Aulão TRT-RJ - Português Adriana Figueiredo

3.614 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.614
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aulão TRT-RJ - Português Adriana Figueiredo

  1. 1. Aulão TRT - FCCGramática, Intepretação de Textos e Redação Adriana Figueiredo – Canal dos Concursos PARTE 1 GRAMÁTICA
  2. 2. PRONOMES DE TRATAMENTO Dica:São pronomes de 2ª pessoa discursiva (a pessoa com quemse fala), mas carregam os verbos e os demais pronomes da frasepara a 3ª pessoa (= VOCÊ).
  3. 3. PRONOMES DE TRATAMENTO1. (TRT/2ª R – Téc. Judiciário)Considere o final de uma reivindicação dos moradores de umBairro, dirigida ao Prefeito da cidade:Esperamos que ......., Senhor Prefeito, ...... verificar condiçõespor nós apontadas, e que sejam tomadas as medidasnecessárias no sentido de solucionar tais problemas.A .... dispor, atentos às providências, Os moradores
  4. 4. As lacunas estarão corretamente preenchidas, respectivamente,por:(A) V. Sa. - mandeis - vosso(B) V. Exa. - mande - seu(C) V. Exa. - mandeis - seu(D) V. Sa. - mande - vosso(E) V. Exa. - mande - vosso
  5. 5. PRONOMES PESSOAIS Dica:1- Se a expressão a ser substituída for complemento, verifique se vemantecedido de preposição ou não; os pronomes O, A, OS, AS substituemcomplementos sem preposição. Para substituir complementos compreposição, use LHE, LHES ouAELE, AELES...2- Havendo palavra invariável na frase, a próclise é obrigatória. Mas háduas exceções: o verbo no infinitivo sempre aceita ênclise; comconjunções coordenativas: próclise ou ênclise.
  6. 6. TRT – 12R2. Deus criou o mundo, mas logo considerou o mundo desprovido devida, e resolveu acrescentar ao mundo seres vivos, que povoassem omundo e imprimissem ao mundo a marca do sopro divino.Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se oselementos sublinhados, respectivamente, por:
  7. 7. (A) considerou-o - acrescentá-lo - povoassem-no - imprimissem-no(B)considerou-lhe - acrescentar-lhe - povoassem-lhe - imprimissem-lhe(C) o considerou - acrescentar-lhe - o povoassem – lhe imprimissem(D) lhe considerou - acrescentá-lo - povoassem-no - imprimissem-lhe(E) considerou-o - o acrescentar - lhe povoassem – lhe Imprimissem
  8. 8. PREPOSIÇÃO E CONJUNÇÃODicas:1- Causa é um fato que faz com que outro ocorra. Por isso, para todacausa, haverá uma consequência.
  9. 9. 3. (TRT/2ªR – Tec. Judic.) Identifica-se relação de causa econsequência em:(a) A população rural ainda deve aumentar nos próxi-mos dez anos,antes de entrar em declínio gra-dativo.(b) Desde cedo, a cidade teve o mérito de dar ao homem apossibilidade de evoluir além da luta pela sobrevivência pura esimples.(c) Sua primeira função foi de local de proteção, de armazenagem dealimentos e de entreposto de trocas .
  10. 10. (d) ... praticamente todo o crescimento populacional do planetaocorrerá nas cidades, nas quais viverão sete em cada dez pessoasem 2050.(e) Mas o trânsito pode ser tão congestionado que se torna difícilusufruir as ofertas.
  11. 11.  Dica:2 - AS PARÁFRASES: = paráfrase é a essência do que é dito éa mesma; traz a mesma ideia.
  12. 12. 4. Não se ganha muito dinheiro,/ mas sempre dá para pagar aspequenas dignidades.Preserva-se a relação de sentido entre os segmentos destacados nafrase acima em:A) Sempre dá para pagar as pequenas dignidades, por conseguintenão se ganha muito dinheiro.B) Haja vista que sempre dá para pagar as pequenas dignidades, nãose ganha muito dinheiro.C) Não se ganha muito dinheiro, uma vez que sempre dá para pagaras pequenas dignidades.
  13. 13. D) Sempre dá para pagar as pequenas dignidades, conquanto não seganhe muito dinheiro.E) Desde que não se ganhe muito dinheiro, sempre dá para pagar aspequenas dignidades.
