Relatorio de geoprocessamento, análise ambiental

535 visualizações

Publicada em

Análise ambiental da praia do Vieira e praia do Caúra em São José de Ribamar - MA

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
535
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio de geoprocessamento, análise ambiental

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA COLÉGIO UNIVERSITÁRIO - COLUN CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE ANÁLISE AMBIÊNTAL: Praia do Vieira e praia do Caúra. SÃO LUIS – 2011
  2. 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA COLÉGIO UNIVERSITÁRIO - COLUN CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE MIRIAN FERREIRA DA SILVA RIULLA PINHEIRO COSTA THAIZA SILVA FRASÃO COSTA ANÁLISE AMBIENTAL: Praia do Vieira e Caúra. SÃO LUIS – 2011 Trabalho apresentado ao curso Técnico em Meio Ambiente do Colégio Universitário – Colun como requisito para obtenção de nota na disciplina de Topografia e Geoprocessamento. Profº Orientador: Ulisses Denache.
  3. 3. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 4 2 MATERIAIS E MÉTODOS 5 3 CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO 6 4 RESULTADOS E DISCUSÕES 9 5 CONCLUSÃO 21 6 REFERÊNCIAS 22
  4. 4. 1 INTRODUÇÃO É perceptível que pontos turísticos mais requisitados estão sujeitos a degradações ambientais, devido à aceleração da densidade demográfica e urbanização que se não devidamente planejadas trazem consigo fatores que de incidem negativamente no meio ambiente. As áreas litorâneas são lugares onde as pessoas freqüentam para suprir sua necessidade de lazer, entendido como algo essencial para a qualidade de vida. Assim, essas áreas são também de relevante importância para a comunidade local no tange a sua sobrevivência uma vez que tiram dela seu sustento por meio de atividades pesqueiras, além de constituir-se em elemento cultural da comunidade, haja vista ser fonte inspiração à arte, à literatura e a culinária local. Porém, muitas dessas áreas não estão preparadas para lidar com a movimentação turística, ocasionando a liberação de esgotos nas marés, a superprodução de lixo em sua maioria materiais plásticos que acabam depositados nas áreas de manguezais, e a incidência de erosões nas margens litorâneas devido à ação antrópica desordenada. Daí concluir-se que o próprio homem devasta aquilo que lhe é essencial, pois ainda não fez a relação direta de seus atos com as conseqüências ambientais que ocorrem no seu entorno social. Pôde-se perceber também que ao mesmo tempo em que existem áreas litorâneas movimentadas onde o urbanismo se apropria e trás consigo degradação e poluição, há ainda uma pequena porcentagem de praias pouco freqüentadas e pouco populosas que de um ponto de vista comparativo pode ser observável que há bem menos ação humana destrutiva ao meio ambiente, poucos resíduos nas marés, nos mangues, e nas falésias, onde o pequeno acumulo de lixo se dá pela ação dos ventos e das marés que trazem consigo resíduos de praias próximas. Mas essas praias aos poucos estão sendo descobertas pelo homem ocasionando o turismo predatório. No desencadeamento deste trabalho serão abordados e comparados esses aspectos na praia do Vieira, um dos cartões postais da cidade e ponto turístico muito freqüentado, e na praia do Caúra, situada não muito distante da primeira, sendo, entretanto, pouco freqüentada, com uma população relativamente pequena que vive em situação de vulnerabilidade social, onde a maior atividade é a pesca. 4
