Por: Victor Bianchi
Saquê
• História – Primeira produção datada no século III. Forma de preparo. China e Japão são os
países de origem.
• Ferm...
Saquê
Principais tipo de saquê:
• Junmai-shu: mais puro (1ª classe), não sofre acréscimo de álcool, arroz polido em até
70...
Saquê
• Pode ser consumido quente 45 a 55ºC; Ou frio 7 a 10ºC.
• Usado em alguns coquetéis dando um sabor e aroma inovador...
Steinhaeger
• Originário da Alemanha.
• Primo do Gin, mas não devemos confundi-lo só por causa do Zimbro.
• Feita de zimbr...
Eau-De-Vie
• São brandys franceses de varias frutas.
• Alto teor alcoólico e corpo de cachaça.
• Pouco conhecido no Brasil...
Bitters
• Termo utilizados para bebidas amargas.
• Podem ter em sua composição: raízes, folhas, especiarias, cascas e flor...
Bitters
• Brasilberg (undenberg): brasileiro desde 1846, feito com várias ervas brasileiras e folhas
aromáticas, mudou de ...
Absinto
• Feita de Anis e criada no século XVIII na Suíça.
• Usada como remédio.
• Banida na Europa no século XX, devido a...
Ouzo
• Feito de anis.
• Grego.
• Fica leitoso ao se misturar com água.
• Criado no século 14.
• Teor alcoólico de 37% a 50...
Arak
• Feita de anis.
• Teor alcoólico em torno de 40% a 67%.
• Oriente Médio.
• Aperitivo.
• Fica leitoso a se misturar c...
Vermuths
• Feitas de vinho(70%) + ervas + raízes + cascas + flores.
• Turin na Itália.
• Martini é a marca mais famosa.
• ...
Licores
• Podem ser feitos por: Infusão, Decocção, Maceração e adição.
• Grande quantidade de açúcar.
• Base de álcool pur...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

YURILATUCHA 8

289 visualizações

Publicada em

YURILATUCHA

Publicada em: Alimentos
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

YURILATUCHA 8

  1. 1. Por: Victor Bianchi
  2. 2. Saquê • História – Primeira produção datada no século III. Forma de preparo. China e Japão são os países de origem. • Fermentado de arroz . • Matéria prima – arroz e água. 16% de teor alcoólico. • Produção: fazemos o polimento do arroz, e fazemos o Koji com a levedura. Macera, enxuga, vaporiza e resfria o koji. Mistura-se a pasta de arroz à água cozinha-se e fermenta por 30 dias, filtra e engarrafa. • Arroz perde até ¾ de seu tamanho original. • Shochu – Destilado do saquê, vem se tornando bastante conhecida. • Classes do saquê se da pelo polimento do grão de arroz.
  3. 3. Saquê Principais tipo de saquê: • Junmai-shu: mais puro (1ª classe), não sofre acréscimo de álcool, arroz polido em até 70%. • Honjozo-shu: Adição de uma pequena quantidade de álcool que o torna mais suave (1ºclasse). • Ginjo-shu: perda de 60% do grão, fermentado em uma temperatura baixa. • Daiginjo-shu: 55% de perda, muito trabalhoso. • Namazakê: não é pasteurizado, deve ser guardado em geladeira. • Nigori-zakê: não é filtrado.
  4. 4. Saquê • Pode ser consumido quente 45 a 55ºC; Ou frio 7 a 10ºC. • Usado em alguns coquetéis dando um sabor e aroma inovadores. • De 12 a 20% de teor alcoólico. • Degustação: lugares claros, bastante diálogo, sempre entre as 10 e 11 horas, mão esquerda na mesa e segurar o Masu com a direita. Análises já vistas. • Marcas Brasileiras – Jun Daiti e Azuma Kirin.
  5. 5. Steinhaeger • Originário da Alemanha. • Primo do Gin, mas não devemos confundi-lo só por causa do Zimbro. • Feita de zimbro e outros cereais. • Servido gelado com cerveja ou em caipi. Ficando mais suave e aromático • Nacionais não são de boa qualidade..
  6. 6. Eau-De-Vie • São brandys franceses de varias frutas. • Alto teor alcoólico e corpo de cachaça. • Pouco conhecido no Brasil. • Cereja, ameixa e pêra. • Serviço: servida após a refeição como um digestivo.
  7. 7. Bitters • Termo utilizados para bebidas amargas. • Podem ter em sua composição: raízes, folhas, especiarias, cascas e flores. • Campari: originário da Itália, conhecido pelo seu amargor e coloração vermelha. Clássico contemporâneo devido a sua originalidade. • Aperol: Itália, grande amargor assim como o Campari, foi comprado pelo mesmo para diminuir a concorrência no mercado.
  8. 8. Bitters • Brasilberg (undenberg): brasileiro desde 1846, feito com várias ervas brasileiras e folhas aromáticas, mudou de nome em 1932. • Fernet: Criada em Milão, Itália, sinônimo de prestígio internacional, infusão de dezenas de ervas aromáticas muito bem combinadas. Geralmente bebido com Coca-cola. • Jagermeister: Infusões de ervas, criado na Alemanha. • Angostura: Originário de Trinadad e Tobago, 47,6% de teor alcoólico.
  9. 9. Absinto • Feita de Anis e criada no século XVIII na Suíça. • Usada como remédio. • Banida na Europa no século XX, devido ao seu alto teor alcoólico de até 95%. • Voltando somente nos anos 90. • Influenciou vários artistas franceses. • Toma-se com água e açúcar. • Brasil só passou a vender a partir de 1999, com no máximo 54% de álcool.
  10. 10. Ouzo • Feito de anis. • Grego. • Fica leitoso ao se misturar com água. • Criado no século 14. • Teor alcoólico de 37% a 50%. • Supriu a necessidade do Absinto. • Aperitivo.
  11. 11. Arak • Feita de anis. • Teor alcoólico em torno de 40% a 67%. • Oriente Médio. • Aperitivo. • Fica leitoso a se misturar com água (2/3).
  12. 12. Vermuths • Feitas de vinho(70%) + ervas + raízes + cascas + flores. • Turin na Itália. • Martini é a marca mais famosa. • 4 tipos - Branco doce. Branco seco. Rosso. Tinto. • Tinto seco = Bitter.
  13. 13. Licores • Podem ser feitos por: Infusão, Decocção, Maceração e adição. • Grande quantidade de açúcar. • Base de álcool puro (vodka). • Ervas, natas, frutas, amêndoas, etc. • Xarope = Licor não alcoólico.

×