  14. 14. VERBOSMODO INDICATIVO1) PRESENTE: indica um fato que se realiza no momento em que sefala. (Ele estuda Português).2) PRETÉRITO PERFEITO: indica uma ação que começou e terminouno passado. (Fui ao cinema ontem à noite)
  15. 15. 3) PRETÉRITO IMPERFEITO: indica uma ação habitual, de valordurativo. (Chegou a menina de quem Lúcia tomava conta)4) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO: expressa um fato já concluídoantes de outro também no passado. (Quando eu cheguei, ela jáescrevera/ tinha, havia escrito a carta.)5) FUTURO DO PRESENTE: indica um fato futuro em relação aomomento em que se fala. (Irei ao concerto neste sábado).
  16. 16. 6) FUTURO DO PRETÉRITO: indica um fato futuro em relação a um fatopassado. Pode ainda exprimir incerteza, um fato que talvez não serealize, polidez, etc. (Ele prometeu a Maria que chegaria antes dasseis./Compraria ele aquela casa?)
  17. 17. MODO SUBJUNTIVOExpressa um fato incerto, duvidoso ou até irreal. Suas principaissubdivisões são:a) Presente: QUE... (É pena que eles estejam doentes.)b) Pretérito Imperfeito: SE... (Se ele viesse ao clube participaria docampeonato.)c) Futuro: QUANDO... (Quando ele vier à loja, levará as encomendas.)
  18. 18. VERBOS IRREGULARES 1ª Parte: Líderes Conjugados (e seus amigos cognatos) PÔR → ANTEPOR, APOR, COMPOR, CONTRAPOR,DECOMPOR, DEPOR, DESCOMPOR, DISPOR, ENTREPOR,EXPOR, IMPOR, INTERPOR, JUSTAPOR, OPOR, POSPOR,PREDISPOR, PRESSUPOR, PROPOR, RECOMPOR, REPOR,SOBREPOR, SUPOR.
  19. 19. TER→ ABSTER-SE, ATER-SE, CONTER, DETER, ENTRETER,MANTER, OBTER, RETER, SUSTER. VER → ENTREVER, ANTEVER, PREVER, REVER. VIR → ADVIR, AVIR-SE, CONVIR, DESAVIR-SE, INTERVIR,PROVIR, SOBREVIR.
  20. 20. 2ª Parte: Falsos Amigos Conjugados PROVER(*Conjuga-se como o VER só nos tempos do presente; nos outros tempos, é regular, como o BEBER)
  21. 21. REQUERER(*Recebe uma ditongação na 1ª pessoa do pres. do indic. e em todo o presente do subjuntivo. Nos outros tempos, é regular e conjuga-se como o BEBER. Não pense no QUERER)
  22. 22. 3ª Parte: Defectivos PRECAVER-SENo presente do indicativo, só possui precavemo-nos, precavei- vos. Nos outros tempos é regular, como o BEBER.
  23. 23. REAVERNo presente do indicativo, só possui reavemos e reaveis. Nos outrostempos, conjuga-se como o haver: reouve, reouveste, reouve,reouvemos, reouvestes, reouveram (pretérito perfeito); reouvera,reouveras...(mais que perfeito do indicativo); reouvesse,reouvesses...(imperfeito do subjuntivo); reouver, reouveres...(futuro dosubjuntivo).
  24. 24. VERBOS TERMINADOS EM –EAR e –IAR1- Líder dos verbos terminados em –EAR: PASSEAR2- Líder dos verbos terminados em –IAR: CRIAR3- Líder dos verbos do MARIO: ODIAR
  25. 25. 4- (TRF) Das frases abaixo, a que contém erro na flexão verbal é:a) O acidente ocorreu porque Rui não conseguiu freiar o carro;b) Se a comunidade nos provesse do equipamento de que necessitamospara prestar a ela mesma esse serviço, todos sairíamos ganhando;c) Os espíritos se incendeiam toda vez que se fala em fazer justiça;d) Se a associação se mantivesse coerente com sua própria doutrina,cresceria sua credibilidade;e) Quem se interpuser entre o Ricardo e a Cristina não contará com meuapoio.
  26. 26. 5- (TRF) Das opções que se seguem, a que está CORRETA quanto àflexão verbal é:a) Se o governo se precavisse, evitaria acidentes como esse;b) Com um pouco de sorte, talvez o senhor reaveja os documentosextraviados;c) Meus filhos só vêm televisão depois que terminam os deveresescolares;d)As autoridades interviram no rumo dos acontecimentos;e)Aempresa que projetou a usina não se precaveu como deveria.