  5. 5. 2 MATERIAIS E MÉTODOS Este trabalho foi elaborado entre o mês de novembro e dezembro de 2011, e foi desenvolvido através de pesquisa bibliográfica e também de campo. A pesquisa bibliográfica foi feita através da leitura e análises de textos referentes ao tema abordado como o texto Lixo no ambiente marinho de ARAÚJO 2009, e FERREIA 2009, e artigos como A interface percepção ambiental e geomorfologia no estudo da praia de Caúra em São José de Ribamar – MA de SOUZA 2007, CAMPOS NETO 2007, FEITOSA 2007, entre outros. A pesquisa de campo foi feita através de visitas a praia do Vieira e a praia do Caúra. A primeira visita ao local foi de observação das praias para identificação da problemática. Na segunda foram utilizados todos os materiais necessários para fazer a coleta de dados climáticos que nos ajudaram a compreender melhor o local estudado. Na elaboração deste trabalho foram usados procedimentos metodológicos para maior conhecimento das áreas estudadas, considerando-se aspectos relativos ao homem e ao ambiente.  Pesquisa : Levantamento bibliográfico, de textos e artigos já citados.  Observação: Visita ao local, observando toda sua área e delimitando aquilo que seria de fato o objeto do trabalhado.  Registro fotográfico: foram registradas em fotos todas as imagens que consideramos úteis para ajudar-nos na análise do local e para a contextualização visual dos pontos a serem abordados no presente trabalho. 5
  6. 6. 3 CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO  Localização O Município de São José de Ribamar limita-se ao norte com oceano atlântico e com o município de Paço do Lumiar, ao oeste sul com o município de São Luis, e a leste com a baía de São José. Esta interligada com as cidades visinhas de Raposa e Paço do Lumiar pela MA 204, e com a capital São Luis com MA 201. Somados formam a microregião da aglomeração urbana de São Luis. O acesso ao Município pode ser feito por quatro rodovias: MA 201, MA 202, MA 203, MA 204. A articulação entre essas rodovias da acesso a br 135 através da avenida Guajajaras constituido assim um único acesso rodoviário para a saída do Município em direção ao continente. Sua delimitação é feita com base nas seguintes coordenadas geográficas 02º 27‟35‟‟ e 02º42‟11‟‟ latitude Sul e 44º01‟18” e 44º13‟00” Longitude Oeste. 6
  7. 7. A pesquisa abrange as aréas litorâneas da praia do Vieira e a praia do Caúra que ficam localizadas na Baía de São José, na aréa litorânea do Golfão Maranhense, no município de São José de Ribamar – Maranhão. Segundo Feitosa (2006) esta área por esta inserida no Golfão Marenhense apresenta intensa atividade eólica marinha e fluviomarinha, geradoras ondas e correntes que modelam falésias, manguezais e ilhas. Apresenta o tipo de clima úmido (B1) caracterizada por precipitação média anual entre 1.500 e 2.000 mm, umidade relativa do ar superior a 70%, com moderada deficiencia hidrica no inverno. O Caúra é a ultima praia antes de se chegar a praia do Vieira pelo Golfão Maranhense, apresenta uma estreita faixa de areia a marge do mangue, Pode-se facilmente visualizar alguns moradores naturais como carangueijo dos mais diversos tamanhos.  Aspectos Humanos São José de Ribamar é uma cidade histórico-religiosa, onde se acredita que uma lenda deu origem a cidade. Conta à lenda que um navio que vinha de Lisboa para São Luís desviou-se de sua rota e em plena Baía de São José, esteve ameaçado de naufrágio por uma grande tempestade. O capitão invocou a proteção de São José, prometendo erguer-lhe uma capela no povoado que avistava ao longe. 7 FONTE: A interface percepção ambiental e geomorfologia no estudo da praia de Caúra em São José de Ribamar-MA de SOUZA, CAMPOS NETO, e FEITOSA 2007.
