade, nem todos o são, não é mesmo?Esse tipo de gente merece ser exterminado.Radical demais, não lhe parece? E até grosseiro!
  50. 50. 38ª. RASCUNHO Para evitar rasuras no texto definitivo, releia o rascunho com muitaatenção. Não tenha preguiça nem pressa em passá-lo a limpo. O sucessodo seu texto depende, muitas vezes, de uma leitura atenta e cuidadosa dorascunho. Ao reler o rascunho, você se torna um leitor crítico do próprio texto.Revise-o com muita atenção: elimine, acrescente, substitua. Questione oseu texto. Esse trabalho irá, certamente, contribuir para a qualidade deseu texto definitivo. Jamais deixe de fazer o rascunho. Ele é a primeira versão do texto.Os escritores fazem várias versões de seus livros antes de publicá-los. Não seja você, um iniciante, a querer dispensá-lo. Nele há apossibilidade de melhorar sua redação, alterar palavras, construirmelhor os períodos, mudar a posição dos parágrafos, etc.
  51. 51. ERRA UMA VEZNunca cometo o mesmo erroDuas vezesjá cometo duas trêsQuatro cinco seisAté esse erro aprenderQue só o erro tem vez(Paulo Leminski)
  52. 52. “Corrijomuito meustextos”.(Drummond)
  53. 53. Para mim, o ato de escrever é muito difícil epenoso, tenho sempre de corrigir e reescrevervárias vezes. Basta dizer, como exemplo, queescrevi 1100 páginas datilografadas, dasquais aproveitei pouco mais de 300.FernandoSabino
  54. 54. A vida inteira corrigipara a imprensa, enunca houve muitotempo para corrigir.Mas corrigir sempremelhora. E corrigirquer dizer cortarpalavra ou outra emudar mais.Rubem Braga
  55. 55. 39ª. RASURAS, BORRÕES Não use borracha; Não apresente as questões desarrumadas e riscadas; Não faça rasuras, marcas, sinais e borrões no corpo da redação; Em caso de erro na redação já passada a limpo, risque o que estivererrado e escreva adiante de modo correto.
  56. 56. 40ª. RETICÊNCIAS Nas dissertações objetivas, evite as reticências. A clareza na exposiçãoé preferível a esperar que o leitor adivinhe o que você quis dizer. As reticências marcam uma interrupção da sequência lógica doenunciado, com a consequente suspensão da melodia. É utilizada parapermitir que o leitor complemente o pensamento suspenso. A língua escrita apresenta muitas diferenças em relação à língua falada.Observe como as reticências às vezes são utilizadas para criar o climade mistério: “era sexta-feira...”
  57. 57. 41ª. TEMA Leia o tema que vai desenvolver com atenção, analisando com profundidadeas ideias nele contidas. Fácil ou difícil, agradável ou não, o tema terá que ser enfrentado. A melhoratitude será recebê-lo com simpatia, disposição e otimismo. Redija utilizando argumentos fortes e consistentes. O floreio e o encherlingüiça nada acrescentam à qualidade do texto de uma redação. O tema é o assunto sobre o qual se escreve, ou seja, a ideia que serádefendida ao longo da dissertação. Deve tê-lo como um elemento abstrato.Nunca se refira a ele como parte do texto. Não fuja do tema proposto, nem invente títulos, escolhendo outro argumentocom o qual tenha maior afinidade. O distanciamento do assunto pode custarpontos importantes ao avaliar a redação.
  58. 58.  Não fugir do tema significa abordá-lo da maneira como foi proposto, isto é, nemrestringindo demais a abordagem nem extrapolando para assuntos que não tenhamrelação direta com ele. Se o seu objetivo é ser favorável à privatização das estradas, use argumentos sólidos quejustifiquem o porquê de sua posição. Tente convencer o leitor e mantenha clara a sua opção. Se o tema for “O clima do Brasil”, não adiantará fazer uma obra-prima versando sobre “Oclima de Minas Gerais”, porquanto o seu trabalho resultará inútil. Os corretores vãoconsiderar que houve fuga ao tema proposto. Sabe qual a nota que terá nesse caso? ZERO! Quais os temas que podem cair nas provas de Redação? A tendência das bancasexaminadoras têm sido solicitar dois tipos de temas: objetivos, os relacionados aosproblemas atuais, presentes na mídia (sociais, tecnológicos, econômicos, etc.); subjetivos,os que envolvem o comportamento e o sentimento das pessoas.
  59. 59. 42ª. TÍTULO Evite o uso das aspas no título; Evite iniciar a redação com as mesmas palavras do título; Os títulos devem ser escritos de forma resumida; Não há pontuação após o título, a não ser que seja frase ou citação; Coloque o título centralizado (no centro da folha), antes do início da redação; É uma expressão, geralmente curta e sem verbo, colocada antes dadissertação; Em títulos de redação, por questão de ênfase, usam-se iniciais maiúsculas;Não coloque a palavra título antes do TÍTULO nem o termo FIM ao terminar aredação. O óbvio não precisa ser explicado.
  60. 60. 43ª. VÍRGULA Coloque-a bem próxima da última letra da palavra (e não distante). Leia os bons autores e faça como eles: utilize a vírgula de modo preciso. Jamais coloque vírgula entre o sujeito e o verbo, nem entre o verbo e o seu complemento. A leitura intensiva fará com que se aprimore o uso da vírgula. É o sinal de pontuação mais importante e que tem maior variedade de uso. Por essa razão, éo que também oferece mais oportunidade de erro. Coloque a vírgula com clareza, a saber, um pontinho com uma perninha levemente voltadapara a esquerda, e não um tracinho ou um risquinho qualquer. As vírgulas, quando bem empregadas, contribuem para dar clareza, precisão e elegância àsfrases. Em excesso, provocam confusão e cansaço. Frase cheia de vírgulas está pedindo umponto.

×