  27. 27. Semântica dos Tempos VerbaisDica:1- Presente casa com presente. Passado com passado. Futurodo presente casa com presente ou com o futuro. Futuro dopretérito só casa com o pretérito.
  28. 28. 6- Está plenamente adequada a articulação entre tempos e modosverbais na frase:(A) O fiscal recolheria a coisa misteriosa, mas terá sido obstado pelo juizde paz, que declarava ser aquilo um bem da comunidade.(B) Os policiais acabarão por aderir aos moradores, uma vez que seucomandante fosse oriundo daquele lugar.(C) Quem chegar perto da coisa viria a ser fulminado, fosse uma pessoade mau-caráter.
  29. 29. (D) Se daquele objeto proveio algum mal, ele não seria considerado umadádiva dos céus.(E) Tomados que foram de estranha letargia, não se deram conta osguardas do sumiço do objeto.
  30. 30. VOZES VERBAISDica:1- Uma frase na voz ativa admite transposição para a voz passiva quandoela apresenta objeto direto que pode virar sujeito.
  31. 31. 7. (TRT/18ª R) Não admite transposição para a voz passiva o seguintesegmento:(a) Resolvi bem esse problema (...)(b) É preciso, pois, desenvolver o ethos da nação (...)(c) Ele precisa valorizar essa convivência (...)(d) (...) está na ética uma garantia para um pleno convívio social.(e) (...) que as ações dos outros encontrem nele plena aprovação.
  32. 32. Dica:2- Ao se transportar uma frase da voz ativa para a passiva analítica,acrescente o verbo SER, que deverá ficar no mesmo tempo do verbo davoz ativa. E o objeto direto virará sujeito.
  33. 33. 8- (PMSPD) Transpondo-se para a voz passiva a construçãoMuitos pais não vêm impondo limites à ação de seus filhos,a forma verbal resultante será:(a) não vêm sendo impostos. (b) não vai sendo imposto.(c) não vêm a ser impostos. (d) não vem sendo imposta.(e) não vão ser impostos.
  34. 34. Dica:3- Ao se transportar uma frase da voz passiva analítica para a ativa, façao contrário: retire o verbo ser da frase, que transmitirá o tempo verbal parao verbo que vem ao lado. E o agente da passiva vira sujeito na ativa.
  35. 35. 9- (TRT/8ª R) Transpondo-se para a voz ativa a frase Nossos revesespodem ser consolados pela palavra amiga, a forma verbal resultanteserá:(a) terá consolado. (b) hão de consolar-se.(c) poderiam consolar. (d) pode consolar.(e) haverá de consolar.
  36. 36. CONCORDÂNCIA VERBALDicas:1- Em frases longas, procure sempre o núcleo do sujeito, quenormalmente não vem antecedido de preposição.2- Um SE é P.A. quando vem ligado a VTD ou VTDI. Caso ele seja P.A.,haverá sujeito na frase e com ele o verbo deverá concordar.3- Quando o sujeito é oracional, o verbo da oração principal fica na 2ªpessoa do singular.
  37. 37. 10- Em respeito às normas de concordância, é preciso corrigir a seguintefrase:(a) Podem ser mais fortes do que as circunstâncias humanas o interessedaqueles que estabelecem de vez a concentração do poder econômico.(b) Não se deve insistir nos argumentos que dão como essenciais aliberdade de ensino e a de opinião.(c) Não se resignem a imprensa e o ensino aos limites que lhes querimpor o poder econômico de uma minoria.
  38. 38. (d) Caso se desconsidere a herança dos valores que nos legaram osantepassados, não se preservará o significado de sua resistência moral.(e) É inútil empenharem-se os governos em disciplinar a economiaquando os detentores do poder econômico mantêm o controle do poderpolítico.
  39. 39. Dicas:4- Verbo EXISTIR é verbo pessoal, tem sujeito. Verbo HAVER, comsentido de EXISTIR, é impessoal, não tem sujeito, portanto deve ficar na3ª pessoa do singular.5- Na locução verbal, se o verbo principal tiver um sujeito no plural, overbo auxiliar irá se flexionar. Se o principal for impessoal, o auxiliar ficarána 3ª pessoa do singular.6- Quando o sujeito é oracional, o verbo da oração fica na 3ª pessoa dosingular.
