Psicologia Organizacional

761 visualizações

Publicada em

Trabalho TCC de Jaqueline Farinha, sobre ética nas relações corporativas. Psicologia Organizacional.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
761
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia Organizacional

  1. 1. Jaqueline Couto Curso de Gestão Hospitalar Relações Interpessoais Professora: Simone Marins Novembro/2014
  2. 2.  Este trabalho discorre sobre um assunto de grande abrangência e que também é alvo de profundos estudos na área da Sociologia e Psicologia, as relações interpessoais.  Falaremos de forma sucinta e objetiva sobre seu conceito, bem como sua importância na vida do indivíduo, acentuando o enfoque no âmbito profissional, ou seja, dentro do contexto de uma organização.
  3. 3.  Relacionamento interpessoal é um conceito do âmbito da sociologia e psicologia que significa uma relação entre duas ou mais pessoas.  Este tipo de relacionamento é marcado pelo contexto onde ele está inserido, podendo ser um contexto familiar, escolar, de trabalho ou de comunidade.  O relacionamento interpessoal implica uma relação social, ou seja, um conjunto de normas comportamentais que orientam as interações entre membros de uma sociedade.  O conceito de relação social, da área da sociologia, foi estudado e desenvolvido porMaxWeber.  O conteúdo de um relacionamento interpessoal pode ser de vários níveis e envolver diferentes sentimentos como o amor, compaixão, amizade, etc.
  4. 4.  Um relacionamento deste tipo também pode ser marcado por características e situações como competência, transações comerciais, inimizade, etc.  Um relacionamento pode ser determinado e alterado de acordo com um conflito interpessoal, que surge de uma divergência entre dois ou mais indivíduos.  Por outro lado, o conceito de relacionamento intrapessoal é distinto, mas não menos importante.  Este conceito remete para a aptidão de uma pessoa de se relacionar com os seus próprios sentimentos e emoções e é de elevada importância porque vai determinar como cada pessoa age quando é confrontada com situações do dia-a-dia.  Para ter um relacionamento intrapessoal saudável, um indivíduo deve exercitar áreas como a autoafirmação, automotivação, autodomínio e autoconhecimento.
  5. 5.  No contexto das organizações, o relacionamento interpessoal é de extrema importância. Um relacionamento interpessoal positivo contribui para um bom ambiente dentro da empresa, o que pode resultar em um aumento da produtividade.  No trabalho, esse relacionamento saudável entre duas ou mais pessoas é alcançado quando as pessoas conhecem a si mesmas, quando são capazes de se colocar no lugar dos outros (demonstram empatia), quando expressam as suas opiniões de forma clara e direta sem ofender o outro (assertividade), são cordiais e têm um sentido de ética. Entre os relacionamentos que temos na vida, os de trabalho são diferenciados por dois motivos: um é que não escolhemos nossos colegas, chefes, clientes ou parceiros; o outro é que, independentemente do grau de afinidade que temos com as pessoas do ambiente corporativo, precisamos funcionar bem com elas para realizarmos algo juntos.
  6. 6.  Esses ingredientes da convivência no trabalho nos obrigam a lidar com diferenças de opinião, de visão, de formação, de cultura, de comportamento…  Fazer isso pode não ser fácil, mas é possível!  Se basearmos nossos relacionamentos interpessoais em cinco pilares, Autoconhecimento, Empatia, Assertividade, Cordialidade e Ética, conseguiremos alcançar de forma mais fácil uma convivência cordial e produtiva.
  7. 7.  Autoconhecimento Fundamental para administrar bem os relacionamentos, autoconhecimento implica reconhecer nossos traços de comportamento, o impacto que causamos nos outros e que comportamentos dos outros nos incomodam. Por exemplo: uma pessoa objetiva e dinâmica, que gosta de agir com independência e rapidez para atingir seus objetivos, pode ter conflitos na interação com um colega de perfil mais cauteloso emetódico, que segue regras à risca e tem um ritmo mais lento por se preocupar com detalhes. Porém, se pelo menos um dos dois tiver autoconhecimento, pode utilizar estratégias que minimizam o conflito com o outro
  8. 8.  Empatia Trata-se de considerar os outros, suas opiniões, sentimentos e motivações. Sem isso, não há como chegar a uma negociação ganha-ganha, fruto de um relacionamento equilibrado. A empatia também nos torna capazes de enxergar além do próprio umbigo e ampliar nossa percepção da realidade com os pontos de vista dos outros. Entre as várias coisas que se pode fazer para praticá-la, a mais básica é saber ouvir.
  9. 9.  Assertividade Para ter relacionamentos saudáveis, não basta ouvir: é preciso também falar, expressar nossas opiniões, vontades, dificuldades. É aí que entra a assertividade, a habilidade para nos expressar de forma franca, direta, clara, serena e respeitosa.
  10. 10.  Cordialidade Tratar as pessoas com cordialidade é ser gentil, solícito e simpático, é demonstrar consideração pelo o outro de várias formas. Pode ser com o “bom dia” com que saudamos o destinatário de nossa mensagem de e-mail, com o ato de segurar a porta do elevador para alguém entrar ou apanhar do chão um objeto que o colega deixou cair. Dizer “obrigado” olhando a pessoa nos olhos, se oferecer para prestar uma ajuda, cumprimentar aquele com quem cruzamos no corredor, mesmo saber seu nome… A cordialidade desinteressada, que oferecemos por iniciativa própria, sem esperar nada em troca, é um facilitador do bom relacionamento no ambiente de trabalho.
  11. 11.  Ética Ser ético é ter atitudes que não prejudiquem os outros, não quebrem acordos e não contrariem o que se considera certo e justo. Podemos ter muito autoconhecimento, ser altamente empáticos e assertivos, mas, se não nos conduzirmos pela ética, não conseguiremos manter relacionamentos equilibrados.
  12. 12. Fortalecer esses pilares traz melhorias não só para nossas interações no trabalho, mas também para as de outras áreas da vida – familiar, afetiva, social e de amizade. Vale a pena investir nisso – afinal, os relacionamentos são a melhor escola para o nosso desenvolvimento pessoal.
  13. 13. Fica clara a conclusão de que no relacionamento interpessoal, a responsabilidade nunca é unilateral, está sempre equilibrada em uma tênue linha, onde em uma ponta está você e na outra ponta o outro. Sendo assim, para um bom relacionamento em qualquer meio de interação em que se esteja inserido, é fundamental haver respeito mútuo, aceitação, apoio, incentivo e muita, muita vontade!
  14. 14.  Recursos Humanos – Chiavenato, Ildalberto.  www.Sebrae.com.br  Google – Pesquisas OBRIGADA!

×