FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DO GUIA DE TURISMO

8.718 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.718
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
222
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DO GUIA DE TURISMO

  1. 1. FUNÇÕES E ATRIBUIÇÕES DO GUIA DE TURISMO ADM.ESP.KARLLA COSTA GUIA DE TURISMO REGIONAL BA.EXCURSÃO NACIONAL-BRASIL/AMÉRICA DO SUL CADASTUR 05.019184.96-8 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS-URUÇUCA CONCURSO PÚBLICO - PROFESSOR TEMPORÁRIO EDITAL Nº117/ 2013
  2. 2. QUEM É O GUIA? • O guia de turismo é um dos principais atores na linha de frente do turismo. • o Guia além de informar o turista sobre os atrativos, e mediador o contato deste com os mesmo, detém ainda outras funções voltadas para sustentabilidade local, sendo agente responsável pela valorização da cultura, respeitador da identidade e preservador do meio ambiente.
  3. 3. GUIA DE TURISMO X GUIA TURÍSTICO
  4. 4. O guia também é visto, em linhas gerais como a pessoa ou profissional que acompanha turistas, viajantes, etc., chamando- lhes a atenção para o caminho por onde seguem e dando informações sobre ele e sobre as obras-de-arte, edificações, ou coisas importantes com que vão deparando (FERREIRA, 1988, p. 333).
  5. 5. • Assim, o serviço de guiamento existe em função da necessidade de um profissional apto a apresentar uma região ou localidade em seus atrativos.
  6. 6. • Sobre a função e importância dos Guias de Turismo, destaca-se tal profissional como mediador, entre os locais e visitantes, daí a sua importância. Através das suas visitas guiadas constroem o olhar do turista e “localizam” o destino de modo a construir o exótico, um verdadeiro folclore em relação ao atrativo. • Eles apresentam a janela do destino turístico, passam bastante tempo com os turistas e são os representantes da cultura local. Eles vendem imagens, conhecimentos, contatos,souvenirs, acesso, autenticidade, ideologia.  (PEREZ 2009, p. 42)
  7. 7.  RECEBIMENTO DE GRUPOS: ASSESSORIA ATÉ A CHEGADA DESTES AO LOCAL MARCADO.  TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE A PROGRAMAÇÃO, ROTEIRO E CIDADES VISITADAS.
  8. 8. ADOÇÃO DE PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES A VIAGEM .
  9. 9.  CUMPRIMENTO FIEL DO PROGRAMA CONTRATADO PELO PASSAGEIRO, ABRAGENDO A REALIZAÇÃO DE TODOS OS PASSEIOS ADQUIRIDOS.  ORIENTAÇÃO SOBRE OS PROCEDIMENTOS QUE SERÃO FEITOS DURANTE A VIAGEM .
  10. 10.  PRONTO ATENDIMENTO DAS EMERGÊNCIAS.  MEDIAÇÃO DE CONFLITOS ENTRE PASSAGEIROS E PRESTADORES DE SERVIÇO E OUTROS.
  11. 11.  ter acesso gratuito a museus, galerias de arte, exposições, feiras, bibliotecas e pontos de interesse turístico, quando estiver conduzindo ou não pessoas ou grupos, observadas as normas de cada estabelecimento, desde que devidamente credenciado como Guia de Turismo;
  12. 12.  acompanhar ao exterior pessoas ou grupos organizados no Brasil :
  13. 13.  promover e orientar despachos e liberação de passageiros e respectivas bagagens, em terminais de embarque e desembarque aéreos, marítimos, fluviais, rodoviários e ferroviários.
  14. 14. • No acompanhamento de turistas, sabe-se que esta “clientela” do Guia é diversificada, podendo compor diversos segmentos, considerando renda, nível educacional e mesmo elementos estruturais, destacando aqui a idade, podendo ter como segmentos: jovens solteiros, casais, família, idosos.
  15. 15.  A formação profissional de qualidade e o credenciamento do guia é importante, visto que, o modo de atendimento, as informações prestadas, e até mesmo os roteiros turísticos desenvolvidos variam de acordo com o segmento.
  16. 16. • Picazo citado por Chimenti e Tavares (2007, p. 19) bem aponta sobre a conceituação de Guia de Turismo: • “O guia na realidade é muito mais do que um mero acompanhante ou orientador. Trata-se de um artista que sabe conferir cor e calor, a uma paisagem, de um mágico capaz de dar vida as pedras milenares, de um acompanhante que consegue que os maiores deslocamentos pareçam curtos, de um profissional, definitivo, que torna possível que nos sintamos como em nossa própria casa no interior de um arranha-céu hoteleiro ou de uma cabana africana.”
  17. 17. AVALIAÇÃO  Simulação de atividades correspondentes as funções do guia, através de encenações práticas em sala e depois visitação a locais, assistir o filme falando grego e dividir a sala em equipes para execução dos trabalhos
  18. 18. REFERÊNCIAS  CHIMENTI, Silvia. Guia de Turismo: o profissional e a profissão/Silvia Chimenti, Adriana Menezes Tavares.São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007.  PETRIE, Donal. Falando Grego Disponível em :< http://www.adorocinema.com/filmes/filme-143114/ > . acesso em 05 de setembro 2013  SINGTUR. Quem é o guia? Disponível em <: http://www.sindgturdf.com.br/profissao.php> . acesso em 05 set 2013.  BRASIL .Atribuições do Guia de Turismo: (LEI Nº 8.623, DE 28 DE JANEIRO DE 1993)

×