  8. 8. Tal foi à força das súplicas, que imediatamente o mar se acalmou e todos chegaram a terra a salvos. Para cumprir a promessa, o capitão trouxe de Lisboa uma imagem de São José e colocou na modesta igrejinha erguida, de frente para o mar. Mas os devotos que moravam na antiga Anindiba dos indígenas, atualmente Paço do Lumiar, entenderam que a imagem deveria ser levada para a igrejinha daquele povoado e sem que ninguém percebesse, eles transportaram a imagem de lá. No dia seguinte, todos viram que a imagem não se encontrava mais em Anindiba, pois, misteriosamente, ela voltou à capela de origem. E os moradores tornaram repetir a transferência e colocaram pessoas a vigiar o santo, para que ele não voltasse a Ribamar. São José, entretanto, transformando seu cajado em luzeiro, desceu da Igreja de Anindiba e, protegido por anjos e santos, voltou a Ribamar. E o caminho por onde ele ia passando encheu-se de suaves rastros de luz. Só assim os moradores de Anindiba compreenderam que o santo queria permanecer em sua capela, de frente para o mar. Tempos depois, quando da construção de uma nova igreja, resolveram fazê-la de frente para a entrada da cidade - mas as paredes da igreja várias vezes ruíram, até que os fiéis compreenderam que a igreja deveria permanecer de frente para o mar, e assim permanece até hoje. 8
  9. 9. 4 RESULTADOS E DISCURSÕES Através de análises da praia do Vieira e praia do Caúra observa-se algo muito instigante e ao mesmo tempo contraditório: o fato de duas praias localizadas no mesmo município e serem tão próximas possuírem aspectos ambientais e humanos tão distintos. São José de Ribamar é uma cidade turística freqüentada por turistas do mundo inteiro, considerada a cidade do Santo Padroeiro do Maranhão de mesmo nome que encanta os turistas principalmente pela sua religiosidade. Um dos seus principais cartões postais é a praia do Vieira que fica próxima à Igreja e aos outros monumentos, também importantes, como a estátua de São José, a concha acústica, a gruta de Nossa Senhora de Lourdes, o museu dos ex-votos, casa dos milagres, e diversas estátuas religiosas em frente a igreja. Cuja área é denominada “Cidade Santuário”. A festa da cidade é realizada no mês de setembro (figura 1), com diversas romarias como a dos motoqueiros (figura 3), carroceiros, ciclistas, caminhada, novenas, missas, shows artísticos de músicas religiosas, bazares, barracas de comidas típicas como o caranguejo, sururu, camarão, peixe-pedra e coco d‟água, exposição e venda de artesanatos que atrai devotos de várias partes do Maranhão, do Brasil e do mundo durante dez dias de festejo. Mas, São José de Ribamar tem uma característica peculiar onde o profano e o religioso se misturam, se confundem e se complementam histórica e culturalmente. Prova disso é o conhecido Lava-pratos, um dos primeiros carnavais fora de época do Brasil que ocorre durante o período da Quaresma. Além desse, há ainda o Lava- Santo e o Lava-Boi (foto 2). Considerada uma cidade festeira, organiza outros diversos festivais, entre eles, o do Peixe-Pedra, inclua-se nessa festança o advento da Parada Gay que vem se realizando todos os anos. Como se não bastasse a cidade cultiva ainda muitas lendas e histórias de pescadores como elementos constituintes de sua história e de sua cultura. 1. FESTA DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR. 9
  10. 10. 2. FESTA DO LAVA-BOI. 4. SHOW DE LAVA PRATOS NA ORLA MARÍTIMA DA PRAIA DO VIEIRA. 3.ROMARIA DOS MOTOQUEIROS. 10
  11. 11. Por ficar próxima aos lugares onde acontece toda essa movimentação a praia do Vieira (fotos 6 e 5) é muito frequentada, onde muitas vezes após as comemorações religiosas acontecem shows e diversos eventos (foto 4). É também bastante frequentada fora desses períodos, com quantidade menor de pessoas mas ainda em quantidade significativa. Toda a história, lendas, mistérios, festas, e culinária origial fazem com que a cidade seja bastante visitada o ano todo. A praia do caúra (foto 7) localiza próximo a praia do Vieira, onde muitas vezes as duas são confundidas em uma mesma praia, a travessia da praia do Vieira para o Caúra em maré cheia é feita de canoa (foto 8), é uma travessia pequena que não chega ao tempo estimado 5 minutos. A praia ainda é pouco frequentada por turistas, 6. PRAIA DO VIEIRA 5. PRAIA DO VIEIRA 11