  40. 40. 11- (TRF/SP) As normas de concordância verbal estão plenamenterespeitadas na frase:(a) Não se imputem aos adolescentes de hoje a exclusiva responsabilidadepelo fato, lastimável, de aspirarem a tão pouco.(b) Costumam haver nas pessoas extrovertidas traços marcantes de timidez.(c) A presença maciça, em nossas telas, de tantas ficções, não nos devemfazer crer que sejamos capazes de sonhar mais do que as geraçõespassadas.
  41. 41. (d) Se aos jovens de hoje coubesse sonhar no ritmo das ficções projetadasem nossas telas, múltiplos e ágeis devaneios se processariam.(e) Ao pretender que se mobilize os estudantes para as exigências domercado de trabalho, o professor de nossas escolas impede-os de sonhar.
  42. 42. PRONOMES RELATIVOSO Queridinho da Banca:CUJO (e flexões): entre dois substantivos indicando ideia deposse; não deve vir seguido de artigo. Não deve sersubstituído por que ou qualquer outro relativo. (“Eis o livrocujo autor você conhece.”)
  43. 43. REGÊNCIA COM PRONOME RELATIVODica:1- Isole a oração que vem após o pronome relativo, colocando-o naordem direta, verificando se há ali verbo ou nome que peça preposição.(“Eis o material de que necessito”: o verbo necessitar pede a preposiçãode; “Eis o material de que tenho necessidade”: o nome necessidade pedepreposição de ).
  44. 44. 12- (PMSAL – Guarda Munic.) Está correto o emprego do elementosublinhado na frase:(a) Os guardas-noturnos, cuja a única arma era um apito, garantiam atranquilidade dos que dormiam em suas casas.(b) A intranquilidade das ruas, de cuja somos todos víti-mas, só vemcrescendo nos últimos tempos.(c) O código de apitos, do qual os guardas-noturnos antigamenterecorriam, seria hoje um expediente in-teiramente inócuo?
  45. 45. (d) A violência urbana, da qual se deve dar duro com-bate, ganhouaspectos dramáticos em nossos dias.(e) O direito á segurança, ao qual todos deveriam ter acesso, está cadavez mais ameaçado nos grandes centros urbanos.
  46. 46. PONTUAÇÃODicas:1- Não se separa sujeito de verbo nem verbo de complemento por vírgula.2- Nas intercalações de termos curtos deslocados, ou se utilizam as duasvírgulas, ou nenhuma. A supressão dessas vírgulas não gera errogramatical nem mudança de sentido da frase.
  47. 47. 13- Está inteiramente correta a pontuação da seguinte frase:(a) É realmente muito difícil, cumprir propósitos de Ano Novo, pois não hácomo de fato alguém começar algo inteiramente do nada.(b) É realmente muito difícil: cumprir propósitos de Ano Novo; pois não hácomo, de fato, alguém começar algo inteiramente do nada.(c) É, realmente, muito difícil – cumprir propósitos de Ano Novo: pois nãohá como de fato, alguém começar algo inteiramente do nada.(d) É, realmente, muito difícil cumprir propósitos de Ano Novo, pois não hácomo, de fato, alguém começar algo inteiramente do nada.(e) É realmente muito difícil, cumprir propósitos de Ano Novo; pois não hácomo de fato alguém começar algo, inteiramente do nada.
  48. 48. 3- Nas orações adjetivas, a supressão ou a inserção das vírgulas acarretamudança de sentido da frase (restrição → explicação)TRT – 15R14.Atente para as seguintes frases:I. Reconheça-se o mérito dos bibliotecários, que tentam suprir asdeficiências de nossas bibliotecas.
  49. 49. II. Na maioria das nossas bibliotecas, funcionários nem semprecapacitados buscam dar o melhor de si.III. São graves as deficiências no funcionamento das bibliotecas, a quepoucos dão atenção.Asupressão da vírgula altera o sentido do que está em(A) I, II e III. (B) I e II, somente.(C) I e III, somente. (D) II e III, somente.(E) III, somente.
  50. 50. PARTE 2INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
  51. 51. Dicas:1- Quando você não entender nada do texto, apegue-se aos conectores.As conjunções adversativas (mas, porém...) enfatizam que, naargumentação, o mais importante é o que vem depois da conjunção.2- Atenção aos textos que apresentam dois polos: organize seus campossemânticos (cada polo tem o seu). Quando você descobre quais são ospolos, você percebe que as palavras que virão ao longo do textoretomarão sempre um dos dois polos.
