Slide de Metodologia

501 visualizações

Publicada em

Instrumentos e Técnicas de Análise e Coleta de Dados

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slide de Metodologia

  1. 1. Instrumentos e Técnicas de Coleta e Análise de Dados
  2. 2. As técnicas são instrumentos essenciais da pesquisa tanto na coleta como na análise de dados.
  3. 3.  Questionários  Entrevistas  Observações  Análises de documentos
  4. 4. Conjunto de questões, sistematicamente articuladas, que se destinam a levantar informações escritas por parte dos sujeitos pesquisados, com vistas a conhecer a opinião dos mesmos sobre os assuntos em estudo.
  5. 5.  Descritivos: Descreve o perfil das pessoas (renda, idade...);  Comportamentais: Conhece o padrão de consumo, comportamento social, econômico e pessoal...  Preferenciais: Avaliar a opinião de alguma condição em relação a problemática da pesquisa.
  6. 6.  Perguntas com respostas abertas: Os entrevistados expõe suas opiniões (escrita ou oral);  Perguntas com respostas fechadas: Os entrevistados escolhe respostas.
  7. 7.  Dicotômicas: sim/não, concordo/discordo, faço/não faço, aprovo/desaprovo.  Escolha múltipla: o respondente escolhe uma alternativa ou um número limitado de opções;  Escala de intervalo: ordena os objetos de estudo de acordo com o grau em que possuem num dado.
  8. 8.  Correios;  Meio digital (e-mail);  Aplicado por telefone.
  9. 9.  O anonimato das respostas;  A liberdade de o respondente expor sua opinião conforme sua disponibilidade de tempo.
  10. 10.  Exclusão das pessoas que não sabem ler;  Grande dificuldade no planejamento e na construção do instrumento;  Impossibilidade de esclarecimento por parte do pesquisado caso haja alguma dúvida.
  11. 11. É um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto. (LAKATOS; MARCONI, 1991). Qualitativas: são realizadas por meio de entrevistas em profundidade ou de discussões em grupo. Na pesquisa qualitativa não há nenhum critério pré- definido quanto à escolha dos entrevistados. O objetivo é conhecer a opinião, as atitudes e os significados sobre determinada situação ou fato.
  12. 12.  Quantitativas: O entrevistador identifica as pessoas a serem entrevistados por meio de critérios previamente definidos: por sexo, por idade, por localização geográfica etc. As entrevistas são feitas sempre individualmente. Ex: censo, estatística, entre outros.
  13. 13.  Ela pode ser realizada com todos os segmentos da população, incluindo os analfabetos;  Permite analisar atitudes, comportamentos, reações e gestos;  Permite explorar muita informação.
  14. 14.  Dificuldade de expressão e comunicação de ambas as partes;  Possibilidade de respostas falsas, quer conscientes quer inconscientes;  Consome muito tempo e é um método relativamente difícil de se trabalhar.
  15. 15.  Estruturada: Segue o roteiro da entrevista, sem inserir novas questões;  Semiestruturada: As perguntas podem ser formuladas, permite aprofundar elementos que podem ir surgindo durante a pesquisa;  Não estruturada: tem total liberdade para conversar com o entrevistador.
  16. 16. Como técnica de coleta de dados possibilita conhecer, através do comportamento das pessoas, o sistema de relação social existente entre elas.
  17. 17. Vantagens da observação:  Observar e registrar o fenômeno no momento em que ele ocorre;  Poder pesquisar o comportamento humano. Desvantagens da observação:  Não ser aceito como observador na organização ou no grupo;  Ter problema com registro das informações observadas.
  18. 18.  Assistemática: não se a tem a um plano especifico e rígido, (não estruturada);  Sistemática: Segue um plano especifico, (estruturada);  Participante: O observador assume até certo ponto;  Não participante: indicada para estudos exploratórios.
  19. 19. Envolve a investigação de documentos internos (da organização) ou externo (governamentais, de organizações não governamentais ou instituições de pesquisa, dentre outras).
  20. 20. Envolve a investigação em:  Documentos internos (da organização);  Documentos externos (governamentais, de organizações não governamentais ou instituições de pesquisa, dentre outras) É uma técnica utilizada tanto em pesquisa quantitativa como qualitativa.
  21. 21. Pontos Fortes Estáveis: Podem ser revisados quantas vezes for necessário. Exato: Contém nomes, referências, detalhes. Ampla cobertura: longo espaço de tempo, muitos eventos e ambientes distintos. Pontos Fraco Capacidade de recuperação pode ser baixa. Seletividade tendenciosa, se a coleta não estiver completa. Relato de visões tendenciosas: reflete as ideias preconcebidas (desconhecidas) do autor. Acesso – pode ser deliberadamente negado.
  22. 22. Definido por Kerlinger (1980, p. 353) como “a categorização, ordenação, manipulação e sumarização de dados” e tem por objetivo reduzir grandes quantidades de dados brutos a uma forma interpretável e mensurável.
  23. 23. Utiliza o conhecimento estatístico para duas finalidades:  Descrever : pode utilizar estatística descritiva.  Testar hipóteses : para hipóteses, a estatística inferencial.
  24. 24.  Busca compreender a realidade a partir da descrição de significados, de opiniões.  Análise de conteúdo: trabalha com materiais textuais escritos.  Análise de discurso: Tem como foco a linguagem utilizada nos textos escritos ou falados. É mais utilizado no campo da linguística e da comunicação especializada em analisar construções ideológicas presentes num texto.
  25. 25. Obrigado!

×