  12. 12. possui uma população pequena de moradores, lá vive uma comunidade carente que vive em situação de vunerabilidade social, onde a principal atividade é a pesca. Possui também diversas belezas naturais ainda pouco exploradas. 8. TRAVESSIA DE CANOA DO VIEIRA PARA A PRAIA DO CAÚRA. Em cidades litoraneas, as praias com certeza são os pontos mais requisitatos para o lazer, o que ocasiona o aumento da população sobre as costas, com bares, 7. PRAIA DO CAÚRA. 12
  13. 13. restaumantes, hotéis e pousadas, e até mesmo construções de casas de férias para o lazer particular. A cidade de São José de Ribamar ainda não esta totalmente preparada para o aumento da densidade demográfica quem vem ocorrendo. Na praia central da cidade podemos identificar a falta de saneamento básico, encontrando-se facilmente esgotos a céu aberto vindos dos bares, restaurantes, hoteis, pousadas e de algumas casas que incidem diretamente na maré e na praia (foto 9). Esgotos que possuem grande quantidade de matéria orgânica e microorganismos que podem contribuir para o aparecimento de ovos de parasitas, fungos, bactérias, e vírus que ocasionam doenças humanas como tifo, tuberculose, hepatite e cólera, assim como poluentes que em excesso geram a mortalidade de animais marinhos. 13 9. ESGOTOS DE BARES E RESTAURANTES DA PRAIA DO VIEIRA ESCOANDO PARA A MARÉ
  14. 14. A praia do Caúra ainda é pouco explorada turisticamente, tem fluxo bem menor de pessoas com relação a praia central, possui apenas um bar, uma pousada (foto 10), algumas poucas casas de aluguel que dificilmente são ocupadas, seus esgotos também escoam para a maré. É interessante ressaltar que a população residente do Caúra não são os principais poluidores, mas sim esses pontos de consumo que já começam a atrair outras populações vizinhas e alguns poucos turistas que ainda não contribuem para uma poluição visual e significativa. Porém é essencial saber que processos iniciais de degradação ambiental podem ter uma evolução que será prejudicial ao meio em que se encontram. Apesar de ser raro o turismo predatório na praia do Caúra ele existe, como exemplo a movimentação de quadriciclos que é uma prática já proibida nas praias e também a movimentação de carros (foto 11) em uma praia que não existe pista, muitas vezes passando por cima dos manguezais que não se restringem apenas a lama da praia, mas que chegam bem próximo a areia seca. O fato da praia do Caúra não possuir fiscalização ambiental se torna área vulnerável e fácil para a prática de atos ilegais como esses. 10. POUSADA NA PRAIA DO CAÚRA. 11. MOVIMENTAÇÃO DE CARROS NA PRAIA DO CAÚRA.
  15. 15. Essa tentativa de fazer lazer sem planejamento é uma prática cobiçada há muito tempo na praia do Caúra devido suas belezas naturais que despertam a cobiça humana de usufruir do meio ambiente para o seu deleite sem se quer analisar as consequências. Segundo informações retiradas do blog de Wilson Ferreira Araújo Jornalista, mestre em Educação, professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), corria o final da década de 1990 quando o empresário e advogado José Lócio dos Santos resolveu empreender no município de São José de Ribamar, na praia do Caúra, onde pretendia construir um complexo turístico. Muito festejado à época do lançamento, o Caúra Beach Marina Park pretendia ser um amplo espaço de lazer, com piscinas, hotel, trilhas para caminhadas, criação de animais, restaurante etc. E sabe qual foi à primeira providência de José Lócio para dar visibilidade ao empreendimento? Mandou cortar todo o manguezal da beira da praia do Caúra (foto 12). Na visão empresarial lociana, o mangue atrapalhava o negócio. Derrubou não só o mangue como grande parte da vegetação costeira (fotos 13 e 14). Para completar, ergueu uma muralha na beira da praia, a fim de proteger o terreno. Feito isso, Lócio pôs à venda os títulos do Caúra Beach Marina Park (foto 15). Não vendeu nada e também nada mais construiu. Nem chalés, nem piscinas e trilhas. Lócio faleceu em janeiro de 2007. A maré derrubou o muro, destruiu as guaritas e, mais importante, o mangue voltou a crescer (fotos 16 e 17). Ninguém é contra empreendimentos turísticos no Maranhão. O problema é como são feitos, geralmente atropelando os estatutos da preservação ambiental e das cidades sustentáveis. A 12. MANGUE DEVASTADO NA PRAIA DO CAÚRA. 