  52. 52. Dicas:3- Uma das pegadinhas mais comuns da banca: atribuir hierarquia aideias que tinham igual importância no texto. As sociedades modernas da Europa ocidental, ou doscontinentes e espaços colonizados ou profundamente influenciados porela, que hoje abrangem quase todo o globo terrestre, podem serdescritas sucintamente por alguns traços gerais: o Estado-nação, ocapitalismo, a forma industrial de organização da produção;
  53. 53. a convivência e sociabilidade urbanas; e os valores jurídicosconstitucionais de liberdade e igualdade. Tais traços, por si sós, entretanto,não eliminaram seus contrários – solidariedade étnicas, formas pré-capitalistas de produção, a vida rural ou as hierarquias sociais. A novidademoderna consiste, antes, na rearticulação, em todos os planos, dasformas e relações sociais antigas sob a égide desses novos traços.
  54. 54. Assim, no que diz respeito à organização social, ashierarquias, os privilégios, as deferências e os outros modos deexpressão das desigualdades entre os seres humanospassaram, para serem aceitos, a depender de outras lógicas deconstrução e justificação. Tomaram-se, do mesmo modo, fontespermanentes de contestação, propiciadores de lutas libertáriasde emancipação e fermento de novas identidades sociais. (Antonio Sérgio Alfredo Guimarães. “Desigualdade e diversidade: os sentidos contrários da ação”. In Agenda Brasileira: temas de uma sociedade em mudança. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. p.168)
  55. 55. 1- O autor,(a) Ao caracterizar as sociedades modernas, chama a atenção para ofato de que o perfil desenhado tem abrangência universal, dado o cenárioglobalizante da contemporaneidade.(b) Ao realizar a descrição das sociedades modernas, por meio de seustraços gerais, ordena-os de modo a expressar sucintamente o avanço desua importância.
  56. 56. (c) Na série anunciada pelos dois-pontos elenca característicasexatamente proporcionais entre si, o que motiva a sequência delas sem aformação de qualquer tipo de subconjunto.(d) Ao mencionar Tais traços, faz o pronome retomar especificamente osegmento dos valores jurídicos constitucionais de liberdade e igualdade,ainda que sob a expressão alguns traços gerais, usada antes, tenhaacolhido mais itens.(e) No terceiro período do primeiro parágrafo, com fundamentosmanifestos, expressa um juízo que nega o caráter absoluto ouindependente da descriação feita no período inicial.
  57. 57. PARTE 3REDAÇÃO
  58. 58. RECOMENDAÇÕES PRÁTICAS AOS NOSSOS REDATORES ( 10 Mandamentos para uma Redação Nota Dez)1- Só utilize título se houver determinação da banca.2- Os textos norteadores apresentados pela FCC tem a função deesclarecer e enfatizar o que é mais importante no tema.
  59. 59. 3- Respeite o número mínimo, bem como o máximo de linhas estipuladopela banca. Em uma redação de vinte a trinta linhas, o ideal é que seredija acima de 25 linhas, sem ultrapassar a marca de trinta linhas.4- Uma redação de vinte a trinta a trinta linhas deve conter, em média,quatro parágrafos. Um parágrafo para introdução, dois parágrafos dedesenvolvimento, e um para a conclusão.5- Um bom modelo de introdução: afirmação de cunho geral + tese.
  60. 60. Exemplo: (tema: A atuação política do Estado no mundo atual: limites edesafios) A atividade política é objeto de discussões constantes nasociedade contemporânea. Nesse contexto, tal debate envolvenecessariamente as limitações, que devem ser respeitadas, e asuperação de desafios pelo Estado.
  61. 61. 6- Nos parágrafos de desenvolvimento, rocure apresentar inicialmente otópico frasal. Em um outro período, sua fundamentação. De três a quatroperíodos para cada parágrafo é o ideal: um com o tópico frasal, outro comseu esclarecimento, outro com um exemplo e um último comconsequência do tópico frasal do parágrafo ou do exemplo.Exemplo: (tópico frasal do parágrafo: longa busca feminina pela busca deseus direitos)
  62. 62. Sabe-se que as vitórias femininas na luta por seus direitos nãosão recentes. De fato, muitos obstáculos foram superados pelo sexoaparentemente frágil, com paciência, trabalho e determinação ao longode séculos. Exemplo de conquista política feminina é a aquisição dodireito ao voto que, no passado, era uma restrição apenas aos homens.Como consequência desse avanço, houve a valorização do eleitoradofeminino, gerando, assim, uma participação política ativa.
