Polissacarídeos

8.359 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
88
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Polissacarídeos

  1. 1. POLISSACARÍDEOSNome: nº Aline Paiva 01 Bianca Oliveira 05 Carolina Andrade 12 Caroline Rodrigues 14 Vinicius Santos 40
  2. 2. DEFINIÇÃO Polissacarídeos  Polissacarídeossão macromoléculas formadas a partir de monossacarídeos Monossacarídeos  Sãocarboidratos simples, cuja constituição tem de 3 a 7 carbonos em cadeia saturada e não ramificada.
  3. 3. CLASSIFICAÇÃO Polissacarídeos Estruturais  São polissacarídeos encontrados na parede celular de alguns seres vivos, sendo responsável pelo seu formato e estrutura Polissacarídeos Energéticos  São polissacarídeos que tem reserva de energia, podendo servir de alimento.
  4. 4. PRINCIPAIS POLISSACARÍDEOS Celulose Quitina Amido Glicogênio
  5. 5. CELULOSE
  6. 6. HISTÓRICO A celulose começou a ser utilizada como matéria prima para a produção de papel em meados do século XIX Nos anos 60 começou a utilização do eucalipto para a retirada da celulose. Hoje em dia esta é a árvore mais utilizada para este fim.
  7. 7. OBTENÇÃO A Celulose é o composto orgânico mais abundante do planeta e está presente nas células vegetais, sua extração é feita de árvores, principalmente o eucalipto que tem crescimento rápido. O tronco das árvores é triturado e submetido a processos de branqueamento e separação, até a obtenção da fibra de celulose.
  8. 8. APLICAÇÕES O principal uso da celulose é na produção de papel e embalagens. A celulose com grau de pureza de 92 a 98,5% podem também ser utilizada na fabrição de diversos itens, como: alimentos, cosméticos, fármacos, eletrônicos, filtro para cigarros e tintas entre outros.
  9. 9. DESCARTE/TRATAMENTO Como a maioria da celulose vira papel, seu descarte é o lixo comum, tendo como única alternativa de tratamento a reciclagem que é um processo complexo, caro e de poucos resultados.
  10. 10. SITUAÇÃO Papel é um dos produtos mais fabricados no mundo, sendo o Brasil o 4º maior produtor mesmo que seu consumo per capita seja considerado baixo em comparação com outros países como os Estados Unidos.
  11. 11. QUITINA
  12. 12. HISTÓRICO A primeira vez que a Quitina foi isolada foi em 1811, retirada de cogumelos. 1830 foi isolada pela primeira vez em insetos.
  13. 13. OBTENÇÃO A quitina é obtida a partir do exoesqueleto de crustáceos, no qual o teor de quitina 26 a 30% O exoesqueleto é quebrado em pequenos pedaços (de 0,5 a 5mm) e tratado com ácido clorídrico para retirar os minerais e uma solução de hidróxido de sódio para retirar o albúmen e os aminoácidos. Restando apenas a Quitina
  14. 14. APLICAÇÕES Síntese de antibióticos Sutura cirúrgica Suplementos Dietéticos Cosméticos
  15. 15. DESCARTE/TRATAMENTO Os derivados de quitina que forem utilizados na medicina devem seguir o procedimento de descarte de contaminantes biológicos.
  16. 16. SITUAÇÃO Em 1990 a produção mundial de quitina e quitosana foi estimada em 10.000 t e já se aproximava de 30 mil t em 2004, correspondente ao processamento de aproximadamente 1.440.000 t de rejeitos ricos em quitina gerados naquele ano, em nível mundial, pela indústria pesqueira.
  17. 17. AMIDO
  18. 18. HISTÓRICO O primeiro uso do amido não foi para fins alimentícios, no século XVI o amido era usado apenas para engomar roupas. No século XIX foi descoberto seu uso na alimentação Em 1859 o amido começou a ser vendido mundialmente.
  19. 19. OBTENÇÃO O amido de milho é obtido através de processos industriais Maceração: Aonde o milho é posto em um tanque por aquecido com o ph controlado, que garante uma fermentação controlada por bactérias lácticas e ajuda a separação das proteínas. Durante esta operação os componentes solúveis vão sendo libertados e os grãos de milho vão sendo amolecidos. Separação do Gérmen: Os grãos de milho amolecidos passam por moinhos de baixo atrito e perdem a película que envolve o endosperma e o gérmen. O gérmen é mais leve que o endosperma e a película, por isso é usada a força centrífuga para efectuar a separação (hidrociclones).
  20. 20. OBTENÇÃO Moagem: A separação do gérmen é seguida da moagem que destrói completamente as células e liberta os grânulos de amido. A mistura sofre uma série de operações para separar a fibra e outros componentes do milho, do “leite de amido” (amido e glúten). Separação do Gérmen: Os grãos de milho amolecidos passam por moinhos de baixo atrito e perdem a película que envolve o endosperma e o gérmen. O gérmen é mais leve que o endosperma e a película, por isso é usada a força centrífuga para efectuar a separação (hidrociclones). Desidratação e secagem: O amido refinado é desidratado por centrifugação e seco em secadores pneumáticos.
  21. 21. APLICAÇÕES Na alimentação , como fonte de glicose. Preparação de colas. Preparação de gomas utilizadas em lavanderia e fabricação de papel e tecidos. Fabricação de xaropes e adoçantes. Fabricação de álcool etílico. Para liberação controlada de fármacos.
  22. 22. DESCARTE/TRATAMENTO Como o amido não é considerado um resíduoperigoso, ele é descartado como resíduo comum
  23. 23. SITUAÇÃO O amido está dividido em cinco matérias-primas, quatro delas de origem tropical (milho, batata, batata- doce e mandioca). Dessas, o milho é a mais significativa, com 75% da produção mundial de amido. É a principal fonte de amido nos Estados Unidos (99% da produção), na Europa (46%), na Ásia e no Brasil. A média anual de consumo de amidos por habitante é da ordem de 10 quilos nos principais países industrializados, contra cerca de 1 quilo nos países em desenvolvimento. Essa grande diferença acentua o potencial de crescimento para o setor de amido.
  24. 24. GLICOGÊNIO
  25. 25. OBTENÇÃO Conforme nosso organismo vai absorvendo glicose, ele a transporta para o sangue e tecidos, quando essa glicose se torna mais do que o necessário ele é armazenada na forma de glicogênio, no fígado e músculos.
  26. 26. OBTENÇÃO A síntese ou a degradação do glicogênio ocorre através de enzimas específicas, diferentes para cada processo e diferem também em relação ao local de atuação. Desta forma, enzimas relacionadas à síntese que atuam no fígado não participarão do mesmo processo realizado nos músculos. Assim, a falta de determinada enzima compromete a ação do processo (síntese ou degradação) realizado naquele órgão específico, mas não interfere no processo em outro órgão
  27. 27. APLICAÇÕES Quando a queda de glicose no sangue o glicogênio armazenado se degrada em glicose regulando o os níveis de glicose. A substância que sinaliza essa transformação no fígado é chamada de glucagon. Outro exemplo da utilização do glicogênio é em momentos extremos, nos quais nosso organismo necessita de respostas imediatas, o glicogênio presente nos músculos estriados esqueléticos é rapidamente convertido em glicose e esta é oxidada para a produção de energia. A substância que permite a liberação imediata dessa reserva muscular é a epinefrina (adrenalina).
  28. 28. CONCLUSÃO

×