13. PARTE DA VEGETAÇÃO COSTEIRA DEVASTADA NA PRAIA DO CAÚRA. 14
  16. 16. O mangue é um bioma importante da fauna brasileira caracterizado por muitos autores como berçário de vida, pois ele serve como local para a reprodução de diversas espécies como caranguejos, moluscos, ostras, e peixes. Constitui-se fonte de renda e de subsistência das comunidades ribeirinhas ou costeiras por meio das atividades de pesca, pois este concentra uma diversidade de animais marinhos. Na praia do Vieira por ter um índice populacional alto, e uma movimentação comercial grande, aliada ao centro da cidade, pode-se observar que nos manguezais o principal resíduo sólido encontrado é o plástico em forma de sacolas plásticas (foto 18), uma das mais destrutivas invenções do sistema capitalista para o meio ambiente. 14. PARTE DA VEGETAÇÃO COSTEIRA DEVASTADA NA PRAIA DO CAÚRA. 15. RESTOS DA CONSTRUÇÃO DO CAÚRA BEACH MARINA PARK. 16. MANGUE CRESCENDO SOBRE OS RESTOS DA CONSTRUÇÃO DO CAÚRA BEACH MARINA PARK 17. MANGUE CRESCENDO SOBRE OS RESTOS DA CONSTRUÇÃO DO CAÚRA BEACH MARINA PARK. 15
  17. 17. Em contrapartida a praia do Caúra ainda permanece intacta com relação à poluição dos manguezais (foto 19 e 20), raramente observa-se sacos plásticos ou outro tipo de resíduo. Os poucos resíduos encontrados nessa praia vem de outras praias mais freqüentas principalmente da praia do Vieira pela ação das marés. 18. MANGUEZAIS DA PRAIA DO VIEIRA 16
  18. 18. A presença de resíduos plásticos nos manguezais é uma ameaça aos animais marinhos que utilizam desse ecossistema para se reproduzir e que muitas vezes confundem o plástico com alimento, morrendo por asfixia ou por obstrução do aparelho digestivo. Dando continuidade a análise dos resíduos sólidos agora de uma forma geral, analisemos a pesquisa feita em 2009 sobre a qualificação e a quantificação dos resíduos sólidos existentes na praia do Caúra realizada por Santiago, P. M. M e Rocha Júnior, C. L da Universidade Federal do Maranhão e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão. 19. MANGUEZAIS DA PRAIA DO CAÚRA. 20. MANGUEZAIS DA PRAIA DO CAÚRA. 17
  19. 19. Duas amostragens realizadas em quatro pontos definidos na praia do Caúra apresentaram um total de 44.410g de lixo. Nas amostras da coleta de novembro obteve-se 18.440g distribuídos decrescentemente em plástico (64%), borracha (27,1%), metal (6,7%), isopor (1,5%) e (0,7%), vidro. E as da coleta de dezembro com 25.970g distribuídos em ordem decrescente em plástico (62,4%), borracha (31,6%), vidro (3,3%), isopor (1,5%) e metal(1,2%). O plástico é um dos resíduos sólidos mais encontrados nas regiões costeiras. Como comprova a pesquisa acima a praia do Caúra não se absteve dessa característica, onde em 2009 a maioria dos materiais plásticos encontrados e coletados para a referida pesquisa foram às garrafas pet. Porém com a crescente valorização do plástico para a reciclagem tanto industrial como artesanal, houve o aumento de catadores nas praias, que consequentemente diminuiu a concentração desse tipo de detrito tanto na praia do Caúra como na praia do Vieira. Contudo, o plástico não deixa de ser um dos resíduos mais encontrado nessas praias, como já citado agora encontra-se em sua maioria na forma de sacolas plásticas, material plástico não utilizado para a reciclagem. As praias apresentadas neste trabalho têm intensa atividade eólica, marinha e fluviomarinha, geradoras de ondas e correntes que modelam falésias. As falésias encontradas na praia do Vieira (foto 21) possuem erosão causada por construções inapropriadas ao espaço, e acumulo de lixo trazido pela maré. As falésias encontradas na praia do Caúra (foto 22) possuem erosão natural da ação marinha, ação de ventos e chuvas, sem o acumulo de lixo. Porcentagem de resíduos sólidos na praia do Caúra em novembro de 2009 Porcentagem de resíduos sólidos na praia do Caúra em Dezembro de 2009 18