  63. 63. 7- O último parágrafo do texto é chamado de conclusão. Deverepresentar a retomada da tese (ideia central apresentada na introdução),seguida da apresentação concreta da tese.Exemplo: (tema do texto: A Contribuição da Mulher para oDesenvolvimento das Sociedades) Por todos esses aspectos, o reconhecimento daigualdade entre homens e mulheres capacita-as para atuar deforma proativa em favor da sociedade.
  64. 64. Sendo assim, melhor ainda seria que o governo promovesseincentivos fiscais às empresas para contratação de mão deobra feminina, a fim de proporcionar um aceleradodesenvolvimento social.
  65. 65. 8- Evite um tom excessivamente particular ou pessoal ao seu texto.Utilize a 3ª pessoa do discurso.9- Jamais pergunte em seu texto, afirme. Fazer indagações, que nemsempre são devidamente respondidas ao longo do texto, pode deixarseu leitor confuso.
  66. 66. 10- Ao término de sua redação, leia ao menos duas vezes o seu texto –a primeira para verificar se sua estruturação foi respeitada (aspectosestruturais) e a outra leitura para se certificar de que não houve falhasquanto à gramática. Ter conteúdo é importante, mas o que vai garantir aqualidade de sua redação é a organização, clareza e objetividade. Sucesso a todos e não deixem de praticar! Profª. Adriana Figueiredo
  67. 67. PARTE 4 REDAÇÃOPROVA DISCURSIVA
  68. 68. Prova Discursiva RedaçãoAtenção:Deverão ser observados rigorosamente os limites mínimo de 20(vinte) linhas e máximo de 30 (trinta) linhas, sob pena de perda depontos a serem atribuídos à Redação.Escolha UMA (apenas uma) das seguintes propostas paraelaborar a sua redação e identifique na Folha de RedaçãoDefinitiva, no campo apropriado para tal, o número da propostaescolhida.
  69. 69. Proposta Nº 1Uma das leis mais importantes no ordenamento jurídicobrasileiro, a Lei de Improbidade Administrativa, querecentemente completou 18 anos, tem sido um marco nocombate à corrupção no país. Subsiste, entretanto, muitapolêmica em todos os meios que ela atinge, e o enfoquedesta obra é justamente, “desvendar alguns mistérios aindarecorrentes em tema de ação civil”, e mostrar que há aindainúmeros problemas práticos sem solução. (Sinopse de livro sobre a Lei de Improbidade Administrativa, de autoria coletiva, publicado em 2010, www.tr.com.br/?sub=produto.detalhe&id=39684)
  70. 70. Não mais 18, mas prestes a completar 20 anos, a Lei deImprobidade Administrativa continua a causar quase tantapolêmica quanto na época em que atingia a maioridade.Para estender a metáfora, não seria o caso de celebrar-lheas qualidades da juventude, a despeito de seus arroubosjuvenis, envidando esforços no sentido de levá-la a um dia àmaturidade e à sabedoria da idade avançada? Considerando o que está transcrito acima, redija umtexto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: A Lei de Improbidade Administrativa: conquistas, problemas e desafios.
  71. 71. Proposta Nº 2Ao folhear um velho dicionário escolar Latino-Português,descobre-se que o verbo administrar, em Latim, tem comosentido próprio “auxiliar, ajudar, prestar auxílio, servir(alguém)”, e como sentido derivado “ocupar-se de, cuidarde, executar”, e ainda “governar, administrar, dirigir”.Consultando um moderno Houaiss eletrônico, aprende-seque, em português, administras significa “gerir, governar,dirigir (algo próprio ou não)”, e ainda, dentre outraspossibilidades, “atuar como administrador, dirigir”.
  72. 72. A reflexão sobre a administração pública faz com que oaficionado da semântica e da etimologia associeadministrar e cuidar, servir, serviço público, servidorpúblico, por um lado, e, por outro, a governar e dirigir.Mas se todas essas associações são mesmo possíveis, nãoseria preciso escolher, no caso da atividade administrativano setor público, entre realizar e gerir? Considerando o que se afirma acima, redija um textodissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: A especificidade da atividade administrativa na Administração Pública.

×