SlideShare uma empresa Scribd logo

2016 Frente 3 módulo 7 Fatores que influenciam a fotossíntese

Colégio Batista de Mantena
Colégio Batista de Mantena
Colégio Batista de MantenaProfessora na Colégio Batista de Mantena em Colégio Batista de Mantena

Aula Pré Vestibular Colégio Batista de Mantena, Sistema Objetivo de Ensino.

2016 Frente 3 módulo 7 Fatores que influenciam a fotossíntese

1 de 18
Baixar para ler offline
Fatores que influenciam a
fotossíntese
Frente 3 Módulo 7.
Curso Pré Vestibular Sistema Objetivo. Colégio Batista de Mantena.
Zayra Almondes.
Fatores que influenciam a fotossíntese
Princípio do Fator Limitante
Influência do gás carbônico
Influência do gás carbônico
 Substrato empregado na etapa química como fonte do carbono que é incorporado
em moléculas orgânicas.
 Fontes principais de CO2: o gás proveniente da atmosfera, que penetra nas folhas
através de pequenas aberturas chamadas estômatos, e o gás liberado na
respiração celular.
 Sem o CO2, a intensidade da fotossíntese é nula. Aumentando-se a concentração
de CO2 a intensidade do processo também se eleva. Entretanto, essa elevação não
é constante e ilimitada. Quando todo o sistema enzimático envolvido na captação
do carbono estiver saturado, novos aumentos na concentração de CO2 não serão
acompanhados por elevação na taxa fotossintética.
Influência do gás carbônico
DADOS
 Quantidade natural de gás carbônico na atmosfera: 0,03 e
0,04%
 Limite máximo para realização da fotossíntese: 0,3% de gás
carbônico.
 Forma encontrada na folha:
 CO2 + H2O → H2CO3 → H+ + HCO3
-

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntesespondias
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Bio
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoVitor Perfeito
 
8 fotossíntese e quimiossíntese
8   fotossíntese e quimiossíntese8   fotossíntese e quimiossíntese
8 fotossíntese e quimiossíntesemargaridabt
 
Bg21 transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentação
Bg21   transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentaçãoBg21   transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentação
Bg21 transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentaçãoNuno Correia
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)InesTeixeiraDuarte
 
Meiose em Células de Anteras
Meiose em Células de AnterasMeiose em Células de Anteras
Meiose em Células de AnterasMariana Ferreira
 
Química ambiental ( smog fotoquímico )
Química  ambiental ( smog fotoquímico )Química  ambiental ( smog fotoquímico )
Química ambiental ( smog fotoquímico )Adrianne Mendonça
 
Cultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisCultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisIsabel Lopes
 
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºanoOndas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºanoItalo Oliveira
 
Introdução a radiação solar
Introdução a radiação solarIntrodução a radiação solar
Introdução a radiação solarSamantha Martins
 
Refração da luz
Refração da luzRefração da luz
Refração da luzparamore146
 

Mais procurados (20)

Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
 
8 fotossíntese e quimiossíntese
8   fotossíntese e quimiossíntese8   fotossíntese e quimiossíntese
8 fotossíntese e quimiossíntese
 
Luz e Cor
Luz e CorLuz e Cor
Luz e Cor
 
Bg21 transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentação
Bg21   transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentaçãoBg21   transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentação
Bg21 transformação e utilização de energia pelos seres vivos - fermentação
 
Luz
LuzLuz
Luz
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
 
Óptica da visão
Óptica da visãoÓptica da visão
Óptica da visão
 
Eclipse lunar
Eclipse lunarEclipse lunar
Eclipse lunar
 
Meiose em Células de Anteras
Meiose em Células de AnterasMeiose em Células de Anteras
Meiose em Células de Anteras
 
Química ambiental ( smog fotoquímico )
Química  ambiental ( smog fotoquímico )Química  ambiental ( smog fotoquímico )
Química ambiental ( smog fotoquímico )
 
Cultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisCultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animais
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºanoOndas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
 
Introdução a radiação solar
Introdução a radiação solarIntrodução a radiação solar
Introdução a radiação solar
 
Mutações
Mutações Mutações
Mutações
 
Refração da luz
Refração da luzRefração da luz
Refração da luz
 
Modulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossínteseModulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossíntese
 

Semelhante a 2016 Frente 3 módulo 7 Fatores que influenciam a fotossíntese

Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36Alpha Colégio e Vestibulares
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseedu.biologia
 
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESEMetabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESESilvana Sanches
 
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte I
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte IFotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte I
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte Icintiahelaine
 
Apostila - Fisiologia Vegetal - USP
Apostila - Fisiologia Vegetal - USPApostila - Fisiologia Vegetal - USP
Apostila - Fisiologia Vegetal - USPGuellity Marcel
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntesemargaridabt
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraMiriamDantzger1
 
Fotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose LopesFotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose Lopes7 de Setembro
 
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficosObtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficosguest7b65ee
 
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologiaObtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologiaFilipaFonseca
 

Semelhante a 2016 Frente 3 módulo 7 Fatores que influenciam a fotossíntese (20)

Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
 
Mecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossinteseMecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossintese
 
Fotossíntese.pdf
Fotossíntese.pdfFotossíntese.pdf
Fotossíntese.pdf
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossíntese
 
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESEMetabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
Metabolismo celular - FOTOSSÍNTESE
 
Fotossíntese.
Fotossíntese.Fotossíntese.
Fotossíntese.
 
Fotosintese
FotosinteseFotosintese
Fotosintese
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte I
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte IFotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte I
Fotossíntese: Aspectos gerais e princípios básicos - Parte I
 
Módulo a2.1 digestão.resumo
Módulo a2.1   digestão.resumoMódulo a2.1   digestão.resumo
Módulo a2.1 digestão.resumo
 
Apostila - Fisiologia Vegetal - USP
Apostila - Fisiologia Vegetal - USPApostila - Fisiologia Vegetal - USP
Apostila - Fisiologia Vegetal - USP
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
 
Fotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose LopesFotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose Lopes
 
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficosObtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
 
metabolismo vegetal
metabolismo vegetalmetabolismo vegetal
metabolismo vegetal
 
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologiaObtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
 

Mais de Colégio Batista de Mantena

O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...
O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...
O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...Colégio Batista de Mantena
 
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuaisColégio Batista de Mantena
 
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos ContraceptivosColégio Batista de Mantena
 
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetaisColégio Batista de Mantena
 

Mais de Colégio Batista de Mantena (20)

2016 Frente 2 módulo 14 Vitaminas
2016 Frente 2 módulo 14 Vitaminas2016 Frente 2 módulo 14 Vitaminas
2016 Frente 2 módulo 14 Vitaminas
 
O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...
O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...
O ESTUDO DO FÓSFORO EM SOLOS DE ÁREA DE EXTRAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA NA AMAZÔ...
 
Frente 1 módulo 11 Sistema abo
Frente 1 módulo 11 Sistema aboFrente 1 módulo 11 Sistema abo
Frente 1 módulo 11 Sistema abo
 
2016 Frente 1 modulo 13 Engenharia genética
2016 Frente 1 modulo 13 Engenharia genética2016 Frente 1 modulo 13 Engenharia genética
2016 Frente 1 modulo 13 Engenharia genética
 
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais
2016 Frente 1 módulo 12 Herança dos genes cromossomos sexuais
 
2016 Frente 2 módulo 12 sistema nervoso
2016 Frente 2 módulo 12 sistema nervoso2016 Frente 2 módulo 12 sistema nervoso
2016 Frente 2 módulo 12 sistema nervoso
 
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
 
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos
2016 Frente 2 módulo 12 Métodos Contraceptivos
 
2016 Frente 3 módulo 15 Poluição
2016 Frente 3 módulo 15 Poluição2016 Frente 3 módulo 15 Poluição
2016 Frente 3 módulo 15 Poluição
 
2016 Frente 3 módulo 14 Sucessão Ecológica
2016 Frente 3 módulo 14 Sucessão Ecológica2016 Frente 3 módulo 14 Sucessão Ecológica
2016 Frente 3 módulo 14 Sucessão Ecológica
 
2016 Frente 3 módulo 13 Ciclos Biogeoquímicos
2016 Frente 3 módulo 13 Ciclos Biogeoquímicos2016 Frente 3 módulo 13 Ciclos Biogeoquímicos
2016 Frente 3 módulo 13 Ciclos Biogeoquímicos
 
2016 Frente 3 módulo 12 Relacoes Ecologicas
2016 Frente 3 módulo 12 Relacoes Ecologicas2016 Frente 3 módulo 12 Relacoes Ecologicas
2016 Frente 3 módulo 12 Relacoes Ecologicas
 
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
 
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
 
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
 
2016 Frente 3 módulo 9b transporte
2016 Frente 3 módulo 9b transporte2016 Frente 3 módulo 9b transporte
2016 Frente 3 módulo 9b transporte
 
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
 
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
2016 Frente 3 módulo 10b movimentos vegetais
 
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
 
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais
2016 Frente 3 módulo 9 transpiração nos vegetais
 

Último

Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsAlexandre Oliveira
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 

Último (20)

Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 

2016 Frente 3 módulo 7 Fatores que influenciam a fotossíntese

  • 1. Fatores que influenciam a fotossíntese Frente 3 Módulo 7. Curso Pré Vestibular Sistema Objetivo. Colégio Batista de Mantena. Zayra Almondes.
  • 2. Fatores que influenciam a fotossíntese
  • 4. Influência do gás carbônico
  • 5. Influência do gás carbônico  Substrato empregado na etapa química como fonte do carbono que é incorporado em moléculas orgânicas.  Fontes principais de CO2: o gás proveniente da atmosfera, que penetra nas folhas através de pequenas aberturas chamadas estômatos, e o gás liberado na respiração celular.  Sem o CO2, a intensidade da fotossíntese é nula. Aumentando-se a concentração de CO2 a intensidade do processo também se eleva. Entretanto, essa elevação não é constante e ilimitada. Quando todo o sistema enzimático envolvido na captação do carbono estiver saturado, novos aumentos na concentração de CO2 não serão acompanhados por elevação na taxa fotossintética.
  • 6. Influência do gás carbônico DADOS  Quantidade natural de gás carbônico na atmosfera: 0,03 e 0,04%  Limite máximo para realização da fotossíntese: 0,3% de gás carbônico.  Forma encontrada na folha:  CO2 + H2O → H2CO3 → H+ + HCO3 -
  • 7. Influência da Temperatura  Temperatura ideal limite para a realização do processo de fotossíntese seria aproximadamente 35ºC (variando entre 30oC a 38oC).  Caso a temperatura atinja níveis muito altos ou muito baixos, a atuação, não só das enzimas, mas de todas as proteínas cessará ou diminuirá, levando a graves consequências. Esse processo é conhecido como desnaturação.
  • 9. Influência do Comprimento da Onda  Pigmentos fotossintetizantes:  O termo "pigmento" significa substância colorida. A cor do pigmento fotossintetizante depende das faixas do espectro da luz visível que ele absorve ou reflete.  A clorofila, que dá a cor verde característica da maioria dos vegetais, absorve muito bem a luz nas faixas do vermelho e do violeta, refletindo a luz verde.  Como a luz refletida é a que atinge os nossos olhos, essa é a cor que vemos, ao olharmos para uma folha. O perfil de absorção de luz de uma substância é o seu espectro de absorção.
  • 11. Influência do Comprimento da Onda  Todas as células fotossintetizantes, exceto as bacterianas, contêm 2 tipos de clorofila, e um deles sempre é a clorofila a. O segundo tipo de clorofila geralmente é a clorofila b (nos vegetais superiores) ou a clorofila c (em muitas algas).  Esses diversos tipos de clorofila diferem quanto à faixa do espectro da luz visível na qual cada uma delas capta luz com mais eficiência.  Os carotenóides são pigmentos acessórios. Eles absorvem luz em faixas um pouco diferentes das faixas das clorofilas e faz com que muitas folhas tenham cores diferentes do verde (arroxeadas, alaranjadas, amarelas, etc).  As clorofilas a e b possuem espectros de absorção de luz ligeiramente diferentes, como mostra o gráfico a seguir:
  • 13. Influência do Comprimento da Onda  Há excelente atividade fotossintética nas faixas do espectro correspondentes à luz violeta/azul e à luz vermelha, e à pouca atividade na faixa do verde.  Para que uma planta verde execute a fotossíntese com boa intensidade, não se deve iluminá-la com luz verde, uma vez que essa luz é quase completamente refletida pelas folhas.
  • 14. Influência da Luz  O papel da luz na fotossíntese  A estrutura atômica dos cloroplastos torna a folha capaz de absorver a luz.  Quando a luz incide em um cloroplasto, ele é capaz de absorvê-la e ativar alguns elétrons e elevá-los a um nível energético superior.  Os átomos entram em um "estado ativado", rico em energia e muito instável. Neste caso, o cloroplasto não devolve a energia captada através da fluorescência, mas a transfere para outras substâncias.  Há transformação da energia luminosa captada em energia química que será usada na fase clara da fotossíntese. 
  • 15. Influência da Luz  No escuro, a planta não realiza fotossíntese.  Aumentando-se a intensidade luminosa, a taxa da fotossíntese também aumenta.  A partir de um certo ponto, novos aumentos na intensidade de iluminação não são acompanhados por elevação na taxa da fotossíntese. A intensidade luminosa deixa de ser um fator limitante da fotossíntese quando todos os sistemas de pigmentos já estiverem sendo excitados e a planta não tem como captar essa quantidade adicional de luz. Atingiu-se o ponto de saturação luminosa.
  • 16. Influência da Luz  Aumentando-se ainda mais a intensidade de exposição à luz, chega-se a um ponto a partir do qual a atividade fotossintética passa a ser inibida. Trata-se do ponto de inibição da fotossíntese pelo excesso de luz.