  20. 20. Pode-se perceber nas fotos da praia do Caúra que esta ainda é conservada em suas belezas naturais, e que seus moradores dão valor a essa raridade litorânea como se fosse um acordo de sobrevivência entre o homem e o meio, onde o meio produz seu sustendo e o homem agradece preservando-o, acordo que dificilmente 21. FALÉSIAS NA PRAIA DO VIEIRA 22. FALÉSIAS NA PRAIA DO CAÚRA. 19
  21. 21. encontraremos funcionando em outro lugar, visto que é pouco o acumulo de detritos na praia, onde os resíduos que se encontram lá chegam pela ação da maré vinda de outras praias principalmente da praia do Vieira, e também deixados pelos poucos turistas e banhistas que freqüentam a área. O resultado de comparações ambientais entre as duas praias é „evidente (fotos 23 e 24). 23. FOTOS DA PRAIA DO CAÚRA. 24. FOTOS DA PRAIA CENTRAL DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR. 20
  22. 22. 5 CONCLUSÃO Viver em um meio já é motivo para se adaptar a ele, contudo deve-se ter probidade para a modificação deste espaço, ter consciência que ele mantém organismos vivos inclusive o próprio ser humano. Os elementos do meio ambiente devem se manter em equilíbrio, pois as conseqüências da degradação ambiental feita pelo homem em uma determinada área não se restringe apenas a esse ecossistema, temos como exemplo já descrito neste trabalho a praia do Caúra onde a degradação e poluição não são originárias da mesma e nem de sua população, mas de outras áreas litorâneas principalmente da praia do Vieira. É necessário analisar e planejar o espaço para que este possa suprir a demanda populacional que busca formas de turismo, como lazer, consumo, e construções neste ambiente, visando à manutenção de problemas ambientais causado por esse mesmo crescimento. Por conseqüência desta demanda consumista que se gera a partir de um capitalismo selvagem em uma sociedade globalizada que recebe durante o dia milhares de informações de forma conativa, onde nem mesmo as áreas litorâneas deixam de serem cobiçadas pelo homem seja como forma de diversão, lazer, deleite ou como oportunidade de crescimento comercial, não existem mais hoje praias totalmente neutras as conseqüências ambientais desse novo sistema capitalista que produz grande quantidade de resíduos sólidos principalmente o plástico, material mais flexível para diversos tipos de utilização. Colocamos sobre esses aspectos a análise de praia do Caúra ainda pouco explorada, com diversas belezas naturais ainda conservadas, mas que não deixa de apresentar o turismo predatório. 21
  23. 23. 6 REFERÊNCIAS  OLIVEIRA, Benedito Alex Marques Santos, GONZAGA, Yata Anderso Masullo, ARAÚJO, Stela Maria Gomes, CORDEIRO, Antonio Feitosa. A gestão ambiental como ferramenta de mitigação do impacto da atividade tutística na “praia de banho”, Município de São José de Ribamar – MA. Geografia: Ensino e Pesquisa, Santa Maria, v.13n.1,p.01-09, 2009.  SOUSA, U.D.V, CAMPOS NETO, J.R., FEITOSA, A.C. A interface percepção ambiental e geomorfologia no estudo da praia do Caúra em São José de Ribamar – MA. Universidade Regional do Cariri – URCA, Laboratório de Análise Geoambiental/Departamento de Geociência – Crato, CE, Brasil, 2007.  SANTIAGO, P.M.M, ROCHA JÚNIOR, C.L. Quantificação e qualificação dos resíduos sólidos encontrados na praia do Caúra, São José de Ribamar – MA, Instituto Federal de Educação, e Tecnologia do Maranhão e Universidade Federal do Maranhão, 2010.  FERREIRA, Mônica da Costa, ARAÚJO, Maria Christina B. Lixo no ambiente marinho. Departamento de Oceanografia (Centro de Tecnologia e Geociências) da Universidade Federal de Pernambuco, 2009. 22

×